Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Mértola não é o reino da Dinamarca mas...

A6B29663-0B03-40BC-96DD-6C420E356CF4.jpeg

 

Mértola e o Sporting estão mais pobres depois da decisão do núcleo sportinguista local ter suspendido a atividade. Não se lê o porquê mas pressupõe-se que não é por qualquer trivialidade. 

Depois da escolha de um responsável pelos núcleos que nunca saiu de Lisboa (apenas para ir diretamente para o Largo do Caldas), Varandas debate-se com a contestação de 18 núcleos ligados ao movimento  "Acorda Sporting" e agora também com a suspensão formal de atividade, como é o caso do núcleo de Mértola. 

Da margem do Guadiana não diremos, como Shakespeare em Hamlet, «algo vai mal no reino da Dinamarca», mas Mértola sente que algo não está bem no Sporting. E somos já muitos que acompanham Mértola nesta constatação. Ou seja, não há ninguém que não sinta que estamos divididos, fracos e sem esperança. Por este caminho não vamos lá, não vamos ser, de novo, gente feliz com lágrimas.

Voltando a Hamlet, o desafio que se coloca a todos nós é, e cito o famoso poeta inglês,  

"ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre
Em nosso espírito sofrer pedras e flechas
Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,
Ou insurgir-nos contra um mar de provocações
E em luta pôr-lhes fim?"

 

Ser!

Algo bem feito e que merece realce - II

Um acaso o nosso encontro no Twitter, que veio a revelar que nem tudo é mau por ali, para além de palco de batalha de egos, clubismos, partidarites, outros "ismos" e outras "ites". Afinal, tinhamos mais em comum do que poderíamos imaginar, uma cumplicidade implícita que só quem estudou em Coimbra consegue entender. É noutra dimensão. Habituei-me a lê-lo. Possuidor de invulgares conhecimentos de voleibol, desporto "maldito" na nossa atmosfera desportiva, e com escrita magnífica que transcende a mera análise técnica do jogo mas salta com a vara da emoção para o plano em que vê os jogadores/jogadoras como individualidades, integrando-as numa figura de estilo quase inventada, a que eu chamaria de poética desportiva.

Adaptando a excelente expressão de Arnaldo Jabor* e que deu título a um livro, "Amor é prosasexo é poesia" ,  poderia afirmar com a certeza que não seria castigado com o Inferno que, para o Adrien S., "Amor é Sporting, Voleibol é poesia". 

Falo do Sérgio Martins (SM/Adrien S.@AdrienS_1906 no Twitter), um sportinguista, a norte, daqueles de mão cheia que adora voleibol e conhece como poucos o vocabulário técnico-tático da modalidade e as equipas do Sporting, tendo uma capacidade de análise ao jogo e aos jogadores que até nos faz acreditar que percebemos da coisa.

Julgo que, à semelhança do Tiago @tigas68, com um blogue sobre as Modalidades a que já aludi em recente post, o Sérgio Martins é uma mais valia que justificava ter um palco maior, apesar de ser bastante conhecido na blogoesfera leonina. Ele escreve na Tasca do Cherba, como se anuncia na página: "*às terças, o Adrien S. puxa a bola bem alto e prega-lhe uma sapatada para ponto directo (ou, se preferires, é a crónica semanal sobre o nosso Voleibol)", e aqui deixo o seu mais recente "serviço" para melhor perceberem do que falo http://atascadocherba.com/2020/08/18/bonito-servico-expetativas-voleibol-masculino/ . Algo bem feito e que merece realce!

