Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Morreu Agosto

agosto.png

Antes Agosto era o mês de férias popular, nisso aquele que se sorvia devagar, que queríamos estender, prolongar, acariciando dia a dia, como se impedindo o seu escoar, no lazer avesso à angústia, ao "stress" como se diz agora a desadequação. Tudo isso terminou. Pois estamos agora condenados a pedir o rápido fim do mês, o encerramento do maldito "período de defeso", no temor que os clubes "tubarões" - financiados por empórios germinados em ditaduras e no predomínio da economia dita "paralela" - nos venham retirar os melhores jogadores, apoucar a diversão do futebol paixão de nós-povo, assim reduzindo o efeito placebo que ele tem sobre os males próprios e os do mundo.

Mas, e pois não há mal que dure para sempre, até que enfim que morreu Agosto. Regressámos à rotina, sabemos já com o que contaremos, o trabalho diário para os que têm a sorte de o ter, o saldo do cartão de crédito algo exaurido pelos excessos veraneantes, os que ainda os podem. E o plantel intocável até Janeiro, esse outro maldito "defeso" que nos acinzenta a disposição entre Natal e Dia de Reis. E assim, morto Agosto, deixo o meu sentimento sobre o que se passou:

Já por aqui o escrevi em tempos (em registo de desagravo): a qualidade da Academia do Sporting, a sua excelência em formar recursos humanos, mostra-se acima de tudo - e sem desfazer nenhum jogador, Nuno Mendes ou outros - na evolução de Varandas & Viana. Que gigantesca diferença, em termos de "maturidade técnica", "disponibilidade física", "concentração competitiva", "rigor táctico" nesta "época" (defeso) comparativamente ao que aconteceu há dois anos (o seu primeiro defeso a tempo inteiro), algo que vem na senda da excelente "prestação" do último início de época.

Quanto à transferência-espectáculo de Nuno Mendes julgo que a sair algum dos titulares da  equipa campeã - e alguém teria que sair, dados os encargos do clube com as dívidas que se foram acumulando ao longo das décadas - que fosse o nosso lateral-esquerdo, pois existem alternativas e os outros nomes falados do meio-campo seriam de mais difícil substituição. E decerto que alguém vingará, entre Vinagre, um Esgaio adaptado - ainda que um clube de topo não deva ter adaptações deste tipo -, o M. Reis, que não me parece ter a dimensão suficiente mas talvez se jogar regularmente se mostre diferente, o Nuno Santos em alguns jogos talvez, o Feddal. E fala-se num júnior da Academia e num outro miúdo oriundo do Porto, mas isto de crer num "novo Nuno Mendes" costuma correr mal, o excesso de expectativas prejudica sempre quem está a chegar. E é uma notável transferência, chegará aos 50 milhões, se se pensar nos tais 10% de futura transferência e se se perspectivar a usual taxa de empréstimo de um jogador como Saravia. 

Quanto ao resto: o plantel foi mesmo depurado dos que não contavam, não há a lista de "pendurados" que ficou no último ano. Não sei em que condições foram, se ainda se pagam salários, alguns chorudos, mas acredito que em alguns casos isso acontecerá: Camacho, no Belenenses, Ilori, no Boavista, talvez mais alguns dos emprestados a clubes nacionais, mas nesses casos com menores salários. Pena que Joelson e Plata não tenham "pegado de estaca" mas há sempre essa percentagem de "desperdícios", de jovens promessas que não se afirmam. E ficamos todos à espera que o Quaresma faça um bom tirocínio - lamento mas não espero grande coisa dos dois avançados que foram emprestados, Marques e Mendes. Que me lembre dos "excedentários" apenas ficou o Renan - que talvez tenha sido algo injustiçado, cumpriu sempre e perdeu o lugar por lesão. Ou então o seu afastamento radical também se deva a efeitos dessa entidade mágica, o "balneário". Ou seja, um bom saldo de empréstimos e rescisões com jogadores que já não contavam (a rescisão de Matheus Oliveira é uma boa notícia, foi uma contratação absurda - dinheiro deitado fora) e de empréstimos verdadeiramente para rodar (Quaresma, talvez Marques) e para valorizar (Plata, Sporar, mesmo Luiz Phellype - que talvez pudesse ter sido o 3º avançado-centro que tantos queriam -, e até Camacho se arribar). Lamento mas sobre Doumbia, apesar de ir para a suave Bélgica, já não tenho expectativas, tal como não as tenho sobre Eduardo Henrique, jogadores que decerto virão a rescindir em defeso próximo. Temos ainda o berbicacho Bruno Gaspar, outro disparate herdado, que não está resolvido - pura e simplesmente não acredito que haja quem pague milhão que seja para contratar esse lateral-direito.Terá sido bem despachado o Diaby (agradecemos a Keizer), foi bem o Rosier, Misic já era sabido.

