Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O dia seguinte

img_920x519$2021_01_09_13_53_39_1800854.jpg

 

Foi mesmo um leão indomável que ontem na Choupana enfrentou a fúria da natureza, que claramente beneficiava quem não tinha nada a perder e tudo a ganhar, e quem, de lugares distantes, fazia os possíveis para aproveitar a oportunidade para o derrubar.

Foi uma viagem de avião atribulada para um local em alerta vermelho, uma falsa partida, um relvado impróprio para jogar, que propiciava lances que poderiam acabar com a época de algum menos fortunado, muita coisa junta que poderia levar a pontos perdidos e a rombos significativos no plantel. Segundo a tal directora da Liga, o jogo tinha mesmo de se fazer, o avião tinha mesmo de aterrar, se não houvesse avião que fossem a nado, se morressem todos que fosse a equipa B. A estupidez não tem limites. 

O leão enfrentou tudo isso com um misto de raça e competência que tornou o desafio de sentido único, as oportunidades foram surgindo e o resultado só pecou por escasso porque Pedro Gonçalves não teve com ele a sorte doutros dias. Do outro lado, nem uma oportunidade séria durante os 90 minutos.

Uma equipa tremendamente corajosa e solidária, todos a saber o papel que deviam desempenhar, condição física de topo, lances de laboratório do qual o primeiro golo é exemplo, uma cópia perfeita do primeiro golo contra o Braga, um sistema táctico que facilitou o resto, e acima de tudo um grande comandante no banco que soube perceber bem as insuficiências da equipa no Jamor, introduzir as mudanças necessárias no modelo de jogo, e chamar todo o plantel às suas responsabilidades. Não tem o 4.º nível de treinador? Por enquanto não, mas pelo menos temos nós um general de cinco estrelas. 

Ultrapassado o Nacional, e com os resultados dos rivais, nada está ganho, nada está garantido, os 4 pontos de vantagem não querem dizer nada. Receberemos o Rio Ave enquanto no Porto-Benfica alguém irá perder pontos, vamos conseguir chegar ao período reservado à Taça da Liga no topo da classificação. E depois se verá.

Uma palavra para Frederico Varandas, que ontem por lá andou no meio de toda aquela confusão, e que no meio duma época tenebrosa a todos os níveis teve a inteligência, a humildade ou o sentido de sobrevivência, ou tudo isso junto, para arrepiar caminho, perceber os erros cometidos e juntar a um grupo de elite que vinha a ser preparado com jovens de Alcochete o comandante certo para os liderar, apontar o caminho à estrutura no que respeita a reforços e conduzir a equipa para uma época que está a honrar sobremaneira o lema e a história do Sporting Clube de Portugal.

#OndeVaiUmVãoTodos 

SL

A tempestade

Foi o pior jogo da época, foi o melhor dos desafios até agora. Num lodaçal abjecto a alvura do equipamento ficou borrada como se uma equipa de râguebi o tivesse envergado. A rapaziada fez-se à vida sem contemplações demonstrado uma atitude formidável que não se via numa equipa do Sporting há anos e anos - imagina-se o pedante William Carvalho naqueles preparos? O sirigaita Wendel a rojar-se na lama?
E depois Jovane  regressado de uma lesão marcou um golo e todos o festejaram, cada um como se fosse seu.
Uma dinâmica destas chega ser comovente, sobretudo num Sporting com um balneário famosamente descortês.  Se ganharmos o campeonato poderemos dizer que foi aqui que o ganhamos, porque é em desafios deste que se vê o estofo de uma equipa.

Podia ter feito um courato mas a bancada faltaria sempre e era aí que queria estar

O que eu gostava de ter estado em Alvalade, ontem, está na ordem do inqualificável, imensurável. Era lá que mais queria ter estado, isso posso afirmá-lo. A vocês abraçar-me e convosco saltar no primeiro e mais ainda no segundo golo, e no fim gritar alto Sporting, quero ver-te campeão. O punho cerrado à Porro festejando leonino nova vitória. Importantíssima vitória. Construída por tantos dos nossos que estiveram melhor que bem. Na defesa, no meio campo, no ataque. No banco. E saindo dele.

