Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Uma carta e peras!

A carta aberta de Pedro Proença a Rui Patrício publicada no facebook é das coisas mais demagógicas que li na minha vida. Além disso, está cheia de chantagem emocional. Resumindo: um disparate do princípio ao fim.

 

«Sim, porque a tua rescisão não foi com Bruno de Carvalho nem com qualquer elemento da anterior direção. A tua rescisão foi com o Sporting» - é proibido rescindir com o Sporting? É crime?

 

«Mais ou menos como, e fazendo fé nas tuas palavras, se tivesses fugido da casa dos teus pais, zangado, e entendendo que já não tinhas condições para viver na mesma casa» - acontece a muito boa gente e raramente (ou nunca) a culpa se encontra de um só lado.

 

«Mais ou menos como se tivesses voltado costas ao passado que a tua família te deu, às histórias de cada canto da casa em que nasceste e cresceste, como se tivesses passado uma borracha em todos os momentos do teu crescimento em que os teus pais estiveram lá, para ti, nos bons e nos maus momentos» - mas que dramalhão! Este senhor já pensou em escrever guiões para telenovelas?

 

«Esperaste ser maior de idade, esperaste ter um emprego que te permitisse a independência e a estabilidade necessárias para poderes fazer face às tuas despesas… esperaste pelo momento em que já tinhas a tua mulher, os teus filhos, para evitares ficar só…» - eu diria que se trata de um rapaz muito responsável. Pior seria se saísse menor, sem emprego, nem sítio para onde ir e andasse aí à deriva. Ainda se metia nas drogas...

 

«Pensaste em ti, sobretudo em ti. Não pensaste nem nos teus pais que te fizeram como gente, nem nos teus irmãos que cresceram contigo na mesma casa» - chantagem emocional, pura e dura!

 

«E só abandonaste a casa que te viu nascer e te fez crescer no momento que entendeste» - mas algum homem que se preze (maior de idade) está à espera da autorização do pai para sair de casa e ir à sua vida?

 

«Podias simplesmente, até num gesto de humildade e gratidão, ter pedido para sair» - idem.

 

«Tenho a certeza que os teus pais, por muito que lhes custasse, ou não fosses tu o primogénito da casa - o capitão - te deixariam ir» - mas que pais tão simpáticos! Há pais destes?

 

«Bateste com a porta. E bateste-a com tamanho estrondo que sobressaltaste toda a gente e causaste estragos quase que irreparáveis no coração de quem te fez e te criou» - chantagem emocional, parte 2.

 

Ufa! Ainda bem que eu não tenho um pai assim!

E Para Desanuviar...

... Falemos do Mundial! Afinal, não somos os únicos com jogadores a precisarem de equilíbrio psicológico, depois da bomba que caiu sobre a seleção espanhola. Mas nem era da Espanha que queria falar e, sim, da Alemanha, que, ou me engano muito, ou vai surpreender pela negativa.

 

Depois de uma qualificação impecável (só vitórias), os alemães fraquejaram nos jogos de preparação para o Mundial. Nem começaram muito mal, ao empatarem precisamente com a Espanha de Lopetegui por 1:1, a 23 de Março, mas seguiu-se uma derrota frente ao Brasil, por 1:0, a 27 do mesmo mês. Ambos os jogos foram disputados em casa e havia muita expectativa, principalmente em relação ao último, depois da vitória histórica da seleção germânica por 7:1, nas meias-finais do último Mundial, que pôs o Brasil em estado de choque. Embora se tratasse de um jogo amigável, a derrota desestabilizou a equipa, com jogadores a criticarem-se uns aos outros.

 

Em Maio, deu-se outro acontecimento, aliás fora das quatro linhas, que ainda hoje afeta a seleção: os turco-germânicos Mesut Özil e İlkay Gündoğan, ambos jogadores escalados para o Mundial da Rússia, aproveitaram uma visita do Presidente turco Recep Tayyip Erdoğan a Londres para se encontrarem com ele e lhe oferecerem camisolas suas, autografadas, do Arsenal e do Manchester City. Foram tiradas várias fotografias com os três, coisa que causou bastante mal-estar, pois Erdoğan usou-as nas redes sociais para a sua campanha eleitoral (há cerca de dois milhões de eleitores turcos na Alemanha).

