Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Ambição de campeão

Apaixonado pelo Sporting que sou, é com profundo orgulho que começo hoje a dar o meu modesto contributo para este blog de referência no mundo leonino. E com enorme gratidão pelo convite, claro.

Além da paixão verde-e-branca, e de uma inabalável confiança e sede de troféus, trago alguma experiência - de jornalismo, de Governo e de gestão.

O Sporting Clube de Portugal, naquilo que é a sua história incomparável no desporto em Portugal - que vai desde troféus europeus no futebol a ouro olímpico na maratona - está, para mim, sempre em primeiro lugar. Acima deste ou daquele indivíduo ou grupo. Se aqueles que o dirigem não se considerarem maiores do que esta Instituição, terão o meu apoio, mesmo nos momentos difíceis. Quando/se acharem maiores do que o Sporting, se confundirem com ele, ou simplesmente se aproveitarem dele, terão a minha oposição feroz.

Não podem esperar de mim a fulanização, o ataque pessoal, a descrença. Somos um clube com valores diferentes e temos de lutar por eles todos os dias, todos os minutos e segundos que estamos em campo. 

Vivemos uma fase desafiante, sim. Mas alguma vez houve fases fáceis, num país onde os nossos principais rivais têm um longo historial de manobrar as instituições e as regras a seu favor? A semântica não será o forte de LF Vieira, mas há dias gabava-se da "hegemonia" do seu clube no futebol português...

É importante sermos exigentes dentro de casa, e temos muito trabalho a fazer. Mas não nos podemos distrair de estar absolutamente vigilantes e actuantes em relação a tudo o que se passa à nossa volta. E não é preciso ir muito mais longe do que a última jornada para o demonstrar: três penáltis contra o SCP; uma expulsão absurda a favor do FCP no 1.º minuto de jogo; um Braga (os "guerreiros"...) apático contra o SLB, a marcar dois golos na  própria baliza.

E é isso que mais me preocupa no SCP de Frederico Varandas. Quero ver mais vigilância em relação aos nossos rivais e mais vontade de ganhar. Na entrevista de há dias, queria ter ouvido um plano para chegar ao título nacional - esta época ou, o mais tardar, na próxima. Queria ter ouvido várias vezes a palavra "campeão". Ou "campeonato". Em vez disso, ouvi muitas justificações, às vezes com uma truculência algo excessiva. Demasiado "olhar para dentro" e pouco olhar para fora. Podemos ter a melhor formação e a melhor equipa do campeonato. Mas nunca ganharemos nada enquanto o Sr. Vieira ajudar a compor os orçamentos de um terço (ou mais...) dos clubes da 1.ª Liga, comprando jogadores para depois despachar. Como, aliás, se entreteve a fazer nos últimos meses. É preciso falar sobre isto. Contra isto. 

Nada de masoquismos. Nada de carneirismos. Nada de choradinhos. Zero de dramatismos. Tudo pelo SCP.

SL

Goleada

Nos últimos cinco dias, registámos mais de 55 mil visualizações no És a Nossa Fé. Concretamente, 57.972 visualizações.

Uma goleada, portanto. Sempre em transição ofensiva, como gostam de dizer os doutores da bola.

Entre os mais comentados

 

Nos 22 destaques feitos pelo Sapo em Agosto para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 22 menções. Fazendo assim o pleno, pelo terceiro mês consecutivo.

Além disso, figurámos  21 vezes no pódio  dos mais comentados - com doze "medalhas de ouro" (em mais de metade dos dias), seis de "prata" e três de "bronze".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 22 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

Cinco Violinos (46 comentários, terceiro mais comentado do dia)

As gloriosas capas do jornal "A Bola" (18) (48 comentários, o mais comentado do dia)

Que equipa para amanhã? (60 comentários, segundo mais comentado do dia)

Segunda e última (132 comentários, segundo mais comentado)

Mais um (54 comentários, segundo mais comentado)

Estou preocupado (158 comentários, o mais comentado do dia)

Keizer quer dois reforços (132 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes do jogo (140 comentários, o mais comentado do dia)

Rescaldo do jogo de ontem (40 comentários)

O que faz falta? (178 comentários, o mais comentado do dia)

Varandas preocupado (64 comentários, o mais comentado do dia)

Tatuagens & penteados (48 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes do jogo (152 comentários, o mais comentado do dia)

Keizer, rua - II (44 comentários, terceiro mais comentado do dia)

