Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

A voz do leitor

«Como clube eclético que [o Sporting] é, nao me faz sentido acabar com qualquer modalidade. Agora, tem de haver uma estratégia para todas (...). Embora reconheca que o hóquei internacionalmente pouco impacto tem, certo é que enche pavilhões em Portugal. O vólei, embora com pouca competitividade nacional, é modalidade olímpica. Básquete, para mim, é o mais dificil de perceber. A dimensão do nosso campeonato é medíocre, os estrangeiros que se contratam no Sporting não têm qualquer qualidade, treinador fraco e o pavilhão não tem muita gente a ver.»

 

Paulo T, neste texto do Luís Lisboa

Ranking das modalidades de pavilhão

rank.jpg

O Sporting terminou da melhor forma a época desportiva das principais modalidades de pavilhão com a terceira vitória no play-off do futsal contra o Sp. Braga, que nos deu o tetracampeonato e motivou a grande festa no João Rocha. É já o sétimo título em nove anos, o que demonstra a hegemonia do Sporting na modalidade.

Muitos parabéns ao treinador Nuno Dias, ao capitão João Matos, ao Zicky, ao Merlim e a todos os outros, a Rodrigo Pais de Almeida e a Frederico Varandas.

 

Esta foi uma época marcada pelo investimento muito forte dos nossos rivais nestas modalidades, o que significou equipas recheadas de craques contra as quais é muito difícil competir.

Por exemplo, no voleibol feminino o FC Porto acabou com a parceria com um colégio local e montou uma equipa talvez tão cara como todas as outras juntas.

No basquetebol a equipa do Benfica custa cinco ou seis nossas, se não mais.

No futsal ganhámos não só pela superior competência de Nuno Dias, mas muito pela estabilidade e experiência desta equipa e pelo seu espírito de equipa fantástico, potenciado pelo peso da formação.

O futsal de Nuno Dias é mesmo um exemplo de ADN Sporting, do caminho que com muito esforço, dedicação e devoção conduz à glória. 

 

Passo agora ao ranking.

Como foi a temporada nestas modalidades?

O maior indicador é a posição final nos campeonatos respectivos.

Se atribuirmos 5 pontos ao 1.º lugar, 3 ao 2.º lugar, 1 aos restantes e zero à não participação, temos o seguinte (como a final do hóquei ainda vai decorrer atribuí o valor intermédio, 4, aos dois concorrentes):

2022/2023SportingBenficaFcPortoSp. Braga
     
Futsal5103
Andebol5130
Basquetebol 1530
HóqueiPatins1440
Voleibol M3500
Voleibol F1151
     
 1617154

 

E como tem sido a evolução do Sporting nos últimos anos pelo mesmo critério (excluindo o ano da covid)?

Sporting2017201820192021202220232024Total
         
Futsal553555533
Andebol553333527
Hóquei em Patins151533119
Voleibol053131316
Basquetebol 000533112
Voleibol Fem00011316
         
Total11201020181816 

 

O futsal de Nuno Dias continua a ser o nosso "porto seguro" das modalidades. Por muito que os rivais despejem dinheiro, o Sporting tem a estabilidade e a força da formação que conjuntamente resolvem os mais difíceis problemas.

 

O andebol de Ricardo Costa segue a mesma linha de excelência, numa modalidade com um nível de visibilidade e exigência internacional completamente diferentes.

Aqui há que misturar muito bem o talento nacional com atletas estrangeiros com outra capacidade física para ter sucesso. O plantel foi refrescado, saem três estrangeiros e o Pipo, entram outros três estrangeiros e um ponta internacional A vindo do FC Porto.

 

O hóquei em patins de Alejandro Dominguez foi campeão europeu, mas não conseguiu ultrapassar o FC Porto na meia-final do campeonato nacional. Se calhar faltou mesmo o Alejandro não continuar ao comando por motivos pessoais e alguns jogadores importantes estarem de saída, como Girão e Ferran Font. 

 

O voleibol de João Coelho quase renasceu das cinzas. Prova de que a receita para o sucesso das modalidades de pavilhão do Sporting está bem definida, importa é encontrar os intérpretes certos, quer a nível de treinadores como de capitães e jogadores.

 

O basquetebol de Pedro Nuno Monteiro afundou-se com as lesões sucessivas e o relacionamento interno com os jogadores. Depois que ele chegou, Travante Williams pegou-se com outro americano, o Fenner, e saíram ambos, Omlid recuperou da lesão, foi ignorado para depois ir reforçar o Porto, o mesmo caminho que vai seguir o melhor americano do plantel, Lovett Jr., com um processo disciplinar em cima. Finalmente parece que mudou o director e ficou o capitão Ventura e mais um ou dois para contar a história.

E ficou o treinador...

 

voleibol feminino dRui Pedro Costa afundou-se também no casting dumas estrangeiras "tenrinhas" que era suposto virem ajudar uma distribuidora turca de grande nível mas em fim de carreira, e um núcleo duro que parecia unido e que vinha doutras épocas.

Foi tudo menos isso. O núcleo duro implodiu, com um treinador histórico de saída a disparar em todas as direcções e revolução completa no plantel.

Pena o excelente trabalho do Rui Pedro Costa acabar assim.

 

Vale a pena ao Sporting apostar em tantas modalidades ou devia concentrar-se naquelas em que é mais competitivo e com maior visibilidade nacional e internacional?

A quem interessa o hóquei em patins hoje no mundo?

Que hipóteses internacionais temos no voleibol ou no basquetebol?

