Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Se o Sporting ganhar ninguém fica chateado

Foi o que disse Sérgio Conceição. É mesmo disso que se trata: para quê ficar chateado quando se perde contra um grande clube como o Sporting Clube de Portugal? Até porque, para ele, já é um hábito, um bom hábito.

Não vale a pena mesmo chatear-se.

 

D7b-6mjWsAAd3uQ.jpg

 

Nos últimos tempos foram:

1. 2014/2015:

Taça de Portugal, Sporting 2 - Braga 2 (resolvido nas penalidades) com Sérgio Conceição do outro lado

taçadePortugal2015.jpg

 

2. 2017/2018:

Taça da Liga, Sporting 0 - Porto 0 (resolvido nas penalidades) na meia-final, com Sérgio Conceição do outro lado

22001740_b99yC.jpeg

 

3. 2018/2019:

Taça da Liga, Sporting 1 - Porto 1 (resolvido nas penalidades), com Sérgio Conceição do outro lado

sportingtaçadaliga2018.png

 

4. 2018/2019:

Taça de Portugal, Sporting 2 - Porto 2 (resolvido nas penalidades), com Sérgio Conceição do outro lado

xSportingTaça.jpg

 

5. 2020/2021:

Taça da Liga, com Sporting 2 - Porto 1 na meia-final, com Sérgio Conceição do outro lado

22001737_ZiaB6.jpeg

 

6. 2020/2021:

Campeão Nacional com 5 pontos de vantagem, depois de dois empates nos clássicos, ainda com Sérgio Conceição do outro lado

22100051_7ZPdK.jpeg

 

Foi realmente com a maior preocupação que vi as notícias que o nosso (há quem diga que é do Sporting) Sérgio Conceição ia trocar o doce futebol português onde pode fazer o que quer e o que lhe apetece por um sonho italiano onde ia ser frequentemente ser posto ao ridículo e pagar bom preço pelas atitudes que toma.

Por isso esteve muito bem Pinto da Costa em renovar-lhe o contrato e dar-lhe carta azul para varrer lá do clube quem lhe morde os calcanhares. O Sérgio não pode sair para Itália de maneira nenhuma, está muito bem no futebol português, há muitos lances para o fazer berrar, muitos árbitros para pressionar, muitos ex-jogadores para penáltis e autogolos, e muitas taças e campeonatos com o Sporting para perder. E não ficar chateado.

 

#NãoHá6Sem7

 

PS: São tantos os penáltis durante a época que nem se lembra de os treinar para os clássicos com o Sporting? Ou são apenas os nervos do chefe a vir ao de cima no momento crítico?

SL

E agora, José ?

josé.jpg

 

Têm sido tantos anos de frustações, tantos anos de roubos descarados no campo e fora dele, tantos anos de escorreganços fatais em momentos críticos, que ainda me custa acreditar no que aconteceu nesta última jornada, como conseguimos ganhar um jogo que um árbitro bem cedo tinha condenado ao insucesso, como o Porto conseguiu empatar o jogo seguinte depois de não sei quantos mergulhos na grande área adversária.

Por muito que a providência divina tenha ajudado a este desfecho, não há dúvida que muito disto se deve à conjunção de alguns factores a que tenho por diversas vezes chamado a atenção:

 

1. Rúben Amorim. Por muito que se critique os "passes para trás e para os lados" e a falta de "futebol ofensivo", este Sporting de Amorim é uma equipa extraordinariamente competente e difícil de vencer. A ideia de construir toda uma gestão do plantel à volta dum sistema táctico 3-4-3 que se altera conforme os jogadores que vão assumindo cada posição, e onde cada um tem capacidade para assumir várias posições, é completamente inovadora no panorama futebolístico português e tem sido determinante na extraordinária carreira duma equipa e dum plantel bem mais fraco que os dos rivais.

A prova disso foi como a equipa soube, com um jogador a menos e sem substituições, recompor-se dentro do campo, com jogadores a assumirem papéis diferentes daqueles que tinham sido programados, e como na segunda parte cada substituição foi melhorando a equipa e tornando mais clara a luz ao fundo do túnel. E a luz veio sob a forma dum golo tirado a papel químico daquele da Taça da Liga.

Quando pensarem em criticar o Rúben pensem apenas no seguinte. Imaginem o que seria esta equipa reforçada pelos melhores que passaram por Alvalade nos últimos anos. E no que seria esta equipa comandada por algum dos outros treinadores que por aqui passaram nos últimos tempos também. 

