Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

És a nossa Fé!

Vieira e o apito para a história

Ao ler o texto de Ricardo Roque sobre o falecimento da sócia n.º 4 do Sporting, Maria de Lourdes Borges de Castro, lembrei-me de uma outra referência do nosso clube, Jorge Vieira, que, durante muito tempo, foi o sócio n.º 1.

Jorge Vieira, sucessor de Francisco Stromp, capitão da seleção nacional nas Olimpíadas de Amesterdão de 1928 e figura maior do futebol nacional teve uma outra particularidade que muitos, por certo, desconhecerão: foi o primeiro árbitro internacional do futebol português.

 

«Jorge Vieira tornou-se, aos 23 anos, o primeiro árbitro internacional português, apitando em Bilbau, um jogo de desforra entre a Espanha e a Bélgica [10 de Outubro de 1921].

 

Estava nos hábitos do tempo (1921) haver jogadores de grande categoria - como Francisco Stromp, Cosme Damião, Ribeiro dos Reis e Cãndido de Oliveira - a arbitrar jogos, normalmente os mais difíceis.

Em Outubro de 1921, nas vésperas de um Espanha - Bélgica rodeado de grande expectativa, a União Espanhola solicita à União Portuguesa de Futebol a nomeação de um árbitro português.

Com apenas 23 anos de idade, o jogador do Sporting aceitou o convite, mesmo sabendo que era um jogo de desforra, pois em 1920, as duas disputaram o título olímpico, em Antuérpia. Venceu a Bélgica; a Espanha ficou em segundo lugar. Neste jogo foi ao contrário: venceu a Espanha. O ‘Diário de Notícias’ informa: “Nunca um match internacional de football despertou entre nós um interesse tão grande. A razão estava em ir arbitrar esse match um juiz português, tendo a Associação de Foot-Ball escolhido para desempenhar esse cargo Jorge Vieira, o magnífico back do SCP.

Um árbitro em ombros por ser... imparcial!

A escolha de Jorge Vieira levantou uma certa celeuma, havendo mesmo quem chegasse a aventar que Vieira não tinha competência. Os telegramas recebidos dizem que a vitória coube ao team espanhol por 2 goals contra 0, e acrescentam que vencedores e vencidos foram unânimes em reconhecer em Jorge Vieira competência e imparcialidade.”

‘O Século’, por seu lado, adianta: “O desafio de foot-ball entre a selecção belga que tomou parte nas Olimpíadas de Antuérpia, classificando-se em primeiro lugar e a espanhola, que se classificou em segundo, foi ganho pelos espanhóis por 2 goals a 0. O jogador português Jorge Vieira, que arbitrou o desafio, foi, no final levado em triunfo pela forma correcta e imparcial como se conduziu.»

In: Glória e vida de três grandes. A Bola, 1995, p. 34-35

 

Leitura complementar no jornal « i »

 

P.S.: Em 1984 ou 1985, tinha eu 12/13 anos, tive o prazer de, juntamente com o meu pai, tirar uma fotografia com Jorge Vieira, e uma outra com o eterno capitão Manuel Fernandes, num encontro do Núcleo de Sportinguistas de Coimbra que se realizou, creio eu, na Liga dos Combatentes – na rua da Sofia.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D