A política de comunicação do Sporting e a respetiva expressão mediática na comunicação social, escrita e falada,  nada teria a perder se os seus responsáveis, com espírito aberto e plural percebessem que há fora da órbita habitual lisboeta, valor e conhecimento de muitos voluntários (pro bono até) que poderia ser útil disponibilizar aos sportinguistas, sobretudo nas modalidades pois de futebol todos somos catedráticos. Quem tem critérios seletivos na informação que lê e acompanha as redes sociais sabe a que me refiro. E quer o Jornal do Sporting quer a Sporting TV têm lacunas que poderiam ser corrigidas aqui e ali, com melhorias significativas do seu produto e maior satisfação dos sportinguistas se fossem guiadas por mais e melhor informação e também opinião. Estes órgãos de comunicação do clube devem obedecer ao prpósito de informar e unir-nos ao clube.  

Unir não pode ser palavra vã. Unir não é estarmos todos juntos na mesma bancada, ou todos com o presidente ou com uma claque ou seja lá com o que for que domina as nossas angústias diárias. Unir é criar identificação com os nossos valores, é fortalecer o nosso ecletismo, é retribuir com esforço o que os sócios e adeptos dão ao clube com dedicação e devoção, é honrar a nossa divisa. O que muitos fazem por esse país fora, diariamente, e muitas vezes sem reciprocidade de quem, na 1ª linha, tinha essa obrigação. Um dia chegaremos lá.    

Mas voltemos ao Sérgio e não batamos mais no ceguinho. Não o conheço pessoalmente mas é-me muito gratificante a sua amizade virtual pois permitiu enriquecer o meu conhecimento sobre voleibol,  sobre a qualidade técnica de jogadores e jogadoras do Sporting mas também quanto à capacidade competitiva das nossas equipas, em suma o meu sportinguismo. E depois, bem, depois há aquela cumplicidade Briosa, que se nos entranhou sem estranhar, um negro a debruar o verde profundo das nossas almas e corações.

Obrigado Sérgio

Adrien.png

* (jornalista, comentador, escritor e cineasta brasileiro: "Toda nudez será castigada", diz alguma coisa?) 

Uma adepta para a vida!

Confesso que já não estou habituado a palavras como as da Mariana Azevedo, jogadora da equipa feminina de futebol, no momento em que cessa o vínculo com o Sporting.  Por isso este realce. Boa jogadora, a sua saída deixa a equipa mais fraca. Sou entusiasta do futebol na versão feminina e vibrei com todos os troféus alcançados nos dois primeiros anos, sob o impulso de Bruno de Carvalho. Para além de Alcochete e Alvalade, fui ao ao Porto, ao Jamor,  e a Coimbra ver o Sporting ser campeão pela 1ª vez, ganhar a Taça de Portugal e uma Super Taça. Depois, bem, depois a espiral vertiginosa de não sabermos o que iria acontecer, no pós Alcochete, para além de algum desinvestimento no nosso futebol feminino apareceu o vizinho da 2ª Circular com um investimento desmesurado em jogadoras internacionais e fez virar o vento e mudar a sorte... 

Mais um caso em que o mais difícil poderá não ser atingir o sucesso, mas mantê-lo! E no Sporting isso é tão comum...

Mas a vida é o que é e a Mariana Azevedo, aos 24 anos, vai seguir o seu caminho. E deixa palavras bonitas, na hora da despedida:

“Têm aqui uma adepta para a vida, vibro e continuarei a vibrar para sempre por este Clube. Obrigada por tudo”.

É pena. Até sempre e obrigado, Mariana.

MAze.jpg

https://www.sporting.pt/pt/noticias/futebol/futebol-feminino/2020-08-03/mariana-azevedo-de-saida

Veni, Vidi, Vici: Sim, Bruno Fernandes, sim!

Escrevi, não há muito tempo, que Bruno Fernandes apesar de encantar Manchester e os amantes de futebol desde que chegou, continua a ser importante para o Sporting. E não estou a pensar apenas no provável encaixe financeiro que a classificação final do ManUtd na Premier League pode proporcionar ao Sporting Clube de Portugal, falo sobretudo na relação que Bruno mantém com os leões, jogadores e adeptos e com o próprio clube. Não é vulgar, não é comum. Acompanha os jogos, incentiva ex companheiros, comenta nas redes sociais. Até a grande maioria dos mais céticos e seus críticos por causa da rescisão em 2018, estão rendidos à classe, ao profissionalismo e à ligação emocional que mantém com o Sporting. 

