Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Vicente de Moura

Não tenho o privilégio de me relacionar com o agora demissionário vice-presidente.

Não irei tecer comentários, nem fazer juízo de valor acerca do seu pedido de demissão. O Sporting precisa de paz!

Quero principal e inequivocamente fazer aqui pública homenagem ao homem que deu grande parte da sua vida ao desporto em geral e ao clube em particular e desejar que continue, como entender melhor, a dar o seu importante e válido contributo a ambos.

 

É um pouco menos "amador" do que o Real ter posto um castigado a jogar, mas...

Vicente Moura feliz por Sporting não ter sido enganado pela W52

Vicente Moura assumiu que, dado a forma como o processo decorreu, sem que a W52 tenha acautelado os direitos do Sporting, o desfecho foi “um bem”.

Vicente Moura 

Vicente Moura garantiu hoje à Lusa que o Sporting não foi enganado pela W52, mas assumiu que, caso os ‘leões’ não tivessem sido prudentes, a aposta na equipa de ciclismo poderia revelar-se ruinosa.
“O Sporting não foi enganado, mas, se não tivéssemos sido prudentes, poderíamos ter sido enganados ou eventualmente estar envolvidos num problema que mais tarde se poderia revelar ruinoso”, começou por dizer à agência Lusa o vice-presidente para as modalidades do clube leonino sobre o pré-acordo quebrado com a W52, que vai correr com as cores do FC Porto na próxima temporada.
Vicente Moura relatou o processo que culminou hoje, recuando mais de um ano, altura em que começou a procurar um parceiro credível para o Sporting voltar à estrada.
“O Sporting não queria pôr nesta modalidade um cêntimo, por isso era preciso arranjar uma equipa boa, uma equipa de grande nível, que eventualmente fosse para vencer uma Volta a Portugal, mas sem gastar dinheiro. Ora isto não é fácil. Nos últimos meses, as coisas correram da maneira desejada. Acabei por conhecer o senhor Jorge Mendes, que se propôs a coordenar o ciclismo e a ajudar a encontrar sponsors para financiar uma equipa que fosse forte. Entretanto, fomos negociando o protocolo e estávamos neste trabalho quando na quarta-feira passada, à noite, Jorge Mendes apareceu-nos a dizer que tinha uma equipa”, recordou.
Aquele que foi apontado como coordenador da equipa de ciclismo, anunciada na quinta-feira no jornal Sporting, apareceu na sala da direcção com cinco pessoas, das quais Vicente Moura não conhecia ninguém, com excepção de Nuno Ribeiro, o director desportivo, que representou Portugal em Atenas-2004 e Pequim-2008, quando este era presidente do Comité Olímpico de Portugal.
“Dizia ele que a equipa dele era a W52, que venceu as últimas três edições da Volta a Portugal. Rapidamente estabeleceu-se um diálogo. Eu, que sou uma pessoa crédula, uma pessoa séria, pensei: é óptimo. O Sporting dá o nome, a camisola, o coordenador faz o resto, e temos uma equipa altamente competitiva. Sentámo-nos à mesa e as coisas pareceram tão bem que o Nuno Ribeiro deu uma entrevista à SportingTV”, contou.
Passadas algumas horas, o vice-presidente leonino começou a receber telefonemas de sportinguistas e não só, “a dizer que havia problemas, que esta equipa tinha tido problemas, que havia outras coisas”, todos eles aconselhando o Sporting a ter cuidado.
“Fiz aquilo que qualquer pessoa responsável faria: avisei o presidente e ele, prudentemente, disse-me: então vamos suspender isto. Deu ordem, não só para suspender, mas para passar o assunto para os nossos assessores jurídicos. Sei que os esclarecimentos que pediram não chegaram. Nós não fizemos nada, ficámos calados. Depois desta notícia, não dei entrevistas, ficámos à espera dos acontecimentos. Meteu-se o fim de semana, as pessoas andavam à procura de informações para depois decidirmos o que fazer, mas não chegámos lá porque hoje fomos surpreendidos com o comunicado”, disse, referindo-se à nota da W52, que dava conta que o acordo com os leões não tinha sido concretizado.
Vicente Moura assumiu que, dado a forma como o processo decorreu, sem que a W52 tenha acautelado os direitos do Sporting, o desfecho foi “um bem”.
“Hoje vou dormir tranquilo, porque por um lado este acordo soçobrou e por outra ficou demonstrado que estas pessoas não são pessoas em quem possamos confiar”, confessou.
O responsável ‘leonino’, que afiançou que não havia nenhum contrato assinado entre ambas as partes, mostrou-se indiferente à parceria entre a equipa de Sobrado e o FC Porto – “O rival lá sabe. Com as informações que tínhamos, se calhar não queríamos esta equipa” – e lamentou que o caso vá melindrar o ciclismo.

In Sapo Desporto

 

Que diabo, sabendo-se que o ciclismo é uma modalidade, digamos atreita, a doping e sendo Vicente de Moura um homem do olimpismo, custava acautelar essa vertente? Mas de qualquer forma, ainda bem que se travou a tempo; Vivendo e aprendendo.

Eu confesso que gosto muito de ciclismo, mas este ciclismo eu dispenso.

 

Foto: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D