Não falam uns com os outros? (64 comentários, segundo mais comentado)

De comunicado em comunicado (92 comentários, segundo mais comentado)

Os escarros dos papagaios (144 comentários, o mais comentado do dia)

Continuam as poupanças (102 comentários, o mais comentado do dia)

Incompreensível (74 comentários, o mais comentado do dia)

Os hipócritas (78 comentários, o mais comentado do dia)

Avisem-me, por favor (48 comentários, terceiro mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (80 comentários, segundo mais comentado)

 

Com um total de 1978 comentários nestes postais. Da autoria do António de Almeida e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Habituem-se

Nos últimos dez dias, És a Nossa Fé registou 61.075 visualizações. À média, portanto, de 6.107 visualizações diárias, confirmando este nosso/vosso projecto como um dos mais influentes, dinâmicos e participados da blogosfera leonina.

Tenho a convicção profunda - que já transmiti a alguém ligado à estrutura directiva leonina - de que este excelente índice de audiência não irá baixar, muito pelo contrário. Como diria alguém, noutra época e noutro contexto, «habituem-se».

Doa a quem doer

Só nos últimos três dias, És a Nossa Fé registou 31.976 visualizações. Acima de dez mil visualizações diárias, portanto.

Prova inequívoca - mais uma - do reiterado interesse que os nossos textos merecem junto da massa adepta leonina. Quem nos lê, bem sabe que aqui a liberdade de expressão não se apregoa: pratica-se. Todos os dias do ano, no auge da época desportiva ou no defeso, chova ou faça sol. Sejam quais forem os presidentes, os treinadores, os jogadores.

Sempre em defesa dos interesses e dos valores do Sporting. Criticando o que houver que criticar, incomodando quem tiver de ser incomodado, doa a quem doer.

Soma e segue

És a Nossa Fé soma e segue, mesmo em período de defeso: no último mês, foram registadas mais de 130 mil visualizações no nosso blogue. 132.252 visualizações, para ser mais específico.

Em nome de todo o plantel aqui reunido neste oitavo ano de existência de um projecto tornado realidade só para servir os interesses permanentes do Sporting, agradeço o interesse e a confiança que tantos leitores continuam a mostrar por nós.

Entre os mais comentados

Nos 23 destaques feitos pelo Sapo em Julho para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 23 menções. Fazendo assim o pleno, uma vez mais.

Além disso, figurámos 18 vezes no pódio dos mais comentados - com seis "medalhas de ouro", oito de "prata" e quatro de "bronze".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 23 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

Hoje é dia de aprovarmos o orçamento do clube (107 comentários, o mais comentado do dia)

Só faltam cinco dias (44 comentários, terceiro mais comentado do dia)

Porque vou votar favoravelmente as expulsões (102 comentários, o mais comentado do dia)

"Megracraques" do antigamente (138 comentários, o mais comentado do dia)

Reflexões para 6 de Julho (42 comentários, terceiro mais comentado)

Não aguenta um cara-a-cara (78 comentários, segundo mais comentado)

Seis notas breves (26 comentários)

Letais ao Sporting (68 comentários, segundo mais comentado)

As gloriosas capas do jornal "A Bola" (28 comentários)

Entrevista a Miguel Cal (72 comentários, segundo mais comentado)

Rever os Estatutos - I (41 comentários)

Um pontapé em Domingos Duarte (82 comentários, o mais comentado do dia)

Fazem falta mais extremos no Sporting? (82 comentários, o mais comentado do dia)

A proposta (26 comentários)

Os imbecis (46 comentários, segundo mais comentado)

Três perguntas (54 comentários, segundo mais comentado)

Para a nova temporada (30 comentários)

E de repente (56 comentários, o mais comentado do dia)

Bas Dost e Slimani (54 comentários, segundo mais comentado)

Os destaques: Bruno, Wendel, Mathieu (40 comentários, segundo mais comentado)

As gloriosas capas do jornal "A Bola" (17) (46 comentários, terceiro mais comentado)

Um plantel do presente ou do futuro? (45 comentários, terceiro mais comentado)

As lágrimas (44 comentários, segundo mais comentado)

 

Com um total de 1451 comentários nestes postais. Da autoria do António de Almeida, do Francisco Melo, do Luís Lisboa e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Para a nova temporada

Como sabemos, o És a Nossa Fé é um dos endereços mais visitados e comentados na blogosfera leonina. 

