Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

A voz do leitor

«Neste momento o valor económico do João Mário está ajustado ao seu valor desportivo. O mercado regulou. O João Mário vale 7 milhões e nunca 40 milhões. Por isso, este foi o maior negócio da história do Sporting. Posto isto, e admitindo que o João Mário vale de facto 7 milhões, impunha—se ao Sporting decidir se valeria a pena avançar para o João Mário. Pelo que disse, acho que não. Acho que o Sporting tem jogadores jovens que podem desempenhar o papel do João Mário, para melhor. Por esta razão dou os meus parabéns à Direcção pela coragem desta decisão. Deixou-se de sentimentalismos e tomou a decisão certa quanto a mim — não avançar para o João Mário.»

 

AHR, neste texto do Francisco Almeida Leite

Balanço dos prognósticos 2020/2021

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2021/2022, relembro os prognósticos sobre a prestação do Sporting em cada jornada da Liga anterior feitos no És a Nossa Fé.

É um teste à vossa perspicácia que aqui recomeçará, pelo nono ano consecutivo, mal soe o apito de saída da próxima Liga.

 

27 de Setembro (Paços de Ferreira, 0 - Sporting, 2): Allfacinha, Pedro Batista

4 de Outubro (Portimonense, 0 - Sporting, 2): Diogo Viegas

17 de Outubro (Sporting, 2 - FC Porto, 2): Ninguém acertou

24 de Outubro (Santa Clara, 1 - Sporting, 2): Luís Ferreira

28 de Outubro (Sporting, 3 - Gil Vicente, 1): Albertina Correia de Carvalho, Carlos Correia, Jô

1 de Novembro (Sporting, 4 - Tondela, 0):  Albertina Correia de Carvalho

7 de Novembro (V. Guimarães, 0 - Sporting, 4): Ninguém acertou

28 de Novembro (Sporting, 2 - Moreirense, 1):  Lindomaia, Luís Ferreira

5 de Dezembro (Famalicão, 2 - Sporting, 2): Luís Silva

19 de Dezembro (Sporting, 1 - Farense, 0): António Pedro

27 de Dezembro (Belenenses SAD, 1 - Sporting, 2): Carlos Correia, David de Carvalho

2 de Janeiro (Sporting, 2 - Braga, 0): Fernando, Ricardo Roque

8 de Janeiro (Nacional, 0 - Sporting, 2): Fernando, LAF, Pedro Batista, Ricardo Roque

15 de Janeiro (Sporting, 1 - Rio Ave, 1): Ninguém acertou

26 de Janeiro (Boavista, 0 - Sporting, 2): Fernando, José da Xã, Leão de Lordemão, Luís Barros, Pedro Batista, Ricardo Roque, Tiago Oliveira

1 de Fevereiro (Sporting, 1 - Benfica, 0): CAL, Fernando, Fernando Luís, Leão do Fundão, Manuel Parreira, Ricardo Roque, Verde Protector

5 de Fevereiro (Marítimo, 0 - Sporting, 2): Gaspar

9 de Fevereiro (Gil Vicente, 1 - Sporting, 2): CAL

15 de Fevereiro (Sporting, 2 - Paços de Ferreira, 0) Luís Ferreira

20 de Fevereiro (Sporting, 2 - Portimonense, 0): CAL, Carlos Correia

27 de Fevereiro (FC Porto, 0 - Sporting, 0): Luís Ferreira

5 de Março (Sporting, 2 - Santa Clara, 1): Ângelo

13 de Março (Tondela, 0 - Sporting, 1): António, António Pedro, CAL, Cristina Torrão, Fernando Luís, Gaspar, José da Xã, Leão 79, Luís Silva

