Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Um pouco de rigor, por favor

Já recebemos as notícias: O homem vai à sua vida! Mas sejamos rigorosos.

 

1) Ouvi na CS dizer que os resultados indicavam que haveria uma percentagem de 30% de votos que "queriam Bruno de Carvalho". Jornalistas com tantos anos de experiência deveriam ser mais rigorosos. 30% queriam BC ou queriam que ele continuasse como sócio? O que não é, de todo, a mesma coisa. A percepção que tive de muitos defensores da não expulsão era precisamente ele poderia continuar pois nunca mais seria presidente. Não tenho estatísticas mas acho que se poderá afirmar com segurança que dentro dos 30% dos que votaram pela não expulsão haveria uma percentagem significativa que recusaria um regresso de BC. Simplesmente achou que ele não deveria ter sido expulso.

2) Admito que uma percentagem mais pequena queira o regresso de BC por razões oportunistas. Mas haverá seguramente um grupo (ainda que possa ser minoritário) que votou BC porque julgou que ele estava a encarnar uma postura que eles desejam (assim como muitos outros) para o Sporting e  não reconhecem devidamente mantida na actualidade. Acho que não se perderia nada, aprofundar internamente as medidas que se poderiam tomar para colocar o Sporting na agenda e na vanguarda de um combate pela verdade desportiva e pelas mudanças na podridão do futebol. E as medidas concrectas e as medidas de comunicação com os sócios a este respeito. É um bom momento para fazer lembrar aos sócios que esse combate tem de fazer parte da nossa agenda e que temos um plano de acção para isso. Seria um bom passo na união...

Mas que venha o futebol e que o Sporting vença! 

Agir no presente com olhos no futuro

Como não estive (nem posso estar presente) não teço comentários sobre a arruaça das Assembleias Gerais. Mas o que vejo nos comentários?

1) Parece haver uma esmagadora maioria de sócios que partilha a ideia "BC nunca mais". Ainda bem. Sou desses.

2) Já existem algumas dúvidas sobre se ele deve ficar como sócio ou não. Confesso que a ideia das expulsões não me agrada. Mas se, de facto, a tropa do senhor não consegue ser oposição sem ser pela arruaça então não vejo outra solução. Um facto que acho de um imenso significado é  de quase todas as posições defendendo BC são anónimas. O que significa que a voltar ao poder, nós teríamos de nos confrontar com quem não olha a meios e se esconde no anonimato... Isso é um valor que acho dever ser rejeitado subliminarmente, no Sporting como na vida. Não tem nada a ver com os nossos valores.

3) Dito isto, acho necessário que fique claro que, se BC governou o SCP em 5 anos é porque foi eleito e reeleito. Parecia (sublinho o "parecia" ) que ele dava corpo a uma vontade de um grande número de sportinguistas em ver o clube 1) Romper com algumas práticas antigas; 2) Ter um papel de maior significado na agenda dos problemas do futebol pelas melhores razões 3) Estar na luta pelos titulos de forma convincente.

A mim parece-me que, haveria pois, um "memento" desejado em que um bom número de associados assumiu que BC poderia dar resposta às suas aspirações. A meu ver, o homem não deu resposta real a isso e percebeu-se até que a sua tosca manipulação não era mais do que a montagem de uma tropa pretoriana (com privilégios especiais) para o sustentar no poder. Quem dá voz a essa tropa (falo da CS) está-se borrifando nela mas usa-a para diminuir o clube. E é so isso que a mantêm "viva". Ou seja, ela se mantém sem representantes no poder e apenas como arma de arremesso...

Mas, a saída de BC e de seus acólitos de cena não nos pode fazer esquecer que os sonhos de fundo subsistem. Isso me preocupa porque, apesar de todos os bons indícios, parece-nos ainda que temos muito caminho pela frente... Parece-me importante para o futuro que seja respondida a expectativa de um enorme grupo de jovens que são do Sporting apesar de nunca terem ganho um campeonato o que mostra que estão porque gostam de facto do clube e não porque querem estar, oportunisticamente, com "os vencedores" pois isso lhes dá a satisfação que não conseguem encontrar na vida... Que se vote pensando nisso!

O facto que deixa de o ser

Já não é a primeira vez que acontece em diferentes sectores e no futebol em particular.

Suponhamos que existe um roubo. O ladrão é armadilhado com uma camera com som e, em sua casa, revela que foi ele o autor do roubo. Vai a tribunal acusado e sustentado pela prova obtida de forma ilegal. Uma das partes diz que, porque as provas são ilegais, o ladrão é absolvido. 

Gostaria de perguntar: Deixou de haver roubo?

Sinceramente, se um caso destes vai a tribunal e os factos são provados, não poderá haver acusação (no mesmo ou noutro processo) sobre o mesmo facto?

Haverá por ai alguém que me explique exactamente o que a lei(s) diz? Claro... claro: Verdade e Justiça não são a mesma coisa, mas será que há assim tanto sítio onde a forma prevalece sobre o conteúdo?

Os emails foram obtidos ilegalmente. Punam-se os infractores. Correcto. Mas as acções que as provas ilegais descrevem deixaram TAMBÉM de ser crimes? Esclareçam-me por favor pois acho que não sou único na dúvida...

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D