Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Repita, por favor

Ah e tal, só cá aparece para dizer mal, acusam alguns.

Em minha defesa direi que estive ausente do país e com dificuldades de comunicações, mas não é para me justificar que aqui venho.

Venho cá só para perguntar se alguém acha normal que se tenha comprado um jogador por dez milhões de Euros, dez! e que se coloque o rapaz na lista de empréstimos. Que está tapado, dizem, mas não estava antes de ser contratado?

Um jogador que até podíamos descartar, bastava não accionar a cláusula de compra.

Um mês fora e parece tudo na mesma.

Continua tudo bêbado!

Porque hoje é Sábado

22286119_VY5QD.jpeg

E ao contrário da previsão meteorológica está um sol lindo aqui na Ericeira, às vezes temperado com uns pingos de chuva que teima em ajudar-nos neste problema de seca que vivemos. Assim sendo vamos lá falar da seca.

Não da seca da falta de água, mas da "seca" que tem sido assistir aos jogos do nosso clube nos últimos tempos.

De uma pobreza franciscana os dois últimos (derrotas com Benfica em casa, 0-2 e no Porto, 1-0), com exibições a fazer lembrar o meu União de Tomar dos maus momentos, mas também pouco melhor após pelo menos a derrota copiosa com o Manchester City por cinco batatas, aí então com uma prestação a roçar um GD Matrena do meu tempo de jovem.

E como nestas coisas a culpa não pode morrer solteira, há que apontar culpados para este deplorável estado de coisas.

Começando pelo fim, o City, que veio em força a Alvalade demonstrar porque é uma das melhores equipas do Mundo e não nos deu hipóteses de despir o fato de treino, trazendo à tona debilidades que todos nós já vínhamos apontando, nomeadamente na defesa e no ataque. Pena o jogo com o City não ter sido depois do jogo com o Benfica, Amorim teria aprendido com Veríssimo como é que um pequeno pode ganhar a um grande, mas pronto foi antes, nada a fazer. Esta derrota humilhante (porque poderia ter sido por números bastante superiores) parece ter anestesiado alguns dos nossos jogadores que depois disso têm andado com o fantasma dos de Manchester na cabeça sempre que entram em campo a sério porque, segundo o nosso treinador, nos treinos, dentro de quatro paredes portanto, o empenho tem sido inexcedível. Não se percebe é porque depois quando é "a doer" a gente joga sempre com um ou dois a menos (colocando os nomes nos boys, Pedro Gonçalves e Paulinho).

Os jogadores. Como disse atrás, há alguns que, perdoem-me a deselegância, andam a pastar em campo, sendo que só atrapalham os colegas que querem execer a sua profissão com brio e empenho. Se o fazem conscientemente é gravíssimo (não creio que assim seja), se não o fazem conscientemente, alguém deveria tomar mão naquilo. E pelo que se tem visto não tem tomado.

O treinador. Em relação ao treinador eu até sou insuspeito, sempre acreditei que teria sido uma boa contratação (embora em abono da verdade sempre tivesse criticado os números envolvidos) e que faria coisas boas no clube, o que para bem da nossa sanidade desportiva veio a acontecer. Conquistou títulos, o de campeão que nos fugia ia para quatro lustros e trouxe um acréscimo de confiança a toda a "nação" sportinguista, conseguindo unir-nos a todos em torno da equipa. E como isso era e foi difícil, honra lhe seja feita!

Sendo que o Sporting com Amorim entra em todas as competições internas para ganhar, exige-se de Amorim que não defraude as expectativas dos sportinguistas. Para mim isso consiste em motivar a equipa, colocá-la a praticar bom futebol e a também jogar mal quando for necessário, às vezes fechadinhos lá atrás, tipo Benfica, para garantir os três pontos da vitória. Consiste em colocar sempre onze jogadores em campo, i.e. onze rapazes que estejam lá com a cabeça e que sintam e saibam o que estão a fazer, não os que se mostram nos treinos e se escondem nos jogos e Amorim, que tem a idade do meu filho mais velho, já tem idade para perceber isso.