O que interessa aos sócios as diferentes modalidades de pavilhão? E as modalidades no feminino, além do voleibol, onde praticamente não temos nenhuma atleta da formação?

Vale a pena termos uma equipa de futsal a sofrer goleadas dum clube qualquer não sei de onde?

A de hóquei em patins foi extinta?

A do basquetebol está a voltar para quê exactamente?

Enfim, muitas questões que merecia a pena debater.

 

Mas agora é tempo de desfrutar com o tetra do futsal!

Viva o Sporting Clube de Portugal!!!

SL

Obrigado, Rui Pedro Costa

É impossível falar de voleibol feminino no Sporting sem falar em Rui Pedro Costa. Foram sete anos na liderança da equipa, da 3.ª à 1.ª divisão e às competições europeias, competindo pelo título nacional e ganhando uma Taça de Portugal e duas Taças Federação, tudo isto numa modalidade muito virada a Norte. Não deve ser fácil "arrancar" uma atleta com a sua casa e a sua vida organizada lá em cima sem entrar numa escalada de ordenados e de despesas.

Comecei a acompanhar a equipa há cerca de três anos por uma casualidade. Algumas jogadoras vinham equipadas à Sporting por uma rua de Alvalade, depois comecei a ver na TV, fui ao João Rocha e rapidamente aderi pela raça e entrega que demonstravam. Muitos jogos ganharam na negra após duas horas e tal de jogo, deixando a pele em campo. A capitã Daniela Loureiro era o melhor exemplo disso, mas a Thais Bruzza ou a Jady Gerotto entusiasmavam o pavilhão. Faltava apenas alguma estrangeira diferenciada para serem a melhor equipa nacional. Era um exemplo para a triste equipa masculina do ano passado.

Por alguma razão que desconheço este ano tudo mudou, mesmo com a chegada duma distribuidora veterana turca de excelência. As restantes contratações deixaram muito a desejar, mas o núcleo duro das épocas passadas ficou irreconhecível. Curiosamente a equipa de voleibol masculino fez o percurso inverso...

E Rui Pedro Costa começou a demonstrar alguma incomodidade com os maus resultados, até a disparar em diferentes direcções, falta de vontade da Direcção no reforço da equipa, falta de compromisso das atletas que "comiam no hotel enquanto as outras comiam sandes", falta disto ou daquilo numa equipa que antes parecia uma família unida e vibrante. Basta procurar os vídeos das ultimas conquistas.

Que se passou exactamente? Acho que ele fica a dever aos sócios e adeptos que sempre apoiaram a equipa uma explicação, para além da óbvia: temos de aumentar o nível de investimento para haver sucesso na luta contra as melhores equipas do Porto e arredores.

De qualquer forma, por todos os bons momentos que a sua equipa nos proporcionou, fica aqui o meu muito obrigado ao Prof. Rui Pedro Costa, com votos de sucesso no seu futuro profissional.

SL

Do 8 ao 80

Entre os últimos dois dias os desempenhos das cinco principais equipas das modalidades de pavilhão passou do 8 para 80.

 

Tudo começou na tarde de sexta-feira com a derrota caseira da equipa de basquetebol frente à Oliveirense por 73-85. Ventura e Lovett não chegam para segurar uma equipa onde os americanos de qualidade duvidosa entram e saem a grande velocidade e as lesões são constantes. A transformação do plantel com a saída de Travante, dos dois angolanos e dos outros americanos não está a resultar.

A responsabilidade do Pedro Nuno Monteiro em tudo isto não faço ideia qual seja. Apesar de andarmos a perder com equipas menores seguimos em 4.º lugar da Liga, a dois pontos do Porto e um do Benfica.

 

Seguiu-se a derrota da equipa de voleibol feminino na 1.ª jornada da Final Four da Taça de Portugal em Viana do Castelo frente ao Porto Vólei Efanor. A equipa nortenha não deu hipóteses e esmagou por 3-0. Uma equipa que perdeu o querer e a raça de anos anteriores, apesar de contar este ano com uma distribuidora de topo turca em final de carreira. A rematadora alemã carece de fiabilidade, a canadiana a mesma coisa, duas brasileiras que vieram pouco acrescentam, Timm anda há muito lesionada, o núcleo duro Daniela-Bruzza-Paquete-Gerotto parece esgotado.

No final Rui Pedro Costa veio falar em sandes e hotéis, o que não augura nada de bom. O mau scouting foi culpa de quem afinal? Entretanto o Efanor perdeu a final frente ao Benfica.

 

Veio o sábado e tudo mudou.

O futsal de Nuno Dias esmagou o Torreense fora de casa por 6-1 e segue em 2.º lugar na Liga.

O hóquei de Alejandro Dominguez derrotou por 5-3 o Oliveirense e subiu ao 2.º lugar da Liga.

O voleibol masculino de João Coelho, com uma equipa quase toda nova relativamente à época passada, derrotou o campeão dos últimos anos, o Benfica, por 3-1 na meia-final da Taça de Portugal também em Viana do Castelo.

E o andebol de Ricardo Costa derrotou o Porto por 35-32, continuando a somar vitórias na Liga.

 

Fui ver este último jogo ao João Rocha. Pavilhão quase cheio, grande ambiente e grande jogo, extremamente disputado, com a liderança do marcador a alternar entre um e outro.

O Porto começou melhor e logo chegou a uma diferença de três golos obrigando o Sporting a mudar de guarda-redes. Saiu o veterano Maciel, entrou o "miúdo" Kristensen que logo começou a render e na segunda parte haveria de ser decisivo. Chegámos já ao intervalo a vencer por 2, com o central Nathan em grande.

