Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Sem perdão

Gelson Martins, Podence e Rafael Leão, três jogadores da cantera de Alcochete que sempre foram acarinhados pelos adeptos (o arquivo deste blogue é prova viva disso), reclamam agora indemnizações do Sporting depois de terem virado as costas unilateralmente ao clube, enquanto outros colegas nunca saíram e alguns decidiram regressar.

Espero que o Sporting seja inflexível na via litigiosa que agora prossegue, nomeadamente no Tribunal Arbitral do Desporto. Para mim, estes jogadores - que receberam muito mais do que deram em troca e tudo devem ao clube que os formou - não têm perdão.

Sobre Rafael Leão e todos os outros...

Desconheço se Rafael Leão irá ou não assinar pelo Lille, ou qualquer outro clube. Se o fizer, espero que o Sporting avance com processo para a FIFA à semelhança do que foi feito com Patrício, Podence e Gelson. Por princípio, entendo que deveremos estar sempre disponíveis para acordos futuros, no entanto há um ponto prévio que deve ser acautelado, em todos, repito, em todos os casos, só poderá existir acordo se for incluída uma cláusula anti-rivais. Caso não o façam, terei que afirmar sem qualquer margem para dúvidas, que os interesses do clube não foram acautelados pelos actuais dirigentes. Acrescento que face ao período pré-eleitoral que atravessamos, esta questão deverá ser colocada a todos os candidatos...

Assuntos internos

 

SAD leonina intensifica contactos para fazer Bas Dost voltar a Alvalade.

 

O regresso de Miguel Veloso está a ser equacionado para a posição de médio defensivo.

 

William já assinou pelo Bétis. Contrapartidas para o Sporting podem totalizar 25 milhões de euros.

 

Borussia Dortmund terá oferecido ao Sporting 5 milhões de euros para contratar Rafael Leão.

 

Sporting apresenta queixa junto da FIFA contra Podence e o Olympiacos, que acolheu o jogador.

 

Nani já integrado no plantel leonino que estagia na Suíça.

 

Assuntos internos

 

Bruno Fernandes regressa: será (re)apresentado aos adeptos hoje, ao meio-dia, em Alvalade.

 

Rogério Alves alinha com Varandas como candidato à presidência da Mesa da Assembleia Geral.

 

Equipa leonina inicia estágio na Suíça, tendo sido recebida com aplausos em Genebra.

 

Gelson Martins no Atlético de Madrid por 15 milhões e dois jogadores (Vietto e Moreira).

 

Rúben Ribeiro transita para o Nantes: pode valer um milhão de euros aos cofres leoninos.

 

Rafael Leão já terá assinado com o Dortmund um contrato para as próximas cinco temporadas.

 

Podence abandona de vez o Sporting e já foi apresentado como reforço ao serviço do Olympiacos.

 

Augusto Inácio garante que continua em plenas funções como director-geral do Sporting.

 

E vão 42: detidos mais quinze membros da quadrilha criminosa que assaltou Alcochete em Maio.

 

Notícias leoninas

 

Bruno Fernandes de regresso ao Sporting: Sousa Cintra fecha acordo com o jogador.

 

William Carvalho muito perto de assinar pelo Bétis de Sevilha a troco de 20+5 milhões.

 

Augusto Inácio vai abandonar o cargo de director-geral para o futebol do Sporting.

 

Manuel Fernandes, substituto interino de Inácio, acompanha equipa no estágio na Suíça.

 

Podence despede-se dos sportinguistas com uma carta aberta antes de rumar ao Olympiacos.

 

Carlos Vieira, membro do Conselho Directivo destituído, prepara candidatura à presidência.

 

Balanço (21)

20490626_RMWgd[1].jpg

 

 O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre PODENCE:

 

Eu: «Se há candidato ao onze titular leonino na nova temporada, é ele. Tem feito por isso, procurando remar sempre contra a maré. Enquanto outros se mostram gatinhos, Podence é mesmo Leão.» (19 de Julho)

- Duarte Fonseca: «Este miúdo é incrível.» (23 de Outubro)

JPT: «Mas que grande jogo que está a fazer o Podence. A bancada (em particular a do sofá) está sempre a protestar. Deixem-no jogar, sff. "Deixem-me sonhar", como dizia o outro.» (17 de Dezembro)

- Pedro Azevedo: «Podence não tem golo e lesionou-se cedo.» (5 de Março)

- Francisco Almeida Leite: «Este pequeno-grande jogador era uma promessa do clube. Formado em Alvalade, o seu potencial esteve bem evidente em algumas partidas. Seria uma aposta segura para o curto-médio prazo e um jovem em que se depositavam algumas esperanças. Não voltará a vestir esta camisola e só há um responsável por isto: chama-se Bruno de Carvalho.» (12 de Junho)

Carvão e transparência

É uma imagem impossível, eu sei, mas diz que os diamantes são uma espécie de composto de carbono e são transparentes e brilham imenso. Por isso, depois de ouvir e ver Cintra na SIC, a minha aversão a notícias sem confirmação sente-se tentada a acreditar nos rumores que vão correndo.