 

2. David Elleray. Desde que este senhor apareceu por aqui, impondo a sua autoridade técnica e a sua posição importante na arbitagem europeia, a nossa arbitragem teve de arrepiar caminho e aproximar-se dos padrões europeus, onde se entende que o futebol é um jogo de contacto, onde é crucial distinguir entre jogo duro e violento, e as simulações e os mergulhos na grande área adversária não são apreciados.

Ao contrário do que foram dizendo os medíocres e nalguns casos ressabiados ex-árbitros promovidos a comentadores, esteve muito bem Hugo Miguel em Faro, como esteve em Moreira de Cónegos, e merece muito mais estar na grande roda europeia que o artista de circo Artur Soares Dias. Oxalá consiga. 

 

3. Sérgio Conceição. O Sporting tem a sorte imensa de contar com este descontrolado nosso adepto (dizem que sim) à frente da equipa adversária. Já foram duas Taças de Portugal, duas Taças da Liga e desconfio que a coisa não vai ficar por aqui. Sempre a tentar ganhar na trafulhice, na pressão sobre os árbitros, nos mergulhos na grande área e fora dela, nas emboscadas aos melhores jogadores adversários, como aconteceu com Acuña no Dragão na véspera do jogo do Jamor, pouco ganharia se não tivesse a força "negra" que ainda tem o seu presidente por detrás e os "Rubens Macedos" desta vida a facilitar-lhe a vida.

Incapaz de saber perder, está condenado a fazer figuras patéticas no final do jogo de Moreira de Cónegos. Quando têm de ser os jogadores a segurar o seu treinador, está tudo dito. 

 

Bom, mas isso foi nesta jornada. Tempo de fechar esse capítulo e passar ao seguinte.

E agora, José?

 

O Sporting segue na frente do campeonato com 6 (que na prática são 5) pontos de vantagem sobre o Porto, e 10 pontos sobre o Benfica. Estão por disputar cinco jogos, com um total de 15 pontos. Com 52 golos marcados e 15 sofridos, somos a melhor defesa e o terceiro melhor ataque, neste caso estamos apenas a seis golos do Porto, que lidera.

A próxima jornada é crucial. Nacional, Tondela e Famalicão podem ajudar a decidir muita coisa. Em caso de vitórias dos três grandes, o Porto terá de decidir se entra na Luz para lutar pelo título ou pelo 2.º lugar. Se calhar vai optar pela segunda hipótese e dar oportunidade ao Benfica para limpar a má época. Com a vitória do Benfica e a nossa em Vila do Conde...

 

E agora, José?

Vamos aproveitar esta oportunidade que de repente se abriu e acelerar para o título?

Vamos morrer ingloriamente na praia, apenas confortados pelo acesso à Champions?

Diz lá, José... 

 

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Se for tudo NORMAL, o Porto é campeão (cont)

Parece realmente que anda por aqui alguma ANORMALIDADE, uma ANORMALIDADE fruto dum treinador arruaceiro e  descontrolado, dum presidente a dar o canto do cisne que não consegue o que dantes conseguia, e dum Sporting que ocupou o lugar que há muito também não conseguia.

ANORMAL é mesmo um VAR anular um golo ao Porto a cair o pano, já não é tanto ANORMAL o labrego treinador do Porto ser expulso,  ANORMAL será mesmo isso ter alguma consequência.

SL

 

Um castigo p'ra mim, um castigo p'ra ti...

Leio hoje num jornal desportivo que o conselho de disciplina não aceitou o recurso de Ruben Amorim/Sporting sobre a expulsão de que foi alvo (vítima) no jogo com o Famalicão.

Ruben Amorim foi expulso quatro vezes. As condições em que aconteceram essas expulsões todos as conhecemos. Foi castigado num total de 36 dias de suspensão.

Por outro lado, temos o delicado e simpático Sérgio Conceição, que já alcançou a oitava expulsão. Por ter sido um paz de alma nestas e noutras ocasiões, nomeadamente quando se pegou com Paulo Sérgio, em Portimão, Ceição foi barbaramente castigado com 23 dias de suspensão. 

Como se poderá facilmente constatar, há um diferencial de 13 dias entre ambos, em desfavor de Amorim.

Pelos vistos os senhores árbitros gostam de ser enviados alegremente "para o caralho" e que os mandem "levar no cú", mas curiosamente não gostam que lhes digam que "conseguiste o que querias" (alegadamente). Ou seja, percebemos que afinal o conselho de disciplina(?) acha que os árbitros não conseguem o que querem durante um jogo, que se julgará ser um juiz justo e obter uma boa prestação e que por isso há que os mandar "para o caralho" e "levar no cú", com a vantagem de o fazerem por interposta pessoa e estarem livres dos castigos e das multas.

