Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O golpe de asa do speaker

Se há lugar que temos bem preenchido é o de speaker. Então agora com o PA* novo o homem ouve-se em Cacilhas...

A coisa na primeira parte não estava a correr. Nem bem, nem mal, não estava a correr mesmo, que eles era só com três velocidades: Devagar, devagarinho e parado e quando lá por baixo de mim começaram com aquela cantoria do "e óóó Va-ran-das, o que é que tu fa-ze-za-qui-a-pre-si-denteeeeeee?" foi quando ouvi algum sonzinho vindo da central, umas assobiadelas lá para os de baixo de mim, que para os marmanjos que se arrastavam em campo nem uma palminha e um "vaz'mbora!" Pronto, justiça seja feita, lá para a segunda parte, quando um dos do falso Belém se espojou junto à linha lateral a imitar os nossos, trataram de o assobiar quase com tantos decibéis como o do PA* novo e ao árbitro por tabela.

O golpe de asa do speaker aconteceu ao intervalo quando, certamente a recado de Varandas que de futebol percebe o homem, através do novo PA*, se virou para as bancadas e perguntou, alto e bom som "quem é que aí nas bancadas já jogou à bola?" e logo duas ou três centenas de barrigudos e outros menos se levantaram das cadeiras, pensando que iam ser convocados para um jogo das velhas guardas. Estavam redondamente enganados, como se viu na segunda parte quando entraram em campo já depois de nos terem rebentado com os ouvidos com mais uma exibição do PA* novo, que se não ultrapassou os 100 dB pouco faltou. Demoraram algum tempo a começar a carburar, mas não é que ali em dez minutos, entre os 70 e 80 deram uma lição de bola aos coxos que começaram o jogo? Marcaram dois golos e poderiam ter marcado outros dois pelo mesmo rapaz que nos seus tempos áureos foi ponta-de-lança (atenção Varandas, agarra este!) no Grupo Desportivo de Matrena. Claro que no final as barriguinhas falaram mais forte e os últimos dez minutos foram a um ritmo mais lento, mas mesmo assim meteram num chinelo as aventesmas que se arrastaram agonizantes na primeira parte.

E foram os responsáveis por não haver mais uma faustosa exibição do PA* no final do jogo, que a malta do "e óóó Va-ran-das, o que é que tu fa-ze-za-qui-a-pre-si-denteeeeeee?" ficou sem munições, pelo menos por hoje...

E livraram o Pedro Correia da chatice de ir à Câmara de Lisboa,  fazer queixa daquela barulheira infernal que me ia rebentando com os tímpanos logo a seguir ao intervalo. "Ná-via" necessidade, porque toda a gente via que com aqueles onze que entraram na segunda parte, aquilo eram favas contadas. Eheh

 

*PA: palavras em inglatónico para aparelhagem de som, mas eu às vezes gosto de dar uma de cagão e mostrar à malta que sou erudito...

Promessa. Mais ou menos...

Por razões profissionais, não vi o jogo ontem.

Só lá por volta das 2.30h é que vi um pequeno resumo, que nem deu para perceber se se jogou bem ou mal, mas deu para ver o futuro ex-defesa central Coates aos poucos a redimir-se dos golos contra e mais um golaço de Bruno Fernandes.

O que interessa nestas competições são os pontinhos amealhados para seguir em frente e isso o Sporting fez com distinção. Se jogou mal ou bem, daqui a alguns meses só os viciados das estatísticas e do "contra" se lembrarão, porque o que ficará para a história será o resultado e esse não poderia ter sido melhor.

Já afirmei aqui milhentas vezes que pouco me importa a exibição se o resultado for a vitória, ainda que como espectador aprecie um futebol bem jogado e partidas bem disputadas.

Neste momento o Sporting precisa de vitórias para estabilizar como equipa e continuo a acreditar que podemos lá chegar com Silas, apesar de todas as deficiências que possa ter, e com um rearranjo do plantel em Janeiro. 