Enfim, foi um belo defeso. E continuo na minha crença - o Virgínia terá sido uma aposta séria, ainda nos surpreenderá. É um palpite, pois nunca o vi jogar, mas a operação Max/Virgínia parece-me ser isso, a aposta numa "next big thing". No último dia li que houve troca de jogadores com o Porto - não sei se acordada, o que seria surpreendente. Positivamente surpreendente. Sobre os outros reforços pouco terei a dizer, os dois jovens do Porto, os jovens que vêm de Espanha e Itália, o jovem Ugarte? Decerto que entre eles alguém assomará na equipa, ainda para mais tendo um treinador com o perfil de Amorim. Retiro, acima de tudo, que muito terá sido reduzido o caderno de encargos, inflaccionado por décadas de contratações algo descuidadas e algumas outras pertinentes mas cujo momento actual tornam apenas onerosas (Battaglia é um caso típico disso).

Quanto ao que falta, os défices de plantel - principalmente em termos quantitativos - a que muitos aludem. Julgo que é necessária uma contratação - possível de ser feita em Setembro, dado que se trata de um "agente livre", jogador sem contrato actual. Trata-se do play-maker Calma Adepta. Pois as expectativas estão demasiado altas - e a resmunguice da massa campeã com o Paulinho já mostra isso. É normal que haja mais exigência este ano do que no anterior. Mas não é "natural" (não advém nem da genética, nem do meio ambiente nem da alimentação). Ou seja, a gente podia-se acalmar um bocadinho. E deixar correr, nisso apoiando conseguimentos e ocasionais falhanços. Este caminho, poupado, de promoção de jogadores da academia e de integração de um ou outro português ou experimentado na nossa Liga, jogo a jogo, ano a ano, é o melhor, e tanto foi desejado. E a vertigem crítica, opinativa, vai ser o principal antijogo, o penalti inexistente, o pior dos Luíses Godinhos.

O Sporting não era campeão há 20 anos. E foi. E não é bicampeão há 70. Tende calma. Ou, falando de outra forma, atinai.

Mais fortes ou mais fracos?

Encerrou ontem o mercado de Verão nos principais mercados e o Sporting conseguiu reduzir a folha salarial através da dispensa/venda/empréstimo de algumas dezenas de excedentários, encaixar de imediato uns bons milhões do saldo bem positivo de 36M€ entre compras e vendas, e, mais importante que tudo, segurar quase todas as suas jóias e receber do Porto dois diamantes por lapidar, Gonçalo Esteves e Marco Cruz. Até nos conseguimos libertar dum tal Mattheus Oliveira, filho do Bebeto, um daqueles casos em que com certeza alguém deve ter alguma explicação para dar...

Mas não há bela sem senão. Depois disso ficámos com um plantel chupado até ao tutano. Claro que os plantéis curtos têm a vantagem de ninguém andar aborrecido. Vai haver oportunidades para todos, mas com uma época tão exigente, com Champions, talvez Liga Europa, mais as três provas nacionais, muitos jogadores nas selecções, as lesões e os castigos são incontornáveis, os Godinhos andam por aí e não perdoam, faltariam de facto mais três ou quatro  jogadores distribuídos pelos sectores mais carentes.

 

Podemos assim olhar para o plantel resultante e perguntar se estamos mais fortes ou mais fracos que na época passada.Temos então o seguinte:

1. GR: Igual

Mantém-se Adán, João Virgínia troca com Luis Maximiano como suplente. Tratando-se de dois jovens com idades e percursos nas selecções jovens semelhantes, pode-se pensar que estamos mais ou menos iguais.

2. AL: Melhor

Na época passada Amorim foi testando vários jogadores como alternativa a Porro, como Matheus Nunes e Plata, e a verdade é que teve de vir João Pereira para dar tranquilidade na posição. Vindo Esgaio ficamos com dois alas direitos de qualidade aproximada, pelo que estamos melhor. E ainda existem o Gonçalo Esteves e o Heverthon nos B, os dois de enorme potencial.

3. AE: Igual 

Nuno Mendes tem um potencial incrível e vai ser um tremendo lateral esquerdo, mas veio Vinagre que já provou que assegura bem o lugar. Depois existem Esgaio, Matheus Reis e Nuno Santos como alternativas, para titulares ou entrarem em determinados momentos do jogo. Também temos Nazinho na B e o tal Marco Cruz. Digamos que trocámos a magia do Nuno pela competência do Vinagre.

3. DC: Pior.

Com a saída de Quaresma ficamos reduzidos a quatro defesas centrais mais um defesa lateral adaptado para três posições, o que me parece francamente pouco. Olhando para a B, acabada de ser derrotada 4-3 em Torres Vedras, vejo um Chico Lamba muito verdinho e um Goulart limitado. Nos sub23 não vejo ninguém que se destaque. Vamos ver o rendem o Marsá contratado ao Barcelona e o Catena ao Roma. Depois há o Frobenius nos juniores que tem mesmo pinta de Eric Dier. Concluindo, se a inflamação do joelho de Coates continuar ou algo ainda pior acontecer,  temos aqui um grande sarilho.

