Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Estás a ver Bruno, eu posso

"És um labrego, trolha e aldrabão! Já ninguém te consegue (não te consigo) aturar!

Vai mandar no G15 e aproveita e vai...

Idiota, aldrabão...

Adoras ser o Presidente do benfica b...

Agora faz mais um comunicado..."

 

Nota de rodapé: Esta alimária esqueceu-se de falar do penalti claro contra o seu clube no jogo em casa com o Sporting, que daria o possível 0-1.

Já fomos

Caímos de pé, com personalidade e com alguma injustiça à mistura.

Perdemos a eliminatária ao não ter marcado em Madrid.

Sinal mais para quase todos.

Arranjem mas é lá forma de irem à CL, que jogos à Quinta é complicado para mim, ok rapazes?

O meu lugar hoje fica vazio

Não, não tirem conclusões precipitadas.

Esta é mais uma razão para o Sporting ter que jogar sempre na Liga dos Campeões, que se joga ora às Terças, ora à Quartas-feiras.

É que aqui, onde trabalho, as Assembleias Municipais realizam-se sempre às Quintas-feiras (regra geral) e hoje é uma dessas Quintas-feiras.

Por conseguinte, por obrigação profissional estou impedido de estar presente a apoiar a equipa in loco

No entanto podem crer que assistirei no telefone e estarei a torcer para que a baliza adversária seja muito maior do que aquilo que o ecran deixa ver.

Sendo que a esperança é verde e será a última a morrer, não deixo de ser realista e considerar uma missão quase impossível eliminar o Atlético, mas como tínhamos como facto quase adquirido que o Sporting marca sempre fora e não marcou, pode ser que a bola beije por três vezes o véu da noiva (Duda Guennes? Wilson Brasil? Outro?) e deixe os espanhóis para trás. Confesso, estou céptico, mas com um enorme desejo de vitória e de espantar o monte de fantasmas que decidiram rodear-nos nos últimos dias.

Força Sporting!

Coisas do capitalismo

Olha, afinal as acções da SAD do Sporting subiram.

Suspensas na Quarta e Quinta-feira, portanto antes do malfadado comunicado de Bruno de Carvalho após o jogo de Madrid, as acções estavam a valer 0.60€.

Passado o período de "quarentena", abriram na Sexta-feira e até subiram cerca de 5%. 

Vá-se lá entender isto. Eu confesso que estas coisas do capitalismo me fazem alguma confusão.

E vá-se lá saber porque carga de água alguém ofereceu apenas 0,15€ por cada acção, na abertura na Segunda-feira, obrigando a nova suspensão.

Entretanto reabriu a negociação e as acções fecharam ontem a 0,80€, com um ganho de quase 27%.

Vá-se portanto lá saber porque não é isto notícia. Pelo menos com a mesma relevância da que deu conta da sua suspensão. Não seria o mínimo?

Não havia necessidade

Leio nos jornais que Bas Dost, Battaglia, Coates e Mathieu querem deixar o Sporting se Bruno de Carvalho continuar a presidir. Ao que consta Bas Dost e Battaglia terão recebido propostas tentadoras (é este o termo utilizado) e só não sairam por recusa do presidente do Sporting. Diz ainda que se for impedida a sua saída, podem recusar-se a treinar. Isto das notícias, mais ainda nos dias que correm, pode não ser bem o que se passa na realidade e eu quero muito acreditar que não passam de notícias plantadas para desestabilizar. A ser verdade, é legítimo que, se se sentem mal, os jogadores procurem sair. Ninguém é obrigado a estar num sítio onde se sente mal. Aqui nem sequer pode ser invocado qualquer sentimento de ingratidão, o Sporting não fez favor a nenhum deles ao rubricar com eles os respectivos contratos de jogadores profissionais de futebol, que têm vindo a cumprir dentro da normalidade, pelo que se sabe. Também não pode ser assacado qualquer acto de má fé ao Sporting, por não ter deixado sair o holandês e o argentino, antes pelo contrário, o Sporting defendeu e muito bem os seus interesses, não só financeiros como desportivos, já que estava nessa altura em todas as frentes desportivas, antes pelo contrário, deixar sair qualquer jogador nuclear nessa altura deveria ser considerado um acto de gestão danosa. Esteve muito bem a SAD ao não negociar a saída destes jogadores, portanto.