Ou isto, ou há uma gritante dualidade de critérios, mas isto posso ser eu a ser desconfiado...

Um par de piretes para este futebol

miguel_cardoso-750x417.jpg

 

O senhor Miguel Cardoso, treinador do Rio Ave, recebeu um jogo de suspensão por fazer estes lindos gestos no recente embate com o Boavista, dirigido ao banco da equipa axadrezada e ao seu colega Jesualdo Ferreira em particular. 

O país inteiro viu a requintada linguagem gestual do referido técnico, que cultiva o pirete em dose dupla como afirmação de personalidade.

O que faz o Conselho de Disciplina? Aplica-lhe oito dias de suspensão, punição fofinha: Cardoso ficará um joguinho sem se sentar no banco.

No mesmo dia, o mesmíssimo órgão decide punir o treinador do Sporting com 15 dias de suspensão, impedindo-o de orientar a equipa nos próximos três desafios - contra Farense, B-SAD e Braga - em fase crucial do campeonato. O dobro do tempo de castigo aplicado a Cardoso e o triplo dos jogos na comparação com o mesmo técnico.

 

Qual foi o pecado de Rúben Amorim? Ter dito dois palavrões, dos mais usuais em estádios de futebol, o que parece ter ferido os delicados tímpanos do quarto árbitro no final do Sporting-Famalicão.

Toma e embrulha, Rúben: esta é a "disciplina" do futebol que temos.

 

Entretanto, o treinador do FC Porto, principal rival do Sporting na corrida ao título 2020/2021, continua sem ser punido apesar das cenas vergonhosas que protagonizou na partida contra o Portimonense, em que injuriou e ameaçou Paulo Sérgio, seu colega de profissão, e esteve a um curto passo de se envolver em confrontos físicos com ele, acabando impedido por jogadores da sua própria equipa. 

Isto aconteceu a 20 de Março. Sonolento, o Conselho de Disciplina ainda nada deliberou sobre isto, ocorrido há quase um mês: Sérgio Conceição permanece impune, aguardando o desfecho dum processo disciplinar sem prazo à vista. Enquanto a coisa faz que anda mas não anda, solicitaram-lhe que se dignasse pagar uma "multa" de... 2.040 euros

Dois pesos, duas medidas, "justiça desportiva" mais vergonhosa que nunca. Apetece brindá-la com um monumental pirete e mandá-la para onde Rúben Amorim mandou o outro. Com bilhete sem retorno.

A voz do leitor

«Outros treinadores (curiosamente adeptos confessos de outros clubes) que ganharam vários campeonatos nunca tiveram esta postura [de Sérgio Conceição] e com isso dignificaram o nome do FCP. Falo do professor Jesualdo Ferreira (um cavalheiro!) e de Fernando Santos. Também não tenho memória que outros, confessos "doentes" pelo FCP, com vários titulos ganhos, tenham desrespeitado adversários e tenham tido atitudes destas, dignificando assim o nome do FCP. Falo de António Oliveira, Villas-Boas e Vítor Pereira.»

 

Pedro Batista, neste meu texto

Critérios

A Associação Nacional dos Treinadores de Futebol (ANTF) está a mover um processo contra Rúben Amorim, por causa das suas qualificações, mas está calada que nem um rato com as atitudes deploráveis de Sérgio Conceição. Todas as semanas assistimos a cenas cada vez mais lamentáveis e a ANTF, a FPF e a Liga não querem saber, todos sabem porquê, não é?

Se fosse na Premier League, Sérgio Conceição seria punido à séria. Mas estamos em Portugal e aqui mandam os costumes que estas coisas graves não atinjam os intocáveis.

 

Calado eras um poeta!

Ainda no rescaldo do jogo contra o Porto, que não vi (este coração é fraco e gostaria de comemorar mais tarde outras conquistas), fiquei, por aquilo que ouvi na rádio e li noutras crónicas, com a certeza de que o melhor jogador em campo foi o… Palhinha.

Ora à luz do que fui escutando do treinador portista Sérgio Conceição: que foram melhores, que jogaram mais e bla, bla, bla, pergunto-me como é que não foi eleito o melhor o Adán, pelas enormíssimas e impensáveis defesas (que não teve necessidade de fazer) ou um qualquer jogador do Porto pela forma competente como (não) jogou?