20 de Março (Sporting, 1 - V. Guimarães, 0): António

5 de Abril (Moreirense, 1 - Sporting, 1): António

11 de Abril (Sporting, 1 - Famalicão, 1): Ninguém acertou

16 de Abril (Farense, 0 - Sporting, 1): Ângelo, CAL, Guilherme, José da Xã, RASR

21 de Abril (Sporting, 2 - Belenenses SAD, 2): Ninguém acertou

25 de Abril (Braga, 0 - Sporting, 1): AHR, Carlos Correia, Cristina Torrão, Leão 79, Leoa 6000, Luís Lisboa, Pedro Batista, Verde Protector

1 de Maio (Sporting, 2 - Nacional, 0): Carlos Correia, João Gil

5 de Maio (Rio Ave, 0 - Sporting, 2): João Santos, José Vieira, Pedro Batista, Ricardo Roque, Smiley Lion, Tiago Oliveira, Verde Protector

11 de Maio (Sporting, 1 - Boavista, 0): Roberto Dias, Tiago Oliveira

15 de Maio (Benfica, 4 - Sporting, 3): Ninguém acertou

19 de Maio (Sporting, 5 - Marítimo, 1): Ninguém acertou

 

CONCLUSÃO:

A vitória, nesta temporada, coube a um quarteto de felizes vaticinadores que aproveito para cumprimentar agora: a minha colega de blogue CAL, o meu colega de blogue Ricardo Roque, e os leitores Carlos Correia e Pedro Batista. Cada um com cinco palpites certos.

Seguiram-se, com quatro previsões correctas, os leitores António, Fernando e Luís Ferreira (vencedor em 2018/2019).

Com três, um terceto composto pelo meu colega José da Xã (vencedor em 2013/2014 e 2016/2017) e pelos leitores Tiago Oliveira e Verde Protector.

 

Foi pena ninguém ter acertado em sete dos 34 jogos. Incluindo em duas partidas que o Sporting venceu. Mesmo assim, este foi o ano em que tivemos mais participações em números absolutos e mais resultados certos.

Esperemos que a pontaria se revele ainda mais afinada na Liga 2021/2022. Não apenas a nossa, por cá, mas sobretudo a dos jogadores leoninos em campo.

 

Aproveito para recordar que na Liga 2013/2014 houve por cá  sete vencedores:  Bruno Cardoso, Edmundo Gonçalves, João Paulo Palha, João Torres, José da Xã, Lina Martins e Octávio.

No campeonato 2014/2015, apenas umLeão do Fundão.

Em 2015/2016, triunfou o Grande Artista Goleador.

Em 2016/2017, o vencedor foi novamente o José da Xã.

Em 2017/2018, venceu o leitor J. Ramos.

Em 2018/2019, destacou-se o leitor Luís Ferreira.

Em 2019/2020, a vitória isolada foi feminina pela primeira vez, sorrindo à Cristina Torrão.

 

Já falta pouco para começar a próxima ronda de palpites. Aberta, como as anteriores, a todos quantos fazem e lêem este blogue.

A voz do leitor

«As cláusulas anti-rivais são consideradas ilegais pela lei portuguesa e pela lei europeia porque condicionam a liberdade de trabalho dos jogadores/trabalhadores. Não faz sentido ir a tribunal invocar um direito alicerçado numa ilegalidade. Acho que apenas se está "a atirar areia para os olhos" dos sportinguistas.»

 

João Almeida, neste postal da CAL

Pódio: Pedro Gonçalves, Palhinha, Coates

Em jeito de balanço, aqui fica a lista dos jogadores que receberam a menção de melhores em campo no último campeonato, em resultado da soma das classificações atribuídas pelos diários desportivos após cada jornada.

 

Pedro Gonçalves foi o grande protagonista da temporada 2020/2021: liderou destacado as classificações de todos os jornais desportivos. Sucede assim a Bruno Fernandes, que tinha sido primeiro nas três épocas anteriores.

O pódio integra ainda Palhinha e Coates, nas posições imediatas. É consensual: este trio - completado com o guarda-redes Adán - formou a espinha dorsal da equipa do Sporting que conquistou o campeonato nacional após 19 anos de jejum. Comprovando assim que estas classificações da imprensa desportiva fazem sentido.