 

Oezil e Erdogan.jpg

 

A 2 de Junho, Özil  e Gündoğan foram muito assobiados no jogo contra a Áustria, essa potência futebolística, e os alemães acabaram por perder por 2:1! Joachim Löw, que ainda tinha quatro jogadores a mais, decidiu, por fim, quem iria definitivamente à Rússia. E foi duramente criticado (também em Inglaterra), por resolver prescindir de Leroy Sané, jovem talento que joga atualmente no Manchester City.

 

No último jogo amigável, a Alemanha não foi além de uma vitória à tangente por 2:1, em casa, frente à Arábia Saudita. Houve mais assobios de descontentamento em relação à exibição da equipa e, na entrevista que se seguiu, Joachim Löw, embora esforçando-se por se manter calmo e amável, não conseguiu disfarçar o nervosismo. O verniz quase acabou por estalar, quando o jornalista tornou a abordar a questão das fotos de Özil  e Gündoğan com o Presidente turco.

 

Enfim, a Alemanha é sempre candidata ao título. Na minha opinião, porém, e apesar da qualificação deslumbrante, a era Löw devia ter terminado no último Europeu, no qual os germânicos ficaram aquém das expectativas. Veremos como correm as coisas, desta vez...

Ânimos e Ódios

Os ânimos estão tão exaltados, que até hesitei escrever aqui no blogue (ninguém gosta de ser insultado). Mas resolvi-me por uma simples razão: o único responsável por este pesadelo é Bruno de Carvalho! Foi ele que desencadeou esta onda de ódio entre sócios e demais adeptos. Esta seria uma boa razão para que se demitisse. A outra razão de peso foi o ataque em Alcochete. Simplesmente inadmissível. Mesmo que BdC fosse pessoa ponderada e nada tivesse a ver com o ataque (ou seja, não tivesse iniciado campanha contra os próprios jogadores - quero apenas dizer isto, não insinuar qualquer outra coisa), o acontecido em Alcochete era motivo suficiente para qualquer Presidente de um qualquer clube do mundo pôr o seu lugar à disposição. Nada justifica aquela violência, mesmo nada! Nem mesmo considerar os jogadores preguiçosos, ou desinteressados (e quem considera isto, devia perguntar-se porquê), e tendo em conta que ganham balúrdios. Nada justifica que sejam agredidos e aterrorizados no seu local de trabalho. E o Presidente do clube é o responsável máximo pela sua segurança.

 

Queria dizer ainda duas coisas:

 

1 - Não acho que este blogue tenha descido de nível, como li em alguns comentários. Continuo a ter muito orgulho em pertencer a esta equipa e solidarizo-me com todos os posts publicados. Mesmo todos!

 

2 - Temos poderes para filtrar os comentários, por isso, pela primeira vez, apagarei aqueles que considerar ofensivos. Discordar, com argumentos válidos, é uma coisa; passar a ataques pessoais, não respeitando a dignidade humana, é outra.

Seria melhor?

Todos os jogos das duas últimas jornadas da Bundesliga (o campeonato da 1ª divisão alemã) têm forçosamente de acontecer no mesmo dia (de cada jornada) e à mesma hora, a fim de evitar manipulações, ou outras manobras desonestas. Sendo o campeonato português tão cheio de polémicas, quanto a arbitragens e serviço de interesses, não seria melhor seguir pelo mesmo caminho?

Lançamento de Livro

Calhou ser no dia do grande dérbi. Pode ser que dê sorte.

 

Antes do lançamento do livro, haverá, no mesmo local, pelas 15 horas, uma reconstituição histórica do Paço de Dona Teresa, pelo grupo viseense "Portucale Fidelis".

 

Quem não estiver em Lisboa e quiser um banho medieval antes de mergulhar no jogo, será bem-vindo.

 

Convite Memórias.jpg

 

 

Favas Contadas

No futebol, não há favas contadas. Os dramáticos quartos-de-final da Champions provaram-no mais uma vez. Sorte, azar, injustiça… O futebol é assim: explosão de alegria de um lado; lágrimas e raiva do outro.

 

No meio dos acontecimentos surreais dos últimos dias, ficou esquecido o mais importante: que o nosso Sporting é a única equipa portuguesa que ainda joga nas taças europeias. E que perder por 2:0 no Estádio do Atlético de Madrid não é vergonha nenhuma!