Matheus e Sporar entraram a meio da partida e mataram-na para nossa glória. O jogo já tombava para o nosso lado, diga-se. O Braga já caía ao tapete. Ao chão atirado pelo virtuosismo e pelas infidáveis ganas do enorme Porro, que, porra!, joga que se farta. O Braga estava já atordoado pelos inúmeros e consecutivos choques frontais contra a nossa muralha defensiva, primeiro chocando com os nossos três centrais que parece que jogam juntos há anos; e a seguir batendo de frente na intransponível parede Adán. O Braga que não encontrou antídoto para a inteligência, técnica e visão de jogo do craque João Mário.

Temos a melhor equipa do campeonato e o jogo de ontem confirma-o. Atesta que o rumo vitorioso da equipa leonina (merecedora de todos os elogios!) não é um acaso. A consistência do Sporting é notável. Invaravelmente entra em campo para ganhar e ganha, sofre sabendo reagir nos momentos em que o adversário está por cima do jogo, e, sobretudo, age melhor que os adversários para, isso mesmo, ganhar.

Dá gozo também o pós-jogo. Acompanhar a entrevista curta, as reacções dos nossos jogadores, até a cassete do Emanuel Ferro soa bem, sendo o aperitivo ideal à cereja no topo do bolo que é sempre a conferência de imprensa do líder Amorim. Inteligente, inspirador, confiável, fiável, responsável, humilde, dando o protagonismo "aos rapazes" e grande líder, ontem, outra vez. Disse ele: "Marcámos e agarrámos-nos uns ao outros. O Matheus entrou para segurar o lado direito e mexeu com o jogo, Sporar entrou bem, todos os que entraram mudaram o jogo. Fomos eficazes, felizes mas fizemos por merecer. Estamos preparados para tudo e vencemos justamente."

Em boa hora Frederico Varandas o trouxe para Alvalade. E este é um facto que não me cansdarei de repetir, porque, o seu a seu dono. E gosto de dizer bem de quem o merece.

A este propósito e puxando o filme atrás, não consigo parar de rir ao lembrar-me da alucinação de alguns jornais que há umas semanas escreviam ter sido chumbada a iniciativa de alguns sócios do Sporting com vista à realização de uma assembleia destitutiva e consequente marcação de eleições antecipadas. Reflectindo sobre a loucura noticiosa, convenço-me que a coisa deve ter sido um fenómeno tardio, o impacto da lenta onda de choque saída de Woodstock e que só agora, décadas depois, bateu na tola da malta dos jornais.

Alguma vez no Sporting isso aconteceria? Há alguém? Algum sócio? Algum adepto? Alguém no seu plemo juízo que quisesse ou queira eleições no clube? Agora? Com a equipa de futebol à frente do campeonato há várias jornadas? O mesmo acontecendo em várias modalidades? É! É isso. A malta dos jornais deve ter flipado. Pôs-se a alucinar dando notícias daquelas.

Devo também confessar que além da conquista dos três pontos, da manutenção do primeiro lugar, ganhar a este Braga tem sabor especial. Pretendente ao estatuto de clube grande, pateticamente a isso já elevado pelos não menos patéticos comentadores que tanto poluem a antena; a agremiação de Braga é dirigida por um pretensioso presidente que deve ter os bicos dos pés em ferido de tanto neles se apoiar para parecer maior do que é. Gosto muito de ganhar ao Braga do boçal Salvador que por várias vezes nos faltou ao respeito e que ontem de forma categórica e onde isso tem de acontecer foi posto no lugar dele.

