Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Humilhante

E sem explicação. Assim, é preferível poupar nas contratações e jogar com os sub23 e a formação. Não há nem mais um jogo de benefício de dúvida. Ou ganham no Marítimo ou temos de arranjar um treinador que conheça minimamente o futebol português. Acabou o tempo de tubos de ensaio! 

Votar pelo Sporting

Achei que tinha resolvido o meu conflito interior quanto ao recurso de Bruno de Carvalho e o meu sentido de voto. 

Até que hoje ouvi BdC em conferência de imprensa afirmar, entre outras coisas está que merece destaque:

“Sinto vergonha por esta massa associativa ter destituído a minha direcção e escolhido esta. Sinto vergonha do presidente do Sporting. Votar amanhã não é por mim é pelo Sporting.”  

Pois é o que farei amanhã. Sem vergonha dos sócios, votarei pelo Sporting!

Sinais...

Sinais inquietantes ou fim de semana horribilis no Andebol, no Hóquei e no Futsal, para além do Futebol e apesar do tricampeonato de Rugby feminino e do tetra no Ténis de Mesa masculino (e nos sub14 de Futsal, o bicampeonato)? Prefiro pensar que houve dias assim.

No Voleibol já havíamos claudicado, com uma equipa incapaz de ter energia para discutir a final e erguer de novo o ceptro de campeão nacional, sobretudo nos momentos decisivos dos jogos.

A equipa de Andebol termina a época arrastando-se a cada jogo que disputa, desta vez no reduto do Águas Santas, depois de uma participação excelente na Champions.

O Hóquei comprometeu a remota hipótese de revalidar o título ao perder com a besta negra desta época, o Paço d´Arcos, uma semana depois de ter feito história ao vencer a Liga Europa.

E ontem foi a vez do Futsal perder o 1º jogo da meia-final contra o Modicus, por 5-4 no prolongamento, ainda que empurrados pelos senhores do apito. Mas aqui ainda temos uma palavra a dizer e já na 6ª feira à noite, no 2º jogo desta feita no Pavilhão João Rocha. Pelo menos a Taça de Portugal já cá canta e a Champions também, escrevendo a página que faltava na história do Futsal do Sporting.

No sábado vimos bem o que se passou em termos disciplinares no Dragão, dando ideia que os árbitros levam o nome do estádio à letra e tenham medo que das bancadas venha fogo, pelo que renunciam à coragem necessária para mostrar os cartões aos da casa (ou consomem muita Guerra dos Tronos e associam os dragões). A ver vamos no Jamor... 

Esta época, apesar de todas as dificuldades conhecidas que vivemos desde maio de 2018, já ganhamos muita coisa mas ainda há muito para ganhar. Já no sábado a Taça de Portugal em futebol, o campeonato de Futsal masculino, o campeonato feminino de Ténis de Mesa e a Taça de Portugal em Hoquei. São estes os sinais ou sejam, as vitórias que nos incutirão esperança para novo ano de competição.

Em jeito de balanço, resistimos e estamos na luta. Quem pensou que o nosso clube, após a espiral de problemas que atravessou no passado verão "quente", entrava em agonia e definhava irreversivelmente  enganou-se. Os nossos sócios e adeptos são os melhores do mundo. E em 2019/2020 voltaremos mais fortes. A próxima época é decisiva para afirmarmos a nossa força e a nossa grandeza. Com todos à volta do nosso símbolo e da nossa divisa seremos invencíveis. Esforço, dedicação, devoção, glória!

 

Sporting.jpg

 

Há pequenos gestos libertadores...

Ato contínuo ao final do jogo com o Aves, cancelei a minha subscrição da Sporttv, de que era cliente desde o seu início. Já tinha estado tentado, a propósito de uma das muitas vezes em que o Sporting foi vilipendiado naquele serviço mas dei uma segunda oportunidade. Escrevi-lhes a protestar e a ameaçar que me tornaria ex cliente. Não se preocuparam em dizer nada de volta. No sábado, foi de vez. O meu dinheiro não servirá para alimentar os que nos atacam, ferem e dividem.

E desabafei no Twitter: 

“Sinto-me liberto. Já estava prometido mas hoje foi a gota de água. Os comentários na @SPORTTVPortugal no jogo do Sporting obrigaram-me, finalmente, a carregar no botão e ganharam menos um cliente de muitos anos. Não nos respeitam? Nós respondemos-lhes assim! Eu 1 - 0 Sporttv”.

Não fazia ideia de quão popular é arrasar com a Sporttv pois foi o twitt que mais simpatia gerou desde que me fiz “twittante”. 

5A4FE24C-11EC-4A3C-9658-0374E92F4FD5.jpeg

 

 

A estreia de Peyroteo

Com a devida vénia ao Rui Miguel Tovar, autor do livro Fome de Golo, de onde é extraído o texto seguinte:

“...Está lançado, o rapaz. E o Sporting, já agora. A estreia dá-se a 12 de Outubro de 1937, nas Salésias. É um Benfica-Sporting para o torneio triangular. Szabó liga os pés a Peyroteo com gesso e dá a receita: «Muita atenção, sinhores: a avançado-centro jogar Fernando. Rapaz novo, não ter experiência de jogo. Sinhores mais velhos ajudar para ele, bem de clube. Não fazerem malandragem. Não ter graça nenhum. Brincadeira custar dez por cento para sinhores. Atenção de jogo, sinhorés.» Resultado? Cinco-três para o Sporting, com dois golos de Peyroteo. «Embora não tivesse feito um grande jogo, nem outra coisa seria de esperar em campo relvado, que pisava pela primeira vez, botas com pitons, que nunca usara, e companheiros que quase não conhecia, também é verdade que não fiz aquilo a que se chama figura de urso.» 

Inicia-se a lenda.”

In “Fome de GOLO, Os grandes goleadores do futebol português”, de Rui Miguel Tovar

 

Post scriptum:

- o treinador do português macarrónico era József Szabó;

- uma estreia com vitória de sabor especial... como o que sentimos na passada 4.ª feira!

BECF367C-0A1C-49FB-9C8A-D558590E1652.jpeg

 

 

 

 

À 28ª jornada, hoje e um ano antes

À 28ª jornada temos 61 pontos, 56 golos marcados e 28 sofridos. Em 2017/2018, com o mesmo nº de jornadas somavamos 65 pontos, com 53 golos marcados e 18 sofridos.

Nesta época temos 19 vitórias, 4 empates (Benfica, Porto, Vitória Setúbal e Marítimo) e 5 derrotas (Braga, Portimonense, Vitória Guimarães, Tondela e Benfica). Até final da época ainda jogaremos com Aves (f), Nacional (f), Vitória Guimarães (c), Belenenses (f), Tondela (c) e Porto (f) ou seja, 4 jogos fora e 2 em casa. Na passada, nesta altura tínhamos 20 vitórias, 5 empates (Moreirense, Porto, Braga, Benfica, Vitória Setúbal) e 3 derrotas (Estoril, Porto e Braga), e até final do campeonato, ainda perderiamos 5 pontos em resultado do empate caseiro com o Benfica e daquela malfadada derrota com o Marítimo, tendo acabado o campeonato em 3º lugar, com 78 pontos (24V, 6E e 4D - 63GM e 24GS).

Factos comparativos:

Temos este ano mais 2 derrotas e menos 1 empate, mais 10 golos sofridos e apenas mais 3 marcados; entre clubes temos o empate no Marítimo vs a derrota na época transata, mais as derrotas com Portimonense, Vitória Guimarães,Tondela e Benfica (acresce o Estoril que desceu), quando o ano passado haviamos ganho esses confrontos (com exceção do Benfica que empatamos);  nesta época, sendo matematicamente possível, dificilmente atingiremos a mesma pontuação de 2017/2018, com 78 pontos mas provavelmente alcançaremos a mesma posição, o 3º lugar.

