Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

A APAF!

Há no futebol luso uma Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, mais conhecida como APAF. Esta entidade tem por obrigação essencial “promover e defender os árbitros portugueses, como refere no primeiro dos seus sete pontos dos estatutos.

Sempre pensei que este tipo de agremiação, quase sindical, teria algum cuidado e atenção para com os seus associados quando muitos deles são ampla e publicamente acusados de não serem isentos.

A verdade é que nenhum dos actuais árbitros intervenientes no nosso futebol de 11 foi convocado para o próximo Mundial que se realizará no fim deste ano no Catar.

Pior que esta já normal e esperada ausência da fase final do Mundial, é a APAF não vir publicamente dizer alguma coisa, pedir explicações e acima de tudo provar que defende os seus associados.

Sintomático de que as entidades europeias de superintendem o futebol percebem que em Portugal os árbitros não são juízes competentes, mas tão-somente meros monges ao serviço de um qualquer Papa futebolístico!

Nota de rodapé: tivesse o Sporting vetado um árbitro para uma qualquer partida, como fez noutros tempos, e provavelmente a APAF já saberia dizer alguma coisa!

Encontros imediatos!

Esta tarde em Telheiras estava no carro à espera da minha mulher quando se aproxima um casal para entrar no carro estacionado precisamente ao lado do meu. O problema é que o cavalheiro era… taludão.

Sentado dentro do carro, percebi a dificuldade do jovem em entrar. Acabei por me meter com ele:

- Quem o manda a si ser crescido?

Riu-se simpaticamente.

- Quanto mede?

- Dois metros e um.

- Não me diga que é jogador de basquetebol?

- Sou, sim.

- Em que clube?

- Sporting!

Palavra mágica! Saltei imediatamente para fora do carro e perguntei-lhe o nome.

- Sou o…!

Fiquei deliciado e consciente de que tinha ganho o dia! Pedi desculpa à senhora que o acompanhava por ter de o reter e ficámos uns minutos à conversa.

Depois percebi que era tempo de o libertar. Despedimo-nos calorosamente e lá foi à sua vida.

Nada melhor para um sportinguista que um encontro imediato fantástico com dois metros e um centímetros de simpatia, educação e boa disposição chamado… João Fernandes!

A época em 10 pontos!

Terminou a Liga Portugal 2021/2022 de futebol, ou melhor falta saber apenas se Moreirense fica ou cai por troca com o Chaves. Deste modo eis uma dezena de breves considerações sobre a época que ora findou. Assim:

1 – Ruben Amorim mostrou, mesmo sem ganhar o campeonato, porque é actualmente o melhor treinador português;

2 – a seu lado colocaria Álvaro Pacheco (aquele primeiro jogo do Vizela em Alvalade no dealbar da época mostrou que treinador seria):

3 – melhor jogador do campeonato: Sarabia;

4 – pior jogo da época: Porto – Sporting. Nem necessito dar mais explicações, pois não?;

5 – vergonha do campeonato: BSAD-Benfica. Até o David Borges, confesso benfiquista, criticou os lampiões;

6 – pior treinador não obstante ter sido campeão: Sérgio Conceição. Num país a sério o “Ceição” nem miúdos treinaria;

7 – pior jogador: Pepe. Com a idade que tem deveria ser um bom exemplo em campo. Nunca o foi. O futebol sem ele ficará muuuuuuuuuuuuuuuuuito melhor;

8 – o VAR não parece ser solução. Só serve para safar os mesmos;

9 – a arbitragem mostrou o seu pior;

10 – Finalmente... Óscar para melhor actor: Taremi.

Há VAR e VAR, há golo e não validar!

Já não comemoro golos em Alvalade. Desde que há o VAR aquilo que é a bola entrar na baliza adversária deixou de ter graça.

Dizem que o vídeo-árbitro veio para colocar mais verdade no futebol. Mas veio também para estragar a festa aos milhares de adeptos presentes no estádio.

Quantas vezes gritamos a plenos pulmões golo, para cinco minutos depois vir o VAR (desculpem-me este trocadilho!) dizer que o marcador estava em situação de fora de jogo por um… pelo de barba.