É sabido que não temos a máquina de propaganda e mediática que certos clubes têm e que a realidade demonstra serem campeões do "gato por lebre", mas não os invejo. As narrativas não suportadas por factos são belos cantos de sereia que geram cortinas de fumo na forma de "flopes". Certas agremiações precisam de manter o nível mediático num patamar de ilusão que já nem fora do país dura muito, sobretudo para disfarçar os graves problemas reputacionais que sofrem (ao que parece de ordem civil e criminal, também). Infelizmente funcionam na generalidade da comunicação social portuguesa, maxime na desportiva e na de dose cavalar televisiva.     

 

21856926_OCZQz.jpeg

Mas há a realidade sustentada pelos factos, como já escrevi, e a realidade paralela onde muitos teimam em viver em estado de negação. No entretanto, temos de ir fazendo o nosso percurso. Os Sportinguistas têm razões para sentir orgulho deste fantástico jogador que, em boa verdade, tornou-se um de nós depois destes anos a vestir de verde e com pele de leão. Em Inglaterra chegou, viu e venceu ou, como na lusitana expressão, pegou de estaca. Os 7 golos em 10 jogos mais umas quantas assistências, fazem dele um jogador essencial para o Manchester United e quem despertou esse gigante adormecido. 

Venividivici  é o que pode dizer-se sobre Bruno Fernandes em Alvalade e Old Trafford. 

Por isso "temos de falar seriamente sobre Bruno Fernandes", como aqui:  

https://tinyurl.com/y9qfnndj

 

Cédric Soares!

Numa altura em que muitos arrasam com tudo o que mexe e foi jogador do Sporting, ou porque quis sair, ou porque forçou a saída, ou porque rescindiu, ou porque rescindiu e voltou e por aí fora, precisamos de respirar, precisamos de exemplos, precisamos de referências. E, dito isto, era possível ainda arranjar mais umas quantas hipóteses da pseudo fogueira pública em que alguns teimam, com o corolário no "formamos jogadores mas não formamos homens"... 
Aliás, são raros os casos em que antigo/ex jogador agrade a "gregos e a troianos". Acho que nem CR7 faz o pleno.
Também é verdade que não vemos muitos exemplos de reconhecimento e agradecimento ao clube e, infelizmente, alguns chegaram mesmo ao ponto de não lhes bastar a indiferença, cuspiram mesmo no prato onde comeram. Outra verdade é que o Sporting vive ciclicamente em guerra e em depressão, o que não ajuda nada pois muitas das críticas e "assassinatos" têm a ver sobretudo com a direção ou o Presidente que os contratou ou vendeu... Quem passa pelos campos de batalha digitais, Instagram ou Twitter sabe bem do que falo.

Por isso sabe bem ler coisas assim, afaga-nos o ego e faz-nos acreditar. 
Cédric Soares- "Se um dia voltasse a Portugal, voltaria para o Sporting. Foi o clube que me formou como homem e jogador e pelo qual ainda torço" (https://tinyurl.com/y9t3utsw)

 

21855859_I03sh.jpeg

(fotografia extraída do site https://cedricsoares.pt/)

Bruno Fernandes continua a ser importante

Socorro-me das palavras de Jovane, ontem, no final do jogo contra o Paços de Ferreira, em que marcou um golaço e a trave ficou a dever-lhe outro, ambos remates muito fortes:

«Saiu-me bem. Tenho treinado estes lances, tive a oportunida-de neste jogo e foi golo. Estou feliz por isso. Bruno Fernandes? É um exemplo. Ele falou comigo antes do jogo, motivou-me e esta vitória também é para ele. Ensinou-me muita coisa durante os treinos. O meu obrigado».

