Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Amanhã regressarei aos caminhos da fé

A fé a tal que move montanhas, que nos faz ultrapassar desafios que jamais pensaríamos conseguir, que nos ilumina o caminho mesmo que disso não tenhamos bastas vezes verdadeira consciência.

A fé que nos faz crer que um dia o futebol será um desporto sério, dirigido por gente séria, com resultados sérios.

A fé que nos faz crer num Sporting renovado, lutador em todos os campos, vencendo ou perdendo mas sempre integro.

A fé que olha para a realidade tantas vezes cinzenta mas que consegue ver naquela a luz da Vida.

Neste caminhada que amanhã se inicia rezarei por todos os meus amigos que por aqui vai esgalhando os seus sentimentos leoninos, pelos nossos leitores e pelos nossos comentadores.

Rezarei também para que todos nos unamos ao redor do clube do nosso coração e que cada vez mais necessita de todos nós! Sem excepção!

Saudações leoninas!

À atenção de todos os adeptos!

O video que se segue chegou-me às mãos através de uma rede social.

Não obstante um dos adeptos que aparece ser alguém com quem trabalhei alguns anos e não ser também adepto do Sporting, creio ainda assim ser muito importante esta campanha.

Estamos a chegar ao final da temporada onde muita coisa se vai decidir. Portanto é bom que todos nós estejamos atentos e imbuídos do mesmo espírito: o futebol é somente um desporto, não é uma guerra.

Como muitos adoram fazer crer!

 

Recado para CR7!

Desde que foste para Turim andei sempre interessado na tua já longa carreira e por isso imagino que devas estar uma fúria.

Calculo que essa tua postura de campeão tenha levado um duríssimo golpe.

Prevejo que o prémio para o melhor do Mundo ficará novamente em Espanha.

Mas companheiro... já devias saber que nem sempre se pode ganhar!

E convenhamos... a Juventus hoje não jogou... um caroço!

Proposta de negócio!

Após a vitória no dérbi de ontem à noite, com uma vez mais Bruno Feranades (o regressado) em grande evidência, fico com a ideia de que este "craque" como lhe chamaram os repórteres da Antena 1, dificilmente ficará mais uma época no Sporting. Mesmo que lhe paguem o dobro do que estão a pagar agora...

Ao mesmo tempo li, ainda esta semana, que o jornal "A Marca" mui ligado ao Real Madrid apresentou treze, repito treze jogadores, numa lista de dispensas para a próxima época.

Ainda do que li, entre eles estariam Bale, Benzema, Isco, Varane...

Ora bem... seria a altura ideal para os dirigentes do Sporting perguntarem aos responsáveis do clube merengue se a notícia é verdadeira e se o fosse fazer uma simples proposta de negócio: nós ficaríamos com os jogadores dispensados e o Real ficaria com o nosso capitão.

Não receberíamos dinheiro mas pela quantidade e qualidade dos atletas do Real, para a próxima época ficaríamos com uma belíssima equipa...

Doutor Varandas já pensou na eventualidade deste negócio?

Pós dérbi!

Sem voz mas muito contente tenho algumas considerações a fazer após o final do dérbi:

1 - Gostaria que a nossa equipa jogasse sempre assim;

2 - ao invés do que alguns sportinguistas me disseram nesta tarde o jogo não estava "feito" (seja lá o que isto quer dizer...);

3 - há muuuuuuuuuitos anos que um jogador do Sporting não era tão importante na equipa;

4 - achei curiosas as declarações do treinador adversário ao afirmar que foi um jogo muito parado, olvidando as vezes que a sua equipa tinha direito a lançamentos de linha lateral e demorava um tempo enorme;

5 - pela primeira vez o público leonino uniu-se à volta da equipa (terão lido o postal da Marta?);

6 - finalmente... estamos no Jamor.

 

Dérbi!