Com grandes defesas do Kristensen conseguimos uma diferença de 5. De três falhas ofensivas deixámos o Porto passar para 2, mas conseguimos segurar a vantagem e até ampliá-la no final através doutro "miúdo", o Francisco Costa.

Equipa muito bem montada por Ricardo Costa, com muita juventude de elevado nível, e enorme espírito de equipa. Um orgulho para o Sporting ter uma equipa de andebol deste nível, muito bem encaminhada para ser campeã nacional (segue-se uma fase final onde vamos entrar com bónus pontual) e andar na Champions do próximo ano.

 

Mais logo vamos ter a final da Taça da Liga de Voleibol onde vamos defrontar os açorianos da Fonte do Bastardo.

Vale a pena seguir a nossa equipa e em particular os dois checos, Galabov e Licek. 

 

PS1: Já agora em termos de relvado, a nossa equipa de futebol feminino foi ganhar a Famalicão por 4-1 seguindo em 2º da Liga.

PS2: Vitória épica na Taça de Portugal de voleibol, 22-20 na "negra" contra a Fonte do Bastardo, o enorme Tiago Barth (com quem conversei já um par de vezes) e muitos companheiros de luta a chorar no fim, uma equipa do Sporting que nem sempre jogou bem mas soube sofrer, grande equipa, grande treinador. Vamos agora ganhar a Liga.

SL

Dérbi a dérbi enche o leão a barriga (cont)

Acabado de chegar do pavilhão João Rocha, onde o Sporting obteve uma vitória clara por 3-0 no dérbi de voleibol, venho actualizar a listagem dos últimos dérbis:

Futebol - Sporting 2 - Benfica 1 (29/02/2024)

Futebol Fem - Benfica 1 - Sporting 3 (26/11/2023)

Futebol B - N/E

Futebol Sub23 - Sporting 5 - Benfica 2 (30/01/2024)

Futebol Sub19 - Sporting 0 - Benfica 1 (08/12/2023)

Futebol Sub17 - Benfica 3 - Sporting 2 (03/03/2024)

Futebol Sub15 - Sporting 1 - Benfica 5 (17/02/2024)

Voleibol - Sporting 3 - Benfica 0 (16/03/2024)

Voleibol Feminino - Sporting 3 - Benfica 1 (01/03/2024)

Andebol - Benfica 34 - Sporting 38  (17/12/2023)

Basquetebol - Sporting 91 - Benfica 88 (26/11/2023)

Hóquei em patins - Benfica 6 - Sporting 1 (11/02/2024)

Futsal  - Sporting 3 - Benfica 2 (04/03/2024)

 

São 8V e 4D para o Sporting nos últimos dérbis aqui descritos. As derrotas? Três nos escalões de formação e uma no hóquei em patins.

Não está mal. Mas podia estar ainda melhor.

SL

Sporting Clube de Portugal

O futebol é a mola real do Sporting, mas o Sporting não é apenas futebol profissional masculino e os escalões de formação associados.

As modalidades, incluindo aqui o futebol feminino, são um pilar indispensável da ideia de clube que é o Sporting, de acordo com a visão dos fundadores e a sua história. 

Vejamos então como vamos nos principais campeonatos das modalidades de pavilhão e relvado, todos a acabar em "Final Four" (o que quer dizer que 1.º e 4.º, 2.º e 3.º se defrontam antes do confronto final que decide o campeão) excepto o futebol feminino:

Futebol Feminino: 1º Benfica, 2º Sporting, 3º Braga, 4º Racing Power

Futsal: 1º Braga, 2º Sporting, 3º Benfica, 4º Leões Porto Salvo

Basquetebol: 1º Porto, 2º Benfica, 3º Sporting (-1j), 4º Ovarense

Hóquei: 1º Oliveirense, 2º Sporting, 3º Porto, 4º Benfica

Andebol: 1º Sporting, 2º Porto, 3º Benfica, 4º ABC Braga

Voleibol: 1º Benfica, 2º Sporting, 3º Leixões, 4º Ac. Espinho

Voleibol feminino: 1º Porto, 2º Porto Volei Efanor 3º Benfica, 4º Sporting

 

Atribuindo 4 pontos ao 1º, 3 ao 2º, 2 ao 3º e 1 ao 4º, chegamos ao seguinte ranking:

1.º - Sporting - 19 pts

2.º - Benfica - 18 pts

3º. - Porto - 13 pts

4.º - Braga - 6 pts

O que importa mesmo é ganhar no fim. Mas para isso é preciso chegar à decisão.

Como é que o Sporting consegue seguir com o melhor desempenho dos 4 nas principais modalidades de relvado/pavilhão sem os orçamentos dos dois rivais? A receita é simples, é a mesma do futebol que já aqui expus.

Como é que ainda poderia ter melhor desempenho? Aumentando os orçamentos de forma a poder dispor de mais um ou outro estrangeiro de classe extra por modalidade. Nada de novo.

Já agora, vale mesmo a pena ir ao João Rocha, de novo com um grande ambiente e uma grande união em volta das equipas do Sporting. 

SL

Regresso ao futuro

Foi realmente um magnífico fim de semana desportivo para o Sporting Clube de Portugal.

