Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Amanhã à noite em Alvalade

Depois do empate na Luz que nos deu o acesso ao Jamor, temos amanhã mais um dérbi em Alvalade, que pode ser decisivo em termos do título de campeão. Se o Sporting ganhar fica com mais 4 pontos e menos um jogo do que o Benfica, e apenas com um jogo de dificuldade extra por disputar.

Todos temos as incidências do último jogo bem frescas na memória. Mas temos também de recordar o jogo da 1.ª mão da Taça em Alvalade para uma perspectiva dos pontos fortes e fracos de cada um.

A minha ideia é que as duas equipas encaixam mal. O Sporting actua no transporte controlado da bola desde o guarda-redes e na procura da profundidade que lhe dá o ponta de lança, o Benfica na pressão alta e no carrossel ofensivo propiciador de rasgos individuais. Um Sporting mais de equipa, um Benfica mais de individualidades. Um Sporting mais pausado, um Benfica de mais de arranques. Quem conseguir impor o seu ritmo de jogo e a sua forma de jogar estará mais perto da vitória.

 

O melhor Sporting foi com o duplo pivot Hjulmand e Morita. Porque defendem bem, na ocupação dos espaços, na antecipação dos movimentos dos adversários e na capacidade de desarme sem falta. E porque combinam muito bem nos avanços e recuos no terreno. Quando um cai para a ala, o outro ocupa o centro. Com Rafa a jogar atrás do ponta de lança, nenhum dos médios pode avançar demasiado no terreno e depois recuar a trote. 

Também foi com Pedro Gonçalves a interior esquerdo, porque não pára quieto. Tanto ajuda a defender como se desmarca para criar perigo na área adversária, tem um raio de acção no jogo obviamente muito acima de Paulinho. Com Pedro Gonçalves entre linhas, o Fiorentino estará sempre condicionado e não a jogar "de cadeirinha", de frente para a bola, como na primeira parte do jogo da Luz.

Catamo a ala direito, lançado em corrida daquele lado, é sempre difícil de travar. Quase sempre o lance resulta em perigo para o adversário.

Com Coates no centro da defesa, a sua visão de jogo e capacidade de comando está muito acima de qualquer outro. Ao lado dele, com Diomande a sofrer as consequências físicas do Ramadão, deverão alinhar Inácio e St. Juste. E Matheus Reis na ala esquerda. Aqui o grande problema para resolver são os centros ao segundo poste do Di María, porque a defender Catamo deixa muito a desejar.

 

Gyökeres é o "abono de família" da equipa. Aqueles movimentos em que acelera da área do António Silva para atacar a área do Otamendi criam mesmo mossa. Mas ele ou alguém por ele terá de rever urgentemente o seu desempenho nas bolas paradas defensivas, vejam-se o golo do Otamendi, e os dois cantos do Estrela da Amadora, um deu golo. Não consigo perceber como é que esta questão ainda não foi resolvida.

Entre Trincão e Edwards é sempre difícil escolher. São "jogadores de engate" capazes do melhor e do pior, se calhar depende da fase da lua, mas Trincão corre mais o campo a defender.

Israel, mesmo com a sua dificuldade de sair dos postes, esteve bem nos dois jogos, ao nível do Trubin.

 

Por tudo isto, julgo que o Sporting deverá alinhar com:

Israel; St. Juste, Coates e Inácio; Catamo, Hjulmand, Morita e Matheus Reis; Trincão, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

E é isto. Toda a confiança em Amorim, toda a confiança na equipa. Amanhã é para ganhar num Alvalade a abarrotar e eu vou lá estar.

Viva o Sporting !!!

SL

Amanhã à noite em Alvalade

Depois da eliminação merecida mas que até esteve perto de ter sido evitada na Liga Europa, é tempo de "mudar o chip" e voltar às competições internas para defrontar o Boavista e encerrar o "ciclo infernal".

Com Adán, Pedro Gonçalves e Edwards caídos em combate (Edwards não merece de todo o que muitos dizem dele, basta olhar para a "ordem de mérito" que habitualmente publico), Trincão a contas com uma lesão que o limita, Diomande com o Ramadão, não há muitos jogadores para escolher para o onze inicial, mas há várias formas de o montar.

Na conferência de imprensa de hoje Rúben Amorim deixou algumas pistas, falou em Nuno Santos mais avançado no campo e Paulinho na ajuda a Gyökeres. Imagino que sejam essas as ideias dele. Nesse caso o onze podia ser:

Israel; Diomande, Coates e Inácio; Catamo, Hjulmand, Bragança e Matheus Reis; Paulinho, Gyökeres e Nuno Santos.

Com Quaresma, St. Juste, Morita e Trincão no banco.

Outra ideia seria colocar Quaresma a fazer a ala direita e adiantar Catamo, nesse caso com Nuno Santos a fazer a ala esquerda para manter a ideia de dois alas com características diferentes.

Também pode acontecer que ele resolva tirar "um coelho da cartola" e lançar Fresneda ou Koindredi.

É então uma boa oportunidade para vos voltar a fazer a pergunta:

Qual pensam que vai ser o onze inicial do Sporting amanhã em Alvalade?

SL

Amanhã à noite em Bérgamo

Sobre o jogo de amanhã com a Atalanta em Bérgamo eu e muitos Sportinguistas estamos com "mixed feelings" ou sentimentos contraditórios.

Dum lado o idealismo, a visão dos fundadores, o ADN do clube e aqui não entram nem sentimentos das claques, nem pensamentos de ressabiados e exigentes da treta ignorantes da nossa história, realmente não podemos abdicar de dar o máximo para subir na escala europeia no que ao futebol diz respeito.