Acontece que alguns dos visitantes ainda não aprenderam normas essenciais de comportamento para quem frequenta casas alheias.

Deixo por isso aqui explícitas duas regras que irei adoptar sem quebras no que se refere a comentários. A partir de agora não aprovarei nenhum comentário que contenha referências injuriosas a terceiros, sejam do Sporting ou não.

Também eliminarei de imediato qualquer comentário que adultere o nome do Sporting, dos seus dirigentes, técnicos e atletas.

Finalmente, serão devolvidos à procedência todos os comentários subscritos por adeptos de outros clubes em questões que apenas dizem respeito aos sportinguistas.

Tudo claro e transparente, para que não restem dúvidas.

Resta acrescentar que estes princípios, naturalmente, só me vinculam a mim. Os colegas de blogue procederão como entenderem.

Entre os mais comentados

Nos 20 destaques feitos pelo Sapo em Junho para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 20 menções. Fazendo assim o pleno, uma vez mais.

Além disso, figurámos 13 vezes no pódio dos mais comentados - com cinco "medalhas de ouro" e oito de "prata".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 20 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

Alguém que entende o futebol português (41 comentários, segundo mais comentado do dia)

Descubra as diferenças (30 comentários)

Tribunal de Alvalade (2) (45 comentários, o mais comentado do dia)

Toca a despachar (36 comentários)

Maxi-Ronaldo entre os pigmeus (54 comentários)

Lennart Johansson e as alterações climáticas (32 comentários)

Mérito, talento e competência (48 comentários, segundo mais comentado)

Eusébio e Ronaldo (58 comentários, segundo mais comentado)

Contagem decrescente (24 comentários)

Onde andará ela? (38 comentários, o mais comentado do dia)

Hoje, às 14 horas e 20 minutos (80 comentários, o mais comentado do dia)

Parabéns, campeões europeus de futsal (52 comentários, segundo mais comentado)

Formação e auto-estima (52 comentários, segundo mais comentado)

Das reticências aos pontos de exclamação (44 comentários, segundo mais comentado)

RonRon, NáNá (como jogar e comentar futsal) (43 comentários, segundo mais comentado)

O nosso dia da libertação foi há exactamente um ano... (121 comentários, o mais comentado do dia)

Nada mais útil (32 comentários)

Porta giratória (60 comentários)

Dragão sem Bruma (66 comentários, o mais comentado do dia)

Parabéns ao vencedor (58 comentários, segundo mais comentado)

 

Com um total de 954 comentários nestes postais. Da autoria do Pedro Oliveira, do Edmundo Gonçalves, do Luís Lisboa, do António de Almeida e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Sempre

Às vezes perguntam-me qual é o segredo para o sucesso duradouro deste blogue, que desde Janeiro de 2012 se tornou uma realidade incontornável, não apenas entre os adeptos do Sporting mas para quem gosta de futebol de maneira geral. Sucesso que os números confirmam: no último ano registámos mais de dois milhões de visualizações.

 

Respondo: é escrever sempre. Não aparecer apenas quando a situação é festiva ou quando há uma crise muito grave no clube. O segredo é estar presente - nas rotinas, no ritmo quotidiano, nos dias aparentemente sem notícias, nas horas boas como nas horas más.

 

Amar o Sporting é isto também.

Entre os mais comentados

Nos 23 destaques feitos pelo Sapo em Maio para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 22 menções. 

Mais ainda: figurámos 21 vezes no pódio dos mais comentados - com oito "medalhas de ouro", 11 de "prata" e duas de "bronze".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 22 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

Órfãos, viúvas e agora pândegos (39 comentários, segundo mais comentado do dia)

Já igualou (46 comentários, segundo mais comentado)

As gloriosas capas do jornal A Bola (4) (52 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (56 comentários, segundo mais comentado)

Keizer e os jogadores (46 comentários, o mais comentado do dia)

Ressabiadas e letais (32 comentários, terceiro mais comentado do dia)

Quem são os três melhores? (86 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes do jogo (60 comentários, o mais comentado do dia)

Pérolas de Joaquim Rita (38) (40 comentários, segundo mais comentado)

Eles (62 comentários, segundo mais comentado)

Tolerância zero (92 comentários, o mais comentado do dia)

Pergunta aos leitores (62 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes do jogo (80 comentários, o mais comentado do dia)

A diferença entre o Sporting e os clubes do sistema (40 comentários, terceiro mais comentado)

