Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Balanço dos prognósticos 2013/14

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2014/15, relembro os prognósticos sobre a prestação do Sporting em cada jornada da Liga anterior feitos aqui no És a Nossa Fé. É um passatempo que está prestes a recomeçar.

 

18 de Agosto (Sporting, 5 - Arouca, 1): Ninguém acertou

24 de Agosto (Académica, 0 - Sporting, 4): José da Xã

31 de Agosto (Sporting, 1 - Benfica, 1): Ninguém acertou

15 de Setembro (Olhanense, 0 - Sporting, 2): Duarte Fonseca

21 de Setembro (Sporting, 1 - Rio Ave, 1): Ninguém acertou

28 de Setembro (Braga, 1 - Sporting, 2): Edmundo Gonçalves

5 de Outubro (Sporting, 4 - V. Setúbal, 0): João Paulo Palha

27 de Outubro (FC Porto, 3 - Sporting, 1): Ninguém acertou

2 de Novembro (Sporting, 3 - Marítimo, 2): Rui Cerdeira Branco

24 de Novembro (V. Guimarães, 0 - Sporting, 1): Lina Martins

1 de Dezembro (Sporting, 4 - Paços de Ferreira, 0): F. P. T. Mota e Guilherme Santos

8 de Dezembro (Gil Vicente, 0 - Sporting, 2): José da Xã e Lina Martins

14 de Dezembro (Sporting, 3 - Belenenses, 0): Edmundo Gonçalves

21 de Dezembro (Sporting, 0 - Nacional, 0): Ninguém acertou

11 de Janeiro (Estoril, 0 - Sporting, 0): Ninguém acertou

18 de Janeiro (Arouca, 1 - Sporting, 2): Ninguém acertou

2 de Fevereiro (Sporting, 0 - Académica, 0): Ninguém acertou

11 de Fevereiro (Benfica, 2 - Sporting, 0): Bruno Cardoso

15 de Fevereiro (Sporting, 1 - Olhanense, 0): Ninguém acertou

22 de Fevereiro (Rio Ave, 1 - Sporting, 2): João Torres e Luís de Aguiar Fernandes

1 de Março (Sporting, 2 - Braga, 1): Ninguém acertou

9 de Março (V. Setúbal, 2 - Sporting, 2): Zé da Mouraria

16 de Março (Sporting, 1 - FC Porto, 0): Luciano Amaral

22 de Março (Marítimo, 1 - Sporting, 3): João António, João Cruz, João Paulo Palha e Ricardo Roque

29 de Março (Sporting, 1 - V. Guimarães, 0): Octávio e Peter

5 de Abril (Paços de Ferreira, 1 - Paços de Ferreira, 3): Ayres Soares

12 de Abril (Sporting, 3 - Gil Vicente, 1): Bruno Cardoso e Paulo Gorjão

19 de Abril (Belenenses, 0 - Sporting, 1): João Torres

3 de Maio (Nacional, 1 - Sporting, 1): Octávio

11 de Maio (Sporting, 0 - Estoril, 1): Ninguém acertou

 

CONCLUSÃO.

Houve sete vencedores: Bruno Cardoso, Edmundo Gonçalves, João Paulo Palha, João Torres, José da Xã, Lina Martins e Octávio. Três cá da casa (Edmundo, João Paulo e José) e quatro leitores - cada um acertou em dois resultados e no marcador do(s) golo(s).

Como tinha prometido, haverá um prémio para qualquer dos quatro.

E amanhã regressam os prognósticos. Desta vez para o campeonato que vai seguir-se.

Os melhores jogadores da época passada (2)

Concluo hoje o balanço dos melhores jogadores em cada desafio do último campeonato, com base nos apontamentos que fui escrevendo no És a Nossa Fé. Para recordar antes do arranque da Liga 2014/15.

 

18 de Janeiro (Arouca, 1 - Sporting, 2): ADRIEN

«Sempre eficaz, sempre influente, sempre lutador. Dotado de grande capacidade técnica e de uma enorme concentração competitiva, foi o principal responsável pelo lançamento dos nossos ataques com um futebol prático e directo: o campo não dava para mais.»

 

2 de Fevereiro (Sporting, 0 - Académica, 0): CÉDRIC

«Grande exibição do nosso lateral direito, incansável no apoio do ataque: os centros mais perigosos partiram dos pés dele. Está em excelente forma física.»