Ganhámos ao Benfica em andebol, ao Porto em futebol, andebol e basquetebol, com esses e outros resultados conquistámos a Supertaça de andebol e continuamos no topo da classificação nos campeonatos de futebol, futsal, andebol, basquetebol e hóquei em patins, em 2.º lugar no futebol feminino e no voleibol, 4.º no voleibol feminino onde perdemos pela tangente no Dragão Arena. No futebol continuamos em competição na Liga Europa, na Taça da Liga, na Taça de Portugal. No andebol, na "Liga Europa" da modalidade. No hóquei, na "Champions" da modalidade.

 

Enfim, mesmo com um ou outro percalço, dificilmente a época desportiva do Sporting poderia estar a correr melhor. Com isso, também o ambiente no estádio e no pavilhão no que respeita ao apoio às equipas pelas duas claques ainda em guerra com a Direcção é bem diferente da que foi no passado. E daquela oposição que andou em AGs a ajavardar a discussão e a impedir aprovações das contas do clube, ou nas AGs da SAD a bufar para o exterior a sua versão do que lá se passava, nem um pio.

Ao contrário, no rival do Norte as nuvens negras adensam-se e o acidente de automóvel de que foi vítima o presidente - felizmente não aproveitaram para lhe roubar a carteira e o telemóvel - talvez seja um prenúncio do triste fim da sua presidência, e da corte de amigos bem nutridos da sua idade que o acompanha.

O buraco financeiro e a gestão danosa denunciados pelo candidato Villas Boas, o estádio a assobiar de cada vez que os SuperDragões cantam o nome do dono, no futebol o autocarro de flops caros que ou não jogam ou enterram a equipa, David Carmo, Fran Navarro, Nico qualquer coisa, o desespero do arruaceiro Pepe que tenta resolver ao murro aquilo que já não consegue jogando à bola, um Conceição também ele com os nervos em franja incapaz de pôr a equipa a jogar futebol, nem a queda do governo Costa e do seu secretário de Estado dragão ajuda, vão fazer com que as próximas eleições sejam dramáticas e de resultado incerto.

 

Com tudo isto o Sporting Clube de Portugal, ao contrário das comparações estúpidas com o Sporting Clube de Braga que propagandeavam os ressabiados internos, se conseguir manter esta dinâmica de vitória, e para isso pode contar com a excelência dos treinadores de que dispõe e da superior valia dos plantéis e das estruturas técnicas, e com o apoio de quase todos os sócios e adeptos, corre o risco de ultrapassar bem depressa o Futebol Clube do Porto em todos os indicadores disponíveis, resultados desportivos, valor dos plantéis, resultados financeiros, número de sócios pagantes, academias de formação, etc. Depois, correr atrás da liderança. Para isso o acesso regular à Champions é essencial.

Mas para isso acontecer, o clube não pode andar a dormir fora do campo, nem ter preconceitos de sujar as mãos na luta pelo poder das sedes de decisão. Tem de saber fazer-se ouvir juntos dos poderes desportivos e influenciar decisões, não pode assistir calado a "roubos de catedral" como os de Guimarães e de anteontem em Alvalade. Frederico Varandas falou bem sobre o primeiro, e este comunicado sobre o segundo é muito feliz também:

"O Sporting Clube de Portugal felicita a decisão hoje anunciada pela La Liga de tornar públicos os áudios das comunicações entre o VAR e as equipas de arbitragem após o final de cada dia de competição.

O Sporting CP foi e continua a ser a favor do VAR, assim como da sua necessária evolução. O Clube não altera a posição nem em virtude dos erros que o afectam, nem do resultado final desportivo. O Sporting CP defende também que o VAR tem de melhorar.

A análise crítica do Sporting CP relativamente aos critérios de arbitragem depende da necessidade urgente da definição dos mesmos e da transparência das decisões. Não faz sentido uma semana ser adoptado um critério de intervenção e na semana seguinte outro.

Nos recentes jogos contra o Vitória SC e contra o FC Porto foi por demais evidente como o VAR adoptou critérios opostos. Em ambos foi o Sporting CP que saiu prejudicado.

Recorde-se que há mais de um ano, o Sporting CP ficou sozinho quando apresentou a proposta para serem implementadas medidas que permitam a divulgação dos áudios e garantam uma maior transparência à arbitragem e integridade às próprias competições.

Há poucos dias foi também conhecido o caso da MLS que definiu medidas para a nova temporada, entre elas replicar o procedimento utilizado no rugby em que as decisões tomadas pelo VAR são anunciadas pelo juiz da partida aos espectadores em tempo real.

É urgente que, em Portugal, sejam seguidas as boas práticas de outros países, tal como preconizámos em tempo oportuno. O futebol português não pode ficar para trás.

O VAR é uma ferramenta essencial para uma maior justiça e transparência das competições. Quem não defende o VAR, não defende a busca da verdade desportiva.

O Sporting CP apela por isso a que haja urgentemente uma uniformização e entendimento do protocolo VAR por parte dos árbitros. Ganham os árbitros, ganham os clubes, ganha a verdade desportiva.

O Clube considera também que é importante que se caminhe para árbitros especialistas e exclusivos de VAR. O Sporting CP sabe que o actual número de árbitros não o permite fazer neste momento, mas desafia o Conselho de Arbitragem a que comece a preparar o futuro.

O Sporting CP reconhece o esforço do Conselho de Arbitragem em querer melhorar a arbitragem e continuará a lutar pela verdade desportiva. Essa nunca existirá sem uma arbitragem livre, independente e qualificada."

 

Concluindo, daquilo que sempre ouvi dele, não tenho dúvidas de que João Rocha ficaria muito feliz se isso acontecesse.

