Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Um sentimento

da maioria de nós, sportinguistas, expresso em poema?

 

Roubam-me Deus
outros o Diabo
– quem cantarei?

roubam-me a Pátria;
e a Humanidade
outros ma roubam
– quem cantarei?

sempre há quem roube
quem eu deseje;
e de mim mesmo
todos me roubam
– quem cantarei?

roubam-me a voz
quando me calo,
ou o silêncio
mesmo se falo
– aqui del rei!

Jorge de Sena

 

(aqui em versão áudio: https://youtu.be/iOcDjUrjJVA)

Opinião unânime: foi penálti

«Bressan rasteirou Gelson Martins na área. A queda do extremo foi dramatizada, mas isso não anula a causa. Rui Costa falhou na análise, mesmo depois da acção do VAR.»

Duarte Gomes, A Bola

 

«Erro grave de Rui Costa. Gelson é claramente derrubado na área e a decisão teria de ser punir com penálti e não advertir o jogador. Decisão incompreensível, sobretudo com o VAR.»

Fortunato Azevedo, O Jogo

 

«Nem o vídeo-árbitro o convenceu [Rui Costa] que Gelson sofreu falta. Com Alvalade a pressioná-lo, consultou o VAR mas manteve a decisão: simulação. Mal.»

Hugo do Carmo, A Bola

 

«Rui Costa nem à terceira, e com duas ajudas do vídeo-árbitro, se apercebeu do penálti de Bressan sobre Gelson Martins - que, naturalmente, não assinalou, mostrando amarelo ao avançado dos leões. Uma dupla injustiça.»

João Lopes, Record

 

«Foi penálti evidente. Bressan, com a perna direita, derrubou Gelson Martins. Mesmo com recurso ao VAR por duas vezes, não foi capaz de ajuizar correctamente.»

Jorge Coroado, O Jogo

 

«Bressan derrubou Gelson Martins, tocando com o seu joelho direito na perna esquerda do jogador do Sporting. Deveria ter sido assinalado penálti. O VAR tentou "ajudar" Rui Costa, mas este manteve a sua decisão.»

Jorge Faustino, Record

 

«Gelson foi punido com amarelo por simulação, mas foi atingido no joelho. Mal ajuizado.»

José Leirós, O Jogo

 

«Má decisão do árbitro, num lance em que teve a boa intervenção do VAR, mas optou por manter a sua decisão em advertir Gelson por simulação. Existe mesmo um toque de Bressan com a coxa. Apesar do exagero da queda, o penálti existe.»

Marco Ferreira, Record

 

«Muito activo na direita, [Gelson] viu injustamente o cartão amarelo por pretensa simulação na área - o extremo levou mesmo um toque de Bressan.»

Miguel Correia, A Bola

15º

desengace.jpg

 

Cerca de 2.000 litros.

Chova ou faça sol ( convindo que comecem a fazer noites frias, para ajudar à fermentação ), dia 1 de Novembro serão abertas as hostilidades. Pelo teor de açúcar medido, e com a benção de Baco que foi este ano generoso, deve-se ficar pelos 14,5º/15º. Como de costume, só se nota quando é hora de levantar da mesa.

À vossa!

 

Entretanto ainda deu para ver o Sporting ganhar com alguma dificuldade, mas com justiça, à volta duns enchidos grelhados, de uns pãezinhos feitos no forno de casa da sogra e do antecessor do que acabáramos de envasilhar, também ele com uns orgulhosos 14 graus!

Entretanto, por curiosidade, deixo-vos com uma notícia de capa do jornal regional "O Mirante", lá do meu distrito, que não sei porquê me lembrou alguma coisa...

 

mirante.jpg

 

Leitura recomendada

«O Sporting é, entre os três grandes, o clube que em mais ocasiões foi prejudicado pelas arbitragens nas competições internas (Liga, Supertaça e Taça) desta época. Esta é a principal conclusão de uma análise feita pelo Correio da Manhã.»