Este ano não será, em  termos de resultados, muito diferente. Se vencermos a Taça de Portugal até será melhor. Mas o clube está ainda em processo de resgate do trauma a que foi sujeito desde aquele triste e inesquecível dia de maio de 2018. Percebe-se nas redes sociais, nas bancadas, em conversas, que há muito por fazer, muito para sarar e muito trabalho para nos reerguermos. O tempo urge mas nada se faz num dia, exceto destruir. Apesar de tudo estamos aí, na luta, com o futebol e as modalidades. Sem desistir. ATÉ AO FIM! 

Esforço, Dedicação, Devoção, Glória!

Sporting.jpeg

 

 

 

O exemplo no feminino de ser Sporting

No Instagram li uma publicação duma jovem jogadora do Sporting, a Maria Garcia Ferreira, de 13 anos mas que já integrou a Seleção Nacional de Sub15 e joga na equipa de Sub17 (o Sporting tem uma equipa feminina de sub13 a disputar o campeonato em que as outras equipas são só rapazes), que diz muito sobre a nossa formação e os seus valores. As equipas femininas do Sporting estão cheias de exemplos destes em que, com idade bastante inferior, jogam em escalão ou escalões mais velhos. E por que razão vem isto ao caso? Simples. No sábado, num jogo de Sub17 com a agremiação vizinha do Centro Colombo, o Sporting apresentou a equipa habitual e jogou contra uma equipa reforçada à última da hora exclusivamente para vencer. Imagino o que não devem ter sentido as jovens que habitualmente dão o seu melhor e tiveram que ficar na bancada... claro que ganharam mas não venceram as nossas leoas. A Maria Garcia Ferreira, no rescaldo, decidiu escrever no seu Instagram o que sentia, como jogadora e como sportinguistas. Palavras simples e sinceras que todos os nossos atletas deviam ler, equipas técnicas, dirigentes e muitos dos sportinguistas que desperdiçam as suas energias em combates internos. Com a devida vénia, cito-a pois encheu-me de orgulho: 

“Em primeiro lugar quero pedir desculpa ! Em segundo tenho muito orgulho em nós !Perdemos ?! Sim! Lutamos ?! Sim! Baixámos a cabeça ?! Nunca! Não podemos comparar o que não é comparável ! Eu tenho 13 anos e joguei contra miúdas de 17, que jogam na Seteção Nacional e que vão disputar o Europeu ! Lutei muito pelo símbolo que tenho ao peito e espero mesmo que me recordem pelo nome que tenho nas costas ! Sinto muito a derrota, mas independente de tudo sei que cada uma de nós deu tudo por tudo ? Do fundo do coração peço muita desculpa por tudo o que não consegui fazer durante o jogo, aos treinadores, ao Sporting Clube de Portugal e a todas as pessoas! Caí muitas vezes mas levantei-me sempre ! Nunca virámos a cara à luta, juntas sempre! Um grande OBRIGADA a todos os adeptos que estiveram em Pina Manique para nos apoiar! Um Obrigada também gigante às Sub. 19 do Sporting Clube de Portugal, podiam ter sido elas a jogar mas não, confiaram em nós e ficaram de fora a apoiar-nos ! As nossas Sub-13 que nos apoiaram ! Voltaremos mais fortes!! Mágicas Prometo envergar sempre esta camisola com orgulho, raça e ambição! Prometo dar tudo o que tenho e mesmo o que não tenho com esforço, dedicação e devoção, para mais tarde alcançar a glória! Obrigada! ORGULHO 💚”

707B39C1-19CC-47E4-9D2E-40623DA9D518

É a Maria Garcia Ferreira, 13 anos, atleta do Sporting Clube de Portugal

Obrigado, Maria!