Do outro lado o pragmatismo, a liderança da Liga que importa manter, a chegada ao Jamor que importa assegurar na Luz depois da vitória no dérbi de Alvalade, a situação física do plantel decorrente da exigência do calendário e do "general" inverno em Portugal, a qualidade do opositor italiano, a começar pela superior envergadura física mas também pelo grande técnico de que dispõe, e um jogo três dias depois para a Liga que importa ganhar. 

 

Faz sentido apostar tudo em Bérgamo correndo o risco de condicionar os jogadores mais importantes para as competições internas? Não.

Faz sentido poupar o núcleo duro do plantel em Bérgamo para o jogo de domingo com o Boavista e entregar de mão beijada o resultado da eliminatória aos italianos? Não.

Faz sentido agora questionar ou teorizar sobre a profundidade do plantel e a qualidade dos jogadores que temos (e não foi Edwards a desperdiçar um penálti decisivo da forma mais grosseira, foi aquele do Porto que andavam a "octaviar" para vender) quando são estes e não outros que nos trouxeram até aqui e que nos podem levar ao que todos queremos? Não.

 

O que faz sentido talvez é confiar em Rúben Amorim, que melhor do que ninguém sabe como se encontra cada um dos jogadores do plantel, para encontrar o melhor compromisso entre o onze de Bérgamo amanhã e o onze de Alvalade no domingo.

E eu confio!

Já agora o meu palpite para o onze de Bérgamo é:

Israel; St. Juste, Diomande e Inácio; Esgaio, Hjulmand, Bragança e Matheus Reis; Trincão, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

Deixando no banco Catamo, Edwards e Paulinho para reforçarem a equipa na 2.ª parte.

E dando descanso a Coates, Quaresma, Morita e Nuno Santos.

SL

Ciclo infernal (2)

Depois da deslocação pífia a Famalicão a 3 de Fevereiro, muito devido à incompetência da Liga para prevenir aquilo que facilmente se antecipava, a equipa do Sporting não tem parado e assim vai continuar até à paragem para as selecções:

07/02 - U.Leiria 0 - Sporting 3 (TP)

11/02 - Sporting 5 - Sp. Braga 0

15/02 - Young Boys 1 - Sporting 3

19/02 - Moreirense 0 - Sporting 2

22/02 - Sporting 1 - Young Boys 1

25/02 - Rio Ave 2 - Sporting 2

29/02 - Sporting 2 - Benfica 1 (TP)

03/03 - Sporting 3 - Farense 2

06/03 - Sporting - Atalanta (LE)

10/03 - Arouca - Sporting

14/03 - Atalanta - Sporting (LE)

17/03 - Sporting - Boavista

 

Até cansa olhar para um calendário assim.

Calendário partilhado pelo Benfica, que acabou de se "suicidar" no Porto, muito por culpa do adversário mas também devido ao desgaste causado pelo dérbi três dias antes em Alvalade a que o técnico alemão não conseguiu obviar. 

Também em Itália o desgaste se faz sentir. A Atalanta vem de um empate (Milan) e duas derrotas (Inter e Bologna) para a Liga, desceu para o 6.º lugar. Seguem-se Juventus (2.ª) e Fiorentina (8.º).

Não existiria melhor momento para enfrentar a Atalanta se não estivéssemos ainda mais "carregados" fisicamente do que eles e com uma deslocação tremendamente difícil a Arouca no próximo domingo em que não podemos perder pontos. Já eles até podem em Itália, pois não têm como objectivo ganhar a Liga.

Enquanto uns regressam de lesão e procuram ritmo, como St. Juste, Fresneda, Paulinho e Trincão, outros ainda sofrem de "jet lag" pelos compromissos das selecções (Morita, Catamo e Diomande). Vem aí o Ramadão (Diomande) e a fadiga começa a ditar leis (Adán, Inácio e Pedro Gonçalves).

Tempo para as segundas linhas do plantel menos desgastadas fisicamente se chegarem à frente, como Esgaio, que fez um belo jogo contra o Farense, assistindo para dois golos. Neto, Matheus Reis e Nuno Santos são outros exemplos, hoje fazem asneiras, amanhã têm de esquecer isso para jogar bem e ajudar a equipa a ganhar.

 

Que equipa para amanhã? E que equipa para Arouca? 

Para amanhã, pensando no onze de domingo e na segunda parte do jogo de Alvalade, a seguinte:

Israel; Diomande, Coates e Matheus Reis; Catamo, Hjulmand, Morita e Nuno Santos; Edwards, Gyokeres e Trincão.

Este onze permite jogar com inteligência, minimizando o desgaste, dando pouco espaço aos contra-ataques italianos e explorando as combinações do lado direito por Catamo e Edwards. 

E eu lá estarei, para Alvalade as gameboxes estão carregadas e para Arouca os bilhetes estão já reservados, para apoiar a equipa e acreditando que serão duas vitórias determinantes para o resto da época.. SL

Amanhã à noite em Alvalade

Depois da vitória por 3-1 em Berna, o Sporting recebe amanhã em Alvalade o líder da Liga Suíça. Os golos fora de casa não valem mais do que os outros. Perdendo por dois golos de diferença, temos prolongamento e eventualmente penáltis.

Não será nunca um jogo fácil, mas a prioridade está na 1.ª Liga e haverá mudanças no onze relativamente ao Moreirense.

Não custa assim adivinhar que a base do onze será a do jogo da primeira mão indicada abaixo, talvez com Diomande em vez de Quaresma, descansando Coates, Catamo, Morita e Trincão para Vila do Conde:

Adán; Quaresma, Inácio, Matheus Reis; Esgaio, Hjulmand, Bragança, Nuno Santos; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

O Young Boys é uma equipa diferente das portuguesas: intensidade nos duelos, corridas frenéticas e remates prontos. Importante, por isso, ter a zona central à frente da defesa bem fechada para evitar dissabores. Mas é também uma equipa que, projectando muitos jogadores no ataque, arrisca na defesa e os contra-ataques do Sporting farão necessariamente mossa.