 

11 de Fevereiro (Benfica, 2 - Sporting, 0): ADRIEN

«Voltou a exibir grande classe: foi o melhor sportinguista em campo, como ficou bem demonstrado num notável passe em profundidade feito aos 20'. Mas desta vez esteve muito desacompanhado, sem possibilidade de fazer a ligação entre as linhas com a eficácia habitual.»

 

15 de Fevereiro (Sporting, 1 - Olhanense, 0): CARLOS MANÉ

«Leonardo Jardim decidiu incluir no onze inicial o jovem extremo da nossa formação. Aposta ganha: Carlos Mané é mesmo reforço. Aos 14' já tinha marcado o golo da vitória de hoje, após excelente passe de Montero. O seu primeiro golo no campeonato.»

 

22 de Fevereiro (Rio Ave, 1 - Sporting, 2): SLIMANI

«Saltou do banco aos 56' e voltou a ser decisivo numa vitória, abrindo o marcador para a nossa equipa 14 minutos depois, culminando uma excelente jogada colectiva do Sporting. Aos 76' fez outro grande remate, defendido pelo guardião do Rio Ave.»

 

1 de Março (Sporting, 2 - Braga, 1): SLIMANI

«O argelino desta vez nem precisou da companhia de Montero para mostrar serviço. Marcou pela primeira vez como titular, após centro de Cédric, fazendo levantar as bancadas de Alvalade com o golo da vitória, aos 74'. Voltou a ser decisivo. E teve oportunidade para marcar mais: esteve sempre em movimento, pressionando a defesa adversária. Ninguém duvida: conquistou a titularidade neste jogo.»

 

9 de Março (V. Setúbal, 2 - Sporting, 2): SLIMANI

«Já demonstrou que merece ser titular. Foi, de longe, o melhor jogador ontem em campo. Marcou um golo, quase marcou outro e foi alvo de uma grande penalidade não assinalada pelo senhor Santos. Surge em movimentação constante, provocando calafrios nas defesas adversárias. Tem de continuar assim. Titular.»

 

16 de Março (Sporting, 1 - FC Porto, 0): WILLIAM CARVALHO

«Novamente o melhor jogador do Sporting em campo. Insuperável na interceptação dos lances adversários, na recepção de bola e na qualidade de passe. Foi dele o lançamento inicial para a ala direita, em profundidade, do qual nasceria o golo da nossa equipa. Mereceu a monumental vénia que lhe foi tributada nas bancadas de Alvalade.»

 

22 de Março (Marítimo, 1 - Sporting, 3): ADRIEN

«Grande partida do nosso médio interior: para mim, foi o melhor em campo. Marcou mais um golo (o sétimo) de grande penalidade e foi dele o passe que desmarcou Jefferson para o terceiro golo. Exímio a recuperar bolas e a construir lances ofensivos, ganha estatuto e maturidade de jogo para jogo.»

 

29 de Março (Sporting, 1 - V. Guimarães, 0): WILLIAM CARVALHO

«Novamente uma exibição de luxo. Recupera a bola como se fosse a coisa mais fácil do mundo, distribui jogo como ninguém, impõe a sua destreza técnica no centro do terreno com uma classe insuperável. Foi bom do princípio ao fim.»

 

5 de Abril (Paços de Ferreira, 1 - Paços de Ferreira, 3): ADRIEN

«Grande partida, uma vez mais. E um excelente golo, com um tiro disparado a 30 metros, fulminando a baliza adversária. O seu primeiro golo de bola corrida: prémio mais do que merecido para um dos melhores jogadores do Sporting - e do campeonato. Destacou-se também por marcar muito bem o canto de que resultou o nosso segundo golo.»

 

12 de Abril (Sporting, 3 - Gil Vicente, 1): CARRILLO

«De longe a sua melhor actuação esta época. Foi um prazer ver jogar a ala direita, formada por Cédric e pelo peruano, sobretudo nos primeiros 45 minutos. Nasceu deles o lance do primeiro golo do Sporting. E Carrillo fez a assistência para o segundo, marcado por Heldon.»

 

19 de Abril (Belenenses, 0 - Sporting, 1): ADRIEN

«O melhor sportinguista em campo. Marcou o oitavo golo, de grande penalidade. Confirma-se como o terceiro melhor goleador da equipa, após Montero e Slimani. E voltou a exibir a sua classe na zona que lhe está atribuída, superiorizando-se claramente aos médios adversários.»