Há no entanto aqui um factor novo, que reputo de muito importante: Alguns daqueles rapazes que foram freneticamente ovacionados no Domingo, após vencerem por 2-0 o colosso Paços de Ferreira, só ficam no clube mediante as suas condições, rasgando o seu contrato de trabalho e as obrigações contratuais que têm para com o Sporting, caso os sócios decidam pela normalidade e pelo cumprimento do mandato destes órgãos sociais, eleitos há um ano e pouco.

O que está aqui em causa não é se Bruno de Carvalho deve ou não continuar, o que está aqui em causa é se os sócios todos (e não apenas os que apuparam o homem no estádio) querem que ele continue. E se quiserem? Desculpem-me os anti, mas esta coisa da Democracia tem coisas irritantes eu sei e alguns convivem ainda muito mal com ela, mas quem decide ainda é a maioria e eu sinceramente não faço ideia se a maioria quer correr com o presidente. Até porque como os assobios à equipa noutras ocasiões vieram dos mesmos sítios que os apupos de Domingo, fico um pouco baralhado, mas ciente de que no universo do clube, aqueles apupos não representam os cerca de 170.000 sócios pagantes atingidos na "era" Bruno de Carvalho. Desde já não me representam a mim, para que não restem dúvidas. Reconheço os exageros, os tiros nos pés, a falta de tacto, mas não posso esquecer que há por aí gente a perfilar-se para um naco de fillet mignon, porque alguém não deixou morrer o clube e esse alguém, com o apoio da esmagadora maioria dos sócios, tem nome: Bruno de Carvalho!

Costuma dizer-se que só faz falta quem está e se o presidente deixar de o ser, passará à história e outro aparecerá. Esperemos que com o mesmo empenho, com o mesmo engajamento, com o mesmo comprometimento e com a mesma disponibilidade para lutar em todas as frentes pelo clube. E esperemos que não se deixe comer de cebolada, já agora. Então teremos enormes exibições, não só dos quatro mosqueteiros lá de cima, mas também dos restantes rapazes de verde e branco, que às vezes se esquecem para o que entram em campo. Já agora, mandem também o Jesus embora (que era o que todos queriam até há uma semana), porque pela amostra do último jogo o homem não é lá preciso p'ra nada e se é preciso alguém com a braçadeira, o Jubas serve.

Portanto, meus senhores, é encomendar as faixas, que para o ano nem é preciso esfregar as mãos, está no papo. Vamos lá correr com o Bruno que seremos sem qualquer dúvida campeões!

Nota importante: Tem que ser alguém que saiba comunicar, doutra forma não haverá pavilhão, não haverá reestruturação financeira, não haverá lucro no clube e na SAD, não haverá títulos nacionais e europeus, não haverá SportingTV, não haverá um cabrão dum relvado em condições e não haverá um contrato de 500 Milhões de Euros, o maior de sempre de um clube português com um patrocinador. Saber comunicar, não esqueçam, senhores candidatos.

Sem título

Fui a Alvalade. Com algum receio de uma recaída, já que a noite estava "excomungada".

Assisti a tudo do meu lugar com calma, já que cheguei com pouco menos de uma hora de antecedência, não fosse difícil encontrar lugar para o carro. Foi fácil e isso quer dizer alguma coisa.

Já no estádio dei conta da última publicação facebookiana do presidente. Confesso que nunca prestei muita atenção ao que publica e presto cada vez menos. De inconveniente, passou à fase patética (reflectida na imagem em que abandonou o banco de suplentes no final do jogo).