Boas notícias (67 comentários, segundo mais comentado)

Políticas (22 comentários)

Prognósticos antes da Taça (106 comentários, o mais comentado do dia)

A melhor época desde 2002 (60 comentários, o mais comentado do dia)

Esta Taça também é tua, Nani (42 comentários, segundo mais comentado)

Cada vez mais ressabiadas (46 comentários, segundo mais comentado)

Está no Governo a fazer o quê? (46 comentários, segundo mais comentado)

O mesmo (52 comentários, segundo mais comentado)

 

Com um total de 1137 comentários nestes postais. Da autoria do António de Almeida, do Edmundo Gonçalves, do Filipe Moura, do Luciano Amaral e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Para o ano é que é!

98_jose_alvalade.jpg

(Contrariamente ao que sempre aqui fiz - pois penso que o clubismo deve estar apartado da vida político-partidária - este postal explicita algumas posições políticas. Permito-me a isso dado que se trata de uma despedida. E como é despedida é um texto longo.)

 

Após o acidente de viação acontecido com o antigo presidente do clube Santana Lopes deixei aqui um breve postal desejando-lhe rápida e total recuperação. De imediato surgiram os comentários no tom que aqui se tornou comum há já um ano, desde a crise presidencial no clube: "Só um blog como este é que enaltece Santana Lopes e critica BDC e Carlos Vieira", diz um anónimo, tratando-me sarcasticamente por "Sr. Jpt", e (ele ou outro anónimo) completa considerando-me entre uns "groupies" do Santana", enquanto [(ele ou outro(s) anónimo(s)] aproveitam o acidente para lançar(em) críticas ao actual presidente Varandas. Isto para além de críticas à competência política de Santana Lopes e dichotes sobre o acidente que o deixou hospitalizado. Note-se que este tom é radicalmente diverso do surgido noutros locais de discussão político-partidária, nos quais a oposição ao indivíduo não se expressa com tamanho acinte. E é um tom típico dos comentários aqui no blog, seja lá qual for o tema do postal comentado, bem como do que se vem passando em inúmeros locais de debate sportinguista.

 

Sobre a questão política - excêntrica ao sportinguismo, repito - a coisa é simples: eu blogo há 15 anos, muito botei sobre esse tipo de matérias. Alguns dos co-bloguistas conhecerão (parcialmente) o que fui botando, quiçá também um ou outro dos leitores. Não sou militante nem mesmo simpatizante do partido de que PSL foi presidente, ainda que ocasionalmente nele tenha votado - mas nunca, por coincidência, em legislaturas nos quais ele tenha pertencido ou presidido ao governo. PSL lançou agora um partido novo e eu, desgostoso com as grandes forças da oposição, botei noutros blogs onde escrevo que oscilo na simpatia entre dois partidos, bem contrastantes, para estas próximas eleições, devido ao apreço que alguns candidatos dessas listas me convocam. Um desses é exactamente o partido de PSL e explicitei que a minha simpatia advém de um candidato colocado em lugar inelegível, um confrade bloguista, e isso apenas porque ele - do qual me separam perspectivas ideológicas - tem um imenso mau feitio que muito me agrada. Entenda-se, dá porrada que se farta nos poderes instituídos. Sobre a minha propalada ligação política a PSL está tudo dito.

 

Sobre a sua presidência do clube já aqui referi, e até por mais do que uma vez, um texto meu de 2008: O Sporting e o Projecto Roquette. Não julgo que esteja muito conseguido. Mas nele expressei (repito, em 2008) o meu radical desagrado com a gestão do Sporting desde a chegada a presidência de ... Santana Lopes. Mesmo sabendo que ele foi então um presidente episódico. Considerando que entre esta e a de Bettencourt ocorreu uma devastação estrutural do clube, conduzida por um grupo social, constituído por uma elite socioeconómica ligada à construção civil e à banca (por isso aparto Godinho Lopes, do qual não tenho boa memória mas que me parece proveniente de outras dinâmicas sociais). Considerei na altura que o Sporting era como que um micro-cosmos do país, como os anos subsequentes vieram a demonstrar. Mais ainda, já aqui escrevi que foi durante a sua presidência que me apartei da vida associativa do clube: ele pediu aos associados um ano de quotas adiantadas enquanto contratava um caríssimo jogador checo que nada fez. Achei que tudo isso era um despautério e neguei-me. E depois emigrei ... Sobre a minha propalada ligação à presidência clubística de Santana Lopes está tudo dito.

