Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Solidariedade, um dever!

Ajudar e ser solidário, é um dever que está inscrito no ADN sportinguista.

Nos últimos dias testemunhei 2 casos que justificam um nosso gesto.

O Mateus, bravo sportinguista de 10 anos, com um gravissimo problema de alergias, não pede para ele mas sim a ajuda possível para os Bombeiros da Lourinhã construirem um heliporto, que pode salvar vidas incluindo a dele (o apelo no Facebook https://fb.watch/7vzkHoUOl2/ e alguns videos do programa da TVI sobre o Mateus: https://tvi.iol.pt/goucha/videos?&pagina=3). Quem puder e quiser contribuir, nem que seja com 1€ pode fazê-lo por transferência, para o IBAN: PT50004551904023179348119 -Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Lourinhã (para recibo de donativo, enviar mail com Nome, Morada e NIF para secretaria@bvlourinha.com). 

O outro caso é o de um sportinguista do Fundão a quem foi diagnosticado Esclerose Lateral Amiotrófica, e cujo Núcleo está a organizar um sorteio para o ajudar. Quem contribuir para o Ângelo pode comprar as rifas junto do Núcleo Sporting do Fundão.

Rifas_SCPfundão.jpg

ou fazer transferência para a Conta Solidária: PT50004540204034245768003 - Ângelo Querido
MB Way: 925264770
Facebookwww.facebook.com/JUNTOSPELOANGELO/
Instagram: https://instagram.com/juntospeloangelo

Faz agora um ano

image.png

 

Faz agora um ano, a Jumentude andava a espalhar tarjas pelas auto-estradas e vias rápidas deste país contra a Direcção leonina e acusava publicamente o próprio clube de ser "caloteiro". Numa tentativa deliberada de destruição do Sporting.

«Está à vista de todos que estes órgãos sociais não têm as mínimas condições para continuar a liderar o Sporting Clube de Portugal. Façam um favor ao Sporting e demitam-se, sejam democráticos e dêem palavra aos verdadeiros donos do clube, os sócios.» Pérolas como estas eram escritas, dia após dia, nas redes sociais. E logo uns palermas tratavam de repeti-las um pouco por toda a parte. Sem perceberem que estavam a ser instrumentalizados por uma clique que mais não ambicionava senão assaltar o poder. Ela sim, pondo em causa a vontade dos sócios. Ela sim, derespeitando as instituições legítimas mandatadas pelo voto democrático menos de dois anos antes.

Vergonhosamente, alguns núcleos do Sporting entravam na dança e acusavam também publicamente a Direcção de práticas ilícitas. Em sintonia com os jumentos, urravam: «Acorda Sporting.»

Como milito contra a amnésia, aqui recordo alguns desses núcleos movidos pelo ódio a Frederico Varandas: Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Barcelos, Quinta do Conde e Batalha. Na altura, escrevi aqui: «É um comportamento execrável, como nunca vi. Espero que os sócios desses núcleos recusem ser cúmplices desta atitude vergonhosa de quem ainda os dirige.» Reitero hoje tudo quanto escrevi.

Nunca vi qualquer destes sujeitos, tanto da claque como dos núcleos, fazer mea culpa. Isto significa que o inimigo continua dentro de portas, à espera do menor pretexto para voltar à carga. Não tenhamos ilusões.

Mértola não é o reino da Dinamarca mas...

A6B29663-0B03-40BC-96DD-6C420E356CF4.jpeg

 

Mértola e o Sporting estão mais pobres depois da decisão do núcleo sportinguista local ter suspendido a atividade. Não se lê o porquê mas pressupõe-se que não é por qualquer trivialidade. 

Depois da escolha de um responsável pelos núcleos que nunca saiu de Lisboa (apenas para ir diretamente para o Largo do Caldas), Varandas debate-se com a contestação de 18 núcleos ligados ao movimento  "Acorda Sporting" e agora também com a suspensão formal de atividade, como é o caso do núcleo de Mértola. 

Da margem do Guadiana não diremos, como Shakespeare em Hamlet, «algo vai mal no reino da Dinamarca», mas Mértola sente que algo não está bem no Sporting. E somos já muitos que acompanham Mértola nesta constatação. Ou seja, não há ninguém que não sinta que estamos divididos, fracos e sem esperança. Por este caminho não vamos lá, não vamos ser, de novo, gente feliz com lágrimas.