Já tenho muitas dúvidas se quem está acima terá a competência necessária para rearranjar o que quer que seja...

Bom, estamos em primeiro no grupo, com dois "à perna". Temos um dos dois jogos que faltam em casa e se o vencermos cumpriremos o objectivo, muito bom se assim acontecer.

Então lá vai a "coisa" do título: Como não vi e ganhámos, estou quase em prometer não ver os dois que faltam. Mais ou menos... que o bichinho é lixado.

Coates, Coates, Coates!

Grande jogo finalmente, perante um adversário que deu muita luta e com imensa qualidade.

Para a apreciação individual cá virá o Leonardo Ralha, mas para mim o melhor em campo foi sem dúvida Vietto e Coates mereceu tanto aquele golo! Por tudo o que de bom lhe pode trazer e à equipa.

(eu disse ao Pedro Correia que acredito que Silas dará a volta a "isto". O que eu o desejo...)

Sportingggggggggggggg

Seria inevitável

Leio nas edições on-line dos jornais que as claques JL e DUXXI terão cinco dias para abandonar as "casinhas".

Não faria sentido que assim não fosse, na sequência da decisão unilateral de quebrar o protocolo existente entre as partes.

Daqui do meu sofá e lá no estádio, no meu lugar "cativo", desejo ardentemente que isto não descambe em violência nos dias dos jogos e nos outros, obviamente.

Entretanto pelo menos para o próximo jogo, os lugares naquele sector não estão à venda. Também faz sentido, se tudo o resto fizer sentido.

As claques que restam, tal como fizeram ontem, não deixarão de puxar pela equipa e até eu farei um esforço para bater umas palminhas.

A ver vamos no que isto vai dar, mas espero que dê saúde ao Sporting, acabe lá isto como acabar.

Foi mesmo por meio a zero

A determinada altura do jogo, na primeira parte, dei por mim a pensar (a pasmaceira do jogo até deu para isso), depois daquela clara oportunidade de golo falhada por Coates, que hoje pelo menos não perderíamos com o Alverca da Noruega, mas depois de se me assomar o nome Alverca, o ânimo parece que esmoreceu. Foi então que tive a epifania da noite (também deu para isso, sim) e matutando que até fazia fumo (pensei que fosse lá de baixo da JL, mas a esses tiraram-lhes o fumigador, portanto só podia ser mesmo eu), voltei a pensar " se os gajos tivessem as camisolas trocadas, quem é que tu achas, Edmundo, que teria lugar no Sporting?" e olhando, olhando, olhando, olhando tanto que até se me varreu a vista que me pareceu que o Bruno mandou uma à barra, mas não sei bem se mandou ou não, portanto esse ficava com ele e estava a colá-lo na caderneta quando o Vietto obrigou o redes deles a uma "ganda" defesa e eu nem guardei o livro dos cromos e pimba, mais água com farinha e o argentino capturado! O cromo seguinte foi um gaulês russo que só por estar em campo só pode ser pelo Sporting e os meus amigos não imaginam o esforço que foi preciso fazer, depois de colar mais um na caderneta, outro argentino que o Silas agora deu em amarrar à defesa, mas que continua a ser o melhor extremo que temos, não sabem o esforço que foi preciso fazer para encontrar outro gajo que pudesse fazer parte do plantel do Sporting, se os que vestiam de Sporting vestissem de cor-de-rosinha... Não encontrei, que também não foi para isso que lá fui, isso é tarefa para o Hugo Viana que percebe disso muito mais que eu, como se tem visto e observado.

E como a sorte protege os "audazes", aquela onda verde que massacrou durante todo o jogo o Alverca, perdão o Rosenborg, foi perto dos setenta minutos de uma extensa agonia, brindada com um golo às três tabelas que nos deu uma vitória de que precisávamos como de pão para a boca.

Ah! Não jogámos nada, disse-me o macaquinho que tenho aqui no sótão e que às vezes tem a mania de se "inxirir". Ó pá, eu quero lá saber disso p'ralguma coisa! Ganhámos, três pontos, já cá canta, as boas exibições virão depois. "Com apenas os quatro gajos que tu escolheste?" Raio do símio...

