Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Aceitam-se sugestões

IMG_20210610_153032~2.jpg

Aproveitei estes dias para algumas arrumações.

Tenho uma estante só para livros de desporto organizados por temas, biografias de jogadores, biografias de treinadores, biografias de presidentes de clube. O problema está, precisamente, aqui o que faço com os livros de Carolina Salgado? Coloco-os ao lado dos de Pinto da Costa? Crio uma nova secção? E chamo-lhe como?

Um livro para recordar

Faz muuuuuuuuuitos anos que deixei de comprar o jornal "A Bola". Creio que o último terá sido mesmo em 2002, aquando da vitória do campeonato, naquele ano.

Entretanto recentemente fui dando conta, através da publicidade, da edição de um livro sobre esta última época leonina e que culminou na vitória do nosso Sporting.

Acabei por isso por comprar ontem o diário e o livro, que entretanto já folheei. Gostei do que vi e de vez em quando aquele jornal também faz umas coisas engraçadas e interessantes.

Aqui fica a capa do livro, que recomendo!

Livro_leao.jpg

Financiamento da criação do Sporting Clube de Portugal

Screenshot_20200913-145656.png

Imagem: página 22 da edição n.º 3773 do Jornal Sporting 

Anteontem, a carta de José Alvalade a Francisco Gavazzo, hoje, o texto de Luís Augusto Costa Dias que acompanhou a publicação da carta no Jornal Sporting e que esclarece alguns dos contornos da fundação do Clube mais imponente de Portugal. Concretamente, os do financiamento da edificação.

«Para o dia 14 de Abril de 1906 estava marcada uma reunião da maioria dos sócios do Campo Grande Foot-ball Club, incluindo os membros da sua direcção, os chamados dissidentes para a formação de um novo clube desportivo que viria a ser o Sporting Clube de Portugal. O jovem José Alvalade tinha assumido a liderança dessa dissidência, pedindo ao avô, visconde de Alvalade, que permitisse realizar esse encontro que veio efectivamente a ocorrer na sua quinta do Lumiar. Porém, pressionados pela efectivação dessa reunião, os restantes sócios do clube do Campo Grande procuraram antecipar-se e exigiram a realização de uma 'assembleia geral' para o dia anterior de modo a eleger uma nova direcção e evitar o esvaziamento do clube. Em resposta ao clima de argumentos e atitudes violentas, José Alvalade declarou demitir-se do cargo de tesoureiro e abandonar aquele clube, no que foi seguido pelo presidente da direcção, Fernando Barbosa, e por José Maria Gavazzo, em representação do seu irmão Francisco que era o secretário e estava então ausente em Paris e, com estes, pronunciou-se uma dezena de sócios. Embora não existam quaisquer fontes que o provem, para além de vagas memórias posteriores, diz a lenda que José Alvalade, ao abandonar aquela reunião, teria afirmado que ia ter com o avô para fundar um novo clube. Daí, nasceu outra lenda, a de que o visconde de Alvalade terá concedido os recursos para a criação da nova associação desportiva e financiado o recinto desportivo da Alameda, construído entre Junho de 1906 e o mesmo mês de 1907. Os documentos que sobreviveram - um conjunto de cartas trocadas com Francisco Gavazzo e reveladas por este quase 50 anos depois - provam um outro cenário.

É verdadeiro o entusiasmo do visconde de Alvalade no apoio à ideia do neto em fundar um clube que fosse "grande entre os grandes" e semelhante aos clubes estrangeiros". Para isso, dispôs-se logo a atribuir terreno no topo norte da Quinta de Alvalade, mas para a sua transformação num recinto desportivo, com campos para várias modalidades e edifício-sede, era necessário o elevadíssimo investimento de 500 mil réis. Porém, o visconde limitou-se quase só a adiantar verbas iniciais, pois os cerca de 30 sócios que fundaram o Sporting CP suportaram o orçamento ao longo de um ano, antes de mais o próprio José Alvalade. Na verdade, segundo este afirmou a Francisco Gavazzo, avançou por sua conta com um empréstimo de 200 mil réis, em Outubro de 1906, ao atingir a maioridade, referindo ainda que o clube retirava da sua própria tesouraria o dinheiro "das jółas [e] das quotas antecipadas" pagas pelos primeiros sócios, só os dez fundadores extraordinários, com poderes especiais de decisão ao tempo da fundação do Sporting Clube de Portugal, tinham subscrito uma jóia inicial no valor de 10 mil réis cada um, perfazendo, portanto, um montante próximo de 100 mil réis. Finalmente, as quotas dos cerca de 30 sócios renderam 15 mil réis por més, portanto 180 mil ao longo de um ano, entre o começo das obras e a inauguração das instalações. Com este esforço e dedicação dos próprios associados, os adiantamentos do visconde de Alvalade, ou maior parte deles foram ressarcidos e os custos com a criação do primeiro recinto polidesportivo em Portugal foram suportados por esse grupo de rapazes, cujas ideias convergem todas para o mesmo fim: a fundação e o desenvolvimento do Clube.»

