Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Foi há 20 anos

Há 20 anos quebrámos um jejum de títulos de 18 anos. O ceptro de 1999/2000 foi histórico, emocionante e surpreendente. Neste momento, contudo, já estamos outra vez com outros 18 anos volvidos sobre o último título de Campeão Nacional da Primeira Liga de futebol (em 2001/2002). É tempo de voltar a escrever páginas gloriosas na História do SCP: chega de lamúrias e de loucuras, o Sporting precisa de boa gestão, sentido de responsabilidade e muita ambição.

O Henrique chegou

Hoje é um dia muito especial porque fiquei a saber que nasceu o Henrique de Almeida Leite, primeiro filho do meu primo Rodrigo. Para além da felicidade que é sempre ter um elemento novo na família, há que assinalar a excelente opção na escolha do nome: em honra a um dos principais fundadores do nosso clube em 1906 e membro da sua primeira direção. E, como não podia deixar de ser, o Henrique já é sócio do Sporting Clube de Portugal!

IMG_6121.jpg

 

O "caso Rúben Amorim" e os motivos de "força maior"

5098D6BA-6D42-461D-8251-578E923C4F33_1_201_a.jpegDDE83E35-33D6-4611-A4AC-1AF8651A5F98_1_201_a.jpeg

Na sequência do que escrevi ontem aqui, continuo com a suspeita - e não passa disso mesmo, de uma suspeita - de que a direção do Sporting Clube de Portugal invocou um incidente de Force Majeure ("força maior", em português) para não saldar a primeira prestação (cinco milhões de euros) da transferência de Rúben Amorim do Braga para o nosso Clube. A confirmar-se esta decisão, muito arrojada para o que conhecemos até aqui da equipa de Frederico Varandas, o SCP está a seguir os passos de muitas empresas e instituições por essa Europa fora e também nos EUA.

 

As cláusulas de "força maior" - que o contrato de Rúben Amorim deve obrigatoriamente incluir, caso contrário aplica-se a Lei geral no País onde se celebrou - prevêem justamente este tipo de situações extraordinárias, como a pandemia que estamos todos a viver, e na prática alteram as obrigações e as liabilities quando se dá esse evento ou circunstância que muda tudo.

 

Esta informação só poderia ser confirmada na carta que o SCP dirigiu ao Braga, que julgo ainda não ser pública, já que nos dados fornecidos à CMVM não consta nada sobre isto. No entanto, quer ontem as fontes da direção leonina, em off, quer hoje a análise das capas d' A Bola e do Record indiciam isso mesmo. O jornal mais próximo do SCP diz "Leão falha Amorim", em antetítulo diz que "o Sporting alega que não pagou porque não quis" e em subtítulo: "SAD assume que se trata de medida de gestão". Já o jornal mais lampião escreve em manchete "Rúben Amorim está por pagar" e diz no antetítulo, com gravidade, "Sporting falha 1.ª prestação e fica a dever de imediato €12,3 milhões" [em vez dos dez milhões, cláusula de indemnização do treinador por rescindir com o Braga].

 

O assunto é sério e deveria ter merecido uma estratégia de contenção de danos por parte da direção, tentando que estas falhas de comunicação não se fizessem sentir. Uma medida de boa gestão é cumprir com as obrigações e os contratos assinados e, caso assim não seja, por qualquer motivo, mesmo que de "força maior", o SCP deve informar a opinião pública para não acontecer o que vimos ontem em todas as televisões e serviços noticiosos. Passou a imagem de que o SCP não é cumpridor, falhou com o Braga e terá consequências inacreditáveis aos olhos de todos nós, como o aumento do seu passivo, a expulsão das competições da UEFA e outras sanções do tipo. A pior, no entanto, é a machadada na sua credibilidade e os efeitos reputacionais disso mesmo perante os diversos stakeholders: à cabeça de tudo os sócios, mas também os parceiros e patrocinadores, outros clubes, os seus profissionais, as associações do setor nacionais e estrangeiras e as entidades financeiras.

 

Se o Sporting está a tomar medidas excepcionais de gestão prudencial e resolveu, extraordinariamente, não honrar os seus compromissos com terceiros porque outras partes também não estão a cumprir com o Clube - duvido que o Manchester United, por exemplo, com a liquidez que tem, não esteja a pagar rigorosamente tudo o que é suposto pagar pela saída de Bruno Fernandes -, então isso deve ser muito bem explicado, com argumentos jurídicos e financeiros inatacáveis. Essa explicação urge ser dada aos sócios e ao País.

 

Estamos a falar do Sporting Clube de Portugal e não de uma qualquer instituição de segunda ou terceira categoria. O que levou quase 114 anos a construir não pode ruir de repente por causa de uma pandemia, como também não ruiu com a passagem de outros "vírus" pelo nosso Clube.

Rúben Amorim é motivo de "força maior"?

É notícia um pouco por todo o lado: "Sporting falha pagamento da primeira prestação de Rúben Amorim". Não sei que argumentos jurídicos a equipa de Frederico Varandas estará a usar para não proceder ao pagamento da primeira prestação (cinco milhões de euros) da transferência do treinador do Braga para o Sporting, mas a verdade é que me parece que os dirigentes leoninos poderão estar a querer invocar um incidente de Force Majeure, o que, a confirmar-se, irá fazer correr rios de tinta e será mais um foco de tensão - incluindo uma batalha jurídica, dentro e fora de portas - entre os dois clubes. 

Ao JN, fonte da direção de Varandas já dá a entender que isto é para resolver mais à frente. "Um ato de gestão excecional motivado pelo atual estado de emergência", define este dirigente em off. A confirmar-se, repito, a decisão do SCP vai dar muito que falar, vamos ver se pelas melhores razões e sobretudo espera-se que esteja, no mínimo, devidamente sustentada em termos jurídicos porque terá sem dúvida um impacto na credibilidade do Clube e na sua posição creditícia.