A poucas horas de mais um derbi lisboeta e sendo eu um amante de futebol daqueles incuráveis, gostaria de pedir algumas coisas para este jogo:

1 - que as claques se portem e comportem à altura do desafio;

2 - que os adeptos puxem pelas suas equipas de forma ruidosa como é normal, mas sem usarem do palavreado baixo e vil que só ofende quem o profere;

3 - que os intervenientes mais directos joguem bem pois o futebol é, para além de um desporto, um espectáculo que se quer, de preferência, muito bom;

4 - que os árbitros apitem somente as faltas existentes e não aquelas que pensam ou imaginam que existiram;

5 - que os treinadores ousem!

6 - finalmente, e sem quaisquer pruridos, que ganhe o Sporting.

À atenção da FPF!

Não vi o jogo da selecção contra a Ucrãnia, mas vi o jogo de ontem!

A minha conclusão é que a FPF tem de investir urgentemente da iluminação do estádio.

Não obstante o jogo ser na Luz a verdade é que as lâmpadas deviam estar todas fundidas, de tal forma que os jogadores portugueses só por uma vez conseguiram ver as redes adversárias.

O dilema

Recebi há uns dias no meu telemóvel, mais precisamente no dia 19 de Março, dia do pai, a indicação para a renovação do lugar de forma a poder ver o jogo da segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal contra o rival da 2ª circular.

E é aqui que começa o meu dilema…

Assumo que não me revejo neste Sporting com uma Direcção amorfa e sem capacidade de liderança. Passámos do 8888 para o 8… Não há então quem consiga o meio termo?

Depois há um treinador da equipa principal que exibe de um discurso monocórdico e muuuuuuuuuito pouco cativante das hostes leoninas. Que depois se plasma nas exibições, no mínimo, sofríveis que a equipa vai exibindo em campo.

Pior… ganhar em casa a uma equipa que no ano passado militava na segunda divisão com um esforço quase hercúleo, quando simplesmente se deveria ter goleado, é somente mais um bom exemplo de como não se deve gerir um plantel. Ou pelo menos uma equipa que se pretende de topo.

Acredito que o Doutor Varandas seja boa pessoa e que não queira usar dos mesmos métodos do seu antecessor. Faz todo o sentido. Todavia ser Presidente não é automaticamente sinónimo de liderança. E o Dr. Varandas não me parece ter estofo de líder.

Portanto e face ao que precede mantenho em aberto este meu dilema: vou ao jogo porque devo apoiar o Sporting seja em que condições for (ainda por cima contra um rival) ou devo demonstrar o meu desagrado não renovando o meu lugar para este jogo?

 

PS – Por alguma razão que ainda não consegui descortinar há cada vez menos adeptos a ver os jogos em Alvalade… Senhor Presidente, tem a palavra!

PS2 -  Aos senhores comentadores de outras agremiações desportivas comunico que não gastem latim aqui. O lixo é o destino.

REALmente o maior não está em MADRID!

Hoje ninguém quer saber de Brexit. Hoje em quase todo o lado só se fala e escreve sobre CR7. O menino que muito novo saiu da Madeira para vir para o Sporting, que o acarinhou e lhe ensinou os primeiros passos neste mundo do futebol.

Depois… bom, depois toda a gente sabe o que aconteceu. Títulos e mais títulos, a cada jogo era mais um record batido, quando era preciso CR7 estava sempre lá.

Quando no Verão passado trocou de península muitos "paineleiros especialistas” alvitraram que Ronaldo assumira a sua decadência. Até ontem à noite!

Por aquilo que vi e tenho assistido em Espanha, nos últimos tempos, a queda é Real em Madrid enquanto em Turim há um reJUVEnescimento.

O que tentaram fazer no Verão passado, denegrindo a imagem de Ronaldo com uma qualquer americana “aberta” às maiores trafulhices desde que “abiche” um punhado de dólares, não foi suficiente para deitarem o capitão da selecção abaixo. Conseguiram somente que não fosse eleito o melhor do Mundo.

Todavia é em campo, nos momentos mais importantes, que os grandes atletas verdadeiramente se revelam. E Cristiano Ronaldo não deixou os seus créditos por mãos alheias. Mostrou porque continua a ser um fora-de-série e tornar-se-á muito em breve a maior lenda viva do futebol (se o não for já!).