Também tem já experiência e a constatação de que o seu sistema de "para trás e para o lado", revivendo os primeiros tempos do jogo em que não se podia passar a bola para a frente, estão ultrapassados e mais que estudados pelos adversários, tendo que urgentemente procurar um "plano B" para quando este esquema não seja eficaz. O treinador do Benfica usou de um sistema alternativo nos últimos jogos e deu-se bem, basta copiar e quando se copia o que funciona, não é vergonha...

Tem todo o meu apoio no entanto nas questões de liderança do balneário. Quem deve liderar o balneário é o treinador, sob pena de se partir tudo em cacos e grupinhos e grupetas que em menos de um fósforo dão cabo de uma época ou mais. Há ainda assim uma questão importantíssima nesta questão de liderança que me parece (pode ser só impressão e, se for, as minhas humildes desculpas) que deixou de ser o factor primordial na equação: Quando antes não havia "vacas sagradas", i.e. jogadores com lugar cativo, mostrem ou não bom desempenho durante os jogos, o factor justiça, equidade, igualdade de oportunidade foi colocado em causa. E que me perdoe Amorim, se assim foi(r), a culpa é exclusivamente sua! Não conhecendo os contornos do "caso" Slimani não me vou alongar muito, mas que diabo, o gajo que foi o avançado do mês de Março, que marcou 4 golos em 3 jogos, é preterido em detrimento de outro que nem sequer remata à baliza? Até pode, mas tem que ser muito bem explicado, o empenho ou falta dele nos treinos é curto e a gente gostava de saber mais. Já agora e a talhe de foice, lembro alguns jogadores que treinos não era com eles e no campo passeavam magia: Romário, Maradona, os Ronaldos brasileiros, Cruyff, etc. Ok, Slimani perto destes é um pau de sebo, mas é um pau de sebo que as mete lá dentro. Já Paulinho, não!

Não sendo de todo o meu desejo, antes pelo contrário quero ver Amorim ser campeão pelo Sporting pelo menos mais uma vez, as declarações do treinador no final do jogo no Porto colocaram-no como um homem a prazo no Sporting. E não está a prazo pela contestação dos sócios (a minha definitivamente não!), sequer por algum mal-estar da direcção que creio estar satisfeita com o pecúlio até agora alcançado, mas pelo balneário. Recordo o que têm dito alguns ex-jogadores, lembro-me de Maniche por exemplo, que os treinadores só estão nos seus postos enquanto os jogadores quiserem. Fomentar esta espécie de injustiça que é colocar sempre os mesmos, joguem ou não bem, pode ser a "morte" de Amorim no Sporting.

Espero sinceramente que não e que já no dia da Liberdade, mesmo sem ponta de lança, venhamos do Bessa com os três pontos no bornal, para descanso das nossas almas e para a garantia do segundo lugar, que nos dará acesso a milhões que podem ajudar Amorim a ser também melhor.

O capital acumulado por Rúben Amorim no Sporting coloca-o nos patamares mais altos do clube, mas não o isenta de crítica quando é caso disso e parece-me que esta é altura de fazer este reparo. Mais vale cedo que tarde, quando já não houver retorno.

O ranking europeu e os direitos televisivos

No dia em que se joga a segunda mão da primeira meia-final da Taça de Portugal, que opõe o Tondela ao Mafra, será interessante analisar as implicações que esta conjugação de jogos (o outro é o Porto-Sporting) poderá trazer para a pontuação de Portugal no ranking UEFA para acesso às suas competições.

Sem qualquer tipo de menosprezo pelo Tondela ou pelo Mafra, que chegaram a esta fase com todo o mérito, a manter-se a classificação da primeira liga, o mais provável, um destes clubes terá, mesmo perdendo a final da Taça com Porto ou Sporting, acesso a uma competição europeia (sem tempo para procurar se a LE ou a Conference League).

Qualquer deles, com todo o respeito, não têm estofo para ombrear com os clubes que irão enfrentar e corre o futebol português o risco de perder a entrada directa do segundo classificado na liga dos campeões (e perder o terceiro), ou até do vencedor do campeonato.