Como peixe na água

4F136F36-CA88-4906-8330-C678A2AAAC9BAlexis Santos, nadador do Sporting (o da célebre foto da chica espertice do Record em que removeram o símbolo do clube da touca verde...) , bateu o recorde nacional dos 200m estilos (1.58,19). O recorde foi recuperado pois havia sido batido na manhã por Gabriel Lopes (1.58,59), e que antes pertencia a Alexis desde abril de 2017 (1.58,88).

De realçar as suas declarações: “Amanhã [hoje] ainda tenho os 50 Mariposa e os 200 Bruços, é tentar conquistar mais medalhas, pelo Sporting. Para a semana, então, o objetivo muito importante é o Nacional de Clubes, queremos voltar a revalidar o título de campeões nacionais, por isso, vamos ver. Obrigado a todos que me vieram ver: Sporting, família e amigos.”

É sempre bom perceber que os nossos atletas sentem o clube. E não custa nada. Bater recordes como o Alexis sim.

Às segundas, sem segundas intenções

Andebol: uma tarde de domingo vibrante, apesar da derrota (28-30). Ou como,  perdendo, também se ganha: em entusiasmo, em comunhão, em sportinguismo. Sim, o Pavilhão João Rocha é uma obra inestimável com créditos à anterior Direção, a Bruno de Carvalho e a todos os sócios anónimos que contribuiram na Missão Pavilhão.

Goalball: a glória, agora também no feminino, com bis masculino. Orgulho imenso nestes jogadores do goalball, que inscreveram o nome do Sporting no Olimpo europeu mas também nas restantes modalidades de desporto adaptado, acompanhadas pelo Gabinete Paralímpico. Sermos dos primeiros a promover valores de igualdade e de inclusão faz-nos maiores, torna o Sporting em muito mais que um clube.   

Leões de Portugal: IPSS ligada ao Sporting, tem um trabalho notável ligada ao apoio social a estudantes (dezenas de bolsas de estudo anuais) e a idosos (centro de dia, aulas, refeições, visitas etc), nem sempre reconhecida nem bem tratada pelo clube e por sócios. O meu público louvor, e a reafirmação dos meus 0,5% do IRS para o NIF: 503 930 644 para esta causa. Solidariedade a custo zero!

Hóquei em patins: não fora aquela inexplicável derrota caseira com o Paço de Arcos... e estaríamos a reviver mais uma época de ouro. Muito embora ainda falte muito campeonato. Mas o realce vai para a brilhante vitória em Itália, frente ao Amatori Lodi por 5-3, na 1ª mão dos quartos de final da Liga Europeia. PJR cheio a 6 de abril, para confirmar o visto para a final four da prova maior do nosso continente.

Voleibol: Também se fala no feminino. Campeãs da III Divisão no ano passado, as nossas meninas disputam a subida à 1ª Divisão. Nesta altura, e quando estão disputados 4 jogos da Fase 2 (série dos primeiros, em que o campeão sobe e o 2º disputa um play-off), o Sporting lidera com 4 vitórias e 12 pontos, seguido do Desportivo das Aves ( com quem averbamos duas derrotas na fase regular) e Sporting de Espinho, ambos com 8 pontos. Dia 31, curiosamente, há jogo no PJR em masculinos e femininos com o Espinho. 

Para cumprir o título desta elucubração não falarei da ausência de João Félix do jogo da seleção, da desclassificação da equipa de triato do SLB e a posição da respetiva Federação e da derrota (já sob protesto...) da incensada equipa do futebol feminino no primeiro momento da verdade, para a Taça de Portugal. Nem tampouco falarei sobre as excelentes notícias sobre processos e mais processos judiciais para os batalhões de advogados. Pelo menos para os homens do Direito não há crise...

E já é Primavera! 

Primavera

Dia de Sporting

Nada como um dia entre o nublado e o chuvoso para reafirmarmos a nossa fé leonina. E, no meu caso, a retoma no “És a nossa fé”.