Até o Rita perlado assumiu que Palhinha fora o melhor!

Portanto, Serginho, desculpa lá a coisa… mas calado eras um poeta!

(E já nem falo da educação que não sabe dar aos filhos!)

Toma lá mais um penálti, Sérgio

Numa competição muito particular, que domina com larga vantagem, o FC Porto promete ser campeão este ano: nos penáltis que vai tendo a seu favor.

Ontem caiu-lhe mais um no colo, com precisão horária, ao cair do minuto 90: só assim a turma treinada por Sérgio Conceição conseguiu desatar o empate (1-1) que persistia em casa do Marítimo, último classificado da Liga 2020/2021.

Por mera coincidência, a falta grosseira na grande área maritimista que gerou o castigo máximo foi cometida por Rúben Macedo. Um jogador que fez toda a sua formação no FCP.

 

Basta comparar: a equipa portista beneficiou de 12 grandes penalidades em 20 jornadas. O dobro da que segue em segundo lugar nesta tabela estatística.

Caso para emoldurarem este "troféu". E para o colocarem em lugar de destaque lá no museu do Dragão. Talvez assim ponham fim à lamúria: já ninguém aguenta ouvi-los chorar contra os árbitros que os "prejudicam".

 

ADENDA: Ontem, aos 17', Corona foi poupado a um cartão amarelo - que seria o quinto e o impediria de defrontar o Sporting no Dragão. Aos 33', Manafá comete clara agressão, que fica impune: o vermelho manteve-se bem guardado no bolso do benevolente árbitro Vítor Ferreira.

Ceição, filho, isso é falta de hábito

Que a expulsão de Luís Diaz naquele lance em que David Carmo ficou gravemente lesionado, é das coisas mai'parvas a que assisti nos últimos tempos, não me resta a menor dúvida.

Posto isto, a expulsão do rapaz Uribe após se ter enganado e ter cabeceado o nariz ao "nosso" Ricardo Esgaio em vez de o fazer na bola, claramente de forma inocente, não "dará" mais que um joguito de suspensão. Veremos...

Já tu, Ceiçãozinho amigo, vais passando entre os pingos da chuva, o que vos dará razão e não só o Godinho e o Miguel, mas toda a malta da bola anda a brincar com a dita, tantas são as vezes que os mandas "pó caralho", que entras campo adentro como se fosses um extremo, como fora do campo acicatas os ânimos numa clara demonstração de que a mercearia está de pantanas e escasseiam o chocolate, a fruta e as empregadas de balcão, o que até é estranho, porque este ano, mais uma vez, tens sido levado ao colo. Cá pra mim o Bobi ainda tem lá uma reservazinha no armazém, nas traseiras...

Sim, ontem expulsaram-te um jogador indevidamente. Quantos queres para a troca nos últimos... 40 anos? 30? 20? 10? 5? Esta época?

A gente sabe que as contas da mercearia não vão bem. Não vão bem para ninguém, nem para o Barça que qualquer dia deixa de ser més que un club, para ser o Futbol Club Messi, mas numa altura em que claramente o polvo domina "os gajos do apito" e vai à frente alguém por quem nada se dava e as coisas estão complicadas ali para o terceiro lugar, por enquanto o arranjinho da divisão de lugares na Champions é uma miragem, assim que... vai-te habituando.

Sabes quem tem muita experiência disso? Sim, nós!

Um treinador à Porto

Mais uma vez ontem o treinador do Porto foi expulso, mais uma vez justificaram a perda de pontos com a arbitragem, mais uma vez tiveram um penalti mais que duvidoso assinalado. Esta forma de estar naquele clube não é nova. Todos sabemos, uns por que o viveram, outros pelos registos que ficaram, a forma como este clube conseguiu conquistar a grande maioria dos troféus que expõe no seu museu. A táctica sempre consistiu no que se vê, a ameaça, a vitimização, a coacção a todos os árbitros. Para quem comanda o Porto desde a década de 80 do século passado, vale tudo, mesmo tudo para ganhar. Que se lixe a ética, que se lixe o desportivismo e a seriedade. O actual treinador do Porto é a imagem perfeita desta forma de estar, agressivo, conflituoso, mal educado, sem qualquer respeito pelos outros clubes, pelos jogadores e treinadores. Nunca tem a culpa de nada, há sempre uma teoria da conspiração que o impede de ganhar. Quando perde um jogo foi por culpa do sistema que está contra o seu clube, quando ganha foi apenas pelo seu mérito. O ódio que transparece no seu olhar ameaçador revela-nos uma pessoa agressiva, sem respeito por quem o rodeia. Era assim como jogador, é assim como treinador.