Uma palavra ainda para a azia de Carlos Carvalhal (com quem simpatizo e a quem reconheço mérito) e a sua indisfarçável irritação com a derrota. Reacção só explicada pelo auto-convencimento de que iria a Alvalade ganhar. Enfim, é esse o espírito que se deve ter quando numa competição, mas não devemos confundir essa postura com a outra do possuidor do direito natural de vencer.

É verdade que a sensação tida nas 12 jornadas já realizadas, em geral, e no jogo de ontem, em particular, não anula 19 anos de travessia do deserto, mas que maravilha é ir à frente de todos os emblemas. Sermos a melhor equipa do campeonato. Ganharmos e nunca perdermos com mérito e sem ajudas. Mesmo a sorte que às vezes nos bafeja (e ontem tivemo-la) é nossa por direito, que a mesma só protege os audazes. "Fomos eficazes, felizes mas fizemos por merecer. Estamos preparados para tudo e vencemos justamente", disse Rúben Amorim. Não diria melhor.

A união que contagia

No Sporting, nada mais importa que o Sporting!

Aquele punho no ar de Pedro Porro quando ganhou um lançamento de linha lateral mesmo no final do jogo, fez provavelmente mais pela união dos sportinguistas que a desditosa direcção que o foi contratar e é nessa imagem que todos, todos mesmo sem excepção, nos devemos focar até Maio.

Os rapazes hoje não estiveram bem, dizem alguns nas pantalhas. Ora se uma equipa que faz três remates e marca dois golos e sofre três penaltis clarinhos que lhe foram surripiados, está "menos bem", então eu cá por mim desejo que estejam sempre assim, menos bem. Dispenso os gamanços, mas isso é algo em que já somos doutorados e parece-me que vamos estando vacinados e também dispenso a jocosa piada do "jogamos como nunca, mas perdemos como sempre". Quer dizer, a malta vai lá p'ra dentro e já sabe que tem que contar com um campo com uma inclinação no mínimo de 10º e portanto temos que ser como os colombianos do ciclismo, vedetas a subir, nem que empurremos o selim do companheiro da frente, não é bonito, mas pode ser eficaz. Até agora subimos bem, com uma entreajuda excelente e com um chefe de equipa que sabe como ritmar a corrida. Pena é que não nos deixem estar na "beira da estrada", em união ainda mais consistente com os nossos atletas, mas estas etapas têm sido muito saborosas.

Mas em Maio vamos lá estar, na última etapa da montanha mais alta, todos juntos, a vitoriar os vencedores. Apesar dos pregos no caminho, apesar dos furos.

No Sporting, nada mais importa que o Sporting.

O dia seguinte

(Hoje publicado no próprio dia)

"Agarraram-se uns aos outros", confessou Rúben Amorim no rescaldo da sofrida vitória de ontem em Alvalade. E foi assim mesmo. Duas equipas muito encaixadas, um Braga muito bem treinado e com rotinas que vem de épocas anteriores, um Sporting engasgado no seu processo de jogo e que resistiu na luta solidária. E mais uma vez... sem referência ofensiva, sem ponta de lança, que muita falta fez naquele primeiro tempo.

Assim, e depois de meia-hora de sofrimento, que incluiu um golo anulado por alguns centímetros, foi preciso uma jogada de oportunidade, com Nuno Mendes e Nuno Santos a interpretarem muito bem o que ali se pedia, para o até ali pior jogador do Sporting em campo encostar para o golo. Claro que até então existiram alguns lances que contra o Sporting seriam penáltis, mas que a favor existem as tais intensidades e factualidades que sempre servem aos ressabiados e comprometidos para justificar o injustificável.

E marcado o golo, o jogo mudou, as oportunidades ficaram muito mais repartidas, as substituições funcionaram, o segundo golo surgiu por Sporar e Matheus Nunes, e o 3-0 ficou mais próximo que o 2-1. O Braga ficou atordoado com o primeiro golo, caiu ao chão com o segundo.