O Pedro Azevedo refere e muito bem que o poder caiu na rua. Eu diria que hoje quem detem o poder no Sporting são os jogadores, o que não sendo diferente é igualmente grave. A recusa em atacar quando o adversário ficou sem guarda-redes, ao contrário de parecer um acto solidário (que teria o seu mérito noutro contexto qualquer), foi uma marcação de posição clara, inclusive contra o próprio treinador. Aliás, hoje o treinador foi Patrício, se muito bem estiveram atentos às suas instruções e até à sua intervenção junto do árbitro. Juro que me comoveu tanto empenho. Se Jesus pensa que tem os jogadores na mão, bem pode ir pregar para outra freguesia. Os aplausos dos anti-brunistas hoje, deram-lhes a força que não sabiam ter antes de entrarem em campo.

Achei alguma piada (desconforto, melhor dizendo) ouvir as claques chamarem "filho da puta" ao presidente do seu clube e exigirem a sua demissão. Dizem em comunicado que estão apenas com o clube. Acredito, desde que impediram a contratação de Mourinho e esconderam os votos numa eleição, que se têm portado como meninos de coro. Desde que vá pingando...

Ah! reparei que não era apenas eu que estava engripado, houve muitos senhores que mostraram os lenços e ou sofriam do mesmo mal que eu ou estavam solidários comigo. Se assim foi, agradeço desde já, porque me parece que não foi para mandar embora o presidente, que não é assim que as coisas se fazem. Lembro que o anterior, que tanto mal fez ao clube, só de lá saiu depois de uma AG em que se decidiu antecipar eleições. É apenas para lembrar que nos clubes "de bem", as coisas se devem fazer dentro das regras, se há que fazê-las, que eu ainda não tenho certeza absoluta disso. Do que eu tenho certeza é que deixámos de ser um clube de viscondes na bancada, para passarmos a ser um clube de viscondes no balneário. Pelo menos há uma pequena diferença, graças aos ordenados que o clube lhes paga a tempo e horas (apesar de não ganharem nada nos últimos anos), são uns viscondes ricos, não haverá necessidade do croquete para o lanchinho.

Bom, lá ganharam. Imaginem se a coisa corresse para o torto, o cabo dos trabalhos que não seria. Mas hoje, mesmo cansados, deram o litro, gostei de ver; Pressão alta, posse de bola, troca constante de posições evitando o passe para o lado e para trás em que se tornaram peritos nos últimos tempos. Aposto que hoje até ao Atlético ganhavam, o que me leva a pensar se não teria sido incompetência do presidente em vez de se ir despedir deles ao aeroporto e desejar-lhes sorte, não ter postado no "face" algo semelhante ao que postou no dia seguinte. É que ele às vezes há coisas...

Confesso que estou expectante para assistir a esta novela. Um, teimoso, não se demitirá e duvido que em AG vença quem o quer ver fora, os outros em auto-gestão, querendo vencer para demonstrar que é do seu lado que está a razão, irão finalmente jogar pelas suas vidas. Vão por mim, não percam os próximos jogos do Sporting, vai ser um sufoco para os adversários. E até para nós, que estamos tão pouco habituados a ver jogar alguma coisa de jeito.

Sei que não interessará muito a quem lê, mas é só para dizer que não assobiei nem filhadaputei um, nem sequer aplaudi os outros. Festejei os golos, que era a minha obrigação.

E agora vou dar lugar àquela rapaziada que raramente aqui vem quando é preciso.

Uma boa semana de trabalho para todos.

Pois, pois, mas...

Está tudo muito bem, o presidente esteve pessimamente, mas desculpem-me lá qualquer coisinha os senhores jogadores, até prova em contrário quem vos paga o salário é o clube que ainda e se não houver alterações é presidido por Bruno de Carvalho.

Não jogaram a ponta dum corno, meus senhores. Aliás, não têm jogado a ponta de um corno nos últimos tempos e não consta que lhes tenha faltado o ordenado ao final de cada mês.

