Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Um atroz ensurdecedor silêncio

A puta* da aparelhagem pifou?

Não há um recadinho a dar aos sócios e adeptos?

Está tudo bem em Alvalade?

Não se passa nada no Sporting?

Já estão a escolher o sucessor de Silas?

Já informaram da ementa para o camarote para Quinta-feira?

Não têm vergonha na cara?

Algum decoro, também não?

Precisam de um empurrãozinho?

 

* Não confundir com a gala, p.f.

Reciclar, reutilizar, (reduzir) reformar

Eu cá por mim aproveitava as faixas, sempre se poupa algum...

Não sei se os mesmos se prontificarão para a tarefa (legítima na altura como o será agora), mas se não, deixem lá o material que alguém rapidamente lhe pegará.

Manifestantes pedem novas eleições no Sporting

Nota: Foto retirada do Expresso, publicada no dia 04.06.2018 às 23.09 horas, pública portanto.

Saber quando sair

No final de Fevereiro deste ano escrevi aqui que não acreditava na capacidade deste presidente para dirigir o nosso clube. Ao longo dos últimos meses esperei, caladinho, por não ter razão. A entrevista de sábado não foi mais do que a confirmação que Varandas não tem quaisquer condições para se manter como presidente do nosso clube. Num clube democrático como é o Sporting, eleições não são, de todo, uma forma de instalar qualquer confusão. São acima de tudo o meio para que os sócios do clube possam escolher a melhor opção para nos dirigir. Ninguém podia esperar, depois da desastrosa pré-época, que na entrevista de sábado o presidente Varandas pudesse surpreender. Infelizmente os problemas de comunicação, tão evidentes desde que se assumiu como candidato, não eram apenas problemas de comunicação. Não se pode aceitar o nível de amadorismo que tem pautado este último ano. Todos temos que saber o tamanho das nossas pernas. Ninguém questiona o Sportinguismo do presidente e dos que o acompanham na direcção. Se isso chegasse, todos poderíamos ser presidentes do nosso clube. 

Espero que o presidente tenha a humildade para reconhecer que não há nada que possa fazer que consiga inverter o que fez no último ano. E saia.

Eu fazia assim:

Antes de contratar quem quer que fosse para treinador, entregava o lugar ao Benedito, numa comissão de gestão e metia a viola no saco, que já se viu que não tem unhas para aquela viola.

Como se diz lá por Tomar, a porta da rua é a serventia da casa!

E sim, é esta a partir de hoje a minha posição sobre este Conselho Directivo. Chega de cheques em branco e o passado já passou. Respeito institucional, mas não mais do que isso.

A cadeia de comando é sagrada

vrandas.jpg

Aquando do radical desatino do anterior presidente o dr. Varandas apareceu como candidato, acto muito saudável e elogiável. Mas armou-se de um discurso oco, patético para não dizer pateta. Qual "O Homem Que Queria Ser Rei", de Kypling, Varandas hasteou-se herói do Afeganistão, tique auto-engrandecedor que não despega, veja-se uma recente entrevista onde regressa às memórias de ter percorrido (bíblicos) "caminhos de pedras" sobre "o fogo do inimigo". Nessa fragilidade de referências (algo bacoca, já agora) Varandas anunciou que, em seu entender, "A cadeia de comando é sagrada". E presume-se que será assim que o nosso Podalírio entende o exercício do "comando" de uma associação desportiva, dado o tom com que se anunciava para o futuro.

A cadeia de comando é sagrada? É capaz de ser. E então é óbvio quem é o responsável por este triste estado de coisas.  Humildade (sinónimo de "cautela", como bem se sabe) e caldos de galinha é o que se pode receitar ao Presidente Podalírio. Deixe-se lá de invenções. Deixe-se de mimetizar o vizinho do lado. Contrate um treinador que saiba da poda - que é coisa que não falta em Portugal. Vamos lá ver se ainda dá para chegar ao habitual 3º lugar (ainda dá, falta muito e o Braga está mal).

E a ver se o recruta presidente chega a primeiro cabo. Que ainda lhe falta muito para furriel.