Para mim, Porro foi o melhor em campo, conseguindo neutralizar Galeno e conduzindo lances de ataques bem perigosos pela sua ala. Mas Adán e os três centrais foram essenciais nesta vitória, foram a muralha que conseguiu travar os ímpetos dos bracarenses. Já Palhinha esteve uns furos abaixo do esperado, perdendo a posição e facilitando remates frontais dos adversários que podiam ter resolvido o encontro. João Mário foi tentando disfarçar muita coisa, nem sempre o conseguindo.

Podemos não ter o melhor treinador, podemos não ter o melhor plantel, podemos não ter o melhor onze, já nem falo no presidente que não vale a pena, mas temos de facto uma equipa em construção que honra os pergaminhos do Sporting, unida e moralizada, que conjuga a experiência de jogadores consagrados com o atrevimento dos jovens de Alcochete, e que tem tudo para ainda fazer mais e melhor.

E assim, continuamos à frente da Liga, o Braga (que alguns continuam a achar que tem melhor plantel que o Sporting) já está a 8 pontos e pode-se ir entretendo a lutar com o Guimarães pelo 4.º posto. Isto num ano em que três clubes portugueses terão hipótese de aceder à Champions...

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Eficácias

O Sporting está mal, Pote é um bluff, Nuno Mendes anda coxo, Nuno Santos perdeu o gás, Neto falha todos os cortes, Adán defende por centímetros, Amorim depende da estrelinha, uma desgraça pegada. O Sporting só se safa porque é eficaz. É este o novo mantra: o Sporting é eficaz. O que dito assim parece um defeito, um golpe de sorte, um acaso, se não mesmo um bruxedo. Não joga nada mas é eficaz, dizem os peritos da SportTv, sobretudo o nosso querido Rui Amaro, esse cómico cabisbaixo, que fala de futebol como poderia falar de equações diferenciais, já que tem conhecimento equivalente em ambas as matérias. Só nos resta pois continuar a ser eficazes e pedir desculpa por qualquer coisinha.

2021 ainda agora começou.


Excelente – e feliz – vitória contra um Carvalhal que achava que estava no papo, só que não estava.

Amorim teve sorte durante alguns punhados de minutos, mas soube ler o jogo e fazer as substituições certas que neutralizaram o Braga de vez. Excelente jogo de Porro, como que a compensar com a sua energia alguma falta de confiança de Pote, Nuno Mendes e até Nuno Santos. Jogo incrível e adulto de Matheus Nunes, não houve lance em que tenha estado mal. Surpreendente (para mim) aquele sprint de Sporar e (menos surpreendente) a forma adulta como aceita ser nesta altura segunda escolha e dá tudo o que tem.

Claro que Adán não é o melhor do mundo com os pés, mas já se dava algum crédito e se parava com as críticas de cada vez que passa menos bem. Tem segurado resultados e pontos muito importantes. Ótimo jogo de Feddal e Coates. E de Neto, os três muito solidários.

João Mário foi um príncipe e Palhinha demonstrou que tem lugar nos escolhidos de Fernando Santos.

O Braga é uma ótima equipa, tem um ótimo plantel, mas ganharia em ser menos dado a simulações, rebolanços no chão e pau no adversário. Parece ser um clube que procura o lance polémico, só para ter capital de queixa no final dos jogos. O modo como os centrais e o guarda-redes se atiram para o chão aos berros em todo e qualquer lance é muito irritante, devo dizer.

Hoje, o Sporting foi muitas vezes menos forte que o Braga, mas Amorim (e a sua equipa) muito mais sagaz que Carvalhal (e a sua equipa).

Próxima paragem, a Madeira, onde defrontamos o Nacional. Na viagem, podem assistir ao jogo com o União da Madeira de Norton de Matos aqui há uns anitos.

Soma e segue

Nunodias.jpg

Nuno Dias: terceira Taça de Portugal consecutiva para o futsal do Sporting

 

Alguns abutres andam a esvoaçar por aí. Sedentos de sangue, ansiando por derrotas do Sporting. Apesar de se intitularem sportinguistas.