Bonito, gostei. De ambos, pois Bruno Fernandes também enalteceu o mérito de Jovane nas redes sociais, em comentários que demonstram que acompanha, a par e passo, o Sporting.

Agora segue-se o Tondela, equipa bastante difícil e num estádio silencioso, onde espero Bruno Fernandes continue a estar atento e a incentivar os miúdos que, finalmente, começam a aparecer e a ganhar músculo.

Acabemos bem está época mas, sobretudo, pensemos na próxima limpando o balneário e apostando na formação. É que, para não sermos campeões, ao menos que rentabilizemos os nosso ativos mais promissores. E dinheiro é bem escasso por estas bandas (e nas outras também).

Assim se vê, a força de PC?

Pinto da Costa foi reeleito pela... vez (relembrem-me porque já foram tantas e há tantos anos que perdi a conta). É bom, é mau? Não sei, mas a avaliar pelos últimos anos em termos de resultados desportivos, no futebol e nas restantes modalidades, pressente-se um prolongar de vida útil à frente do clube portista, por parte de Pinto da Costa, que não augura nada de bom para quem venha a seguir. Em sucessos desportivos e em tesouraria. Sei que com os males dos outros podemos nós bem mas, fazendo uma retrospetiva ao poder do clube nortenho no futebol e nas suas instâncias, e para tanto basta uma década, a vantagem marginal de Pinto da Costa tem diminuído significativamente. As lideranças fortes e competentes devem prever o seu termo e gerir atempadamente o seu processo de sucessório, sob pena de correr sérios riscos para o próprio clube e de criar vazios difíceis de preencher. Também é certo que não há insubstituiveis e, costuma dizer-se, o cemitério está repleto deles. Mas eu acrescentaria também que a natureza tem horror ao vazio e, por vezes, preenche-o da forma mais inesperada. Pinto da Costa (PC), 82 anos, mais de 38 à frente do FC Porto. É obra de longevidade... Reeleito com 68,65% dos votos, participaram nestas eleições mais dois candidatos e 8.480 sócios. No Sporting Clube de Portugal, as últimas eleições, em setembro de 2018, foram o ato eleitoral do clube com maior afluência de sempre, com 22.510 sócios votantes, 19.159 de forma presencial e 3.351 por correspondência, de um total de 51.009 com direito a voto, e seis candidatos. 
Comparando, temos uma força motriz no SCP baseada nos sócios que, bem potenciada ou seja com uma liderança forte e competente, pode relançar o Sporting no cimo do Olimpo. Apesar de tudo... O tempo será julgador. Voltando ao norte, no imediato não se vislumbra o significado do resultado desta reeleição do carismático presidente portista que, apesar de expressiva, contou com números abaixo do habitual no Porto. E com outros candidatos, fazendo antever mudança de regime ou fazendo pressentir que a corrida para a mudança já teve o tiro de partida.

Assim se vê, a força de PC? A ver vamos!

Algo bem feito e que merece realce

Habituei-me a seguir o Tiago Botelho, @tigas68 no Twitter, e a ler as suas opiniões sobretudo pelo conhecimento que revela das modalidades, com especial ênfase das equipas do Sporting. E em boa hora decidiu aventurar-se no blogue Modalidades SCP. Não fora a pandemia, a esta hora teríamos vários campeonatos onde estavamos a liderar (Basquetebol e Futsal) ou na disputa do 1º lugar (Hoquei, Andebol e Voleibol) e o Tiago a ajudar-nos a conhecer melhor quem é quem e a ajudar a analisar os mecanismos e processos de jogo e de capacitação de equipas. Tenho pena e aguardo a retoma. Tudo pro bono e de fazer inveja a alguns especialistas que fazem vida a mandar bitaites e a urdir estratégias, quando não estão a falar por falar ou a escrever por encomenda. E ainda faz uma perninha sobre modalidades no Sporting160, em parceria com alguém de quem também falarei oportunamente, assim como no próprio podcast. Agrada-me muito saber que há Sportinguistas assim, espíritos livres, que têm opinião e exprimem-na sem complexos e sem medo. Mesmo se algumas vezes, ou sobretudo por algumas vezes, as opiniões manifestadas não coincidirem com as minhas. O Sporting resiste e tem futuro, também e muito com gente como o Tiago. Não conheço o Tiago. Era só isto.   

