Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Três anos, três títulos

Pode ser surpreendente para alguns, até para uns quantos adeptos leoninos, mas nas últimas três épocas futebolísticas o Sporting é o clube português com mais títulos - a par do Porto e perdendo apenas um troféu na comparação com os azuis-e-brancos.

Em títulos, no mesmo período, o Benfica segue empatado com Aves e Braga.

 

Fica o inventário, para evitar certas inverdades que vou lendo e ouvindo por aí, até em órgãos de informação que tinham a obrigação de perceber um pouco mais de futebol:

- FC Porto: 3 títulos e 1 troféu (campeonato 2018, Supertaça 2018, campeonato 2020, Taça de Portugal 2020)

- Sporting: 3 títulos (Taça da Liga 2018, Taça da Liga 2019, Taça de Portugal 2019)

- Benfica: 1 título e 1 troféu (campeonato 2019, Supertaça 2019)

- Aves: 1 título (Taça de Portugal 2018)

- Braga: 1 título (Taça da Liga 2020)

 

Nestas coisas, o melhor é argumentarmos sempre com a linguagem dos números. Que não enganam.

Sporting: 80 anos de troféus em relance

1

Lista dos presidentes do Sporting que se sagraram campeões nacionais:

Joaquim Oliveira Duarte (1941)

Alberto da Cunha e Silva (1944)

António Ribeiro Ferreira (1947, 1948, 1949, 1951, 1952)

Carlos Góis Mota (1953, 1954)

Francisco Casal-Ribeiro (1958)

Joel Pascoal (1962)

Guilherme Brás Medeiros (1966, 1970)

João Rocha (1974, 1980, 1982)

José Roquette (2000)

António Dias da Cunha (2002)

 

2

Lista dos presidentes do Sporting que conquistaram a dobradinha (campeonato e Taça de Portugal):

Joaquim Oliveira Duarte (1941)

António Ribeiro Ferreira (1948)

Carlos Góis Mota (1954)

João Rocha (1974, 1982)

António Dias da Cunha (2002)

 

3

Lista dos presidentes do Sporting que venceram a Taça de Portugal nas épocas em que o Sporting não se sagrou campeão:

Augusto Barreira de Campos (1945)

António Ribeiro Ferreira (1946)

Horácio Sá Viana Rebelo * (1963)

Guilherme Brás Medeiros (1971)

Manuel Nazareth (1973)

João Rocha (1978)

Pedro Santana Lopes (1995)

Filipe Soares Franco (2007, 2008)

Bruno de Carvalho (2015)

Frederico Varandas (2019)

 

4

Lista dos presidentes do Sporting que nunca conquistaram qualquer dos dois principais títulos do futebol em Portugal:

Augusto de Aguilar (1942-1943)

Diogo Alves Furtado (1943)

Gaudêncio Costa (1961-1962)

Homem de Figueiredo (1964-1965)

Amado de Freitas (1986-1988)

Jorge Gonçalves (1988-1989)

José Sousa Cintra (1989-1995)

José Eduardo Bettencourt (2009-2011)

Luís Godinho Lopes (2011-2013)

 

* Tem a seu crédito também a Taça dos Vencedores das Taças (1964), maior troféu internacional conquistado pelo futebol leonino

Balanço da década

1

Chegamos agora ao fim de mais uma década desportiva e, no capítulo do futebol, o balanço não podia ser mais desolador:

Campeonatos: zero.

Taças de Portugal: duas (2015 e 2019)

Supertaças: uma (2015)

Taças da Liga: duas (2018 e 2019)

 

Entre 2011 e 2020, portanto, apenas cinco troféus - nenhum deles o mais cobiçado - em 40 possíveis.

Só um por cada oito. 

 

Nesta triste década tivemos cinco presidentes, um dos quais interino: José Eduardo Bettencourt, Godinho Lopes, Bruno de Carvalho, Torres Pereira e Frederico Varandas.

No mesmo período, passaram pela equipa principal do Sporting nada menos do que 16 treinadores: Paulo Sérgio, José Couceiro, Domingos Paciência, Ricardo Sá Pinto, Oceano Cruz, Franky Vercauteren, Jesualdo Ferreira, Leonardo Jardim, Marco Silva, Jorge Jesus, José Peseiro, Tiago Fernandes, Marcel Keizer, Leonel Pontes, Silas e Rúben Amorim.

