Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Quantas humilhações são necessárias?

Há umas semanas, perguntei porque estavávamos a adiar o inevitável. Hoje, a pergunta é outra: quantas mais humilhações vamos precisar de sofrer para termos um treinador à altura do Sporting?


Na altura disse que quanto mais cedo melhor, uma vez que ainda estávamos em todas as frentes. Agora que estamos com um pé de fora da primeira, vamos aprender? Ou vamos esperar até cair no resto?

Adiar o inevitável.

A ver se nos entendemos. Ao contrário do que parece ser a maioria neste blog, eu sou claramente a favor da saída do Peseiro. E isso não vem de Portimão, de todo.


Se olharmos de forma desapaixonada para o que tem sido o futebol do Sporting, não há grande coisa para destacar. Jogo longo dos defesas, médios e extremos a correr atrás da bola, avançado perdido. Jogo após jogo, saímos do estádio a pensar que tivemos sorte. Foi assim com o Moreirense, Setúbal, na Luz, em casa com o Marítimo, na Ucrânia... Provavelmente só vencemos bem o Qarabag, e mesmo esse podia ter corrido bastante mal.
 
Tivemos sorte nas vitórias (o facto de termos jogadores muito melhores que os nossos adversários ajuda), tivemos muita sorte no empate, e as derrotas foram justas. Alguém me consegue dizer um jogo em que merecíamos ganhar e isso não aconteceu? É que eu consigo dizer uns poucos em que não merecíamos o resultado que tivemos.
 
Dizer que Bas ou Mathieu vão mudar o comportamento de toda a equipa é querer acreditar no que não existe: num processo, numa ideia de jogo, numa forma de estar que os ajude. Podemos estar mais fracos que no ano passado (e estamos), mas estamos muito mais forte que todos os adversários que já defrontámos (com excepção do nosso empate).
 
Dizer que ainda estamos em todas as competições também não ajuda. É precisamente por ainda estarmos vivos em todas as competições é que eu defendo a saída do Peseiro, o quanto antes, porque por este andar, vai ser sol de pouca dura.
 
Esta época ainda não está perdida, de todo. Mas a continuarmos assim, vai estar em breve. Podemos tratar disto agora, enquanto estamos vivos, ou depois de sermos humilhados em Londres, como infelizmente me parece que vai acontecer, se nada mudar. O que preferem?
 
Paulo Sousa está livre. E consta que Leonardo Jardim, que até se dá bem com o nosso novo Presidente, também está prestes a ficar sem clube. Porquê adiar o inevitável?

Duas questões muito rápidas.

1. Se amanhã o "Não" vencer, o que acontece ao processo disciplinar instaurado aos membros da actual direcção?

 

2. Se amanhã o "Não" vencer, como lidarão os meus colegas de blog que têm escrito opiniões mais fortes contra a actual direcção?

 

Amanhã, eu estarei lá. Votarei "Sim", porque acho que é fundamental haver novas eleições para acalmar os ânimos, esperando depois uma candidatura que se proponha a seguir o rumo do primeiro mandato de Bruno de Carvalho.

 

No entanto, acho que o "Não" irá vencer. Se assim for, podem agradecer a Marta Soares, Ricciardi, Roquette, Sobrinho e afins, por, sem quererem, mostrarem aos sportinguistas o quão grave seria voltar ao passado.

Distribuir migalhas aos pombos.

Enquanto anda tudo ocupado a discutir o diz-que-disse do nosso Presidente (e pouco mais disse do que aquilo que a maioria de nós pensa: a imprensa desportiva em Portugal é lixo), nenhum jornalista se digna a comentar esta aproximação do benfica aos pequeninos do G-15.

 

O G-15 é um grupo composto pelos clubes da Primeira Liga, fora os três grandes. A bem da verdade, são só 14, porque o Portimonense não quer ter muito a ver com aquilo, provavelmente a mando do chefe do Norte (outra coisa que ainda estou à espera que a imprensa desportiva me explique é a contratação do Danilo pelo Porto ao Marítimo, com escala em Portimão).

 

Mas este grupo esquece-se que só existe graças ao benfica, que rompeu definitivamente as negociações conjuntas dos direitos televisivos, em 2015, prejudicando financeiramente os clubes mais pequenos – é triste ver que somos a única das 10 ligas dos primeiros 10 classificados do ranking da UEFA a não negociar os direitos televisivos em bloco, graças à decisão de um único clube.

 

Com essa atitude, o benfica condenou os clubes do G-15 a não saírem da cepa torta. Mas o mesmo clube que lhes tirou o pão, agora aparece da bruma, qual D. Sebastião, para lhes distribuir umas migalhas. Um empréstimo aqui, uma contratação de um jogador ali (para depois emprestar a outros), e os clubes do G-15 continuam a agradecer as migalhas que lhes vai dando. Enquanto isso, o benfica está como quer: enquanto os clubes mais pequenos dependerem deles, eles conseguem controlar mais facilmente as marionetas.