 

Humildade procura-se. E precisa-se com muita urgência. E acerto!

Em 1º lugar, Frederico Varandas. Está na hora de banho de realidade e, com humildade, pedir desculpa pela forma ligeira e descuidada com que tem tratado o futebol, reconhecendo que, afinal, não era tão fácil como pensava e que não basta força de vontade. E que tem cometido erros sucessivos na gestão do plantel, na política de contratações e na escolha dos treinadores. Só lhe fica bem. E talvez assim ganhe uma nova oportunidade. Muito embora, como se diz na política, nunca há uma 2ª oportunidade para causar uma boa 1ª impressão. E deve responder à pergunta: agora quais são os objetivos para a época? Depois, tomar uma iniciativa: desistir imediatamente de aumentos para os dirigentes da SAD. Nem explicito razões por desnecessidade óbvia. 

Em 2º lugar, Leonel Pontes. Que desilusão na leitura de jogo e que falta de bom senso ao justificar a substituição de Vietto para defesa do jogador, que vinha de uma lesão. Pior de tudo, não foi capaz de assumir que errou nesse fatídico momento, apenas referindo superficialmente que não funcionou. Assim não tem condições para ser treinador do Sporting, talvez nem dos sub23. Constatou amargamente o que o estádio pensou, acertadamente, da escolha profundamente errada que fez. Aqui confirma-se que não há uma 2ª oportunidade para causar uma boa 1ª impressão.

Por último, a direção. Este grupo de jovens deve refletir profundamente sobre o caminho que está a tomar este falhanço de gestão da equipa profissional, rever métodos e avaliar o somatório de erros sucessivos, de pequenos a maiores, que tem cometido a outros níveis. Exige-se mais competência nas ações. Basta estar atento às redes sociais e/ou acompanhar o quotidiano do clube para perceber que falta coordenação, mas sobretudo conhecimento aprofundado do clube. Não podem gerir com complexo de que existem fantasmas do passado a assombrar o dia a dia, senão quando se derem conta estão num filme de terror. E informem. E comuniquem. E expliquem. Só fica bem e não dá azo à especulação e à desinformação. Não passem ao lado da realidade. Após um ano de mandato, acho que todos esperávamos mais. E não esqueçam, também aqui a humildade só fará bem. 

Nota final para os milhares de sócios que, numa 2ª feira, se deslocaram às 21 horas a Alvalade para, mais uma vez, sofrer e sair num desalento profundo sem ver luz ao fundo do túnel. São magníficos, somos os melhores adeptos do mundo, sentimos o Sporting de forma inexplicável. Merecíamos mais. Muito mais. Agora e sempre!

(PS- a lampionagem não é para aqui chamada. Por isso, não percam tempo com a costumeira boçalidade de alguns que aqui se exibem)

Um ano de Team Varandas

Completa-se hoje um ano desde as últimas eleições no Sporting Clube de Portugal, eleições essas que consagraram Frederico Varandas como Presidente do Clube.

Um ano cheio de altos e baixos. Conquistaram-se importantes títulos mas também se falharam outros. Entre as grandes conquistas estão a Liga dos Campeões de Futsal, a Taça dos Clubes Campeões Europeus de Hóquei Patins e, claro, as Taças da Liga e de Portugal em Futebol. No lado dos títulos perdidos, os que mais me custaram foram o título nacional Futsal e a SuperTaça em futebol, onde caímos com estrondo.

As modalidades tiveram um ano agridoce. Conquistaram-se muitos títulos mas falharam os respetivos campeonatos nacionais. O orçamento para este ano foi batizado por alguns como "o do desinvestimento" mas parece-me mais que se procura contratar qualidade de forma a fazer mais com menos. Thierry Anti como treinador do Andebol é um bom exemplo disso. E a época começou da melhor maneira. O Futsal esmagou o Benfica na SuperTaça com uns expressivos 6-2 e o Andebol começou a época com uma vitória na Luz por 28-30.