Percebo que o VAR possa ajudar os árbitros nas decisões mais controversas, mas retirou ao jogo aquela alegria e espontaneidade que era assaz fértil no futebol.

Ontem não foi excepção. Se não foi no golo foi na decisão da grande penalidade. Muitos minutos perdidos até que saia, por fim, um veredicto.

É tempo de o VAR actuar de uma forma mais célere e mais assertiva de maneira a não haver tantas perdas de tempo.

Para bem do futebol e do espectáculo!

Eu, singelo adepto!

Faz mais de meio século que vou ao futebol. Ver o Sporting a maioria das vezes.

Mas também vi jogos da nossa selecção e do humilde Cova da Piedade cujo estádio ficava relativamente perto de casa.

Pegando então no Sporting vi em Alvalade (no velho e já no novo estádio) grandes jogos com belíssimas vitórias, alguns empates e, porque não dizê-lo, alguns desaires. Mas faz parte de quem vai ao futebol.

O que nunca, repito nunca fiz foi assobiar à equipa numa postura estupidamente critica.

O Pedro já aqui falou disso, pois também não gostei que algum público, no passado Domingo, começasse a assobiar os comandados de Ruben Amorim. Tal como não gosto de tochas e petardos, que já custaram aos cofres do Sporting muitos milhares de euros em multas, ou invectivações e apupos às equipas e adeptos adversários.

Aquele “quem não salta…” não faz parte da minha postura. Não faz, não sou assim.

Prefiro cantar, mesmo com uma voz de cana rachada, a marcha da Maria José Valério ou “O Mundo sabe que…”! É mais eu. Singelo adepto do melhor clube do Mundo: o Sporting Clube de Portugal!

Competente incompetência!

Um amigo adepto portista escreveu hoje numa rede social “… Sérgio Conceição é o treinador português mais competente do nosso campeonato…”

Estive assim (juntem o indicador e o polegar!!!) de dar uma resposta a preceito. Mas depois pensei que o melhor seria ele manter-se longe da verdade pois provavelmente lidaria mal com esta.

Mas a ideia pespegada sem dó nem piedade fez o seu buraco na minhas meninges, qual verruma, e assim deu-me para escrever sobre o treinador do Porto e respectivas competências.

Dito assim de uma maneira mais simplista acrescento que a competência de SC está na razão inversa dos árbitros lusos. Por outras palavras, se não fosse a incompetência destes provavelmente o FCPorto estaria com menos alguns pontos no seu bornal. E Sérgio sem grande margem para sorrir nem para ser elogiado!

Todos os fins de semana há casos nos jogos do Porto. Todos! E normalmente decididos a favor do líder da classificação. Cartões icterícios ou rubros por mostrar, faltas duras por assinalar e a cereja no topo do bolo, faltas cometidas pelos próprios jogadores portistas, mas atribuídas aos adversários.

Todavia não quero com isto dizer que todos os nossos árbitros sejam assim tão incompetentes. Bem pelo contrário… Considero que a arbitragem portuguesa é deveras competente (quiçá demais)… na sua incompetência.

Ou será que não é incompetência?

Eu estive lá!

Não será uma boa recordação a noite de ontem, daquelas que gostamos de recordar aos nossos netos.

No entanto a equipa do Sporting poderá ter aprendido alguma coisa na noite passada. Assim o perceba Ruben Amorim que ontem inventou um bocadinho com o Esgaio à esquerda quando tinha o Nuno Santos.

A primeira lição é que não obstante estar a ganhar por 3 ou 4, o City não perdeu o foco em marcar mais. Carregou sempre como se estivesse a perder.

A segunda é que a ganhar por 5 a equipa de Pepe Guardiola defendia a sua baliza como se o resultado estivesse empatado.

Estas duas simples lições deverão ser aprendidas pela equipa técnica do Sporting a fim de evitar casos recentes ocorridos contra o Santa Clara e Braga.

Portanto nem tudo foi mau ontem… assim queira o treinador leonino.