Destes, apenas três inscreveram os nomes na galeria de vencedores: Marco Silva (uma Taça de Portugal numa só época em Alvalade), Jorge Jesus (uma Supertaça e uma Taça da Liga em três épocas) e Marcel Keizer (uma Taça de Portugal e uma Taça da Liga em dez meses). Todos foram despedidos após a conquista do último troféu - único, no caso de Marco Silva.

 

2

Campeonatos nacionais de futebol conquistados pelo Sporting por décadas, a partir dos anos 40:

1941/1950: cinco
1951/1960: cinco
1961/1970: três
1971/1980: dois
1981/1990: um
1991/2000: um
2001/2010: um
2011/2020: nenhum

Esta foi, portanto, a primeira década em que não conseguimos festejar sequer um título de campeões nacionais.

 

3

Enquanto não assimilarmos estes factos e estes números, extraindo deles as devidas conclusões, nada de significativo mudará no Sporting. Excepto para pior.

O que ganhámos desde 1986 no futebol

estadio_0[1].jpg

 

Fica a lista, abrangendo os dez últimos presidentes (deixo de fora, propositadamente, Torres Pereira, que exerceu a função interinamente, no Verão de 2018, à margem da época futebolística).

 

Amado de Freitas (1986-1988)

Supertaça 1987

Jorge Gonçalves (1988-1989)

Nada

Sousa Cintra (1989-1995)

Nada

Pedro Santana Lopes (1995-1996)

Taça de Portugal 1995

Supertaça 1995

José Roquette (1996-2000)

Campeonato 2000

António Dias da Cunha (2000-2005)

Supertaça 2000

Campeonato 2002

Taça de Portugal 2002

Supertaça 2002

Filipe Soares Franco (2005-2009)

Taça de Portugal 2007

Supertaça 2007

Taça de Portugal 2008

Supertaça 2008

José Eduardo Bettencourt (2009-2011)

Nada

Godinho Lopes (2011-2013)

Nada

Bruno de Carvalho (2013-2018)

Taça de Portugal 2015

Supertaça 2015

Taça da Liga 2018

Frederico Varandas (desde 2018)

Taça de Portugal 2019

Taça da Liga 2019

 

Breves conclusões:

- Quatro destes presidentes (Gonçalves, Cintra, Bettencourt e Godinho Lopes) não venceram qualquer título no futebol profissional;

- Apenas dois dos últimos dez (Roquette e Dias da Cunha) viram o Sporting sagrar-se campeão nacional de futebol;

- Os dois presidentes com mais títulos conquistados foram Dias da Cunha e Soares Franco, ambos com quatro;

- Ao longo deste período, ganhámos dois campeonatos, seis Taças de Portugal, sete Supertaças e duas Taças da Liga;

- No total, só 17 troféus no futebol profissional desde o fim da longa presidência de João Rocha (1973-1986). À média de meio troféu por época. Na última década, apenas cinco.

Estamos na corrida aos títulos

Do nosso maior período de jejum sem conquistar o troféu máximo do futebol português. E da pior classificação de sempre do Sporting num campeonato nacional.

Goleados pelo Benfica na Supertaça. Com metade dos pontos de uma equipa recém-promovida à Primeira Liga e seis jogadores na miserável partida de ontem a fazerem só agora a pré-época. Rumo ao terceiro treinador à sexta jornada.

Este ano é que é.

Parabéns ao vencedor

marcelkeizer9.jpg

 

Como vários de nós, exprimi aqui críticas a Marcel Keizer, que tomou conta da equipa profissional do Sporting quando seguíamos a dois pontos do Benfica no campeonato nacional após termos ido empatar à Luz sob o comando de José Peseiro. Não sendo adepto das chamadas "chicotadas psicológicas", pareceu-me mal que Frederico Varandas tivesse despachado Peseiro a 31 de Outubro - sobretudo no contexto em que ocorreu, após uma derrota para a Taça da Liga em que o técnico apostara deliberadamente num onze de segundas linhas e vira esvoaçar dezenas de lenços brancos nas bancadas.

