Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

És a nossa Fé!

Tiro ao Bruno sem contraditório

wm[1].jpg

 

Só hoje tive ocasião de ver a forma como a SIC Notícias acompanhou em directo, ao longo da tarde do dia 17, a assembleia geral do Sporting.

Foi algo totalmente inaceitável. Em estúdio, como comentador exclusivo entre as 14 e as 20 horas, esteve Ribeiro Cristóvão, que não se coibiu de cuspir ódio contra o presidente do Sporting nas diversas intervenções que foi fazendo. Sem a presença de um segundo comentador que pudesse estabelecer um mínimo de contraditório.

 

Eis algumas das frases que fui anotando:

«Não acreditava que hoje o discurso de Bruno de Carvalho chegasse tão longe. Isto é, que voltasse aos mesmos chavões, às mesmas acusações, aos mesmos impropérios.»

«Bruno de Carvalho exerceu uma chantagem sobre os associados.»

«Este discurso era perfeitamente dispensável.»

«O discurso dele [de Bruno de Carvalho] é um discurso de ódio.»

«Ele hoje atingiu de forma muito cruel a Juve Leo.»

«O discurso dele feriu muita gente e vai continuar a sangrar certamente nos próximos tempos.»

 

Imagino o que aconteceria se a SIC Notícias tivesse adoptado este mesmo critério para acompanhar o congresso do PSD, realizado no mesmíssimo dia. Apenas com um comentador em estúdio disparando críticas contra Rui Rio. Alguém acharia isto um modelo de jornalismo pluralista e respeitável?

Surpreende que um canal de televisão apostado em cultivar o pluralismo na política não se coíba de promover o monolitismo mais tendencioso quando está em causa o futebol. Como se viu faz hoje oito dias, nesta lamentável cobertura da assembleia geral leonina.

 

Cristóvão, ao disparar sem contraditório contra o presidente do Sporting, deu uma péssima imagem do canal de Carnaxide.

Mas dele já não se espera outra coisa, dada a sua permanente agenda anti-Bruno. Muito mais lamentável foi perceber que houve responsáveis editoriais a avalizar tal coisa.

Lamento só ter visto hoje. Mas ainda vou a tempo de me insurgir com todas as letras.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Correia 24.02.2018

    De forma alguma. Aliás tenho escrito bastante sobre o tema.
    Uma coisa é o diagnóstico, outra é a terapia.
    Mandar tudo "bardamerda" não resolve nada. Só agrava.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    { Blog fundado em 2012. }

    Siga o blog por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Pesquisar

     

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D