 

3 de Maio (Nacional, 1 - Sporting, 1): ERIC DIER

«Foi hoje o melhor jogador do Sporting. Muito atento, posicionado, assegurando com eficácia a cobertura do seu sector, interceptando vários lances perigosos. Na ausência de Rojo, ausente por acumulação de cartões, cumpriu com o voluntarismo habitual a missão que o treinador lhe pediu. Sem se resignar à condição de suplente.»

 

11 de Maio (Sporting, 0 - Estoril, 1): ANDRÉ MARTINS

«Sempre inconformado, sempre em movimento, sempre a tentar abrir linhas de passe. Foi o jogador mais clarividente do Sporting.»

Os melhores jogadores da época passada (1)

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2014/15, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio.

 

18 de Agosto (Sporting, 5 - Arouca, 1): MONTERO

«Foi, de longe, o melhor em campo. Marcou três golos que contribuiram para galvanizar a equipa e os adeptos. Mas não é só goleador: revela-se também um grande jogador de área que nunca se cansa de recuperar a bola e de trabalhar para a equipa, denotando pormenores de grande qualidade técnica.»

 

24 de Agosto (Académica, 0 - Sporting, 4): WILLIAM CARVALHO

«Confirma-se, de jogo para jogo, como um baluarte do meio-campo leonino, assumindo-se como o primeiro construtor do nosso ataque enquanto reforça a solidez do bloco defensivo.»

 

31 de Agosto (Sporting, 1 - Benfica, 1): MONTERO

«Outro golo: vai no quinto, em três jogos. Aos 88' quase voltou a marcar, desta vez de livre: Artur salvou um golo certo. O colombiano destaca-se já como uma das grandes figuras deste campeonato.»

 

15 de Setembro (Olhanense, 0 - Sporting, 2): ANDRÉ MARTINS

«Primeiro golo como titular da equipa principal, a passe do cada vez mais influente Wilson Eduardo. Um golo que já merecia.»

 

21 de Setembro (Sporting, 1 - Rio Ave, 1): WILSON EDUARDO

«Marcou um  grande golo. Um prodígio de técnica, num ângulo de execução muito difícil. A festa do futebol passa por isto.»

 

28 de Setembro (Braga, 1 - Sporting, 2): CÉDRIC

«Deu a vitória ao Sporting com um pontapé forte e bem colocado, a 30m da baliza. Um símbolo evidente da ambição renascida no nosso clube nesta temporada. O lateral direito foi o melhor em campo.»

 

5 de Outubro (Sporting, 4 - V. Setúbal, 0): ADRIEN

«É o patrão da equipa leonina, senhor absoluto do meio-campo, o maior construtor de jogadas ofensivas, sempre à procura de linhas de passe. Excelente executante de mais uma grande penalidade. E ainda fez a assistência para o segundo golo e esteve na origem do terceiro. Um enorme jogador.»

 

27 de Outubro (FC Porto, 3 - Sporting, 1): WILLIAM CARVALHO

«Não se limita a ser um óptimo médio defensivo: também sabe rematar com êxito. Infelizmente mal tivemos tempo para aplaudir o golo do empate.»

 

2 de Novembro (Sporting, 3 - Marítimo, 2): CAPEL

«Uma grande exibição, rubricada com um monumental aplauso dos adeptos quando saiu, aos 81'. Assinou um grande golo, a abrir o marcador, com um petardo do seu pé esquerdo, e fez a assistência para o segundo. O melhor homem deste jogo: foi sempre o sportinguista mais dinâmico e mais inconformado.»

 

24 de Novembro (V. Guimarães, 0 - Sporting, 1): SLIMANI

«O ponta-de-lança argelino entrou, marcou. Resolvendo o jogo a nosso favor no último minuto do tempo regulamentar. É para isso que servem os pontas-de-lança. Quem criticou Slimani nas bancadas de Alvalade a esta hora já estará arrependido.»

 

1 de Dezembro (Sporting, 4 - Paços de Ferreira, 0): WILLIAM CARVALHO

«Encaminhou o Sporting para a vitória ao marcar o primeiro golo, aos 15', a partir de um canto. De uma eficácia extrema na recuperação de bolas e na construção de manobras ofensivas. Outra grande partida no seu currículo, sublinhada com aplausos constantes das bancadas.»