 

Eis, segundo este jornal, os oito casos em sete jogos em que o Sporting tem amplos motivos para reclamar contra as arbitragens:

 

1. 9 de Agosto - Supertaça

Golo mal anulado por fora de jogo a Teo Gutiérrez. Confirmando o que logo aqui apontámos ao árbitro Jorge Sousa.

 

2. 14 de Agosto - Tondela-Sporting

Árbitro Carlos Xistra validou golo da equipa da casa marcado com a mão.

 

3. 30 de Agosto - Académica-Sporting

Grande penalidade da equipa da casa ficou por assinalar: árbitro Bruno Esteves, além de não sancionar a Académica, ainda mostrou cartão a Slimani.

 

4./5. 21 de Setembro - Sporting-Nacional

O árbitro Fábio Veríssimo, vítima de uma eventual lesão ocular, deixou passar em claro duas grandes penalidades cometidas pela turma madeirense.

 

6. 26 de Setembro - Boavista-Sporting

Artur Soares Dias, apitador de serviço, perdoou uma grande penalidade claríssima ao Boavista após ter invalidado um golo limpo a Slimani.

 

7. 31 de Outubro - Sporting-Estoril

Penálti por assinalar à equipa visitante: o árbitro Jorge Ferreira fez vista grossa à jogada.

 

8. 16 de Dezembro - Braga-Sporting (Taça de Portugal)

Novamente Fábio Veríssimo. E novamente asneira da grossa: anulado um golo limpo a Slimani que teria decidido a partida a favor do Sporting.

 

Ficamos conversados.

 

desNORTeADA, a cabeça dele

20151109_202512.jpg

 

20151215_180209.jpg

 

20151215_180229.jpg

 

20151215_180353.jpg

Peço desculpa pelo excesso de imagens.

A primeira foi obtida através do apontar do telemóvel à televisão, num daqueles dias em que Miguel Sousa Tavares nos entra pela casa "adentro".

A última é um extracto duma prosa chamada: "Nortada" publicada na pág. 38 d' A Bola d' hoje.

As outras duas são do jornal citado, uma apreciação de Gonçalo Gonçalves aos dois casos do jogo.

Poderia acrescentar mais algumas coisas mas acho que o Miguel diz-nos tudo... o primeiro lance não é penalty porque o braço está caído, só seria penalty se Marcano estivesse com os braços no ar em posição de regadinho ou de vira; o segundo talvez e estou a citar: talvez (talvez, não é claro).

O que será um penalty indiscutível para Miguel Sousa Tavares? 

 

Os nossos comentadores (não) merecem ser citados

20150927_111443.jpg

 

20150927_111502.jpg

Um anónimo que assina "olha o cisco no olho" escreveu - neste post do Pedro Correia - o seguinte:

«'penálti' perdoado -
bola na coxa ou NÃO INTENCIONAL bola no braço !?!...
depois de ver éne repetições da jogada, continuo sem certezas absolutas, não juro, nem teimo, que a bola tenha ido, sequer, ao braço do jogador
- fora-de-jogo -
BEM ASSINALADO, visível desde a superfície lunar, se ao João Pereira e ao Sporting se aplicarem as XVII Leis do jogo»

Afinal o fora-de-jogo visível da superfície lunar não existiu como a imagem documenta já a mão na bola existiu e foi visível, como aliás, já tinha referido ontem.

Os árbitros portugueses devem ser leitores assíduos de Antoine de Saint-Exupéry para quem o essencial é invisível (L'essentiel est invisible pour les yeux. Cap.XXI, Le Petit [não, não é o treinador do Boavista] Prince) embora seja mais complicado do que parece, pois ele vêem o que não existe (o suposto fora-de-jogo de João Pereira) mas não vêem o que existe, a mão marota de Paulo Vinicius a impedir a bola de se ir aninhar no interior da baliza.

Mais à frente na obra citada, Antoine refere: Os homens esqueceram a verdade (Les hommes ont oublié [...] vérité) esquecer não esqueceram, digo eu, mas a alguns dá-lhes amanho viver numa realidade paralela, ver o que não existe e não ver o que existe; curiosamente, sempre com o objectivo de prejudicar o Sporting Clube de Portugal.