O porquê dos direitos televisivos aparecer aqui, tem a ver com a necessidade absoluta de haver uma distribuição mais justa e equitativa, permitindo que o fosso entre os três grandes e os outros seja diminuido, com todas as vantagens não só para os clubes, mas também para os espectadores. Se dúvidas houver, olhe-se para o campeonato inglês, onde os direitos são negociados e têm uma distribuição justa. Aliás, o clube que mais recebe de direitos, curiosamente, é o que vence a segunda liga, precisamente com o objectivo de se poder apetrechar para o embate com outros que têm maior poder económico.

Por cá, apesar de alguns dizerem que só há dinheiro para dois, os três grandes secam a teta e aos pequenos restam as migalhas, com a consequente situação de todos os meses e todas as épocas andarem com a corda na garganta.

Parece que já se decidiu que haverá negociação em "bolo". Terá sido um parto difícil, mas importa conhecer os termos da distribuição de verbas e garantir que os pequenos tenham opção de crescer. Crescendo os pequenos, cresce o futebol português no seu todo e o seu peso nas competições da UEFA.

É quase ridículo (se não fosse até excelente) que Portugal tenha, ao nível de selecção, um conjunto de resultados extraordinário nos últimos anos e os clubes se estejam a afundar de forma trágica na tabela da UEFA.

 

Já agora, como habitante no concelho, que passe o Mafra!

Levantar a cabeça

Esta frase, de treinador ou jogador de equipa pequena, foi proferida por Ruben Amorim várias vezes na entrevista rápida, logo após o jogo de ontem, em que sofremos uma derrota clara perante o Benfica.

Irrita-me esta frase, mais ainda proferida por alguém do Sporting.

Ela pressupõe uma humilhação (baixar a cabeça) e pelo menos ontem nem os jogadores do Sporting, sequer o treinador, foram humilhados. O que de simples aconteceu foi que os jogadores foram incompetentes e o treinador abordou mal o jogo.

Pelo esquema táctico apresentado pelas equipas, quem chegasse ontem de Marte poderia entender que quem precisava de ganhar o jogo era o Sporting e quem defendia uma posição de vantagem era o Benfica. Mas não! Ao Sporting bastava fazer o que o Benfica fez (que aliás fez no jogo da primeira volta na Luz), aguardar pelo adversário e desferir-lhe os golpes que veio, ironia das ironias, a sofrer.

Eu não sei se ainda alguém acreditava na renovação do título, mas sejamos realistas, não seria mais importante manter a distância para o terceiro (um empate bastaria) do que manter a distância para o primeiro, que apesar de tudo (saltos para a piscina e outras manobras aquáticas) está a jogar muito bem e dificilmente não será(ia) campeão? 

Eu não quero arrasar os nossos jogadores, nem o treinador, mas quando eles comprometem não lhes posso "passar a mão p'lo pelo" e ontem uns e outro não estiveram bem e sinceramente o cheiro a cebola frita chegou a pairar no ar e não vinha das roullottes.

Uma equipa que, quando não tem um jogador fixo na área, se farta de fazer cruzamentos e quando ele lá está deixa pura e simplesmente de os fazer, só pode ter duas leituras, que me perdoem: Ou estavam distraídos, ou foi propositado. Haja quem responda.

Sem querer ser derrotista e ansiando imenso por uma reviravolta na eliminatária na próxima Quinta-feira, temo que desta vez sim, haja que levantar a cabeça. Se me faço entender...

Delito de opinião

Os meus pais deram-me uma educação esmerada, na medida das suas parcas possibilidades.

Ensinaram-me que nunca se deve responder a uma ofensa com outra, que no preciso momento em que o fazemos, perdemos toda a razão.

Por isso mesmo e porque isto é um blogue de sportinguistas com visões diferentes da política e do Mundo, limitar-me-ei a informar que o comunista deste dislate sou eu, para que outros não se sintam visados ou melindrados.

