Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

A Crise do Bayern

Classificação alemã 2018.JPG

 

Dir-me-ão que o Bayern é sempre o Bayern. E é verdade. Mas não menos verdade é que o clube alemão está, neste momento, a passar por uma grande crise, encontrando-se no quinto lugar da tabela, a nove pontos do primeiro classificado (Borussia de Dortmund). E, como sempre acontece nestas situações, ninguém se entende, no clube. Os dirigentes discutem, os jogadores atacam-se uns aos outros na imprensa e nas redes sociais e há muita gente a reclamar, há bastante tempo, a substituição do treinador Niko Kovac.

 

E eis que Nico Kovac é salvo pelo gongo! Perdão, pelo Benfica! O croata estava quase de malas aviadas, mas, depois da goleada, é claro que não fazia sentido mandá-lo embora. Por sua vez, os lampiões perderam uma boa oportunidade de fazerem um brilharete a nível europeu, não sabendo aproveitar este momento fraco do gigante alemão.

 

Já o Sporting soube aproveitar bem a sua oportunidade.

Esperemos que este seja realmente o início de uma nova era! Como dizia o poeta: «o caminho faz-se caminhando.»

Ce sont les meilleures equipes

Quem não se arrepia ao ouvir estas palavrinhas? Quem não se arrepia é como quem não sente, não pode ser filho de boa gente. Nunca percebi o porquê de assobiarem o hino da Champions. Os outros é que tinham fixações com o Platini e a UEFA. Obviamente que não esqueço a noite da Gazprom, mas esta peça é um hino ao futebol. Ela transmite o que é o Futebol!

 

Parece que em três minutos vemos um jogo, as defesas in extremis, os vôos dos guarda-redes, as arrancadas dos laterais, as virtuosidades dos extremos, os duelos a meio-campo, a temporização do maestro da equipa, aquele passo a rasgar, o golaço! e aquela celebração de braços abertos olhando o público, os holofotes e o estádio como se tivesse chegado ao Olimpo! Ouvir esta música é sonhar levantar o troféu, é acreditar que tudo é possível.

Eu fiquei feliz com o sorteio, confesso. 

Comecemos pelo ínicio. O Sporting fez uma grande caminhada para estar aqui. Começou há um ano. Um campeonato duvidoso, com erros que prejudicaram o nosso acesso directo. Houve mudanças na equipa, naquele e neste ano, e fomos ao play-off. A primeira-mão foi dura, um soco nas aspirações de goleada de cada Sportinguista seguido pelo desalento das palavras menos certeiras do treinador, qualificando duas realidades de iguais quando estavam muito distantes uma da outra. A segunda-mão foi diferente, parecia que cada jogador do Sporting, menos o Coates, tinham um headphone nos ouvidos com esta música em repeat. Jogaram, lutaram e marcaram que se farta. Uma mão cheia de golos. Estamos onde merecemos contra tudo e contra todos - não fosse o pasquim "A Bola" tentar vaticinar a nossa morte com negro na capa, e no dia anterior ao play-off, que iríamos ver a Champions na bancada pondo as fotografias da equipa nas mesmas, é um exercício interessante ver a azia destes fol(het)eiros.

 

Saiu-nos o Barcelona, a Juventus e o Olympiacos:

Barcelona - Em reestruturação, mas contam com um dos deuses do Futebol. Continuam com o seu estilo de jogo, sempre em posse, triangulações, sustentados pela genialidade do Messi, Suárez e Iniesta. Sem esquecer os laterais rápidos, a defesa fortíssima com o Piqué, Umtiti ou Mascherano e a visão brilhante do Rakitic e Busquets. De orgulho ferido, todas as equipas se tornam perigosas. E o Barça está disposto a reivindicar o seu estatuto de "melhor equipa de sempre" esta época.