Pois então parece (e não será rumor, Cintra acaba de o confirmar) que Podence e Bruno Fernandes regressarão ao clube. Ora, crendo no carvão que vai sendo publicado, parece que ao regresso se juntará um prémio de assinatura. A ser verdade, ele lá saberá se tem dinheiro para lhes pagar, mas não deve ser difícil, já que a situção não deve ser tão má como a pintam. Pelo menos foi o que subentendi das palavras de Cintra ao intenso interrogatório sobre o tema a que o papagaio da SIC o submeteu (caramba, podia ter referido que entrou ontem em vigor o contrato de mais de 500M€ com a NOS, ficava-lhe bem).

Muito bem, que regressem. Tenho alguma curiosidade (a confirmarem-se as comissões) em saber qual vai ser a explicação que vai ser dada aos que não abandonaram o barco e qual será a sua reacção. E quais as consequências para a saúde do balneário. Se eu fosse saudosista, diria que provavelmente fará pior que um post no facebook, mas não sou e quero crer que o período de felicidade anunciado por Cintra tudo ultrapassará. Anseio verdadeiramente por isso. Anseio tanto que amanhã, logo pela manhã e numa prova de confiança nos jovens que ficaram e naqueles que regressam com vontade de triunfar, irei renovar o meu bilhete de época.

Disse ainda que vai negociar Patrício por 18M€. Tenho algum interesse e não serei provavelmente o único, em saber quanto desse valor chegará realmente ao Sporting, se mais, se menos que aquilo que foi apregoado há bem pouco tempo (timidamente falou em agentes e comissões, mas foi assunto que não interessou ao entrevistador, que lhe passou por cima como cão por vinha vindimada). Seria da maior, elementar e já agora mais que necessária transparência.

A talhe de foice, gostaria também de ouvir os candidatos às eleições de 8 de Setembro a pronunciarem-se sobre o tema rescisões e sobre estes três casos em particular e que medidas tomarão para tratar do inevitável desconforto.

Achei piada à referência à vitória no Futsal, "...fomos campeões já com esta direcção". Ó Cintra, menos...

2017 em balanço (4)

daniel%20podence[1].jpg

 

 

CONFIRMAÇÃO DO ANO: PODENCE

Depois de ter brilhado ao serviço do Sporting B e como emprestado ao Moreirense, onde na época passada foi vital na conquista da Taça da Liga, Daniel Podence começou da melhor maneira na equipa principal do Sporting ainda durante a pré-temporada. Foi o elemento mais em destaque no confronto com o Marselha (1-2), último teste antes de a bola ter começado a rolar a sério.

Este médio ofensivo de 22 anos, formado na Academia de Alcochete, é já idolatrado nas bancadas de Alvalade. Pela sua atitude combativa em campo. Pelos contínuos desequilíbrios que vai criando em sucessivas incursões da ala para o eixo do terreno. Por se ter revelado muito eficaz para desbloquear alguns jogos mais difíceis. Compensa com doses suplementares de tenacidade e virtuosismo técnico o que lhe falta em estatura: mede apenas 1,62m mas é a confirmação viva de que os futebolistas não se medem aos palmos.

Jorge Jesus tem apostado várias vezes nele como titular. E o irrequieto Podence comprova em campo a validade dessa aposta, combinando muito bem com Bas Dost e Gelson Martins, actuando umas vezes como extremo e outras na posição de segundo avançado. Ficou na retina dos adeptos a assistência dele para um golo de Dost no Sporting-Chaves, a 22 de Outubro, e a digonal perfeita que desenhou para um golo de Bruno Fernandes no Sporting-Portimonense, a 17 de Dezembro, destacando-se então como o melhor em campo.

Passou de promessa a confirmação. No início de Julho a Marca enaltecia-o como um dos melhores jogadores jovens do continente, sublinhando o seu bom desempenho no Europeu sub-21. Alguns olheiros americanos já vêem nele atributos antes vislumbrados num Figo ou num Nani. Ele não se deslumbra. E vai correspondendo com trabalho.