Chegando ao intervalo em vantagem, haverá então espaço para fazer descansar mais alguns dos titulares para Vila do Conde: Inácio, Hjulmand, Gyökeres e Pote, e talvez até dar alguns minutos e confiança a Fresneda e St. Juste.

Acredito que seja mais ou menos isto que vai na cabeça de Rúben Amorim. A verdade é que a gestão do plantel que ele tem feito é do melhor de sempre do Sporting.

Todos são importantes no plantel do Sporting, e é com todos que vamos lutar pelos objectivos da época.

SL

Um plantel curto mas equilibrado

Existem duas grandes razões para explicar a diferença entre o desempenho da equipa nesta primeira metade da época e a do mesmo momento da época passada. A exigência da Champions relativamente à Liga Europa e o equilíbrio do plantel em termos físicos e técnicos. 

Rúben Amorim sempre foi apologista de plantéis curtos, à moda inglesa: cerca de 20 jogadores "adultos" polivalentes e adaptáveis, o resto jovens "estagiários" da formação. Isso garante oportunidades para todos e facilita um balneário saudável.

Pensou o plantel da época passada para um modelo de jogo de avançados móveis ao jeito dos grandes clubes ingleses ou espanhóis, descurou o peso e altura na zona central, a lesão de Paulinho no início da temporada não ajudou e a equipa sofreu bastante na primeira volta da Liga.

Para esta época contava já com Diomande. Vieram Gyökeres e Hjulmand, Fresneda foi uma terceira opção ainda muito jovem. E, mesmo com os problemas físicos recorrentes de St. Juste, conseguiu-se um plantel curto mas com diferentes soluções para diferentes problemas.  

 

Na baliza, Adán e Israel têm dado conta do recado, mesmo que distantes daquela excelência que faz a diferença frente aos rivais. Diego Callai acabou de ser emprestado e no final da época se definirá o futuro na posição.

Na defesa temos dois dos jogadores mais valiosos da Liga: Diomande e Inácio. St. Juste estaria no mesmo plano se não fossem as lesões. Coates começa a sentir o desgaste da carreira. Matheus Reis e Neto fiáveis dentro das suas possibilidades e limitações e Quaresma a recuperar a olhos vistos do fosso em que se deixou enfiar. Pontelo parece ser um projecto de Feddal para a próxima época. Os (demasiados) golos sofridos têm mais a ver com as flutuações do quinteto composto pelos três defesas e dois médios do que pelo desempenho individual dos defesas.

 

Nas bandas laterais, entre alas e interiores - Pedro Gonçalves à parte, que esse é doutro patamar competitivo - todos começaram relativamente mal a época mas têm vindo a crescer de rendimento individual.

Esgaio, com todas as suas limitações em termos de definição de lances atacantes, cumpre o que lhe é pedido.

Nuno Santos começa finalmente a centrar em condições, mas continuo a pensar que Catamo e Edwards combinam bem mas já Edwards e Trincão não deviam jogar juntos, que Trincão é muito mais objectivo quando joga do lado esquerdo, mas ali é o lugar de Pedro Gonçalves, o jogador mais importante da equipa em termos de manobra colectiva.

Pedro Gonçalves no ataque significa que o meio-campo joga com 2,5 elementos, o mesmo no meio-campo, significa que joga com 1,5 elementos, e a defesa fica necessariamente exposta. Afonso Moreira precisaria de sair para rodar, de momento pouco acrescenta à equipa.

 

No miolo também Hjulmand, Morita e Bragança têm progredido imenso física e tecnicamente ao longo da época, o japonês muito "castigado" pelos compromissos da selecção. Essugo precisa de sair para jogar, o francês do Valência será também um projecto para a próxima época. Continuo sem perceber porque é que Diogo Abreu não tem hipóteses, nem que seja no banco, como já tiveram outros que não demonstram a mesma maturidade e competência quando jogam na B.

No centro do ataque, Gyökeres e Paulinho (este com a falta de instinto matador que vem de longe) dão garantias, quer jogue apenas um ou em dupla, são os dois melhores marcadores da equipa e dos melhores marcadores da Liga. Assim nunca mais tivemos os avanços suicidas de Coates no terreno a meio da 2.ª parte.

De qualquer forma mais um avançado seria bem vindo. Rodrigo Ribeiro está a passar ao lado da época, e o Nel ainda está muito verde.

Que tipo de avançado? Um "rato de área" com bom jogo de cabeça. Por exemplo o Bozenick, do Boavista: 24 anos, 1,88m, 9 golos na temporada.

Tudo isto obviamente supondo que nenhum grande inglês chega aqui e bate a cláusula dum ou doutro. Espero bem que não.

 

Assim sendo, o (meu) melhor onze do Sporting ainda não alinhou:

Adán; Diomande, Coates e Inácio; St. Juste, Hjulmand, Morita e Nuno Santos; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

Trocava algum destes por jogadores dos dois rivais? Se calhar um ou dois, mas não mais que isso.

Chega para sermos campeões? Ainda agora a primeira volta terminou, até Maio muita água passará por baixo das pontes. Vamos com calma, jogo a jogo, que a sorte nos acompanhe, e que a arbitragem tenha a isenção que até agora não demonstrou sempre em prejuízo do Sporting relativamente aos dois rivais.