SL

Lá por cima, em todas as frentes

lion.jpg

 

Lideramos no andebol. Com mais três pontos do que o FC Porto e já com o Benfica oito pontos mais abaixo.

Lideramos no futsal. Tendo o Braga três pontos atrás de nós e o Benfica com menos quatro.

Lideramos no basquetebol. Agora com mais dois pontos do que o Benfica e mais três pontos do que o FC Porto (que segue em sexto).

Lideramos no hóquei em patins. Em igualdade pontual com a Oliveirense, um ponto acima do FC Porto e mais três do que o Benfica.

Seguimos em segundo no futebol. Com os mesmos pontos do que o Benfica e vendo o FC Porto com menos três.

Também seguimos em segundo no futebol feminino. Dois pontos abaixo do Benfica, que acabamos de derrotar no dérbi do Seixal, e três pontos acima do Braga.

Vamos isolados em segundo no voleibol. Perseguindo o Benfica, que tem mais três.

Uma boa semana

Não tendo sido uma semana de "onda verde" como a anterior, foi uma boa semana:

No futebol A, Rakow 1 - Sporting 1; Boavista 0 - Sporting 2

No futebol B, Pero Pinheiro 3 - Sporting 3

No futebol C (Sub23), Sporting 4 - Benfica 0

No futebol feminino, pausa para as selecções.

No hóquei em patins, Porto 5 - Sporting 3

No andebol CSM Constanța 29 - Sporting 28;  Sporting 40 - Avanca 31

No voleibol, Sporting 3 - Leixões 0; Castêlo da Maia 0 - Sporting 3

No voleibol feminino,  Sporting 0 - PV Efanor 3

No futsal, FC Hit -2 Sporting 2;  MFC Ayat 1 - Sporting 6; Olmissum 2  - Sporting 6

No basquetebol, CD Póvoa 80 - Sporting 104

 

Foram 14 jogos, 8V, 3E, 3D, treinadores e jogadores continuam a corresponder, as épocas estão mais ou menos avançadas conforme a modalidade. Em várias, as fases finais são determinantes.

O único clube nacional que compete com o Sporting em todas estas modalidades/escalões é o Benfica. O FCPorto compete em 6 das 10, o Sp. Braga em 5.

Algumas notas:

1. Está a sair de Alcochete uma fornada de jovens de excelente qualidade. A nossa equipa C, que de sub23 não tem nada, pois é praticamente um misto dos melhores juniores e juvenis, goleou o Benfica, destacando-se os avançados Luís Gomes (19) e Geovany Quenda (16). Na B, praticamente os sub21, destacaram-se os ainda juniores Lucas Taibo (17) e Mauro Couto (17), além de Miguel Menino (20). 

2. Na deslocação à Roménia do andebol morremos na praia depois de andarmos sempre na frente do marcador, por decisões erradas dado o critério largo da arbitragem. Por hábito ou cansaço foram à procura da falta, o que foi fatal. Tudo em aberto para a conquista do 1.º lugar do grupo.

3. No voleibol masculino a equipa quase reconstruida de raiz continua a carburar. No feminino parece que as estrangeiras contratadas, distribuidora à parte, estão a demorar a engrenar, e a lesão da capitã Daniela Loureiro não tem ajudado.

4. No futsal, com um plantel muito renovado a partir da formação, fizemos a nossa obrigação e seguimos rumo ao título europeu.

5. No hóquei, o factor casa nos duelos entre os três grandes continuou a ser determinante.

6. No basquetebol, mais uma vez com uma equipa quase reconstruida de raiz, e neste caso com uma sucessão de lesões a complicar o trabalho do treinador, cumpriu-se a obrigação.

SL

Via verde nas modalidades

Foi um fim de semana particularmente gostoso para quem no Sporting segue as principais modalidades de pavilhão, com vitórias esmagadoras frente a adversários poderosos mas que pouco puderam fazer para contrariar a superioridade das nossas equipas.

 

Começo pelas senhoras do voleibol que foram a Matosinhos derrotar por 3-0, com parciais de 9 e 10 pontos de diferença, o muito complicado Leixões com o qual tinham acabado de perder (e bem) a Supertaça. E sem dispor da líbero e capitã de equipa, Daniela Loureiro. Foi uma exibição brutal da equipa brilhantemente liderada por Rui Costa, com as habituais Alice Timm, Thais Bruzza, Jady Gerotto, Vanessa Paquete e Carolina Garcez e as contratações Ozge Kinasts (campeã turca muito experiente que vem duma paragem de carreira por maternidade) e Moara Santos. 

 

Depois sigo para os senhores do futsal, que foram ao pavilhão da Luz, com um estranho e mal explicado piso, pôr o presidente local nervoso e a roer as unhas, e desforrar-se da muito mal perdida Supertaça. Foi uma vitória clara por 4-1, com uma equipa em reconstrução depois da saída (por diferentes motivos) de de três ou quatro jogadores consagrados, e que cada vez mais assenta na formação. Mais uma equipa brilhantemente liderada por Nuno Dias, talvez o melhor treinador de futsal do mundo.

 

Depois temos o andebol. Mais um brilhante treinador, Ricardo Costa, que transformou - com a grande ajuda dos seus dois filhos - a manta de retalhos que herdou num rolo compressor. Mais uma vitória por números "pornográficos": 46-23 ao FC Gaia. Uma equipa que merece ser feliz não apenas a nível nacional, mas também internacional.

 

Numa modalidade que acompanho menos, o hóquei em patins, fomos a Braga ganhar ao HC Braga por 3-1. Um treinador argentino, Alejandro Domínguez, "low-profile" que tem sabido conviver com uma equipa que já ganhou muita coisa e precisa demonstrar que tem capacidade de voltar a ganhar.