3. MC: Melhor

Neste sector saiu João Mário e entrou Ugarte, mas a grande diferença está no rendimento de Matheus Nunes e na adaptação de Tabata. Ficamos assim com cinco jogadores para 2/3 posições, por ordem de intensidade defensiva: Palhinha, Ugarte, Matheus Nunes, Tabata e Daniel Bragança. E ainda com Essugo nos B. Penso que estamos bem servidos e mais equilibrados do que na época passada.

4. ID/E: Muito melhor

No esquema de Amorim, os dois interiores não têm posição fixa, vagueiam entre o ala e o pivot central/ponta de lança e trocam diversas vezes de lado para confundir marcações. A vinda de Sarabia, consagrado internacional A pela Espanha proveniente dum PSG, obviamente veio melhorar muito este sector, que conta com Nuno Santos e Jovane, podendo ainda recorrer a Tabata e TT. Plata e Joelson nunca foram opção firme para Amorim, pelo que a saída dos dois não se fará sentir. Na B o mais próximo de integrar o plantel será Catamo, vamos ver como evolui. Pelo que estamos muito melhor do que na época passada.

5. PL: Igual

O Sporting passou grande parte da época anterior a jogar sem ponta de lança, com três interiores/avançados vagabundos, e não foi por isso que deixou de ser campeão. Mas a entrada de Paulinho deu outra dimensão ao futebol do Sporting, fazendo muito bem um triângulo central com os dois médios centros e projectando os interiores para o ataque. TT está a ser trabalhado como uma alternativa a Paulinho para jogos onde a necessidade de atacar a profundidade seja mais evidente. O grande problema de momento é que quer um quer outro jogam bem mais do que marcam, e especialmente jogam mal de cabeça, conseguindo falhar golos de forma escandalosa. Pedro Marques, Pedro Mendes e Luiz Phellype não constituem apostas para Amorim, se calhar porque para ele é mais importante o trabalho de sapa em benefício da equipa do que a marcação de golos oferecidos por essa mesma equipa. Olhando para a B, o Paulo Agostinho, muito trapalhão, não me parece com futuro na posição, mas já nos sub23, Sogklund ameaça ser um caso sério, com potência física, capacidade de desmarcação e remate ao golo. Será que entre os três, Paulinho, TT e Sogklund, vamos começar a ver golos "à ponta de lança" em catadupa, ou vão ter de ser os interiores mais uma vez a tratar do assunto? E quando é que vamos ver um golo de cabeça marcado por algum dos pontas de lança?

 

Concluindo, o Sporting melhorou significativamente o plantel em termos qualitativos, mas parece curto em dois sectores essenciais: o eixo da defesa e o ataque (ou melhor o cabeceamento) ao golo.

Grande confiança em Amorim, capacidade de liderança, obsessão pelo trabalho, ideias claras, sempre à procura de novas soluções para tornear o conhecimento adversário, o melhor treinador do Sporting desde o "dobradinha" Boloni, e uma equipa que inevitavelmente vai crescer muito com a Champions. 

Vamos com tudo e que a sorte nos ajude.

E eu vou aos bilhetes para o Porto, PSV e Dortmund...

 

#OndeVaiUmVãoTodos

SL

Mercado alucinante

naom_60f976c31b76b.jpg

image.jpg

 

Nuno Mendes sai. Segue para o Paris Saint-Germain, por empréstimo pelo que resta da temporada, com opção de compra - acordada entre os clubes - cifrada em 40 milhões de euros. E sete milhões de euros garantidos já ao Sporting pelo emblema parisiense a título de taxa de empréstimo, elevando a conta final para 47 milhões. Ao que tudo indica, será a segunda mais lucrativa venda leonina de sempre, após a transferência de Bruno Fernandes em Janeiro de 2020. Com uma vantagem adicional: fica assegurada para nós uma percentagem de 10% em futuras transferências do jogador.

 

Pablo Sarabia, médio ofensivo que actuou pela selecção espanhola no recente Europeu, onde marcou dois golos, está prestes a chegar. Vem por empréstimo, cedido precisamente pelo PSG, que garante o pagamento integral dos salários do jogador enquanto actuar de verde e branco.

 

O que pensam destas novidades no plantel leonino?

Um recado às almas sensíveis

image.jpg

 

Andam por aí umas almas muito apoquentadas com os 16 milhões de euros investidos pelo Sporting em Paulinho (estando neste montante já incluídos os 3 milhões pelos quais foi avaliado o passe de Borja, cedido pela SAD leonina ao Braga). 

Lembro a essa gente tão sensível que o Sporting tem, entre os seus rivais directos, um clube como o Benfica, que só nesta época gastou 24 milhões de euros em Darwin (oriundo da segunda divisão espanhola), 20 milhões em Cebolinha18 milhões em Pedrinho, 15 milhões em Otamendi e outros 15 milhões em Waldschmidt, por exemplo. E há um ano investira 20 milhões de euros em Weigl, então apontado como a contratação mais cara de sempre dos encarnados - recorde já superado pelo avançado uruguaio. 