SL

Logo à noite em Alvalade

Com um guarda-redes em grande noite, um árbitro que não estragou o jogo expulsando Morato e muita sorte à mistura, o Benfica passou em Braga. Se fosse o Sporting a defender uma magra vantagem caida do céu logo a abrir o jogo, logo viriam os exigentes do costume a falar de falta de ambição e de atitude, equipa pequena, etc, etc. Como foi o Benfica, para os mesmos exigentes já se tratou de realismo competitivo... 

E é basicamente isso de que precisamos para logo à noite, um Adán em grande noite, um árbitro que não estrague o jogo e alguma sorte à mistura, tudo o que faltou na época passada nas três derrotas com o rival do Porto. Porque, guarda-redes à parte, o nosso onze é em tudo superior  a qualquer um que eles apresentem.

O Porto gosta de pressionar alto com muita gente, procurando o erro do adversário na construção e depois saltar rapidamente para o remate ao golo. A fórmula para ganharmos é construir com calma e conseguir meter a bola nos avançados atrás dessa linha de pressão e depois aproveitar a falta de velocidade da equipa adversária e a classe individual dos três da frente. O que Conceição fez na época passada foi recuar um médio para o meio dos dois centrais, na altura Uribe, o que de facto resultou. Hoje não há Uribe, talvez seja o Varela nessa função vamos ver. O que o Sporting não pode fazer é perder a concentração (cuidado, Diomande) e entrar no jogo mais intenso e rasgadinho no qual o Porto está muito mais confortável, a jogar e nas palhaçadas.

Sobre o onze a única dúvida será entre Matheus Reis e Nuno Santos na ala esquerda. Aposto no Nuno pelo remate ao golo e porque do outro lado Esgaio terá de ter muito cuidado com Galeno.

Será então:

Adán; Diomande, Coates e Inácio; Esgaio, Hjulmand, Morita e Nuno Santos; Edwards, Gyokeres e Pedro Gonçalves.

 

Confiança total na equipa, confiança total em Amorim. Somos a equipa que pratica o melhor futebol de Portugal, vamos entrar para ganhar e que a sorte nos acompanhe.

SL

Amanhã à noite em Alvalade

O Sporting recebe amanhã o Sturm Graz em Alvalade no jogo final da fase de grupos da Liga Europa, já com a passagem à fase seguinte assegurada, juntando-se a Benfica e Sp. Braga na pré-eliminatória de Fevereiro.

Oportunidade para dar minutos aos menos jogados, e fazer descansar alguns mais "carregados" para o clássico, mas o resultado não deixa de interessar.

A partida de Guimarães demonstrou bem o risco que esta equipa do Sporting corre quando deixa partir o jogo, e tem cinco ou seis lá na frente a tentar o golo de qualquer maneira e os restantes a levar com contra-ataques em velocidade e com fé em que o Adán vá buscar o que dali sair. A chave de não deixar isso acontecer reside no triângulo formado pelo defesa central e os dois médios, na saída a jogar pausada, na circulação de bola, em tudo aquilo que irrita alguns amantes do pontapé para a frente e do futebol de matraquilhos.

O Sturm Graz do jogo da 1.ª volta tem muito do V. Guimarães, na capacidade de luta no meio-campo defensivo e na rapidez no contra-ataque.

Não faço ideia do onze. Rúben Amorim deixou claro na conferência de imprensa que muito teria a ver com a avaliação dos jogadores em treino e da disponibilidade física de cada um, mas sugeria o seguinte:

Israel; Neto, Diomande e Inácio; Quaresma, Hjulmand, Essugo e Nuno Santos; Trincão, Paulinho e Catamo.

SL

Amanhã à noite em Guimarães

Deslocação bem difícil, a de amanhã a Guimarães para defrontar o Vitória local. Pelo adversário, pelos riscos de exclusão de alguns para o clássico e pelo apitador de serviço, que tem sido levado ao colo pela APAF/CA como um valor da arbitragem europeia, mas cujo cadastro nacional no que respeita ao Sporting é por demais conhecido. Um árbitro ou incapaz de distinguir as palhaçadas dos Taremis e Otávios desta vida, ou encontrando nelas o alibi para ganhar o dele e beneficiar outros.

Num dos últimos editoriais de A Bola se dizia que o "melhor futebol desta Liga foi até agora o futebol do Sporting". Pouco vejo os jogos dos rivais para ter opinião sobre o assunto, o que posso dizer é que o melhor futebol das equipas do Sporting de Rúben Amorim foi o melhor futebol desta equipa. Muito por "culpa" dum "extraterrestre" Gyökeres, incluido com Diomande e Hjulmand num trio de reforços altos e fortes de que o Sporting muito precisava.

 

São já 20 jogos apenas com duas derrotas e três empates. Nestes cinco casos (Braga, Atalanta, Rakow, Benfica, Atalanta) existiram sempre situações fortuitas e já dissecadas que impediram melhor sorte, morremos na praia ingloriamente. E sofrer menos do que temos sofrido, com equipas que conseguem o golo na primeira vez que chegam próximo da nossa baliza. Podíamos estar melhores do que estamos, mas é o que temos.

Pedro Gonçalves foi e continua a ser o melhor jogador - ou pelo menos o jogador mais importante - desta equipa. No apoio aos médios a defender e a construir, no passe curto e longo, nos centros com precisão e nos golos, que nesta altura por falta de confiança ou de sorte têm escasseado. Neste último jogo já se viu melhor articulação com o sueco, com uma assistência para golo. 

 

Com Coates, Bragança e St. Juste de fora, o onze inicial deverá ser muito próximo daquele contra o Gil Vicente, deixando Catamo no banco como "joker" para entrar com tudo mais tarde. Isto é:

Adán; Diomande, Inácio e Matheus Reis; Esgaio, Hjulmand, Morita e Nuno Santos; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

E é para ganhar. Obviamente.