https://modalidadessporting.blogspot.com/Modalidades_SCP.JPG

 

Chega de saudade

 Vinicius de Moraes escreveu uma bela letra sobre saudade, aquele sentimento bem português que espalhamos por muito mundo, e substantivo que só a língua portuguesa soube honrar. De seguida, a tensão de quem tem saudade e da, por muitos atribuída, condição pejorativa do saudosista.

Pois bem, neste período de emergência e agora de calamidade em que o mundo virou do avesso e que as nossas certezas foram irremediavelmente abaladas (foram?), em que consegui quase distanciar-me da problemática Sporting, com pouca frequência do palco de guerra que é o Twitter e da algo feira de vaidades que é o Facebook,  entrados nesta nova fase de desconfinamento e de regresso a uma nova "normalidade", não há como fugir. Aí está de volta as letrinhas mágicas SCP!

O cheiro a verde, a leões resistentes e lutadores, ainda que em guerras palacianas ou civis, fazem-me reentrar na órbitra, qual SpaceX (sim, não é só o nosso drone português que falha à primeira, que se compreende pois a gravidade é tramada...a alta tecnologia americana também, por uma simples nuvenzinha.- tinham, talvez, medo que fosse Juno e que este andasse a tomar hidroxicloroquina...), e a perceber que há mais vida para além da pandemia.

E que a saudade começa a bater forte pelo Sporting, pelo aplauso compassado e ritmado pelo tambor no Pavilhão João Rocha, pela esperança de que voltaremos a ver a equipa principal de futebol a jogar futebol, com conta, peso e medida e a lutar com honra em campo.

Não há como a ausência, o não ter, a distância para perceber e nos fazer sentir a importância da presença, do ter, da proximidade. Tem tudo a ver com sentimentos, a que paixão e amor não se podem dissociar. É verdade, estou com saudades do Sporting. Sem saudosismo nem sendo saudosista. Mas com saudades. Por isso digo, como cantava João Gilberto, esse monstro pai da bossa nova, "Vai minha tristeza... chega de saudade...". Quero o Sporting Clube de Portugal de volta!

Era só isto, e sem falar em Alcochete, Tribunal, Bruno, Varandas, pilares, frustração e desilusão. Só Sporting e saudades de Sporting!

NON!

Face às notícias hoje propaladas nos jornais desportivos, apetece-me falar muito sinteticamente de arte cinematográfica e em "Silent Movie", fantástico filme de 1976 dirigido por Mel Brooks, em que a única palavra que se ouve durante 87´é NON, completamente inesperada porque dita por Marcel Marceau, famoso mimo* francês. https://youtu.be/cyY5vWc5TEQ

Perante o delirante mutismo reinante na direção do nosso clube e a deriva em que vive, com o seu primeiro responsável a acumular erros estratégicos, faço minha a palavra do mimo, traduzindo:

NÃO!

*Mimo: ator que representa através de gestos e expressões fisionómicas e corporais, sem recorrer à palavra.

O inverno do nosso descontentamento

Por algum pudor, e por sentir que não acrescentava nada ao sentimento generalizado de profunda descrença, legítima e justificada, que por aqui habita, não tenho "postado" no blogue. Limitei-me, desde há algum tempo, a ir ao estádio e ao pavilhão apoiar o Sporting. Interrompo a minha "licença sabática" para dizer que esta direção e o fim da linha estão de braços dados. Não preciso justificar o que digo, basta concluir que esta é a pior época que me lembro, de há muito tempo a esta parte. Alternativa precisa-se pois o inverno está rigoroso!

