Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Campeonato dos 5 primeiros

Esta contabilidade costuma ser feita apenas para os 4 primeiros classificados mas, em virtude do excelente campeonato do Vitória SC, desta vez alargo aos 5 primeiros.

Note-se que ainda faltam ocorrer 5  jogos neste "campeonato".

Os resultados foram:

  SCP SLB FCP SCB VSC
SCP x 2-1 2-0 5-0 21 de Abril
SLB 2-1 x 1-0 27 de Abril 4-0
FCP 28 de Abril 5-0 x 2-0 1-2
SCB 1-1 0-1 19 de Maio x 1-1
VSC 3-2 2-2 1-2 12 de Maio x

 

A classificação é:

  V E D Jogos Pontos
1. Benfica 4 1 2 7 13
2. Sporting 3 1 2 6 10
3. Porto 3 0 3 6 9
4. Vitória 2 2 2 6 8
5. Braga 0 2 4 6 2

 

Conclusões:

  • Como costuma acontecer quase todos os anos, o vencedor deste mini-campeonato será o Campeão Nacional.

 

  • O Sporting ainda tem 2 jogos por disputar (Porto fora e Vitória em casa), ao Benfica falta apenas 1 (Braga em casa), pelo que o Sporting pode, pelo menos, igualar o Benfica nesta classificação.

 

  • O Sporting tem 2 empates e 2 derrotas na globalidade do campeonato, sendo que destes, 1 empate e 2 derrotas foram com os 5 primeiros classificados, ou seja, com os restante 13 adversários o Sporting só concedeu 1 empate até ao momento.

 

  • O Porto acaba por estar relativamente perto de Benfica e Sporting, o que mostra que os pontos que perdeu foram principalmente com adversários do fundo da tabela.

 

  • A prestação do Braga é o inverso da do Porto, ganha quase todos os jogos com os adversários do fundo da tabela, mas ainda não ganhou este ano a nenhum dos 5 primeiros, o que explica a distância para os 2 primeiros.

Contas certas à 25ª jornada

As contas certas não são nenhuma alusão política, devem-se à curiosidade de os golos do Sporting à 25ª jornada, marcados e sofridos, resultarem em números redondos e exactos:

  • 75 golos marcados, média precisa de 3 por jogo;
  • 25 golos sofridos, média exacta de 1 por jogo;
  • 75 marcados + 25 sofridos = 100 golos em 25 jogos, o que dá uma média de 4 golos certinhos por jogo.

Temos de falar do árbitro, de Amorim, de Adán e da Rio Ave TV

Começo por dizer que o empate de hoje em Vila do Conde teve como principal autor o árbitro, que foi André Narciso, tal como aliás já tinha acontecido na última vez que perdemos pontos, em Guimarães. Assim temos de começar por falar sobre isso.

Mesmo em várias das vitórias conseguidas ao longo deste campeonato temos muitas queixas da arbitragem. Segundo li em algumas notícias, parece que é estratégia da "Estrutura" não comentar as mesmas, o que toda a gente sabe que é sempre uma estratégia muito acertada, já que ser roubado quase todas as semanas e estar caladinhos é uma receita vencedora. Agora se vier alguma queixa, mais ou menos tímida, decorrente do empate de hoje, eu diria que vem muito tarde.

Voltando à arbitragem deste jogo, só de memória temos:

  • Há uma falta evidente sobre Pote no início da jogada que origina o primeiro golo do Rio Ave;
  • Há um corte perigosíssimo dentro da área do Rio Ave, a tal ponto que provoca um pancada que obriga à saída de Trincão por lesão. Não sei qual é a regra da FIFA invocada esta semana, deve ser aquela que diz que desde que não se arranque a cabeça ao jogador, vale tudo para cortar uma bola. É uma entrada negligente e devia ter sido marcada grande penalidade.
  • Há mais um penálti evidente sobre Pedro Gonçalvez na segunda parte, quando o jogo estava 2-2. O nosso jogador foi agarrado para o impedir de ir à bola.
  • Os defesas do Rio Ave tiveram todos margem para poderem efectuar meia dúzia de faltas cada um, isto porque dessa meia dúzia, duas não são marcadas e três ou quatro são feitas à vontade, porque só há lugar a amostragem de cartões ao fim desse número de faltas.
  • Nos 5 minutos de descontos da segunda parte há uma expulsão de um jogador do Rio Ave, em que este demora mais de um minuto para sair, há a marcação de dois ou três livres e de um canto, mas mesmo assim o jogo acabou assim que se chegaram aos 5 minutos em ponto.

 

Depis temos de falar de Rúben Amorim.

Não sei por que carga de água achou que um jogo fora, com um adversário difícil e com condições climatéricas más era bom para colocar Diomande a titular pela primeira vez desde 18 de Janeiro. Viu-se que o jogador estava fora de forma, com falta de velocidade e preso de movimentos, e foi precisamente pelo seu lado que sofremos logo aos 5 minutos. Tal como não percebo que Quaresma, em excelente forma, tenha ido para o banco logo neste jogo, para dar lugar ao costamarfinense.

Depois, voltamos ao problema de sempre. Como Paulinho está lesionado, inciámos o jogo só com uma opção de ataque no banco, no caso Edwards. Lesiona-se Trincão durante o jogo, entra Edwards ainda na 1.ª parte e vamos para a 2.ª parte sem nenhuma opção de ataque no banco. Ao fim de quase 200 jogos de Amorim no Sporting, ainda andamos a acabar com Coates a ponta-de-lança.

 

De seguida temos de falar de Adán. Depois de duas boas épocas iniciais, teve uma bastante fraca no ano passado, e está a ir pelo mesmo caminho este ano.

Raramente é mais-valia, por isso nunca conto que ele defenda um grande remate, um livre directo ou uma grande penalidade. Fio-me na defesa para deixar criar muito poucas ocasiões ao adversário, porque se essa ocasião aparece mais vale confiar na Nossa Senhora do que em Adán para nos safar.