O pequeno Podence continua a crescer. De ano para ano, jornada após jornada. O céu é o limite.

 

 

Confirmação do ano em 2012: André Martins

Confirmação do ano em 2013: Adrien

Confirmação do ano em 2014: João Mário

Confirmação do ano em 2015: Paulo Oliveira

Confirmação do ano em 2016: Gelson Martins

Pódio: Podence, Bruno, Bas Dost, Gelson

Por curiosidade, aqui fica a soma das classificações atribuídas à actuação dos nossos jogadores no Sporting-Portimonense pelos três diários desportivos:

 

Podence: 19

Bruno Fernandes: 19

Bas Dost: 17

Gelson Martins: 17

William Carvalho: 16

Fábio Coentrão: 16

Mathieu: 15

Piccini: 15

Rui Patrício: 15

Coates: 14

Battaglia: 13

Acuña: 13

Bruno César: 12

Bryan Ruiz: 6

 

Os três jornais elegeram Bruno Fernandes como melhor jogador em campo.

Rescaldo do jogo de hoje

thumbnail_20171217_180440_resized[1].jpg

 

 

Gostei

 

Da vitória  caseira sobre o Portimonense, por 2-0. Domínio leonino absoluto do princípio ao fim num jogo em que o Sporting só pecou por desperdiçar várias oportunidades de golo. Somámos mais três pontos na corrida ao título frente a uma equipa que esteve a ganhar nos confrontos da Luz e do Dragão.

 

Da exibição.  Boa organização colectiva leonina, com todos os elementos devidamente posicionados e uma dinâmica adequada ao adversário, cuja manobra soubemos sempre condicionar, reagindo da melhor maneira nas situações de perda de bola. Desta vez não jogámos só para o resultado, mas também para a nota artística. Como Jorge Jesus tanto gosta. E como os adeptos exigem.

 

De Podence. A melhor partida do jovem médio ofensivo desde que chegou à equipa principal do Sporting, revelando inegável qualidade técnica. Protagonizou a primeira oportunidade de golo, logo aos 2'. Foi dele a assistência para o golo inaugural, aos 9', desenhando uma diagonal perfeita à qual Bruno Fernandes deu a melhor sequência. Autor de vários cruzamentos para as costas da defesa que levavam o selo de golo - aos 25', para a cabeça de Coates; aos 32', servindo Bas Dost; aos 40', assistindo um disparo de Piccini; aos 45', numa autêntica assistência escandalosamente desperdiçada pelo holandês; aos 52', num centro a régua e esquadro para Gelson; aos 63', isolando o mesmo colega. Saiu ovacionado, aos 67'. O melhor em campo.

 

De Gelson Martins. Parceria perfeita com Podence, trabalhando ambos junto à ala direita com inflexões muito rápidas para o centro do ataque. Acelerou a equipa, trabalhou para o colectivo, criou desequilíbrios, desposicionou adversários, fintou e rematou. Foi dele a assistência para o segundo golo, aos 60'. E ainda fez trabalho defensivo, acorrendo à dobra de Piccini sempre que necessário, como aconteceu aos 62', num desarme impecável. Empolga os espectadores com a sua mobilidade e contribui em larga medida para fazer deste Sporting um sério candidato ao título.

 

Dos nossos laterais. Exibições de grande nível tanto à esquerda como à direita: Fábio Coentrão e Piccini cumpriram as missões tácticas, tanto no plano defensivo como no ofensivo. Deram profundidade ao jogo leonino, comprimindo as alas adversárias, e raramente falharam um passe. Concentrados e rigorosos, sem nunca complicarem. O italiano foi ainda autor do melhor remate de meia-distância do Sporting, disparando um petardo com o pé esquerdo aos 40' que saiu ligeiramente ao lado.

 

Da segurança dos nossos centrais. Actuações convincentes de Coates e Mathieu, que em muito contribuíram para o facto de termos uma vez mais terminado uma partida sem qualquer golo sofrido. Muito atento e concentrado o uruguaio, com um corte exemplar aos 30'; mais exuberante o francês, que ganhou todos os lances aéreos em que foi chamado a intervir. Ninguém diria que só começaram a jogar juntos há cinco meses: parece que formam dupla há vários anos.

 

Da assistência mobilizada, apesar da noite fria. Éramos 43.797 nas bancadas de Alvalade.

 

De ver o Sporting na frente. Seguimos no comando, à condição, com 39 pontos já acumulados, mantendo intactas as aspirações ao título. Todos acreditamos que vamos conquistá-lo.