 

Entrem no Estádio de cabeça levantada, rapazes! E boa sorte!

“May the force be with you tonight”!

"Where Ballon d'Or winners are made"

Ronaldo e Figo.jpg

 

Não resisti a usar, como título, esta frase de um artigo de Alex Clapham publicado no The Guardian sobre a Academia do Sporting. Depois da confusão, e esperando que as coisas realmente tenham acalmado, nada melhor do que uma boa massagem ao nosso ego.

 

Sporting have developed Cristiano Ronaldo, Luís Figo and eight of the 11 players who started for Portugal in the Euro 2016 final.

 

I couldn’t help but daydream about the players who had walked these corridors and slept in the rooms next door, back when they owned nothing more than a pocketful of ambition.

 

Recomendo a leitura a todos os que se sentem à vontade com a língua inglesa. Garanto-vos que faz muito bem!

 

Nota: o link foi-me proporcionado por João Eduardo Rabaça (facebook); a foto foi copiada do artigo citado.

Não chega ao Natal, diziam eles...

 

Mirandela - O meu clube.JPG

 

Quantas vezes ouvi dizer que o Sporting não chegava ao Natal, principalmente, a partir da segunda metade de Setembro. Depois de um bom começo, o nosso clube iniciou uma série de empates, três deles, em casa: contra o Marítimo (Taça da Liga), o FC Porto (metendo-se, pelo meio, o empate em Moreira de Cónegos) e o Braga, este já em Novembro.

 

O Sporting, porém, reagiu. Sem ser fulgurante, tem sido muito eficiente. Fez uma campanha aceitável na Liga dos Campeões e chega ao Natal no topo da tabela!

 

Não sei como vão correr os dois últimos jogos de 2017, mas sei que o Ano Novo é já ali ao virar da esquina, nos Lampiões. Pede-se a continuação da eficiência, se faz favor!

 

Nota: a fotografia foi tirada em Mirandela, que parece pródiga em símbolos sportinguistas. Depois do curioso autocarro, dei com esta preciosidade numa recente loja de produtos regionais, uma construção em madeira, bem no meio do jardim, situado nas margens do Tua.

Bom ou mau sinal?

Tenho acompanhado a pré-época do Sporting aqui no blogue bastante angustiada, esta série de derrotas não augura nada de bom. Será que vamos entrar numa nova época de desaires, que nos deixam como que anestesiados, de tanta impotência? Ou será que acontece o contrário, ou seja, quando for a sério, a equipa entra a matar?

O meu marido animou-me, dizendo algo do género: mais vale perder na pré-época e começar a ganhar depois, do que o contrário.

OK, vamos “acarditar”. E esperar que os responsáveis pela nossa equipa saibam o que andam a fazer (por vezes, dão mesmo a impressão de que não fazem ideia).

Se serve de consolação, diga-se que o Bayern, a participar num torneio na China, com o pomposo nome de “International Champions Cup”, também começou mal a sua pré-época, perdendo 3:2 com o Arsenal. Nos noventa minutos regulamentares, não foi além de um empate a uma bola, perdendo depois na marcação de grandes penalidades. E, se serve para aumentar a consolação, Renato Sanches falhou o seu penálti.

Acho que chega para um sorrisinho…

Salada Russa

A conversão da Rússia já era.

O milagre de Fátima passou a ser a vitória de Salvador Sobral no Grand Prix Eurovision de la Chanson. Um certame que, este ano, foi boicotado por um país: a Rússia!

 

Mas parece que um tal Tetra também se deu por influência do centenário de Fátima.

Hmmm... Tetra-Tetris: Rússia?

 

Pelos vistos, o Benfica, que cilindrou o Guimarães, é o único clube, pelo qual Nossa Senhora está autorizada a intervir.

 

Já nem D. Afonso Henriques nos vale! Mas quem precisa do fundador da nação, quando se tem uma geringonça? Desde que ela tomou conta dos destinos cá do burgo, é um fartar vilanagem:

2016 - Campeões Europeus de Futebol

2017 - Vencedores do Eurofestival

 

E em 2018, graças a Nossa Senhora e à geringonça, havemos de ser Campeões do Mundo!

Onde? Na Rússia!

