Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Isto anda tudo ligado - Capítulo segundo

Publicar as contas da SAD, com um prejuízo de mais de 30 Milhões de Euros, num dia de estreia na Liga dos Campeões não lembraria ao diabo, mas lembrou a Zenha.

A gente fica sem saber se era incentivo para os rapazes ganharem o jogo e fazerem mais uns cobres, ou se foi apenas mais da mesma capacidade intuitiva de que o senhor já deu mostras em ocasiões anteriores.

O subtítulo deste post poderia ser "Amorim, bem vindo ao teu primeiro banho de realidade", o que tem a ver com a forma displicente como o treinador "estudou" o adversário, ao contrário do seu colega, que nos conhecia de olhos fechados e virado para o camarote presidencial, a piscar o olho ao Zenha, a modos que a dizer-lhe "já te gamei um milhão, ó pateta!" nem precisava de orientar os seus que sabiam de cor as nossas fragilidades. Ou melhor, sabiam das deles e fizeram por não nos deixar explorá-las. Percebeste Ruben? Não sei se sabes, deves saber, que fizémos a primeira falta aos... 28 minutos, já perdias por dois.

Ah, mas os nossos são verdes nisto da Liga dos Campeões. Verdade, mas eles tiveram lá um que parece que jogou pela primeira vez nesta competição e em cinco remates fez quatro golos.

Ah, mas o orçamento deles... Pois, o ano passado fomos campeões com um orçamento de brincadeira comparado com os directos competidores e jogador por jogador não somos inferiores a eles, aos holan...neerlandeses.

Houve portanto uma gritante falha do treinador. Não lembra ao diabo não ter um ferrolho na centro esquerda para ajudar o Vinagre, que azedou um pouco mais logo no primeiro minuto, mas se Amorim diz que mandou a maltinha jogar num 5x4x1 mas eles não quiseram, a coisa é muito mais complicada e grave do que a copiosa derrota por 5-1.

Mandará ele na equipa, ou os jogadores? Ou Zenha? Eu acho que o Zenha queria o milhãozito da vitória, para dar um reforço a Amorim, mas como não há graveto, diz ele que não há pão para malucos. Diz o gajo que publica as contas de caca no dia da estreia da equipa na Liga milionária, onde poderia fazer mais uns cobrezitos e ter uma montra para o mercado de Inverno.

Percebem como isto está tudo ligado?

Isto está tudo ligado

O Pedro Oliveira aqui em baixo já fala e bem sobre o fim da quaresma e do jejum motivado pela Covid e do recomeço das homilias com coro e música de órgão e ainda só vamos na quinta jornada.

Mas explicando o título acima, vocemessês lembrar-se-ão do Bobi, ou do Tareco, já não sei bem qual deles era ele ou seria os dois, sei lá, mas o Teles, Reinaldo de seu nome, começou na secção de boxe. Alguma coisa haveria de restar do legado do gão ou do cato (uma mistura de gato com cão ou vice-versa), que se perpetuaria pelo "bicho" e pelo insofismável Paulinho que para disfarçar tinha como apelido Santos.

Ontem sete gajos, a saber: O Ferrari vermelho e sus dos muchachos, o quarto árbitro e o VAR e seu ajudante, o AVARiado, não viram uma agressão do tamanho da Torre dos Clérigos de Coates a Pepe, que numa clara tentativa de ludibriar estas sete alimárias, amandou suas enormes queixadas contra o punho de Pepe que coitado, não conseguiu evitar o contacto. Felizmente o douto juíz da partida estava atento, a mais os seus seis auxiliares e deixou a jogada seguir. Estiveram  estas sete figurinhas mal, no entanto. Deveria ter sido admoestado o jogador do Sporting por teatro. Assim, exige-se um sumaríssimo, de modo a colocar as coisas no seu lugar e que Coates veja na secretaria o castigo que Nuno Almeida descaradamente lhe perdou, com a conivência de mais seis pilantras.

Se não acreditam no que escrevi, vejam as imagens!

Nota 1: Que me desculpem pela fonte das imagens, mas é o que há...

Nora 2: Vai sendo tempo de o Sporting começar a mandar recados de que não tolerará regabofes como os de ontem nos Açores e em Lisboa, Alvalade. Se possível ao mais alto nível.

Parafraseando Herman José

O artista e comediante tem uma frase emblemática que é "até que enfim que aparecem gajas boas" meio falado, meio cantado.

Fernando Santos terá dito o mesmo quando se apercebeu que no Benfica estava um jogador crucial para o jogo da selecção e segundo fontes seguras terá exclamado, atónito "mas como é que apareceu um médio tão bom e eu andei distraído?"