 

8 de Dezembro (Gil Vicente, 0 - Sporting, 2): MONTERO

«Voltou a marcar - e em dose dupla. É o rei dos goleadores neste campeonato: já tem 13 golos marcados. Mas não se limita a rematar: serve também os colegas, com as suas incessantes movimentações na grande área dos adversários.»

 

14 de Dezembro (Sporting, 3 - Belenenses, 0): ANDRÉ MARTINS

«Marcou o segundo golo e fez uma assistência fabulosa, em profundidade, para o terceiro. Outra excelente exibição do médio leonino, que vem melhorando de jogo para jogo. Talvez o melhor jogador neste desafio em que quase todos os colegas se destacaram.»

 

21 de Dezembro (Sporting, 0 - Nacional, 0): WILLIAM CARVALHO

«Os adjectivos banalizam-se ao analisar cada prestação deste grande jogador. Dá gosto vê-lo jogar: nunca desiste de um lance. Parece que a bola se lhe cola aos pés. Trava como nenhum outro as ofensivas adversárias e revela classe indiscutível na construção do ataque leonino, tanto no passe curto como no passe longo.»

 

11 de Janeiro (Estoril, 0 - Sporting, 0): ANDRÉ MARTINS

«Esteve sempre em alta rotação, dando combate permanente ao meio-campo estorilista. É um dos símbolos mais evidentes deste Sporting renovado que está a deslumbrar público e crítica no campeonato 2013/14.»

(conclui amanhã)

Algumas aparências podem iludir

Antes do início oficial da temporada 2013/14, o Francisco Melo teve uma boa ideia, que lhe deve ter dado muito trabalho: pediu aos colegas de blogue que emitissem vaticínios sobre o campeonato que iria começar.

Lá dei também o meu contributo. E revendo esses palpites, pela parte que me toca, reforço a minha ideia de que a pré-época pode por vezes ser enganadora.

É verdade que acertei ao antecipar o segundo lugar do nosso clube na Liga. E também ao predizer que o Sporting terminaria o campeonato apenas com uma derrota em casa.

Mas enganei-me (por meio campeonato) na figura da equipa: escolhi Montero, que esteve muito bem só na primeira volta, quando devia ter apontado para William Carvalho (em boa verdade, só o Bernardo Pires de Lima acertou em cheio) ou para Adrien (aposta do Tiago Cabral e do Tiago Loureiro).

Pior estive no jogador-revelação (William, novamente; ou talvez Montero, aqui sim; ou Carlos Mané), ao escolher Ruben Semedo, um jogador muito promissor mas que por culpa própria acabou por passar ao lado de uma temporada memorável.

E devo reconhecer que fui também algo injusto para Carrillo, que embora me tenha irritado bastante em vários jogos não merecia o Prémio Pongolle com que o brindei por antecipação. Esse "prémio" devia ter recaído em Magrão (escolhido pelo José da Xã e pela Marta Spínola) ou em Cissé (escolha do Leonardo Ralha e do próprio Francisco Melo).

Se o Francisco tiver tempo e paciência para organizar um passatempo semelhante, cá estarei disponível para voltar a dar os meus palpites. Sem nunca esquecer que algumas aparências podem mesmo iludir.

Contagem decrescente - Final!

Não era desta maneira que eu imaginava finalizar a "Contagem decrescente", que teve a sua última aparição no longínquo dia 9 de Dezembro de 2013.

 

Montero parece que se deslumbrou com a sucessão de golos marcados e num ápice interrompeu a sua saga. Bem, na verdade ele marcou-os, os árbitros é que os foram invalidando.

 

Pronto, já sei, já sei que os de Carnide vão já perguntar: ah e tal e aqueles golos marcados em fora de jogo contra nós e o Olhanense?

 

Seja como for Fredy Montero mostrou  ser ponta de lança e tem lugar na futura equipa do Sporting.

 

De uma forma ou doutra o colombiano marcou 13 golos, fixando-se na quinta posição dos melhores marcadores da Liga Portuguesa. O tal Ricky marcou mais um, na época anterior, mas jogou muitos mais minutos.

 

Para Agosto nova contagem se iniciará...

 

Até lá que Portugal faça um bom Mundial.

Uma tristíssima despedida

 

O Sporting fez grandes jogos este campeonato. Não foi o caso de hoje. Lentidão, falta de imaginação, ausência de empenho, erros técnicos q.b.