Depois, naquela semana negra do início de Fevereiro, fiquei francamente decepcionado com o holandês ao perdermos duas vezes com o Benfica em dois jogos consecutivos - primeiro 2-4 em casa, para o campeonato, depois 1-2 na Luz, na primeira mão da meia-final da Taça.

 

Virou-se a página. Em tempo de balanços, neste defeso, é o momento de dar os parabéns formais ao sucessor de Peseiro - e, cumulativamente, ao presidente que o contratou. Em seis meses, com ele ao leme da nossa equipa principal de futebol, o Sporting venceu dois dos três troféus em competição - a Taça de Portugal (que não vencíamos desde 2015) e a Taça da Liga. Graças a ele também, qualificámo-nos para a Supertaça, pela primeira vez em quatro anos.

Nesses seis meses, portanto, Varandas conseguiu tantos títulos em provas de continuidade no futebol português como Bruno de Carvalho em mais de cinco anos como presidente. E Keizer superou o milionário antecessor: nas três épocas em que prestou serviço em Alvalade, Jorge Jesus apenas foi capaz de conseguir uma Taça da Liga - batendo o V. Setúbal, numa final sem vitória em campo, só conseguida na marcação de penáltis.

 

Keizer está longe de ser um prodígio na comunicação. Mas não foi para isso que Varandas o contratou. A verdade é que o holandês, num momento difícil da vida do Sporting, soube granjear o respeito dos jogadores e dos adeptos. Deve ser felicitado também por isso.

 

 

ADENDA: O Benfica sagrou-se campeão nacional de futebol. Manda o mais elementar desportivismo que saibamos dar os parabéns ao clube vencedor. Como sempre fiz aqui.

Sonho tornado realidade

Contabilizando o que já conquistámos nesta época, o Sporting Clube de Portugal soma 35 títulos europeus, em diversas modalidades: futebol, atletismo, andebol, hóquei em patins, futsal, judo e desporto adaptado.

Muito mais do que os nossos rivais somados. O Benfica tem 17 títulos europeus e o FC Porto apenas 14. 

Somos um caso ímpar de ecletismo no panorama do desporto a nível internacional. Com uma cultura de vitória que honra o lema do nosso fundador: Que sonhou um Sporting «tão grande como os maiores da Europa».

Sonho tornado realidade. Para alegria de todos nós.

Quatro títulos europeus em seis meses *

9 de Setembro de 2018:

Frederico Varandas toma posse como presidente do Sporting

 

7 de Dezembro de 2018:

Sporting sagra-se campeão europeu de judo

 

3 de Fevereiro de 2019:

Sporting sagra-se campeão europeu de corta-mato feminino

 

28 de Abril de 2019:

Sporting sagra-se campeão europeu de futsal

 

12 de Maio de 2019:

Sporting sagra-se campeão europeu de hóquei em patins.

 

 

* Mais dois títulos europeus no desporto adaptado, como bem lembram alguns leitores.

Taça da Liga

O troféu que conquistámos no sábado chama-se Taça da Liga. Seja qual for a empresa que a patrocine. Tal como a Taça de Portugal é e será denominada sempre assim: Taça de Portugal. E a primeira Liga - a competição profissional que designa o campeão - será sempre o campeonato. Seja a NOS ou outra marca qualquer a patrociná-lo.
Faço por isso um apelo aos adeptos do Sporting para deixarem de chamar "taça da carica" ou "taça Lucílio" ou outra designação depreciativa a esta competição que acabamos de vencer. De forma inequívoca e sem batota, como é nosso timbre.

A "Lucílio" foi a da mentira, a da batota, a da era pré-VAR.

A do Benfica.

Palmarés leonino 2018/2019

Sporting conquista a oitava Supertaça de futsal da sua história, goleando o Fabril.

 

Equipa feminina de râguebi do Sporting vence Supertaça da modalidade.

 

Sporting impõe-se ao Ponta do Pargo, conquistando Supertaça de ténis de mesa.

 

João Mansos sagra-se campeão nacional de triatlo.