Levaram uma "piçada" (já todos o dissemos, inconveniente e a destempo), aguentem-se. E se não estão bem, a porta da rua é a serventia da casa!

Era o que mais faltava os jogadores alterarem, por sua conveniência, os resultados das eleições. Isso que aconteça e dificilmente me voltarão a ver pôr os cotos em Alvalade.

E por aqui me fico, que estou com uma gripe que me tem dado cabo do juízo.

Da sanidade. Ou da ausência dela.

Vamos por partes:

É tudo verdade o que o presidente escreveu no facebook logo a seguir ao jogo que perdemos em Madrid? Indubitavelmente, é!

Eu, que quem aqui vem regularmente sabe o que penso da presidência de Bruno de Carvalho, como adepto e sócio, para além de ter a obrigação de defender sempre os interesses do Sporting, tenho o direito, mais não seja por qualquer desresponsabilização directiva e nulas intenções de as vir a ter nalguma ocasião no futuro, tenho o direito, dizia, de criticar o que acho que não está indo bem, sem outra preocupação que não seja a de defender a minha opinião.

E aqui vou chamando atenção para algumas coisas que, na minha opinião, não correm da melhor forma e concorrem para que os objectivos não sejam atingidos.

Há no entanto uma enorme diferença entre mim e o cidadão que ora exerce, com o meu voto para que não haja quaisquer dúvidas, a presidência do Sporting: Eu posso ser desbocado, posso escrever aqui a maior idiotice do Mundo, que a consequência para a vida do clube serão "peanuts". Já o que sai das publicações no facebook do presidente, fia mais fino e tem enormes repercussões.

Nada contra um presidente adepto. Aliás, um presidente que não é adepto, que raio de presidente será? Há no entanto um pequeno pormenor, passe a redundância: O adepto que há no presidente durante o seu mandato presidencial está, para utilizar linguagem que se entenda, com os seus direitos suspensos. Com tudo o que isso implica. E tenho para mim que Bruno de Carvalho nunca perceberá isto, com muita pena minha e com enorme prejuízo para o clube.

Vamos lá ajudar o presidente

Ele já deu o toque, eu concordo.

Também se prevê que haja mudança de treinador e sabemos que ele está mais ou menos refém do que vem dizendo e fazendo em relação ao assunto.

Na eventualidade mais que previsível de não ganhar a Liga Europa (e como eu adoraria vir aqui penitenciar-me pelo contrário) e na possibilidade real de vencer a Taça de Portugal, parece-me pouco para três anos de trabalho com plantel à la carte.

Não defendo um cemitério de treinadores, mas se quem vem não dá conta do recado com toda a mão-de-obra que pretende à disposição, a culpa não será certamente apenas da mão-de-obra, como já vimos.

Convinha no entanto que desta vez viesse alguém que não inventasse. Será o mínimo que se deverá exigir.

Por mim, presidente, avance!

Sim, sr. primeiro-ministro

Quando houver mais uma morte, esperamos todos que continue a "apreciar o futebol dentro das quatro linhas".

Que o seu secretário de estado do desporto (e da juventude) seja uma nódoa, um tipo ao nível de um Ventura, a gente prontos, até chupa, mas que o primeiro-ministro de Portugal, o senhor que pontifica no camarote do estadista que está indiciado por uma série de crimes, se esteja cagando para o que se passa no futebol português, é grave. Muito grave.

Aconselhava-lhe que arrepiasse caminho. Antes que o futebol, também, pegue fogo. Antes da próxima vítima mortal.

Missing in action?

Tenho dado por falta do senhor vereador André Ventura nas reuniões da Câmara Municipal de Loures, onde é eleito.

Pelo menos nas duas últimas, o que coincide com a criação do gabinete de crise do estadista.

Claro que o motivo dado para a sua substituição terá sido outro, mas será que haverá aqui alguma relação? 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D