Voltando a Hamlet, o desafio que se coloca a todos nós é, e cito o famoso poeta inglês,  

"ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre
Em nosso espírito sofrer pedras e flechas
Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,
Ou insurgir-nos contra um mar de provocações
E em luta pôr-lhes fim?"

 

Ser!

Anda tudo doido?

20949412_h9a2i[1].jpg

Da capa do jornal A Bola, 27 de Março de 2018

 

1

Como se já não bastasse vermos a Jumentude Leonina transformada em Cobradora de Fraque ao serviço de supostos credores do Sporting Clube de Portugal (acusando o clube de ser «caloteiro», o que deve ter dado imenso gozo ao trolha minhoto), agora até os núcleos entram na dança e começam a disparar para dentro, fazendo coro com empresários, empresas privadas e emblemas rivais do Sporting reclamando pagamentos que em vários casos estão a ser contestados pelo nosso Clube em tribunal. Mas para os núcleos, espantosamente, nem é preciso um veredicto de nenhum juiz: já concluíram que a SAD leonina é culpada.

Segundo leio hoje no Record, os núcleos do Sporting de Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Barcelos, Quinta do Conde e Batalha publicaram «nas respectivas páginas das redes sociais», sob o título "AcordaSporting" (que coincide com a palavra de ordem mais recente da Jumentude), a seguinte frase: «É triste saber que isto é a realidade do Sporting Clube de Portugal. Belenenses SAD: "Sporting ainda não pagou Eduardo"; Sampdoria: "Ainda não pagaram os 10% do Bruno Fernandes"; SC Braga: "Ainda não pagaram a cláusula do Rúben Amorim"; Slovan Bratislava: "Ainda não pagaram Sporar".»

Parece que anda tudo doido. Vemos, assim, núcleos leoninos assumirem-se como paquetes ao serviço da Sampdória, do Bratislava, do Belenenses SAD (difícil descer mais baixo...) e até do Braga, clube liderado por um indivíduo que alimenta um ódio patológico ao Sporting. E que é tão idóneo, em matéria de contas, que consegue estar na mira simultânea da Autoridade Tributária e do Ministério Público.

 

2

Como ontem aqui escrevi, as acusações de falta de pagamento feitas ao Sporting por clubes rivais são recorrentes, vêm de longe e têm particular impacto nesta altura do ano, em que o defeso (agora acrescido da pandemia) impõe severas restrições aos temas a abordar nas colunas jornalísticas.

Ao contrário do que alguns palermas imaginam, nada disto começou no consulado de Varandas. Ainda hoje,  a imprensa faz eco das reclamações de uma empresa denominada Football Capital, S. A., que reclama mais de 600 mil euros, acrescidos de juros, por um suposto pagamento que o Sporting lhe deverá no âmbito da transferência de Piccini para Alvalade, em Maio de 2017.

 

3

Os núcleos de Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Barcelos, Quinta do Conde e Batalha, que andam tão preocupados com dívidas, perderam uma excelente oportunidade para reclamar. Não junto do Sporting, partindo do princípio que ainda têm juba de leão em vez de penas de águia ou escamas de dragão, mas junto de clubes que nos devem dinheiro.

Refiro-me, por exemplo, ao Atlético de Madrid - que tem atrasado o pagamento a que se comprometeu por Gelson Martins. Ou ao Valência - que continua sem honrar o compromisso assumido perante o Sporting relativamente a Thierry Correia. Ou aos brasileiros do Sport Recife, que três anos e meio depois ainda não nos pagaram 1,2 milhões pela contratação de André. Ou ao Zamalek, do Egipto, que cinco anos depois ainda nos deve meio milhão de euros pelo anedótico Shikabala.

 

4

Os tais núcleos não protestam com nada disto. Parecem ao serviço dos inimigos do Sporting, em vez de demonstrarem apoio ao Clube.

É um comportamento execrável, como nunca vi. Espero que os sócios desses núcleos recusem ser cúmplices desta atitude vergonhosa de quem ainda os dirige.