 

- E o Sporting será finalmente campeão.

- Cala-te!

Faz tão bem!

O jogo de ontem não foi transmitido pela RTP internacional, mas felizmente houve um canal alemão que o fez: o RTL Nitro. Nunca a seleção portuguesa teve este estatuto e faz muito bem ouvir o comentador alemão Markus Kavka referir-se aos nossos jogadores como "os campeões europeus", ou "a seleção campeã da Europa".


É certo que, apesar de uma certa força inicial, os húngaros se tornaram inofensivos, depois de sofrerem os dois primeiros golos, mas é igualmente isso que define uma boa equipa: Portugal dominou o jogo. Markus Kavka fartou-se de nos elogiar. Portugal jogou como se estivesse destinado a voos mais altos.
Esperemos que sim!

A angústia do árbitro perante o golo

Hoje, dia de jogo da nossa seleção, aproveito para falar de um antigo árbitro da FIFA: o suíço Urs Meier (eu já explico a ligação). É muito conhecido na Alemanha, já que, depois de terminada essa sua carreira, em 2004, inciou uma outra, como comentador do canal ZDF, ao lado de Jürgen Klopp (o famoso treinador do Dortmund, que está, neste momento, em Liverpool) e, por vezes, Franz Beckenbauer. Enquanto Jürgen Klopp analisava o desmpenho das equipas, Urs Meier funcionava como expert de arbitragem.

 

Du Bist Die Entscheidung.jpg

 

Recentemente, o suíço surpreendeu ao publicar um livro de auto-ajuda, com o título: TU és a decisão - agir rapida e resolutamente (tradução minha e literal do alemão). Urs Meier baseia-se na sua experiência como árbitro de futebol e defende a tese de que devemos confiar mais no nosso sexto sentido. O primeiro capítulo intitula-se precisamente: "Como usar a intuição numa decisão" e inicia-se assim:

 

"Quartos-de-final do Campeonato Europeu de 2004. Minuto 89 do jogo Inglaterra contra Portugal. 1:1 no marcador."

 

Urs Meier enche quatro (!) páginas (as primeiras deste livro) com esse minuto 89, em que ele assinalou uma falta contra Portugal, da qual resultou um golo de Campbell. O árbitro suíço anulou esse golo, porporcionando assim que Portugal passasse à meia-final por penáltis. Foi uma das piores decisões da sua vida, diz ele, porque, apesar de realmente ter havido uma falta de John Terry sobre o nosso guarda-redes Ricardo, ele não a viu! Confessa que estava em má posição e a confusão na grande área portuguesa era enorme, numa amálgama de vinte jogadores. Mesmo assim, ele quebrou uma regra dos árbitros que diz "só apitar o que se vê" e anulou o golo! Baseado na sua intuição! Quando a bola entrou na baliza e os ingleses festejavam, enquanto os portugueses reclamavam desesperados, Urs Meier notou que John Terry, em vez de se juntar ao regozijo dos seus colegas, olhou para ele. E a sua intuição disse-lhe: se o jogador olha para mim, numa altura destas, é porque tem a consciência pesada. E anulou o golo apenas baseado nisso.

 

Mais tarde, o vídeo do lance provou que houve falta. Mas também provou que era impossível Urs Meier tê-la visto. O árbitro teve problemas com a FIFA, um jornal inglês divulgou o seu endereço eletrónico e ele recebeu 16 000 emails de protesto, ameaças de morte inclusive. Deu por terminada a sua carreira ainda nesse ano.

 

Urs Meier proporcionou a primeira final portuguesa num Campeonato da Europa. E o minuto 89 do jogo entre Portugal e a Inglaterra fica eternizado e descrito ao pormenor neste seu livro.

Evidências

Não é só A Bola, Pedro! A RTP também entra no jogo.

 

Ontem, Pizzi veio garantir, em conferência de imprensa, que os jogadores do Benfica vão colaborar com os jogadores do Porto nos jogos da seleção, mesmo estando o derby à vista!

 

Como?

É preciso vir garantir uma coisa dessas perante os jornalistas? E é notícia de Telejornal?!

 

Pois foi com esta não-notícia que o serviço público de televisão, no seu principal noticiário, se referiu ontem aos jogos da nossa equipa de todos, dando largos minutos de tempo de antena a Pizzi e às suas bombásticas declarações.