Lembro-lhes também que já em 2016 o SLB adquirira Rafa Silva por 16,4 milhões de euros ao mesmo Sporting Clube de Braga de onde veio Paulinho, recém-chegado a Alvalade.

 

Para alargar as comparações, recordo que outro dos nossos rivais, o FC Porto, adquiriu há ano e meio metade do passe de Nakajima pela módica quantia de 12 milhões de euros. Com os brilhantes resultados que sabemos. Dois anos antes, tinha batido o seu próprio recorde de aquisições ao contratar o espanhol Óliver Torres por 20 milhões.

Este é o quadro competitivo que enfrentamos. Se mantemos o sonho de atingir patamares mais elevados, não podemos destoar demasiado dos investimentos feitos por quem rivaliza connosco. Sem atingir a loucura do Benfica, que ao trazer Lucas Veríssimo por 6,5 milhões de euros acaba de elevar para 105 milhões os gastos em reforços para a temporada em curso. Excluindo Jorge Jesus e os restantes membros da equipa técnica.

Contando já com Paulinho, a factura da SAD leonina é muito menos pesada: totaliza 28,9 milhões de euros. E ninguém dirá que foi dinheiro mal gasto atendendo ao plantel que apresentamos nesta época 2020/2021 em que já conquistámos um título (Taça da Liga) e lideramos com larga vantagem o campeonato nacional de futebol à 18.ª jornada. O que só demonstra competência, dentro e fora de campo.

 

Mas o nosso maior investimento desta temporada relaciona-se com a inédita valorização dos jovens que formamos em Alcochete. Jogadores lançados nos últimos meses na equipa principal, como Nuno Mendes, Gonçalo Inácio, Tiago Tomás, Daniel Bragança ou Eduardo Quaresma - já para não falar nos "veteranos" Jovane Cabral e João Palhinha. 

Isto é o que mais interessa. E deve constituir motivo de orgulho acrescido para os sportinguistas, que há dois dias viram a equipa virar um resultado negativo com quatro jogadores da formação saídos do banco. Enquanto o Benfica, 24 horas antes, alinhara sem qualquer português no onze titular. Contrariando todas as promessas bacocas do seu presidente.

Confiemos pois em quem joga, em quem treina e em quem dirige. E, ao menos por uns meses, deixemos de parte a modalidade preferida de tantos "verdadeiros adeptos" do Sporting: dar tiros no próprio pé.

Mercado de Inverno

Fechou anteontem o mercado em Portugal, mantém-se ainda aberto nalguns países. O Sporting esteve bastante activo, quer no que respeita ao reforço do plantel quer na resolução de situações de excedentários.

.d12.jpgd10.jpgd13.jpg

 

Entradas, no total de 16M€ :

1. Paulinho, 28 anos, 1,88m, 16M€ por 70% passe

É o ponta de lança que Rúben Amorim pretendia, claramente o melhor ponta de lança português da actualidade - também não há muitos, é verdade. Não precisa de adaptação, é chegar, jogar e marcar. O interesse desportivo é óbvio, o valor pago é o que é, seria pegar ou largar.

2. Matheus Reis, 25 anos, 1,83m, 0€

Lateral esquerdo ou central esquerdo num esquema a três, provas dadas no Rio Ave. Consistente. Parado há quatro meses. Um negócio de oportunidade.

3. João Pereira, 36 anos, 1,72m, 0€

Defesa direito de volta ao clube, dispensa apresentações, vem para suplente de Porro e continuar depois como técnico do clube. Faz sentido. 

 

Saídas, no total de 4 M€ (11,5M€ se o S.Braga accionar a cláusula de Sporar):

1.Borja, Sp. Braga, 3 M€

Jogador difícil de definir, mistura uma ou outra coisa boa com asneiras de principiante, nunca conseguiu ser uma aposta continuada deste ou dos outros treinadores que teve no Sporting. Precisa de regularidade para mostrar até onde pode chegar. Deve concorrer com Sequeira para lateral esquerdo do Braga. Muito bem vendido.

2. Sporar, Sp. Braga, empréstimo c/ cláusula de 7,5M€

Um bom avançado falho de "killer instinct", os golos não foram aparecendo e ele foi desmoralizando no Sporting, vamos ver o que faz no Braga. Depois pode voltar para a Champions ou abater directa ou indirectamente na conta do Paulinho.

3. Ilori, Lorient, empréstimo

Que os deuses da Bretanha estejam com ele, e que fique por lá ou por outro sítio qualquer muito tempo.

4. Ristovski, Din. Zagreb, 1M€

Muito coração, pouca cabeça, falho a defender, inconsequente a atacar, nunca se conseguiu afirmar no Sporting. A venda foi pelo que se conseguiu arranjar.

5. Misic, Din. Zagreb, empréstimo c/ cláusula de ?

Muito pouco se viu dele no Sporting, uma daquelas contratações mistério do tempo do ex-presidente.