 

Como o Tondela, por exemplo.

Os bravos do andebol.

Vencer no primeiro jogo na Champions, fora, num campo complicado. Podia estar a falar do futebol, mas não.

 

A nossa equipa de andebol acabou de vencer o Besiktas, na Turquia, num jogo que marca o nosso regresso à competição, 16 anos depois. Mesmo outsiders, mostrámos ao que vamos. Como verdadeiros leões!

O primeiro de muitos.

Seja para ver o primeiro jogo oficial no Pavilhão João Rocha ou para apoiar os nossos bravos do andebol, que no fim-de-semana jogaram como leões rampantes e conseguiram a entrada na EHF, o que é certo é que amanhã todos os caminhos vão dar a Alvalade.

 

Eu vou lá estar, às 20h em ponto, e vocês?

Obrigado VAR...

... por nos mostrares o quão maus os nossos árbitros são.

 

Hoje, conseguiram errar duas vezes num minuto, tendo impacto claro no resultado. Felizmente, foi introduzido no futebol português o VAR, aquele que os críticos diziam que provavelmente nem ia ser utilizado na maioria dos jogos. 


O que se passou hoje foi vergonhoso para a equipa de arbitragem, mas só nos mostrou o que já sabíamos há muito tempo.

Apoiem o Sporting.

Critica-se a contratação de Mathieu, porque é velho. Dois meses depois, todos se levantam para lhe bater palmas.

 

Critica-se a colocação de Bruno Fernandes atrás de Bas Dost, há dois jogos atrás. Ontem, fizeram-lhe vénias.

 

Critica-se o nosso ataque por não marcar golos. Ontem, cinco no difícil terreno do quarto classificado da última liga. 

 

Que os jornalistas desportivos o façam, eu percebo. Mas que a grande maioria dos sportinguistas sejam bipolares, não. Critiquem quando têm de criticar, e eu também o faço, mas apoiem o Sporting.

 

Lembrem-se: não gostar dos jogadores, do treinador ou do presidente não é razão para não se sentir o nosso clube, que é maior do que qualquer um. 

Coincidências.

Esta semana descobrimos que as sentenças do Apito Dourado foram revertidas. O fcp celebrou, e pouco mais se ouviu falar sobre o assunto. 

Desde o primeiro momento que me pareceu tudo muito estranho. O sentido da decisão, os timings, tudo demasiado conveniente para alguns. Hoje, tenho a certeza. A imagem abaixo foi retirada de um post num blog lampião, e diz tudo (apesar de isto estar juridicamente errado, a ideia está lá):

 

lamps.jpeg

 

Agora, a questão é: como é que os dirigentes do fcp não percebem que esta decisão, neste momento, não é sobre eles? E estarão dispostos a guardar o champanhe, a bem da justiça desportiva?

É isto, não é?

Este slb, que veio elogiar o fcp por se demarcar de cânticos que aludem à morte de adeptos rivais, é o mesmo que não o faz (e ainda apoia ilegalmente) os seus adeptos que fazem o mesmo (aliás, o mesmo não, porque efectivamente os adeptos do fcp não assassinaram ninguém) em todos os dérbis, não é? 

 

Para avivar a memória de alguns hipócritas de carnide, que já estão aí a salivar para comentarem, deixem-me lembrar-vos da faixa a dizer "verylight 96", num recente dérbi de futsal, ou de cânticos que começam com "foi no jamor, que o lagarto ardeu", em todos os jogos contra nós. A todos os outros, não abram os links, para não ficarem nauseados.

Declaração de voto.

Há 4 anos atrás, não anunciei o meu voto antes das eleições. Acabei por deixar uma palavra depois das eleições, algo como isto:

 

O momento é grave e nenhum dos candidatos me convencia plenamente, pelo que fiz a minha reflexão de forma interna e silenciosa. Votei Bruno de Carvalho, mas, repito, não completamente convencido.

 

Hoje, estou plenamente convencido de que fiz a melhor escolha possível. E é por isso que, mesmo discordando em muitas coisas de Bruno de Carvalho, no sábado estarei lá para deixar as minhas cruzes na Lista B.

 

Ainda assim, e como o meu apoio não é cego, será a Lista C a ter o meu voto para o Conselho Leonino, um órgão caduco e sem sentido, e que por mim era abolido. Por isso, voto na única Lista que realmente se preocupa em reformá-lo, e no limite extingui-lo.

Questões de campanha.

Se o treinador do PMR é o Juande Ramos, que está sem clube, porque é que é o Boloni a pegar na equipa até ao final da época?

 

Vou mandar o meu bitaite (e fico à espera do vosso): porque quem PMR queria mesmo era um treinador português que anda a lutar para não descer em Inglaterra, e cujo contrato termina no fim do ano, e quando disse aquilo de Boloni ainda achava que o convencia. Correu mal.

 

De resto, também só por isso é que faz sentido que o treinador só seja apresentado quando milhares de sócios já votaram, por correspondência, o que só demonstra a falta de preparação do candidato.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D