Se querem saber se sou putinista ou não (não sou de todo, nunca fui, nunca serei), tenho uma página no FB que revela em várias publicações o que penso sobre o personagem.

Para quem desconheça, o autor da coisa atrás referida escreve num blog, que sigo com interesse, chamado "Delito de Opinião". Curioso, direi eu.

E como quem não deve não teme e como quem faz da minha vida o que quer sou eu, por aqui me manterei, com a convivência com opiniões díspares e não querendo impingir a minha a ninguém. Respeito, na mesma medida em que quero ser respeitado.

Ah! E para que não restem dúvidas, contra a guerra, esta e todas as guerras.

 

Nota: Não é minha intenção alterar a linha editorial do blogue, por isso peço que compreendam que alguns comentários que não sejam no meu entender publicáveis, o não sejam. Não o entendam como censura, p.f. ficam para mim, apenas.

 

O Soares tem Dias

22266602_VTEPr.jpeg

 

Tem dias que prejudica o Sporting.

Tem dias que beneficia o Porto.

Tem dias que é declaradamente peça do polvo.

O título deste post poderia ser também "Se queres ter um bom amigo, dá-lhe porrada". 

Soares Dias ainda sente os calos apertados pelas festas que lhe fizeram num célebre treino e do que o Soares Dias tem preocupação todos os dias, é de que a montra, a sua e a da pastelaria, no final dos dias continue inviolável. Afinal ele lembra-se que anda por aí um que ficou sem dentes...

Tudo a bem da nação, que é como quem diz do clube que diz que é de uma cidade que é uma Nação.

E ainda há por aí quem acredite que eles vão perder pontos.

Esperem sentados.

 

Nota: Neste lance Soares Dias foi avisado pelo VAR de que o cartão a mostrar teria que ser mais escuro que amarelo. O senhor foi ver na televisão e achou que a integridade física do jogador do Boavista não foi molestada. Sabem porquê? Porque quando olhou para o ecran a primeira coisa que lhe veio à memória foi a imagem da montra e o macaco a arrear-lhe. A ele e à montra.

Mal acostumados

Não sei se os caros leitores deste blogue visionaram o jogo entre o primeiro classificado da Liga NOS e o nono classificado da Ligue 1 (acho que é assim).

Pois se viram estão informados, se não viram eu informo:

Mais um escandaloso roubo de que foi vítima o FCPorto, como costuma acontecer nas competições europeias. Três penaltis por assinalar e um golo anulado foram escamoteados aos portistas, pelo menos no entendimento da enciclopédia viva do ludopédio Luís Freitas Lobo.

Manuel Mota, Luis Godinho, Soares Dias e mais uns quantos, estão a corar de vergonha alheia.

Onde já se viu espoliar o FCPorto desta maneira...

Já perceberam portanto. Com uma equipa de arbitragem que não tem medo que lhe partam as montras dos negócios, talhos, pastelarias e outros e as trombas, os mergulhos para a piscina são ignorados e os foras de jogo são efectivamente marcados, porque na casota das televisões também estavam dois tipos que se limitaram, só, a cumprir as Leis do Jogo.

Vocês imaginem que até o Otávio foi amarelado!

Terá sido a altura em que o Mota, praguejando enquanto fatiava um bife do lombo, deu um golpe profundo no polegar e apesar de tudo se sentiu confortado. O seu sangue continua azul, ufa! Já na pastelaria, tem Dias... Hoje as regueifas da manhã estavam um pouco para o esturricado, mas por via das dúvidas foram colocadas em posição de destaque na montra, "à cause" de eventuais macaquices...

Na minha confessada inocência pergunto: Será possível trazer meia dúzia de árbitros destes para apitar em Portugal?

Duas palavrinhas apenas, que são quatro.