 

 

 

Não gostei

 

 

Das oportunidades de golo que Bas Dost falhou. O holandês marcou, dando a melhor sequência a um cruzamento de Gelson. Mas destacou-se hoje pela negativa, desperdiçando várias oportunidades. Aos 15', a passe de Piccini. No minuto seguinte, servido por Bruno Fernandes. Aos 32', abdicando do remate de meia-distância após centro atrasado de Podence. Aos 45', quando Podence o isolou frente ao guarda-redes adversário - um falhanço que provocou gritos de irritação no estádio. O golo solitário que apontou, aos 60', acabou por saber a pouco. Perante as hipóteses que teve para marcar, soube a quase nada.

 

Do falhanço colectivo aos 72'. Gelson centrou muito bem da direita para a pequena área. À boca da baliza, a dois metros da linha de golo e em clara vantagem numérica, quatro jogadores do Sporting falharam a emenda: Coates, William, Coentrão e o inevitável Bas Dost.

 

Do penálti que ficou por assinalar. Podence foi derrubado em falta, aos 63', na grande área portimonense. O árbitro fez vista grossa ao lance. Tratando-se de João Capela, não admira. Raros apitadores têm tão largo cadastro em jogos do Sporting como este cavalheiro.

 

Do resultado ao intervalo. Face às oportunidades que tivemos, aquele 1-0 era muito escasso.

 

Que Doumbia permanecesse no banco. Depois de ter mostrado "pé quente" na goleada frente ao Vilaverdense para a Taça de Portugal, com três golos e uma assistência, o marfinense merecia minutos de jogo. Sobretudo num desafio como o desta noite, em que Bas Dost foi um dos raros elementos desinspirados.

 

Foto minha, tirada esta noite em Alvalade

Tudo ao molho e FÉ em Deus - Respirar por um(a) Palhinha foi suficiente para pôr Ordem na Malta

Podence e muito Palhinha foram suficientes para bater a briosa equipa da antiga vila pertencente à Ordem de Malta. Destaque ainda para um Leão (Rafael) que marcou na estreia.

Do outro lado, o treinador oleirense, Natan (do hebraico, Nathan) Costa, aproveitou o "presente de Deus" que foi o mediatismo provocado pela visita do Sporting para suscitar importantes temas como a desertificação do interior do país, de uma forma simples e sintéctica.

Agora, ponham-se "a pau": quarta-feira há jogo de Champions, em Turim, contra a "velha senhora". Eu estou confiante. Afinal, o lema "FIAT na virgem e não corras" não pode ser aplicado a uma tão provecta anciã...

 

oleiros.jpg

Balanço dos 3 primeiros jogos oficiais

img_770x433$2017_07_20_02_09_31_1292049.jpg

 Após os 3 primeiros jogos oficiais gostava de debater com os leitores algumas observações que me saltam à vista.

 

1) Não seria melhor jogar com Doumbia junto a Bas Dost e ter mais presença na área, deixando Podence para desequilibrar o jogo na segunda parte como aconteceu na Vila das Aves, para não acontecer como hoje em que faltavam no banco opções para desequilibrar, uma vez que Iuri tem um tremendo potencial mas é um jogador diferente e que Mattheus Oliveira e Bruno César também estão longe de ter essas características? Bem sei que Matheus Pereira é um desequilibrador e foi emprestado, mas a verdade é que se trata de um jogador que precisa de jogar para render o que sabe, e já vimos pela época passada que não ia ter essa regularidade.

 

2) Temos uma das melhores duplas de centrais dos últimos anos. Espero que Mathieu não sofra dos problemas físicos do passado que me fizeram temer a sua contratação, pois poderá ser uma tremenda mais valia como tem demonstrado, e tambem porque a qualidade das alternativas, infelizmente não oferece segurança.

 

3) Fábio Coentrão, apesar de obrigar a uma gestão do esforço, é claramente um upgrade face aos nossos últimos laterais. Esse mesmo upgrade se verifica na ala esquerda do ataque com Acuña.

 

4) Não poderia Bryan Ruiz ser opção no plantel? Qualidade não lhe falta e num registo em que joga menos vezes, poderá render mais e ser importante para a qualidade da gestão da posse de bola em alguns jogos, algo de que a nossa equipa sofre, principalmente sem William, mesmo apesar do papel extremamente importante de Battaglia que permite à equipa recuperar a bola mais à frente.

 

5) Piccini até ver ainda não mostrou ser melhor que Schelotto. Resta esperar para ver Ristovski.