 Se o espanhol se ficasse por aí, no não acrescentar nada, já podíamos ficar satisfeitos. Infelizmente tem paragens cerebrais, como uma a meio da 1ª parte em que oferece a bola ao adversário que só não deu golo porque não calhou, ou na grande penalidade que comete, numa saída completamente tonta.

Não sei se estamos a preparar Franco Israel ou Diego Callai para a sucessão, ou se pensamos que Adán ainda tem condições para ser titular. O que é certo é que continuamos a sofrer um número assustador de golos para a quantidade de lances de perigo que consentimos.

 

Por fim temos de falar na Rio Ave TV, que fez a transmissão deste jogo. Não sei como é que ainda permitem que jogos da 1.ª Liga sejam transmitidos por canais de clubes, o que dá azo a comentários tendenciosos e a que não se repitam nem se comentem em condições alguns lances duvidosos, como os que referi acima. Um dos comentandores era um tal de Freitas Lobo, que pela maneira como só só via Rio Ave e só falava de Rio Ave, está no sítio certo, a trabalhar no canal do clube do seu coração.

Os Polícias e a Liga, a Liga e os Polícias

Já vários colegas de blogue comentaram a situação, por isso não vou entrar em detalhe na questão dos protestos dos polícias, mas, em resumo, que se querem ganhar as simpatias do público não é a faltar em jogos e a ameaçar que poderão faltar às eleições que as vão ganhar.

Para além da irresponsabilidade policial ao faltar ao Famalicão-Sporting, único jogo da 1.ª Liga adiado (o Sporting tem sempre um grande azar nestas coisas), temos ainda de abordar a incompetência da Liga Portugal para fazer o calendário competitivo, algo para que já tenho alertado noutros anos.

Dividindo as competições por meses, para o Sporting esta época temos:

- 3 jogos em Agosto, todos da 1.ª Liga

- 5 em Setembro, 4 da 1.ª liga e 1 da Liga Europa. Inclui uma pausa de 15 dias para as selecções

- 5 em Outubro- 2 da Liga, 1 da Taça e 2 da Europa. Há uma pausa de 15 dias para as selecções, e o jogo de regresso é para a Taça, que nesta altura costuma ser com um adversário acessível. Ou seja, grande parte dos clubes estátrês semanas sem um jogo ao seu nível.

- 6 em Novembro- 2 da Liga, 2 da Europa, 1 da Taça da Liga e 1 da Taça de Portugal.

- 6 em Dezembro- 4 para a Liga, 1 da Europa e 1 da Taça da Liga

- 6 ou 7 em Janeiro- 4 da Liga, 1 da Taça de Portugal, 1 ou 2 para a Taça da Liga

- 7 ou 8 em Fevereiro- 4 da Liga, 1 ou 2 da Taça de Portugal (depende se passar à meia-final), 2 da Liga Europa. O mês mais curto do ano é o que tem mais jogos.

- Entre 4  a 6 em Março- 4 da Liga, 2 da Liga Europa (se passar). Inclui paragem de 15 dias para as selecções.

- Entre 4 a 7 em Abril. 4 da Liga, 2 da Liga Europa (se passar), 1 da Taça de Portugal (se passar)

- Entre 3 a 5 em Maio. 3 da Liga + Final da Liga Europa (se lá chegar) + Final da Taça (se lá chegar).

 

É bastante claro que há uma competição que estraga o calendário, de seu nome Taça da Liga que, além dos jogos adicionais que provoca em Dezembro e Janeiro, "empurra" ainda vários jogos das outras competições nacionais para Fevereiro e Março, altura em que os clubes Nacionais que ainda estejam nas competições europeias voltam a jogar nas mesmas, ficando dois meses a jogar de três em três dias, com excepção da pausa para as selecções.

Fica tão mau que um jogo que tenha de ser adiado, como foi o caso deste fim de semana, fica provavelmente mais de dois meses sem poder ser realizado, devido a um calendário tão cheio.

No caso do Sporting estamos a falar de um jogo adiado quando a equipa estava no seu melhor momento da época ( não sabemos como vamos estar daqui a dois meses, com possíveis lesões, castigos e abaixamentos de forma), isto para não falar do factor psicológico de deixar de ser o primeiro classificado durante dois meses, por ter sempre um jogo a menos do que o rival Benfica, que também tem bastante influência na cabeça de jogadores e adeptos.

 

Defendo uma de duas opções, ou que se acabe com a Taça da Liga ou que a mesma passe a ser uma competição de Verão, que pode substituir alguns jogos de pré-época, com a possibilidade de realizar a fase de grupos em terreno neutro, em zonas do país que normalmente não recebem grandes jogos de futebol.

Antes na Taça da Liga do que no Campeonato

O jogo de ontem foi um daqueles 1 em cada 10 que acontecem a todos os clubes grandes, ou há um dia em que a equipa está menos inspirada, ou em que o adversário surpreende com um boa exibição ou, como foi o caso ontem, há dias em que a sorte não quer nada com a equipa. E quando estamos a falar de três bolas nos postes, mais outros tantos remates a rasar os mesmos, estamos mesmo a falar de sorte.

Ainda assim, tirando algo de positivo de um resultado mau, acabámos de ganhar uns dias extra para descansar e preparar a equipa para o ciclo muito duro que se aproxima:

29-01- Casa Pia (C) -1ª Liga

03-02- Famalicão (F) -1ª Liga

07-02- U. Leiria (F) -Taça de Portugal

11-02- Braga (C) -1ª Liga

15-02- Young Boys (F) -Liga Europa

19-02- Moreirense (F) -1ª Liga

22-02- Young Boys (C) -Liga Europa

25-02- Rio Ave (F) -1ª Liga

 

Vai ser um Janeiro/Fevereiro completamente cheio de jogos, sempre dois por semana, sendo que cinco serão fora e apenas três em casa.