Agora que foi reeleito o presidente do Sporting, numa demonstração da vontade de uma maioria imensa dos que foram votar, quero deixar apenas umas palavras:

1- Desejar que o mandato corra de feição ao Sporting, o mesmo é dizer que se mantenham sempre à frente os interesses do clube;

2 - Desejar que não se repita um segundo mandato como o do presidente Bruno de Carvalho. Que este corra de forma calma e sem chantagens emocionais e de guerrilha interna;

3 - Desejar que todos entendam que a PAZ é um bem tão precioso, que nunca deverá ou poderá ser posto em causa no Sporting, tal como em tudo;

4 - Por fim prestar todo o meu apoio aos órgãos a empossar, o que não significa um "amén" a tudo o que entendam decidir. Um clube com sócios vigilantes será sempre mais forte, vide o passado recente.

Parabéns aos sócios eleitos e êxito na sua missão.

Viva o Sporting!

O mestre de pastelaria

FM4ZiiCXEAIUfw1.jpg

 

Era uma vez um tipo que tinha uma pastelaria.

Acumulava com uma função arbitral e até havia quem o chamasse de "o melhor".

Um dia, numa reunião com os seus pares, enquanto davam conta do preparo do físico para o exercício da função, saíram-lhe ao caminho um bando de dragões, vomitando fogo.

O tipo, com receio de que tanto calor estragasse as regueifas e como quem tem cu tem medo e como tem morada fiscal na Invicta, por via das dúvidas toca de se acorrentar a um dos bichos e tem andado alegremente a fazer de pagem do dragão.

Ontem lá arranjou mais uns cordeirinhos para dar de comer ao animal.

E a arrogância com que ele enfrenta as vítimas? O Porro e o Adán que o digam, que se aqueles olhos matassem...

Bom, o que interessa é que a montra da pastelaria lá continua intacta e os dragões continuam a encher o papo.

A bem da nação.

 

Nota: Na imagem acima Soares Dias transforma uma agressão a Porro, num penalti contra o Sporting. Um nojo.

Para os negacionistas, parem o vídeo aos 7'' (sete segundos) e vejam quem bate primeiro em quem:

https://www.facebook.com/groups/sportingcp.contratudo.e.todos/posts/508864460662620/

A sério, a sério?

Os três juntos não fazem um! 

Vi o debate em diferido e foi tão interessante que adormeci por duas vezes, tendo que "puxar atrás" a emissão para acompanhar tudo.

Varandas defendeu o seu consulado, que em termos desportivos é inegávelmente rico, os opositores e bem não o contestaram.

Apresentou essencialmente como trunfo o trabalho efectuado, ou seja, quis dizer aos sócios que se ganhar continuará o caminho que traçou desde início deste mandato que agora termina.

Baralhou-se e pior, baralhou-me um pouco com os números e como não sou da área, confesso que fiquei um bocado "à nora"...

Não desgostei de algumas medidas propostas por Ricardo Oliveira, nomeadamente a atenção que deverá ser dada aos núcleos e a possibilidade do voto nesses locais da vida sportinguista. Já a construção de uma Cidade do Desporto achei, embora entenda o propósito e até não discorde, um bocado megalómano, sobretudo quando não foi apontada uma solução para Alcochete, que terá inevitavelmente que ser vendido.

Apreciei a crítica feita por Nuno Sousa aos preços dos bilhetes anuais (gamebox) e ao preço da bilhética em geral. Creio que é de todo o interesse do Sporting ter o estádio e o pavilhão cheios e não, no Sporting não somos todos ricos ou remediados. Há gente que não vai ao estádio ou ao pavilhão porque não tem dinheiro para pagar a entrada.

Ninguém falou no voto electrónico, embora se possa inferir que o voto nos núcleos passe por aí, peça fundamental para tornar a participação nos actos eleitorais uma onda massiva que represente o maior número de associados possível.

Por esta fraca prestação dos três, em resumo, parece-me que as alternativas não foram capazes o suficiente de mobilizar grande número de sócios e votos e que, fazendo um pouco de futurologia, Varandas vencerá folgadamente (o desempenho desportivo para a maior parte de nós é o que conta no final do dia), Nuno Sousa capitalizará uma pequena franja de sócios que se identificam com o anterior Conselho Directivo e provavelmente obterá a segunda posição relegando Ricardo Oliveira para último, o que me parece, pela seriedade do seu programa, uma injustiça.