A super bock d´Avillez

21878679_vZrAG.jpeg

 

Nós, sportinguistas, sabemos  a razão pela qual chegámos ao Jamor e levantámos a Taça.

Para Filipe d´Avillez a explicação é outra, nada como ser ele a explicar-nos o que aconteceu (o padrinho é ele, refere-se a si próprio como "o padrinho" não deixa de ser irónico, para um benfiquista):

"Cabisbaixo, o padrinho pensa (...). Não consegue pensar em nada.

Quando chega a casa é recebido pela mulher, que pergunta como é possível terem perdido contra aquela gente [o padrinho chegava a casa vindo de Alvalade onde assistira a um fabuloso golo de Bruno Fernandes que eliminara o Benfica do, na altura, melhor treinador do mundo, Bruno Lage].

Despede-se de Isabel, a amiga que lá esteve a fazer companhia à mulher na sua ausência, que lhe diz que trouxe umas cervejas e que sobrou uma, que está no frigorífico. Agradece mas não liga muito. Não lhe apetece beber. Já na cozinha procurando os restos do jantar, abre o frigorífico e vê que a cerveja que sobrou é da marca errada. Ali mesmo, no seu frigorífico, à frente dos seus olhos, numa atitude de clara provocação. Abana a cabeça e desvia o olhar. Pelo menos a derrota está explicada."  pág. 153

Este livro fala-nos da Taça de Portugal, conquistada pelo Sporting em 2019, duma perspectiva diferente, a ideia é ir acompanhando as equipas pequenas, o Casa Pia, curiosamente, treinado por Rubén Amorim (mais tarde, por Luís Loureiro) é um dos protagonistas desta edição a par do Vale Formoso, equipa dos Açores que foi perdendo jogos e galgando eleminatórias (o livro explica como).

Um bom livro com alguns lapsos uns mais desculpáveis que outros; "Marcel Kaizer" pág. 86, "O primeiro jogo da época é um Benfica-Sporting para a Supertaça em agosto. O sporting [sic] vence num jogo mal jogado" pág. 189.

Uma sugestão de leitura para quem gosta de futebol e de tudo o que o envolve, os adeptos, os coiratos e as cervejas, certas ou erradas.

O confidente de Carvalho

É impressão minha ou o ex-presidente Bruno de Carvalho escolheu um fanático benfiquista para lhe escrever o seu livro de memórias, que será lançado a 15 de Fevereiro? Luís Aguilar, o anunciado "co-autor", chegou a ser incluído entre os alegados "jumentos" do estado lampiânico pelo blogue Mister do Café.

De membro da putativa "máquina de comunicação e propaganda do Benfica" a escriba confidente de Carvalho: uma cambalhota monumental. Ficarei à espera de ver quem vai bater palminhas.

Manual para a conquista da Liga 2018/2019

320x.jpg

A todos os colegas deste espaço, extensivo aos demais adeptos/sócios leoninos que por cá passam habitualmente, recomendo a leitura deste livro da autoria de Gonçalo Pereira Rosa, dedicado à épica equipa do Sporting que conquistou tudo na ida temporada de 1981/1982.

Para mim, que não era nascido nessa época, nem nunca vi jogar ao vivo os seus jogadores (com excepção de Carlos Xavier), foi uma agradável revelação conhecer, com pormenor, Malcolm Allison, o plantel e, sobretudo, a empreitada que levaram a cabo, entrando, distintamente, para a gloriosa história do Sporting. 

A época é revisitada com detalhe, desde os jogos, passando pelos bastidores. O melhor e o pior do Sporting, que todos sabemos de ginjeira, estão lá.

Espero que tenham feito chegar este livro a José Peseiro e à sua equipa técnica. Tem lá muitos aspectos (liderança, motivação, conhecimento, gestão de intrigas, etc.) que poderão ajudar e muito no comando da equipa. Uma espécie, pois, de manual para abordar a temporada e a conquista de importantes feitos.