Ainda bem que Jorge Mendes lhe chamou a atenção...

Colinho, versão milionésima

No dia em que a lampionagem tem mais um jogo decisivo para a candidatura de Rui Costa e dos seus companheiros tótós à presidência do galinheiro, deparei-me com uma notícia neste espaço que nos abriga ( Sapo ) interessante e que só pode ser entendida como uma ajuda patriótica à "estituição" num dia tão importante para a nação lusa e para o PIB do país: Há uma lista de 60 jogadores a correrem para o título de "golden boy" e entre eles seis são portugueses. Dois são do Sporting, Nuno Mendes, consensualmente considerado o melhor lateral esquerdo português da actualidade e Tiago Tomás; Um do Porto, Francisco Conceição, por acaso formado na nossa academia; Fábio Silva, que joga no Wolverhampton; Gonçalo Ramos, do Benfica e Marcos Paulo, Fluminense/Atlético de Madrid.

Adivinhem lá quem é o boy da foto que ilustra a notícia, antes de clicarem na ligação que vos deixei ali em cima, se fazem o favor.

É reinação, só pode

_cl_1383.jpg

 

Recebi ontem um e-mail do Sporting Clube de Portugal, do qual os meus estimados consócios também devem ter tido conhecimento e recepção se se ligam por correio electrónico ao clube, onde me dava conta da inauguração da Cidade Sporting.

Ontem foi inaugurada a promenade (finesse é outra coisa) que é em simultâneo uma pista de atletismo com 100 metros de extensão ou vice-versa e um campo de basquetebol de rua.

Se a obra é importante? Sim, porque requalifica o espaço cincundante ao estádio, que estava em evidente estado de degradação. Aquele campo de basquetebol terá eventualmente uma utilização residual, mas havendo uma zona habitacional muito próximo, talvez convença alguns miúdos a deixar a internet e a irem praticar desporto durante uma parte do dia. Já a pista de atletismo infelizmente será pouco utilizada, que se está a ver que público nos estádios será coisa para não muito breve e os maiores utilizadores serão os adeptos que cumprirão os cem metros a correr, depois de deixarem a roulotte das bifanas no último segundo.

- Lá vem este gajo dizer mal, pensará a maior parte de quem se der ao trabalho de ler isto. Desculpem não me debruçar sobre a pré-época, mas outros autores (Pedro Correia, Luis Lisboa, p.e.) muito mais conhecedores do fenómeno técnico-táctico têm-no feito com a qualidade habitual, estamos bem servidos nesse aspecto. Continuando...

Não, este trabalho de conservação e manutenção é importante e permite conceder mais anos de vida saudável à infraestrutura e é muito mais barato que uma intervenção de fundo que seria necessária daqui a alguns anos e com custos elevadíssimos.

A colocação de uma tabela de basquetebol numa parede do estádio pode parecer irrelevante, mas é um sinal (pelo menos é como o entendo) de que o clube está aberto à cidade e seria bom que a miudagem dali à volta a utilizasse até gastar o piso, ou a partir com um grande afundanço...

Não, a razão daquele título ali em cima tem a ver com a noção das proporções.

Confesso, parece-me ridículo chamar Cidade Sporting ao espaço e mais ridículo ainda chamar o presidente da câmara municipal para inaugurar "aquilo" e cortar a fita (um cheirinho a passado que me faz comichões, desculpem). Ou então querem ver que a acção faz já parte da campanha de Medina à reeleição e se quer demonstrar que após o episódio "comemoração do título", estamos na paz do Senhor com a autarquia, caros associados e adeptos alfacinhas, já podem lá ir pôr a cruzinha no senhor!?

Se assim for, para mim que acho que futebol e política devem andar o mais afastados possível, ou tão afastados quanto possível, no mínimo, o título faz todo o sentido.

 

Nota final: Ao menos podiam ter pintado o corrimão...

Do revisionismo

A coisa é mais do âmbito da política, mas há quem a queira adaptar a outros campos da sociedade.

Todos nos lembramos da atitude asquerosa do Benfica, quando retirou a foto de Jorge Jesus do painel de vencedores do campeonato, quando este foi descartado e posteriormente assinou contrato com o Sporting. Hoje a foto já deve ter sido restaurada, mas ainda assim a atitude está registada para a história.

História também é que o Sporting Clube de Portugal teve como seu presidente um homem de nome Bruno de Carvalho. Por situações várias que todos reconhecemos, uns mais que outros, uma maioria larga de sócios que meses antes lhe tinha dado a maior maioria de sempre em eleições, entendeu destitui-lo e posteriormente expulsá-lo de sócio.