 

PS: Quanto mais oiço o Conceição mais gosto de Amorim. Decididamente. 

SL

Amanhã à noite em Alvalade

Depois da jornada de Bérgamo vamos ficar por Portugal um par de meses, o que facilita muita coisa. Amanhã recebemos em Alvalade uma equipa sempre complicada, o Gil Vicente.

Se olharem para a última Ordem de Mérito que publiquei, depressa chegam à conclusão que o plantel "efectivo" do Sporting consiste em pouco mais de 17 jogadores, de Gyökeres (276) a St. Juste (101) que, apelando à sua polivalência, dão conta das necessidades do 3-4-3. Amanhã provavelmente entrarão em campo todos menos um, o que para mim quer dizer que estamos "no osso", e reforços são precisos.

Na baliza, Adán continua a dar garantias e não será agora que se irá encontrar alguém melhor. Esqueçam. Nem Israel nem Callai estão ao seu nível.

Na defesa por um lado é apenas uma questão de gerir a condição física de Coates e St. Juste. Diomande, Inácio e Matheus Reis estão lá para o que for preciso. Por outro, as alterações do trio e dos posicionamentos fatalmente trazem descoordenações que causam golos sofridos. 

Na ala direita, Catamo começa a ter movimentos que lembram Porro e combina muito bem com Edwards, enquanto Esgaio continua a desiludir. Mas para Catamo encaixar, obrigando ao defesa desse lado a concentrar-se para lhe tapar as costas, do outro lado o ala tem de ser mais contido e Nuno Santos fica de fora. Então é escolher entre Catamo + Matheus Reis e Esgaio + Nuno Santos. Rúben Amorim tem resolvido a questão com uma dupla substituição algures no segundo tempo. É o tal 3-4-3 assimétrico, pensado por Amorim para esta época, nalguns momentos 4-2-4 com a equipa a rodar para compensar o adiantamento do ala.

 

No meio reside o grande problema desta equipa. Nem Hjulmand nem Morita e muito menos Bragança se distinguem pelo porte físico e não conseguem render 90 minutos defendendo e atacando, nenhum deles é Palhinha, Matheus Nunes ou Ugarte, nem sequer João Mário do ponto de vista da resistência mesmo a "gasóleo".

Falta pelo menos um médio "feito", idealmente dois. Se não fosse a CAN, o adiantamento de Inácio resolvia muita coisa.

Se Dier voltasse resolvia também. Fala-se do Youssouf, do Famalicão: alto 1,82m e forte, alguém assim era muito bem-vindo, não esquecendo que ainda ontem Samuel Justo marcou o golo da vitória do Casa Pia e Mateus Fernandes tem estado muito bem no Estoril.

 

No ataque nunca estivemos tão bem. Edwards, Gyökeres, Pedro Gonçalves, mais Paulinho e Trincão (algum dia vai acordar) dão conta do recado.

Nos restantes do plantel principal não vejo de momento nenhum que possa acrescentar valor ou que não acrescente risco ao onze. Afonso Moreira será mais alternativa ao Nuno Santos do que a Trincão. 

Sendo assim, prevejo para amanhã o seguinte onze:

Adán; Diomande, Coates e Inácio; Catamo, Hjulmand, Morita e Matheus Reis; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

Será para entrar em campo e ganhar. Obviamente.

SL

Amanhã à tarde em Alvalade

Acabou o tempo das selecções e o tempo dos clubes está de volta. Tempo também de recuperação dos jogadores que partiram para lugares distantes para jogar muito ou pouco e de voltar a focalizar todos nos objectivos a alcançar.

Boa notícia é o regresso de Catamo após lesão. Boa notícia também é a moralização que Israel recebeu de Bielsa e da sua selecção. Interessante para mim é a ideia, pelos vistos ensaiada por Rúben Amorim no jogo treino com o Atlético, de Trincão alinhar a ala direito de pé trocado, assim a modos do que Cancelo faz na selecção. 

Eduardo Quaresma e Dário Essugo falharam as oportunidades que tiveram e não se vê ali capacidade para lutarem pela titularidade esta época. Devem seguir para empréstimo, o que faz todo o sentido. Apostar na formação é uma coisa, faz-se com tempo e com rendimento em campo. Não pôr em campo os melhores do momento para lutar pelas vitórias é outra coisa.

 

Partindo do princípio que eles estarão fora do onze inicial e que os seleccionados Inácio, Diomande, Morita, Hjulmand e Gyökeres também, prevejo que o mesmo seja o seguinte:

Israel; Neto, St.Juste e Matheus Reis; Esgaio, Bragança, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.  

Como este jogo da Taça de Portugal contra o Dumiense é às 18h num domingo cheio de sol, Alvalade vai abarrotar certamente com todos aqueles que protestam contra os horários tardios. Ou então não, se calhar vai correr uma brisa e não se podem constipar.

Já agora aproveito para referir à data de ontem a utilização dos jovens do Sporting próximos da equipa A que estão fora nesta época, temporária ou definitivamente:

      Jogos Golos Minutos   V.Venda
               
Sotiris Olimpiakos Emprestado c/OC 16 1 740    
Fatawu Leicester  Emprestado c/OC 13 1 752    
Tiago Tomás Wolfsburgo Vendido 13 3 642   8M€
Geny Catamo Sporting   13 2 518    
Samuel Justo Casa Pia Emprestado   13 0 507    
Renato Veiga Basileia Vendido 11 1 990   4,6M€
Mateus Fernandes Estoril Emprestado   11 0 600    
Jovane Cabral Salernitana Emprestado c/OC 10 2 681    
Flávio Názinho Cercle Brugge Emprestado 9   431    
Chermiti Everton Vendido 7 1 165   12,5M€
Tanlongo Copenhaga Emprestado c/OC 2 0 135    
Dário Essugo Sporting   2 0 91    
Gonçalo Esteves Sporting   1 0 90 Sporting B
Eduardo Quaresma Sporting   1 0 29    
               
            Total 25,1M€
               

 

Sair pode ser óptimo para voltar mais forte ou para dar retorno financeiro no momento e no futuro, este via direitos de formação. O pior de tudo é ficar a aquecer o banco...