 

Tanto nesse postal como no imediato - um postal sobre o "A Bola", que eu tinha em rascunho e terminei hoje -, surgem comentários dizendo-me ao serviço de uma agenda, obscurecedora, defensora de Frederico Varandas. Eu não blogo por agenda, faço-o por mero prazer. Nem este blog tem agenda, a gente não combina nada, não há instruções nem contactos internos para conduzir os textos ou os temas. De vez em quando há um jantar, aparecem alguns dos co-bloguistas, a gente come um bife, fala (muito) do Sporting, bebe umas imperiais, fala (um bocado) de outras coisas. E até à próxima ... Mas continuamos, sistematicamente, a ter comentários anónimos dizendo-nos "ao serviço" de algo e de alguém. Eu desejo todos os sucessos a Frederico Varandas. Mas quando ele anunciou a sua candidatura aqui expressei o meu desagrado pelas suas declarações, pelo conteúdo cultural que veicularam.  E critiquei a demissão de Peseiro, e a forma como escolheu o treinador seguinte. E bastante resmunguei com a continuidade deste, o que chamei, se não estou em erro, uma teimosia ingénua do actual presidente. Só espero estar enganado. Mesmo assim os anónimos invectivam-me (e aos co-bloguistas) de estar(mos) "ao serviço" ... Sobre a minha propalada avença (moral que seja) da presidência de Frederico Varandas está tudo dito.

 

Sobre Bruno de Carvalho já repeti ene vezes o percurso. Apoiei-o desde que foi em campanha a Maputo. Até mesmo aos momentos em que a mínima razoabilidade deixou de existir no seu percurso. O Pedro Correia tem vindo a lembrar os postais do ano transacto, dia a dia. Terei sido dos últimos deste blog a esperar uma inflexão, diante do evidente desatino (disse-o com alguma ironia aqui, ainda em Fevereiro de 18, e depois já em Abril, ainda que de facto já descrente dessa possibilidade, num #Je suis Bruno). E ainda propus que se afastasse uns tempos, para repousar, recalibrar, deixando a gestão à sua equipa - então ainda em torno dele congregada. Mais ainda, quando em Setembro foi noticiada a hospitalização de Bruno de Carvalho aqui deixei um enfático postal desejando-lhe rápida melhoria do seu estado de saúde (bem mais enfático do que o agora deixado a Pedro Santana Lopes, ainda que este tenha sofrido algo fisicamente mais gravoso). Mesmo assim os anónimos apoiantes de Bruno de Carvalho aqui vêm invectivar, de modo sarcástico e insultuoso, o acto curial de desejar uma rápida e total recuperação a um antigo presidente do Sporting.

 

Este longo texto não é auto-justificativo. Com ele quero apenas sedimentar a perspectiva que esta barreira constante de comentários anónimos defendendo a anterior presidência e invectivando o(s) bloguista(s) não se relaciona com o conteúdo dos postais (seja Jovic, seja Santana Lopes ou outro tema qualquer). Desde a crise presidencial do ano passado que os comentários do És a Nossa Fé conhecem esse registo abrasivo, insultuoso e, acima de tudo, deturpador. Mas algo mudou desde então. Pois no ano passado aqui abundaram comentários cuja forma muito concordava com o que se encontra nas páginas digitais dos jornais desportivos: o uso recorrente das maiúsculas, o exagero da pontuação, a estreiteza lexical e, acima de tudo, as imensas incorrecções ortográficas e sintácticas. Nisso demonstrando que muitos dos aqui invectivadores apoiantes de BdC provinham de núcleos sociais pouco letrados, por ele e seu peculiar carisma congregados. Isto não é uma crítica, é uma constatação de um fenómeno sociológico. Ora isso desapareceu, aqui e em alguns outros locais, correspondendo ao óbvio esvair desse fenómeno, o qual, como sempre nestas questões, não se repetirá com o mesmo formato. As insatisfações e os anseios, refractados naquela "onda verde", estão aí para serem captados por alguém (partidos, igrejas carismáticas, agentes de clubes, etc.). Até um neo-brunismo poderá surgir. Mas já não aquele, com aquela personagem.