Já não vi os lençois e não ouvi palavras proferidas em direcção do camarote presidencial, pelo simples facto de que me queria pirar logo que o senhor de amarelo que também me parece que passou pelas brasas durante o jogo já que só amarelou os cor-de-rosinha já nos descontos, queria pirar-me logo que terminasse o jogo, dizia e porque ainda o senhor de amarelo estava a soprar na coisa e já a nova aparelhagem sonora do estádio, que é boa que se farta e toca bué da alto estava a tocar uma música maluca do (pasodoblismo) varandismo e eu a bem dizer já estava quase ao pé do Ricardo Jorge e ainda ouvia aquela chinfrineira e palavras contra a direcção, felizmente nenhuma! E depois, bateu-me! O gajo mora em frente, aquela berraria toda é para não o deixar dormir, não é para não se ouvirem os gabirus das claques a berrar. Pensam em tudo, dei comigo a matutar, já ia na Calçada de Carriche...

Sportinggggggggggggggg!

A nuvem por Juno

Bom, eu queria aguardar para o pós-jogo de hoje para "dissertar" sobre a problemática das claques, porque estou curioso para ver como se porta "o estádio" com esta nova realidade, mas entendi que a opinião que tenho sobre o assunto não se alterará seja qual seja a atitude da "curva sul" na recepção ao Rosenborg.

Já tenho por aqui escrito e defendido que as claques, não sendo fundamentais ao apoio aos atletas em competição, são um factor muito importante desse apoio e por vezes nalguns locais, o único. Na sua essência, as claques são um factor positivo para os clubes, neste caso particular para o Sporting ainda que circunstâncias várias fossem desvirtuando o seu papel e a sua existência, ao ponto de hoje grande parte dos adeptos as considerarem um factor negativo e desagregador, tão longe do seu papel inicial. E lamentavelmente estarão certos nesta apreciação.

Anos de evolução das claques sem regulação e após regulação sem fiscalização adequada, conduziram-nas a quase todas a grupos compostos maioritariamente por gente boa, é certo, mas em quase todas dirigidos por gente muito pouco recomendável.

São conhecidos episódios de violência extrema protagonizados por membros de claques de outros clubes, alguns até que ceifaram a vida a pessoas de carne e osso; São conhecidos episódios de tráfico de estupefacientes nas "casinhas" das claques de vários clubes; São conhecidos e estão sob alçada da justiça, vários actos criminosos perpretados por elementos de várias claques, entre eles elementos da Juventude Leonina; É público que o dirigente máximo dos super dragões se passeia num automóvel de luxo de alta cilindrada, não se lhe conhecendo fontes de rendimento para tal; Do outro lado da rua passa-se pela porta 18 com uma impunidade arrepiante...

O que quero eu dizer com este intróito? Pois quero dizer que apresentado o cenário atrás descrito, por muito mafiosos que sejam Pinto da Costa ou Filipe Vieira (e falo por ouvir dizer) e por muito mafiosos que tivessem sido Godinho Lopes e Bruno de Carvalho, outros antes deles e Varandas agora, qualquer medida avulsa que seja tomada contra as claques (oxalá eu esteja redondamente enganado), como esta de Frederico Varandas agora, estará condenada não só ao fracasso mas pior, estará intimamente ligada a uma escalada de violência que afastará as pessoas do estádio.