Daqui a duas semanas e meia jogamos de novo com o Braga, que está perfeitamente ao nosso alcance, como se viu ontem, e a correr mal algum jogo, antes o de ontem que o do Campeonato, onde não podemos perder pontos até ao fim do mesmo, porque já se viu que o nosso perseguidor directo está com a mesma dinâmica de vitórias de 2015/2016, se é que me entendem.

O borrão

Voltando só mais uma vez ao lance do segundo golo do Benfica, validado por 4 centímetros, atente-se no frame que foi usado para a validação deste lance.

Reparem como a bola não é mais que um borrão, estando completamente desfocada, em que não se percebe a sua verdadeira posição nem se tem uma ideia sobre se a mesma ainda está em contacto com o pé do jogador do Benfica ou não.

Já tenho advogado a existência de uma margem de tolerância nestes foras-de-jogo de VAR, nunca inferior a 10cm, e mantendo a minha coerência este lance até poderia ser válido à luz dessa margem, mas o que pergunto é como é que se fazem medições com tanta precisão, no caso 4cm, tendo por base uma imagem tão tosca, tão desfocada, com tão baixa resolução?

Num mundo cheio de sensores de todo o género que se podem colocar nos jogadores, nos seus equipamentos ou na bola, de drones, de câmaras de foto e de vídeo de todos os tipos e feitios que se podem colocar em mais zonas do campo, num desporto que envolve milhares de milhões de euros por ano, estamos ainda a recorrer a uma imagem parada do vídeo de uma transmissão televisiva, e com ela fazer medições de 4cm. É como querer ir à lua de avioneta.

 

P:S.- A cereja no topo do bolo é a marca de água da imagem, "BTV". O Benfica enviou esta imagem para a cidade do futebol, para que o VAR decidisse se foi golo do Benfica.

 

Captura de ecrã 2023-11-13 1532552.png

Meia dúzia de notas sobre o jogo de hoje

- Gonçalo Inácio foi extremamente imprudente no lance do segundo amarelo. Não sei que percentagem da falta é um toque efetivo do nosso jogador e o que é aproveitamento do adversário, mas realmente existe a entrada, que foi muito precipitada;

- Em relação ao segundo golo, entendo que é de muito difícil análise, mas temos de constatar que as imagens que temos, que serão as mesmas que o VAR usa nas suas análises, são fornecidas pelo próprio Benfica, clube que é responsável pela transmisão dos seus jogos em casa;

- João Neves recebe um amarelo aos 75 minutos, Constanto que depois disso faz mais duas faltas, uma delas uma rasteira por trás a Hjulmand, outra numa disputa com Nuno Santos. Não vê amarelo nenhum neste lances e acaba por marcar o primeiro golo do Benfica.

- A equipa jogou tão bem ou melhor com 10 do que com 11. O Benfica limitou-se a bombear bolas na segunda parte e, com excepção do grande remate de Di María que Adán defendeu, não criou perigo até aos 94 minutos.

- Coates e Adán estão numa fase descendente das duas carreiras e, gradualmente ao longo desta época, terá de se ir tratando da sua sucessão. Para mim o melhor trio de centrais neste momento já é St. Juste, Diomande e Inácio;

- Os golos e as jogadas de perigo do Benfica foram todos em resultado de erros de jogadores do Sporting:

  • O 1.º lance de perigo, um remate de Rafa a rasar o poste direito, resulta de um conjunto de bolas divididas que foram ressaltando, até que a bola lhe chegou aos pés à frente da baliza;
  • A bola ao poste resultou de um mau passe de Gonçalo Inácio (salvo erro);
  • O 1.º golo do Benfica resulta de um má organização defensiva na marcação do canto: oito dos nove jogadores de campo estavam todos ao monete dentro da pequena área, não ficando ninguém para marcar João Neves um pouco mais atrás. O Benfica, apesar de ter o guarda-redes lá à frente, só tinha seis jogadores dentro da área, por isso não sei quem é que os nossos nove jogadores estavam a marcar.
  • O 2.º golo do Benfica veio na consequência de um mau passe de Hjullmand, que podia ter mantido a posse de bola mas teve a tentação de arriscar em criar uma jogada de perigo aos 96 minutos, quando estava empatado em casa do rival e com menos um jogador.

Prémios do Bacalhau - Farense-Sporting

Decidi hoje, depois do péssimo espectáculo que vimos hoje em Faro (e já agora, ontem na Luz), reavivar os Prémios do Bacalhau, que premiavam o jogador que tivesse mandado o chuto atmosfera que chegasse mais alto precisamente com um Bacalhau.

Convido-vos a votar num dos nomeados ou a eleger um vosso.

 

No jogo de hoje os nomeados são:

Luís Godinho - Aquilo que noutro país seria uma arbitragem péssima, merecedora de uma suspensão de funções, aqui é mais um sábado de trabalho de um árbitro português. Marcou mal a falta que deu o 2.º golo do Farense, marcou mal o penalty que deu o 3º golo do Sporting, na boa e velha táctica da Arbitragem Nacional de corrigir um erro com outro, marcou faltas e faltinhas, não conseguiu controlar o jogo, sendo incrível a quantidade de amarelos que deu por protestos ou por quezílias entre jogadores na marcação de livres e cantos. Acabou o jogo com 11 amarelos e 1 vermelho mostrados.

Adán - Com 36 anos ainda não sabe formar uma barreira. Com os dois golos de livre directo sofridos hoje, metade(!!!) dos golos sofridos pelo Sporting neste campeonato foram de livre directo.

Miguel Prates - Uma noite de montanha-russa para o comentador da Benfica TV SportTV. Estava muito desanimado aos 35 minutos, quando Pote marcou o 0-2, ganhou um grande entusiasmo a partir do momento do 1-2 do Farense e ficou tão eufórico com o 2-2 que a sua voz até desafinou nos agudos várias vezes. Teve um grande balde de água fria aos 90 minutos, quando viu o seu clube do coração perder a primeira posição no campeonato.