[imagem retirada do Record d' hoje p. 6]

 

 

Telegrama de Penafiel

Para nádega esquerda stop

Nádega direita em frente stop

Com três golos irregulares o FCPorto derrotou hoje o Penafiel stop

Três golos em claro fora-de-jogo stop

Artur Soares Dias no seu melhor stop

"Lotepegui" esta semana já não chora stop e não diz mal dos fiscais-de-linha stop

Sintomático silêncio dos de Penafiel stop treinador bem amestrado stop

Zé do boné vingado stop

Felicidades para amanhã stop

Assinado, nádega direita stop

 

Pois é, assim, nem com o onze da FIFA lá chegaremos!

Vamos por partes

Podemos olhar para os problemas e perceber até que ponto também temos uma quota de responsabilidade por acontecerem. E quanto ao jogo de ontem, há um problema no qual temos responsabilidade e que (também) ajudou à festa, patrocinada pelo pateta encostado à baliza. O problema é a dupla de centrais que tem sido mais vezes titular na nossa equipa: o infantil Maurício e o condescendente Sarr. Está na hora de começar a resolver isto. Solução imediata: encostar um deles, o díficil é escolher, mas um pode ser já posto de lado frente ao Marítimo. Maurício é a minha escolha. Não se admite que, em dois jogos seguidos de elevada importância, tenha a mesma atitude de entrar a matar sobre os adversários. Solução a médio-prazo: estamos a um mês e pouco do mercado de transferências abrir. Não precisamos de 3 ou 4 jogadores. Basta 1 central de jeito. Se assumirmos a responsabilidade própria no que nos acontece, temos a consciência mais limpa e tranquila para que se caminhe para a solução. 

Eles sabem tudo e não deixam nada

 

Por desvalorizar a Taça Lucílio Baptista, Pinto da Costa mandou começar o jogo do Porto contra o Marítimo 3 minutos depois de começar o jogo do Sporting. Por saber que o Pinto da Costa desvaloriza a Taça Lucílio Baptista, o árbitro Manuel Mota deixou jogar mais 6 minutos depois da hora. Por saber que Manuel Mota duvida da seriedade da Taça Lucílio Baptista, o leitãozinho que dá pelo nome de Josué marcou um penalty que coloca o Porto nas meias finais. Eles sabem-na toda.

Os melhores também erram...

... e na minha opinião Leonardo Jardim errou em dois momentos no jogo de sábado.

Primeiro momento, na substituição de André Martins. Deveria ter entrado Vítor. Teria garantido que não se alterava a qualidade de posse da equipa e não sacrificava fisicamente os dois médios que ficaram em campo (Adrien contribuiu muito pouco ofensivamente nos 15 minutos finais porque estava completamente exausto). A qualidade de jogo da primeira parte foi muito superior à da segunda, essencialmente por termos tido a capacidade da posse, perdida quando ficaram somente duas unidades, contra três do Nacional, no meio campo.

Segundo momento, na colocação dos extremos após a entrada de Slimani. Capel na direita e Carrillo na esquerda pode resultar, na habitual táctica de 4-3-3, em que se pede aos extremos que joguem interiormente (apesar de continuar a considerar que Capel é o pior extremo do Sporting e que a posição de extremo é a única que necessita de ser reforçada em Janeiro) e quando se tem um médio mais ofensivo com quem tabelar nessas zonas interiores. A partir do momento em que se altera o modelo de jogo para um 4-4-2 apostando-se em dois avançados não faz sentido manter os extremos no lado contrário ao do seu pé preferencial. A lógica passa a ser o jogo exterior e não o jogo interior e Leonardo Jardim só colocou Capel na esquerda e Carrillo na direita aos 60 minutos. Desperdiçámos os 15 minutos de jogo em que deveríamos ter entrado a todo o gás. Curiosamente o lance do golo mal anulado surge alguns minutos após esta troca.

 

Não obstante este considerando, tivesse o árbitro sido isento e teríamos ganho o jogo. Provavelmente, por mais que um golo de diferença.

 

Acredito que vamos manter a personalidade, continuar a lutar por um lugar digno e manter a qualidade de jogo apresentada até agora.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D