Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Aceitam-se apostas

Há duas alimárias que terminam esta época a actividade do apito, por limite de idade (Pedro Proença também está neste lote - do limite de idade, que não no das alimárias, apesar de tudo - mas já "abdicou"), adivinhem quem:

Olegário Benquerença.

Paulo Baptista.

Aceitam-se apostas sobre qual deles nos vai tentar roubar no dia 31 de Maio, no Jamor.

O campeonato das papoilas esvoaçantes

Há a ideia que os campeonatos não se ganham nos confrontos entre os grandes.

Já o meu avô dizia: "Pedro, não é nos jogos com o Porto (o Porto nessa altura contava pouco) nem com o Benfica que perdemos ou ganhamos os campeonatos, os campeonatos ganham-se é com a CUF, com o Portimonense, com o Beira-Mar, com a União da Madeira, com esses é que não podemos perder pontos".

Meu avô Jacinto tinha razão, mas não neste campeonato.

Gostaria de lhe poder dizer (infelizmente, há quase trinta anos que nos deixou) que o que decidiu este campeonato foram os jogos entre o Sporting e o Benfica.

No primeiro jogo, aconteceu o que aconteceu, merecíamos vencer.

O segundo jogo foi antecedido pelo Sporting vs. Académica apitado pelo senhor Paulo "Grevista" Batista, foi a preparação para aquilo que se seguiria.

Todos recordamos o que se seguiu, um estádio inadequado para a prática do futebol, um dia em que a vida de pessoas e de benfiquistas esteve em perigo.

Este jogo, não realizado, foi a chave deste campeonato.

Imaginemos que, ainda, faltava realizar esse Benfica vs. Sporting, o nosso clube estaria a quatro pontos, faltando jogar em casa com o Nacional e fora com Estoril e Benfica, ao clube de Carnide faltaria jogar fora com o FC Porto e em casa com Setúbal (de Couceiro, João Mário e Betinho) e Sporting.

Quem seria campeão no cenário descrito no parágrafo anterior? 

  

Tribunal unânime

Veredicto unânime do Tribunal do diário O Jogo sobre o mais polémico lance da partida Sporting-Académica. Aqui ficam as sentenças, para memória futura:

 

Jorge Coroado - "Com o braço direito, Halliche jogou a bola, cometendo falta para grande penalidade a favor do Sporting que o árbitro [Paulo Baptista] e o árbitro assistente não vislumbraram."

 

Pedro Henriques - "Só com acesso à repetição se consegue ver que Halliche, com o braço direito, de forma deliberada, intercepta e toca a bola, infracção passível de grande penalidade."

 

José Leirós - "Com o braço direito, Halliche jogou deliberadamente a bola para defesa de Ricardo. Ficou por assinalar uma grande penalidade."

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D