Finalmente… grande, grande ambiente em Alvalade.

Já sentia saudades de ver o estádio repleto!

Vale tudo!

Tenho tentado esquivar-me a escrever sobre o que aconteceu na passada sexta feira no estádio do FCPorto. Porque nada daquilo me admira naquele clube, dirigido por alguém sem escrúpulos nem desportivismo.

Lembro a propósito destes tristes acontecimentos o que se passou há muitos anos aqui bem perto onde moro, quando o Estrela da Amadora ainda competia na primeira divisão. Nesse jogo, entre diversos casos ocorridos, ficou-me na retina e nas imagens da televisão um empurrão violento que Jorge Costa deu num polícia. Curiosamente conheço esse polícia, se bem que não o veja há algum tempo.

Portanto vindo daquela gente tudo parece… normal!

O que já não parece normal são conhecidos e públicos adeptos portistas validarem as inconcebíveis atitudes que podemos tristemente assistir. Do adepto anónimo eu aceito (quase) tudo. Agora de gente conhecida parece-me demasiado grave. Parece que não aconteceu nada e que as televisões não mostraram…

Sou sócio do Sporting há mais de 40 anos e amante de futebol, mas jamais aceitaria que jogadores e dirigentes do Sporting se envolvessem em desacatos dentro do nosso estádio. Fosse contra quem fosse!

Repudiaria publicamente essas situações até porque há valores dos quais jamais abdicarei sendo um deles a dignidade desportiva, pois nem tudo vale para se ganhar um jogo!

Algo que no FCPorto não parece existir!

Ruben Amorim e as CI

Um caso de estudo!

Nunca vi nenhuma conferência de imprensa de Ruben Amorim enquanto treinador do Braga. Actualmente não perco uma…

Seja na vitória ou na derrota a forma como Amorim estilhaça as perguntas dos jornalistas com respostas assertivas, bem estruturadas e sem nunca fugir ao assunto, traduz uma apetência inata para o lugar que ocupa. Não se refugia em velhas e gastas desculpas quando as coisas correm menos bem, como também não se coloca em bicos dos pés quando ganha.

Aquela postura e discurso não se aprende em nenhum compêndio. Advém, calculo eu, de uma convicção e uma crença que nasce no seu interior e se transmite a quem o escuta.

Nesta altura o que mais me diverte ver e ouvir nas Conferências de Imprensa com Ruben Amorim, não será como pretende ele que a equipa jogue o próximo jogo (isso já todos sabem!), mas perceber como ele se esquiva e sai sempre por cima nas respostas aos diferentes jornalistas.

Diria que este cavalheiro merecia ser um caso de estudo.

 

Também aqui.

Foi só emPorrar... para os milhões!

O jogo entre Sporting e Borussia de Dortmund previa-se de grau de dificuldade elevada. Pelo resultado anterior (derrota da equipa leonina na Alemanha) e pela pressão dos euros da UEFA.

Os sportinguistas apareceram em grande número como se pode ver no pequeno filme que segue:

Depois aquele início de jogo com o meio campo leonino a ter dificuldade de manter a bola no pé resultado de um nervoso miudinho estranho e que passou paulatinamente para alguma plateia.

Finalmente vieram os golos e com isso equipa cresceu até ao intervalo,

A segunda parte mostrou uma turma alemã decidida a dar outro rumo ao jogo, mas aí o Sporting manteve-se competente a defender.

Até que aos 81 minutos num contra-ataque leonino o VAR indica grande penalidade sendo Pedro Gonçalves responsável para cobrar a falta. Não sei se foi mérito de um ou demérito de outro a verdade é que o guarda redes alemão travou o remate de Pote, para vir outro Pedro emPorrar com a cabeça para o véu da noiva fazendo o 3 a zero!

O filme supra não terá a melhor imagem, mas inclui tudo o resto!

Um golo que acabaria por ser muito importante carimbando o Sporting com ele o passaporte para os oitavos de final da competição.

Vá-se catar, engenheiro!