Serenidade

Aproveito esta palavra utilizada pela Marta Spínola, a fim de responder ao repto lançado pelo Pedro Correia. Serenidade não resolveria todos os problemas do Sporting, mas penso que daria uma grande ajuda. E a serenidade teria de vir do Presidente!

 

Confesso que estou desiludida, acima de tudo, com Bruno de Carvalho. Digo isto, não para o desanimar, muito menos para o ver pelas costas. Nunca fui de opinião de que os problemas se resolvem substituindo pessoas, acredito mais no diálogo e na reflexão (mais uma palavra “roubada” à Marta Spínola). Claro que isso pressupõe que as pessoas estejam dispostas a dialogar e a refletir.

 

Bruno de Carvalho começou muito bem, não podia mesmo começar melhor. Ele foi o novo Presidente certo na altura certa. Porém, não sei se foi pela euforia criada na excelente época passada, se foi por problemas pessoais (não pretendo especular, apenas procurar razões) tem causado muita agitação no clube.

 

Que esta época tenha começado com alguns solavancos, é natural, depois dos talentos que nos deixaram. E também não é segredo nenhum que os árbitros tomam decisões, no mínimo, polémicas. Mas, por isso mesmo, é que o mote deveria ser a serenidade. Reclamar também é legítimo, mas é preciso saber reclamar, o que é bem diferente de insultar, ou mesmo provocar rixas!

 

Desde o episódio com o Presidente do Arouca, em Alvalade, a situação do clube piorou, foi mesmo a partir daí que o Sporting começou a descarrilar sem controlo. E culminou com a ida de Bruno de Carvalho aos balneários, em Chaves. Pelo meio, tivemos publicações, no mínimo, desaconselháveis, nas redes sociais. Haverá outros problemas, nomeadamente técnicos, cuja complexidade não sei avaliar e acredito na opinião dos meus colegas, quando dizem que Jorge Jesus tem vindo a cometer erros. Entendo, no entanto, que é dever do Presidente cuidar para que haja sossego e harmonia, independentemente da eficácia do treinador. Bruno de Carvalho tem feito o contrário!

 

Os jogadores estão revoltados. Jogam mal e/ou desinteressadamente. Penso que é a sua maneira de protestar, de fazer greve. Os jogadores do Sporting estão em greve! Eu sei que eles ganham muito bem, mas há sempre um limite para aquilo que estamos dispostos a aceitar. E, pelos vistos, eles pensam que esse limite foi ultrapassado… Há que procurar as razões! Espero que os responsáveis do clube saibam encontrar um novo caminho e dar novo alento à equipa. Apesar de todas as desilusões, nas últimas semanas, e parafraseando Luís Aguiar Fernandes, tudo isto não quer dizer que já não há nada por que lutar: há lugares para conquistar e uma imagem para limpar.

Confiança no futuro

É depois de golpes como o de ontem à noite que se torna cliché dizer que é preciso ter confiança no futuro. E se torna difícil arranjar essa confiança, quando estamos há quinze anos à espera de um campeonato e constatamos que ainda não será desta…

 

Não quis, porém, deixar de mencionar uma vitória do nosso clube, apesar de ter sido num torneio de sub-12, pois participou o sobrinho de uma amiga minha de juventude. Foi em Kuala Lumpur, igualmente ontem, 18 de Dezembro.

 

Torneio Kuala Lumpur.jpg

 

Tinha perdido o contacto com a Elsa, quando vim para a Alemanha em 1992, mas recuperei-o há cerca de dois anos através do Facebook, claro está. Reencontramo-nos, pouco depois, em V. N. de Gaia, onde eu morei e onde ela continua a morar. Durante a conversa, ela falou-me no sobrinho, Martim Marques, que quer fazer carreira no futebol e que joga «lá no teu clube». Enfim, estamos nos arredores da cidade do Porto…

 

O Martim Marques, que joga na posição de extremo-esquerdo, é novo demais para ter assistido a um campeonato ganho pelo Sporting. Mora em Aveiro, onde treina no Gafanha, mas desloca-se todos os Sábados a Lisboa, a fim de usar e servir a camisola que, apesar dos desaires, tanto amamos.