A começar com Jardim, que resolveu "inventar" com a constituição da equipa inicial, e a acabar em Adrian (...e mais de metade da equipa...), que resolveu não jogar. Que triste despedida. Havia necessidade de ser tão cauteloso na abordagem do jogo, mister Jardim?

A entrar assim na Liga dos Campeões e não vamos lá...

Prémios merecidos

Na edição de hoje do diário desportivo “Record”, este jornal elege William Carvalho como sendo o melhor jogador da época 2013/2014. Mesmo faltando ainda uma jornada, o “nosso” médio ganhou vantagem em relação aos restantes atletas em competição. Também Leonardo Jardim se encontra muito bem colocado para ganhar o prémio de melhor treinador. Outro atleta leonino em destaque é Rui Patrício, que pode vir a ser considerado o melhor guarda-redes do campeonato. Tem no entanto o seu colega de posição Adriano, do Gil Vicente, com apenas um ponto de avanço. Tudo somado, temos que o Sporting não ganhou nenhum título, é certo, mas jogou muito bom futebol e mostrou como se gerem e valorizam os efectivos, nascidos e criados na Academia. Mais uma prova de como se pode fazer (muito) mais gastando (muito) menos.

Sporting: e agora?

A excelente campanha do Sporting na edição 2013/2014 da 1.ª Liga de futebol, culminada com o apuramento directo para a Champions, suscitou de imediato, entre muitos adeptos, o elevar da fasquia para a próxima temporada: «o 2.º lugar não chega, só nos bastamos com o 1.º!». 

Esse desejo foi, aliás, precedido pelo próprio Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, que recentemente anunciou a candidatura do clube ao título da próxima época.

Comum a esse sentimento, está o facto de que, para o adepto leonino, o lugar natural do Sporting é o 1.º lugar, e qualquer outro sentimento de regozijo por um 2.º ou 3.º lugar, desde que dê acesso directo à Champions, significa falta de ambição, o que não se aceita nem se tolera.

Sentimentos à parte, regista a história que o Sporting não vence um campeonato desde 2002. Assinalam também os compêndios sobre futebol que o Sporting não se bate com os melhores clubes do mundo desde 2009. Quer num caso, quer noutro, são demasiados anos.

Os problemas comuns de sucessivas equipas do Sporting nos últimos anos foram, com destaque, a pressa e a impaciência. A pressa em querer fazer dos jovens da academia craques, queimando-se assim etapas do seu desenvolvimento; a pressa em querer dotar a equipa de jogadores estrangeiros com experiência, acabando por se contratar enormes flops (Angulo, Pongolle, Elias); e a impaciência com a falta de resultados imediatos, gerando despedidas de treinadores e muitas entradas e saídas de jogadores.

Finalmente temos um treinador e um conjunto de jogadores que levam muito a sério o símbolo que vestem no fato de treino e na camisola, e que colocam em campo o esforço, a dedicação e a devoção que fizeram do Sporting um clube com glória, à qual todos queremos voltar quanto antes. Mas permanece bem à vista de todos que ainda não temos a melhor equipa de Portugal.

Era bom, portanto, que aprendêssemos com a nossa história recente.

Realisticamente, não sei se 14 anos (campeonato) ou 5 anos (no caso, atingir novamente os oitavos-de-final da Champions) se conseguem recuperar com 2 épocas apenas. Acresce a isso que a concorrência directa não irá facilitar. E acresce também a isso que o paradigma mudou. Se em 2002 os ditos clubes menores ainda faziam frente aos Grandes, de há alguns anos para cá que o fosso entre pequenos e Grandes aumentou consideravelmente e essa tendência muito dificilmente será invertida na(s) próxima(s) temporada(s).

Se não se consegue passar, no espaço de um ano, da pior época de sempre para a melhor época de sempre, não é menos verdade que 2 anos raramente chegam para se passar de um plantel que fez a pior época de sempre para o melhor plantel de todo o campeonato. 

Como tal, parece-me importante que a abordagem à próxima temporada seja feita com realismo e humildade. Não podemos, nem devemos passar directamente de 2001/2002 para 2014/2015. Importa ter bem presente que a equipa de hoje é construída a partir dos destroços que resultaram desse longo intervalo de tempo, e não a partir do conjunto de enorme qualidade que venceu o último campeonato pelo Sporting.

Um dia muito especial!

Há dias assim.