 

(em permanente actualização: os títulos mais recentes surgem a negrito)

SPORTING, a semana em números: mais 1 título internacional!

Andebol

4.ª feira: Porto 25-31 SPORTING; sábado: SPORTING 35-18 Maia ISMAI. [1.º lugar]

 

Ténis de Mesa

6.ª feira: Liga dos Campeões, Stella Sport La Romagne 3-2 SPORTING apurado para as meias finais)

 

Goalball, 28.º título internacional do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL

6.ª feira: 3.ª etapa da European Superleague, SPORTING 9-5 Old Power Final; sábado: SPORTING 9-2 Kleio Tessalónica; SPORTING 11-3 IFAS; domingo: SPORTING 13-3 FIFH Malmo [1.º lugar, SPORTING, CAMPEÃO DA EUROPA]

 

Voleibol 

sábado: masculinos, 1.ª divisão elite, SPORTING 3-0 Castêlo da Maia [1.º lugar]

domingo: femininos, 3.ª divisão, SPORTING 3-0 CF Paulenses [1.º lugar na 1.ª fase, só com vitórias, com 36 sets ganhos e 1 perdido]

 

Futebol

4.ª feira: Masculinos, 1.ª mão da meia final, Porto 1-0 SPORTING.

sábado: Femininos Sub19, SPORTING 10-1 A dos Francos [1.º lugar];

Masculinos Iniciados, Belenenses 1-0 SPORTING [2.º lugar]

domingo: Femininos seniores Liga Allianz, Quintajense 0-3 SPORTING [1.º lugar]

Masculinos seniores Liga NOS: SPORTING B 0-1 União da Madeira

Masculinos seniores Liga NOS: SPORTING 2-0 Feirense

Masculinos Iniciados Sub14A: Torneio António Carraça, SPORTING 2-1 Belenenses [1.º lugar, SPORTING, CAMPEÃO DO TORNEIO]

 

Futebol de Praia

sábado: Liga Marvila AFL, 1.ªjornada SPORTING 6-4 CD Nacional

 

Hóquei em Patins

sábado: Taça de Portugal 1/16 avos Juventude Pacense 0-5 SPORTING

 

Futsal

sábado: Femininos seniores, apuramento campeão, Nova Semente 1-1 SPORTING [2.º lugar]

domingo: Masculinos Sub20, apuramento campeão, Modicus 2-3 SPORTING [1.º lugar]; Sub17 apuramento campeão, Caxinas 3-6 SPORTING [1.º lugar]

 

Atletismo

Campeonatos nacionais absolutos em pista coberta: 18 títulos

1.º dia, sábado, 8 títulos:

Femininos: Salto em Altura, 1.ª Catarina Fonseca (SPORTING) ex adequo, 1,73 m; Salto à Vara, 1.ª Marta Onofre (SPORTING), 4,25m ; Salto em Comprimento; 1.ª Evelise Veiga; (SPORTING), 6,22m; Lançamento do Peso, 1.ª Jessica Inchude (SPORTING), 16,41m; 60m, 1.ª Lorene Bazolo (SPORTING), 7,30”.

Masculinos: 5000m Marcha, 1.º João Vieira (SPORTING), 19:33:41; Salto à Vara, 1.º Rubem Miranda (SPORTING), 5;44m; 60m, 1.º Ancuiam Lopes (SPORTING), 6,65”; 

2.º dia, domingo: 10 títulos

Femininos: 200m, 1.ª Lorene Bazolo (SPORTING), 24:15”; 800m, 1.ª Cátia Azevedo (SPORTING), 2:13:53; 3000m, 1.ª Sara Moreira (SPORTING), 9:16:44; Triplo Salto, 1.ª Lucinda Gomes (SPORTING), 13,14m; 60m barreiras, Olímpia Barbosa (SPORTING), 8:58”; 4x400, 1.º SPORTING, 3:51:71’

Masculinos: Salto em Comprimento, 1.º Miguel Paim Marques (SPORTING), 7,57m; 3000m, 1.º Nuno Lopes, (SPORTING), 8:18:51’; 60m barreiras, 1.º Rasul Dabó, (SPORTING), 7,92”; 4x400, 1.º SPORTING, 3:18:86’.

