Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Os nossos comentadores merecem ser citados

«Manuel Marques era uma pessoa muita divertida, sempre bem disposta. Embora estivesse sempre com muito trabalho, nunca o vi com cara de poucos amigos. Todos os atletas gostavam imenso dele. Sendo um profissional extraordinário, tinha sempre uma forma de viver que cativava as pessoas.»

 

Fernando Albuquerque, neste texto do Pedro Quartin Graça.

Os nossos ídolos (29): Manuel Marques

 

Manuel Marques e Vítor Damas. Duas das grandes glórias e lendas da História do Sporting

 

Tive a enorme honra de o conhecer. Na verdade foi Manuel Marques, o “Mãos de Ouro”, que fez a recuperação física da minha irmã mais nova, operada ao um joelho e muito necessitada de urgentes cuidados de fisioterapia, o que levou semanalmente a minha casa durante alguns meses, depois de uma bem sucedida operação levada a cabo por Branco do Amaral, médico do Sporting. Manuel Marques não era médico mas sabia muito mais do que a maior parte deles. Modesto, de uma educação exemplar, ficava deliciado a vê-lo trabalhar.

 

Uma vez, anos mais tarde, consultei-o em sua casa, ali para as bandas do Liceu Padre António Vieira. Tranquilizou-me relativamente às minhas suspeitas de que teria um problema num joelho. Até hoje o seu diagnóstico revelou-se certeiro. Possuídor de uma capacidade ímpar de recuperação de atletas, Manuel Marques conseguiu, ao longo da sua vastíssima carreira de mais de 50 anos no nosso Sporting, tornar-se numa lenda viva.

 

Natural de Arganil, terra onde nasceu a 19 de Setembro de 1910, veio para Lisboa com 12 anos e nunca chegou a ser médico, o seu sonho, tendo-se formado em enfermagem. Nessa qualidade exerceu funções no Sporting e na Selecção Nacional de Futebol durante 54 anos, nesta a partir de 1942.

 

Como reconhecimento dos seus enormes atributos, em 1953, por ocasião da conquista pelo Sporting do seu segundo tri-campeonato, o Clube atribuiu-lhe a camisola 12 numa homenagem àquele que era considerado o 12º jogador.

 

Deixou-nos em 1990, data que recordo com tristeza, sendo que, de certa forma, o seu nome ficou perpetuado para sempre ao ser atribuído à sala onde funciona o Posto Médico do Clube.

 

Não era um atleta, mas muitos atletas nada teriam sido sem ele. É o ídolo de muitos. Merece estar aqui.

 

 


{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D