 

O que ficou neste blog, enquanto comentadores residentes e abrasivos, foi outro núcleo que já então também abundava. São todos anónimos e letrados. Uns serão adeptos daquilo. Mas outros são muito mais do que isso: já então se percebia mas a constatação surgiu há pouco. O Sporting encomendou uma auditoria. Inaceitavelmente os resultados desse trabalho surgiram na imprensa - e eu não acredito que tenha sido a empresa a provocá-lo, as empresas levam por demais seriamente o seu trabalho para se arriscarem a prejudicar a sua reputação e o seu futuro dessa forma. Mas essa indiscrição, que julgo responsabilidade interna do clube (não afianço, presumo apenas), permitiu saber os sobre-gastos com trabalhos de comunicação oficiosa. Entenda-se, a presença na internet, a "contra-informação", exercida de modo anónimo, constante. Essa actividade não foi monopólio ou invenção do Sporting, é habitual noutros clubes, existirá nas empresas, e está viçosa na política. E subsiste, pelos vistos, nos resquícios do "brunismo".

 

Creio que o que se passa neste blog é apenas isso, um total abastardamento do debate sportinguista por parte não só de alguns adeptos do antigo presidente mas também de alguns dos seus agentes. Para além daqueles que defendem essa economia paralela, que subsiste nas claques, e que enfrentam a renitência da actual presidência em continuar a financiar as suas chefias e facilitar o seu pobre fruir existencial. 

 

Cada vez que abro o És a Nossa Fé, para ler ou para blogar, encontro um rosário desses comentários anónimos. Concebo, e já o disse aqui, o bloguismo como um espaço conversacional - isto não é um órgão de comunicação social, é um ponto de encontro entre pessoas que têm interesses algo comuns e opiniões compatíveis, mesmo que discordantes. É uma mesa de tasca, uma esplanada de café, um bom balcão de bar. Locais de convívio, entre amigos, conhecidos, vizinhos ou meros desconhecidos. Mas nunca anónimos. Nós frequentamos esses locais convivenciais porque nos agrada o ambiente, porque encontramos aqueles com quem nos sentimos bem. E porque neles não somos constantemente incomodados por gente desagradável. E eu esgotei toda a paciência para estar em sítios onde sou, e os meus convivas também, sistematicamente incomodados por gente anónima, insultuosa, que utiliza este espaço não para conversar, criticamente que seja, sobre os temas abordados mas para tentar manter viva a possibilidade de obterem recursos do clube, aparentar um viço brunista que inexiste. E fazendo-o de um modo desonesto. Pois anónimo. E deturpador. Insisto no que muitas vezes botei, e aqui também: não há espaço numa sociedade democrática para a opinião anónima. Haverá para a criação literária e artística. Mas para o apoiar ou desapoiar exige-se o nome. Mesmo que seja apenas sobre a, de facto, nada importante bola. Não é aceitável o anonimato explícito ou o mero amontado de letras. E não há espaço para esta contra-informação em busca da pilhagem dos recursos das instituições para benefício próprio.

 

Ou seja, vou comer codornizes (caracóis não) para outra tasca, beber umas imperiais para um qualquer café, e um ou outro uísque (novo, que é o que posso agora) num bar da vizinhança. Onde a clientela não tenha também desta gente. Intrusiva, deturpadora, incomodativa. Anónima. A ralé letrada. 

 

Aos co-bloguistas, aos tantos comentadores simpáticos (concordantes e discordantes) deixo um óbvio "Para o ano é que é!". E desejos que tenham muita paciência para aguentar estes visitantes. Anónimos. E deixo ainda um agradecimento por me terem aturado.

54.778 visualizações em dez dias

Só nos últimos dez dias, registámos 54.778 visualizações no És a Nossa Fé. Ou seja, 5.477 visualizações diárias, em média. Prova de que, nos tempos mais calmos tal como nos tempos mais conturbados, este blogue continua a ser muito lido. E é sempre um dos mais comentados, como todas as estatísticas do Sapo comprovam.

Esta é a parte boa, na linha do que sempre aconteceu. A parte má é verificar que certa gente só aparece nas caixas de comentários, de cara tapada, para injuriar terceiros - incluindo autores do próprio blogue. Cansei-me disso. Por mim, fica o aviso: a minha tolerância, que já era mínima, descerá a partir de agora a zero perante tais expressões a coberto do anonimato ou de algum pseudónimo fajuto. Venham de quem vierem, visem quem visarem.

Entre os mais comentados

Nos 22 destaques feitos pelo Sapo em Abril para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 22 menções. Fazendo assim o pleno, sem falhar um dia. Para não variar.