 

Desde logo e ao som do “Dá-lhe com o stick”, a partir das 15h no PJR, podemos deliciar-nos com o bailado do Pedro Gil e o contorcionismo do Girão, na contenda com o HC Liceo. Uma vitória e o Sporting passa aos quartos de final da Liga Europeia, e é um belo pedido de desculpas pela miséria de jogo que fizeram com o Paço de Arcos, uma derrota que foi um verdadeiro murro no estômago.

 

Depois da ida às roulotes para encher o depósito, de confiança mas também de cerveja, a romaria para ver se se confirma o meu prognóstico dos 2-0, com Bas Dost e Bruno Fernandes a dizerem presentes. Nesta fase, e com os resultados de ontem, não há outra hipótese que não seja vencer. Se possível com uma daquelas exibições que nos enche o coração de conforto. E, já agora, que nos permita ver um dos nossos melhores relações públicas, o Francisco Geraldes.

 

Mas o fervor não fica por aqui. Quase sem tempo para um café, o regresso ao PJR já de verde iluminado, lindo, com Voleibol às 20:30 para o reafirmar da liderança do campeonato nacional, num jogo com o Clube K. Isto após a magnífica vitória, uma “remontada”, na 4.ª feira para a taça CEV com o MMP Ankara, que nos deu a passagem aos quartos de final desta competição europeia, onde defrontaremos o Fonte Bastardo. Nunca é demais lembrar que, depois da derrota por 3-0 na Turquia, a resposta da equipa foi fantástica e os 3-0 da 2.ª mão (25-16; 25-22; 25-20 nos 3 sets e depois a machadada final no golden set por 15-10), expressam bem a determinação e superioridade do Sporting. 

 

Três bons motivos para não ficar em casa. Outros há, a avaliar pela agenda no site do Sporting, mas o dom da ubiquidade ainda não nos foi concedido. 

Termino com uma interrogação que começa por um já agora. Já agora, será desta que o site e, concretamente, a agenda melhora? Pelo menos ameaça pois já abundam as atividades, aparentemente atinam nas horas e até já dão algumas fichas de jogo onde, pelo menos, se podem ver os resultados. A confirmar-se que não são só fogachos, é uma grande notícia. 

Sábado de Sporting, sábado feliz!

 

Duas semanas

Só faltam duas semanas para terminar o estado de “exceção” que vivemos desde há uns meses, período durante o qual fomos um clube adiado. Espero que com o ato eleitoral de 8 de setembro se inicie um novo ciclo, apesar das dificuldades conhecidas e sobretudo advindas das clivagens e desunião ainda existentes entre sportinguistas. Incluir e unir, deve ser primordial para o trabalho do vencedor. Mas o Sporting não pode reduzir-se a uma pessoa, a um presidente. É importante, mais que nunca, a equipa que o rodeia, tendo presente o importante papel que o responsável pelas finanças sempre terá, e as respectivas linhas programáticas.

A recente sondagem publicada no jornal “A Bola” dá um indício positivo sobre as intenções dos sócios, com escolhas que olham para a frente, para o futuro, com ambição e aposta em liderança jovem. Para além dos debates, há que olhar para o candidato a presidente, mas também para quem o acompanha, e até para os apoiantes. 

O indício da sondagem é isso mesmo, afere intenções. A verdadeira sondagem é sempre a do voto expresso. Os  sócios sportinguistas devem mobilizar-se e votar. Se possivel batendo o recorde de participação em eleições, conferindo assim inequívoca legitimidade ao vencedor e enterrando fantasmas, do passado recente e do mais longínquo. 

Todos merecemos um novo tempo em que o nosso clube volte a ser falado apenas pelas melhores razões: os seus adeptos, o ecletismo, as suas modalidades e atletas olímpicos, o exemplo no desporto paralímpico, a solidariedade social, a responsabilidade social, a formação, em suma, as suas vitórias.