 

Hoje, dia 19, o meu filho mais velho, Miguel de seu nome, fez 27 anos. Desejou como prenda ir ao futebol ver o Sporting ao Restelo. Como achei que sozinho também não valia... eis que 4 leões (eu, o infante mais velho, o mais novo, mais um sobrinho) e uma leoa (a namorada do mais velho) partiram esta tarde para Belém em busca dos nossos lugares para ver o jogo.

 

Não foi um bom jogo, não senhor! Mas valeu pelo resultado. A CL é mais um torneio para o Sporting participar. Mas tenho pena do Belenenses. É, sem dúvida, uma equipa valorosa com um estádio muito bonito. E merece estar na Liga principal.

 

O Miguel ficou feliz com a prenda que a equipa do Sporting lhe ofereceu: a vitória. O jovem merece!

 

À atenção de um tal Vitor Pereira

Há tempos Pedro Proença declarou que Portugal não merecia os árbitros que tinha. Na altura não percebi bem o que aquele árbitro internacional pretendeu dizer.

 

Hoje, e após a arbitragem do Setúbal-Sporting, creio ter entendido perfeitamente: o futebol português merece árbitros com qualidade.

 

O que não foi o caso do juiz desta tarde, no Bonfim.

 

E para que não pensem que é facciosismo de sportinguista, parece que para os lados de Carnide o árbitro também prejudicou a equipa da casa.

 

Gostaria apenas de saber o que dirá (leia-se fará!!!) agora o senhor Vitor Pereira?

Reflexões

Numa saudável discussão futebolística com um colega benfiquista, após a derrota do Sporting no dérbi, a determinada altura ele pergunta-me de forma irónica:

 

- Mas tu queres ganhar o campeonato com aquela equipa?

 

Devolvi jocosamente:

 

- Não! Quero ganhar a primeira liga com os jogadores da equipa B!

 

Lembrei-me desta minha troca de galhardetes após o jogo de hoje do FCPorto e respectiva derrota em casa com o Estoril. Um resultado realmente justo porque, como se diz em futebolês, ganha quem marca!

 

Todavia mais uma vez ficou provado que um conjunto de muito bons jogadores não faz automaticamente uma boa equipa.

 

Ao invés, um grupo de miúdos (saídos de Alcochete), treinados por um jovem ilhéu e dirigidos por um presidente, também ele muito novo, conseguem paulatinamente escalar esta escarpa que é o campeonato e estar a dois pontos (que podem ser três ou cinco, amanhã por esta hora!) do primeiro classificado.

 

Quem diria?

 

 

Também aqui

Jornada a jornada

Mais uma viagem a norte e mais três pontos ganhos. Mais uma vitória conquistada num terreno impróprio para a boa prática de futebol. Na primeira parte entrámos com força e determinação com alguns cantos sucessivos apenas nos primeiros minutos. Depois o Rio Ave equilibrou a partida, muito por alguma falta de pressão por parte dos nossos jogadores. Na segunda metade do jogo entrámos outra vez bem e tivemos a infelicidade do auto-golo do Maurício. A bola desviada pelo defesa entrou bem junto ao poste. Reagimos muito bem, à campeão, e fomos literalmente para cima do adversário. Conseguimos a vitória e foi inteiramente merecida. Não foi a nossa mais vistosa exibição, tal não tira qualquer mérito a mais esta conquista. Estamos a conseguir aguentar a pressão que estar a discutir com o porto e benfica os lugares cimeiros acarreta. A recta final do campeonato aproxima-se e contra todas as expectativas aqui estamos, ombro a ombro com os nossos adversários naturais. Infelizmente ainda vemos alguns de nós a levantar todas as pedras para tentar descobrir algo que manche o brilhante campeonato que estamos a realizar. 

Notas breves sobre o derby… e não só!

1 - Um dos melhores jogos de futebol a que assisti foi o Dinamarca-Espanha no Mundial de 86 no México. Venceram os espanhóis por um concludente 5-1, com quatro golos de Emilio Butragueño. A táctica que “nuestros hermanos” apresentaram foi suficiente para derreter a defesa da selecção dinamarquesa. Recordo que os espanhóis jogaram essa partida com um bloco muito subido, não autorizando que os atletas nórdicos aplicassem a velocidade e a força como em jogos anteriores.

 

2 - No próximo Domingo, o Sporting devia apresentar-se de forma a não deixar os jogadores do clube de Carnide explanar o jogo. A equipa leonina tem argumentos suficientes para “estragar” a festa lampiã. Mas para isso é obviamente necessário que Leonardo Jardim incuta nos jogadores um forte espírito de sacrifício e de luta. Porque nem sempre ter melhores jogadores é sinónimo de melhor equipa.