Max no Europeu?

Uma das decisões que esta tragédia da pandemia provocou foi o adiamento do Europeu de 2020 para o próximo ano. Assim sendo, tendo a concordar com o que é dito aqui pela Mariana Cordeiro Ferreira. O Luís Maximiano, "Max" como todos nós sportinguistas lhe chamamos carinhosamente, estará em condições de vir a ser um dos eleitos de Fernando Santos para o grupo que segue para a prova de 2021 ainda como campeão europeu. Arrisco mesmo a dizer que ainda era melhor que já estivesse apto para disputar a titularidade a Rui Patrício, isso é que era! Será possível?

 

O "caso" Mathieu

Anda tudo muito preocupado com um "rumor" que dá conta da vontade de Jérémy Mathieu sair já (ou no "final" da época) e regressar a França, onde irá afinal terminar a carreira de jogador para depois se atirar ao curso de treinador ao mesmo tempo que lidera as camadas jovens do Sochaux, clube onde se formou como jogador.

O próprio Mathieu, em declarações hoje ao L' Équipe não confirmou o "rumor" que foi posto a circular (por alguém da estrutura de Alvalade?), mas também não o desmentiu. Diz que se sente muito melhor e que a paragem nos campeonatos até ajudou na recuperação da sua lesão no tendão de Aquiles (tinha que ser, os deuses não brincam em serviço). Dito isto, parece que afinal está disponível para jogar mais um ano e, se assim é, que seja no Sporting Clube de Portugal.

A direção do SCP deve lutar pela manutenção de Mathieu no clube, seja agora como jogador, seja depois no seu período de adaptação à carreira futura de treinador. O central faz falta ao eixo central da nossa equipa e acredito também que há poucos ali que possam vir a dar bons treinadores no futuro. Ele é um exemplo moral e cívico para as camadas jovens de adeptos e para os miúdos das escolinhas. Na minha opinião, há que segurar Mathieu.

Jordão.

D6A499D6-AF19-44F9-BC13-C7EE6F2706F8.jpeg

Obrigado, Rui Jordão (Benguela, Angola, 9/8/1952; Cascais, Portugal, 18/10/2019). Um verdadeiro craque que nos deu muitas alegrias e que manteve sempre uma postura impecável depois do adeus ao futebol. Sem manchar a sua carreira, sem entrar em polémicas e sem sujar o nome e os valores do clube. Será sempre uma lenda para nós, Sportinguistas.

Cresci a vê-lo jogar com a nossa camisola e a marcar dezenas de golos, sempre com muita elegância e sobriedade. Fui a Alvalade muitas vezes por causa dele, tenho algures o seu autógrafo recolhido à porta da 10A.

Espero que o Sporting Clube de Portugal, mesmo estando a passar por um dos períodos mais tristes da sua História, saiba reconhecer o verdadeiro valor deste homem. E honrar a sua memória.

Os “Sub-23”

Parece que nossos Sub23 ganharam ao Famalicão por 5-1 e conquistaram a quinta vitória em cinco jogos - com algumas goleadas pelo meio - na chamada Liga Revelação. Isto não faz ninguém pensar? Alguns destes jogadores não terão categoria suficiente para voos mais altos?

Sabem quem é?

Este jogador do Rio Ave que está sentado chama-se Carlos Mané e ontem não comemorou os golos da sua equipa contra o Sporting Clube de Portugal. Mesmo depois de tudo o que alguns responsáveis do Clube - agora e no passado - lhe fizeram e com o corolário que se sabe. Quero agradecer a Carlos Mané a atitude e desejar-lhe o maior sucesso para a sua carreira de profissional de futebol. Pena que muitos dos que estão agora no plantel, muitos dos que acabaram de chegar e muitos dos que virão não percebam bem o que significa ser do Sporting. Mas é isto mesmo.

C81F71C5-0AB1-4921-AF70-84577C2755A3.jpeg

O “caso Bas Dost”

21536517_jTWDO[1].jpg

 

A crise que nos trouxe o chamado “caso Bas Dost” era evitável. Sobretudo escassos dias depois de uma das mais humilhantes derrotas sofridas contra o nosso rival direto. Esta crise revela, antes de mais, uma falta de rigor na comunicação interna e externa do Clube, para além das já evidentes deficiências na estratégia de fundo do Sporting Clube de Portugal.

 

O SCP é uma entidade de Bem, não pode infligir a segunda chicotada, um ano depois, a Bas Dost. A primeira com um cinto, a segunda com palavras e atos. A primeira foi obra de um bando de idiotas, não se sabe ainda motivados por quem, a segunda é evidente de quem é obra. É obra de uma direção que está, neste momento, sem rei nem roque. Por isso, Senhor Presidente, ponha ordem na casa.

 

Um Clube centenário como o nosso não entra em diálogo na praça pública com agentes de jogadores profissionais de futebol, sejam eles quem forem. Tudo isto revela um amadorismo inacreditável. A comunicação do Sporting devia dedicar-se a estes assuntos com seriedade e discrição. É muito mais importante saber lidar com a imprensa e os diversos stakeholders de modo sério e responsável do que andar a fazer posts disparatados nas redes sociais elogiando jogadas e golos de jogadores dos sub-23 que nem sequer têm a mais ínfima hipótese de jogar às ordens de Keizer. Este, por sinal, aparece completamente perdido nas conferências de imprensa, sem saber o que dizer e a comprometer o Clube e a sua liderança. Se é que esta ainda existe.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D