Entre eles, lamentavelmente, incluem-se ex-dirigentes e ex-jogadores do nosso clube. Confirmando assim que a sua militância leonina emigrou para parte incerta. 

Mas andam com azar. E não apenas no futebol

 

Repare-se no que aconteceu ontem, em duas outras modalidades.

No basquetebol, em boa hora reintroduzido no Clube pelo actual presidente, vitória categórica do Sporting sobre o nosso principal competidor, o FC Porto, que derrotámos por 63-57, com exibição notável de Diogo Ventura. Lideramos isolados o campeonato, com onze triunfos em onze partidas. Não podia ser melhor.

No futsal, acabamos de conquistar a Taça de Portugal pelo terceiro ano consecutivo. Goleando na final o Braga, por 7-1. Sem espinhas.

Parabéns aos jogadores. E ao treinador Nuno Dias.

 

O Sporting, como se vê, soma e segue.

Péssimas notícias para os abutres.

Aguenta coração!

Já por aqui tenho escrito que troco uma bela vitória mal jogada por uma derrota (ou empate) com uma exibição de luxo.

E ontem foi o que aconteceu, uma bela vitória. Quase sempre mal jogada (na segunda parte, principalmente), mas temperada com muito sacrifício, algum virtuosismo e uma bela dose de sorte, que é aquilo de que também são feitos os campeões. Ah! E também um q.b. de humildade, que foi o que este treinador veio trazer ao Sporting.

Chegamos ao final do ano na frente, espera-nos o Braga, que teima em ser do nosso campeonato e para cuja ambição temos ao longo do tempo contribuído, para lá enviando alguns dos nossos melhores jovens e comprando algum entulho a preço de caviar.

É minha convicção, portem-se todos os agentes do futebol de acordo com as leis do jogo, que esta liderança perdurará no tempo. Se no final lá estaremos ou não, dependerá apenas de nós (equipa) e de quem dirige o clube, avisado que está das necessidades prementes de um central "de jeito" e de um matador lá para a frente. E de não sermos anjinhos; Se houver que pressionar, que se usem as mesmas armas que os outros, que comerem-nos as papas na cabeça é que não!

Um a zero: Três ponta!

E de repente lembrei-me do narigudo antigo treinador do clube ali do outro lado da rua, que foi campeão com uma carrada de jogos ganhos com resultado de 1-0.

Quando lhe perguntavam "então, mister só ganhou por 1-0?" ele respondia com a mesma calma, sempre, "um a zero, dois ponta".

E a verdade é que foi campeão. Por um ou por meia-dúzia, a vitória vale sempre três "ponta". Que venham muitas!

 

E já agora, um feliz Natal para todos e um ano, para o ano, que este não conta.

Eu devo estar maluco

Ontem, ganhamos ao Paços. Ora o que vi, li e ouvi um pouco por todo o lado é que o Paços de Pepa jogou mal, esteve mal, que no fundo batemos em mortos. 

Eu vi um jogo em que o Paço jogou de igual para igual e que mesmo nos minutos finais, a perder por três, atacava, combinava, tentava chegar ao golo. O Paços não deu sarrafada, não se fez ao penalty, os seus jogadores não fizeram teatro. Tiveram cabedal, força física, têm ideia de jogo, alguns jogadores ótimos, outros galhardos, outros ainda com excelente técnica. Mantiveram-se sempre no jogo, não houve tempos mortos, nem o Sporting pôde nunca baixar a pressão. Por exemplo, o nosso Matheus Nunes, que entrou à hora de jogo, nunca conseguiu impor-se no meio-campo. Sporar foi presa fácil, Antunes nunca subiu. Porquê? Por causa do Paços. 

Achar que o Sporting limpou porque o Paços não deu uma para a caixa parece-me errado e típico da precipitação comentarista. E desvaloriza os nossos jogadores, a nossa equipa e a nossa equipa técnica.