 

Martim Marques.jpg

 

O miúdo que, na próxima fotografia, aparece a dar o autógrafo da praxe, depois da vitória na Malásia, tem um sonho para o próximo ano, em que completa os treze: entrar na Academia Sporting. A família apoia-o e, embora a sua vida passe a ser ainda mais complicada, caso o sonho se concretize, espero que o Martim se torne num grande futebolista e assista a muitos campeonatos ganhos pelo Sporting, alguns, quem sabe, com a sua ajuda…

 

Martim Marques (3).jpg

 

Nota: o texto e as fotografias foram publicadas com a autorização da família do Martim Marques.

Bundesliga

Dortmund Nov 2016.jpg

 

Permitam-me uma pausa para falar de algo que não tem a ver com o Sporting (a não ser por se tratar de um clube que foi seu adversário, há pouco tempo). E porquê? Porque há várias épocas que a Bundesliga não andava tão interessante, devido ao domínio incontestável do Bayern de Munique.

 

Ontem, o Bayern perdeu o primeiro lugar ao ser batido por 1:0 pelo... Dortmund (por acaso, o meu clube favorito, neste país onde vivo). A crise está aberta no clube bávaro, o treinador Carlo Ancelotti encontra-se em dificuldades e, apesar de Pep Guardiola ter sido bastante criticado enquanto esteve à frente de uma das melhores equipas do mundo (havia quem dissesse que a sua tática não se adequava ao futebol alemão) o certo é que o clube nunca esteve em tão maus lençóis durante a sua regência.

 

Assim se aproximou o Dortmund novamente do topo da tabela, contacto que parecia ter perdido, devido a uma fase menos boa. Encontra-se agora em 3º lugar (embora empatado em pontos com o Colónia e o Hertha Berlim), a 3 pontos do Bayern e a 6 do líder.

 

E por falar em líder, essa é a segunda grande surpresa: o RB Leipzig, que na época passada jogava na 2ª divisão, lidera agora a Bundesliga!

 

Foto RTP

 

Adenda: o Sábado é o dia principal das jornadas da Bundesliga e os dois jogos a realizar hoje em nada vão modificar o topo da tabela.

O meu pai é melhor do que o teu!

Embirro com expressões do género: «foi assim que aprendi, tive quem me transmitisse valores»; ou «em minha casa, sempre houve educação». Como se fosse uma virtude própria e não pura sorte! Expressões destas são, no fundo, uma forma de discriminar os outros, levada a cabo por gente que normalmente se vangloria de não discriminar, porque, afinal, em sua casa «transmitiram-se valores».

 

Tive acesso, através de uma notícia, a um texto publicado na página do Arouca no Facebook. É difícil de classificá-lo, de tão rasca e insultuoso, onde se fala de um presumível ser, de quem se duvida ser humano, que tenta desafiar uma «família unida e feliz». O seu autor deve julgar-se muito nobre e esperto, um verdadeiro virtuoso das palavras, mas apenas demonstra a sua ignorância e pobreza de espírito.

 

Não vou aqui referir todos os insultos contidos no texto. Quem quiser ler, só tem de clicar no link dado. Mas vou falar de um tipo de insulto que, na minha opinião, é do mais rasco que há e só demonstra a arrogância, baseada num grande complexo de inferioridade, de quem o faz.

 

«Passou por experiências animalescas traumáticas na sua infância»; «Diz-se, ainda, que devido à infância animalesca e traumática passada num país distante, procura sempre o Pai no fim dos compromissos, mesmo que o seu digno Pai não se encontre em sítio algum».

 

Eu não faço ideia que tipo de infância o Presidente Bruno de Carvalho teve. Nem quero saber. Isso é assunto dele e de mais ninguém. É legítimo criticar, com argumentos válidos, opções de vida ou tipos de comportamento. Mas não o é achincalhar por supostos traumas de infância. Faz-me lembrar quem insulta apontando problemas mentais, ou alguma doença psicológica. Alguém escolhe ter uma doença? Desculpem, mas é o mesmo que insultar uma pessoa por ter cancro, ou ter sofrido um ataque cardíaco! Demonstra muita baixeza e infantilidade.

 

Ao autor do texto, que, pelos vistos, ainda não saiu da fase «o meu pai é melhor do que o teu», apetece-me dizer: cresce e aparece!

 

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D