Que o digam as capas de muitos jornais europeus nesta manhã de 13 de Março. Obviamente que o realce é mais evidente nos desportivos, mas numa rápida busca vi referências, quase todas com foto de CR, à vitória da Juventus sobre o Atletico de Madrid.

Finalmente assumo que enquanto CR estiver em Turim a Juve tem mais um adepto porque CR7 é mesmo o maior jogador de todos os tempos.

Vitamina S!

Ontem foi noite de vitamina S!

S de saudade das grandes vitórias.

S de sabor de um medronho excepcional.

S de simpatia da fantástica companhia.

S de seriedade que queremos no desporto.

S de sentimento de partilha.

S de solidariedade permanente.

S de Sporting.

Pode lá haver melhor vitamina!

No (triste) reino do Leão

No universo leonino é mais ou menos consensual que em Portugal há uma espécie de organização com o intuito de retirar o Sporting do grupo dos clubes ditos grandes.

Percebe-se porquê… O dinheiro arrecadado pelo futebol em vez de ser dividido por três seria eventualmente distribuído por menos partes.

Bruno de Carvalho percebeu muito bem isso e depressa colocou um travão nas intenções originando ainda mais anti-corpos contra o Sporting. Todavia deitou tudo a perder com a sua postura recente.

Não consigo provar esta minha teoria, mas percebo, eu e todos os adeptos leoninos, que jornais, televisões e rádios tudo têm feito para menorizar o Sporting. Uma derrota do clube é uma desgraça, enquanto de outros são apenas acidentes de percurso.

Obviamente que este problema não é de hoje. Nem de ontem. Muito menos do tempo de Bruno de Carvalho. Será necessário esticar a memória até aos anos oitenta para se tentar perceber o que correu mal de forma a que chegássemos aqui neste lodo em que o Sporting está actualmente mergulhado.

As (más) contas do Sporting estão novamente na ordem do dia. As redacções editoriais devem banquetear-se com cada má notícia que envolva o emblema leonino. Imagino eu!

Do lado do clube continuam-se a dar constantes tiros nos pés. Ou são as contratações falhadas ou dispensas de jogadores provavelmente de melhor qualidade dos que estão, ou simplesmente a comunicação para o exterior que não funciona. Ou uma gestão, no mínimo, de vão de escada...

Diz o povo na sua imensa sabedoria: “em casa onde não há pão todos ralham e ninguém tem razão”. Este é assim o ambiente em Alvalade. Truculento, zaragateiro e venenoso.

Basta ver as assistências nos jogos para percebermos que o futebol leonino vive momentos drásticos. Eu próprio já assumi que esta época dificilmente irei novamente ao Estádio.

Ao invés do que calculei, as últimas eleições não trouxeram nem paz nem aplacaram os espíritos mais revoltados e revoltosos. Calculo que atirar para o anterior Presidente as culpas do que se está a passar agora pode parecer fácil, mas não me parece totalmente justo.

Terá Bruno de Carvalho procedido mal? Certamente! Terá ajuizado incorrectamente algumas situações? Com toda a certeza. Falou quando não devia? Muitas vezes.

No entanto relembro o que escrevi acima. O problema do Sporting vem de longe… de muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito longe!

Vergonha!

Em 40 anos de sócio nunca me senti tão vexado como esta noite.

De tal forma que abandonei o estádio aos 55 minutos de jogo, ainda as portas estavam todas fechadas.

Assumo aqui e agora que enquanto este presidente estiver em funções e este treinador liderar esta espécie de solteiros e casados jamais irei ao Estádio. Ponto.

Os dirigentes do Sporting têm de perceber que os sócios têm dignidade, que se orgulham em ser do Sporting porque mesmo perdendo lutamos sempre. Mas o que hoje se viu foi uma autêntica vergonha. E não pode ficar sem consequências. Doa a quem doer!

Como pode uma equipa a jogar em casa contra o penúltimo classificado da Liga espanhola fazer o primeiro remate aos 19 minutos? E nem foi enquadrado com a baliza. O primeiro canto aos 30 minutos?