 

Enfim, o basquetebol. Um treinador, Pedro Nuno Monteiro, também ele "low-profile" e competente. Com uma equipa muito renovada em termos de norte-americanos, esmagou, para a Taça Hugo dos Santos, o Portimonense por 101-67.

 

Foi mesmo via verde nas modalidades (faltou apenas o voleibol masculino, que não jogou). Não é preciso termos um presidente-adepto sempre presente e aos pulos para que isso aconteça, basta haver liderança e competência a todos os níveis, que cada um saiba o que se espera dele como jogador e como pessoa, e que as equipas sintam que há sócios, adeptos e miudagem da formação sempre do lado deles, sempre a apoiá-los, sem exigências da treta nem comportamentos irresponsáveis e prejudiciais ao desempenho das equipas nos pavilhões.

SL 

Portugal 18; Lelos 18

lelos.jpeg

Quem viu, viu.

Quem não sabe quem é Raffaele Storti (Rafael Estorti, para os puristas da língua) procure.

Quem não assistiu ao jogo de "rugby" (râguebi, para os puristas [experimentem pronunciar como está escrito, "ra-gue-bi) entre a Geórgia e Portugal, procure ver.

Excelente espectáculo televisivo, parabéns à RTP 2.

Um jogo emocionante com os primeiros pontos de Portugal num campeonato do mundo, alicerçado num resultado sem batota.

Podíamos ter perdido, podíamos ter vencido, um jogo fantástico de parte a parte, jogadores que são um misto de Cash Flo e de John Cena mas que não fazem cenas fingidas, correm, lutam, sofrem, sangram e no final abraçam-se e sorriem.

Os últimos três minutos valem por todo o jogo a nível de emoção mas re-recomendo se poderem vejam todo o jogo.

Varandas: 28 títulos nas modalidades

Screenshot_7-8.webp

 

Em quatro épocas, eis o palmarés de Varandas (e Miguel Afonso) nas principais modalidades, ditas de pavilhão.

Vinte e oito títulos conquistados só a este nível, sem contabilizar os seis ganhos no futebol:

Basquetebol
1 título campeão nacional (2021)
3 Taças de Portugal (2020, 2021, 2022)
2 Supertaças (2021, 2022)
2 Taças Hugo dos Santos (2022, 2023)

Futsal
2 Ligas dos Campeões (2019, 2021)
3 títulos de Campeão Nacional (2021, 2022, 2023)
3 Taças de Portugal (2019, 2020, 2022)
1 Supertaça (2022)
2 Taças da Liga (2021, 2022)

Hóquei em patins
2 Ligas dos Campeões (2019, 2021)
2 Taças Continentais (2019, 2021)
1 título campeão nacional (2021)

Voleibol
1 Taça de Portugal (2021)
1 Taça de Portugal feminina (2023)

Andebol
2 Taças de Portugal (2022, 2023)

 

Nestas épocas, o Sporting foi ainda vice-campeão nacional de basquetebol (2023), hóquei em patins (2023), voleibol (2019, 2022) e andebol (2019, 2021, 2022, 2023).

 

Destaque para a brilhante época de 2020/2021, logo a seguir à pandemia.

E não esqueçamos que um ano inteiro dos cinco de mandato de Varandas ficou sem títulos (o de 2020, no geral) devido ao cancelamento das competições de pavilhão.

25 anos de títulos nas modalidades

image.jpg

Sporting conquistou campeonato de futsal, o mais recente título do desporto português

Imagem: Luís Forra / Lusa

 

Vamos lá então falar de modalidades. Neste período de balanço.

É o momento para passarmos em revista os palmarés dos clubes no último quarto de século nas cinco principais modalidades masculinas de pavilhão. São estas, por ordem alfabética: andebol, basquetebol, futsal, hóquei em patins e voleibol.

Com uma característica: só dois emblemas - Sporting e Benfica - figuram entre os vencedores em todas elas nestes 25 anos.

Termino - como fiz aqui - repartindo estes títulos pelos presidentes do Sporting das épocas em que foram conquistados. 

São dados concretos, factuais. Para evitar o "acho que", o "se calhar", o "parece que" ou o "mais ou menos" tão característicos das discussões à portuguesa.

 

ANDEBOL

FC Porto 15 campeonatos (1999, 2002, 2003, 2004, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2019, 2021, 2022, 2023)

ABC 4 campeonatos (2000, 2006, 2007, 2016)

Sporting 3 campeonatos (2001, 2017, 2018)

Madeira SAD 1 campeonato (2005)

Benfica 1 campeonato (2008)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

BASQUETEBOL

Benfica 9 campeonatos (2009, 2010, 2012, 2013, 2014, 2015, 2017, 2022, 2023)

Ovarense 4 campeonatos (2000, 2006, 2007, 2008)

FC Porto 4 campeonatos (1999, 2004, 2011, 2016)

Portugal Telecom 3 campeonatos (2001, 2002, 2003)

Oliveirense 2 campeonatos (2018, 2019)

Sporting 1 campeonato (2021)

Queluz 1 campeonato (2005)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

FUTSAL

Sporting 14 campeonatos (1999, 2001, 2004, 2006, 2010, 2011, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018, 2021, 2022, 2023)

Benfica 8 campeonatos (2003, 2005, 2007, 2008, 2009, 2012, 2015, 2019)

Freixieiro 1 campeonato (2002)