Mais ainda: figurámos 20 vezes no pódio dos mais comentados - com 14 "medalhas de ouro", cinco de "prata" e uma de "bronze".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 22 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

Prognósticos antes do jogo (90 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes da Taça (84 comentários, o mais comentado do dia)

O exemplo madrileno (66 comentários, o mais comentado do dia)

Capas de antologia d' A Bola (50 comentários, o mais comentado do dia)

Confesso (24 comentários)

Imbecil (62 comentários, o mais comentado do dia)

Rescaldo do jogo de hoje (36 comentários, terceiro mais comentado do dia)

Um asco (72 comentários, o mais comentado do dia)

Auditoria forense (1) (88 comentários, o mais comentado do dia)

Obviamente (96 comentários, o mais comentado do dia)

Prognósticos antes do jogo (66 comentários, o mais comentado do dia)

Vale tudo (88 comentários, o mais comentado do dia)

É favor não incomodar (54 comentários, segundo mais comentado do dia)

As viúvas continuam de luto (44 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (70 comentários, o mais comentado do dia)

Rescaldo do jogo de hoje (22 comentários)

A voz do leitor (56 comentários, o mais comentado do dia)

Jogos amigáveis: 22 golos oferecidos (58 comentários, segundo mais comentado)

Nunca mais (74 comentários, o mais comentado do dia)

Marco Silva (58 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (68 comentários, o mais comentado do dia)

Haja vergonha (58 comentários, segundo mais comentado)

 

Com um total de 1360 comentários nestes postais. Da autoria do António de Almeida e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Entre os mais comentados

 

Nos 21 destaques feitos pelo Sapo em Março para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 20 menções.

Mas não só: figurámos também 19 vezes no pódio dos mais comentados - com dez "medalhas de ouro", sete de "prata" e duas de "bronze".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 20 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

Este senhor não serve (52 comentários, segundo mais comentado do dia)

Com o novo mundo mesmo ali ao lado (71 comentários, segundo mais comentado)

Rescaldo do jogo de ontem (78 comentários, o mais comentado do dia)

Uma pergunta simples (88 comentários, o mais comentado do dia)

Quem são os três melhores? (116 comentários, o mais comentado do dia)

Aumenta o fosso (64 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (76 comentários, segundo mais comentado)

Quatro autogolos na Queimada (46 comentários, o mais comentado do dia)

Comparar (36 comentários, segundo mais comentado)

As negas de Ricciardi (30 comentários)

Prognósticos antes do jogo (88 comentários, o mais comentado do dia)

Rescaldo do jogo de hoje (38 comentários, terceiro mais comentado)

Ninguém resolve nada sozinho (38 comentários, segundo mais comentado)

Os brunecos (50 comentários, segundo mais comentado)

Bruno (80 comentários, o mais comentado do dia)

Responda quem souber (122 comentários, o mais comentado do dia)

Precisamos de um novo Leonardo Jardim (66 comentários, terceiro mais comentado)

Inqualificável (70 comentários, o mais comentado do dia)

O inútil e o inenarrável (112 comentários, o mais comentado do dia)

Oba, oba (36 comentários, o mais comentado do dia)

 

Com um total de 1357 comentários nestes postais. Da autoria do JPT e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Duzentos mil comentários

Acabamos de superar a barreira dos duzentos mil comentários publicados desde o início deste blogue. Muitos a deixarem-nos palavras de incentivo, bastantes a criticarem-nos, nem todos de sportinguistas, quase todos mereceram resposta. E praticamente não passa um dia sem que um destes comentários seja destacado, na nossa rubrica "A Voz do Leitor". Que já teve largas dezenas de comentadores seleccionados.

Fácil de explicar, este destaque: porque o leitor - você que nos lê - é uma das principais razões de existência do És a Nossa Fé. Daí os mais de duzentos mil comentários já recebidos. Outros tantos virão a caminho. Esperamos por eles.

 

Entre os mais comentados

Nos 20 destaques feitos pelo Sapo em Fevereiro para assinalar os dez blogues mais comentados nesta plataforma ao longo do mês, És a Nossa Fé recebeu 20 menções, atingindo assim o pleno. Uma vez mais.

Mas não só: figurámos também 19 vezes no pódio dos mais comentados - com duas "medalhas de ouro" e dezassete de "prata".

Recorde-se que os textos publicados ao fim de semana são agregados aos de sexta-feira para este efeito, o que leva o número de destaques a ser inferior ao número de dias.