Quando a bola não entra... o fosso alarga

Quando a bola não entra, o grau de probabilidade de que comece tudo a correr mal aumenta em conformidade. Sobretudo porque se confirma a máxima de que se pode correr assim, ainda vai correr pior, o que tem acontecido. Qualquer direção deve ter este risco em conta e plano de contingência para o efeito. Parece que esta direção e o Presidente não tiveram isso em conta nem nada preparado para o efeito, dando uma ideia de navegação à vista que fragiliza. É pena. 

É preciso ser feita reflexão profunda sobre o que se passou, e o retrovisor não pode alcançar distância superior à pré época, onde parece que tudo começou. E também é altura para questionar o que se passa com a estrutura profissional para o futebol, que mais parece que desestrutura. Qualquer equipa tem de responder por atingir objetivos e responder por maus resultados, como nas empresas, pois são todos assalariados. Dentro e fora das quatro linhas. 

Sem querer invocar exemplos que podem ser lidos em livros de auto ajuda ou de sucesso empresarial, nem querer mergulhar ninguém no "shark tank", olhem em redor e vejam como está estruturada a organização das modalidades, o nível competitivo das suas equipas, a identificação entre jogadores e técnicos com adeptos, a relação entre profissionais das diversas secções, o apoio e o carinho dos assíduos no Pavilhão João Rocha pelos atletas (mesmo nas derrotas, pouquíssimas felizmente), e os resultados. Não é preciso ir longe para perceber que há, ali, algo para aprender. E, às vezes, a bola também não entra. Mas nunca se desiste.

Ainda vamos a tempo de tapar o fosso?

Humildade procura-se. E precisa-se com muita urgência. E acerto!

Em 1º lugar, Frederico Varandas. Está na hora de banho de realidade e, com humildade, pedir desculpa pela forma ligeira e descuidada com que tem tratado o futebol, reconhecendo que, afinal, não era tão fácil como pensava e que não basta força de vontade. E que tem cometido erros sucessivos na gestão do plantel, na política de contratações e na escolha dos treinadores. Só lhe fica bem. E talvez assim ganhe uma nova oportunidade. Muito embora, como se diz na política, nunca há uma 2ª oportunidade para causar uma boa 1ª impressão. E deve responder à pergunta: agora quais são os objetivos para a época? Depois, tomar uma iniciativa: desistir imediatamente de aumentos para os dirigentes da SAD. Nem explicito razões por desnecessidade óbvia. 

Em 2º lugar, Leonel Pontes. Que desilusão na leitura de jogo e que falta de bom senso ao justificar a substituição de Vietto para defesa do jogador, que vinha de uma lesão. Pior de tudo, não foi capaz de assumir que errou nesse fatídico momento, apenas referindo superficialmente que não funcionou. Assim não tem condições para ser treinador do Sporting, talvez nem dos sub23. Constatou amargamente o que o estádio pensou, acertadamente, da escolha profundamente errada que fez. Aqui confirma-se que não há uma 2ª oportunidade para causar uma boa 1ª impressão.

Por último, a direção. Este grupo de jovens deve refletir profundamente sobre o caminho que está a tomar este falhanço de gestão da equipa profissional, rever métodos e avaliar o somatório de erros sucessivos, de pequenos a maiores, que tem cometido a outros níveis. Exige-se mais competência nas ações. Basta estar atento às redes sociais e/ou acompanhar o quotidiano do clube para perceber que falta coordenação, mas sobretudo conhecimento aprofundado do clube. Não podem gerir com complexo de que existem fantasmas do passado a assombrar o dia a dia, senão quando se derem conta estão num filme de terror. E informem. E comuniquem. E expliquem. Só fica bem e não dá azo à especulação e à desinformação. Não passem ao lado da realidade. Após um ano de mandato, acho que todos esperávamos mais. E não esqueçam, também aqui a humildade só fará bem. 