Recordo que em 2019/2020 o segundo e o terceiro posto foram ocupados por Jovane e Vietto. E há duas épocas foram Raphinha e Nani a fazer companhia ao actual craque do Manchester United neste grupo dos três mais votados.

 

Em relação ao ano passado, verifica-se uma descida de Jovane (de 14 para 4 pontos) e uma subida muito significativa de Coates - que em 2019/2020 foi considerado o melhor em campo apenas duas vezes, num total de 102 menções dos três diários desportivos, e na temporada anterior nem sequer havia sido mencionado.

Nuno Mendes também sobe (de 3 para 8). 

Plata (quarto em 2019/2020), Luís Maximiano e Neto desaparecem deste quadro, ao contrário do que sucedera há um ano.

Uma curiosidade: Sporar mantém a pontuação, apesar de ter jogado apenas meia época desta vez.

 

Em relação aos reforços, e para além de Pedro Gonçalves, destaque para a entrada directa de Adán (quinto este ano). Além das boas posições alcançadas por Nuno Santos e Porro.

Paulinho, embora tendo chegado mais tarde, está também presente.

 

Nuno Mendes, Tiago Tomás e Gonçalo Inácio não ficaram esquecidos. 

Wendel, que só fez dois jogos de verde e branco, deu nas vistas apesar disso. 

João Mário nem aparece. Omissão total.

 

Finalmente, pequenos apontamentos.

A Bola embirrou claramente com Nuno Santos - foi o único jornal que omitiu por completo o extremo leonino (que tinha passado pelo Benfica) na escolha dos melhores em campo. Enquanto deu duas vezes a melhor nota a Sporar, depois transferido para o Braga.

O Jogo só elegeu Palhinha e Nuno Mendes uma vez cada, em nítido contraste com as opções dos outros jornais. Percebe-se que nenhum deles é muito apreciado pelo diário conotado com o FC Porto. Que - talvez para compensar - atribuiu, em exclusivo, votos isolados a Tabata e Daniel Bragança. 

 

Pedro Gonçalves: 31

Palhinha: 10

Coates: 9

Nuno Mendes: 8

Adán: 6

Tiago Tomás: 6

Nuno Santos: 5

Porro: 4

Jovane: 4

Matheus Nunes: 4

Paulinho: 4

Sporar: 3

Wendel: 2

Feddal: 2

Gonçalo Inácio: 2

Tabata: 1

Daniel Bragança: 1

 

A BOLA: Pedro Gonçalves (9), Palhinha (5), Coates (3), Nuno Mendes (3), Adán (3), Sporar (2), Tiago Tomás (2), Wendel, Porro, Matheus Nunes, Feddal, Gonçalo Inácio, Jovane, Paulinho.

RECORD: Pedro Gonçalves (11), Nuno Mendes (4), Palhinha (4), Coates (3), Nuno Santos (2), Porro (2), Tiago Tomás (2), Paulinho (2), Jovane, Gonçalo Inácio, Adán, Matheus Nunes.

O JOGO: Pedro Gonçalves (11), Nuno Santos (3), Coates (3), Jovane (2), Adán (2), Tiago Tomás (2), Matheus Nunes (2), Wendel, Nuno Mendes, Sporar, Porro, Tabata, Feddal, Palhinha, Daniel Bragança, Paulinho.

 

Há um ano  foi assim: Bruno Fernandes, Jovane, Vietto

Há dois anos foi assim: Bruno Fernandes, Raphinha, Nani.

Há três anos foi assim: Bruno Fernandes, Bas Dost, Gelson Martins.

Há quatro anos foi assim: Bas Dost, Gelson Martins, Bruno César. 

Há cinco anos foi assim: Slimani, João Mário, Gelson Martins.

A voz do leitor

«Jovane é bom com qualquer número nas costas. Com a saída de João Mário está aberto o concurso para patrão do meio-campo. Jovane, Bragança, Tabata e se calhar mais um ou outro estão aí. Até Geny Catamo que, sendo avançado e tem jogado no meio-campo, é bom a distribuir jogo. Candidatos há.»