A voz da leitora

«Imensa pena de que membros de claques tenham acesso privilegiado a bilhetes para jogos fora de casa, em detrimento dos sócios que residem nessa área geográfica. Sendo especialmente difícil de aceitar, quando nem a pertença a um dos Núcleos da região garante acesso a ingressos para jogos acontecidos na mesma. É mais fácil ter acesso a ingressos se formos membros de uma claque do que se formos sócios do Sporting Clube de Portugal e de um Núcleo do Sporting Clube de Portugal.»

 

CAL, neste meu texto

Suar a camisola

 

IMG-20190915-WA0021.jpg

 

Estreia da equipa de corrida do Núcleo de Matosinhos do Sporting Clube de Portugal, 15 de Setembro de 2019, Corrida do Porto de Leixões. Grandes núcleos tem o nosso clube no norte do país. Matosinhos, dos mais novos, é já dos mais dinâmicos, a promover o sportinguismo e o desporto, suando a camisola. À noite, lá estaremos no Bessa...

 

Rever os estatutos - I

Os estatutos do Sporting Clube de Portugal e regulamentos de funcionamento da Assembleia-Geral carecem de revisão urgente, sob pena de continuarmos, em pleno séc. XXI, presos algures no séc. XX.

Questões processuais menores como aprovação da acta da AG anterior, precisam ficar resolvidas sem estarem sujeitas à interpretação pessoal do PMAG, mas também não serem passíveis de servirem como ferramenta de quem tentar boicotar o normal funcionamento, que deve correr de forma célere.

Nas A.G. eleitorais, onde não existe debate prévio à votação, o esclarecimento decorreu em campanha anterior, faz sentido introduzir o voto electrónico, garantidas que estejam as necessárias medidas de segurança, para evitar qualquer possível tentativa de fraude. Existe hoje tecnologia que o permite fazer.

Na A.G. ordinária, onde se discute e aprova orçamentos e contas do clube, não faz qualquer sentido o voto electrónico, mas também não é imperioso forçar uma ida dos sócios a Lisboa. Pelo menos aos sócios que estejam em Portugal. Será possível encontrar alguns núcleos com condições e que o queiram fazer, onde seja disponibilizada a transmissão em directo da A.G., obviamente que certificando que esses núcleos aderentes, no decorrer da mesma, apenas permitam a presença de sócios do clube, maiores de idade e com as quotas em dia. Será facílimo fazer deslocar a cada um desses locais funcionários do clube para creditarem presenças e contarem os votos obtidos. Diria que 6 a 8 locais (núcleos), incluindo os arquipélagos dos Açores e Madeira, tornariam possível um aumento da proximidade entre clube e sócios. Eventualmente a prazo até conquistaríamos novos adeptos para se fazerem sócios, encurtando distâncias entre o Sporting e sportinguistas.  

Muito bem!

Os Sportinguistas fora de Lisboa e que pagam quota de associados dos Núcleos agradecem a atenção.

 

Tecnologia em estreia no Jogo dos Núcleos

O Sporting Clube de Portugal acaba de lançar uma plataforma online de bilhética exclusiva para os Núcleos do Sporting CP e que, de acordo com Francisco Rodrigues dos Santos, vogal do Conselho Directivo - Expansão e Núcleos, vai “transportar os Núcleos do SCP para a era digital”.

De acordo com o responsável, “a plataforma online de bilhética destinada aos Núcleos do SCP permite-lhes adquirir bilhetes para os jogos no Estádio José Alvalade e no Pavilhão João Rocha, de acordo com a tabela de preços específica para os Núcleos do Sporting CP, através de um portal na internet, de forma célere, descomplicada e acessível.”

Esta tecnologia vem revolucionar a forma como os Núcleos do SCP compram os bilhetes, uma vez que basta entrar na plataforma, seleccionar um lugar na bancada, escolher a forma de pagamento e gravar o documento que contém o ingresso e que permitirá a entrada no Estádio ou no Pavilhão.  

Retirado daqui.

Entretanto, em Maputo

Maputo.jpg

(Vivi 18 anos em Moçambique. Lá acamaradei - sim, não é preciso estar na tropa para "acamaradar" - no Núcleo do Sporting de Maputo, cheio de boa gente, belos convívios. E até inter-clubístico, dado que era - não sei se ainda é - o único núcleo de adeptos de clubes portugueses com instalações próprias. E, como tal, volta e meia tínhamos visitas, benfiquistas, portistas e não só, portugueses e moçambicanos, para ver jogos internacionais ou até derbis. Como deve ser ...