[pub.] Tomem nota: quinta, 18.30

Convite Delito_27 abril-page-0.jpg

 

A sessão de lançamento do livro DELITO DE OPINIÃO realiza-se esta quinta-feira, pelas 18.30, na Livraria Almedina, situada no segundo piso do edifício Atrium Saldanha (Praça Duque de Saldanha), em Lisboa.

A obra será apresentada pelo escritor e jornalista Tiago Salazar.

Espero lá por vós, na companhia dos restantes autores desta obra colectiva que reúne alguns dos melhores textos publicados naquele blogue, fundado em Janeiro de 2009. 

Lançamento de Livro

Calhou ser no dia do grande dérbi. Pode ser que dê sorte.

 

Antes do lançamento do livro, haverá, no mesmo local, pelas 15 horas, uma reconstituição histórica do Paço de Dona Teresa, pelo grupo viseense "Portucale Fidelis".

 

Quem não estiver em Lisboa e quiser um banho medieval antes de mergulhar no jogo, será bem-vindo.

 

Convite Memórias.jpg

 

 

Reencontro com amigos no Chiado

IMG-20180427-WA0003.jpg

IMG-20180427-WA0000.jpg

image[2].jpg

 

Confesso: ontem foi um dia para mim muito preenchido, com uma entrevista na Rádio Renascença a meio da tarde, em agradável diálogo com a Ana Galvão, que já foi nossa Leoa à Sexta. Depois com o lançamento do meu livro, na histórica Livraria Bertrand do Chiado, com apresentação do Francisco José Viegas e da Helena Matos (a quem agradeço as generosas palavras que me dedicaram). Finalmente, à noite, com a exibição no canal Q de uma entrevista no programa É a Vida, Alvim, à conversa com esse simpático benfiquista que é o Fernando Alvim, outro grande nome da nossa comunicação radiofónica (e televisiva).

O melhor foi mesmo o convívio ao vivo com bons amigos de várias etapas da minha vida pessoal e profissional que se deram ao incómodo de acorrer à Bertrand na sessão de apresentação de 2017 - As Frases do Ano, obra em que revivo todo o ano passado em mais de mil frases, muitas das quais relativas ao mundo do futebol. Um ano em que palavras como cartilha e cartilheiro estiveram muito em foco, infelizmente por péssimos motivos, como fiz questão de sublinhar na minha breve intervenção de ontem.

Como tantas vezes acontece, nós, sportinguistas, estávamos em maioria. Só aqui do blogue, e para além deste vosso escriba, compareceram o Eduardo Hilário, o José da Xã, o Luciano Amaral e o Pedro Azevedo. Além de três membros eméritos do És a Nossa Fé: o Adelino Cunha, o João Paulo Palha e o João Villalobos. Vários outros tiveram a gentileza de me enviar mensagens que registei com muito agrado, nomeadamente o Francisco Almeida Leite, o João Goulão, o João Távora, o JPT, o Pedro Almeida Cabral, o Pedro Bello Moraes e o Ricardo Roque. São palavras que nestas ocasiões dá sempre gosto ouvir ou ler.

A todos aqui deixo um forte abraço de agradecimento. Esperando que aqueles que já compraram o livro tenham dado por bem empregue tanto o tempo como o dinheiro. Pelo menos de frases - creio eu - ficaram bem servidos.

Espero ver-vos mais logo no Chiado

convite_bertrand_chiado.jpg

 

Algumas frases destacadas no meu livro, referentes ao segundo semestre do ano que passou:

 

«O Sporting vai correr para o título com toda a força, com muita confiança, com muito poder, com uma boa equipa.»

Jorge Jesus, 29 de Julho

 

«Acredito cegamente no penta.»

Luís Filipe Vieira, 31 de Julho

 

«O que incomoda as pessoas é o meu brilho. Insectos só atacam lâmpadas que brilham!!!»

Cristiano Ronaldo, 1 de Agosto

 

«Quando estava no auge recebia de tudo. Muitos soutiens, cuequinhas, chuchas. Tirando as fotografias de tudo e de todas as maneiras.»

Paulo Futre, 20 de Agosto

 

«O presidente do Sporting está a mais no futebol português. Ele tem de ser removido!»