53288CAD-62B7-49D5-B448-A54F7CE85CD5

 (Equipa de Goall Ball que se tornou campeã europeia, 11/2/2018)

 

A nossa união é de aço

Constações matinais de domingo:

As direções e as pessoas passam, a instituição perdura. Sporting Clube de Portugal, sempre!

Sporting acaba de sagrar-se campeão europeu de corta mato por clubes, em femininos e masculinos (femininos: 2°; 5°, 7°, 8° e 10° lugares individuais, e masculinos: 1.º lugar...). Dobradinha!

Romaria para Alvalade para ver as nossas fantásticas meninas contra o Braga, às 14:30 e de seguida, Estoril, para apoiar o Sporting na liderança.

Tenham juízo nas assembleias gerais, todos, porque nas bancadas e em campo a nossa união é de aço.

59DA1A5F-3880-4552-9AD7-612878F8E06D

Quente & frio

Gostei muito da conquista da Taça da Liga - a primeira que vencemos após duas frustradas presenças em finais deste certame. Ainda mais saborosa porque a final hoje disputada em Braga foi contra o V. Setúbal, precisamente a equipa que nos derrotou na versão inaugural desta competição. Vingámos essa frustrante derrota de 2008 agora num estádio que congregou mais de 20 mil adeptos leoninos, incansáveis no apoio aos jogadores treinados por Jorge Jesus. É oficial: somos os campeões de Inverno da temporada 2017/18.

 

Gostei da nossa segunda parte, em que dominámos por completo e só não marcámos mais de um golo devido à soberba exibição de Trigueira, o guarda-redes sadino. Os últimos 45 minutos desta partida contrastaram em absoluto com a apagada e até medíocre primeira parte do Sporting, em que sofremos um golo logo aos 4'. Entre os nossos jogadores que se revelaram decisivos neste volte face, destaco uma vez mais Bas Dost, o melhor de verde e branco. Foi ele o marcador do penálti que empatou a partida, aos 78', e lançou o onze leonino para o desempate após o apito final do árbitro. Foi também ele a fazer dois grandes remates aos 75' - um dos quais seria travado em cima da linha da baliza, com um braço, pelo defesa sadino Postawski, que devia ter sido expulso de imediato mas acabou por se manter em campo. Foi ainda Dost a converter a primeira das cinco grandes penalidades da ronda do desempate que ditou a equipa vencedora.

 

Gostei pouco que tivéssemos de esperar pelo desempate por grandes penalidades, repetindo-se o que já acontecera há três dias na meia-final frente ao FC Porto. Mas desta vez estivemos ainda melhor: nenhum dos nossos jogadores falhou no momento decisivo. Vale a pena deixar aqui os seus nomes, pela ordem da conversão dos penáltis: Bas Dost, Bruno Fernandes, Mathieu, Coates e William Carvalho. Pormenor a reter: o Sporting continua invicto nas competições internas disputadas nesta temporada.

 

Não gostei que o árbitro Rui Costa demorasse três minutos a reconhecer o óbvio: que Postawski tinha impedido a bola de entrar na baliza do Vitória ao estender o braço quase em cima da linha de baliza. Foi necessária a intervenção do vídeo-árbitro, que impôs a verdade desportiva. Mesmo assim o árbitro voltou a estar péssimo ao exibir apenas o cartão amarelo ao defesa sadino, que devia ter sido expulso.

 

Não gostei nada da nossa primeira parte, com o lesionado Gelson Martins ausente do onze e Montero de regresso à titularidade dois anos depois. Entrámos nervosos, sem conseguirmos ligar os sectores nem ganhar segundas bolas. Consentimos um golo logo no início da partida e deixámos o Vitória impor o seu sistema táctico neste período, em que as nossas alas ofensivas nunca funcionaram e os adeptos leoninos, impacientes, já assobiavam os jogadores. Bryan Ruiz (reincidente na falta de intensidade) e Rúben Ribeiro foram os elementos com exibição mais negativa. O treinador reconheceu isto mesmo ao remetê-los para o duche ao intervalo, fazendo entrar Acuña e Battaglia para aquelas posições. Com vantagem para a equipa, como rapidamente se comprovou: a segunda parte foi de sentido único, apenas com o Sporting em busca do golo. Felizmente conseguido.