Do Sporting real e do Sporting virtual

21955027_zzVAZ.jpeg

 

Breve resumo da semana leonina que passou.

 

1

No Sporting das competições reais:

 

 - No andebol, seguimos em grande nível nos palcos internacionais: vitória concludente por 32-27 ao Kristianstad, na Suécia. Segundo triunfo consecutivo em dois jogos no grupo B da Liga Europeia, cuja liderança partilhamos com o Füsche Berlin. No plano nacional, vencemos o SC Horta, por 30-24, na 12.ª jornada do campeonato, recuperando a liderança.

- No hóquei em patins, consolidámos a liderança isolada do campeonato: recebemos e vencemos o Riba d’Ave por 4-2 em jogo da 11.ª jornada. Após termos batido o Braga por 4-3, no Pavilhão João Rocha, cumprindo a partida em atraso da 6.ª jornada.

- No voleibol, triunfo categórico dos Leões frente ao São Mamede, por 3-0, cumprindo jogo em atraso da 11.ª jornada da primeira fase do campeonato. Vitória que nos fez subir ao segundo posto da competição. 

- No voleibol feminino, as Leoas superiorizaram-se a norte, derrotando o Boavista por 3-0, em desafio da 13.ª jornada, com parciais de 22-25, 14-25 e 17-25.

- No futsal, começámos por vencer o Burinhosa por 7-0, numa partida em que tivemos o domínio total, somando o décimo triunfo consecutivo. Depois, no dérbi lisboeta, empatámos em casa com o Benfica por 3-3. Mas seguimos no comando do campeonato.

- No futebol, impusemos uma goleada ao Sacavenense, por 7-1, para a Taça de Portugal. No campeonato, à oitava jornada, novo triunfo: desta vez em casa, contra o Moreirense, que derrotámos por 2-1. Reforçámos a liderança da Liga, isolados, estando quatro pontos acima do segundo classificado da prova.

 

2

No Sporting das competições virtuais:

 

- Um grupo de sócios encabeçado por Rui Mestre tornou público um ultimato ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, Rogério Alves, intimando-o a convocar duas assembleias gerais no prazo mais curto possível: uma para a readmissão imediata dos antigos sócios Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho, expulsos em 2018, e outra para a destituição também imediata de Frederico Varandas, alegando o aumento da dívida do clube à SAD e o protocolo com o Wolverhampton, entre outros motivos. Este grupo fixou 20 de Dezembro como data limite para a validação da documentação entregue, reservando-se «no direito de recorrer a todos os meios legais para fazer cumprir os estatutos do Sporting».

- Comentando este cenário, o ex-dirigente leonino Samuel Almeida escreveu no passado domingo na sua coluna do jornal O Jogo: «O que apelo ao Rui Mestre e demais subscritores dos requerimentos para a realização de assembleias gerais é que mostrem disponibilidade e abertura para, em conjunto com Rogério Alves, chegarem a um consenso tendo em vista a realização dessas assembleias no final da época. Num momento em que lideramos o campeonato seria um tremendo tiro no pé abrir discussões fracturantes no clube.»

28 golos em dez jogos

Com o triunfo desta noite frente ao Sacavenense por 7-1, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, o Sporting soma já 28 golos nos dez jogos efectuados desta temporada 2020/2021. Balanço até ao momento: oito vitórias, um empate e só uma derrota.

Nas três partidas mais recentes, marcámos 15. Média de cinco por jogo. Mesmo com "défice de pontas-de-lança", como alguns insistem.

O caminho faz-se caminhando.

Do Sporting real e do Sporting virtual

21947254_DtR2s.jpeg

 

Breve resumo da semana leonina que passou.

 

1

No Sporting das competições reais:

 

- No futsal, começámos por derrotar o Candoso, em Guimarães, por 6-2. Depois, no Pavilhão João Rocha, recebemos e vencemos por 5-1 o Viseu 2001. Sem margem para discussão. Nove jornadas só com vitórias: seguimos no comando do campeonato.