6. João Silva, Alavés, 0€

Pouco conheço dele. Um dos centrais da equipa B, ia acabar contrato, entendeu sair.

7. Rafael Camacho, Rio Ave, empréstimo

Tem coisas de bom jogador, outras de cabeça no ar, quer jogar onde quer e como quer, vamos ver o que sai dali.

8. Pedro Marques, Gil Vicente, empréstimo

Uma boa equipa para mostrar o que vale.

9. Pedro Mendes, Nacional, empréstimo

A mesma coisa, uma boa equipa para mostrar o que vale. Quem vai chegar mais longe, Marques ou Mendes? Aceitam-se apostas.

10. Ivanildo Fernandes, Almería, empréstimo

Com treinador português, mas vai para ambiente de pressão com vista à subida de divisão.

 

Para resolver ficam ainda os assuntos Renan, um caso mal explicado, um jogador que deu duas taças ao Sporting, e o que resta do entulho da presidência anterior: Lumor, Bruno Gaspar e Bruno Paulista.

E como fica o Sporting? Mais leve na carteira, isso é um facto, mas com um plantel mais forte e consistente. Fomos buscar quem Amorim precisava e graças ao seu trabalho não andámos a gastar dinheiro em cromos da bola. Todos os contratados do Verão estão a ser muito bem aproveitados, com estes não vai ser diferente. E foram cerca de 15M€, bem menos do que custou Weigl ao Benfica. 

d1.jpgd2.jpgd3.jpg

d4.jpgd5.jpgd6..jpg

d7.jpgd9.jpg

Então, só podemos desejar que as novas contratações tenham tanto sucesso quanto tiveram as do mercado de Verão. Vêm para um clube bem maior do que os anteriores, encontram um óptimo treinador e uma bela equipa no primeiro lugar na Liga, só têm de corresponder ao esperado.

SL

Avançados que não são Paulinho

Não quero crer que seja Paulinho o ponta-de-lança que irá reforçar o Sporting nesta janela. Não é mau jogador, mas tem quase trinta anos e um custo absurdo, pronto a ir para os cofres de um clube da mesma liga. Pelo que se lê e ouve, é uma pequena obsessão de Amorim e hoje, todos confiamos em Amorim mas se temos 12 a 15 milhões a mais, acredito que haja melhores opções, em ligas periféricas. A saber:

Dennis Man, 22 anos, romeno, Steua Bucareste, 6,5 milhões de euros (valorização do Transfermarkt) – É jovem, buscará outro patamar competitivo e é um goleador que leva 17 golos em 20 jogos esta época. Está rodeado de outros jogadores de qualidade e um deles, o extremo Florian Coman, também seria bem-vindo, numa operação mais para o verão.

Bruno Pektovic, 26 anos, croata, Dínamo Zagreb, 11 milhões de euros – Mais experiente e corpulento do que a opção anterior, Pektovic é um jogador que me enche as medidas. Internacional croata, leva 8 golos esta época depois de 25 nas duas últimas. Não teve grande sucesso em Itália e terá a ambição de se afirmar fora do seu país.

Giorgos Giakoumakis, 26 anos, grego, VVV-Venlo, 0,8 milhões de euros – Opção mais desconhecida e barata da lista, este grego soma 20 remates certeiros na liga holandesa, depois de alguns anos interessantes no seu país. É bem verdade que esta não é a liga mais competitiva do mundo mas a verdade é que soma mais golos do que nomes mais sonantes ou a quem apontam grande futuro como Malen, Boadu, Antony ou Tadic.

Paul Onuachu, 26 anos, nigeriano, Genk, 12 milhões de euros – É o goleador da liga belga e tem sido um marcador de golos consistente na Europa. Experiente, mas com margem de progressão seria uma adição de primeira linha. É companheiro do compatriota Cyril Dessers, da mesma idade, que fez grande época no ano passado e que seria uma opção também interessante.

Estes são apenas alguns nomes, muitos mais existem, de avançados que não são Paulinho e que nos impedem de enriquecer ainda mais o Braga e sobretudo, nos dão garantias de golos.

Olhando para o mercado...

Sem querer entrar em críticas ao departamento de Scouting e a quem constroi o plantel, acredito que, mesmo liderando o campeonato, o recente resultado da Taça de Portugal veio confirmar o que já muitos pensavam ao ver certas exibições.

O plantel tem falta de profundidade para as várias competições, havendo, em algumas posições, falta de qualidade das alternativas, face aos habituais titulares.

Posto isto e procurando fugir de possíveis negócios com os nossos rivais e com o Braga, deixo aqui alguns nomes que me enchem as medidas e que acredito que podiam acrescentar qualidade ao nosso plantel.