Falou a vontade da maioria dos sócios e estes são soberanos e justa ou injustamente a decisão foi tomada.

Para o bem e para o mal, Bruno de Carvalho foi presidente do Sporting, para uns muito bem e para outros muito mal, mas faz parte.

Não me parece que faça grande sentido, nem está nos nossos pergaminhos, levar a cabo uma qualquer Revolução Cultural. Não é assim que nos unimos e custa-me, passados quase dois anos sobre a eleição de um outro presidente e CD que finalmente começou a conquistar títulos que nos enchem de orgulho sportinguista, ler, ouvir e ver pessoas a quem um ex-presidente e ex-sócio continua a incomodar tanto.

Para nos afirmarmos diferentes tomámos uma atitude em Democracia. Não resvalemos para o patamar abaixo, é o que se nos exige a todos.

O presidente corrécio

Não, não é apelido.

Não, não se trata de Bruno de Carvalho.

Não, sequer se trata de Luís Filipe Vieira.

Não, tampouco se trata de Pinto da Costa.

Trata-se do presidente em exercício do Sporting Clube de Portugal.

Os meus amigos não sabem, mas O Jogo informa que Frederico Varandas terminou a época com cinco meses de suspensão, no total de castigos. Uma época com cinco meses de castigo para um presidente que passou a maior parte do tempo mudo e quedo, é obra!

Não gostam do senhor, lá nos conselhos da Liga e da FPF, ou o presidente do Sporting é um energúmeno de primeira apanha? Nada disso, até porque se vem constatando que os presidentes do Sporting (vide o que o anterior foi denunciando) quando acusam alguém ou alguma instituição, a coisa acaba por confirmar-se. O que eles têm é uma sanha de todo o tamanho ao Sporting e fossem eles o Ministério Público e quem tinha ido dentro ontem era Frederico Varandas, por se ter atrevido a ser campeão sem pedir licença.

A propósito, será desta que o título de 2015/16 será entregue ao seu verdadeiro vencedor?

Perder ou ganhar, tempo

"Todos os ciclos têm o seu fim. O do seleccionador Fernando Santos - que prescindiu de Nuno Mendes e Pedro Gonçalves, campeões nacionais pelo Sporting que nunca calçaram neste Euro-2021 - aproxima-se do epílogo. Mas esse é outro debate: haverá tempo e espaço para o fazer. Talvez só após o Mundial que vai disputar-se no Catar em 2022."

Esta frase é de Pedro Correia no post abaixo e tem toda a pertinência.

Para mim é mais que evidente que o ciclo de Fernando Santos na selecção terminou. Tenho todo o apreço pelo cidadão Fernando Santos e pelos títulos que ajudou a conquistar para o futebol português, mas como tudo na vida, chegou ao fim o seu tempo. As razões já lá estavam há largo tempo, a insistência em jogadores-fetiche que nada acrescentam(taram) ao colectivo, antes o diminuem (William Carvalho, Danilo, Bernardo Silva, João Moutinho, Raphael Guerreiro) e o facto de não ter conseguido a qualificação num grupo perfeitamente acessível no primeiro lugar, atirou-o para o tal grupo da morte na fase final, de onde a equipa saiu chamuscada e ferida de asa.

Não teria sido grave, se o técnico campeão europeu tivesse dado ouvidos ao imenso rumor dos adeptos. Eu bem sei que isto não se comanda de fora, mas que diabo, passará pelo cabeça de Fernando Santos que ao convocar para não utilizar Nuno Mendes e Pedro Gonçalves, privou a selecção de dois excelentes executantes e mais, privou a equipa de sub-21 de uma possível vitória no Euro que recentemente disputou? Rui Jorge parece ser um homem calmo, mas fosse comigo e haveria um tornado em Oeiras...

A questão que se coloca aqui é simples: Vai a federação esperar mais um ano com Fernando Santos ao leme, prosseguindo este com a sua teimosia a insistir nos mesmos jogadores que já se viu que nada acrescentam, ou conversa com o engenheiro e acertam uma despedida do seleccionador/treinador, de forma a garantir uma transição calma e uma aposta em quem realmente merece fazer parte do grupo?

Eu penso que é este o tempo de não se perder tempo. Esperar é deixar continuar o declínio de uma equipa que joga cada vez menos, dá cada vez menos espectáculo e pior, obtem cada vez mais, piores resultados.