Eu percebo a atitude de Frederico Varandas e em tese até concordo com ela: as claques não podem ser um "estado" dentro de outro "estado" e não podem condicionar a gestão do clube como grupo, ainda que os seus membros enquanto sócios tenham todo o direito a ter opiniões semelhantes e concertadas. Apresentem-nas dentro das regras instituídas e "que ganhe o melhor", se for esse o caso. Pode Frederico Varandas estar no entanto certo que, como disse atrás, esta sua posição/atitude estará condenada ao fracasso se quem tem obrigação de resolver o problema se continuar a demitir da sua obrigação. Falo obviamente do governo, do ministério público e dos tribunais. Tivessem estas entidades em devido tempo prestado atenção ao fenómeno, ao crescimento da violência e criminalidade associadas e Frederico Varandas contaria com um grupo de claques focadas no apoio aos atletas de todas as modalidades e não à contestação ao seu mandato (contaria com ela, mas noutras sedes e noutro contexto) e Godinho Lopes e Bruno de Carvalho não teriam sido seus reféns. Quem afirma que as claques funcionavam como guarda pretoriana dos presidentes que por cá passaram é no mínimo distraído e não está bem a ver a relação de forças. E é de força mesmo que falo! Tudo o que estas duas claques agora penalizadas movimentam, a força da inércia que deslocam, o mundo que à sua volta gira é, por muito que me custe dizê-lo, mais que qualquer presidente e eles têm-se deixado encostar debaixo do toldo "amigo" destas claques, para conseguirem minimamente governar. 

É boa a medida? Se quiserem que seja simpático e pensando de forma simplista, sim! No entanto se pensar que nas claques estão jovens sportinguistas que "apenas" querem ajudar o Sporting com o seu apoio incondicional, vibrando pelo clube em cada estádio, em cada pavilhão, em cada local onde compita um atleta do Sporting e que esses jovens são a esmagadora maioria dos membros das claques, se calhar aquilo que já aqui escrevi, ad nauseum, e que é a medida que deveria ter sido tomada logo a seguir à invasão de Alcochete, que era a suspensão (ainda que preventiva até decisão do processo em tribunal) e a consequente proibição de frequentar as instalações do clube aos membros das claques e outros que sendo (ou não, por maioria de razão) sócios do clube, perpretaram aquele acto criminoso, evitaria esta medida radical agora tomada. Será avisado que não se tome a nuvem por Juno, sob pena de estarmos a hipotecar o futuro do clube, que como sabemos pouco tem ganho no futebol nos últimos 40 anos e chamar jovens a um clube que não ganha...

Parece-me que o caminho, mais que uma refundação das claques JL e DUXXI, será "apenas" a aplicação da legislação em vigor, que é quanto baste para que as coisas funcionem na perfeição. Não podendo o clube imiscuir-se na organização interna das claques, que são personalidades jurídicas autónomas, pode no entanto condicionar a sua actuação intramuros à verificação do cumprimento da legislação. Será fácil, cumpre a Lei conta com apoios, não cumpre, não conta!

Não será contudo sério que culpem apenas o "Orelhas", o "Papa", o "Fivelas", o "Kim" e o "Flopes" pelo descambar desta realidade que são as claques em Portugal. Se calhar o "Bolo Rei", o "Sócas", o "Coelhone" e o "Monhé" também têm muitas culpas no cartório. 

Reciclar, reutilizar, (reduzir) reformar

Eu cá por mim aproveitava as faixas, sempre se poupa algum...

Não sei se os mesmos se prontificarão para a tarefa (legítima na altura como o será agora), mas se não, deixem lá o material que alguém rapidamente lhe pegará.

Manifestantes pedem novas eleições no Sporting

Nota: Foto retirada do Expresso, publicada no dia 04.06.2018 às 23.09 horas, pública portanto.

Pacificar a AG

Leio no sapo que a bendita da reestruturação financeira está prestes a ser concluida. 

Processo iniciado ainda no tempo da direcção presidida por Bruno de Carvalho, segundo o sapo notícias segue mais ou menos os moldes desenhados na altura e prevê a recompra das famigeradas e tão importantes VMOC's, permitindo que o clube fique, como então estava previsto, com a maioria do capital da SAD e reduza o passivo em cerca de 100M€.

Parece-me importante que finalmente se conclua um processo já longo e que teve pelo meio, fruto da situação conturbada do clube, alguns emperros que pouco ajudaram à sua rápida, como se pretendia, conclusão.