O primeiro é um defesa central do Vitória de Guimarães, o ganês de 22 anos, Abdul Mumin. Gosto muito de Eduardo Quaresma mas parece que deixou de contar para Rúben Amorim. Luís Neto está longe de ser consensual e Gonçalo Inácio, apesar de um tremendo potencial, parece-me ainda verde e a precisar de rodar. Por estes motivos acredito que esta contratação podia trazer um acréscimo de valor ao plantel

O segundo é Reggie Cannon, lateral direito de 22 anos que atua no Boavista. Admito que está longe de ser Pedro Porro, mas não me parece que nenhum dos outros laterais do plantel tenha qualidade para ser alternativa. Nem Camacho, nem Borja, nem Antunes ou Plata devem ser considerados para ocupar esse lugar.

O terceiro ´é uma opção para o trio da frente que acrescente qualidade e permita dar descanso aos habituais titulares. Falo de um esquerdino brasileiro que, em 2015,  Luiz Felipe Scolari lançou com apenas 16 anos no Grémio. Atualmente o jogador em questão destaca-se  no  Santa Clara e dá pelo nome de Lincoln.

Por último gostava de deixar um nome que me parece ser uma excelente alternativa a João Palhinha e que, apesar de ainda não ter tido oportunidade de se mostrar nas competições nacionais, já acompanho há algum tempo com curiosidade. Falo do médio uruguaio de 19 anos que o Famalicão, neste mercado de Inverno, contratou ao Fenix, Manuel Ugarte.

Não deixo aqui nenhuma sugestão para ponta de lança, posição em que apresentamos também falta de alternativa, porque não acredito que Paulinho seja o que precisamos e, porque não há, nas competições nacionais, nenhum jogador que entenda poder encaixar-se no plantel. Além disso, certos nomes do mercado internacional que seriam claros acréscimos de qualidade obrigariam o clube a cometer uma loucura financeira.

Digam de vossa justiça e, caso entendam que se justifica, deixem outras sugestões.

Reforços de Outono

A lista mais recente divulgada pela Liga dá conta da inclusão no plantel do Sporting dos seguintes futebolistas:

Rafael Camacho

Tiago Ilori

Bruno Gaspar

Ivanildo Fernandes

Bruno Paulista

Lumor Agbenyenu

e ainda dos jovens Diogo Sousa e Gonçalo Costa, estando este último a dar muito boa conta de si depois do calvário das lesões que lhe travaram a afirmação.

Abstenho-me de tecer considerações quanto à incapacidade de encontrar soluções para estes profissionais num longo defeso. Até seria capaz de preferir Ivanildo a Borja e Lumor a Antunes se tivesse de construir um plantel ambicioso e contido no orçamento.

Sendo profissionais do Sporting, desejo-lhes o melhor, ainda que alguns não tenham o mínimo de argumentos para triunfar na equipa principal e tenham sido negócios ruinosos que agravaram o buraco em que o clube se encontra.

Mas ninguém duvide que não é por acaso que chegamos ao último dia do mercado sem resolver estes casos.

Palhinha a 4.000 quilómetros da Premier

João Palhinha nunca se afirmou no Sporting. Esta época, com um treinador que apostou nele no ano passado e na véspera de um Campeonato da Europa, seria muito bem-vindo a um plantel sem grande qualidade e a precisar de um seis. Mas, Palhinha tem o sonho legítimo de jogar em Inglaterra ou pelos menos numa liga mais competitiva e o Sporting tem a necessidade de fazer dinheiro. O problema é que o trinco estará a caminho do CSKA por 12 milhões. Ou seja, o médio fica a mais de 4.000 quilómetros da Premier League; o Sporting não ganha grande coisa, já que ninguém parece chegar aos 15 milhões pedidos e o Braga a quem já devemos bom dinheiro, ainda fica com uma parte do bolo e o Sporting, continuará sem dinheiro nem médio defensivo. As boas movimentações por Santos e Pote foram sinal de melhoria na estrutura ou sorte? 

Faro também tem aeroporto

O Sporting viajou no sábado para o Algarve, deixando Acuña (até já lhe roubaram o número 9), Palhinha e Camacho para trás. Percebo que, sobretudo, os dois primeiros, possam ser transformados em 30 milhões de euros, essenciais para os cofres leoninos. Mas, a não ser que sejam transferidos hoje ou amanhã, deixa-los em Lisboa é dizer ao mercado que não contam para o treinador e encorajar os compradores a darem menos. Acuña parece não aguentar os noventa minutos, parece não controlar o seu feitio, mas está entre os melhores jogadores do plantel desde que chegou. Palhinha nunca se afirmou em Alvalade nem nas selecções de Portugal, mas hoje é o melhor médio defensivo com ligação ao Sporting e já conhece o treinador e os seus métodos. Camacho foi uma desilusão, mas é um jovem com margem de progressão e passagem pelo Liverpool. Estes três deviam estar com a equipa no Algarve, até porque, havendo propostas sérias, Faro também tem aeroporto...

Que plantel vamos ter este ano? (2.ª versão)

21883271_dZlhy.jpeg

 

Passaram apenas dois dias, mas o site Transfermarkt actualizou os valores de mercado, o arranque dos trabalhos trouxe indicações sobre as saídas e confirmou-se a vinda de Nuno Santos. Venho então actualizar este post, podem consultar o anterior para melhor enquadramento.