SL

Mais logo na Luz

Já perdi a conta aos dérbis que vi a cores e ao vivo em Alvalade e na Luz, julgo que o primeiro terá sido em Alvalade e acabou com uma derrota por 3-5 no ano que ganhámos campeonato e taça.

Era um tempo em que não existiam claques entretidas com tochas e petardos nem exigentes da treta a desertar do apoio à equipa. Perder foi pretexto para cerrar os dentes e seguir para a glória. Que até podia ter sido ainda melhor se tivéssemos tido alguma sorte em Magdeburgo um ou dois dias antes do 25 de Abril.

Se fosse garantido que voltaríamos a ganhar campeonato e taça não me importaria de perder mais logo, mas como isso não existe, o que importa é mesmo vencer e deixar o rival a 6 pontos. Difícil mas nada de impossível, até porque a equipa tem todos os jogadores disponíveis, excepto Catamo, e tem titulares e suplentes rodados, todos capazes de mostrar bom rendimento.

Ao contrário das indefinições do treinador alemão do Benfica, no Sporting o modelo de jogo está mais que estabilizado, o onze-base também. Dúvidas existirão apenas na ala esquerda, entre alguém mais defensivo como Matheus Reis ou mais ofensivo como Nuno Santos.

 

Pelo que imagino que o Sporting entre em campo com:

Adán; Diomande, Coates e Inácio; Esgaio, Morita, Hjulmand e Matheus Reis; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

No banco de suplentes, St. Juste, Nuno Santos, Bragança, Paulinho e Trincão foram titulares na quint-feira e estão prontos para serem chamados a qualquer momento.

Então mais logo um grande jogo na Luz. Mais um em que irei lá estar, e é mesmo preciso gostar muito do Sporting para suportar o "transporte de gado" em que claques e polícia transformaram a entrada e saída dos adeptos forasteiro aos estádios.

SL

Amanhã à noite em Alvalade

O Sporting recebe amanhã os polacos do Raków, no penúltimo desta série de dois jogos por semana e três dias antes do dérbi.

Se vencer, o Sporting fica com a oportunidade de na visita à Atalanta aceder ao primeiro lugar do grupo. Com os jogadores certos no nosso onze, a Atalanta é uma equipa perfeitamente ao alcance do Sporting, como vimos em Alvalade.

Embora Rúben Amorim tenha procurado distribuir o esforço pelo plantel, as inevitáveis lesões começam a aparecer, temos Morita e Catamo no estaleiro, e alguns jogadores nucleares estão a acusar o peso dos jogos em terrenos pesados e difíceis que realizaram. 

Assim é essencial que alguns até agora menos utilizados se cheguem à frente e demonstrem a sua qualidade. Aconteceu isso com St. Juste, Neto, Trincão e Bragança, já não foi o caso com os mais novos Quaresma, Fresneda e Essugo. Muniz e Moreira vêm de lesões e recomeçaram agora a ter minutos na B. Rodrigo Ribeiro nem titular consegue ser naquela equipa.

Sobre Israel não são dois grandes remates não defendidos contra o Farense e um erro de julgamento na Polónia que me vão fazer mudar para já a opinião. Continuo a achar que é superior aos nossos últimos guarda-redes suplentes, como Virgínia, Max e mesmo (indo mais atrás) a Salin e Boeck. Tem presença física, tem escola, tem qualidade entre os postes, sai bem às bolas aéreas, por alguma coisa passou pela Juventus e é chamado agora à selecção uruguaia. O problema é que já vai com épocas a mais sem jogar regularmente como titular, com Adán não tem hipóteses para a titularidade, pelo que esta época será mais uma. E Callai segue o seu percurso. Já teve vários jogos na B em que foi o melhor em campo, no último jogo não conseguiu segurar a bola num remate frontal e a recarga deu golo. Vai lá chegar, mas se calhar ainda não é o seu momento.

 

Sendo assim, imagino que Amorim poupe Coates e um dos dois, Pedro Gonçalves ou Edwards, para o jogo de domingo, ou seja:

Israel; Inácio, Diomande e Matheus Reis; Esgaio, Daniel Bragança, Hjulmand e Nuno Santos; Trincão, Paulinho e Pedro Gonçalves.

É para ganhar, obviamente. Já aqui demonstrei que Rúben Amorim segue com um desempenho europeu superior aos seus antecessores no cargo nos últimos dez anos. Amanhã será mais uma ocasião para alargar a diferença.

SL

Amanhã à noite em Alvalade

Depois duma vitória concludente em Alvalade para a Taça da Liga, segue-se no mesmo estádio o Estrela da Amadora, último confronto antes da visita à Luz.

Rúben Amorim tem apostado em alargar o plantel. Os cinco jogos extra-Liga realizados deram oportunidades e minutos a muitos, uns aproveitaram melhor do que outros. Apenas Callai, Muniz e Ribeiro continuam sem calçar.

 

Na baliza, Adán dá garantias, Israel sofre pelo excesso de banco mas tem escola e qualidade, e Callai espera tranquilamente o momento de lançamento.