Miramar 1 campeonato (2000)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

HÓQUEI EM PATINS

FC Porto 16 campeonatos (1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2017, 2019, 2022)

Benfica 4 campeonatos (2012, 2015, 2016, 2023)

Sporting 2 campeonatos (2018, 2021)

Óquei Barcelos 1 campeonato (2001)

Valongo 1 campeonato (2014)

(O título não foi atribuído em 2020)

 

VOLEIBOL

Benfica 9 campeonatos (2005, 2013, 2014, 2015, 2017, 2019, 2021, 2022, 2023)

Espinho 7 campeonatos (1999, 2000, 2006, 2007, 2009, 2010, 2012)

Castêlo da Maia 4 campeonatos (2001, 2002, 2003, 2004)

Fonte do Bastardo 2 campeonatos (2011, 2016)

Sporting 1 campeonato (2018)

V. Guimarães 1 campeonato (2008)

 

TOTAL

FC Porto 35 títulos

Benfica 31 títulos

Sporting 21 títulos

Espinho 7 títulos

ABC 4 títulos

Castêlo da Maia 4 títulos

Ovarense 4 títulos

Portugal Telecom 3 títulos

Fonte do Bastardo 2 títulos

Oliveirense 2 títulos 

Freixeiro 1 título

Madeira SAD 1 título

Miramar 1 título

Óquei Barcelos 1 título

Queluz 1 título

Valongo 1 título

V. Guimarães 1 título

 

PRESIDENTES DO SCP COM ESTES TÍTULOS

José Roquette 1 (futsal 1999)

Dias da Cunha 3 (andebol 2001, futsal 2001, futsal 2004)

Filipe Soares Franco 1 (futsal 2006)

José Eduardo Bettencourt 2 (futsal 2010, futsal 2011)

Godinho Lopes 1 (futsal 2013)

Bruno de Carvalho 8 (futsal 2014, futsal 2016, futsal 2017, andebol 2017, andebol 2018, futsal 2018, hóquei em patins 2018, voleibol 2018)

Frederico Varandas 5 (basquetebol 2021, hóquei em patins 2021, futsal 2021, futsal 2022, futsal 2023)

 

Eis os dados, concretos e objectivos. 

Comentem se quiserem. Sintam-se à vontade. 

A época acabou da melhor forma

Sporting vence Benfica na Luz e sagra-se tricampeão nacional de futsal

O Sporting terminou da melhor forma a época desportiva das modalidades colectivas principais com a terceira vitória no dérbi do futsal e a correspondente festa no pavilhão da Luz. Muitos parabéns a Nuno Dias, ao capitão João Matos, a todos os brilhantes jogadores e ao "presidente" das modalidades, o Miguel Afonso.

Foi uma época marcada pelo investimento muito forte do nosso rival, que gasta cerca de três vezes mais do que nós para um nível semelhante de ecletismo, o que significou equipas recheadas de craques estrangeiros contra as quais é muito difícil competir. No futsal ganhámos não só pela superior competência do Nuno Dias, mas muito pela estabilidade e experiência desta equipa e o seu espírito de equipa fantástico potenciado pelo peso da formação. É mesmo um exemplo interno de ADN Sporting, do caminho que com muito esforço, dedicação e devoção conduz à glória.

 

Como foi a temporada no que às principais modalidades de pavilhão diz respeito? O maior indicador é a posição final nos campeonatos respectivos. Se atribuirmos 5 pontos ao 1.º lugar, 3 ao 2.º lugar, 1 aos lugares restantes e 0 à não participação, temos o seguinte:

2022/2023 SportingBenficaPortoBraga
      
Futsal 5301
Andebol 3150
Basquetebol  3510
HóqueiPatins 3510
Voleibol M 1500
Voleibol F 3150
      
  1820121

 

No ano passado foi assim :

2021/2022 SportingBenficaPortoBraga
      
Futsal 5301
Andebol 3150
Basquetebol  1530
HóqueiPatins 1350
Voleibol M 3500
Voleibol F 1050
      
  1417181

 

Ou seja, o Braga manteve, o Benfica melhorou mas o Sporting também, quem perdeu foi o Porto.

 

E como tem sido a evolução do Sporting nos últimos anos pelo mesmo critério (excluindo o ano da covid)?

Sporting201720182019202120222023
       
Futsal553555
Andebol553333
Basquetebol 000533
HóqueiPatins151533
Voleibol M053131
Voleibol F000113
       
Total112010201818

 

Ficam aqui os dados para discussão. Comentários idiotas de trolls, comentários com nicks roubados da tasca seguem directamente para o lixo.

PS: Por algum motivo o último quadro não apareceu todo, pelo que corrigi a situação acrescentando também o ano de 2017.

SL

Fim de semana excelente nas modalidades

Decorrem as fases finais dos campeonatos das modalidades de pavilhão mais importantes, em formato clássico de 2 voltas no andebol, em play-off nas outras, e neste fim de semana assistimos a grandes exibições e vitórias concludentes.

 

Basquetebol - Na sexta no João Rocha, Sporting 94 - FCPorto 66 (3-0 no play-off, apurado p/ final com o Benfica)

Futsal - No sábado em Porto Salvo, Leões PS 1 - Sporting 3 (1-0 no play-off)

Andebol - No sábado no João Rocha, Sporting 36 - Benfica 31 (Seguimos no 2.º lugar da Liga, a 1 do FC Porto)

Hóquei - No domingo no João Rocha, Sporting 8 - O. Barcelos 4 (3-0 no play-off, apurado p/ final com Benfica ou FC Porto)

 

Sexta e sábado estive lá, no João Rocha, para assistir a dois "amassos" aos rivais que não tiveram hipóteses em nenhum dos casos.