Muito sinceramente, estou dividido entre Varandas e Ricardo Oliveira, que me parece alguém capaz e com algumas ideias interessantes, mas provavelmente, se não for dia de jogo, não me deslocarei de casa a Alvalade para votar. Este não é um apelo à abstenção, é a constatação da célebre frase "para pior, já basta assim".

Para finalizar, quero saudar a democraticidade interna deste clube, que permite que se debatam ideias, com civilidade, num debate em que todos os candidatos estão em pé de igualdade. O mesmo não acontece do outro lado da estrada, onde Vieira nunca possibilitou que a oposição piasse e a norte, onde em 40 anos a eminência parda não deu abébias a ninguém. Até nisto somos diferentes.

Eleições

 

Pode ser uma imagem de 3 pessoas e texto que diz "DEBATE 23 DE FEVEREIRO 21H30 SPORTING TV"

Haverá dia 23, Quarta-feira, um debate entre os três candidatos à presidência, na SportingTV, às 21,30 horas.

O debate de ideias é fundamental para uma escolha o mais acisada possível, desde que os protagonistas queiram esclarecer e sobretudo apresentar com clareza as suas linhas programáticas como agora se usa dizer e antes se designava de "programa" e toda a gente sabia do que se tratava.

Já li o programa de Frederico Varandas. Não vi ainda os dois restantes. Também não conheço, sinceramente, os candidatos.

O programa de candidatura de Frederico Varandas recebi por e-mail. Acreditem que não me lembro quem o enviou, certamente um colega do blogue.

No entanto seria interessante usar a newsletter do clube para que todos pudessem divulgar, caso o quisessem, obviamente, o seu programa eleitoral. Só abonava em favor de quem governa, quem não deve não teme e a lisura de procedimentos é sempre sinónimo de boa fé.

Portanto, cá aguardarei na minha caixa de correio electrónico os programas de todos os candidatos.

Com o esclarecimento e conhecimento de todos, quem ganha é o clube.

E parece-me que é hora de começarmos a debater este assunto aqui, portanto "que comecem os jogos"!

Bolsa de valores

Recebi há bocado por e-mail mais uma edição do jornal do clube. Já agora convém recordar, o mais antigo de todos os clubes em actividade.

Para não vos fazer perder muito tempo, transcrevo parte do editorial de Miguel Braga, director de comunicação do Sporting:

"Ficámos a saber que para o CD, um pontapé de Agustín Marchesín é menos grave que uma estalada de João Palhinha: o internacional argentino foi castigado com dois jogos, o internacional português com três (falhando por isso o confronto com o FC Porto para a Taça de Portugal). Este é o mesmo CD que castigou Uribe com apenas um jogo quando este agrediu violentamente Ricardo Esgaio com uma cabeçada no nariz. Ou seja, uma cabeçada violenta deu direito a um jogo de suspensão, um pontapé a dois jogos, já a estalada corresponde a três jogos (o triplo da cabeçada de Uribe digna de um filme de Steven Seagal).

O expedido CD também anunciou que Matheus Reis – o mesmo jogador que foi agredido por mais do que uma vez por elementos dos coletes azuis e cor de laranja – tem um processo disciplinar "por gesto incorrecto executado no decorrer do jogo, amplamente divulgado na comunicação social e que não foi relatado em relatórios oficiais". Certamente que o CD achou normal e recomendável o comportamento de Otávio que, em directo, insultou e desafiou consecutivamente Bruno Tabata para um duelo nos balneários. Recordemos também um jogo do ano passado, no mesmo estádio e com as mesmas equipas, quando este CD já estava em funções, e onde o filho do treinador do FC Porto cuspiu na direcção de Pedro Porro, insultando a mãe deste. Foi aberto processo? Não. Aliás, os nomes que se chamam aos familiares dos jogadores servem apenas para abrir processos aos jogadores do Sporting CP, Nuno Santos que o diga. O mesmo jogador que foi suspenso em tempo recorde por um gesto descrito em relatório que as imagens de jogo desmentem.