Juventus - Não tenho a certeza, mas julgo que foram eles que reabilitaram o 3-5-2 que hoje vemos inúmeros treinadores a impor às suas equipas. Uma defesa, mesmo sem Bonnuci, que mais parece uma parede de betão armado, tão sólida que causa medo ao olhar - ao estilo de "Porcos, Feios e Maus" starring Chiellini and Barzagli. Depois um meio campo que joga de olhos fechados, completamente coordenados com total percepção dos espaços com estrelas como Pjanic, Khedira, Matuidi, Marchisio. Como se não bastasse uma frente de ataque com Higuain, Cuadrado, Douglas Costa, Mandzukic e o novo "10", Dybala. Não se afigurando fácil, as redes são protegidas por um homem que devia constar nos doze trabalhos do Hércules, Buffon, uma lenda viva das balizas e do Futebol.

Olympiacos - Mais "modesto" que os outros dois, é um clube que em 17 anos, ganhou 16 campeonatos, por isso habituado a jogar a fase de grupo da Champions. Conta com o nosso André Martins! Já foi treinada por Leonardo Jardim, Marco Silva e Paulo Bento. Conta ainda com conhecidos nossos: Sebá (ex-Estoril) e Pardo (ex-S.C.Braga). 

Mas nós somos o Sporting Clube de Portugal. Em cada jogo quero que os 11 Leões escolhidos dignifiquem o Clube e o Futebol de elite. Orgulhem-nos, Sportinguistas! Queremos jogar a Champions sem grupos acessívei, jogamos com "os mestres, os melhores, as grandes equipas, os campeões"!

Porque somos um deles!

P.S - Avizinha-se uma das melhores Liga dos Campeões dos últimos anos, a julgar pela qualidade das equipas.

 

 

Bom ou mau sinal?

Tenho acompanhado a pré-época do Sporting aqui no blogue bastante angustiada, esta série de derrotas não augura nada de bom. Será que vamos entrar numa nova época de desaires, que nos deixam como que anestesiados, de tanta impotência? Ou será que acontece o contrário, ou seja, quando for a sério, a equipa entra a matar?

O meu marido animou-me, dizendo algo do género: mais vale perder na pré-época e começar a ganhar depois, do que o contrário.

OK, vamos “acarditar”. E esperar que os responsáveis pela nossa equipa saibam o que andam a fazer (por vezes, dão mesmo a impressão de que não fazem ideia).

Se serve de consolação, diga-se que o Bayern, a participar num torneio na China, com o pomposo nome de “International Champions Cup”, também começou mal a sua pré-época, perdendo 3:2 com o Arsenal. Nos noventa minutos regulamentares, não foi além de um empate a uma bola, perdendo depois na marcação de grandes penalidades. E, se serve para aumentar a consolação, Renato Sanches falhou o seu penálti.

Acho que chega para um sorrisinho…

Serenidade

Aproveito esta palavra utilizada pela Marta Spínola, a fim de responder ao repto lançado pelo Pedro Correia. Serenidade não resolveria todos os problemas do Sporting, mas penso que daria uma grande ajuda. E a serenidade teria de vir do Presidente!

 

Confesso que estou desiludida, acima de tudo, com Bruno de Carvalho. Digo isto, não para o desanimar, muito menos para o ver pelas costas. Nunca fui de opinião de que os problemas se resolvem substituindo pessoas, acredito mais no diálogo e na reflexão (mais uma palavra “roubada” à Marta Spínola). Claro que isso pressupõe que as pessoas estejam dispostas a dialogar e a refletir.

 

Bruno de Carvalho começou muito bem, não podia mesmo começar melhor. Ele foi o novo Presidente certo na altura certa. Porém, não sei se foi pela euforia criada na excelente época passada, se foi por problemas pessoais (não pretendo especular, apenas procurar razões) tem causado muita agitação no clube.

 

Que esta época tenha começado com alguns solavancos, é natural, depois dos talentos que nos deixaram. E também não é segredo nenhum que os árbitros tomam decisões, no mínimo, polémicas. Mas, por isso mesmo, é que o mote deveria ser a serenidade. Reclamar também é legítimo, mas é preciso saber reclamar, o que é bem diferente de insultar, ou mesmo provocar rixas!