No basquetebol uma equipa com muita raça e capacidade de luta e que conta com 2 americanos de classe extra, Travante e LovettJR, não deu hipóteses e terminou com 28 (!) pontos de vantagem.

No andebol, mesmo com um Kiko Costa em dia negro, mas com o guarda-redes habitualmente suplente Kristensen em grande nível, chegou depressa a 3-0 e depois nunca deixou o Benfica ter vantagem no marcador. Foi o jogo de despedida do Ruesga depois de sete anos ao serviço do clube, Francisco Tavares está também de saída, mas estão reforços na calha para uma equipa extraordinariamente competitiva, que se mais não conseguiu esta época foi porque o plantel é mesmo curto.

Recordemos que no voleibol masculino ficámos pelas meias-finais derrotados pelo Fonte do Bastardo e no feminino fomos derrotados na final pelo AJM/FCPorto.

Continuamos assim na linha da frente das modalidades em Portugal, a par com o Benfica, único clube que compete nas seis modalidades referidas. Mesmo gastando bem menos que o rival e por isso tendo menos estrangeiros de referência nos plantéis. 

Vale mesmo a pena ir ao João Rocha assistir aos play-offs das modalidades preferidas de cada um. Para mim são o andebol e o basquetebol.

SL

É assim o Sporting

É típico do Sporting: faz-se um elogio a X e logo surge alguém a dizer mal de Y. Isto vale para pessoas em geral, para jogadores e treinadores em particular, para dirigentes muito em especial, e também para modalidades - do futebol ao atletismo, passando por todas as outras.

Uma vitória no futebol contra uma equipa que impôs um empate ao FC Porto e venceu o Braga, onze jogos consecutivos sem perder, estamos nos quartos da Liga Europa, progredimos como nunca na Liga Jovem, lideramos as competições em andebol e futsal, etc, etc.

Mas há-de haver sempre um "mas", um "porém", um "não obstante".

Isto é o Sporting.

Vitórias nas modalidades

Não existe um Sportinguista que não tenha um imenso gozo com as vitórias contra o rival do outro lado da 2.ª circular. Ontem tivemos direito a dose dupla no pavilhão João Rocha.

No voleibol feminino vencemos o Vilacondense e ficámos apurados para a Final Four da modalidade em vez do Benfica, que mesmo vencendo nos Açores com o Clube K ficou de fora. Vamos defrontar o sempre difícil Leixões que vencemos em casa mas que nos derrotou fora. 

Como também no voleibol masculino ficámos apurados para a Final Four, indo defrontar nesse caso os açorianos do Fonte do Bastardo, somos o único clube que conseguiu o duplo apuramento.

No basquetebol, e apesar duma arbitragem a inclinar o campo para o outro lado, com um dos árbitros a esquecer a cor do equipamento que tinha vestido, conseguimos reverter um resultado desfavorável a poucos minutos do fim e vencemos por 86-82. Com esta vitória bem difícil num jogo tremendo de emoção seguimos no primeiro lugar na fase final do campeonato.

No caminho para o pavilhão encontrei o nosso pivot norueguês do andebol que também ia ver o dérbi do basquetebol, o Vag, um tipo muito simpático, inteligente e focado, à semelhança do guarda-redes argentino Leonel Maciel, que falou duma equipa de jovens de imenso talento na luta pelo título nacional e pela vitória nas outras competições. O scouting do andebol está mesmo a acertar: é com estrangeiros deste calibre a complementar os miúdos portugueses que podemos aspirar a grandes feitos. Dizem que para o ano vamos ter de volta o Portela e o Frade, vamos ver se se confirma.

SL

Sabe a pouco (2)

Há cerca de um mês falava aqui dos confrontos com os rivais nas diferentes modalidades e das diferenças de orçamentos, importa agora actualizar os números apresentados. 

Os resultados mais recentes das nossas equipas com os rivais são os seguintes:

Futebol Masculino:  Sporting 1 - Porto 2

Sub23: Benfica 3 - Sporting 2

Sub19: Benfica 1 - Sporting 2

Sub17: Sporting 4 - Porto 2

Sub15: Ainda não se realizaram na Fase Final

Futebol Feminino: Sporting 2 - Benfica 4

Basquetebol: Sporting 97 - Porto 84

Futsal: Sporting 6 - Benfica 4

Hóquei: Sporting  5 - Benfica 1

Andebol: Benfica 27 - Sporting 27

Voleibol: Sporting 2 - Benfica 3

Voleibol Feminino: Benfica 0 - Sporting 3 (19/02)

Então, nos últimos 11 dérbis/clássicos das modalidades/escalões mais importantes o Sporting ganhou 6.

Isto com o apoio das bancadas por parte de sócios e adeptos a deixar muito a desejar pelos motivos que conhecemos.

É obra, digo eu. Mas... sabe a pouco. 

SL

Feminismo no Sporting

Para todos os feministas que frequentam este blogue, os de anteontem e os de sempre, preocupados com a igualdade de género no Sporting, pois ficam a saber que o Sporting ganhou mais uma vez ao Porto em voleibol feminino. 

Com um grande treinador, Rui Costa, e verdadeiras leoas em campo, como a Daniela e a Bruzza, temos equipa para disputar o titulo.

Amanhã há mais no futebol masculino.

SL

{ Blogue fundado em 2012. }

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D