 

João Gil, neste meu texto

Inaceitável

Um país, dois sistemas?

Marítimo e Nacional anunciaram ontem que passarão a ter adeptos em metade das bancadas disponíveis nos respectivos estádios nas provas futebolísticas prestes a começar.

Em relação aos estádios do continente, essa autorização ainda não foi concedida pelas autoridades sanitárias.

Acontece que o campeonato nacional de futebol é uma prova de âmbito nacional e não regional. Deve desenrolar-se com regras precisas, claras e uniformes para todos os clubes. Se uns contarem com público e outros não, isso representará uma grosseira violação das elementares regras de equidade na mesma competição.

Trata-se, portanto, de algo inaceitável.

A voz do leitor

«Ronaldo é um caso único. Na selecção deveria jogar a extremo com o André Silva no meio. Continua a ser um jogador fabuloso mas não lhe exijam para ser um nove puro. Fernando Santos não soube resolver a incógnita Diogo Jota. Tinha ao seu dispor dois defesas esquerdos para compensar a falta de apoio a defender do Ronaldo. Cada um jogava meia parte.»

 

David Rodrigues, neste meu texto

Tabata, acima de todos

Sporting, 2 - Angers, 0 (jogo-treino)

image.jpg

Tabata em acção contra o Angers: o melhor Leão

 

Outra vez a estrelinha. Dá-nos imenso jeito. Vencemos ontem, no estádio Bela Vista (Lagoa), a equipa do Angers, 13.ª classificada do último campeonato francês, com aproveitamento máximo das oportunidades. Duas oportunidades, dois golos. O primeiro, num ressalto de carambola na sequência de um canto em que a bola vai ao poste antes de pingar para o centro da pequena área. Gonçalo Inácio meteu o pé, encostando, e um defesa francês confirmou, com o guardião mal batido. O segundo, também de ressalto, surgiu após um petardo de Nuno Santos ao poste com Paulinho a aparecer, oportuno, pelo lado esquerdo e a metê-la lá dentro.

Na primeira parte, Max impediu dois golos. Na segunda, Adán repetiu a proeza. Paupérrimo desempenho colectivo leonino nos 45 minutos iniciais, sem qualquer remate digno desse nome: o melhor que aconteceu foi um cabeceamento frouxo de Paulinho, quase um passe ao guarda-redes, após bom centro de Esgaio.

Vários jogadores estiveram irreconhecíveis: Nuno Mendes, Daniel Bragança, Pedro Gonçalves... O cansaço apoderou-se muito cedo de quase todos, em contraste com a frescura do Angers, onde se destacou o extremo direito Cho: com apenas 17 anos, foi driblando Feddal e Nuno Mendes, fazendo-lhes a cabeça em água. 

Passes trocados, incapacidade de sair com bola, falta de ligação entre o meio-campo e o ataque, ineficácia na zona de finalização: tudo isto marcou a nossa primeira parte - de longe a pior desta pré-temporada. No segundo tempo a equipa melhorou quando Rúben Amorim trocou Daniel por Nuno Santos, logo ao intervalo. E sobretudo quando o técnico do Angers mudou meia equipa: as segundas linhas eram claramente inferiores.

Muito melhor o resultado do que a exibição: antes assim. Do nosso lado destacou-se Tabata, em grande forma. Mas a equipa precisa ainda de muita afinação antes do primeiro embate a sério da época, daqui a dez dias, na disputa da Supertaça frente ao Braga. 

 

Análise muito sumária do desempenho dos jogadores:

MAX. Fez toda a primeira parte, mostrando-se impecável entre os postes. Grandes defesas aos 30' e aos 38', impedindo o golo forasteiro. Deu lugar a Adán ao intervalo.

NETO. Ultrapassado em confrontos individuais. Falhou passes. Jogou no limite em certos lances: num jogo que não fosse amigável arriscaria o cartão.