 

3 – Tenho lido hoje alguns comentários dispersos sobre o árbitro do próximo derby, observando que andou na escola com Jardim, que é amigo de Jardim, enfim… imbecilidades. Só espero e desejo que, seja qual for o resultado, o árbitro se torne invisível qb. Gosto de ganhar sim, mas com galhardia e competência, não a qualquer preço, como a maioria dos adeptos do clube de Carnide!

 

4 – Finalmente o bizarro caso da Taça da Liga. Cheira-me que o FCPorto matou este troféu. Desde a sua génese que a equipa da cidade Invicta nunca se mostrou muito… como direi… empenhada na disputa e conquista desta Taça! Foi o ano passado pela segunda vez à final, perdendo-a desta vez para o Braga. E perante os últimos desenvolvimentos é muuuuuuuito provável que a Taça da Liga tenha os dias contados. Como diz o povo: “quem nasce torto, tarde ou nunca se endireita”.

Algumas ideias...

1 – Gostei da atitude de Leonardo Jardim no passado sábado, aquando do segundo golo do Sporting contra o Arouca. Aquele punho cerrado diz muito do que vai na alma do nosso treinador. Sem a espectacularidade e mediatismo de outros treinadores, o madeirense vai fazendo “bons pudins com poucos ovos”.

 

2 – Os jornais desportivos continuam em grande. Não vi mas parece que o site do Record após a vitória do Sporting ainda colocava o Benfica à frente do campeonato. Quando acedi já estava corrigido o erro… Seria mesmo erro? Pelo que já vimos noutras jornadas residirá sempre uma dúvida.

 

3 – Há uns anos estava o FCPorto na frente do campeonato nacional quando diversos dirigentes e treinadores doutros clubes reclamaram por as arbitragens não parecerem competentes. Nessa altura, lembro-me bem, Pinto da Costa exclamou com a fanfarronice que nos habituou: Desculpa de derrotados. Face às declarações recentes daquele dirigente não é tempo de ele se lembrar do que disse?

 

4 – A declaração, na semana passada, de JJ sobre a academia do clube de Carnide e as suas potencialidades cheirou-me a “dor de cotovelo. A verdade é que desde 2010, que para os lados de Carnide não há um único português a marcar golos. Ao invés só este ano, 12 dos golos leoninos foram marcados por atletas da nossa academia. Cego não é quem não vê, mas quem não quer ver…

 

5 – Neste momento o Sporting mantém a liderança de melhor ataque e de melhor defesa na Liga. Um mérito que cabe obviamente quase por inteiro aos jogadores leoninos. Uma realidade tão distante do que foi um passado ainda recente que quase nem dá para acreditar. O futuro prevê-se risonho!

Irritação!

Irrita-me ler e ouvir comentários a observar que o nosso campeonato está nivelado por baixo.

 

Esta ideia até podia ser válida se o Sporting estivesse em primeiro lugar, como está, mas a jogar um futebol sofrível. Porém nada disto acontece e os leões têm vindo a mostrar grande qualidade no futebol que apresentam com golos e emoção a rodos.

 

Ou será que o nivelamento superior só existe quando os adversários que nos seguem estão à nossa frente, mesmo que joguem mal?

 

Percebo que alguém pretenda branquear algumas más opções na aquisição de atletas de qualidade (muito) duvidosa, mas o Sporting não é obviamente culpado pelo mau futebol exibido por alguns eventuais candidatos.

A alegria (in)contida do primeiro lugar

A euforia com que eu, como sportinguista, vou vivendo estes dias, contrasta profundamente com a frustração que passava durante o mesmo período, no ano passado.

 

Clubite à parte, reconheço mérito ao treinador e à restante equipa técnica do Sporting, no actual lugar da classificação. Também é sabido que não joga na Liga Europa e foi prematuramente eliminado da Taça de Portugal, o que justamente retira aos jogadores leoninos muitos quilómetros.

 

Os adversários directos e indirectos olham para este quase fenómeno leonino e tentam perceber o que se passa para os lados de Alvalade.

 

Nenhum adepto do Sporting, por mais optimista que fosse, jamais imaginaria, após um ano para esquecer e jamais repetir, que em vésperas do Natal a liderança tivesse caído no “sapatinho” verde.