José Mota - Um estarola que não sabe o que é uma bola de futebol, quanto mais treinar um clube de futebol, acha que o seu Paços de Ferreira Farense merecia ganhar, isto quando o seu clube teve menos lances de golo criados do que os golos marcados pelo Sporting (o lance do segundo golo deles não conta, porque foi um lance de perigo criado pelo árbitro) e que foi roubado pela arbitragem. Uma pessoa que está claramente fora de água quando não exerce o seu trabalho de sonho, mascote do Paços de Ferreira.

Mattheus Oliveira - Há muitos jogadores destes, medianos, que acham que foram injustiçados no Sporting por não apostarem neles. Bastaria terem feito um único jogo que fosse ao nível do de hoje quando estavam no Sporting e se calhar teriam tido essas oportunidades.

Os nossos jogadores nas Selecções

O fim de semana de jogadores Sportinguistas ao serviço das selecções foi excelente, tanto que acho que merece um pequeno destaque.

 

Tivemos várias estreias, nomeadamente as de Diomande e Hjulmand nas selecções A da Costa do Marfim e Dinamarca, respectivamente, e de Dário Essugo e Mateus Fernandes nos nossos sub-21.

Em termos de destaques individuais, Morita foi titular na vitória do Japão por 4-1 à Alemanha, Gyökeres marcou pela Suécia e Geny Catamo fez uma assistência por Moçambique.

Também as selecções portuguesas de sub-20, sub-19, sub-18 e sub-17 jogaram todas nos últimos dias, e todas contaram com vários jogadores do Sporting, demasiados para estar a enumerar.

Tivemos ainda Gonçalo Inácio e Franco Israel, convocados mas não utilizados até ao momento.

Isto é tudo um indicador da atenção e valorização que vários seleccionadores dão ao Sporting.

Pode haver um seleccionador ou outro que valoriza mais os jogadores do campeonato saudita, ou de clubes que lutam para não descer de divisão em Inglaterra ou até jogadores que não jogam pelos seus clubes, mas isso é uma gota no oceano de jogadores que o Sporting fornece às selecções e não merece a nossa atenção.

Esboço do plantel 2023/2024

Com os jogadores que estiveram presentes no dia do início da nova temporada, os que não estiveram presentes, os que vêm mais tarde e as transferências confirmadas e por confirmar, pode-se começar a fazer um pequeno esboço do plantel para 2023/2024:

 

Jogadores que se apresentaram no dia do regresso:

Guarda-Redes: Antonio Adán, Francisco Silva, Diego Calai

Alas-Direitos: Ricardo Esgaio

Centrais: Sebastián Coates, Matheus Reis, Ousmane Diomande, Gonçalo Inácio, João Muniz, Luís Neto, Eduardo Quaresma, Jeremiah St. Juste

Alas-Esquerdos: Nuno Santos

Médios: Mateus Fernandes, Dário Essugo, Daniel Bragança

Extremos: Pedro Gonçalves, Marcus Edwards, Jovane Cabral, Francisco Trincão, Geny Catamo, Afonso Moreira

Pontas-de-Lança: Youssef Chermiti, Paulinho

 

Jogadores que se apresentam mais tarde, por terem jogado pela selecção:

Franco Israel, Hidemasa Morita, Mateo Tanlongo, Fatawu Issahaku

Jogadores com contrato que não se apresentaram:

Sotiris, Rochinha, Arthur Gomes

Outros jogadores ainda com contrato:

Tiago Ilori, Eduardo Henrique, Rafael Camacho

Jogadores que finalizaram contrato:

André Paulo, Héctor Bellerín

Jogadores que rescindiram contrato:

Idrissa Doumbia

Vendas confirmadas:

Pedro Porro (Tottenham - 40 milhões pela transferência + 5 milhões pelo empréstimo), Rafael Leão (19,7 milhões de indemnização do Lille)

Vendas iminentes, segundo a imprensa:

Manuel Ugarte (PSG), Tiago Tomás (Wolfsburgo)

Empréstimos iminentes, segundo a imprensa:

Ruben Vinagre( Hull City)

Outras possíveis vendas, segundo a imprensa:

Renato Veiga, José Marsà

Compras iminentes, segundo a imprensa:

Viktor Gyökeres (Ponta de Lança, Coventry)

Campeonato da disciplina

Este estudo vem com algumas semanas de atraso, na sequência de uma notícia que indicava que o Benfica, além de ser o campeão nacional, foi também o "campeão" do fair-play.

Fui reparando ao longo dos anos que os campeões do fair-play são quase sempre os mesmos, Benfica e Porto, o que faria sentido do ponto de vista teórico, uma vez que as equipas que ficam na frente são mais ofensivas, logo vêem menos cartões do que as equipas que ficam no fundo da tabela, que são mais defensivas, mas na prática tal facto muitas vezes não se verifica.

Reportando às 24 épocas mais recentes, para poder apanhar três campeonatos ganhos pelo Sporting, fui ver então esses números. 

Vou usar como fonte o site Transfermarkt, que faz uma classificação anual relativa à disciplina dos clubes portugueses, em que dá 1 ponto por cada amarelo e 3 por cada vermelho. O clube com menos pontos será então o mais disciplinado e o clube com mais pontos o mais indisciplinado.

https://www.transfermarkt.pt/liga-portugal-bwin/fairnesstabelle/wettbewerb/PO1/plus/?saison_id=2022 

Olhando apenas para os três grandes, a classificação no "Campeonato da Disciplina" foi a seguinte:

Época Sporting Benfica Porto Campeão Vice-Campeão
22/23 Benfica Porto
21/22 Porto Sporting
20/21 10º Sporting Porto
19/20 Porto Benfica
18/19 17º Benfica Porto
17/18 Porto Benfica
16/17 Benfica Porto
15/16 Benfica Sporting
14/15 12º Benfica Porto
13/14 Benfica Sporting
12/13 Porto Benfica
11/12 10º Porto Benfica
10/11 12º Porto Benfica
09/10 Benfica Braga
08/09 14º 13º Porto Sporting
07/08 Porto Sporting
06/07 Porto Sporting
05/06 Porto Sporting
04/05 18º Benfica Porto
03/04 10º Porto Benfica
02/03 13º 16º Porto Benfica
01/02 10º Sporting Boavista
00/01 17º Boavista Porto
99/00 12º Sporting Porto

 

Considerações:

  • O Sporting, em 24 anos, apesar de ter ganho 3 campeonatos e ter alcançado o 2.º lugar por 7 vezes, nunca foi a equipa mais disciplinada. Foi 2 vezes a 2.ª equipa com menos cartões e 2 vezes a 3.ª.
  • O Benfica foi por 6 vezes a equipa mais disciplinada, 5 vezes a 2.ª e 2 vezes a 3.ª.
  • O Porto foi por 6 vezes a equipa mais disciplinada, 3 vezes a 2.ª e 7 vezes a 3.ª.