 Termino com um sincero obrigado a Fernando Santos, mas com um convicto pedido de que pense seriamente na qualificação e na fase final deste Euro 2020 e nas suas consequências e se despeça enquanto o descalabro não é mais retumbante. 

 

Nota: Para que não restem dúvidas, Cristiano Ronaldo continuará a ser, por mais algum tempo e se não tiver lesões, imprescindível à selecção.

 

O Euro visto por mim

Do alto da minha sapiência futebolística e munido do meu diploma de nível 0 (zero) de treinador de futebol, agora que saímos bem vivos (diria até que ressuscitados) do grupo da morte, com um conhecimento acumulado de mais de 50 (cinquenta) anos a ver futebol ao vivo e nas pantalhas, cá vai a minha análise a esta fase de grupos, concretamente ao grupo onde a selecção portuguesa se exibiu:

Começou bem o grupo comandado pela dupla Santos (o Fernando e a santinha) com uma vitória expressiva, veio a confirmar-se agora, até porque um resultado por três de diferença numa fase final duma competição destas é já considerado uma goleada. Vitória tardia que não tínhamos entendido muito bem, até vermos a Hungria empatar com a França e a poderosa Alemanha empatar (esteve a perder por duas ocasiões) com os magiares. Tivessem ficado por resultado igual e não viajaríam até Sevilha para defrontar a Bélgica.

Isto confirma a teoria popular (o povo tem sempre razão) de que candeia que vai à frente alumia duas vezes e "desconfirma" a do meu amigo Maia, cigano, que diz que os da sua etnia não gostam de ver bons princípios aos filhos, ou até a que todos nós que em miúdos jogávamos à bola na rua defendíamos, quando o muda aos seis e acaba aos doze estava a correr mal, que o primeiro milho é dos pardais.

Foi esse milho que deu respaldo e energia para a equipa resistir e ressurgir depois de um tornado que apareceu com nome de Alemanha e lhe infligiu uma derrota pesada, que chegou a ter contornos e previsão de tragédia, mas que no final, sendo mau, não foi assim tão mau como a exibição. A coisa poderia ter sido pior e tememos todos por isso. Verificou-se que a teimosia, não sabemos se do Fernando se da santinha, que parece que eles às vezes não se entendem e é preciso invocar outros postos na hierarquia, desta vez tinha passado os limites, ao colocar em campo um team onde pontuaram alguns elementos, como hei-de dizer... lentos? Apáticos? Ausentes? Incompetentes? Escolham, façam-me o favor, ou juntem tudo, estejam à vontade.

A gente sabe que era a Alemanha que estava do outro lado, que vinha de uma derrota com a França, que precisava de ganhar, isso tudo, mas havia necessidade de insistir com algumas das vacas sagradas? Vamos lá ver, que andou até agora o William Carvalho, que esteve quase toda a época a aquecer o banco do Bétis, a fazer a titular que o João Palhinha não tivesse feito ontem muito melhor? Dizem as más línguas que Palhinha andou mais ontem em dois túneis que o inútil WC nos dois jogos anteriores e eu tendo em concordar. E a insistência no Rafa, que tem ar de bom rapaz, mas não chega; E continuar com Bernardo Silva, que continua a ser uma nulidade na selecção? Há coisas que só mesmo o Fernando e a santinha conseguirão entender, mas certamente não conseguirão explicar.

Mas a Alemanha viu-se à rasca para empatar com a Hungria, dirão os leitores. Pois viu! Mas quem viu o jogo, viu uma Alemanha a pressionar e os húngaros a fazer dois remates e a marcar dois golos. Durante todo o jogo alugou-se meio campo, mas na bola o que conta é a eficácia, porque se contassem outras teorias quaisquer, como nós ganhámos à Hungria e os outros apurados empataram, a gente é que devia ter ficado em "primeiros"!

Bom, o homem e a sua adjunta (a ordem dos factores é arbitrária) lá deram o braço a torcer, a custo que segundo consta são ambos teimosos que nem mulas, salvo seja, e fizeram uma autêntica revolução para este jogo com a França! Mas ó pá, Edmundo, só mudaram dois! Pois! E tenho pra mim que quem escolheu o Renato rastafari foi a santinha, que o Fernando não arriscaria tirar o diesel WC para meter o nitro. Já a entrada do jovem Moutinho, não tenho quaisquer dúvidas que foi obra exclusiva do Fernando. Vocês viram o mesmo que eu quando tocava o hino, a força que ele fazia com a mão onde ele guarda a santinha? Até ela estava esbafurida ao perceber que há um treinador no Mundo que prescinde de Bruno Fernandes num onze!