Tenho que reconhecer que Bruno de Carvalho tinha razão do que dizia dos jogadores. Não posso admitir que durante os 55 minutos de jogo que vi o Sporting não tivesse feito uma jogada com cabeça, tronco e membros. Uma só!

Tantos e tantos jogos que assisti em Alvalade e este ficará na retina como o pior de todos.

Será tempo dos sócios perceberam que o Doutor Varandas pode ser muito bom médico, mas não tem arcaboiço para estar à frente de um clube como o Sporting. Temos pena que assim seja mas esta é uma triste realidade.

Tanto que critiquei o antigo presidente pela sua postura sempre guerreira para agora surgirem estes dirigentes educados, bem falantes mas profundamente amorfos.

Avanço ainda com uma pergunta que o meu filho mais velho me fez e que aqui em tempos reproduzi: o que melhorou com a saída de BdC?

Respondo com a ideia que, tirando as redes sociais, não melhorámos nada. Rigorosamente nada. Portanto mordo a língua e, infelizmente, tenho de dar razão ao meu infante mais velho.

Onde falo de feiras!

Reconheço que tenho andado um tanto afastado das lides da escrita, o que não equivale dizer que tenha estado ausente ou amorfo. Bem pelo contrário!

Bom passemos ao que aqui me trouxe e que se resume nesta simples ideia: o futebol português é assim uma espécie de fazenda contrafeita.

Todos os clubes, sem excepção, querem (?), desejam (?), lutam (?) por algo que eu sinceramente em futebol não sei ainda o que é. Tem o pomposo epíteto de “verdade desportiva”, mas creio que na verdade requer-se pouca verdade ao futebol (passe o pleonasmo!).

O futebol é um desporto não se esqueçam! E por isso está mais sujeito aos erros, enganos e vicissitudes, não sendo por isso uma ciência exacta como alguns gostariam de fosse.

Se os americanos um dia apostassem a sério no desporto-rei como apostam no futebol americano, no basebol ou até no basquete, quase de certeza que as regras do International Board já estariam mudadas. Obviamente para muito melhor.

Tentar comparar a qualidade do nosso futebol com as demais ligas europeias é, como disse no início deste texto, comparar duas peças de roupa com a mesma marca: uma é lavada e fica impecável (a verdadeira) enquanto a outra perderá com toda a certeza tamanho e qualidade (a contrafeita).

O problema dos nossos actuais dirigentes, sejam eles federativos, associativos ou unicamente de clubes, é que só falam de verdade desportiva quando as coisas não correm bem para as suas cores. Pois quando têm o vento de feição tudo é lícito e correcto e a verdade desportiva existe sem rodeios.

A corrupção no futebol é assim uma banca de feira do relógio (sem desprimor a quem lá trabalha) repleta de falsidades e onde tudo se compra e vende. Basta haver algum dinheiro.

Ah e influência!

Palavras leva-as o vento!

Não vi o jogo de ontem. Nem escutei sequer o relato.

No entanto ia sabendo da evolução do resultado através de uma aplicação que tenho no telemóvel. Desde aquela triste final no Algarve quando o árbitro Lucílio Baptista assinalou uma grande penalidade contra o Sporting, que deixei de olhar para esta competição com interesse.

Portanto tanto se me dá que o Sporting ganhe ou perca este troféu. Será sempre um troféu menor. Mesmo que o tenhamos ganho o ano passado.

Mas esta manhã escutei com algum interesse as declarações do treinador do Sporting de Braga, após o jogo e fiquei siderado com o que disse. E acima de tudo da forma como o fez. Pretende ser respeitado mas esqueceu-se de respeitar: jornalistas, adeptos, dirigentes e até jogadores.

Ora seguindo as suas próprias palavras Abel já deveria ter sido dispensado pelo Sporting de Braga, pois aquele jogo no outro lado da 2ª circular há umas semanas devia ser razão mais que suficiente para sair. Mas enfim…

Falar é fácil...

Algo diferente ou somente um agradecimento

Durante os últimos 19 dias vivi num turbilhão de emoções. Deixei de ir a Alvalade, não vi alguns dos jogos do Sporting, senti-me (quase) distante do clube.

