Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Esteve bem o presidente Frederico Varandas

A cada dia tenho menos dúvidas, que os nossos rivais equipam de vermelho, ou azul e branco, ao passo que os nossos inimigos, vestem o verde e branco.

Atrevo-me a adaptar uma frase atribuída a Winston Churchill, a propósito das críticas internas que o presidente F. Varandas foi alvo esta semana. Mas vamos por partes:

-Após o final do jogo com o FCP, o presidente surpreendeu, mas foi assertivo, tomando para si, a responsabilidade de publicamente manifestar a indignação que julgo todos os sportinguistas sentiam, pelo roubo vergonhoso que acabáramos de assistir. Talvez uma certa facção de hienas, estivesse um pouco mais desiludida com o golo do empate perto do final do jogo, pois a derrota das nossas cores, serviria melhor a agenda e ambição do seu líder espiritual.

-Em Manchester, Pinto da Costa, resolveu atacar o presidente do SCP, lançando insinuações, como por exemplo, ter saído favorecido do ataque a Alcochete. Ao que F. Varandas ripostou, com factos, qualquer um pode pesquisar no Google as palavras “apito dourado” e “escutas” e sabemos o que aparece. Mas o presidente utilizou também a expressão, “um bandido, será sempre bandido”.

Imediatamente surgiu o bando de hienas, uns porque não atacou o presidente do rival encarnado, outros porque está a cavalgar a onda para desviar atenções. Não é difícil imaginar, que todos estes críticos, o teriam apelidado de frouxo, manso e outros mimos menos simpáticos, se F. Varandas tivesse permanecido em silêncio.

-Também esta semana, ficámos a saber, que Miguel Albuquerque foi condenado em Tribunal por violência doméstica. Após a sentença judicial, aqui permitam, vou mesmo fazer um desenho para os mais distraídos, sentença judicial não é propriamente equivalente a rumores que há muito existiam, decidiu e bem, o SCP suspender o contrato do dirigente, porque estão em causa valores nos quais o clube não se revê. Uma vez mais, sequiosos de vislumbrar qualquer fraqueza no reino do leão, as hienas surgem em acção. Uns porque estamos a prescindir do dirigente mais vitorioso da última década, outros porque tudo não passa de manobra de aproveitamento, para afastar possíveis rivais de F. Varandas em futuras eleições. Ora aqui, uma vez mais, tenho que estar em desacordo com esta seita acéfala, não pode o clube pactuar com violência doméstica. Mais um desenho, violência doméstica é mesmo bater na esposa, acto bárbaro e cobarde, que ficou provado em Tribunal. Tentem explicar às sócias e adeptas do nosso clube, que frequentam o estádio ou pavilhão, porque razão devemos manter no cargo de director das modalidades, alguém com uma condenação por violência doméstica. E já agora, tentem também explicar às nossas atletas e treinadoras, que merecem o máximo do nosso respeito, se gostariam de continuar sob o comando de alguém com este perfil.

Claro que trogloditas para quem o ataque a Alcochete ou apertões a jogadores são actos sem gravidade por aí além, terão dificuldade em compreender as minhas palavras, ao passo que os líderes da seita, apenas tentam o aproveitamento para uma vez mais criticarem, porque caso o SCP tivesse ignorado a sentença judicial, já teria surgido do delirante reino da hipocrisia uma crítica em nome da defesa da honra das nossas leoas.

Tenho sido crítico do mandato de Frederico Varandas, mas não vale tudo, não pode valer tudo, o Sporting Clube de Portugal tem valores, esta semana terá sido porventura, a melhor semana do actual mandato dos órgãos sociais. Esteve muito bem o presidente Frederico Varandas.

 

Adenda: Alertado em comentário, vi que a ex-mulher de Miguel Albuquerque, usou do direito de resposta. Porque considero o mesmo relevante no contexto do post, deixo o link:

Direito de resposta

 

Pungente

varandas.jpg

Vejo nesta madrugada a entrevista do presidente do clube. É pungente. Ouço, com piedade, os primeiros 4 minutos: que atitude subjaz as declarações iniciais de Varandas? O clube em crise, insatisfação generalizada, preocupação de associados e adeptos. Como começa Varandas? Como sempre o auto-elogio, agora recorrendo a elementos externos: gaba a sua própria coragem, a sua própria paciência. E fá-lo através das palavras de treinadores (Mourinho, Jardim). Ou seja, nesses primeiros 4 minutos Varandas - marcando, de forma letal, o rumo da entrevista - sufraga a ideia de um "clube de malucos" (ideia que muitos de nós até partilharíamos, se em privado) para propagandear a sua "coragem" e a sua "paciência". Isto não é só  pequenez, é desnorte. Para quê? Não entende ele que o fundamental é ser gabado por sportinguistas e não por treinadores que lhe recusam os convites?