 

E a gigantesca diferença entre estes últimos meses e anos anteriores prende-se, acima de tudo, com a forma como a equipa do Sporting aborda os jogos, jogando muito bom futebol e aproveitando-se naturalmente dos deslizes dos adversários mais directos.

 

Num passado demasiado recente, dificilmente o Sporting se aproveitaria de alguns maus resultados de Sporting e Benfica. E é aqui, neste preciso instante, que o treinador tem realmente importância e influência. Limpar as mentes de erros anteriores, focá-los no que é realmente primordial e depois… dar-lhes asas!

 

Há na equipa de futebol do Sporting uma alegria que não via vai para muuuuuuitos anos. Os nossos antagonistas vão desvalorizando, como é natural, este lugar primeiro que o rei Leão ocupa. Mas chamo a atenção que estamos a três jornadas do fim da primeira volta. E ainda haverá um Benfica-Porto…

 

Diz o povo “Candeia que vai à frente alumia duas vezes”. Não sei se este caso do sucesso repentino e inesperado do Sporting equivale a essa dupla luz. O que já deu para entender é que passámos a ser (novamente!) respeitados pelos nossos mais directos adversários.

 

E por mérito próprio.

 

 

Também publicado aqui

O que a imprensa desportiva não quer ver e é muito óbvio...

O 1.º lugar do Sporting no campeonato, com a liderança isolada, não está a fazer bem a algumas cabecinhas iluminadas da imprensa desportiva doméstica.

Se às segundas, quartas e sextas, os comentadores escrevem que o plantel do Sporting é curto para o título, às terças, quintas e sábados escrevem que o Sporting é que tem sorte pois só tem o campeonato com que se preocupar e mais nenhuma outra competição para desgastar os seus jogadores. Afinal, em que é que ficamos?

Se há poucos meses atrás, depois de mais um campeonato decepcionante, os comentadores carpiam lágrimas pela mó de baixo do Sporting, clamando por um Sporting forte para dar luta ao campeonato, agora que o Sporting lidera a Liga e dá luta aos adversários, existe um misto de crónicas entre o elogio sincero e o elogio com manha, este último insistindo que a fase brilhante do Sporting no 1.º lugar não irá durar muito tempo pois os jogadores não aguentarão com a pressão e mais cedo ou mais tarde o Sporting começará a perder terreno para a concorrência directa.


Esta ideia de que o plantel do Sporting é curto para ganhar o título, que não conseguirá aguentar a pressão e que com naturalidade acabará por sair da liderança, inspira-se nos exemplos de Boavista e Braga (sobretudo) que no passado fizeram campeonatos muito acima das expectativas, mas que, a certa altura, algumas das vezes quase a chegar à praia, acabaram por soçobrar. O Sporting será mais do mesmo, prevê-se com uma certeza tão categórica como a Páscoa calhar no Domingo.

Ora, com o devido respeito, essa leitura está profundamente equivocada.

Desde logo, porque o Sporting é um clube que sabe e tem hábitos de ganhar campeonatos. São 18 ao todo, não 1 nem 0.

Depois, porque boa parte dos jogadores do plantel do Sporting estão doutrinados na disciplina de cultura de vitória e conquista. Sabem o que isso é. E sabem também o que é estar em 1º lugar. São coisas que já vêm com eles desde os «petizes». Por isso, quem ontem esperava tremedeira como varas verdes da equipa perante a hipótese de chegar ao 1.º lugar enganou-se redondamente….

Por último, e não menos importante, existe ainda um outro «pormaior» que Boavista e Braga também nunca tiveram, e que no caso concreto do Sporting está a fazer toda a diferença, até mesmo por comparação com os últimos anos de Porto ou Benfica: o seu 12.º jogador.

Ontem, em Barcelos, parecia que se estava em Alvalade. E não foi apenas naquele jogo. O Sporting nas deslocações fora de casa tem contado, como há muito tempo não se via, com um apoio muito presente e bastante alargado dos seus adeptos. Uma falange que nunca se cala, nem nunca se cansa de apoiar a equipa e os seus jogadores.


A imprensa bem pode teimar em querer ler o Sporting e o seu 1.º lugar à luz das leituras que fez no passado sobre Boavista e o Braga. Mas essa leitura é redutora e enganadora, e presta-se a dar grandes dissabores aos seus autores, como o Pedro Correia vem muito bem dando conta.

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D