De pais para filhos e de filhos para pais

Ela 16 anos, já campeã, portanto. Ele o responsável por esse estatuto, que quem sai aos seus não degenera.    

Toca o telefone. Atendo.

 

- Pai, olá. - Sem tempo para retribuir a saborosa presença, do outro lado logo oiço: Ganhámos, caramba!!!

- Pimba! Ganhámos. Estamos na final.

- Grande Sporting. E logo contra o Porto. Não vi o jogo. Como é que foi?

 - 0/0 nos 90 minutos e vitória nos penáltis que não consegui ver. Não tenho nervos para aquilo. 

- Pois, imagino. - E ri-se. Um riso, primeiro, alimentado na cumplicidade que temos; a seguir, fruto do festejo da vitória conseguida em Braga. Bela partilha. Belo riso.

Ainda eu embalado e contagiado pela alegria de ambos, e, de novo, novo acerto.  

- Mas o Patrício estava na baliza, não estava? 

- O guardião das nossas redes, sim, estava. São Patrício, filha. Monumental. Fez duas defesas que nos deram a passagem. Pôs a baliza do tamanho de uma de hóquei.

- Contra o Porto. Que bem que sabe, pai. E agora a final!

- É, mas falta ganhá-la. Não ganhámos nada ainda. Jogamos contra o Setúbal que nos tirou dois pontos na última jornada do campeonato. Foi também com eles que perdemos a primeira final da Taça da Liga.

- Pois...

Passado um ligeiríssimo silêncio, tempo suficiente para a devida reflexão, confirmo que nesta coisa do sportinguismo já nada tenho a ensinar, só a viver em família.

- Espero que na final de sábado a equipa não se esqueça desses dois pontos perdidos no campeonato e jogue contra o Setúbal completamente decidida a ganhar o troféu. Somos melhores e mais fortes que eles, pai. 

Feita a análise, mais uma interrogação.

- E se ganharmos a final?  

- É uma festa. Mais um título. - Respondo.

- Mas vamos esperá-los ao estádio, não vamos?

Da minha boca é uma gargalhada que sai, irreflectida e sonora. Mais que isso, num repente transformada em mero ruído de tão isolada. Só eu ria. Do lado de lá, nem um som. Mas há silêncios mais ruidosos que a assembleia de Alvalade a vaiar o Carrillo, por exemplo. E este era um deles. Do lado de lá da chamada, berrava-me a incredulidade de uma filha, toda ela condenando o comportamento do pai, que achou descabida, cómica, anedótica, até, a ideia de celebrar o feito da equipa com a equipa que apoia, pela qual sofre e ensinou a apoiar. 

Era inevitável. Paulatinamente a gargalhada apaga-se, e no seu lugar instala-se a memória dos festejos do último título que conquistámos e que pai, filhas e amigos festejaram no estádio, na nossa casa.

Estamos à beira de o repetir. De ganhar mais um título. Como diz o 'slogan' de ser o Campeão de Inverno. É com títulos que nos engrandecemos. Quantos mais títulos conquistarmos maiores ficamos. Todos os títulos contam. Todos devem ser celebrados. Estamos na final. Estamos a um jogo de ganhar mais um troféu.

Quero muito todos os troféus, a começar, já, pelo de sábado. Viva o Sporting Clube de Portugal.