Pungente? Logo de seguida, a partir dos 4 minutos, decide dar uma mensagem "directa", que entende necessária, aos sportinguistas. E balbucia uma longa deriva afirmando a "humildade" dele próprio e dos corpos dirigentes. Entenda-se, numa entrevista importante num  momento de crise, Varandas começa por recorrer a um dichote externo propagandeando a ideia "de um clube de malucos" para poder sublinhar a sua "coragem" e a sua "paciência". E de seguida diz que a mensagem fundamental a transmitir é a da sua "humildade". Vejam os primeiros 7 minutos, e é isto, nada mais do que isto.

A importância de uma entrevista televisiva é muito relativa. De facto só tem relevância pelo que demonstra da personalidade do entrevistado e do estado da sua auto-consciência. E é notório que Varandas não se percebe a si próprio, devido às suas características. Ao longo do tempo, desde a sua apresentação como candidato, que o venho referindo: trata-se de alguém basto auto-convencido -. o que não é defeito, é característica. E que gere segundo intuições, crê na sua intuição, e em demasia. Isso dá azo a imprudências, e a opção Keizer disso foi exemplo. Letal. A ponderação, a prudência, apesar do tom repousado da sua expressão pública, é-lhe estranha.

Varandas será um belo profissional da medicina. É com toda a certeza um grande sportinguista, dadivoso. A sua disponibilidade para liderar o clube após o descalabro do anterior presidente é mais do que elogiável. Tudo aponta para que seja um homem probo. Mas torna-se óbvio, e ontem a televisão mais uma vez o demonstrou, que não tem as capacidades intelectuais necessárias para administrar um clube como o Sporting. 

Como tal, mais do que discursos louvando a "estabilidade" ou sacralizando regulamentares prazos de mandatos, é importante que se perceba que vai haver eleições a curto ou médio prazo no clube. Pois após apenas um ano a direcção Varandas está esgotada, na trapalhada da gestão do futebol, nos tiques autoritários (o caso da elisão do campeão mundial de judo é totalmente inaceitável), na incapacidade de apreensão do real, na demagogia (o financista Salgado Zenha especulando sobre futebol), na desastrada comunicação com os associados e a massa adepta. Etc. Ou seja, estes corpos sociais ofertaram-se, generosamente, ao clube. E falharam. Urge compor  nova opção, e o quanto antes para evitar maiores maleitas.

Não conheço as pessoas, não vivo a vida interna do clube. Mas vendo-o de fora parece-me que a solução é interna. Vendo de longe parece-me, e apenas especulo, que Miguel Albuquerque, o homem do sucesso das modalidades amadoras sob Bruno de Carvalho e que vem mantendo esse barco com Varandas, tem as características para inverter a deriva  presente e passada. Congreguem-se as tendências sportinguistas, suspendam-se os desbragados egos, desistam os interesses esconsos. E mude-se isto, antes do Natal se for possível.

 

O Rumo Certo

Esqueçam a capa, esqueçam as lampionices de V. Serpa, Delgado e F. Guerra, "A Bola" tem hoje 9 belas páginas sobre o nosso Sporting Clube de Portugal, com destaque para Bruno Fernandes (o lado pessoal deste nosso grande jogador, grande capitão e grande homem também), Marcel Keizer (os números não mentem) e Miguel Albuquerque.

Grande entrevista deste último, 16 anos de trabalho no Sporting, entrevista essa com ênfase no futsal mas passando pelas modalidades principais, e explicitando uma política desportiva para as modalidades ganhadora e sustentável com a qual me identifico em absoluto.

Frases a reter:

" ...esta conquista tem de ser um exemplo de perseverança, o exemplo do que é perseguir um objectivo de uma forma fria e calculista, de acreditar sempre num objectivo e de ter um projecto para chegar a um objectivo e uma linha condutora para nos levar ao sucesso." (foram três finais perdidas para finalmente ganhar a 4.ª)

"... temos tido a preocupação de criar referências e ter uma mescla de jogadores experientes, estrangeiros internacionais com jogadores da nossa formação... O ADN do Sporting será sempre a formação, no futebol e nas modalidades. Mas não ganhamos nada só com a formação."

