Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O Benfica bateu no fundo...

"Só alguém muito distraído ou muito tonto é que pode reduzir a Operação e-toupeira a um pequeno caso de um funcionário judicial fanático do Benfica, que, a troco de uns bilhetes para si e para os amigos, passava informações inócuas sobre processos envolvendo o clube. Convém que não nos façam passar por parvos. As suspeitas que recaem sobre o Benfica e sobre o próprio Luís Filipe Vieira são de uma gravidade extrema. Altos dirigentes daquela que é a maior e mais popular instituição do país terão decidido infiltrar-se no sistema judicial, recorrendo a funcionários de tribunais e a peritos informáticos, de forma a recolher informação em segredo de justiça e conhecer o conteúdo de processos, antever buscas e até mesmo formar funcionários do clube sobre como receber a polícia, e envolvendo pelo caminho grandes sociedades de advogados. Se isto não é uma coisa séria, então não sei o que uma coisa séria possa ser.

Quem faz isto, faz quase tudo. Uma coisa são as famosas fugas ao segredo de justiça que acabam em notícia de jornal, e que incomodam tanta gente neste país que para as criticar há sempre uma longa fila de advogados que alternam nas televisões a bater no Ministério Público. Outra coisa é a fuga ao segredo de justiça que agora está em causa, cuja gravidade é infinitamente superior a qualquer capa do Correio da Manhã, mesmo que motive menos indignação por parte dos tais advogados – este é o tipo de fuga que afunda processos, alerta investigados e conspira na sombra a favor dos poderosos.

Aquilo a que temos assistido é verdadeiramente assustador. Quando juntamos operações como a Fizz, a Lex e agora a e-toupeira, em que estão envolvidos procuradores do Ministério Público e até mesmo juízes, somos obrigados a concluir que uma parte significativa do sistema judicial parece ter estado (ainda está?) à venda pelo melhor preço. O preço feito ao Benfica, pelos vistos, era particularmente baixo, aproveitando a malfadada paixão clubística – mas isso de forma alguma torna aquilo que aconteceu mais aceitável.

Aos benfiquistas mais fervorosos, que nas caixas de comentários irão desconversar com os pagamentos do Porto ao Estoril, devo recordar isto: o Benfica é dirigido por um presidente que já foi sócio do FC Porto; o CEO do grupo Benfica, Domingos Soares de Oliveira, é regularmente acusado de ser do Sporting; o agora tão popular Paulo Gonçalves passou pelo Porto e pelo Boavista; Luís Bernardo, director de comunicação do Benfica, estava há três anos a dirigir a comunicação do Sporting (através da sua empresa WL Partners). E eu acho tudo isto muito bem: uma empresa como o Benfica deve contratar as melhores pessoas que encontra no mercado, e a dedicação ao clube mede-se através da qualidade do trabalho de cada um.

Mas, sendo isto assim, convinha que os adeptos fervorosos abrissem os olhos e percebessem de uma vez por todas que o seu fanatismo é apenas uma arma de arremesso e de pressão, utilizada quando convém por pessoas que muitas vezes nem sequer partilham a sua paixão clubística. No actual estado do futebol português, aquilo que temos diante de nós não são camisolas vermelhas, azuis ou verdes; é uma mesma história de dinheiro, poder e corrupção, em que a bola é apenas um meio particularmente eficaz para pessoas sem escrúpulos subirem depressa na vida e praticarem as mais variadas trafulhices, enquanto os ministros pedem bilhetes para ir ao futebol e as bancadas batem palmas à passagem da águia Vitória."  

 

 

João Miguel Tavares, lampião dos quatro costados, in Público 

O começo

A primeira reacção conhecida da federação diz-nos muito sobre o estado das instituições que gerem o futebol. Quando um clube com a dimensão do Benfica é envolvido num processo sem precedentes, desde o apito dourado que envolveu o FC Porto, e a única declaração da federação portuguesa de futebol é uma espécie de sacudir a água do capote, afirmando que este caso nada tem a ver com a parte desportiva, ficamos conversados sobre qual a verdadeira intenção dos actuais e ainda dirigentes da federação.

Que não haja qualquer dúvida: os actuais dirigentes desportivos vão fazer o possível e o impossível para que este mundo podre onde vivem se mantenha.

A história diz-nos que o mais certo é conseguirem. Mas a história também nos ensina que mesmo podendo haver constantes, nada nunca se repete. E hoje temos um dado novo. O nosso Sporting - o Sporting de hoje - nada tem a ver com o Sporting da era do apito dourado, com dirigentes a sair abraçados e contentes a Pinto da Costa depois de uma (mais uma) derrota. O papel do actual Sporting no descobrir deste impressionante escândalo, foi e será fundamental. Podemos tentar imaginar qual seria a opção de anteriores direcções quando confrontadas com dados concretos como foi a actual.

A cobardia da maioria dos dirigentes desportivos não vai ser fácil de derrotar. A maioria dos jornais desportivos estão dominados pela cartilha que permitiu ao Benfica sair durante todos estes anos impune a todos os rumores que circulavam. Nada era investigado, a informação era, e ainda é, distorcida e manipulada. Os vários canais de informação foram colonizados por cartilheiros descarados, que de dedo em riste afirmam sem vergonha que são isentos, quando hoje sabemos que se venderam por menos de 30 moedas. São burocratas, funcionários que cumprem o que lhes dizem, sem questionar, de fidelidade canina, na ânsia de agradar, sempre de cabeça baixa e sem espinha. Serão os últimos a deixar cair este Benfica.

Custa mais ver adeptos desse clube, que tenho por sérios, continuarem a defender o que hoje sabemos ser verdade, com o argumento que se o Porto o fez nós também o podemos fazer.

Estamos em Portugal, vai ser uma luta longa e desgastante. Quem pensa que estamos no final da história, desengane-se. Começou agora, vai durar anos e todos vão ser precisos para derrotar quem não permitiu a nós, aos nossos filhos, festejar as conquistas que tínhamos direito e pelas quais lutámos de forma honesta, ao contrário de outros.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Error running style: Style code didn't finish running in a timely fashion. Possible causes: