Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O nosso melhor reforço


Acredito que a eliminação da LE tenha sido a nossa grande aquisição. Como se viu no jogo em Portimão, estamos longíssimo de controlar todo o jogo, táctica e fisicamente. Por mais que queiramos culpar o Amorim, o Varandas, ou agora o Miguel Braga, quem joga são os jogadores, quem está lá dentro são eles e quem se encolheu com o Portimonense foram eles. Só as boas mexidas de RA permitiram que o Portimonense não marcasse, bem como o acerto dos centrais e de Adán.

Para dizer que as coisas levam tempo. E que mudaram com isto do Covid. Vi o jogo do Porto com interesse e aquela armada de jogadores adultos e feitos, campeões, fortes como touros, foi relativamente bem manietada pelo Marítimo de Lito. Vi Mourinho anular por completo o United de Pogba, Bruno Fernandes, Martial, Rashford, Matic ou DeGea. Vi o Villa dar cabo de Klopp e dos seus jogadores. Vi o City a não conseguir vencer o recém-promovido Leeds.

Planteis de craques maduros, adultos e poderosos, também perdem ou empatam.

Tal como o Lask, o Portimonense jogou bem. Os nossos golos foram grandes golos, um inventado pelo Nuno Mendes, o outro uma criação excelente de jogo de equipa e uma enorme e rara concretização do Nuno Santos. Mas o Portimonense não jogou nada mal e fiquei espantado por terem dado pouco crédito ao Paulo Sérgio (como havia acontecido com o Lask). Fica-se com a ideia que o nosso Sporting joga sempre com adversários neutros de marca branca e quando perdemos ou empatamos, é sempre culpa do Varandas.

Não obstante, sobra a evidência que os nossos jogadores ainda não têm bateria para jogar à quinta e ao domingo. É um problema ou é uma fase? Tomara eu saber. 

Ao podermos jogar menos vezes que os nossos rivais diretos, poderemos desenvolver processos, coesão e ganhar vantagem pontual para com o Braga (que já leva duas derrotas).

Talvez dê para ultrapassar Porto ou Benfica, se algum destes tiver um annus horribilis. 

Bem-vindo, João Mário

Foi a melhor notícia para os sportinguistas nesta recta final do mercado de transferências: João Mário regressa ao Sporting. Vem por empréstimo do Inter, que lhe pagará parte do salário até ao final da temporada. 

«Quis sempre voltar onde me sinto bem e onde fui feliz e onde quero voltar a ser. É uma grande honra voltar a esta casa», disse o jogador à Sporting TV, logo após a formalização do seu ingresso no plantel leonino.

 

Aproveito para lembrar o que aqui escrevi sobre ele quando vestia de verde-e-branco, em dois inesquecíveis clássicos que vencemos e em que convencemos - o primeiro na Luz, o segundo no Dragão.

 

25 de Outubro de 2015 (Benfica, 0 - Sporting, 3): 

«Boa parte do êxito do Sporting tem a ver com o desempenho deste jovem médio, que Jesus voltou a colocar na posição em que mais rende: junto à ala direita, como falso extremo, apoiando o ataque com sucessivas incursões para o eixo do terreno. Pondo a render a sua qualidade técnica, manteve a defesa encarnada continuamente em sentido com estes movimentos rápidos. Para mim foi o melhor em campo.»

 

30 de Abril de 2016 (FC Porto, 1 - Sporting, 3):

«Exibição superlativa, coroada com duas assistências para golo - aos 23', servindo Slimani com um cruzamento perfeito, e aos 85', lançando Bruno César com sucesso. Podia ter marcado logo aos 5'. Próximo da perfeição.»

 

joaomarioapresentacaodr.jpg

 

Aos 27 anos, João Mário regressa a um lugar onde já foi feliz. E em que soube fazer-nos felizes enquanto adeptos do excelente futebol a que nos habituou.

Vem na idade certa. Para incutir experiência num plantel muito jovem e constituir uma evidente mais-valia no onze titular ao serviço de um emblema que bem conhece, na casa onde nasceu para o futebol. Aureolado com o título de campeão europeu da modalidade, conquistado na histórica campanha de 2016 em França, mas com a modéstia que sempre lhe conhecemos, sem deslumbramentos de qualquer espécie.

 

Bem-vindo de volta, caríssimo João Mário.

Todos esperamos que se concretize o teu sonho: mereces ser feliz no clube que nunca deixou de estar no teu coração.

Ponta-de-lança: quais as vossas sugestões?

hqdefault.jpg

 

Falta uma semana para o fecho do mercado de transferências. O Sporting, aparentemente, continua a necessitar de um reforço: um avançado posicional, de pé quente e com faro de golo. Um verdadeiro ponta-de-lança, enfim.

Venho fazer-vos um desafio: sugiram nomes que dentro das possibilidades financeiras do nosso clube possam ainda integrar o plantel leonino nesta posição de que ainda estamos carecidos. Talvez uma dessas sugestões acabe por tornar-se realidade.

 

Agradeço ao leitor Luís Barros, que tomou a iniciativa de me propor este repto. E passou ele próprio da teoria à prática. Fazendo as sugestões que passo a reproduzir:

João Klauss - nacionalidade: Brasil/Alemanha - 23 anos - 1,90 m - clube actual: TSG 1899 Hoffenheim - transfermarkt: 2,00 M€
https://youtu.be/PrndTn5JEOE

Petar Musa - nacionalidade: Croácia - 22 anos - 1,90 m - clube actual: Slavia de Praga - transfermarkt: 1,50 M€
https://youtu.be/zx8iPpYgpiM

Jean-Pierre Nsamé - nacionalidade: Camarões/França - 27 anos - 1,88 m - clube actual: Young Boys - transfermarkt: 7,00 M€
https://youtu.be/-O4M1iC7oqQ

 

São as propostas dele. E as vossas?

Que plantel vamos ter este ano? (4.ª parte)

Terminou o estágio de pré-época do Sporting em Lagos, onde pôde trabalhar em paz e sossego e defrontar três equipas da 1.ª Liga (Farense, Portimonense e Belenenses) com os resultados que conhecemos (DVV).

Tirando o caso de Vietto, que não jogou devido à questão Covid, parece realmente que Rúben Amorim fez a sua selecção, ficando a trabalhar com um lote de 23 jogadores - mais um ou outro que ainda se possa juntar, menos um ou outro que possa ainda sair. 

Assim ficam quase 20 jogadores para colocar. Alguns ganharão rodagem na equipa B, para os outros o cenário é complicado: o mercado está completamente atípico e correm o risco de ficar estacionados em Alcochete como os aviões da TAP ficaram na Portela.

Então como vemos o plantel de acordo com o modelo táctico 3-4-3 de Rúben Amorim, pontuando de 1 a 5 cada posição, sendo 3 o mínimo exigível a um plantel com os objectivos do Sporting?

 

Qualquer coisa como:

Guarda-Redes - Max (21 anos, 1,90m), Adan (33, 1,90m) - Nota 4

Max cresce de jogo para jogo e dá garantias para ser titular, e Adán tem obrigação de ser bem melhor que Renan, Salin, Boeck ou Jug, pelo que estamos bem servidos na posição.

Ala Direito - Ristovski (28 anos, 1,80m), Porro (20 anos, 1,76m) - Nota 1,5

Esta posição tem sido tradicionalmente o calcanhar de Aquiles do plantel. Desde há muito que não temos um defesa lateral / ala de qualidade, mesmo Cédric deixava muito a desejar quando estava no Sporting, e Schelotto, Piccini continuaram a (má) tradição, e com Bruno Gaspar batemos no fundo. Thierry estava bem verdinho e foi para o Valência aquecer o banco. Nenhum destes dois de momento oferece garantias: um porque corre e não pensa e quando executa são três pontos para o País de Gales, e quando defende bolas altas perde invariavelmente o lance; o outro porque pensa e executa melhor, mas pouco corre para quem tem 20 anos. Reforço, precisa-se.

Defesa Central Direito - Eduardo Quaresma (18, 1,85m), Neto (32, 1,85m) - Nota 2,5

Depois das boas exibições iniciais, Quaresma continua a defender bem mas a falhar demasiado na saída de bola, e Neto ainda consegue ser pior nos dois aspectos, parece bem mais à vontade na posição central. Este sector tem sido uma fonte de problemas quando os adversários pressionam, com perdas de bola e passes à queima para o guarda-redes. Plata poderá servir de alternativa em determinadas fases dos jogos. Reforço de qualidade, precisa-se.

Defesa Central - Coates (29, 1,96m), Neto (32, 1,85m) e Inácio (18, 1,86m) - Nota 4

Coates está como peixe na água na posição: é internacional A do Uruguai e o "presidente da junta". Na sua ausência, quer Neto quer Inácio parecem corresponder, Inácio com a vantagem de fazer lançamentos longos fenomenais.

Defesa Central Esquerdo - Borja (27, 1,80m) e  Feddal (30, 1,92m) - Nota 3

Jogadores canhotos, com boa saída de bola pela lateral, esforçados mas lentos a pensar, e com tendência para chegar atrasados à bola e fazer falta. Espera-se que o marroquino se adapte depressa, cresça de rendimento e seja o dono do lugar.

Ala Esquerdo - Nuno Mendes (18, 1,84m), Antunes (33, 1,76m) - Nota 3

Nuno Mendes tem tudo para ser um lateral de topo: precisa de estabilizar o seu jogo e fazê-lo render 90 minutos. Antunes precisa de treinos e jogos para recuperar o tempo perdido com a lesão. Entre os dois, parece que a posição está bem preenchida, sendo que Nuno Santos servirá de alternativa em determinadas fases dos jogos. Estaria bem melhor se Acuña ficasse.

Médios Centro - Wendel (22, 1,80m), Matheus Nunes (21, 1,83m), Daniel Bragança (21, 1,69m), Rodrigo Fernandes (19, 1,81m) - Nota 2,5

Wendel e Matheus Nunes têm tudo para ser os titulares e poderão crescer imenso durante a temporada neste modelo de jogo. Bragança pode ser muito útil pela qualidade de passe em zonas adiantadas do terreno. Mas Rodrigo Fernandes parece ainda uma barata tonta em campo. Faz falta um Gudelj para melhor, um jogador possante que se imponha nos duelos individuais sem cometer faltas desnecessárias ou penalizadoras.

Interiores Direitos / Esquerdos - Vietto (26, 1,73m), Plata (19, 1,79m), Jovane (22, 1,76m),  Nuno Santos (25, 1,76m), Pedro Gonçalves (22, 1,73m) - Nota 3

São todos jogadores de bons pés. Jovane destaca-se pela capacidade de remate, Pedro Gonçalves tem tudo para ir muito longe, Plata também, mas tudo muito igual, todos baixinhos e levezinhos, falta um Marega ou um Bolasie com menos cinco anos e antes das lesões. Vietto corre o risco de ficar no banco a ver jogar Pedro Gonçalves.

Pontas de lança - Sporar (26, 1,86m), Tiago Tomás (18, 1,80m) - Nota 3

Entre Pedro Mendes, Pedro Marques, Leonardo Ruiz, Dala e Tiago Tomás, sempre pensei que Pedro Mendes e Dala poderiam integrar o plantel. Afinal Amorim escolheu Tiago Tomás e tenho de dizer que escolheu muito bem: é jogador fino, não se dá muito por ele, mas joga, assiste e marca. Uma bela surpresa. Sporar nestes últimos 20 minutos já pareceu um ponta de lança: por muito pouco não marcou dois belos golos. Mas entre os dois falta um verdadeiro jogador de área, alto e forte, a aproveitar os centros dos alas e interiores e a facturar de cabeça com regularidade. Um novo Bas Dost / Slimani / Jardel. Reforço, precisa-se.

 

Resumindo: um plantel com jovens de imenso valor, mas desequilibrado, com pouco peso e altura, a precisar de cinco reforços em posições chave (AD, DCD, MC, IDE, PL). Isto obviamente a pensar que queremos lutar pelos lugares de acesso directo à Champions e pelas duas taças. Se for só para ficar à frente do Braga e lutar pela Liga Europa este plantel serve perfeitamente. Tem que servir.

Vamos imaginar (é livre e não paga imposto) que vinha um sheik árabe podre de rico, um tal Al Valad, investir na SAD umas centenas de milhões de euros e que Amorim tinha carta branca para escolher os cinco reforços para as posições indicadas em qualquer das equipas da 1.ª Liga. Que jogadores escolhiam?

SL

Três boas notícias

 

Nuno Santos vai jogar pelo nosso Clube nesta nova temporada, com vínculo para cinco épocas: assinatura do contrato deve estar por horas.

 

Sporting e Joelson chegam a acordo para a renovação do contrato do jovem talento formado em Alcochete. Com subida da cláusula de rescisão e actualização do salário do jogador.

 

Plantel leonino valoriza-se em mais de 60 milhões de euros, estando agora avaliado em 168 milhões, de acordo com a mais recente actualização feita pelo portal Transfermarkt.

 

Quarta pergunta aos leitores

Acabam de chegar quatro novos jogadores a Alvalade: o lateral esquerdo internacional Vitorino Antunes  (33 anos), que estava sem clube, o lateral direito espanhol  Pedro Porro  (20 anos), emprestado pelo Manchester City, o central marroquino Feddal (31 anos), vindo do Bétis, e o médio Pedro Gonçalves (22 anos), recrutado ao Famalicão.

Confiam nestes reforços para melhorar o futebol leonino?

Repto aos leitores

Indiquem aqui dois ou três jogadores portugueses ou estrangeiros que gostariam de ver integrados no plantel do Sporting 2020/2021. Refiro-me, claro, a jogadores acima da média - que mereçam ser remunerados para além do tecto salarial da equipa, a rondar os dois milhões de euros brutos anuais. 

Será curioso confrontarmos as sugestões que aqui deixarem com os reforços que acabarão por desembarcar em Alvalade até ao fecho do mercado. Quem tiver os melhores palpites ingressa de imediato no nosso quadro de honra.

Os jogadores de Varandas (balanço)

image[5].jpg

 

Luiz Phellype: Dezembro de 2018. Nota 7.

Ilori: Janeiro de 2019. Nota 3.

Borja: Janeiro de 2019. Nota 5.

Idrissa Doumbia: Janeiro de 2019. Nota 4.

Plata: Janeiro de 2019. Nota 8.

Luís Neto: Março de 2019. Nota 6.

Vietto: Maio de 2019. Nota 7.

Rafael Camacho: Junho de 2019. Nota 6.

Rosier: Junho de 2019. Nota 4.

Eduardo: Julho de 2019: Nota 4.

Fernando: Setembro de 2019. Nota 0.

Jesé: Setembro de 2019: Nota 1.

Bolasie: Setembro de 2019. Nota 4.

Sporar: Janeiro de 2020. Nota 7.

 

Média: 4,7

Hoje de manhã…

… encontrei um amigo de infância, sportinguista, que me pergunta:

- Então amanhã, vais à manifestação?

Sorri e disse: - Isto anda tudo doido… e mau, muito mau!

- Mau é favor - desabafou -, parece que nunca aprendem. O Sporting é sorvedouro de dinheiro e de incompetência. Sempre a repetir as mesmas asneiras. Agora contrataram um fulano para avançado, não sei se é bom ou mau, mas – uma vez que a época está perdida – não seria altura para apostar no miúdo dos sub-23? Sempre ia rodando e pior do que aqueles que lá estão, por certo, não faria. E gastaram, neste novo fulano, quase tanto como receberam pelo Bas Dost? É uma vergonha!!!

A conversa iria, com certeza, prolongar-se mas como o autocarro apareceu ficou por aqui…

Sporar quase ao cair do pano

N8MDE3RP.jpg

 

Um ponta-de-lança acaba de chegar ao Sporting. O tão ansiado ponta-de-lança. Aquele por quem esperávamos desde o funesto defeso de Verão -  o mais caótico, incompetente e desastrado de que alguma vez me lembro no clube.

Infelizmente, embora não por culpa própria, o esloveno Sporar ingressa em Alvalade imitando o antigo 7.º de Cavalaria norte-americano no combate contra os índios: com irremediável atraso. Quando o Sporting, a meio da época futebolística, já se encontra afastado de quase todos os objectivos da época. Por falta de muita coisa, incluindo a falta de golos.

Perdemos a Supertaça. Fomos eliminados da Taça de Portugal por uma equipa do terceiro escalão. Estamos fora da Taça da Liga. Em Outubro, qualquer esperança mais remota de virmos a discutir o título já tinha desaparecido. Resta-nos lutar por um posto digno na campanha da Liga Europa e competir para o acesso na próxima época a um lugar desta competição com quatro equipas: Famalicão, Braga, V. Guimarães e Rio Ave. Com a óbvia desvantagem de ainda termos de nos deslocar aos estádios de todas elas até ao fim do campeonato - além de irmos ao Dragão e à Luz.

 

Sporar chega ao Sporting, aparentemente, por seis milhões de euros. Ao contrário do que já li e ouvi nos habituais fóruns de discussão leonina, não é um preço caro para um ponta-de-lança - longe disso. Esta é a posição mais valiosa no futebol e, portanto, também a mais dispendiosa para o clube comprador. O que torna ainda mais ridículo o inaceitável preço a que a administração da SAD leonina vendeu Bas Dost em Agosto. Como se estivesse a aliviar-se de um fardo em vez de potenciar um valioso activo.

 

O internacional esloveno - que actuava no Slovan Bratislava, da Eslováquia - tem números muito interessantes. Nesta época leva já 22 golos contabilizados - um dos quais ao serviço da sua selecção. Com 12 golos (média de um por jogo), lidera a lista dos marcadores do campeonato eslovaco - média que mantém na Liga Europa, em que é também o rei dos goleadores, com cinco apontados até agora. Dois dos quais ao Braga. Além de seis assistências, aspecto igualmente a realçar.

Nada a ver com o trio de "mosqueteiros" que a dupla Varandas-Viana inventou como "reforços" do Sporting no início de Setembro: Jesé, Bolasie e Fernando (este já recambiado) somavam oito golos na época anterior - o que bastava para se perceber que eram contratações falhadas.

 

O problema com Sporar é mesmo a data em que chega. Quase encerrado o mercado de Inverno, inaugurado três semanas antes. E logo após termos defrontado sucessivamente Porto, Benfica e Braga - desafios em que o "matador" Luiz Phellype evidenciou uma patológica fobia aos golos e Pedro Mendes continuou fora do onze titular. Como se fosse mesmo para não levar a sério a "aposta na formação" prometida por Frederico Varandas.

Por ter marcado dois ao Braga ao serviço do Slovan, Sporar poderia ter funcionado como tónico psicológico do onze leonino na meia-final que disputámos na Pedreira. Infelizmente, além de não ter chegado a tempo, ainda aterrou em Portugal praticamente à hora em que saíamos derrotados da Cidade dos Arcebispos.

Oxalá este jovem artillheiro de 25 anos, entretanto já fotografado de Leão ao peito, não seja supersticioso. Por mim, só posso desejar-lhe a maior das sortes.

 

Leitura complementar:

Diz que são reforços, texto meu aqui publicado a 3 de Setembro.

Balanço provisório, texto meu aqui publicado a 4 de Setembro.

Entradas e saídas

Dois terços do período previsto para o mercado de transferências deste Inverno já se escoaram: entramos agora praticamente na recta final. No Sporting, além da saída de um irrelevante jogador que chegara há quatro meses por empréstimo e nem chegou a calçar na equipa principal, ainda nada aconteceu.

É o momento de vos perguntar: que jogadores gostariam de ver chegar ao nosso clube até ao final deste mês? E, na vossa opinião, que elementos do plantel deviam ser transferidos?

Fica lançado o debate a quem queira participar.

Mais do mesmo

Notícias que vão circulando por aí garantem que a administração da SAD do Sporting anda em busca de mais um extremo, que poderá vir do Brasil daqui a mês e meio. Neste caso para preencher a ala esquerda.

Será engano meu ou a última posição que precisamos de reforçar é precisamente esta? Lembro que o último "reforço" desembarcado em Alvalade é extremo-esquerdo de origem, nasceu no Brasil e ainda nem sequer calçou.

Yannick Bolasie

bolasie-em-espirito-de-missao-adeptos-do-sporting-

 

Não há uma segunda oportunidade para uma primeira impressão. No caso de Yannick Bolasie, em estreia absoluta no Sporting, esta impressão foi muito positiva. No jogo do Bessa, em que entrou como titular na frente de ataque escassos dias após ter chegado a Portugal como reforço leonino, revelou-se o melhor em campo - gerando unanimidade na imprensa desportiva. É ele quem acaba carregado em falta num lance ofensivo, ganhando o livre de que resultou o nosso golo. É ele quem revela melhor forma física. É ele quem estabelece em campo ligação empática aos adeptos. É ele quem consegue as duas melhores oportunidades de golo (mais nenhuma houve, do nosso lado, além do livre que redundou em golo).

É difícil fazer mais numa equipa onde se joga pela primeira vez.

Vieram reforçar ou não?

T1NF28TC.jpg

Jesé

image[1].jpg

Bolasie

ANMJ6EE0.jpg

Fernando

 

Acabamos de receber três reforços em Alvalade.

Vieram por empréstimo e são jogadores que actuam de preferência nas alas ofensivas.

O espanhol Jesé Rodríguez, emprestado pelo PSG. Na última época alinhou no Bétis (18 jogos, dois golos).

O congolês Yannick Bolasie, emprestado pelo Everton. Na última época alinhou no Anderlecht (17 jogos, seis golos).

O brasileiro Fernando dos Santos Pedro, emprestado pelo Shakhtar Donetsk, onde alinhou na última época (22 jogos, dois golos).

 

Lanço o repto aos leitores: o que pensam destes três reforços?

Compensarão as vagas abertas pelas saídas de Bas Dost, Raphinha e Diaby?

O plantel leonino, agora finalmente fechado, está mais forte ou mais fraco do que há um ano?

Perguntas que deixo igualmente à consideração dos colegas de blogue que queiram participar neste debate.

Pequenas e médias canalhices

Acabo de ouvir um ex-assessor de imprensa do Sporting declarar em directo, num canal televisivo, que um dos jogadores recém-contratados por Frederico Varandas «em termos sociais não tem uma boa imagem».

Não sei (nem me interessa) que imagem terá este ex-assessor «em termos sociais». Mas sei que declarações destas, proferidas por quem já teve responsabilidades de algum tipo em Alvalade, são mais letais do que cem derrotas em campo. Pequenas e médias canalhices, desmentindo em toda a linha a grandeza endémica deste nosso clube que tem o Leão por símbolo.

Balanço provisório

 

Precisávamos de um ponta-de-lança. Não veio nenhum ponta-de-lança.

 

Precisávamos de reforçar a defesa. Não veio nenhum reforço para a defesa.

 

Precisávamos de um médio defensivo de raiz. Não veio nenhum médio, muito menos com características defensivas.

 

Temos portanto mais três alas. Quando já tínhamos/temos Jovane, Plata e Camacho nessas posições, além de Acuña.
Falta-nos um médio defensivo de raiz
Falta-nos, com manifesta urgência, reforçar a defesa.
Falta-nos, acima de tudo, um ponta-de-lança que concorra com Luiz Phellype.

 

Sobre isto, nada de novo.
Temos um dos plantéis mais desequilibrados de que há memória.
E só um português no onze titular - nem sequer formado no Sporting

13 Reasons why este mercado foi bom e há todos os motivos para se estar otimista

  1. Ontem, no canal 11, o presidente do Marítimo disse com ar simpático que acertara tudo com Vieira para que João Félix e Ferro fossem para a Madeira no mercado deste janeiro que passou. Só a troca de treinador na Luz fez abortar o negócio. Para dizer o quê? Que há muito, mas mesmo muito, de oportunidade, sorte e azar no mundo da bola.

  2. O Sporting foi objetivamente prejudicado no último jogo. Há um penalty sobre Raphinha não assinalado (árbitro e VARs coniventes) e pelo menos um dos que foram marcados a Coates é de gargalhada. O Porto foi beneficiado objetivamente por uma das expulsões mais abstrusas de que me lembro. O Benfica foi a Braga receber vários presentes de Natal, não tendo a equipa sido sequer testada, depois do baile que levou do Porto. Para dizer o quê? Que Deus e o demónio estão nos detalhes e que na bola é igual.  

  3. O mercado do Sporting foi dos melhores que me lembro. Falo desta fase, do fecho. Só no fim da época saberemos, mas eu sou do tempo de César Prates, Mpenza e André Cruz, que não excitaram ninguém quando apareceram. Sobre Acosta é melhor nem falar. Não houve videirinho do comentário da altura que não se risse da ciática.

  4. Porque é que foi dos melhores? Porque se faturou e imagino que seja necessário para fazer face aos encargos. Eu, para poder comprar a minha casa atual, também vendi a que tinha. E era uma casa do caraças.

  5. E foi dos melhores porque muita “tralha” se foi embora. Jogadores decentes, boa gente, mas cuja qualidade futebolística foi mais do que posta à prova, ficando claro que com eles jamais o SCP seria campeão. Acontece em todos os clubes ter “tralha” e o nosso não é exceção.

  6. Também foi dos melhores, porque os wild cards (sobretudo o playboy Jese) vieram emprestados, o que permite ao clube ganhar mais um ano para que haja produto da formação à altura e/ou scouting eficiente. Ou seja, não se gastou uma pipa de massa em Jese (como se gastou em Diaby, por exemplo) e vieram alguns jogadores “maduros” que podem ajudar. Podem ser flops? Podem. Mas também podem não ser.

  7. Foi dos melhores, porque se chegou a acordo sobre mais um jogador do caso Alcochete. É provável que Podence valha mais do que 7 milhões, mas é sempre melhor encaixar agora do que talvez mais daqui a uns anos valentes, mais as custas judiciais e o diabo a sete. Além disso, houve o bónus de Bruno Gaspar ter sido emprestado à boleia deste deal.

  8. Sobre “estratégias de comunicação” é difícil falar. Muitas vezes, na vida, as pessoas não estão dispostas para ouvir a chamada verdade. Nós, portugueses, somos especialistas nisso, basta ver o que dizem as sondagens eleitorais. Somos adeptos de quimeras, cenários idílicos, achamos que se acreditarmos muito no Pai Natal este passa a existir. Mas chega sempre um tempo em que a mensagem e quem a quer ouvir estão compatíveis. 

  9. A equipa de Varandas foi às compras com um saco de caramelos. O lateral francês talvez seja bom, Rafael Camacho talvez dê num negócio Raphinha, Eduardo talvez permita que se possa vender Wendel mais cedo. Mas fazer compras com saco de caramelos implica isto mesmo: apostar que talvez aquele restaurante com aspeto assim assim nos vá servir uma bela refeição. 

  10. Entretanto, a ideia que dá é que os sub-23 representam os “good old days” da formação a voltar devagarinho. Cada mês, cada seis meses, cada ano que passam, os garotos estarão mais próximos da equipa. 

  11. Há razões para otimismo? Fifty, fifty. Por exemplo, a jornada passada foi uma azia de todo o tamanho, mas Guimarães e Braga também perderam. Não ir à Champions é mau, mas não ir à Liga Europa seria uma tragédia. Thierry, que parecia verde como um abacate, acabou por render uns milhões. Vietto às tantas é craque. Bruno Fernandes ficou. 

  12. O que estou para aqui a dizer? Que o Sporting ainda está a ressacar a gestão Bruno de Carvalho. Essa gestão esticou a corda, foi ao limite, contratou dezenas de jogadores, pagando-lhes bem, teve um dos treinadores mais caros do mundo, com a obsessão do título que, é preciso dizer, quase vencemos. Eu, se vou de férias e gasto mais dinheiro, nos meses seguintes tenho de andar mais regrado.

  13. É uma perda de tempo acreditar na “união”. Os meus amigos do Benfica, mal empatam dois jogos seguidos, começam a dizer que o Vieira tem de dar lugar a outro. Mas também é inútil estar pessimista. A vida é feita de fases. O Sporting é o Sporting. Milhares de miúdos e miúdas são do Sporting e choram pelo clube, independentemente do número de campeonatos. Os seus filhos farão a mesma coisa.

Apertar do cinto

download.jpg

 

Não conheço ao pormenor a situação financeira da SAD, incluindo a questão da negociação com a banca. Vou sabendo mais por jornais e comentadores do que pelo Sporting, o que é triste, mas não é difícil perceber que deve estar bem complicada e isso explica muito do que foi a actuação do clube nesta janela de mercado. Deixando de parte a questão desportiva, já por demais aqui comentada e vamos ter o resto da temporada para avaliar, podemos constatar que o Sporting fez negócios de venda/empréstimos com opção de compra obrigatória (incluindo Gelson Martins e Podence, Bruno Fernandes à parte) de 19 jogadores no valor de (números redondos) 90,000€ e de compra/entrada por empréstimo de oito jogadores no valor de 25,000€, um saldo positivo de 65,000€. 

Além disso, emprestou 11 jogadores com salários quase todos pagos pelos clubes de acolhimento. Foram então 30 jogadores que saíram da folha salarial, entrando 8. Não sei o que isto representa em poupança anual de salários, mas sairam vários jogadores de salários elevados a começar por Bas Dost e Petrovic, imagino da ordem de 30%. 

Resumindo, foi mesmo um grande apertar do cinto este verão em Alvalade. 

E ainda ficaram alguns casos para resolver:

1. Rafael Leão

2. Ruben Ribeiro

3. Mattheus Oliveira

4. Viviano

5. Irmão do Alan Ruiz, dizem que joga futebol

 

PS: As minhas contas foram as seguintes:

Saídas: 89,5
1. Gelson Martins 22,5
2. Raphinha 21,0
3. Thierry Correia 12,0
4. Matheus Pereira 10,0
5. Bas Dost 7,0
6. Podence 7,0
7. Felix Correia 3,5
8. Jonathan Silva 3,0
9. Domingos Duarte 3,0
10. Tiago Djaló 0,5
11. Salin 0,0
12. André Pinto 0,0
13. Petrovic 0,0
14. Mama Baldé 0,0
15. Wallyson 0,0
16. Jefferson 0,0
17. Ryan Gauld 0,0
18. Carlos Mané 0,0
19. Abdu Conté 0,0

Empréstimos:
1. Diaby
2. Gelson Dala 
3. Bruno Gaspar 
4. Ivanildo Fernandes
5. Lumor
6. Bragança
7. Francisco Geraldes
8. André Geraldes
9. Misic
10. Alan Ruiz
11. Leonardo Ruiz


Entradas: 23,5
1. Rosier 8,0
2. Vietto 7,5
3. Camacho 5,0
4. Eduardo 3,0
5. Neto 0,0
6. Jesé Rodríguez 0,0
7. Bolasie 0,0
8. Fernando 0,0

Saldo: 66,0

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D