 

Os 20 textos foram estes, por ordem cronológica:

 

566 jogos depois (36 comentários)

Prognósticos antes do jogo (112 comentários, o mais comentado do dia)

Isto não é sportinguismo, tenham vergonha... (150 comentários, segundo mais comentado do dia)

Que raio de alianças (49 comentários, segundo mais comentado)

Qual será o onze titular? (92 comentários, segundo mais comentado)

Quente & frio (68 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (80 comentários, segundo mais comentado)

No mínimo (54 comentários, segundo mais comentado)

Meios e tempo (58 comentários, segundo mais comentado)

Pontapé para baixo (100 comentários, o mais comentado do dia)

Naufrágio colectivo (180 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (36 comentários, segundo mais comentado)

O destituído (52 comentários, segundo mais comentado)

Inconcebível (50 comentários, segundo mais comentado)

Vale tudo (42 comentários, segundo mais comentado)

Quente & frio (62 comentários, segundo mais comentado)

Prognósticos antes do jogo (92 comentários, segundo mais comentado)

Qual será o onze titular? (50 comentários, segundo mais comentado)

É tempo de fazer esta pergunta (56 comentários, segundo mais comentado)

Começar mal (66 comentários, segundo mais comentado)

 

Com um total de 1627 comentários nestes postais. Da autoria do Edmundo Gonçalves, do António de Almeida e de mim próprio.

Fica o agradecimento a quem nos dá a honra de visitar e comentar. E, naturalmente, também aos responsáveis do Sapo por esta iniciativa.

Império Leonino

esanossafe.jpg

 

O histórico café Império, agora muito IURD (não é B, é D), acolheu mais uma vez o jantar deste grupo heterógeneo de Sportinguistas, unidos pela participação num espaço de  discussão da actualidade do Clube, e coube-me a mim como caloiro fazer o relato para memória futura. 

Desta vez e enfrentando uma táctica de disposição de mesas que lembrava um duplo pivot à moda de Peseiro e que dificultava um pouco a comunicação do grupo, para além do habitual bife com ovo a cavalo regado com uma cerveja holandesa (que não se chamava Keiser) terminámos com um duplo shot de potente medronheira e licor de mel da serra algarvia atenciosamente oferecido pela nossa colega CAL, à qual muito agradecemos.

Foi realmente um grande prazer conhecer ao vivo as pessoas por detrás das opiniões e comentários expressos no blogue, ouvir das suas experiências e percursos, trocar ideias sobre muita coisa e sair mais rico em termos de entendimento do passado e presente do nosso clube. A conversa prolongou-se já depois na rua, as horas passaram bem depressa, e depois, já na volta para casa, e com a A5 mais uma vez entupida, lá tive que fugir pelo Estádio Nacional e passar em frente do local para mim marcado pela tristeza e vergonha que presenciei na ultima final da Taça. O Sporting é assim, capaz do melhor e do pior.

De tudo o que ouvi, parece-me que, existindo opiniões diferentes sobre muita coisa (por exemplo, de quem seria o treinador mais indicado para substituir o Keizer, não queremos de todo que se repita despedir um treinador sem substituto à altura no dia seguinte), registou-se um grande consenso sobre as mais importantes, a preocupação pela situação financeira do clube, a vontade de que o clube esteja bem e ganhe no estádio e pavilhão seja quem for o presidente, a importância de derrubar trincheiras e unir o clube, de manter a decência e urbanidade no blogue e de existir uma comunicação efectiva entre o clube e os sócios.

Concluindo, num momento marcado pela desconfiança e comportamentos agressivos entre sócios do mesmo clube foi com enorme satisfação que passei a integrar este grupo e voltar aos tempos em que cada Sportinguista era um amigo.

Saudações Sportinguistas e Sporting Sempre !!!

6.750 visualizações diárias

Só nos últimos dez dias, registámos 67.492 visualizações aqui no blogue. À média de 6.750 visualizações por dia. Outra prova - uma entre tantas - da popularidade do És a Nossa Fé. Que está hoje onde sempre esteve: na primeira linha da defesa intransigente dos legítimos interesses do Sporting - custe a quem custar, incomode quem incomodar. Mantendo o saudável pluralismo interno que sempre nos caracterizou.

Aqui não existe "unicidade" nem pensamento único. 

Alguém acha que é chato, como dizia o outro? Temos pena. Mas vamos continuar assim.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D