GONÇALO INÁCIO. Exibição positiva do jovem central, hoje a fazer de Coates. Abriu o marcador, aos 63', apontando o seu segundo golo desta pré-temporada.

FEDDAL. Fora de forma no plano físico, foi central pela esquerda, falhando diversas dobras a Nuno Mendes e deixando-se desposicionar por Cho, o melhor dos franceses.

ESGAIO. Boa condição física, em contraste com a maior parte dos colegas. Dois bons cruzamentos lá na frente. Vai começar a época como titular da ala direita.

PALHINHA. Errou alguns passes, ao contrário do que é costume. E teve dificuldade em articular jogo com Daniel no corredor central do meio-campo. Saiu aos 69'.

DANIEL BRAGANÇA. Foi o primeiro a quebrar fisicamente, ainda muito cedo. Incapaz de ligar sectores na posição 8. Já não regressou do intervalo.

NUNO MENDES. Exibição para esquecer. Perdeu grande parte dos duelos individuais na ala esquerda e quase não cruzou. Substituído aos 57'.

PEDRO GONÇALVES. Também ele está fora de forma. A vontade de mostrar serviço notou-se mas tudo lhe saiu lento e mal direccionado. Saiu aos 69'.

TABATA. Começou como extremo, à direita. Mas rendeu mais na posição de médio ofensivo. Foi ele a marcar o canto de que saiu o primeiro golo. Pareceu inesgotável.

PAULINHO. Foi tentando, em vão. Ensaiou remates, mas nada lhe foi saindo. Até marcar enfim o nosso segundo, aos 86', aproveitando um ressalto.

ADÁN. Jogou todo o segundo tempo. Tão eficaz como Max no primeiro, destacou-se com grandes defesas aos 79', 83' e 90'+2.

NUNO SANTOS. Entrou aos 46'. Encostado à ala, a posição em que mais rende. Notável o lance individual em que atira ao poste - daí nasceu o segundo golo.

VINAGRE. Entrou aos 57', substituindo Nuno Mendes como lateral esquerdo projectado na ala. É o lugar dele. Tentou duas vezes o centro, sem êxito.

MATHEUS NUNES. Substituiu Palhinha aos 69. Dinâmico, esteve em campo no melhor período do Sporting. Grande passe longo aos 90'+2. 

JOVANE. Em campo desde o minuto 69, substituindo Pedro Gonçalves. Pareceu um pouco perdido, desta vez não criou desequilíbrios.

 

Notas finais:

- O onze que iniciou este último jogo-treino transmitido pela televisão é quase a equipa-base da nova época. Só faltou Coates, acabado de regressar de férias. E jogará Adán em vez de Max.

- Vinagre ainda não teve verdadeira oportunidade de mostrar o que vale no corredor esquerdo. Já Esgaio, na ala oposta, esteve quase ao nível médio que revelou na época passada pelo Braga.

- Na luta pela posição que foi de João Mário em 2020/2021, Tabata ganhou terreno. À custa de Daniel Bragança, desta vez incapaz de mostrar o seu melhor.

- Em sete jogos disputados pelo Sporting nesta pré-época houve seis vitórias. Mas só duas sem golos sofridos. A segunda foi neste embate com o Angers.

- Voltaremos a ver o Sporting em acção já este domingo, pelas 20 horas. Num jogo contra o Lyon, em Alvalade, para o Troféu Cinco Violinos. Falta saber se haverá público no estádio.

Prefiro assim

Sou absolutamente contra a introdução de cláusulas anti-rivais nos contratos de profissionais de futebol. Algo de que agora novamente tanto se fala a propósito da ida de João Mário do Inter para o Benfica. 

Explico porquê. Se estas cláusulas vigorassem, não teríamos contado com vários jogadores que actuaram no Benfica e no FC Porto antes de se sagrarem campeões no Sporting. Lembro alguns: Rui Jordão, Artur Correia, Eurico Gomes, João Vieira Pinto, Rui Jorge, Mário Jardel, Paulo Bento, Nuno Santos.