No futebol, pegou na equipa de futebol liderada, até então, por um Sousa Cintra que prometeu um prémio monetário (superior ao da Taça da Liga) caso a equipa estivesse em primeiro à quarta jornada (!). Ter José Peseiro no banco não deixava ninguém descansado e trocou-se por um relativamente desconhecido Marcel Keizer. A aposta não correu como se esperava a 100% mas ainda foram conquistados dois títulos.

A política desportiva para a equipa de futebol também mudou drasticamente. Os jogadores com os salários mais elevados foram "dispensados". Entre vendas e cedências, acabou por se perder algum talento mas também nos vimos livres de muito "entulho". As contratações de jogadores, com a exceção de Borja, passou a ser de jovens com potencial para brilhar mas sem ainda serem certezas absolutas. É o caso de Rosier, Doumbia, Plata, Camacho, etc.

No último dia de mercado, esta política sofreu um pequeno revés com a chegada de três emprestados (Jesé, Fernando e Bolasie) e com a troca de Marcel Keizer por Leonel Pontes. Há uma nuvem de dúvidas sobre o impacto que terá na equipa mas, como tudo no futebol, será dissipada quando a bola começar a entrar na baliza. Leonel Pontes tem que ter a paciência dos adeptos para mostrar aquilo que sabe fazer.

Por falar em bola na baliza. Acho que não vale a pena teorizar muito sobre o que une o Clube. O que une o Clube são e serão sempre os títulos. Os Sportinguistas têm um conjunto de características que os ajudam a rever-se no Clube mas, neste momento, há muita dispersão. Neste último ano tornou-se óbvio que existem vários tipos de adeptos. Existem os que ainda vivem no luto da anterior direção e que se comportam como uma espécie de FARC, sempre prontos a metralhar quem não gostam (mesmo com mentiras). Existem os que estão sempre prestes a salvar o Clube do que quer que seja pois são eles os detentores do mágico elixir que tudo cura. E existem os adeptos normais que entendem que estamos perante uma presidência normal, com altos e baixos e que será avaliada normalmente nas próximas AGs e Eleições. Até lá, que a bola bata sempre na parte de dentro da rede e consigamos o maior número de títulos possível.

A Academia está a ser melhorada a olhos vistos e o projeto de formação ganhou novos contornos. A formação não pode ser vista como a salvação do Sporting, tem que ser vista como uma fonte de recursos onde o Clube se reforça mas nunca a única. Ainda assim é importante ter qualidade em quantidade e comprometidos com o Clube. É claro que quando se fala na formação vêm mil piadas sobre colchões mas não posso fazer nada para mudar a opinião de quem se comporta como um chimpanzé a atirar fezes a quem passa no zoo.

A nível de comunicação, parece que abandonámos de vez o belicismo e começámos à procura de outra linha. Acho que estamos piores nas redes sociais mas melhores na maneira como lidamos com os players da comunicação social. Há uma linha ténue que separa as notícias da propaganda mas é sempre (SEMPRE!) melhor ter pessoas a nosso favor do que contra.

Já a oposição nunca desapareceu. Os eternos "esqueletos" Ricciardi e Dias Ferreira têm sido o rosto mais visível de uma certa oposição. Os tais que acham ter o tal elixir. Também se joga uma campanha suja nas redes sociais onde se tenta ofender o mais possível. Campanha essa levada a cabo por muitos daqueles que criticavam, e bem!, as campanhas sujas contra o anterior Presidente. A democracia não pode ser só boa quando ganha quem nós queremos. É saudável haver oposição mas que seja feita às claras e com medidas para ajudar o Clube em vez de uma política de terra queimada.

No fundo, apesar de tudo, foi um ano normal na vida do Sporting. Conquistaram-se títulos, perderam-se outros. Bem sei que alguém dirá "temos a responsabilidade de ganhar tudo" e é verdade. Mas não se conseguiu. O que se conseguiu foi trabalhar para que a cada ano se tenham mais condições para que "se ganhe tudo".