 

6) Bruno Fernandes ainda tem muito que trabalhar sem bola para ser Adrien, como se viu hoje, jogo em que o nosso capitão, mesmo não estando na melhor forma, permitiu à equipa outra capacidade de recuperação de bola e de pressão.

Sem surpresa

A imprensa de hoje confirma, unânime: Daniel Podence foi o melhor jogador do Sporting na partida de ontem frente ao Marselha.

Se há candidato ao onze titular leonino na nova temporada, é ele. Tem feito por isso, procurando remar sempre contra a maré. Enquanto outros se mostram gatinhos, Podence é mesmo Leão.

Não precisam de nascer dez vezes

marca[1].png

 Iuri e Podence entre os melhores jogadores jovens da Europa, garante a Marca

 

Leio num jornal de hoje que a Direcção do Sporting equaciona "pôr a rodar" Iuri Medeiros e Francisco Geraldes noutros clubes, repetindo aliás a receita já experimentada em épocas anteriores.

Considero um erro qualquer subvalorização dos jogadores oriundos da Academia leonina. Porque deprecia os nossos "activos", como agora se diz, e subverte uma das traves mestras da filosofia leonina. Que se baseia no ecletismo, por um lado, e no aproveitamento da formação, por outro.

Iuri e Chico Geraldes já rodaram o suficiente para se perceber que são valores seguros - à semelhança de tantos outros lançados nos últimos anos na equipa principal do Sporting: Eric Dier, Bruma, Cédric, João Mário, Adrien, William Carvalho, Rúben Semedo, Gelson Martins. Não por acaso, Luís Figo e Cristiano Ronaldo figurarão para sempre na galeria dos valores leoninos: ambos constituem exemplos vivos da excelência da nossa formação.

 

Se dúvidas restassem, repare-se neste artigo ontem dado à estampa no conceituado jornal espanhol Marca. Em 21 jogadores de diferentes países mencionados por se terem destacado no Europeu de sub-21, este diário realça dois dos nossos entre os cinco melhores: Podence e Iuri.

Do primeiro, sublinha a "habilidade e mobilidade" de que deu mostras neste certame, em que marcou um golo e deu outro a marcar. Do segundo, elogia-o por ser a "besta negra do Benfica" - assim designado por ter marcado quatro golos aos encarnados em cinco jogos - e pelo seu "pé canhoto de seda", evidenciado em duas assistências para golo no Euro sub-21.

 

Espero sinceramente que estes e outros jovens talentos não tenham de "nascer dez vezes" para demonstrarem definitivamente o que valem. Vestidos de verde e branco, não com outra camisola qualquer.

 

 

ADENDA: Enquanto uns recebem elogios, mais que merecidos, outros são esculhambados - também com toda a justiça.

Balanço (27)

daniel%20podence[1].jpg

 

 O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre PODENCE:

 

- Francisco Chaveiro Reis: «O Sporting precisa urgentemente de avançados. Teo foi para os Jogos Olímpicos e calcula-se que não volte; Barcos não mostrou nada e Spalvis, antes de poder mostrar ao que vem, lesionou-se e vai perder seis meses, pelo que aposto que os poucos jogos que fará este ano serão na B. Há ainda Slimani, que não creio que fique em Portugal mais um ano. Bem vistas as coisas, sobram Alan e Podence e nenhum deles é um avançado de raiz. Falta poder de fogo e Jesus gosta de ter quatro homens para esta posição.» (22 de Julho)

- Eu: «Novamente o jogador mais em evidência. Substituiu Barcos na segunda parte, esticando o nosso jogo. Bom na finta, na dinâmica e na visão periférica.» (23 de Julho)

- Luciano Amaral: «É preciso pôr sempre os mesmos a jogar e eles não não chegam para todas. Isto dá mesmo que pensar, quando nos lembramos que andaram a ser espalhados de empréstimo por aí jogadores da formação que, de certeza, pior não fariam: Mané, Podence, Iuri, Palhinha, Gauld...» (13 de Dezembro)

- Rui Cerdeira Branco: «Temos três meses e algum sangue novo disponível e que, mais que não fosse, pelo baixo rendimento de alguns clássicos de Jorge Jesus, já justificam uma aposta continuada por uns jogos. Pelo menos Podence e provavelmente Geraldes e Matheus Pereira. Não para satisfazer os adeptos, mas para construir um esqueleto de equipa e um balneário mais equilibrado onde todos sejam vistos como alternativas válidas.» (6 de Março)

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D