Pedro Guerra, 21 de Agosto

 

«Faltam tomates ao dirigismo dos [clubes] pequenos. Têm medo, comem a sua sopinha e por isso as coisas andam como andam. Os pequenos seguem a voz dos grandes, ninguém sabe o que eles sentem genuinamente, têm medo de represálias.»

Augusto Inácio, 28 de Agosto

 

«No futebol, os fins justificam os meios.»

Rui Gomes da Silva, 11 de Setembro

 

«Portugal já não é dos espertos, é dos inteligentes.»

Bruno de Carvalho, 26 de Outubro

 

«Não consigo fazer uma mulher parir aos cinco meses.»

Manuel Machado, 28 de Outubro

 

«É dentro das quatro linhas que queremos ganhar contra tudo e contra tolos.»

Pinto da Costa, 11 de Novembro

 

«Dei a minha primeira entrevista em Paris e disse à jornalista: "Tu es très jolie." Casei-me com ela.»

Humberto Coelho, 30 de Dezembro

Espero ver-vos por lá amanhã

convite_bertrand_chiado.jpg

 

Algumas frases destacadas no meu livro, referentes ao primeiro semestre do ano que passou:

 

«O Jorge Jesus vai-se demitir, não tenho qualquer dúvida. O projecto de Jorge Jesus acaba a 4 de Março [de 2017]. Eu não vou ter de o indemnizar.»

Pedro Madeira Rodrigues, 22 de Janeiro

 

«Tem que se dizer basta! O Benfica tem sido sistematicamente prejudicado pela arbitragem! O que é que se passa?! Os árbitros têm medo de quê?»

Pedro Guerra, 30 de Janeiro

 

«Vou dar a minha vida pelo FC Porto.»

Tiquinho Soares, 4 de Fevereiro

 

«Tanto oiço Pavarotti como... ia dizer Marco Paulo, mas Marco Paulo não oiço.»

Manuel Machado, 18 de Fevereiro

 

«O que posso garantir é que, enquanto presidente, para mim chega! Tudo tem de ser diferente na próxima época. O Sporting é vencer, não é dar desculpas.»

Bruno de Carvalho, 7 de Maio

 

«Tão depressa somos idolatrados, como linchados. Hoje és o maior, amanhã és o maior filho da mãe, um chulo.»

Pepa, 24 de Maio

 

«Somos imunes a pressões.»

José Fontelas Gomes, 5 de Junho

 

«Não me revejo nesta gente a representar o Benfica.»

António Simões, 8 de Junho

 

«O Benfica está claramente implicado num esquema de arbitragem. (....) Investigue-se!»

Francisco J. Marques, 13 de Junho

 

«Por vezes a melhor resposta é estar calado.»

Cristiano Ronaldo, 15 de Junho

[Pub.]

20170225_WAPA_AR_16527 copy.jpg

 

«Um livro rigoroso e muito bem escrito.»

«Uma obra vasta e muito bem organizada, tanto do ponto de vista literário como conceptual.»

«É um livro sério, que recomendo a todos alunos de Ciência Política.»

João de Almeida Santos, politólogo e professor universitário

Lisboa, 10 de Maio

 

«Este livro é importante para quem está na política e é também um livro que eu recomendaria aos jovens que estão a despertar para a vida cívica.»

«É uma obra que vale a pena ter nas nossas bibliotecas para consulta permanente.»

António Almeida Henriques, presidente da Câmara Municipal de Viseu

Viseu, 19 de Maio

 

 .....................................................................................................................

 

Política de A a Z: sessão de autógrafos este sábado, a partir das 15.30, na Feira do Livro de Lisboa. Junto ao pavilhão da Contraponto, no espaço da Porto Editora.

Lá estarei. Espero por vocês.

O Porto é uma Nação (onde conheço muitos sportinguistas)

Convite_lançamento_Porto.jpgAmanhã Sábado dia 4 de Março às 18h00 estarei no Porto na Sala da Música do Museu Nacional Soares dos Reis com o Vasco Lobo Xavier e o Francisco José Viegas (ambos gentis portistas) para a apresentação do meu novo livro "Crónicas Moralistas". 

Entretanto, os meus amigos que o desejarem podem receber um exemplar autografado do livro comodamente em casa através desta página.

PS.: Quem me conhece sabe o que me separa da estética do Bruno de Carvalho. Mas confesso que fico muito desconfiado com a simpatia que os nossos rivais nutrem por Madeira Rodrigues. Este último facto deixa-me de consciência tranquila por amanhã não poder ir a Alvalade votar.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D