 

  • O Sporting tem 7 épocas em que está abaixo do meio da tabela da disciplina. A última época foi há 2 anos, foi Campeão Nacional sendo apenas a 10.ª equipa com menos cartões.
  • O Benfica tem 4 épocas em que está abaixo do meio da tabela da disciplina. A última época foi há 14 anos.
  • O Porto tem 3 épocas em que está abaixo do meio da tabela da disciplina, curiosamente três épocas seguidas entre 2002/2003 e 2004/2005. A última época foi há 18 anos. Note-se no entanto que em duas dessas três épocas foram Campeões Nacionais, treinados por Mourinho, com uma equipa ultra-agressiva, o que motivou que tivessem visto tantos cartões.

 

Quando nos queixamos da arbitragem, pode-se sempre falar em subjectividade quando se discutem lances de grande penalidade, ou de fora-de-jogo (pré-VAR) ou de interpretação de jogo, mas não se pode falar em subjectividade em amostragem de cartões, durante 24 anos, beneficiando sempre os mesmo clubes em relação ao Sporting.

Desde 1999, nos três clubes, mudaram os treinadores, mudaram os dirigentes, mas a facilidade com que os árbitros mostram cartões ao Sporting manteve-se constante.

Estatísticas da Liga- Época 22/23

Agora que acabou realmente a 1ª Liga 2022/2023, com a subida do Estrela da Amadora, após vencer o Play-off com o Marítimo, deixo-vos com algumas curiosidades estatísticas sobre a mesma.

Estatísticas do Sporting

Entre parênteses o comparativo com a época anterior:

  • Classificação: 4º lugar ( 2º lugar)
  • Pontos: 74 (85)
  • Golos marcados: 71 (73)
  • Golos sofridos: 32 (23)
  • Cartões amarelos: 87 (98)
  • Cartões Vermelhos: 3 (7)
  • Jogador mais indisciplinado: Ugarte, 11 Amarelos, 9º jogador mais indisciplinado da Liga (Paulinho, 10 amarelos, 11º jogador mais indisciplinado da Liga)
  • Melhor marcador: Pedro Gonçalves, 15 golos, 5º melhor goleador da Liga (Pablo Sarabia, 15 golos, também o 5º melhor goleador)
  • Mais assistências: Pedro Gonçalves, 12, foi o rei das assistências da Liga (Pedro Gonçalves com 9, o 6º jogador com mais assistências)
  • Mais influência em golos: Pedro Gonçalves, 15 Golos + 11 Assistências, 2º mais influente da Liga (Pablo Sarabia, 15 Golos + 7 Assistências, 5º mais influente da Liga)
  • Mais minutos em campo: Pedro Gonçalves, 2818 minutos, 15º no geral (Adán, 2970 minutos, 1º no geral)

 

Estatísticas da Liga

Entre parênteses o comparativo com a época anterior:

  • 1º classificado: Benfica, 87 pontos (Porto, 91 pontos)
  • Melhor ataque: Benfica, 82 golos (Porto, 86)
  • Melhor defesa: Benfica, 20 golos (Porto, 22)
  • Equipa mais indisciplinada: Vitória SC, 112 Amarelos e 10 Vermelhos (B-SAD, 117 A, 11 V)
  • Equipa mais disciplinada: Benfica, 62 A, 2 V (Benfica 81 A, 3 V)
  • Jogador mais indisciplinado: Ricardo Guima (Chaves), 17 Amarelos e 2 Vermelhos (Lucas Possignolo (Portimomense), 13 A,1 V)
  • Maior nº de vitórias seguidas: Benfica, 10 (Porto, 16)
  • Maior nº de jogos seguidos sem perder: Sporting, 14 (Porto, 30) 
  • Mais golos: Mehdi Taremi, 22 (Darwin Nuñez, 26)
  • Mais assistências: Pedro Gonçalves, 11 (Rafa Silva, 16)
  • Mais influência em golos: Mehdi Taremi 22 golos + 7 assistências (Mehdi Taremi 20 Golos + 13 assistências)
  • Mais minutos em campo: Vlachodimos, 3059 minutos (Adán, 2970 minutos)

 

Uma nota final para o número de Distritos e Regiões autónomas representados nesta 1ª Liga, relembrando que Portugal tem 18 distritos e 2 Regiões Autónomas.

Na época que findou o total era 8: Vila Real( 1 clube), Braga (5), Porto( 4), Aveiro (1), Lisboa (4), Faro (1), RA dos Açores (1) e RA da Madeira (1)

Na época de 23/24 serão apenas 6: Vila Real(1), Braga (6), Porto (3), Aveiro (1), Lisboa (5) e Faro (2).

Braga terá um terço dos clubes da 1ª Liga. 

Braga + Porto + Lisboa + Faro têm 16 dos 18 clubes, ou seja 89% dos clubes da 1ª Liga serão de apenas 4 distritos.

O campeonato dos 6 primeiros

É quase uma banalidade do futebol dizer-se que os campeonatos se decidem nos confrontos com os adversários directos, por isso resolvi fazer um pequeno exercício, de ver os resultados dos confrontos directos dos 6 primeiros classificados, as equipas apuradas para as competições europeias.