Parece realmente que Acuña, Palhinha, Battaglia, talvez Camacho, mais os muitos excedentes, estarão na porta de saída.

Pensando no tal plantel de 24 jogadores referido por Frederico Varandas, suportado por uma equipa B em sintonia táctica com a principal a preparar jogadores para poderem ser chamados a qualquer altura para a equipa A, que plantel vamos ter?

 

Qualquer coisa como:

Guarda-Redes:

1. Max (21anos, 1,90m de altura, oriundo da formação, valor de mercado TransferMark 6M€)

2. Adan (33, 1,90m, ex-Atl. Madrid, Real Madrid, etc, 0,8M€)

Lateral Direito:

3. Porro (20, 1,76m, ex-ManCity, 9M€)

4. Contratação ?

Defesa Central Direito:

5. Eduardo Quaresma (18, 1,85m, formação, 7M€)

6. Fala-se em Lyanco (23, 1,86m, Torino, 6,5M€) ex-capitão dos sub-23 do Brasil

Defesa Central:

7. Coates (29, 1,96m, ex.Liverpool, 8M€)

8. Neto (32, 1,85m, ex.Zenit, 1,6M€)

Defesa Central Esquerdo:

9. Borja (27, 1,80m, ex-Toluca, 3,5M€)

10. Feddal (30, 1,92m, ex-Betis, 4M€)

Lateral Esquerdo :

11. Nuno Mendes (18, 1,84m, formação, 7M€)

12. Antunes (33, 1,76m, ex-Getafe, Din.Kiev, 1,6M€)

Médios Centro:

13. Wendel (22, 1,80m, ex.Fluminense, 12M€)

14. Matheus Nunes (21, 1,83m, ex-Estoril, 3M€)

15. Daniel Bragança (21, 1,69m, formação, 0,48M€)

16. Pedro Gonçalves (22, 1,73m, ex-Famalicão, Wolverhampton, 7M€)

Interiores Direitos / Esquerdos:

17. Vietto (26, 1,73m, ex-AtlMadrid, 7M€)

18. Plata (19, 1,79m, ex-Independiente Equador, 4M€)

19. Jovane (22, 1,76m, formação, 10M€) 

20. Nuno Santos (25, 1,76m, ex-Rio Ave, V.Setubal, BenficaB, 4M€) 

21. Contratação?

Pontas de lança:

22. Sporar (26, 1,86m, ex-Slovan Bratislava, 5,5M€)

23. Tiago Tomás (18, 1,80m, formação, 1M€)

24. Contratação?

 

Entretanto a actualização dos valores do Transfermarkt permite pôr em perspectiva o valor do plantel do Sporting perante a concorrência:

1. Benfica - 382 M€

2. Porto - 297 M€

3. Sporting - 168 M€

4. Braga - 109M€

Até ao final do mercado estes números irão variar, mas no final iremos ter mais ou menos isto, estaremos algures entre os dois rivais e aquele clube do Minho que alguma gente que se diz Sportinguista muito adora. 

SL

 

A gestão desportiva de Varandas

Texto de Leão da Cova da Beira

fredericovarandas3[1].jpg

 

Se me é permitido, [recordaria] as abordagens ao mercado do Sporting, neste consulado de Frederico Varandas.

2018/19 (Mercado de Inverno), INVESTIMENTO 11 M€:
Tiago IIori: 2,4 M€.
Borja: 3,2 M€.
Doumbia: 3,8 M€.
Gonzalo Plata: 1,1 M€.
Luiz Phellype: 0,5 M€.

2019/20 (Mercado de Verão e Inverno), INVESTIMENTO 28,5 M€ + o passe de Mama Baldé:
Vietto: 7,5 M€.
Sporar: 6 M€.
Rosier: 5 M€ (+ o passe de Mama Baldé, avaliado em 5 M€).
Rafael Camacho: 5 M€.
Eduardo Henrique: 3 M€.
Jesé Rodriguez: (taxa de empréstimo 2 M€).
Neto: "custo zero" (com prémio de assinatura desconhecido)
Bolasie: (emprestado).
Fernando: (emprestado, nem fez estreia na equipa principal do Sporting).

Um investimento total de mais de 40 M€ em 11 reforços e três empréstimos.

Mas verdadeiros reforços serão apenas dois ou três: Plata, Vietto e Sporar...

 

Um mero exemplo: o Sporting contratou Sporar em Janeiro de 2020, é um ponta de lança móvel e deixou bons indicadores. Em meia temporada, fez seis [sete] golos. Gelson Dala, emprestado ao Rio Ave em Janeiro (Rio Ave que então lutava pela Europa com o Sporting, surreal esse empréstimo), mas Dala fez em meia temporada os mesmos seis golos de Sporar, sendo um habitual suplente do Rio Ave. Fez sentido contratar, quando em casa temos um avançado móvel com as mesmas características?