Fosse Portugal um país de gente digna e competente, provavelmente o resultado de hoje na Luz originaria diversas demissões.

A principal do seleccionador e restante equipa técnica e quiçá do próprio Presidente da FPF.

Todavia Portugal é um país pequeno. Em tamanho físico e acima de tudo mentalidades. Talvez por isso países europeus mais pequenos que nós, já nos tenham ultrapassado. Desta postura amorfa e tristemente saudosista advém aquele sentimento de “coitadinhos” ao qual tanto gostamos de apelar.

Em futebol, como em qualquer outro desporto, ganhar é fundamental e sempre muito melhor que empatar ou perder. Desde que se queira ou lute por isso.

O que se passou esta noite em Lisboa foi uma autêntica vergonha. Não interessam agora as desculpas, porque estas não se pedem… simplesmente se evitam!

Hoje os jogadores foram os menos culpados… O problema é que o timoneiro desta pobre barcaça percebe tanto de futebol como eu percebo de dinossauros. Afundou a equipa e com esta  a maioria dos portugueses.

Pena que o senhor Engenheiro Fernando Santos nunca tenha conseguido perceber o que estava hoje verdadeiramente em causa. Mas também não lhe explico…

 

Também publicado aqui

Lembras-te daquele jogo?

Cheguei cedo ao estádio após ter cumprido o meu dever como sócio com 10 votos no Pavilhão João Rocha. Eram 19 horas e 24 minutos quando me sentei no meu novo lugar que curiosamente era o mesmo do ano passado.

Àquela hora o estádio estava ainda vazio e só por breves minutos não fui o espectador 1906...

Naquele tempo que me separou do início do encontro deu para pensar em muita coisa. De repente coloquei uma questão a mim mesmo: qual o jogo mais empolgante que assistira naquele novo estádio?

Lembrei-me de diversos. Fiz a pergunta ao meu filho que estava a meu lado e após referenciarmos algumas partidas houve uma que se destacou. Dizia-me ele:

- Esse jogo define o que é o Sporting.

Concordei com ele no que se referiria ao jogo passado, talvez menos à definição do que é o Sporting e/ou o que é um sportinguista, mas percebi o que pretendeu dizer.

Posto isto termino este postal fazendo aos caríssimos leitores a mesma pergunta que formulei a este que se assina: qual o jogo que mais vos empolgou ou mais gostaram, precisamente neste Estádio de Alvalade?

Não refiro o que mais gostei de propósito para não influenciar eventuais decisões.

Por fim chamo a atenção que estou a referir-me unicamente a jogos oficiais do Sporting. Nada de particulares, amigáveis e/ou selecções.

Venham de lá essas respostas!

Golos? Só à PORROada!

Estive esta tarde/noite em Alvalade a assistir a uma avalanche de golos perdidos, Uns por culpa do guarda-redes adversário, que no final (e ainda bem) deitou tudo a perder para a sua equipa, outros por uma ineficácia irritante dos jogadores leoninos.

Curiosamente até gostei do jogo. O Sporting sempre por cima, pressionante e sem medo de arriscar perante um Marítimo que realmente fez muito pouco. Muitos jogadores caídos no chão, muito tempo perdido em reposições de bola (especialmente, e mais uma vez, pelo guarda-redes), demasiado antijogo.

Daí também não perceber os amarelos a todos os defesas centrais… do Sporting. Quem vir as estatísticas pensará que o Sporting sentiu um sufoco. Mas fiquei desconfiado que aquilo dos amarelos deve ser como o software… teve de fazer o “download” para depois os poder mostrar. E toca a despachar...

Enfim uma vitória justíssima que só peca por defeito de golos marcados. E mesmo o único que existiu teve de ser à PORROada!

Tal como na jornada anterior. Que seja assim até ao fim e não me importo nada!

Em Portugal: tudo o que parece, é!