Embora falte uma jornada, o Arouca, 6º classificado já não desce dessa posição, pois tem 5 pontos de vantagem sobre o 7º.

De notar ainda que falta um confronto directo, a recepção do Porto ao Vitória SC na 34ª jornada.

 

Os resultados foram:

  Benfica FC Porto SC Braga Sporting Vitória SC FC Arouca
Benfica X 1-2 1-0 2-2 5-1 4-0
FC Porto 0-1 X 4-1 3-0 34ª Jornada 5-1
SC Braga 3-0 0-0 X 3-3 1-0 2-0
Sporting 2-2 1-2 5-0 X 3-0 1-1
Vitória SC 0-0 0-1 2-1 0-2 X 2-0
FC Arouca 0-3 0-1 0-6 1-0 2-2 X

 

A classificação é:

    Pontos Jogos Vitórias Empates Derrotas
Porto 22 9 7 1 1
Benfica 18 10 5 3 2
Braga 14 10 4 2 4
Sporting 13 10 3 4 3
Vitoria SC 8 9 2 2 5
FC Arouca 5 10 1 2 7

 

Obervações:

  • Com excepção de Porto e Benfica, os restantes clubes têm exactamente a mesma classificação que têm no campeonato.
  • O Porto, apesar dos excelentes resultados contra os 6 primeiros, acaba por perder o campeonato devido a pontos perdidos com equipas do fundo da tabela (por exemplo tem uma derrota com Gil Vicente, 14ª classificado, um empate com o Santa Clara, 18º classificado e outro com Estoril, 15ª classificado).
  • O Benfica tem 3 empates e 3 derrotas na globalidade do Campeonato, sendo que 3 empates e 2 derrotas foram com os 6 primeiros, ou seja, tem apenas uma derrota contras as as restantes 12 equipas ( 0-1 em Chaves), ganhando todos os outros jogos. Não há dúvidas que foi assim que ganhou o campeonato.
  • O Arouca fez 5 dos seus 7 pontos deste mini-campeonato contra o Sporting., ou seja, esta vitória e empate "deram-lhe" a qualificação para as competições europeias.
  • O Sporting perdeu 6 pontos com o Porto, 5 com o Arouca, 4 com o Benfica, 2 com o Braga e 0 com o Vitória SC.
  • No campeonato o Sporting está a 13 pontos do Benfica, no campeonato dos 6 primeiros está apenas a 5.
  • No campeonato o Sporting está a 11 pontos do Porto, no campeonato dos 6 primeiros está a 10, que podem ser 13 se o Porto ganhar ao Vitória na 34ª jornada, ou seja, os confrontos com os 6 primeiros explicam a diferença de pontos entre as 2 equipas.

Ponto de situação nas camadas jovens

Agora que vários escalões já acabaram a época e estamos quase no final dos restantes, vamos fazer outro ponto de situação.

Fazendo um balanço muito rápido, estamos na iminência de um ano com zero títulos nacionais nas camadas jovens.

 

Youth League

Perdemos na meias-finais, no desempate por grandes penalidades, com o AZ Alkmaar, a equipa que acabaria por vencer a competição, ganhando na final ao Hadjuk Split por 5-0. Fica a sensação que, tendo passado na lotaria dos penalties, os croatas estariam ao nosso alcance. 

Ainda assim foi uma prestação bastante positiva e a única de realce nas camadas jovens.

 

Equipa B

A competição acabou, tendo a equipa obtido o 1º lugar no grupo 2 de manutenção

    Pontos Jogos Vitórias Empates Derrotas
1 Sporting B 16 6 2 2 2
2 FC Oliv. Hospital 15 6 3 0 3
3 Vitória FC 15 6 3 2 1
4 Real SC 8 6 2 0 4

 

Apesar de termos partido para esta fase como a equipa com mais pontos do grupo, fruto da performance na fase regular, tivemos de chegar ao último jogo para garantir a manutenção, obtida por uma vitória pela margem mínima (2-1) frente ao Real SC, com um grande golo de Fatawu.

Um época muito má. Foi referida a ambição de subir à 2.ª Liga mas quase se desceu ao Campeonato de Portugal.

 

Sub-23

A competição acabou, ficando o Sporting em 4.º lugar no grupo dos que não foram apurados para disputir o campeonato. 

O campeão foi o Estrela da Amadora.

Das 14 equipas que ainda disputam este escalão, o Sporting foi a 5ª pior.

    P
J
V
E
D
1 Gil Vicente 35 14 8 2 4
2 Portimonense 34 14 8 3 3
3 Farense 32 14 7 3 4
4 Sporting 31 14 7 4 3
5 Rio Ave 21 14 4 3 7
6 Leixões 20 14 4 4 6
7 Marítimo 19 14 3 4 7
8 CD Mafra 15 14 2 3 9

 

Sub-19 (Juniores)

Faltam disputar duas jornadas, estando o Sporting praticamente arredado do título, com 3 clubes à sua frente.

A estocada final ocorreu no passado sábado, com uma derrota por 2-1 com o Porto, numa derrota muito à Sporting: depois de conseguir o empate aos 76 minutos, a equipa estava a ir atrás do segundo golo, quando entra Henrique Arreiol aos 86 minutos, que consegue ser expulso por ver um amarelo aos 91 minutos e logo outro aos 92, ambos justos. Três minutos depois, aos 95, o Porto faz o golo da vitória.

    P J V E  
1 FC Famalicão 25 12 8 1  
2 Benfica 23 12 7 2  
3 FC Porto 21 12 6 3  
4 Sporting 19 12 5 4  
5 SC Braga 18 12 4 6  
6 Estoril Praia 16 12 5 1  
7 FC Vizela 12 12 4 0  
8 FC Alverca 1 12 0 1  

 

Sub-17 (Juvenis)

Quando faltam três jornadas o Sporting está em 4.º lugar, com um jogo a menos que os adversários. Ganhando esse jogo em atraso fica em 2.º, a 6 pontos do Benfica.