 

Desde o episódio com o Presidente do Arouca, em Alvalade, a situação do clube piorou, foi mesmo a partir daí que o Sporting começou a descarrilar sem controlo. E culminou com a ida de Bruno de Carvalho aos balneários, em Chaves. Pelo meio, tivemos publicações, no mínimo, desaconselháveis, nas redes sociais. Haverá outros problemas, nomeadamente técnicos, cuja complexidade não sei avaliar e acredito na opinião dos meus colegas, quando dizem que Jorge Jesus tem vindo a cometer erros. Entendo, no entanto, que é dever do Presidente cuidar para que haja sossego e harmonia, independentemente da eficácia do treinador. Bruno de Carvalho tem feito o contrário!

 

Os jogadores estão revoltados. Jogam mal e/ou desinteressadamente. Penso que é a sua maneira de protestar, de fazer greve. Os jogadores do Sporting estão em greve! Eu sei que eles ganham muito bem, mas há sempre um limite para aquilo que estamos dispostos a aceitar. E, pelos vistos, eles pensam que esse limite foi ultrapassado… Há que procurar as razões! Espero que os responsáveis do clube saibam encontrar um novo caminho e dar novo alento à equipa. Apesar de todas as desilusões, nas últimas semanas, e parafraseando Luís Aguiar Fernandes, tudo isto não quer dizer que já não há nada por que lutar: há lugares para conquistar e uma imagem para limpar.

Ainda em relação ao jogo contra o Dortmund

Declaro que também gostei da atitude da equipa. Não é vergonha nenhuma perder por 1:0 no estádio do Dortmund, em noite de casa cheia (lotação esgotada, com 65.849 espectadores). Mas, tal como o Pedro Correia, lamento a dicotomia: «bons desempenhos frente ao Real Madrid e ao Borussia Dortmund alternados com fraquíssimas exibições frente ao Rio Ave, Tondela e Nacional» (nos comentários). Esperemos que esta situação se modifique.

 

Quanto à transmissão do canal ZDF, tenho a realçar a atitude muito fair-play do jornalista responsável pelo acompanhamento do jogo, que, sem esconder a alegria que lhe proporcionava a vantagem do Dortmund, elogiou o Sporting e a sua Academia (não lhe fixei o nome, peço desculpa, nem o encontro no link da ZDF).

 

Resta-me dizer que espero que consigamos passar à Liga Europa. Sempre é melhor chegar aí longe, do que soçobrar, nos oitavos-de-final da Champions, no primeiro embate com um dos grandes.

O que nos espera...

O canal alemão ZDF vai transmitir em direto o jogo entre o Dortmund e o Sporting.

 

Depois de ter começado muito bem, o Dortmund passa por uma fase mais fraca, na Bundesliga. Mas todos sabemos que, se o Sporting continuar a jogar como nas últimas semanas, facilmente apanha 3 ou 4 secos. Não quero lançar um mau agoiro sobre o jogo, mas também não adianta esconder a verdade.

 

Desejo muito que o Sporting nos honre, que mostre, na televisão alemã, que sabe lutar e jogar futebol, que, como diz o Pedro Correia, nenhum verdadeiro Leão atira a toalha ao chão! Espero que Jorge Jesus encontre a verdadeira tática e que os jogadores estejam inspirados, com espírito de luta e, acima de tudo, que não tenham medo!

 

Não me deixem mal, rapazes!

 

FORÇA SPORTING!!!

Nós amamos-te!

Pode acontecer

image.jpg

 

Já se disseram e escreveram mais "bobagens" sobre futebol, em geral e o Sporting em particular, do que sobre qualquer outro assunto. Talvez com três excepções: a vida para além da morte, sushi e o orgasmo feminino. Adiante.

Falar de futebol é cair no delicioso campo da metáfora porque é quase impossível usar com a precisão certa as palavras para descrever a poesia de um golo de Slimani, ou das vitórias sobre o clube do lado errado da segunda circular. É difícil ser muito honesto, isso pressupunha um desprendimento que ninguém tem, embora alguns tinham que o têm, ou de uma forma desconcertante e original.

Devia haver para o uso da língua quando se fala de futebol um sorbet de limão, como há nas refeições requintadas para apagar o gosto do prato anterior e preparar a língua para a delícia seguinte no cardápio. Aliás, a paixão está para o futebol como fígado para a comida francesa.