Encaixa na perfeição no adn daquele clube.

Dura lex

Antevi aqui que depois da tão extemporânea quanto acintosa bravata de Sérgio Conceição no Jamor o martelo da Lei cairia esmagadoramente sobre ele. Desgraçadamente o juízo veio ao encontro das minhas mais negras perspectivas.
Todos vimos como Conceição desembestou pelo relvado fora, como gritou e esbracejou ameaçadoramente com o árbitro durante a interrupção, todos ouvimos as declarações bombásticas e difamatórias na flash interview. Mas sobretudo à nossa perspicácia não escapou a falta mais grave: não trazia braçadeira. De modo que o Conselho de Disciplina não teve contemplações em vergastar Conceição com a implacável e astronómica multa de €638: "Apesar da devida solicitação por parte dos delegados da Liga junto do delegado do clube visitante , Sr. Sérgio Paulo Marceneiro da Conceição não utilizou qualquer elemento identificativo da performance da sua função no jogo, durante todo o tempo regulamentar." 
Façam ainda o favor de atentar que a sentença é lavrada num português que além de rigorosíssimo dir-se-ia queiroziano, o que sobremaneira enriquece a jurisprudência nacional.
Toma e embrulha Sérgio, só espero que para a próxima a rispidez do castigo te faça pensar duas vezes.

Conceição tem toda a razão

Eu se fosse o Conceição também ficava chateado, pois ficava. A secretaria até funcionou bem, conseguiu pôr o director da Unilab a desdizer o que havia afirmado em mail, que os testes de Nuno Mendes e de Sporar estavam errados, arranjou meio de convencer a DGS a procrastinar uma decisão obrigando o homem a reiterar por outras palavras o que já havia afirmado, acabando este por se distrair de dar resposta atempada.

Acresce que o jogo até correu de feição a Conceição, só apanhou um amarelo numa conversa em que mandou o árbitro para o baralho várias vezes, acabando o apitador por lhe virar as costas para não ouvir mais. E depois quando já tinha o pássaro na mão e meia equipa substituída apareceu-lhe um Jovane que com uma bomba às cegas e uma biqueirada virou o resultado em cinco minutos e ninguém se havia lembrado de lhe dar um positivo no teste. Como pode um homem não ficar consternado, ou mesmo fodido, como se diz lá onde ele vive?

De táxi para o Cairo

21964642_OepJl.jpeg

 

Sorri ao ver a primeira página do Jornal de Notícias, hoje.

Pensei na subtileza de quem escolheu o título: "Ponto de passagem" (cidade internacional, os espiões vão de viagem, joga-se o xadrez mundial).

O parágrafo anterior remete-nos para os anos 80, para a banda Táxi, para o álbum Cairo. Esse álbum foi vendido dentro de uma lata.

Era aqui que queria chegar, Sérgio Conceição foi derrotado, em casa, pelo Marítimo, de Lito Vidigal, vem falar de "orçamento" para justificar a exibição de ontem?

É preciso ter lata.

Ladrão que rouba a ladrão... tem 100 anos de perdão

É realmente comovedor ouvir o Sérgio Conceição, mais a corte de comentadeiros e paineleiros afectos, lamentar-se de tudo e mais alguma coisa, da qualidade do árbitro, da protecção aos poderosos, ao fim e ao cabo dum resultado falseado. Na terminologia introduzida pelo saudoso José Maria Pedroto, dum roubo de igreja.

Também ele, Conceição, se queixa agora da pressão do Pepe Guardiola e do banco do Manchester City sobre a arbitragem.

Se calhar o Sérgio expressou-se mal... o que ele queria era exprimir a sua indignação pelo Godinho não ter sido o árbitro e o Tiago Martins o VAR. Não entende porque é que o Fontela Gomes e a APAF não mandam na UEFA. 

Realmente, não se compreende...

SL

Verde e branco

 

- Alguma vez foi convidado por outro grande?

- Enquanto treinador, não, mas quando era jogador estive duas vezes para ir para o Sporting. E tê-lo-ia feito com muito gosto.

- Até porque o Sérgio nasceu e cresceu sportinguista.

- Sim, o clube da minha aldeia é o Ribeirense, que é uma filial do Sporting. Está a ver, não está? Verde e branco, Sporting, era tudo do Sporting ali.

 

Excerto de entrevista a Sérgio Conceição, publicada a 19 de Setembro na revista do Expresso

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D