 

Palmarés 2018/19

Futsal Masculino - Liga dos Campeões, Supertaça, Taça de Portugal

Futsal (sub20) - Campeonato Nacional

Hóquei em Patins - Liga Europeia

Andebol (juniores) - Campeonato Nacional

Voleibol (feminino) - 1º Lugar (II divisão)

Atletismo (masculino) - Campeonato Nacional de Estrada, Campeonato Nacional de Corta-Mato

Atletismo (feminino) - Campeonato Nacional de Estrada, Taça dos Clubes Campeões Europeus de Corta-Mato, Campeonato Nacional de Corta-Mato, Campeonato Nacional de Pista Coberta, Taça dos Clubes Campeões de Pista Coberta, Campeonato Nacional ao Ar Livre

Judo (masculino) - Liga dos Campeões, Campeonato Nacional

Ténis de Mesa - Tetra Campeões, Taça de Portugal, Supertaça

Râguebi - Taça Ibérica

Râguebi (feminino) - Campeonato Nacional, Taça Ibérica, Taça de Portugal, Supertaça

Natação - Octacampeões Nacionais

Ginástica (trampolins masculinos) - Campeões nacionais por equipas

Goalball - Campeões europeus (masculino e feminino), Campeonato Nacional, Taça de Portugal, Supertaça

Futebol - Taça de Portugal, Taça da Liga

Futebol (sub15) - Campeonato Nacional

Futebol (sub14) - 1º lugar na Divisão de Honra AF Lisboa

Futebol (sub14 B) - 1º lugar na Divisão de Honra AF Lisboa

Palmarés 2019/2020 (até ao momento)

Futsal - Supertaça

Judo - Jorge Fonseca campeão do Mundo (< 100kg), Daria Bilodid campeã do mundo (< 48kg)

 

Será que já se pode falar em "varandismo"?

Descubram as diferenças para os últimos seis meses da era "brunista".

Pois, não há! Eu diria, com um pouco de cinismo, "eu avisei", mas o meu desejo de que este pesadelo passe depressa, impede-me.

Vai ter alguma piada ver alguns agora a sacudirem a água do capote e a dizerem, lestos "eu não fui, eu não votei nele!" e a clamarem por Benedito, que se for esperto (e parece ser) está posicionado no taco de partida para uma eventual e mais que certa eleição antecipada para o CD.

Pinto da Costa e Vieira, desfrutando do calor destas noites de Verão tardio, riem...

 

Ah! E pergunta para queijinho: 

1- Onde anda o presidente;

2 - Ainda temos presidente?

3- Há um ano que não temos presidente.

Refém de uma transferência

Sem a ida mais uma vez à liga milionária, se quer fazer frente a uma época exigente e se quer atacar o título(?), o Sporting precisa de dinheiro.

A venda dos direitos desportivos e outros (irrita-me utilizar o termo venda do jogador, as pessoas não deverão ser mercadoria) de Bruno Fernandes daria eventualmente para esta e a próxima época, apesar dos quinhões que haverá a distribuir pelos vários interessados, que serão muitos.

Frederico Varandas está desertinho para efectuar a transacção (eu se calhar estando no lugar dele também estaria), mas há um marco, 100M€, a que é impossível fugir. Dou de barato os 120M€ do rapaz do Benfica, negócios à Mendes que não vêm ao caso neste post, mas 100M€ é uma cifra muito difícil de atingir e compreendo que o valor pedido, 70M€, seja o limite mínimo aceitável pelo presidente.

A questão essencial é no entanto esta: Baixando deste valor (não me parece que o faça e muito bem) o presidente ficará com o seu mandato seriamente comprometido. Como dizem os amigos brasileiros, "se ficar o bicho pega, se fugir o bicho morde" e gerir isto não deverá ser fácil.

Comparado com isto, gerir o dossier treinador são "penares"...

Basta de paninhos quentes

Aqui, fiz questão de não responder a qualquer comentário (e até dei voz  a lampiões) porque entendi que sendo o post publicado escassos minutos após a copiosa derrota ante o eterno rival (justa e talvez até escassa, perante o futebol praticado por ambas as equipas) serviria para os comentadores carpirem as suas justas mágoas, a quente, revelando aquilo que é a essência do futebol: a emoção, os nervos à flor da pele, a irracionalidade até. Não voltarei lá atrás, o que foi publicado, publicado está.

