Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Nova classificação pela desistência da União de Leiria

Se a desistência da União de Leiria se vier a confirmar e resultar na anulação dos pontos em todos os jogos em que participou, a classificação geral nesta data será a seguinte:

 

 1. Porto........................63 (-6)

 2. Benfica.....................60 (-3)                  * Com apenas um jogo por jogar.    

 3. Braga.......................56 (-3)

 4. Sporting...................50 (-6)

 5. Maritimo...................42 (-6)

 6. Guimarães................39 (-3)

 7. Nacional...................37 (-1)                   * Com apenas um jogo por jogar.

 8. Olhanense................29 (-6)

 9. Gil Vicente................27 (-4)

10. V. Setúbal................27 (-3)

11. Beira-Mar.................26 (-3)

12. Rio Ave....................24 (-3)

13. Paços Ferreira...........23 (-6)

14. Académica................19 (-4)

15. Feirense...................18 (-6)  

 

A desastrosa consequência para o Sporting, é que mesmo vencendo os últimos dois jogos não será suficiente para assegurar o 3º lugar, desde que o Braga vença ou empate com o Beira-Mar amanhã, com o acrescido negativo que este não necessita de pontuar para garantir a permanência, uma vez que apenas perdeu 1 ponto com o ajustamento, enquanto o Paços de Ferreira perdeu 6, Feirense 6, Académica 4 e o Rio Ave 3.  

Telenovela mexicana

Enquanto o País Opinativo ainda debatia acaloradamente a corrida aos preços baixos numa cadeia de hipermercados, consumava-se um caso muito mais insólito, digno de telenovela mexicana, que põe claramente em causa a credibilidade do futebol português. A duas jornadas do fim do campeonato, a União de Leiria retira-se da competição após 13 jogadores terem anunciado a rescisão dos contratos de trabalho alegando incumprimento dos deveres elementares da entidade patronal. Com inevitáveis consequências a vários níveis - incluindo nas tabelas classificativas.

Sem querer entrar na questão de fundo, deixo apenas uma pergunta: como é possível continuarem a ser inscritas nas ligas profissionais equipas sem a menor solidez financeira? Gasta-se tanto tempo e tanto espaço informativo a discutir as apitadelas dos árbitros quando a discussão devia começar precisamente por aqui.

 

ADENDA às 21.00: depois de dizer isto, o presidente da U. Leiria vem agora dizer isto. Parafraseando Pimenta Machado, o que de manhã é verdade à tarde torna-se mentira. Ou vice-versa.

Tudo à mostra em Leiria

Se houvesse um módico de bom senso o escabroso enredo do União de Leiria transformava-se no case study do futebol português. Mas não vai acontecer.

Este clubezeco é um mistério. Toda a gente sabe que em Leiria o clube popular e histórico é o Marrazes, no entanto todas as benesses recaíram sobre o anódino União, campeão das bancadas às moscas, pelo que óbvio merecedor de um faraónico estádio, por via da fúria construtivista do Euro 2004.

Desde a criação da Liga que o futebol em Portugal vive entalado entre duas opções, sempre optando pela pior. Ou se converte naquilo que ele já é em qualquer outro país da Europa, uma indústria profissional de entretenimento de massas (O Real Madrid- Barcelona teve um mercado televisivo de 400 milhões de espectadores!!!), sujeito à racionalidade económica que isso implica; ou continua a ser um sombrio enredo de favores, agregado a interesses locais, gerido por uma corja de crápulas autárquicos – é favor ler o livro de Maria José Morgado onde vem escalpelizado tim por tim o famigerado triângulo futebol-autarquia-construção civil.

Ou o futebol continua a atender aos interesses da Associação da Guarda (apenas por exemplo) a ver se consegue puxar a si uma brasita do fraco lume, ou vai no sentido de promover a competitividade, o investimento, o valor dos direitos do espectáculo. Sim, isto corresponde ao interesse dos grandes clubes que se chamam assim porque é à roda deles que estão 80% dos adeptos, dos que pagam para ver.

Também toda a gente sabe que este estado de coisas tem um nome e um master mind: Futebol Clube do Porto. Na sua estratégia para combater o suposto centralismo de Lisboa, disseminou influências pelas capelas do norte, prometendo aqui e ali isto e aquilo, assim garantindo uma rede de compadrios entre as sigilosas Associações de Futebol, capaz de pôr o dedo na balança quando de vez em vez se pretende sanear um pouco que seja tão mesquinho e funesto estado de coisas.

É este o sistema, é esta mão que nele manda e o resultado são as Uniões de Leiria da vida. Querem uma solução? Faça-se um campeonato com 10 clubes e 4 voltas. 36 jogos de grande competição, estádios cheios, direitos de tv mais valiosos, clubes com possibilidade de ganhar massa crítica. Isto dá para todos? Não só para alguns, os mais organizados e com maior base de apoio. É o fazes...

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D