Não sei qual é a vossa opinião, mas eu prefiro assim. 

A voz do leitor

«Tenho a certeza de que no Sporting também Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa teriam sido destituídos há muito tempo. Cada dia que passa me orgulho mais de ter ido ao Pavilhão Atlântico, como muitos milhares de outros Sportinguistas, ajudar a evitar que o Sporting caísse num abismo.»

 

António Pereira, neste meu texto

Quatro títulos em nove possíveis

Nos últimos nove títulos de futebol profissional disputados em Portugal, o Sporting venceu quatro. O Benfica, só um.

Fica a lista, indesmentível:

Sporting, 4 - Campeonato 2021, Taça de Portugal 2019, Taça da Liga 2019, Taça da Liga 2021

FC Porto, 2 - Campeonato 2020, Taça de Portugal 2020

Braga, 2 - Taça de Portugal 2021, Taça da Liga 2020

Benfica, 1 - Campeonato 2019

Pelo Sporting, contra as mentiras

57501366_303.jpg

 

Confesso-me farto de tanta mentira com selo oficial pondo em causa a reputação e a credibilidade do Sporting. Neste blogue a discussão partidária está ausente, pois aqui se reúne gente das mais diversas sensibilidades políticas. Mas questões políticas podem - e devem - ser discutidas sempre que estiver em causa o Sporting. 

Vem isto a propósito das inaceitáveis declarações do ministro da Administração Interna tentando imputar ao nosso clube os desacatos ocorridos na noite de 11 de Maio e na madrugada do dia 12, a propósito da celebração do título, alimentando implicitamente o mito de que o Sporting é responsável pela proliferação da chamada "variante delta" em Portugal.

Destaco de seguida trechos de uma longa peça ontem divulgada pelo diário Público, assinada pela jornalista Mariana Oliveira, sob o título "Eduardo Cabrita validou festejos do Sporting que PSP desaconselhou". Para que os leitores concluam quem falta à verdade neste caso.

Os sublinhados a negro são da minha responsabilidade.

 

«O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, validou na véspera da conquista do campeonato de futebol pelo Sporting os festejos dos leões exactamente nos modos em que estes vieram a ocorrer, com um desfile dos jogadores de vários quilómetros pela cidade de Lisboa com um trio eléctrico a acompanhar. O despacho de Cabrita foi comunicado às 22h30 de 10 de Maio por email à PSP (...) Ou seja, a PSP recebeu a ordem apenas 22h antes do início do jogo em que o Sporting se sagrou campeão.»

..........

«A resposta de Cabrita é remetida à PSP pelo gabinete do secretário de Estado adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, o membro do Governo que dirigiu todo o processo dos festejos. Curioso é que a própria IGAL [Inspecção Geral da Administração Interna] dá como facto provado que a reunião que decorreu nesse dia no Ministério da Administração Interna - e que foi presidida pelo chefe de gabinete de Antero Luís - acabou "por terminar após as 19h, sem qualquer decisão". Igualmente interessante é o facto de os nomes dos participantes no encontro (e de todas as pessoas referidas ao longo das 81 páginas do relatório) terem sido rasurados com a justificação da "salvaguarda dos dados pessoais", o que não permite perceber quem tomou algumas decisões.»

..........

«A posição de Cabrita é levada ao conhecimento de Antero Luís, que dá as seguintes orientações: "Deve a PSP articular com a CML [Câmara Municipal de Lisboa] e o SCP no sentido de promover as medidas consideradas adequadas para garantir a segurança dos festejos propostos pelo promotor (SCP), insistindo-se nas recomendações enviadas ontem." Sobre estas recomendações, a IGAL, uma entidade integrada no Ministério da Administração Interna, nada diz. Admite, contudo, que no dia 9, domingo, já o Sporting tinha recebido a "notícia informal" de que haveria autorização para realizar o cortejo

..........