O título desse post de ontem levantava uma questão que quem faz o favor de me ler certamente entendeu à primeira. O José da Xã foi ainda mais claro e colocou o "dedo na ferida": Não voltará a Alvalade com esta miséria!

Não há desculpas. Com tempo mais que suficiente para preparar uma época, o nosso treinador, que acredito ainda não ter percebido onde está, anda ainda aos apalpões à procura de ninguém sabe bem o quê. O Pedro Correia já fez bem em lembrar que por menos Peseiro foi despedido por Frederico Varandas, o homem que por ora ocupa o lugar de presidente do Sporting. Eu faço questão de lembrar que Frederico Varandas não teve a maioria dos votantes do seu lado, ainda que tivesse a maioria dos votos (haverei de pugnar aqui pela causa de um sócio/um voto até que a voz me doa) e a sua posição está, como a de qualquer presidente, refém dos resultados no futebol, independentemente da legitimidade da sua eleição.

Portanto caro presidente, se quer continuar a exercer o cargo para que foi eleito, deixe-se de merdas, de falinhas mansas (reveja o momento em que Vieira segreda qualquer coisa ao ouvido do presidente da federação e faz um gesto sintomático de "vamos encavá-los") e tenha-os no sítio!

O nosso adversário de ontem, e podemos dar a importância que quisermos ao torneio nos EUA que venceram, fez uma pré-época que deu aos seus sócios e adeptos a convicção de que dificilmente perderão o primeiro lugar no campeonato que se inicia no próximo fim-de-semana. Ganhássemos nós a porra dum troféu na América e o foguetório que não haveria por aqui...

Já nós, fizemos uma pré-época miserável. Não encontro outro adjectivo para qualificar as derrotas e empates com conjuntos de rapazes bem humorados que defrontámos, apesar de termos jogado e empatado com o campeão europeu, o Liverpool, aqui p'ra nós com uma sorte daquelas...

Com todas as letras, presidente: Ou ganha e continua, ou não ganha e sai! E este ganha começa no próximo domingo. Não é Keizer quem estará no banco, no banco estará simbolicamente o presidente que o sustenta e uma derrota ou um empate nos Barreiros é responsabilidade do presidente! Consoante o que der o resultado, tome a decisão que deverá tomar.

Como se diz na minha terra, não há cá renhonhós!

O fim em Agosto

Depois de ontem, pensar o quê e no quê? Estamos, época atrás de época, a dar tempo, seja a treinadores, a presidentes e a jogadores. O pior de ontem não foi sequer o resultado por muito mau que tenha sido. Foi olhar para a equipa, para o treinador e para o presidente e não ver qualquer futuro. É isso que me aflige. Depois de um ano estamos pior. O que podemos esperar esta época, estando em Agosto? Depois de uma pré-época desastrosa, sem uma única vitória, e pior, sem qualquer jogo com uma identidade, um fio de jogo que se aproveitasse. Alguém acredita que poderemos lutar pelo primeiro lugar contra o Benfica e o Porto? A verdade é que não há a certeza que poderemos lutar pelo terceiro lugar com o Braga. Ao fim de um ano foi isto que Frederico Varandas nos trouxe. Não há outra forma de o dizer. Estamos em Agosto e com estas exibições eu só quero que a época acabe o mais rápido possível.
É triste, não é?

Vinte vezes vergonha

"Sobre Luís Filipe Vieira, fiquei sensibilizado com a preocupação da longevidade do meu mandato, pode contar com o Sporting a lutar pela verdade desportiva, valorização do futebol português, implacável na luta contra a corrupção. Não vivo a pensar nem no Benfica nem no rival. Pensamos no futebol português. Se me perguntam o que acho do caso e-Toupeira, tenho a dizer que é uma vergonha. Se me perguntarem 20 vezes, direi 20 vezes que é uma vergonha".

GOSTEI!

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D