"Não vamos acrescentar modalidades. O Sporting precisa de reequilibrar as suas modalidades, reorganizar os projectos desportivos; temos de começar a olhar mais para a formação."

"O Sporting não vai conseguir ganhar sempre.... O que eu quero é ganhar muitas vezes. Fazer um projecto de cinco anos e dizer assim: em cinco anos ganhámos 3, e se ganharmos 3 é positivo porque ganhamos mais do que os outros."

"O investimento nas modalidades é para continuar....ninguem ganha se não investir. Tem é de haver equilíbrio."

É isto mesmo. O rumo certo, independentemente dos condicionalismos do momento, das fraquezas e infortúnios, o rumo que corresponde ao lema do Clube. 

Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Eis o Sporting.

SL

A importância da estabilidade

Lembram-se dos nomes que chamaram há dois anos a Nuno Dias?

Eu lembro-me. Não esqueço.

 

Parabéns a ele, que resistiu a tudo - incluindo ao "fogo amigo", que ficou bem evidente após a final perdida em 2017.

Parabéns a Miguel Albuquerque, peça indispensável das modalidades leoninas, sempre com vocação vencedora.

E, claro, parabéns aos jogadores. Destaco o capitão João Matos, o campeão com mais títulos no futsal português. E o grande guarda-redes Guitta, que fez a diferença na final de ontem com uma exibição inesquecível: foi, de longe, a melhor contratação leonina desta época. Com reflexos óbvios na conquista do nosso primeiro troféu europeu numa modalidade que apaixona cada vez mais adeptos.

 

Lembro que Nuno Dias trabalha desde 2012 no Sporting. Isto apenas confirma que não basta a competência: é também fundamental haver estabilidade.

O caminho faz-se caminhando. Nada se consegue com fogachos de curto prazo.

Em que ficamos?

ripe-banana-bananas-stock-today-150710-tease_fc46b

Já foi publicado por aí nos jornais e na blogosfera leonina, não será necessário estar com muitos rodriguinhos: O Sporting foi ao FCPorto jogar na modalidade de hoquei em patins. Dirigentes do FCPorto ameaçaram durante os dias que antecederam o jogo, que os dirigentes do Sporting iriam ser "apertados". Durante o jogo uns filhos da puta invadiram o espaço destinado à comitiva do Sporting e um deles deu um murro no olho da mulher de Miguel Albuquerque, há fotos a circular. 

É certo que no fim de semana estive um pouco a "leste", mas só hoje um comentário a um post do Pedro Correia me despertou a curiosidade para o caso.

Entretanto ainda não vi nenhuma posição pública (não se exige peixeirada, só que se marque uma posição) do clube sobre o assunto, antes uma comunicação de Miguel Albuquerque, que me parece a título pessoal. 

Independentemente de o caso, grave, ter que merecer a atenção da federação respectiva e os portistas terem que ser severamente punidos, onde anda o tipo que assina por secretário de estado do desporto? E onde andam aquelas medidas xpto que o governo tomou aqui há meses?

E onde está uma posição clara deste Conselho Directivo contra estas atitudes anti-desportivas? Diabo, diz-se que o calado morreu de velho, mas não consta que tivesse ganho nada com isso e já é muita trampa a circular e os nossos dirigentes sem reacção.

O caminho faz-se caminhando

Miguel Albuquerque, que chegou a ser apontado como eventual candidato à presidência leonina, declara apoio à candidatura de Frederico Varandas. Segundo o jornal A Bola, em caso de vitória de Varandas poderá ser o futuro director-geral para as modalidades. Com a incumbência de trazer o basquetebol de regresso a Alvalade.

Albuquerque, personalidade muito acarinhada por sócios e adeptos, assumiu em 2009/2010 as funções de director do futsal leonino. Como responsável máximo da modalidade, apresenta um excelente currículo: 25 títulos nacionais e 35 distritais. 

O caminho faz-se caminhando. Varandas continua a marcar pontos na pré-campanha eleitoral do Sporting. Sem necessidade de permanecer acampado noite após noite nos estúdios televisivos - o que não seria prova de força, mas de fraqueza.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D