Nota final para os milhares de sócios que, numa 2ª feira, se deslocaram às 21 horas a Alvalade para, mais uma vez, sofrer e sair num desalento profundo sem ver luz ao fundo do túnel. São magníficos, somos os melhores adeptos do mundo, sentimos o Sporting de forma inexplicável. Merecíamos mais. Muito mais. Agora e sempre!

(PS- a lampionagem não é para aqui chamada. Por isso, não percam tempo com a costumeira boçalidade de alguns que aqui se exibem)

Sporting: Modalidades vão bem e recomendam-se

O fim de semana de despedida do verão trouxe-nos bons resultados nas modalidades. O abismo anunciado era, pelos vistos, manifestamente exagerado.

Na 6.ª feira, no PJR, a equipa de futsal com uma exibição consistente, a pecar apenas na concretização, levou de vencida o Azeméis por 5-1. À 3.ª jornada o Sporting lidera isolado com 9 pontos, 23 golos marcados e 2 sofridos. Sábado há clássico na luz.

No sábado foi a vez do andebol, igualmente no PJR. Nova vitória na Champions, desta feita sobre os eslovacos do Tatran Presov, aquela equipa com um símbolo que nos faz lembrar qualquer coisa. Exibição de luxo, com excelente resultado, 32-24 (o ano passado, com a mesma equipa, diferente resultado: derrota por diferença de 2 golos).  Na Champions, dois jogos, duas vitórias.

O ténis de mesa, palavras para quê? Vitória na Supertaça em masculinos e femininos. Os leões venceram o Juncal por 3-0 e conquistaram a 14.ª Supertaça. As leoas estreram-se a vencer este troféu, após vitória por 3-0 sobre o Toledos. Triplete em ambos os setores: Campeonato, Taça e Supertaça!

No ano do regresso ao basquetebol, o SPORTING venceu o Torneio Albufeira Basket Cup ao bater na final o Imortal 89 -67. Na véspera, na meia-final, haviam vencido o Galitos por 88-69.

Voleibol, no feminino. As leoas derrotaram o Atlético VC Famalicão na final, por 3-2, e venceram assim o Torneio Cidade de Famalicão. No sábado tinham vencido o Braga por 3-0. Boa indicação para as recém promovidas à divisão principal do nosso voleibol porquanto o Atlético é uma das melhores formações nacionais. 

Nota - para o futebol de praia, derrotados pelo Braga na final da Taça de Portugal e, no hóquei em patins, pelo Porto na Elite Cup, 2-2  no tempo regulamentar e depois a lotaria dos penaltis não nos sorriu.

Para além dos seniores, houve muitos outros escalões em competição e com muito êxito. Também o futebol feminino, com uma vitória gorda por 17-0 sobre o A-dos-Francos, merece destaque.

No site do Sporting, https://www.sporting.pt/, na AGENDA, é possível ver muitos dos resultados nas diversas modalidades e escalões. 

Futebol no feminino

As nossas leoas começaram da melhor maneira o campeonato nacional de futebol feminino com uma vitória por 2-1 sobre o o atual campeão, o Braga. 

O SPORTING, que até começou a perder logo aos 2´, conseguiu uma  reviravolta fantástica já na 2ª parte, aos 76´ e 78´, com golos de Diana Silve e Nevena Damjanovic. 

Andebol: grande vitória na Champions League

Grande vitória do SPORTING na 1ª jornada da Champions sobre os Macedónios do HC Eurofarm Rabotnik, por 30-29. Para começar, não está mal.

Sábado, dia 21, há mais às 18:30h no Pavilhão João Rocha- 2.ª jornada do Grupo C VELUX EHF Champions League: 

SPORTING CP X HT Tatran Prešov
 

Quem quiser mais informação das modalidades do Sporting vá ao blogue do @tigas68, em https://modalidadesscp.site123.me/ e pormenores do nosso grupo da Champions Andebol em https://modalidadesscp.site123.me/artigos/ehf-velux-champions-league-2019-2020

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D