Os jogos que faltam são com Estoril, Sp. Espinho, Torreense e Sp. Braga.

Resta ganhar os seus jogos e esperar que o Benfica perca 2 dos 3 jogos que lhe faltam, o que à partida é pouco provável, no entanto esses jogos são com Porto, Braga e Vitória SC. 

As esperanças são ténues mas ainda existem.

1 Benfica 40 15 13 1 1
2 FC Porto 33 15 10 3 2
3 SC Braga 33 15 11 0 4
4 Sporting 31 14 10 1 3
5 Vitória SC 26 14 8 2 4
6 Feirense 15 14 4 3 7
7 Estoril Praia 13 15 4 1 10
8 Torreense 10 15 3 1 11
9 SC Espinho 9 16 3 0 13
10 Académica OAF 6 15 2 0 13

 

Sub-15 (Iniciados)

É a competição que está mais atrasada, já que ainda faltam 6 jornadas, mas o nosso destino já está mais ou menos traçado. Estamos em 3.º lugar a 10 pontos do 1.º, o Benfica, mas se calhar temos é de ter atenção aos que estão atrás de nós, pois estamos apenas 3 pontos acima do 7.º classificado.

 

    P J V E D
1 Benfica 32 12 10 2 0
2 FC Porto 26 11 8 2 1
3 Sporting 22 12 7 1 4
4 Vitória SC 21 12 6 3 3
5 SC Braga 19 11 6 1 4
6 Vitória FC 19 12 6 1 5
7 Boavista 19 12 6 1 5
8 Belenenses 7 12 2 1 9
9 Académica OAF 3 12 0 3 9
10 CD Tondela 1 12 0 1 11

Um tiro no pé

tiago.jpg

Fonte da imagem: zerozero

 

Vejam lá se há uma história mais à Sporting do que esta:

 

Esta semana tem sido propalado o interesse do Benfica em Tiago Santos, lateral-direito de 20 anos do Estoril, que fez quase toda a formação no Sporting.

Recorde-se que este Tiago Santos nunca chegou a mais do que jogar pelos sub-23, tendo sido dispensado a meio da época passada, para o Estoril Praia, a custo zero, tendo o Sporting ficado com direito de opção e 10% do passe.

Este direito de opção vale o que vale, dá só o direito de, havendo uma proposta de X milhões, o Sporting poder igualar essa proposta se assim o desejar, sendo depois a vontade do jogador o factor decisivo.

Nessa primeira fase no Estoril o Tiago foi jogando pelos sub-23.

Posteriormente, no início desta temporada, emprestámos Gonçalo Esteves, o nosso promissor lateral-direito, ao mesmo Estoril Praia, com o objectivo de jogar regularmente.

O Gonçalo até começou a titular mas, depois de uma expulsão na 2ª jornada da 1ª Liga, nunca mais recuperou o lugar, pois durante a sua ausência, Nélson Veríssimo, treinador do Estoril e ex-treinador do Benfica, apostou em Tiago Santos, que agarrou o lugar e nunca mais o perdeu.

O Tiago foi ganhando destaque, foi algumas vezes eleito para os 11 da Jornada por vários meios de comunicação, de tal modo que Gonçalo Esteves teve de voltar para o Sporting a meio da época, estando agora a actuar pela equipa B, tendo atrasado a sua evolução.

Agora, o jogador que dispensámos e tirou o lugar a outro jogador nosso, está com possiblidades de ir para o Benfica, num valor que a imprensa indica que rondará os 5 ou 6 milhões de euros.

É verdade que podemos igualar essa proposta, estando a decisão final a cargo do jogador, mas em qualquer dos casos o Sporting ficará a perder, pois ou gasta 6 milhões por um jogador que há ano e meio era seu, ou está a municiar um rival directo com um jogador que dispensou, não havendo ninguém da estrutura que conseguisse ver o seu potencial.

 

Um verdadeiro tiro no pé.

Quem é que vendiam?

Sendo praticamente certa a ausência da Liga dos Campeões na próxima temporada e, por arrasto, dos 40 ou 50 milhões de euros que a participação na prova renderia, a "estrutura" do Sporting já se deve estar a preparar para vender mais algumas jóias, mesmo que isso signifique ficar com a sala dos tesouros quase vazia.

 

Assim, é quase garantido que se terão de fazer duas ou três vendas avultadas para manter as finanças em valores positivos. 

Há factores que não se conseguem controlar, como aparecer um clube que bate uma cláusula de rescisão ou a vontade dos jogadores, mas se eu fizesse parte da estrutura optava por vender os seguinte jogadores. por ordem de prioridade:

1- Marcus Edwards - Está com 24 anos, idade excelente para uma grande transferência, e deu nas vistas nos jogos com equipas inglesas, para quem uma compra de 40 ou 50 milhões por um jogador do seu país é uma pechincha. Por outro lado é um jogador irregular, que só se destaca quando lhe apetece, e na próxima temporada não terá a montra da Champions para o valorizar. Seria a minha prioridade para vender este ano.

2- Manuel Ugarte - Parece-me hoje evidente que as opiniões que diziam que não se ia sentir a falta de Palhinha, porque tínhamos Ugarte, eram manifestamente exageradas. Sendo um grande jogador ao nível defensivo, que aparece principalmente nos jogos com grandes equipas, tem algumas lacunas ao nível do passe longo, progressão com bola e finalização (só tem um golo em duas épocas de Sporting) que o tornam um pouco redundante nos jogos com equipas fechadas, que acabam por ser a maioria dos jogos que fazemos, que o tornam mais um central, numa equipa que já joga com três, do que num elemento de meio-campo que pode contribuir no ataque. Tal como Edwards, é de aproveitar o destaque que teve nos jogos europeus para o vender este ano.