Em Portugal há uma máxima popular que diz “nem tudo o que parece, é”. Porém na actividade do futebol este adágio não se aplica, porque todos sabemos que o que parece… é. Se não vejamos:

- parece que há corrupção no futebol;

- parece que há equipas que são sempre beneficiadas;

- parece que há jogadores que razoáveis nuns clubes e noutros são óptimos;

- parece que há empresários com demasiada influência no nosso futebol;

- parece que o senhor engenheiro não percebe nada de futebol.

Pois... estas cinco ideias são todas, a meu ver, verdadeiras.

Mesmo que a justiça tivesse destruído as escutas no “Apito Dourado”, mesmo que neguem que o Benfica seja sempre levado ao colo, mesmo que JM não tenha sido chamado à selecção enquanto jogador do Sporting e campeão e agora sem ter ganho nada já tenha sido convocado, mesmo que um empresário tenha feito o possível para Pote não ser chamado a jogo no Europeu passado, mesmo que a selecção tenha ganho em Paris com um “chouriço” do tamanho da torre Eifell e nunca ter jogado um caroço porque ninguém sabe da coisa.

Podem gozar com os portugueses. Podem incentivá-los a ir ver os jogos, mas de mim jamais terão um adepto! Tudo porque a suposta “nossa” selecção actual é tão nossa quanto é a “nossa” EDP!

E mais não digo!

O jogo-treino de ontem

O Sporting mostrou ontem em campo porque foi campeão a época passada e acima de tudo porque é a equipa que melhor joga neste início de temporada.

Razões para esta minha ideia serão obviamente diversas, mas creio que não estarei muito longe da verdade se disser que a equipa joga o que o treinador realmente pretende e não os que os adeptos querem.

Todavia, e para que tal aconteça, o Sporting demonstra que sabe o que quer e como fazê-lo, sem aquela necessidade de correrias loucas que vimos com outros treinadores leoninos e que desgastava muito os jogadores.

Depois há uma segurança no passe que não via neste Sporting há muuuuuuuuuuuitos anos. Raramente agora a bola espirra na canela e sai desmandada. Aquilo só pode ser treino… muito treino. Daí mérito para Rúben Amorim.

Outra ideia que encontrei foi a forma como os adeptos agora aceitam o jogo leonino. Pausadamente o Sporting vai tentando desfazer a defesa contrária usando de algo que não é comum no futebol e da qual pouca gente aprecia: paciência. Deste modo os assobios com os quais os adeptos brindavam antigamente a equipa são agora substituídos por palavras de apoio. Finalmente!

Termino com a ideia de que a BSAD não merece estar neste campeonato. Desde aquele célebre jogo contra o Vitória de Setúbal de Domingos Paciência, em que ganhámos 3 a zero, que eu não via um adversário tão fraco. Nem mesmo equipas de escalões mais baixos.

Uma noite à Campeão!

Numa espécie de reinauguração (!!!!) do Estádio Alvalade XXI, após mais de 500 dias sem público,  nada melhor que ver o Sporting campeão ganhar. Ainda por cima de forma categórica.

Fui uns dos presentes ontem naquele topo Norte razoavelmente preenchido. Soube tão bem este regresso. Pena que o estádio não pudesse levar mais adeptos e a constatação de um topo sul completamente despido, nomeadamente a zona das claques. Algo para o qual não encontro explicação razoável.

Mas isto são contas de outro peditório para o qual eu nunca dei, não dou e espero nunca dar!

Foi um jogo vivo muito vivo, mesmo que ao intervalo o resultado estivesse em branco. O Vizela veio a Lisboa mostrar porque está na Primeira Liga e se continuar neste ritmo vai estragar a vida a muitas equipas.

Gostei também de ver ao vivo Palhinha, Pedro Gonçalves, Paulinho ou Feddal, só para dar uns exemplos. Assim como o “mister” Amorim.

O melhor marcador da época passada mostrou, mais uma vez, porque ganhou o prémio, facturando dois belos golos sendo um deles (o segundo) à “Pedro Barbosa”.

Todavia o jogador que mais me encheu as medidas foi mesmo João Palhinha.

Aquilo transpira classe por todos os poros.

Ainda me pergunto como é que este jogador esteve na lista de dispensas.

Enfim, uma noite à campeão.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D