Na defesa, com o regresso de St.Juste (que as lesões sejam coisa do passado, porque é do melhor que por aqui passou) nunca estivemos tão bem. Com ele, Diomande, Coates, Inácio, Matheus Reis e Neto. Um luxo. Quaresma parece ser carta fora do baralho. Há quatro anos todos diriam que era melhor do que o Inácio, a maneira de ser dum e doutro fez a diferença. Muniz passou por uma lesão e está sem jogar.

Nas alas, Catamo veio resolver o problema da saída a jogar pela ala quando pressionados, coisa que Porro fazia muito bem, e que nem Esgaio nem Nuno Santos conseguem fazer. Fresneda, com os seus 19 anos, parece condenado a uma época de adaptação e aprendizagem, sem hipótese de titularidade. Matheus Reis cumpre na posição.

Na linha média, Hjulmand e Morita, este quando está bem fisicamente, o que com a selecção do Japão a dar cabo dele é complicado assegurar, dão conta do recado. Já Bragança está muitos furos abaixo nas tarefas defensivas, e já nem falo na incapacidade de rematar de primeira e marcar golos. Essugo, com 18 anos, não consegue ter rendimento quando chamado. Quem o viu nestes dois jogos não faz ideia do valor que está ali. Precisa de sair para jogar como fizeram Mateus Fernandes e Samuel Justo. Este é claramente o sector mais fraco da equipa, a precisar de reforço no mercado de Inverno, mas a subida no terreno de Inácio pode resolver muita coisa e evitar que Pedro Gonçalves saia do seu "sítio".

Nos interiores, com o "regresso" de Trincão, e com Pedro Gonçalves, Edwards, e o próprio Catamo, Paulinho também pode jogar ali, Moreira vem de lesão e está sem jogar mas merece novas oportunidades, temos mais um sector muito bem preenchido.

Nos pontas de lança temos o "abono de família" Gyökeres e o sempre esforçado, mas limitado em termos de instinto matador, Paulinho. Rodrigo Ribeiro continua o seu percurso na B sem deslumbrar nem "exigir" oportunidades na A.

 

Para amanhã parece-me que Amorim volta ao que considero melhor onze do momento, num 3-4-3 versátil e assimétrico pelos adiantamentos de Catamo e atenção defensiva do outro ala, para um futebol controlado e eficaz na conquista dos 3 pontos, mais próximo do que vimos no Bessa do que contra o Farense.

Ou seja,

Adán; Diomande, Coates e Inácio; Catamo, Hjulmand, Morita e Matheus Reis; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

SL

Logo à noite em Alvalade

Vamos ter mais logo um jogo muito interessante com aquele Farense que ainda há pouco vendeu cara a derrota no São Luís e que, tendo vencido na 1.ª jornada, tem aqui uma oportunidade de chegar à Final Four da Taça da Liga.

Vindo de dois desafios fora em relvados imprópios para consumo e com mais um jogo para a Liga já no domingo, Rúben Amorim deve alterar substancialmente o onze titular, fazendo descansar uns e dando minutos a outros, sem fugir do 3-4-3 assimétrico (com um dos alas mais adiantados e o interior desse lado mais perto do ponta de lança) do costume.

Fica então aqui o convite de tentarem adivinhar o onze inicial do Sporting mais logo.

A minha previsão é:

Israel; Neto, St.Juste e Inácio; Esgaio, Bragança, Hjulmand e Nuno Santos; Trincão, Gyökeres e Paulinho.

SL

Amanhã à noite em Alvalade

Mesmo com uma derrota que custou muito a digerir, mais uma vez vamos ter lotação esgotada ou perto disso em Alvalade na recepção ao Arouca, uma das maiores "bestas negras" do campeonato anterior. Foram cinco pontos perdidos à conta da equipa daquele senhor que levou com o bafo do nosso ex-presidente.

A derrota em Arouca, que ocorreu há um ano, a 8 de Outubro, logo a seguir à derrota em Marselha, é o melhor alerta para o que nos espera amanhã. Uma equipa forte fisicamente, bem fechada atrás, com jogadores altos e bons no jogo aéreo, convidando ao adiantamento dos jogadores contrários e depois esticando jogo em cavalgadas rápidas aproveitando todo o espaço disponível. 

Entrar em campo a atacar rápido em "piloto automático", e a centrar às cegas, o tal "futebol de matraquilhos" que alguns confundem com futebol ofensivo, pode dar muito mau resultado. Entrar em campo na moleza de deixar passar o tempo, circulando a bola dum lado para outro no campo, também. 

No meu entender é preciso pôr em prática o melhor futebol que vimos a espaços em Alvalade esta época. Trio ofensivo com um ponta de lança muito móvel que foge para as laterais arrastando marcações e abrindo espaços para as incursões de dois baixinhos como Pedro Gonçalves e Edwards, apoiado pelo par de médios bem avançado no terreno para tentar matar à nascença e sem falta negligente os contra-ataques adversários.

Quanto ao resto, no núcleo duro da equipa (Adán-Coates-Pedro Gonçalves-Gyökeres) não se mexe. Guarda-redes e trio defensivo dão garantias, Nuno Santos está com imensa vontade de apagar a sua triste exibição de quinta-feira e Esgaio assegura a ala direita sem cometer os disparates de Fresneda. Em alternativa, Matheus Reis e Catamo, com este muito mais ofensivo e a combinar com Edwards, coisa que tem feito até muito bem.

 

No banco, Matheus Reis, Bragança, Catamo e Paulinho dão soluções para diferentes problemas que possam ocorrer.

Concluindo, a minha equipa será:

Adán; Diomande, Coates e Inácio; Esgaio, Hjulmand, Morita e Nuno Santos; Edwards, Gyökeres e Pedro Gonçalves.

E só tenho de repetir o meu voto.

Toda a confiança em Amorim, toda a confiança na equipa, uma noite fantástica em Alvalade, um inferno verde no bom sentido, uma grande vitória no final.