Não é um desporto para pessoas ascéticas com pouca paciência para especiarias, texturas, temperos e outras tentações e prazeres do supérfluo. O futebol é como a maçã, o fruto proibido que estimula a transgressão, o pecado e a inteligência.

Eu no meu caso pessoal posso afirmar não que estimula a inteligência e já vos digo porquê, mas induz à desobediência. Estou convicta que o campeonato, por um desses felizes acasos da fortuna, ainda pode ser nosso e essa minha "loucura" levou-me a duas promessas. Se o Sporting vencesse o Porto nas Antas saltaria de pára-quedas - subi para avioneta quando o jogo estava dois a um para nós e pus os pés na terra já com três a um - e pintar o cabelo de verde se formos campeões. Todos temos uma missão a cumprir neste mundo (sorriso).

 

PS - Aconteça o que acontecer, de poucas épocas me lembro onde me tenha divertido mais com os meus amigos benfiquistas. Porque futebol também é respeito. Obrigada, Sporting, pelos momentos em que me fizeste sorrir.

Post (pessoal) em tempo real

Quem me conhece sabe que se existe uma coisa que me faz ganhar o dia é, além de um bom livro, uma boa partida de futebol. Estava eu sozinha, posta em sossego no sofá, não sem antes ter feito um inventário das possibilidades de o Sporting vencer o Schalke 04 na Alemanha, quando o pai das filhas me diz com toda a tranquilidade: “vamos conversar”? Ai os dilemas que o ser humano enfrenta. Eu que até sou uma pessoa serena, provida de paciência e sensibilidade começo a escutá-lo, dividindo a atenção entre o jogo e a troca de palavras, bem isto até o Nani marcar o primeiro golo. Depois, uma mulher é um ser complicado e contraditório, o pai das minhas filhas que me perdoe a mácula no currículo: mas que homem é que quer “conversar” durante um jogo de futebol e em particular do Sporting? É ter o mesmo sentido de oportunidade do que contar uma (má) anedota num funeral. Pior que isso só a minha irmã que me envia a seguinte mensagem:”mas quem é que está a jogar?” Há alturas, leia-se quando o jogo está 3 a 3 e o árbitro marca nos descontos um pênalti inexistente contra o Sporting, em que uma mulher não quer conversar. E não é por se achar o último biscoito do pacote como dizem os brasileiros, mas por recear empregar um vocabulário menos adequado (que faria corar de vergonha os marinheiros do porto de Lisboa). É evidente que o meu caso é para um psiquiatra.

 

PS- O Sporting foi enorme neste jogo e pôr um russo arbitrar este jogo é como colocar uma raposa a guardar galinhas.

Faixa de Alvalade

Esta semana tem sido fértil nos bombardeios à estabilidade de Alvalade. E logo na semana em que a equipa se prepara para começar o campeonato...

Os alvos dão pelo nome de Dier, na semana passada, Rojo e Slimani, ontem, Jefferson e Rúben Semedo, hoje. Entre amanhã e sexta, ainda nos arriscamos a levar com novos protagonistas, tipo William Carvalho ou Adrien Silva.

O Sporting está de volta, definitivamente. Tudo serve para perturbar, desmoralizar, condicionar a equipa, antes mesmo de a bola começar a rolar.

O mais espantoso é que algum do fogo que vai sendo disparado contra os muros de Alvalade é o famigerado fogo amigo. Opiniões de que estes acontecimentos só provam que o Bruno de Carvalho não presta como presidente porque não sabe gerir os activos, passando por comentários sobre que esta época vai ser o descalabro competitivo, etc, etc. Tudo serve para ajudar ainda mais ao bota-abaixo do Sporting 2014/2015.

Sinceramente, não sei se nesta altura não valerá a pena confiar a presidência do Sporting ao Ban Ki-moon...

 

Só para alguns

O clube da fruta está inquieto. Deve ser por falta de um qualquer guarda Abel, ou de não ter dado nas "trombas" aos jornalistas já faz algum tempo . 

O presidente do Sporting não está preocupado com a queixa apresentada na Liga de Clubes pelo FC Porto, considerando que a postura dos dragões demonstra "desespero e senilidade" da parte dos responsáveis azuis e brancos.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D