As imagens também desmentem de forma escandalosa o amarelo que vai retirar Sebastián Coates do próximo jogo com o Estoril. No mesmo lance, Taremi não só pisou de forma grosseira o central uruguaio, como conseguiu voar posteriormente, rebolando no chão cinco vezes sobre si próprio, tal era a dor provocada pelo pisão… que deu. A injustiça decorrente deste lance caricato e revoltante, que marcou o jogo e possivelmente este campeonato, e que foi amplamente divulgado na comunicação social, segundo este Conselho de Disciplina é para manter. Coerência, acima de tudo: que a verdade objectiva das imagens não se sobreponha a erros clamorosos dos homens do apito ou a descritivos subjectivos de um qualquer relatório".

Portanto, em resumo, na bolsa de valores do douto CD, as eminências pardas têm esta tabela:

Chapada - 3 jogos de suspensão (se o agressor for do Sporting Clube de Portugal);

Pontapé - 2 jogos de suspensão, castigo aplicado apenas se o prevaricador for suplente na sua equipa;

Cabeçada - 1 jogo de suspensão, apenas se partir o nariz ao adversário e se ele for jogador do Sporting.

Claro que se espera recurso desta canalhice toda seja para onde for.

Ou um dia destes um tiro nos cornos de alguma eminência parda, por parte de alguém que se sinta injustiçado.

Não perder a embalagem

Passado que foi este breve intróito que todos sabíamos ia ser de difícil interpretação, apesar da nunca evocação da nossa imensa fé em vão, vamos lá a não perder a embalagem que trouxemos do Porto e vamos estar todos no Domingo às 18 horas, a fazer a mesma festa que fizemos hoje e apoiar incondicionalmente a equipa naquilo que nos interessa que é o nosso campeonato. Este é ainda muito à frente para nós.

O objectivo é estar nesta fase para o ano outra vez e se possível passar mais um degrau.

Se querem um exemplo, vejam os anos que o Futsal andou a não ganhar nada, até ser campeão europeu.

Passo a passo.

Domingo recebemos o Estoril. Eu vou lá estar!

Nota: Comentários de lampionagem/andrades hoje não, p.f.

Estão à rasquinha. Ou a mala devolvida...

O Famalicão é uma filial do fcporto. Nada contra, os grandes têm imensas filiais, foi assim no início dos tempos da bola.

Eu próprio fui presidente da direcção de um notável clube de bairro em Caneças que se chama Botafogo (Sociedade Recreativa Unidos ao Botafogo) que adoptou o nome porque os seus fundadores enviaram uma carta a grandes clubes solicitando equipamentos e apenas o Botafogo, lá do Brasil, respondeu afirmativamente enviando dois equipamentos completos e lá temos em Portugal uma filial do Botafogo de Futebol e Regatas. Provavelmente por lá haveria um dirigente nosso patrício com saudades da Pátria e tomou esse gesto bonito. A bem da verdade desportiva, o Botafogo de Caneças nunca fez qualquer favor dentro de campo ao Botafogo original, nem abusando do "doping" antes dos jogos contra os futuros adversários dos patronos, nem "baixando as calças" em jogos entre si. Seria impossível por duas ordens de razão: Primeira, porque os de cá nunca colocariam a honestidade acima de qualquer benfeitoria, nem por um contentor de equipamentos e os de lá suponho que não o exigiriam, já que foram tão desinteressados no início.

Ora em Portugal e com algumas filiais de alguns clubes que não vou nomear, mas que vestem de azul e de vermelho, vai sendo um forrobodó desgraçado. Ora dão o litro, como ontem uns rapazes de Vila Nova de Famalicão e tentam provocar mossa nos jogadores mais preponderantes do adversário, que a seguir vai jogar com a casa-mãe, ora baixam os calções de forma descarada, impúdica diria eu, quando jogam "contra" a sede.