 

PS: Pior do que o seleccionador para menosprezar jogadores do Sporting só mesmo alguns sportinguistas...

SL

Amanhã à tarde em Alvalade

Mais uma vez vamos ter lotação esgotada em Alvalade na recepção ao Atalanta de Bérgamo, linda cidade nos arredores de Milão com um aeroporto muito funcional, para onde voei no ano passado e para onde não me importaria de voltar no final de Novembro.

Com excepção do empate na visita ao Sp.Braga, explicado apenas por um livre muito bem marcado pela equipa da casa já no final do encontro, o Sporting conta por vitórias os jogos efectuados, demonstrando sobejamente estofo de campeão, feito de disciplina, humildade, espírito de equipa, esforço de todos e talento dum ou doutro. Com um presidente que sabe qual é o seu lugar e não complica o lugar dos outros, um treinador trabalhador e muito inteligente e um capitão que lidera pelo exemplo de profissional e de homem.

Claro que tudo isto, numa determinada tasca mantida por um integrante duma candidatura arrasada nas urnas nas últimas eleições, se transforma em azia e desprezo. Qualquer vitória sofrida é motivo para um apontar de culpados, entre o "gayola" Varandas, o "rabolho" e burro Amorim, o reformado Adán, o coxo Coates, o inútil "esgalho", o 23M "zerinho", e assim por diante. Entretanto deixaram de pagar quotas e ir ao estádio. Voltarão apenas quando algum clone do seu ex-grande timoneiro tomar conta do clube. Letais ao Sporting.

 

Pois amanhã é mesmo para ganhar. Perante uma boa equipa italiana que joga e deixa jogar, com a experiência adquirida nos jogos de pré-época com as equipas espanholas, mas mantendo a ideia de gestão do plantel para que o desempenho na Liga não seja afectado, ou seja, fazendo descansar alguns jogadores com mais dificuldade em jogar dois jogos por semana a ritmo elevado.

Com Coates lesionado, imagino que o onze seja muito semelhante ao que actuou na Aústria:

Adán; Diomande, Inácio e Matheus Reis; Esgaio, Hjulmand, Bragança e Nuno Santos; Trincão, Gyokeres e Pedro Gonçalves.

Toda a confiança em Amorim, toda a confiança na equipa, uma tarde fantástica em Alvalade, um inferno verde no bom sentido, uma grande vitória no final.

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez fora de Alvalade acompanhando o jogo pela TV no meio de Sportinguistas como eu.

Não vale a pena falar agora da Champions ou da Liga Europa, o foco tem de estar mesmo em Alvalade e no jogo com o V. Guimarães.

Em Arouca perdemos o jogo por erros grosseiros na defesa e no ataque. Se Esgaio comprometeu resultados anteriores a defender, em Arouca Nuno Santos e outros comprometeram o resultado a atacar, e esta temporada tem tido muito disso, erros atrás de erros que comprometem resultados, mais os árbitros a enterrar e a sorte a não ajudar. Mas a última coisa que podemos fazer é andar no "tiro ao boneco" a quem falha no terreno de jogo.

Perdemos também por não entrarmos com os melhores no início. Porque estando a perder já na segunda parte, os melhores entraram numa pressão enorme que nada favorece. Rendiam muito mais no início do jogo. Hoje importa entrar com tudo e marcar depressa. Porque depois tudo se torna mais fácil.

Neste carrocel de lesões já nem sei bem quem estará em condições para o onze inicial, Nuno Santos talvez não, Ugarte e Morita talvez sim, St. Juste e Paulinho parece que também, se calhar é tempo para um ponto final do exílio do melhor goleador do Sporting no meio-campo.

E de entrarmos em campo com aquele que entendo o melhor onze do Sporting:

Adán; St.Juste, Coates e Inácio; Porro, Ugarte, Morita e Matheus Reis; Edwards ou Trincão, Paulinho e Pedro Gonçalves.

Não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe. Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... no sofá, em frente à TV.

É sem dois jogadores fundamentais, Porro e Coates, que o Sporting vai entrar mais logo no Vélodrome, um estádio moderno e funcional sem grandes adornos, onde estive para ver Portugal derrotar a Polónia de Lewandovski nos penáltis na campanha que nos levou ao título europeu, com o Renato Sanches a marcar um golaço na baliza em frente à superior onde estava.

Duas equipas que vêm de percursos diferentes: o Marselha muito bem na Liga e muito mal na Champions, o Sporting o inverso. Jogadores muito experientes do lado do Marselha, muita juventude do lado do Sporting, vamos ver como é que as equipas se encaixam.

A fórmula a utilizar pelo Sporting deve ser a mesma de Frankfurt: defesa baixa, construção desde o guarda-redes para atrair adversários e libertar espaço no meio-campo para o ataque móvel funcionar em pleno.

Com St.Juste recuperado, o onze do Sporting deverá ser o seguinte, e digo isto sem prestar atenção aos jornais de hoje:

Adán; St.Juste, Inácio e Matheus Reis; Esgaio, Morita, Ugarte e Nuno Santos; Trincão, Edwards e Pedro Gonçalves.

No banco, entre outros, Marsà para a defesa, Sotiris para a linha média, Arthur Gomes, Paulinho e Rochinha para o ataque

Quantos destes tem experiência de Champions? Talvez 50%.

É suficiente para levarmos de vencida o Marselha e somarmos mais 3 pontos e quase 3M€? Não sei, mas é o que temos, não há mais no plantel, estamos mesmo "no osso". E sendo assim é preciso mesmo sorte para que o osso não se parta...

De qualquer forma, toda a confiança em Amorim e toda a fé no nosso Sporting!

SL

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D