Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

IV Congresso ‘The Future of Football’

Abriu ontem portas e encerra hoje.

Tem convidados de peso e gabarito a nível internacional, portugueses e estrangeiros, com responsabilidades em diversas federações e na UEFA e FIFA.

Como em relação às tv´s não levei em conta a sugestão do presidente, estive ontem especialmente atento, agora que o futebol anda nas parangonas pelos piores motivos, a ver se algum dos canais se teria dado ao trabalho de mandar um reporter de imagem que fosse ao Pavilhão João Rocha, para fazer a cobertura do evento. Moita! Népia! Nickles! Nem uma notícia de rodapé, quanto mais imagens ou referência a uma organização louvada pelas instâncias do futebol e que obrigou Fernando Gomes, o dourado apitador ora nas funções de presidente da FPF, a dizer “O Pavilhão João Rocha será a verdadeira casa da discussão do futebol, quer nacional, quer internacional. Aplaudo a coerência do Sporting CP na defesa do debate aberto sobre temas que interessam à modalidade. Desejo, ainda, que o futuro do futebol seja discutido para que se se encontrem os caminhos que o seu futuro merece”. Aquela coluna deve ter dados tantos estalos...

Ontem falou-se do VAR e Bruno de Carvalho não foi meigo, ao seu estilo, tendo sido apoiado por Greg Barkey, director técnico da MLS, dos Estados Unidos quando abordou a necessidade de se transmitirem no estádio as imagens do VAR, corroborado por Lukas Brud, CEO do International Board, que afirmou não haver qualquer indicação em contrário. Ficou o desafio a Fontelas Gomes, que logo ali, meteu a viola no saco.

IV Congresso continua e termina hoje, por volta da hora do almoço. Pode ser que ainda alguém se lembre de aparecer...

João Rocha. Voltaremos a ser muitos, estou certa

Screen Shot 2017-12-01 at 15.55.46.png

Estreei-me esta semana no Pavilhão João Rocha, no Sporting 39 - Avanca 28, em andebol. 

Senti-me em casa, gostei do recinto, pretendo voltar. Éramos duas centenas de pessoas, e podemos ser mais. Seremos mais, tenho essa convicção. O que me leva à questão das assistências de que tanto se tem falado. Também eu tenho a minha opinião. 

Ainda tenho presente a Nave de Alvalade, e o ambiente em volta do estádio em dias de jogo de futebol. A vida por ali não era só perto da hora do jogo, ou apenas de passeio. Passava-se pela Nave, fazia parte. Havia os assíduos, e havia quem lá passasse. Mas fazia parte. Havia vida em redor do estádio por muitas horas. 

De 2003 ou 4, quando a Nave foi encerrada, a 2017 são pelo menos 13 anos. 13 anos é uma geração que se salta. Uma geração que não viu este movimento em volta do estádio, que sabia que o Sporting tinha modalidades, mas a menos que se deslocasse não as poderia acompanhar. E quando digo geração, não me refiro a todas as pessoas de uma idade concreta, saltámos uma vida de muita gente, mas saltámos acima de tudo o hábito de ir a um pavilhão do Sporting.

Junto a este facto os que sabiam, acompanhavam, mas perderam o lado prático de todo o clube funcionar no mesmo espaço. Dir-me-ão que quem é do Sporting não se importa com distâncias, e eu acho isso bonito, romântico até, mas no dia a dia não é prático e a verdade é que foi uma minoria que o pôde ou quis fazer nestes últimos anos. Há sempre quem saiba resultados, conheça as equipas, sei bem que nunca abandonámos as modalidades. Mas faltava-nos o pavilhão, faltava-nos ver de perto, e em casa, os nossos. 

Finalmente uma direcção cumpre a promessa de erguer um pavilhão, mas não temos calma, reclamamos que está vazio. Sinceramente, para já não acho preocupante a pouca adesão num primeiro ano de pavilhão. Não há culpados, nem desculpas, foi como foi. Mas o facto é que há um intervalo temporal que mina os hábitos, que faz cair a curiosidade do que se passa com cada equipa, que nos fez afastar do pavilhão.

As pessoas perderam o costume, e tal como se perdem, os hábitos voltam a ganhar-se. Seja porque dá jeito passar num jogo antes do futebol, ou porque "hoje até me dá jeito lá passar quando sair", porque os amigos vão e aproveitamos a companhia, uns mais para o hóquei (o meu caso), outros mais do futsal, do volley ou andebol, ou simplesmente porque é o Sporting Clube de Portugal e isso basta, tenho a certeza que todos havemos de frequentar o Pavilhão João Rocha.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D