Em Agosto [de 2019], chegaram três emprestados: Bolasie, Jesé e Fernando. Em sentido oposto, o Sporting cedeu/vendeu Carlos Mané por 0,750 mil€ (a taxa de empréstimo de Jesé foi de 2 M€), cedeu Mama Baldé, que fez seis golos na Liga francesa no modesto Dijon, e emprestou Gelson Dala e Matheus Pereira.

Pergunto: alguém vislumbra algum critério, alguma racionalidade nesta gestão desportiva?

Qual foi o critério dos três emprestados?

Bom, o Jesé fez um golo, o Bolasie fez outro [fez dois] e o Fernando nem se estreou. Se isto não é gestão desportiva danosa...


Texto do leitor Leão da Cova da Beira, publicado originalmente aqui.

Feito de Sporting

Nem só de qualidade vive o plantel do Sporting, mas também de sportinguismo, de jogadores que nos tenham para oferecer esforço, dedicação e devoção.

Nesse sentido, ocorrem-me os seguintes nomes que gostaria que integrassem o plantel da próxima época:

Na baliza, Beto. Jogador livre, sportinguista dos sete costados, seria o padrinho perfeito para ajudar à maturação de Max.

No meio campo, Adrien. Jogador que já manifestou publicamente vontade em voltar ao Sporting, seria novamente o capitão da equipa, a liderar aquela juventude toda.

Na frente de ataque, Ricardo Quaresma. Jogador livre, tem carinho pelo Sporting, seria o padrinho perfeito para ajudar à maturação de Plata, Rafael Camacho, eventualmente de Joelson, e de mais algum miúdo a sair da fornada da Academia.

São jogadores assim que puxam pela nossa ligação à equipa, pela sua competitividade, não os Bolasies ou Jesés desta vida. 

Mercado transparente

Francisco Adán, Robin Olsen, Pedro Porro, Vitorino Antunes, Zouhair Feddal, Danilo Barbosa ou Wanderson. Estes são alguns dos nomes que têm sido associados ao Sporting, para reforçarem a equipa na próxima época. Opções interessantes, acessíveis e sem representarem um clube contra o qual o Sporting vá jogar até fim da época.

Nunca mais é sábado

Bruno Fernandes despediu-se ontem dos adeptos do Sporting. Pela décima vez. Já foi do Manchester City e do Tottenham. Mas logo regressou ao Sporting. Transferiu-se depois para o Manchester United, tendo estado em dúvida para a receção ao Benfica. Só viajou depois para Old Trafford. Mas regressou a tempo de estar na Final 4 da Taça da Liga. Fez uma perninha ontem, mas logo para voltar a ser transferido. Bruno vai jogar pelo Valência durante meio ano, destronando Parejo, capitão de equipa há uma vida, apenas para no verão se juntar ao Barcelona. Lógica? Uma troca de empréstimos. O Barcelona gastaria já 60 milhões em Fernandes para o emprestar e receberia Rodrigo Moreno, cujo passe custa…40. Calculo que Fernandes passe pelo Mestalla e pelo Camp Nou e regresse mesmo a tempo de ser titular…na Pedreira.

PS: Para que fique claro, sou fã de Bruno Fernandes e uma transferência para uma liga maior, parece-me um passo natural, assim cheguem os 60 milhões pedidos. Só me parece é que a novela nao vai acabar esta semana.

Entradas e saídas

Dois terços do período previsto para o mercado de transferências deste Inverno já se escoaram: entramos agora praticamente na recta final. No Sporting, além da saída de um irrelevante jogador que chegara há quatro meses por empréstimo e nem chegou a calçar na equipa principal, ainda nada aconteceu.

É o momento de vos perguntar: que jogadores gostariam de ver chegar ao nosso clube até ao final deste mês? E, na vossa opinião, que elementos do plantel deviam ser transferidos?

Fica lançado o debate a quem queira participar.

O mercado

Começando pelas melhores notícias: achei ótimo despachar-se o Bruno Gaspar e o Diaby, mesmo só por empréstimo.

Achei normal a venda do Bas Dost, pois é um jogador sem grande margem de progressão, com 30 anos e com um salário elevado. Realizar um bom encaixe financeiro foi positivo. Claro que merecia ter saído noutras circunstâncias e com uma despedida condigna. Foi um excelente profissional que deixará saudades. Mas saiu bem.

Tenho mais dúvidas (e mais pena) em relação à saída do Raphinha. Embora o negócio seja bom, é um jogador que talvez tivesse ainda mais margem de progressão e era um titular indiscutível. Daqui a um ano não valeria menos, ao contrário do Bas Dost.

Acho inacreditável e indefensável a venda do Thierry Correia, o jogador mais promissor e entusiasmante do início de época, após ter realizado cinco partidas pela equipa principal. É assim que se quer apostar na formação? É esta a mensagem que se pretende transmitir aos jovens jogadores?

Depois das vendas do Raphinha e do Bas Dost, do acordo pelo Podence e do que se poupa em salários, a situação financeira do clube é assim tão periclitante que justifique uma venda tão precoce como a do Thierry? 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D