Nos últimos tempos a página-FB do Núcleo de Maputo tornou-se um frenético local de propaganda pró-Bruno de Carvalho e de agressão aos seus opositores. Hoje, tendo deixado terminar o processo de consulta sobre a proposta de revogação, enviei esta mensagem para publicação nessa página-FB do Núcleo. Horas passaram sem ter resposta. Agora, depois dos responsáveis da página a terem actualizado com a colocação de nove outras publicações, compreendo que não a divulgarão. Como tal deixo aqui a mensagem. Pode ser que chegue a Maputo).

nucleo.jpg

 (jpt, eu-mesmo, com o leão do Núcleo do Sporting de Maputo, foto com um bom "par de anos", noto-o)

 
Sou bloguista (no "És a Nossa Fé") e compreendo o ímpeto de publicarmos as nossas posições sobre a vida do clube, pois tanto o faço. Esperei até ao fim deste processo de votação sobre a "revogação do Conselho Directivo" para escrever isto nesta página. Fui assíduo no Núcleo (do Sporting Clube de Portugal em Maputo) nas duas décadas que vivi em Maputo, e acarinho essa memória. Fui aí de férias o ano passado, e logo me congratulei com as novas instalações, que visitei e onde assisti a jogos, em confraternização. Reclamo-me ainda "do Núcleo", por simpatia, por clubismo, ainda que 3 anos tenham passado desde que parti.
 
Recordo a descrição desta página-FB: "Sempre Unidos. O único ponto de encontro oficial para Sportinguistas em Maputo. O local para apoiar e confraternizar, de todos os Sportinguistas que estejam em Maputo e queiram sentir-se mais próximo do seu Clube."
 
Por tudo isto muito lamento, à distância, que esta página tenha servido para tomar partido no debate interno que ocorreu. Assumindo o apoio a uma das opiniões. De forma unilateral. Independentemente dela ter sido minoritária ou maioritária. É uma contradição, avessa ao que é a vida associativa e ao que é a expressão associativa.
 
Para quem, por mero desconhecimento do que é o "associativismo", consiga discordar desta opinião faço notar que até um vil comentário apelando ao assassinato de um sócio (mesmo que jocoso, caramba, mostra a boçal mentalidade de quem o coloca - é isto um sportinguista?) é deixado nesta página destinada a que os "Sportinguistas" possam "confraternizar ... mais próximo do seu Clube".
 
Espero que terminado este momento doloroso da história do Sporting todos nós nos possamos apaziguar, vivendo o associativismo, o clubismo. Aprendendo a viver o associativismo, aqueles que não o sabem. E espero também que a direcção do Núcleo do Sporting em Maputo e/ou os administradores desta página-FB o possam fazer. Aprender. Que é a forma de ser Sporting. Não o é essa, a que escolheram nos últimos tempos.
 
Votos dos melhores sucessos. Saudações Leoninas.
 

Sportinguistas de Aljezur

Realiza-se dia 11 de Fevereiro, um sábado, um grande almoço de confraternização verde e branco em Aljezur.

Todos os Sportinguistas que queiram participar têm à disposição o contacto que aqui partilho.

Um dos objectivos deste encontro é a fundação do Núcleo do Sporting em Aljezur.

Algarvios da zona, aproveitem e façam parte da história do nosso clube, ajudando a fundar mais um núcleo, o nono na zona do Algarve, engrandecendo desta forma o nosso clube.

16244344_1335178863169962_1167736517_n.jpg

 

Uma sede linda

 

Imaginem-se a dar um passeio pelo concelho de Sintra, concretamente pela Várzea, Magoito, Nafarros, Azenhas do Mar, Praia das Maçãs, Colares. De repente, a caminho da Praia da Adraga, ao atravessarem Almoçageme, deparam-se com um núcleo sportinguista. É verdade, ali mesmo em Almoçageme, com a sede num edifício lindo e com dois leões como guardiões. A nossa saudação ao Núcleo Sportinguista de Almoçageme.

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D