- No futsal feminino, as Leoas receberam e golearam a Venda Luísa por 7-1, em partida da quarta jornada do respectivo campeonato.

- No andebol, o Sporting soma e segue. Começámos por derrotar a Sanjoanense por 36-22. A seguir  fomos a Setúbal vencer o Vitória por 28-17. À décima jornada, continuamos invictos no comando.

- No basquetebol, fomos a Coimbra vencer a Académica por 91-58, cumprindo assim um jogo em atraso referente à quinta jornada. Noutra partida, da sétima jornada, vitória leonina contra o Barreirense por 103-77, com a nossa equipa na condição de visitante. Triunfos categóricos. Lideramos o campeonato.

- No voleibol, boas notícias na frente interna e na competição internacional. O Sporting segue para os oitavos de final da Taça Challenge, mesmo tendo perdido com o Giesen, na Alemanha, por 2-3. No campeonato, triunfo por 3-0 contra o Castêlo da Maia no Pavilhão João Rocha, com parciais de 25-17, 25-20 e 25-13. Ficando assim cumprido o jogo inicial do campeonato, que ficara adiado.

No voleibol feminino, as Leoas venceram o Clube K por 3-1, com parciais de 25-22, 23-25, 25-16 e 25-18.

- No hóquei em patins, o Sporting foi a Viana do Castelo empatar 1-1 com a Juventude local, em partida da nona ronda do campeonato. Mantemos a liderança e continuamos a ser a única equipa sem derrotas.

- No hóquei feminino, fomos a Vila Franca de Xira derrotar a equipa local por 6-3, em jogo da oitava jornada. As leoas seguem em segundo no campeonato da Zona Sul.

- No futebol feminino, cumpriu-se o primeiro clássico da temporada. Com o Sporting a derrotar o Benfica por 3-0. A nossa equipa segue invicta no comando da Zona Sul do campeonato, mantendo o melhor ataque e a melhor defesa da prova.

- No râguebi feminino, outro clássico, outro triunfo. As Leoas receberam e golearam o Benfica por uma marca bem expressiva: 7-0

 

2

No Sporting das competições virtuais:

 

Augusto Inácio teima em ser notícia, desdobrando-se em declarações como destacado opositor ao actual Conselho Directivo. Falando desta vez ao programa Bola Branca, da Rádio Renascença, o antigo director-geral do futebol leonino considerou que a liderança no campeonato «não apaga as divergências dos adeptos com Varandas». Isto apesar de reconhecer que o Sporting é neste momento a equipa que «pratica o melhor futebol» da I Liga.

- Um grupo de sócios encabeçado por Rui Mestre insiste em levar por diante duas assembleias-gerais extraordinárias, aguardando decisão do presidente da Mesa da Assembleia Geral nesse sentido. Este grupo exige, por um lado, a readmissão imediata dos antigos sócios Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho, expulsos em 2018, e, por outro, a destituição também imediata de Frederico Varandas, alegando o aumento da dívida do clube à SAD e o protocolo com o Wolverhampton, entre outros motivos.

Do Sporting real e do Sporting virtual

21931374_Z5uKG.jpeg

 

 

Breve resumo da quinzena leonina que passou.

 

1

No Sporting das competições reais:

 

- No futsal, fomos ao recinto da Sanjoanense triunfar por 14-1. Depois recebemos e vencemos sem margem para discussão o Azeméis, por 8-1. Goleadas que nos mantêm invictos à sétima jornada do campeonato nacional, comandado pelo Sporting.

- No basquetebol, já somamos cinco vitórias consecutivas. Desta vez derrotámos o Imortal por 101-72 e despachámos o V. Guimarães por marca ainda mais categórica: 112-71. Seguimos na liderança do campeonato.