3- Vender 2 deste grupo de 3: Nuno Santos, Matheus Reis, Morita - São todos jogadores importantes da equipa, embora Matheus Reis este ano tenha estado num patamar abaixo de Nuno Santos e Morita. No entanto estão todos com 28 anos e para os vender por um valor relevante será este ano ou nunca. Nenhum deles será jogador para valer 30 ou 40 milhões, mas se vendermos dois deles a soma dos valores de ambas as transferências será equivalente a uma grande transferência de outro jogador, que assim não terá de ser feita.

 

Outros jogadores bastante "apetecíveis" são Gonçalo Inácio e Pedro Gonçalves, mas não gostaria de os ver sair. Gonçalo Inácio por ter ainda margem para evoluir e valorizar mais e porque gostaria de ver um jogador da formação fazer toda a carreira no Sporting, Pedro Gonçalves por ser um jogador insubstituível no plantel e também por achar que, se ganhar um lugar na selecção, tem margem para valer ainda mais.

 

Numa linha de jogadores para não vender já, porque têm margem para valer muito mais, coloco Diomande, Trincão, Arthur Gomes, St. Juste e Fatawu.

Num grupo de jogadores a que chamaria "se fizermos 2 milhões por cada um já é bom", coloco Jovane, Esgaio, Sotiris e Rochinha. Não lhes vejo grande futuro no clube, mas ao mesmo tempo temos de começar a fazer algum dinheiro com este tipo de atletas. Andarem de empréstimo em empréstimo até o contrato acabar não é bom para eles nem para o clube.

 

E vocês, se fossem a uma reunião com Rúben Amorim, Hugo Viana e Francisco Varandas, quem é que sugeriam para vender?

Rafael Leão- O teu sucesso é o nosso reembolso

De todos os jogadores que aproveitaram a invasão de Alcochete para rescincidirem com o Sporting, Rui Patrício e Rafael Leão foram os que me custaram mais.

Rui Patrício pelos 19 anos que passou de Leão ao peito, rapidamente desbaratados pela promessa de milhões do seu empresário, Jorge Mendes, Rafael Leão pelo potencial incrível que tinha na altura e está a confirmar hoje em dia no Milão.

Não vou crucificar em demasia um miúdo de 18 anos que nem estava no Complexo de Alcochete quando aconteceu a invasão, certamente também terá ficado doido com as promessas de milhões de Jorge Mendes, o seu empresário (onde é que eu já vi este nome?), vamos é apreciar as suas qualidades de jogador, como na fabulosa jogada que fez ontem contra o Nápoles, nos quartos-de-final da Liga dos Campeões:

https://youtu.be/bqHKnSJ0G1I?t=106

 

Sempre que se fala sobre qual é o melhor jogador da actualidade, falar de Bernardo Silva, com justeza, mas ignorar Rafael Leão é mostrar, mesmo de forma inconsciente, de que clube português se é adepto.

Espero que continue a ter muito sucesso na sua carreira, pois assim mais depressa poderá pagar a indemnização que está a dever ao Sporting, que com os juros já vai em 20 milhões.

O desastre dos empréstimos

Já tinha este artigo pensado há algum tempo, para fazer um ponto de situação relativamente aos jogadores emprestados, porém, à luz dos resultados recentes, salta à vista que a questão dos empréstimos foi mais uma situação muito mal pensada e gerida.

Vamos então ver como se têm portados os nossos emprestados.

Nota: Embora Pedro Porro tecnicamante também conte como emprestado, é excluído da análise porque tem uma cláusula de compra obrigatória por parte do Tottenham.

 

Empréstimos com resultados (relativamente) positivos:

  • Tiago Tomás- Estugarda
    • 23 jogos, 2 golos, 3 assistências
    • Tem tido uma utilização regular num campeonato competitivo, que só não foi maior devido a duas lesões. Evoluiu nas duas épocas na Alemanha, mas não sei se se ainda assim voltará a contar para Rúben Amorim.
  • José Marsà- Sporting Gijón
    • 8 jogos desde Janeiro, altura em que foi emprestado
    • Depois de ter feito alguns jogos na equipa principal, foi para a 2.ª Divisão de Espanha, onde pegou de estaca no Sp. Gijón. O jogador e o clube já manifestaram interesse em continuar a ligação para além do empréstimo, o que talvez seja o melhor para todos. 

 

Empréstimos com resultados negativos:

  • Rúben Vinagre - Everton
    • 4 jogos
    • Um jogador que custou 10 milhões de euros vai para Inglaterra para ser suplente pouco utilizado de um clube que luta para não descer. Um empréstimo desastroso.
  • Gonçalo Esteves- Estoril
    • 4 jogos
    • Começou a temporada como titular, foi expulso e nunca mais recuperou o lugar. Voltou para a equipa B em Janeiro, onde tem estado a jogar. Uma época perdida.
  • Eduardo Quaresma- Hoffenheim
    • 4 jogos
    • Mais um empréstimo desastroso, mais uma época perdida de outro jovem promissor.

 

Empréstimos que só servem para os atletas irem jogando até o contrato com o Sporting acabar:

  • Idrissa Doumbia - Alanyaspor
    • 21 jogos, 3 golos
    • É um jogador útil para um equipa de meio da tabela da Turquia. O problema é que foi caro, os clubes a que tem sido emprestado não têm capacidade financeira para o comprar, não serve para o Sporting e assim vai andar de empréstimo em empréstimo até ao fim do contrato em 2024.
  • Rafael Camacho - Aris Salónica
    • 28 jogos, 3 golos, 2 assistências
    • O que se disse sobre Doumbia aplica-se a Rafael Camacho. Falta mais uma época para o contrato acabar.
  • Luiz Phellype - OFI Creta
    • 5 jogos, 1 golo, desde Janeiro
    • Chegou a ser um jogador útil para o Sporting, mas depois da lesão grave nunca mais foi o mesmo. Também acaba contrato em 2024.
  • Tiago Ilori- Paços de Ferreira
    • 4 jogos
    • Sem comentários. Também acaba contrato em 2024.

{ Blogue fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D