Esforço, dedicação, devoção, glória 

 

* Declaração de interesses: sou apoiante da Lista D e íntegro a comissão de honra de Frederico Varandas

Saudades

Julgo que, cada um à sua maneira, todos sentiremos saudades de Bruno de Carvalho (BdC).

Desde este blogue, pelas estatísticas fantásticas que atingimos, à CMTV (e respetivo jornal) pelas audiências e share alcançado, passando por todas as outras TV´s e jornais, desportivos em 1ª linha.

Se nos recordarmos do discurso vitorioso de BdC contra a comunicaçao social em geral, após os 90% alcançados na célebre assembleia de fevereiro dos estatutos, não podemos deixar de soltar um sorriso pela ironia que provoca a situação.

E o último mês confirma que não há BdC sem BdC. Felizmente que haverá Sporting, apesar de tudo...

Quando é difícil arranjar um título

Acho mal o Francisco Geraldes ser emprestado pois é melhor do que alguns que estão no plantel, que porventura vão ficar, e começamos a descaraterizarmo-nos sem jogadores da formação. E era mais que tempo para ter uma oportunidade a sério, até porque já é o 3.º ano em que enriquece a prestação de outras equipas (ao menos neste ano o mutuário não é do nosso campeonato). Mas já está e não tenho muito interesse em saber se se sentiu indesejado ou pouco desejado, ou o treinador não teve interesse nele. A diferença está em que nos 2 empréstimos anteriores ninguém se incomodou, quase não se viu uma linha a contestar essa política (quando havia um resultado menos conseguido do Sporting ou o jogador fazia um bom jogo, lá se ouviam umas vozes isoladas) e nem li nada do próprio como agora, que escreveu um texto cheio de mensagens. Porquê? Talvez por no Moreirense e no Rio Ave se ter sentido desejado ou o Presidente e treinador serem outros... o que é facto é que não teve a dimensão  agora atingida em termos de “barómetro” de sportinguismo e crítica à SAD por parte dos entusiastas da discussão (chamar discussão é assim uma espécie de bondade...) nas redes sociais.

Na verdade, pressinto que isto é mais um episódio da divisão em que estamos. E, no fundo, é o Sporting que sai prejudicado pois começa a perder élan quanto ao tradicional aproveitamento de jogadores da formação. Vá la que deu para perceber que Jovane, por exemplo, deve ser acarinhado pois tem grande potencial. Mas a futura direção tem que fazer reflexão séria e profunda sobre o modelo de formação que temos, construir um percurso para os jovens em que não se cometam erros de avaliação, designadamente quando atingido o patamar competitivo mais elevado. Para isto há que ter colaboradores com elevado grau de conhecimento e profissionalismo, não nos devendo limitarmos apenas ao cv de quem foi jogador do clube há uns anos ou velha glória. São precisas equipas multidisciplinares, que façam o acompanhamento desportivo mas também escolar e acompanhem de perto a própria situação familiar dos miúdos. A Academia precisa de ser refundada através duma espécie de regresso às origens, formando jogadores e homens e dotando o Sporting de ativos, quer em termos de desempenho desportivo quer depois em termos de sustentabilidade do clube com a sua valorização e reconhecimento pelo mercado.

Por tudo isso desejo rapidamente o 9 de setembro, o regresso em definitivo à normalidade com nova direção democraticamente eleita e posto fim ao verdadeiro estado de exceção que vivemos há meses. 

Percebem agora o título?

Declaração de interesses

Integro a comissão de honra de Frederico Varandas, líder da candidatura Unir o Sporting.

A minha intervenção no blogue não será condicionada por este meu posicionamento.

Desejo que a campanha eleitoral decorra com grande elevação, que tenhamos mais candidatos e que os sócios confirmem, através de grande participação no ato eleitoral, que sabem o que querem e que o Sporting Clube de Portugal saia forte para se reerguer.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D