- No hóquei em patins, à sétima ronda do campeonato, o Sporting é agora a única equipa invicta. Reforçámos a liderança com a vitória fora de casa contra o Óquei de Barcelos, por 3-2, a meio da semana, e no sábado derrotámos o FC Porto por 4-2, clássico disputado no Pavilhão João Rocha, com grandes exibições de Girão e Romero.

- No hóquei feminino, recebemos e goleámos a APAC Tojal por 13-0, cumprindo a sétima jornada do campeonato. E seguimos em segundo na prova.

- No voleibol, triunfos em três palcos. Estreia leonina a vencer na Taça Challenge derrotando os alemães do Giesen por 3-0, na primeira mão dos 16 avos-de-final da competição. No campeonato, fomos a Guimarães derrotar o Vitória minhoto por 3-0 (parciais de 25-13, 25-19, 25-17). Depois recebemos e vencemos o Clube K, cumprindo jogo em atraso. Por 3-0 (parciais de 25-20, 25-19, 25-17).

- No futebol, vencemos por 2-1 o Fontinhas, equipa açoriana, com mais dois golos de Pedro Marques, no estádio Aurélio Pereira. Mantemos a liderança da série G, cumprida a sexta jornada da série G do Campeonato de Portugal.

- Ainda no  futebol, quarta vitória consecutiva na Liga Revelação, com triunfo frente ao Cova da Piedade, por 1-0, no estádio Aurélio Pereira. Seguimos em segundo na Zona Sul, a um ponto do líder.

- No campeonato nacional de futebol, prova máxima do desporto português, registámos duas goleadas consecutivas. Primeiro em Alvalade: recebemos e vencemos o Tondela por 4-0. Depois, fora de casa: triunfo categórico sobre o V. Guimarães também por 4-0. Lideramos isolados a prova, com quatro pontos de vantagem sobre o Braga, segundo classificado.

- No futebol feminino, recebemos e goleámos a equipa A-dos-Francos, por 13-0. Lideramos o campeonato, com o melhor ataque e a melhor defesa da competição.

 

2

No Sporting das competições virtuais:

 

Fernando Tavares Pereira, candidato derrotado em 2018 nas eleições para a presidência do Sporting, volta a disparar contra a Direcção do clube em novo artigo de opinião publicado no blogue Leonino. Desta vez a pretexto de um desinvestimento nas modalidades, esquecendo que o País vive há oito meses em estado de calamidade alternado com estado de emergência provocado pela pandemia, com drásticas reduções de receitas em todos os clubes desportivos. «A direcção tem-se esquecido dos apoios ou de alguns apoios que as modalidades carecem, para que os resultados, na maioria dos casos, praticamente não existem. Isto é o meu lamento e de milhares de sócios do Sporting CP», escreve o antigo candidato, em texto intitulado "A falta de apoio às modalidades".

O que mais gostei

O que mais gostei no jogo com o Tondela, foi o que mais gostei do jogo com o Gil e até com o Portimonense: as mexidas no banco melhoram efetivamente a equipa.

Ler um jogo e saber mexer as peças parece-me uma skill bastante rara e que o nosso treinador e a sua equipa técnica parecem ter.

Ontem também vi o jogo do Bessa e – por comparação  - isso ficou ainda mais claro.

Outra coisa que a nossa equipa técnica parece dominar é aquilo que no meu tempo se chamava de preparação física. Pedro Gonçalves andava por ali aos 90 minutos como se tivesse começado a jogar há dez minutos. Ainda me lembro no ano passado como era.

A época começa melhor do que muitos julgaríamos, mas tenhamos atenção ao nosso valor médio na órbita desse grande mistério do universo que são as arbitragens e os Vars.

No momento, é um valor inferior ao do Braga, como se viu ontem pelos esforços hercúleos do VAR para expulsar (com sucesso) um famalicense e validar (com sucesso) um golo.

Para nós, são de esperar cartões, expulsões e outras decisões.  

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D