Se Frederico Varandas conseguir levar à AG da próxima quinta-feira a reestruturação financeira fechada, não fazendo esquecer este início de época desastroso e as trapalhadas que o rodearam e vão diariamente rodeando, todas as mazelas do seu mandato, apresentando a reestruturação fechada, pode haver lugar a uma calmaria nas hostes leoninas, que bem precisa de paz, como bem diz Pedro Correia no post anterior.

Esqueço tudo o que de mau até aqui fez este CD? Não, podem apostar! Mas como já escrevi em post anterior, Frederico Varandas terá o meu respeito institucional e enquanto for presidente do Sporting e uma vez que a minha posição é pública, não bato mais na tecla. Venha a reestruturação e vamos ver se com as contas "em dia", a montanha manda cá para fora o que de bom lá guarda. Que até agora, só um rato...

Peraí, Silas

Isto não é estar a meter veneno, meu caro, mas só por uma razão muito ponderosa e ponderada é que tu vais "meter" o Ilori na zaga direita e deixas o Rosier na bancada (por conta de um eventual cansaço, com uma paragem de seguida no campeonato?) e sem um só jogador com as características de lateral direito.

E se assim for, aceita desde já as minhas desculpas. Caso contrário, acho que estás a dar um tiro no pé. Mas isto sou eu, que não percebo nada de bola.

Lembrando Mortimore

E de repente veio-me à memória (uma frase batida) a frase preferida de Mortimore, treinador dos rivais há um ror de anos, cuja equipa não jogava nadinha, mas que por obra e graça do Espírito Santo lá conseguia ir ganhando os jogos, quase todos, por 1-0. À sacramental pergunta dos jornalistas, "mister, de novo um a zero?..." Mortimore respondia invariavelmente "um a zero, dois ponta!"

Pois hoje foi um a zero e três "ponta". O resto há-de vir depois, espero eu.

Do valor das marcas

21569533_afQz5[1].jpg

 

Alguém hoje contabilizou já em quanto desvalorizou a marca Sporting essa coisa levianamente dita pelo senhor presidente do Conselho Directivo, Frederico Varandas, de que o Sporting é um clube de malucos?

Esclareço antecipadamente que o meu contributo para a sua saída da cadeira do poder é o mesmo que dei para a saída do antecessor no cargo, nenhum. Não subscreverei listas de destituição, tal como não subscrevi para o anterior e se porventura houver lugar a uma AG onde o assunto seja a destituição, farei questão de não estar presente, como não estive na que destituiu o antecessor. A minha "batalha" será aqui, para a exigência da apresentação do pedido de demissão de todo o órgão. O próprio deverá chegar à conclusão de que faz já parte do problema, sem nunca ter chegado a fazer parte da solução.

Como é que se costuma dizer? Isso... Os superiores interesses do Sporting.

É Silas?

Seja Silas, terá todo o meu apoio e a certeza de que nenhum assobio ou pateada durante qualquer jogo ouvirá da minha parte (como nenhum outro, aliás), por muito mal que corra e espero que não haja motivo para tal.

Já que o presidente do CD, e responsável máximo pelo futebol, não teve a coragem, o discernimento e até o espírito de missão que seria a sua demissão e entendeu encetar uma fuga para a frente, vamos lá cerrar fileiras em torno de Silas e dos jogadores e dar descanso à equipa. Sem contudo baixar a bitola da exigência, que num clube como o Sporting é assunto umbilicalmente colado e de referência escusada.

Boa sorte, Silas, e que a tua sorte seja a do Sporting.

Eu fazia assim:

Antes de contratar quem quer que fosse para treinador, entregava o lugar ao Benedito, numa comissão de gestão e metia a viola no saco, que já se viu que não tem unhas para aquela viola.

Como se diz lá por Tomar, a porta da rua é a serventia da casa!

E sim, é esta a partir de hoje a minha posição sobre este Conselho Directivo. Chega de cheques em branco e o passado já passou. Respeito institucional, mas não mais do que isso.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D