Bom, sinceramente espero que não se tenham zangado os dois, que vem aí a Bélgica e que escolham, têm até Sábado à noite, os melhores para a função. Por melhores quero dizer os mais capazes, não os com melhor estatuto, e não ter medo dos outros.

Se eles têm o Tintin, nós temos o Major Alvega!

 

Nota: Todos diferentes, todos iguais e o maior respeito pela opção religiosa de Fernando Santos. Procurei dar uma nota de humor, mal conseguido eu sei, ao texto, para aligeirar, que isto do futebol "não é um assunto de vida ou morte"...

 

Que bela surpresa

Apareceu cá hoje, acompanhado da calça respectiva em preto, oferta do Eugénio Oliveira, o "maior" do Golball. Os dois robalos (oops! robalos, já ouvi falar nisso nalgum lado) ainda que grandes e gordos não pagam nada disto. Nem os caracóis no clube naval da Ericeira, que se seguiram. Que maravilha de presente!

22103384_biWTp.jpeg

Outras bancadas

No seguimento do post da CAL e na esperança de que com esta razia no futebol feminino se esteja a ver um pouco mais além, quero chamar a atenção para a excelente reflexão de Álvaro Antunes, n' A Tasca do Cherba, sobre o tema.

Creio ser um assunto que deve ser abordado aqui, com os comentários que muito bem entenderem fazer, uma vez que o FF já deixou de ser (já deixou há muito no resto do planeta futebol) um grupo de "miúdas" que "arremedam" os rapazes e dão uns chutos na bola. E como muito bem reflete Álvaro Antunes, investir no FF é para o clube uma prioridade. E como o ecletismo é a nossa marca de água, é também importante vermos as nossas camisolas nas Ligas europeias, vestidas por mulheres a praticar futebol. Do bom, como é nosso timbre.

Yin-yang

Para não vos tomar muito tempo, lembro-vos que o Sporting bateu, na época passada, todos os records negativos que havia para bater.

Como acontece nas organizações a sério, o responsável é o dirigente máximo.

Este ano a situação inverteu-se e todos nós, nem nos nossos sonhos mais optimistas, antevíamos uma época tão recheada de records, estes sim na verdadeira acepção da palavra. E ainda não acabou, todos esperamos. O título, que seria, sejamos honestos, não mais que um desejo de todos os anos, passou a estar à distância de quatro pontos, hoje. E perfeitamente ao alcance, que o foco, como se viu ontem depois do jogo, sem celebrações exageradas dos jogadores, continua o mesmo: Jogo-a-jogo, até alcançar mais um objectivo.

Como acontece nas organizações a sério, os responsáveis são os trabalhadores.

Rúben Amorim, um "puto" que dá lições de comunicação, faz sempre questão de nos recordar isso a cada conferência de imprensa, a cada rescaldo de um jogo, a cada entrevista rápida e ainda que ontem o tivesse atraiçoado a "sinusite" e fosse questionado sobre si próprio, não deixou nunca de nos mostrar que a relação com os jogadores é magnífica e esse será talvez "o" segredo, a proximidade entre treinador e jogadores.

E deixar que cada macaco fique no seu galho.

É assim que deve funcionar.

Independentemente do mérito de cada um.

Que o há, claro!

Filhos da puta há muitos

E afinal não são apenas e só os que vestiam de preto.

Esta até me faz lembrar um ex-presidente da lampionagem que esteve dois segundos em liberdade, num daqueles imbróglios em que foi caçado. Rúben Amorin ainda tinha a cadeira da bancada quente depois do último castigo e já foi novamente relegado para a bancada, estando impedido de se sentar no seu local de trabalho no jogo em Vila do Conde, amanhã.

A coisa, terrível, deu-se a 17 de Outubro no jogo em casa com o Porto. Amorim foi expulso e disse que do outro banco alguém que se portou da mesma forma deveria ter sido expulso também. Falou em dualidade de critérios.

A coisa foi tão grave que demorou seis meses a ser analisada, talvez ao microscópio.

Curiosamente o caso gravíssimo da violação da dignidade do trio arbitral, teve uma instrutora que até pediu o arquivamento da coisa, de tão disparatada que era.

Ora estes, os do Conselho de Disciplina(?), entenderam espetar-lhe, a Amorim, com mais seis dias de castigo. Toma, que é para aprenderes! 

É à descarada, é o vale tudo, é a filha-da-putice no seu elevado explendor.

Mas se pensam que nos vergam, seus merdas, enganem-se, vêm ainda dar-nos mais força!

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D