«A IGAL foca as suas críticas sobre os festejos na CML e no próprio Sporting, legitimando a actuação da PSP que, contabiliza, efectuou 617 disparos de armas de munições de menor letalidade, nomeadamente balas de borracha. (...) Não faz qualquer análise ou crítica à actuação da sua tutela política, directamente envolvida nesta polémica. E concentra grande parte da culpa no facto de a Câmara de Lisboa não ter recusado a "manifestação" que a Juventude Leonina pretendia fazer junto ao estádio, com a transmissão do jogo num ecrã gigante e com instalação sonora.»

..........

«O relatório deixa claro que foi o clube que, dois meses antes de conquistar o título, contactou o gabinete de Antero Luís para realizar uma reunião preparatória dos eventuais festejos, que apenas se realiza cinco dias antes de o clube se sagrar campeão. A 6 de Maio é igualmente dito que foi o Sporting a ter a iniciativa de marcar uma reunião com o gabinete do secretário de Estado, encontro que se realiza nesse dia na Câmara de Lisboa. No dia seguinte, nova reunião, desta vez no MAI.»

..........

«A cronologia torna perceptível que houve diversos erros na actuação da polícia. Isso é reconhecido pela própria inspecção-geral, que escreve que a planificação dos festejos "evidencia alguma desarticulação, quer interna (na PSP), quer com a realidade no terreno no dia dos festejos." (...) Uma parte substancial do contingente policial destacado para o evento [estava] desde o fim da tarde no Marquês de Pombal, onde só começaram a surgir grupos significativos a partir das 22h30. Já junto ao estádio, onde havia milhares de pessoas desde meio da tarde, havia poucas equipas que tiveram de ser reforçadas com elementos deslocados do Marquês.»

A voz do leitor

«É factual: o Sporting Clube de Portugal é a maior potência de Portugal, a grande distância de todos os outros. Honra aos vencedores, e aos vencidos, o desporto é assim, uns ganham e outros perdem. Quando se sabe perder, quando se tem fair-play, também se é um vencedor e está-se mais próximo e vencer na próxima vez. O Sport Lisboa e Benfica, com a sua demonstração de desportivismo [no futsal], também é um vencedor. Infelizmente, um clube regional demonstra que não sabe perder e assim está mais longe de poder ganhar (pelo menos de forma limpa, que é aquela que eu conheço). Pode ser que agora se abram os olhos a muitos sportinguistas: o FC Porto não tem nada que ver com os nossos valores!»

 

JMA, neste texto do António F.

Proibir o verde

Quando já pensávamos ter visto quase tudo em matéria de imbecilidades, eis mais uma, parida no país que acaba de sagrar-se campeão europeu de futebol: a partir da temporada 2022/2023 os equipamentos verdes serão proibidos nos estádios italianos para satisfazer queixinhas dos operadores televisivos que alegam dificuldade em distinguir entre a cor das camisolas e o relvado. 

Proibir o verde: eis o sonho totalitário de muita gente também por cá. Em matéria de direitos e liberdades, vamos de restrição em restrição enquanto meio mundo bate palminhas. 

A voz do leitor

«Cristiano Ronaldo é, sem sombra de dúvidas, o melhor futebolista português de todos os tempos. A diferença para outro qualquer jogador português é de tal ordem assombrosa que qualquer tentativa de estabelecer comparações é uma inciativa que tende a ridicularizar o jogador comparado. No panorama mundial, Cristiano Ronaldo faz parte de um grupo de meia dúzia de jogadores que, consoante o auditório, aspiram ao ceptro de melhor jogador.»

 

Francisco Gonçalves, neste postal

Felizmente temos Esgaio

Pedro Porro lesionou-se ontem, no amigável do Algarve contra o Belenenses SAD, e tem o início da época comprometido. Paragem prevista até dois meses

Felizmente temos Esgaio para a mesma posição. O que talvez cale enfim todos aqueles, até nas caixas de comentários do nosso blogue, que têm urrado contra esta contratação a pedido de Rúben Amorim. Talvez agora mordam a língua. Só lhes faz bem.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D