Sporting: uma época cheia de títulos

- Campeão nacional de andebol

- Campeão nacional de andebol em juvenis

- Taça Challenge em andebol

- Campeão nacional de futebol sénior (feminino)

- Campeão nacional de futebol júnior (masculino)

- Campeão nacional de futebol júnior (feminino)

- Campeão nacional de futebol juvenil (masculino)

- Taça de Portugal de futebol feminino

- Supertaça de futebol feminino

- Taça Nacional de futebol júnior (feminino)

- Taça Nacional de futebol juvenil (feminino)

- Campeão distrital em Lisboa de benjamins A em futebol

- Campeão distrital em Lisboa de infantis A em futebol

- Campeão nacional de futsal

- Supertaça de futsal

- Campeão nacional de futsal em juvenis

- Campeão nacional de râguebi feminino

- Campeão nacional de râguebi feminino (sevens)

- Taça de Portugal de râguebi feminino

- Campeão nacional de natação

- Campeão nacional de atletismo feminino

- Campeão nacional de atletismo feminino em juniores

- Campeão nacional de atletismo (10 mil metros)

- Campeão nacional de triplo salto masculino (Nelson Évora)

- Campeão nacional de triplo salto feminino (Patrícia Mamona)

- Campeão nacional juvenil de salto em comprimento (Catarina Karas)

- Campeão nacional de marcha

- Campeão nacional de corta-mato feminino

- Campeão nacional de corta-mato masculino sub-23

- Campeão nacional de judo

- Medalha de ouro no Open Europeu de judo feminino, categoria 48 kg (Maria Siderot)

- Campeão nacional de ténis de mesa

- Taça de Portugal de ténis de mesa

- Supertaça de ténis de mesa

- Campeão nacional de ténis de mesa sub-21

- Campeão nacional de trampolins

- Taça de Portugal em trampolim absoluto feminino

- Campeão mundial de tiro a 10 metros (João Costa)

- João Costa recordista mundial de tiro a 10 metros

- Campeão mundial de kickboxing (André Santos)

- Campeão nacional de boxe juniores (individual)

- Campeão nacional de boxe juniores (colectivo)

- Campeão nacional de bilhar (pool)

- Campeão nacional de paraciclismo / desporto adaptado

- Taça de Portugal de paraciclismo / desporto adaptado

 

Lista definitiva da época que terminou, incluindo já a Supertaça em futebol feminino

Sporting: uma época cheia de títulos

- Campeão nacional de andebol

- Campeão nacional de andebol em juvenis

- Taça Challenge em andebol

- Campeão nacional de futebol sénior (feminino)

- Campeão nacional de futebol júnior (masculino)

- Campeão nacional de futebol júnior (feminino)

- Campeão nacional de futebol juvenil (masculino)

- Taça de Portugal de futebol feminino

- Taça Nacional de futebol júnior (feminino)

- Taça Nacional de futebol juvenil (feminino)

- Campeão distrital em Lisboa de benjamins A em futebol

- Campeão distrital em Lisboa de infantis A em futebol

- Campeão nacional de futsal

- Supertaça de futsal

- Campeão nacional de futsal em juvenis

- Campeão nacional de râguebi feminino

- Campeão nacional de râguebi feminino (sevens)

- Taça de Portugal de râguebi feminino

- Campeão nacional de natação

- Campeão nacional de atletismo feminino

- Campeão nacional de atletismo feminino em juniores

- Campeão nacional de atletismo (10 mil metros)

- Campeão nacional de triplo salto masculino (Nelson Évora)

- Campeão nacional de triplo salto feminino (Patrícia Mamona)

- Campeão nacional juvenil de salto em comprimento (Catarina Karas)

- Campeão nacional de marcha

- Campeão nacional de corta-mato feminino

- Campeão nacional de corta-mato masculino sub-23

- Campeão nacional de judo

- Medalha de ouro no Open Europeu de judo feminino, categoria 48 kg (Maria Siderot)

- Campeão nacional de ténis de mesa

- Taça de Portugal de ténis de mesa

- Supertaça de ténis de mesa

- Campeão nacional de ténis de mesa sub-21

- Campeão nacional de trampolins

- Taça de Portugal em trampolim absoluto feminino

- Campeão mundial de tiro a 10 metros (João Costa)

- João Costa recordista mundial de tiro a 10 metros

- Campeão mundial de kickboxing (André Santos)

- Campeão nacional de boxe juniores (individual)

- Campeão nacional de boxe juniores (colectivo)

- Campeão nacional de bilhar (pool)

- Campeão nacional de paraciclismo / desporto adaptado

- Taça de Portugal de paraciclismo / desporto adaptado

 

(lista actualizada, incluindo já a Supertaça em futsal conquistada hoje)

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D