Eu não sei o que levava a mala que enviaram com os equipamentos para o jogo de ontem, mas pelas reacções do Jóta no Twitter, desta vez uma filial vai ter que devolver os equipamentos, mala e restante conteúdo, mesmo suados que eles voaram que nem dragões, que a coisa, apesar do conseguido afastamento do melhor defesa direito a jogar em Portugal do jogo do próximo dia 11, não correu como estava combinado. O gajo do apito ainda colaborou, mas como defende o Jóta, já não teve cara para mandar repetir um penalti que só existiu na cabeça dele e do VAR e que à luz das recomendações, se repetido, seria mais um roubo de igreja.

Quem ainda recentemente foi tão descaradamente beneficiado no Estoril e no Jamor, quem joga em Faro, ou em Portimão, ou antes em Setúbal e com o coiso B-Sad e antes Os Belenenses como se jogasse sempre em casa, publicar um tweet com os defesas do Sporting dez centimetros dentro da área aquando da marcação dum penalti fantasma, só demonstra uma coisa: Estão acagaçados com o próximo jogo! E agora que ficaram sem o GR titular ainda mais acagaçados estão. Esta semana vai ser um fartote de "merda" nos jornais, nas televisões, nas redes sociais. Porque estão à rasquinha.

Não há fruta nem chocolatinhos que lhes valham, vão perder! E por saberem disso, começaram a disparar em todas as direcções. Sem problema, a gente tem um escudo forte, chamado... HONESTIDADE!

Regra de três simples

Eu sempre fui um nabo a matemática, mas aprendi as coisas básicas, por exemplo que um zero à esquerda não tem qualquer valor, se não tiver pelo menos uma vírgula antes ou depois.

Aprendi também uma coisa que em linguagem corriqueira se chama de regra de três simples e que consiste na previsão de um resultado baseado na extrapolação de um já existente (se estiver enganado, os homens das contas que me corrijam se fazem o favor).

Assim com o coiso-SAD com 9 jogadores (depois 8 e depois 7), a lampionagem marcou sete golos, para simplificar as contas, diremos que a média ficará nos 8 (sendo que aqui no meio não esteve qualquer virtude) e assim sendo, cada jogador azul empochou 0,88 de cada golo sofrido naquela cagada a que chamaram um jogo de futebol; Já com o coiso-SAD a jogar com onze e seguindo a mesma lógica e média (0.88 por cada golo sofrido), ontem o Sporting teria ganho por um claro 9,68-1.

Ao contrário, ontem cada jogador azul empochou 0,36 de cada golo sofrido, o que transpondo para o fatídico dia em que o futebol em Portugal sofreu uma machadada enorme na sua credibilidade, a vitória da lampionagem teria sido um contundente 2,52-0, o que como se perceberá não daria jeito para as contas do Darwin Nuñez e o goal-average da equipa.

Calculo que não tivessem percebido nada destas contas, mas eu próprio e milhares de outras pessoas no país e no estrangeiro, também não perceberam como é que aquele jogo se realizou e o que é facto é que se realizou, não foi uma miragem. Com as vantagens inerentes aos números atrás apresentados. O raio da equipa é que teima em embaraçar o Costa e nem com ajuda aquele milhafre descola...

Foi bem!

As joias ficaram todas, o que por si só é já um excelente sinal.

Todos temíamos a saída de Palhinha ou Pedro Gonçalves, ou até o menos exuberante Tabata, mas saíram do núcleo duro "apenas" Tiago Tomás e Jovane Cabral, duas pérolas que por ora apresentavam um brilho mais baço, se me é permitido dizer isto assim.

E com toda a calma do Mundo vieram dois excelentes jogadores, que sem dúvida virão acrescentar ao grupo, um de futuro, Edwards e outro para começar, esperamos nós, já a partir a loiça toda, o nosso Slimani.

Tendo em conta que do outro lado da rua não se deu por nenhuma aquisição de vulto e a norte sem dúvida que saíram os que marcavam a diferença pela positiva, será justo ansiar por uma remontada na classificação geral e voltar a olhar para o bi-campeonato com os mesmos olhos do início da prova. Inch'allah!

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D