Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Um nojo indizível

Ontem, em Famalicão, tivemos mais uma prova do nojo indizível para que caminha a Liga. 

Depois de marcar um golo de levantar o estádio (houvesse público), o melhor jogador do campeonato é expulso na segunda falta que faz (depois de levar um primeiro cartão amarelo forçado). 

Os dois laterais do Famalicão, que durante todo o jogo fizeram entradas duríssimas aos jogadores do Sporting (recordo uma a pés juntos no início da segunda parte, a Antunes), foram apenas amarelados. Cada um deve ter feito mais de 5 faltas. Várias entradas de jogadores do Famalicão (incluindo sobre Palhinha) dariam vermelho directo, em ligas a sério.

O golo anulado a Coates é, conforme demonstram as imagens, simplesmente ridículo. Mas nos jornais "amigos" de Benfica e Porto, os árbitros do costume opinam hoje que esteve muito bem o VAR. Não surpreende, pois são raras as pessoas com coluna vertebral no futebol hoje. 

Era mais ou menos evidente que estava a ser criado ambiente para um roubo descarado como o que assistiu ontem. Ao longo da semana, levantou-se entre pasquineiros uma "polémica" patética sobre uma alegada mão de Pote no segundo golo do jogo do passado fim-de-semana. Quando assim é, já sabemos o que aí vem. 

O Sporting, que consistentemente tem sido a melhor equipa do campeonato, perde de novo pontos às mãos de um árbitro com um vasto historial de roubar o Clube. E não pode contar com o seu melhor jogador no próximo jogo. Nem com o treinador.

Até amigos benfiquistas - os que vêem os jogos com olhos de ver, não com pálas - concordam: aquilo que se passou ontem em Famalicão foi um roubo descarado. 

Nós, Sporting, temos vários títulos roubados no passado recente, o último em 2015. Hoje sabemos bem que na altura o SLB estava a "financiar" indirectamente clubes como o Setúbal, através da compra e venda de jogadores - AQUI percebe-se bem. As mesmas equipas que comiam a relva contra o Sporting e tinham apáticas prestações contra o SLB. Havia várias outras. Valia tudo. Vale tudo, como ainda vemos.

Entretanto, a credibilidade da Liga vai caindo, caindo, caindo. 

As instituições do futebol vão apodrecendo. Tenho amigos portugueses que já nem assistem a Liga portuguesa, mas sim a inglesa e espanhola. 

E os processos envolvendo o Benfica e o seu presidente arrastam-se, arrastam-se, arrastam-se. E o DDT da Luz continua a ter uma quantidade de serviçais, desde o apito até ao comentário televisivo, que faria inveja a muitos ditadores, da Coreia do Norte à Venezuela. 

Até quando, isto?  

Quando é que o Sporting dá, de facto, um murro na mesa?  Não o blá-blá do costume, mas um murro a sério?

48 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D