Tudo porque o velho leão estava ferido e havia que recuperá-lo, conforme por aqui fui anunciando.

Ontem, finalmente, foi dia do velho leão regressar a casa.

Por isso é tempo de uma forma humilde agradecer a todos quantos por aqui me desejaram as melhoras do meu pai. E foram muitos, muitos mesmo. Amigos deste blogue, leitores e comentadores adeptos do Sporting e de outros clubes.

Provou-se que na hora da solidariedade humana não há clubismos! Fiquei deveras sensibilizado.

Mais uma vez bem-hajam a todos!

A gente lê-se por aí!

Coração de Leão!

Quem por aqui vai passando deve ter-se apercebido de que o meu pai está doente, originando que fosse sujeito a uma cirurgia ao coração.

A coisa era para ter acontecido na semana passada, mas a descoberta de algumas complicações, nomeadamente uma anemia crónica, levou a adiar a intervenção.

Mas a situação compôs-se durante a semana e ontem ao fim do dia o Leão mais idoso da família deu entrada na mesa de operações.

Já passavam das dez e meia da noite quando o cirurgião responsável surgiu na sala de espera e comunicou que tudo havida corrido muito bem e que o doente estava agora na Unidade dos Cuidados Intensivos (UCI).

Ainda o vi ontem, todavia estava ainda inconsciente e todo entubado. Tal como hoje de manhã.

Aquilo era uma parafernália de equipamentos, monitores e tubos. Sinceramente, meteu-me alguma impressão. O médico cardiologista, primeiro responsável pela decisão da necessidade da cirurgia, dizia-me a certa altura:

- Isto faz impressão para vós, mas para nós o doente está óptimo e estabilizado.

Da parte da tarde regressei ao hospital e encontrei o meu pai ainda na UCI, mas já sentado num cadeirão. Todavia a panóplia de equipamentos e tubos mantinha-se.

A determinada altura olhei fixamente para um dos monitores e vi algo parecido com um coração de tamanho muito pequeno, a piscar. Ao lado uns números e umas linhas que subiam e desciam. Percebi que correspondia à frequência do coração.

Fiquei claramente descansado! Conforme podem reparar na foto infra, mesmo depois da cirurgia o coração do meu pai continua a ser verde!

coracao_verde.jpg

Nota final:

Quero agradecer de forma emocionada e sincera a todos quantos desejaram as melhoras do meu pai. Bem-hajam!

Ver de fora… custa mais!

Ontem não fui a Alvalade.

Por duas razões. A primeira prendeu-se com a hora do início do jogo, quase madrugadora em dia de semana. A segunda e quiçá a mais importante teve a ver com o meu pai, que se encontra hospitalizado para ser hoje operado.

Se para a primeira eu conseguiria fugir do trabalho a horas, assumo que quanto à segunda não me sentiria bem ir a Alvalade e o meu pai no hospital a ver o jogo na televisão. A idade não perdoa e aproveitar os bocadinhos com ele será sempre preferível.

Dito isto, acabei por ver o jogo na televisão num quarto de hospital, acompanhado do meu pai. Digo que sou muuuuuuuuuuito pior adepto fora do estádio que lá dentro. Vá lá saber-se porquê…

Sinceramente, não sou apreciador de ver o Sporting na televisão. Porque sofro muito e refilo ainda mais. Mas o jogo de ontem foi… mauzinho. É óbvio que o Belenenses deu boa réplica e mostrou pergaminhos. Todavia a nossa equipa mostrou-se muito intranquila (ai Acuña, ai, ai). Sem ser o rolo compressor de outros jogos da época Keizer, o Sporting foi gerindo o tempo e o esforço e jogou qb. E, claro está, sofreu o golo da praxe.

O meu filho e o meu sobrinho que estiveram no estádio vieram buscar-me ao hospital para ir para casa. No caminho perguntávamo-nos quem teria sido o melhor jogador em campo. Falei de Miguel Luís, falou-se de Wendel. Também Coates e Gudelj.

Não ficámos de acordo. Também não seria importante. Tremendamente importante foi que o Sporting regressou às vitórias.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D