Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Grande Leão

mw-680[1].jpg

 

A Sporting TV estreou ontem uma nova rubrica no seu Grande Jornal: intitula-se, e muito bem, "Grandes Leões".

A estreia, à conversa com o jornalista Nuno Miguel Simas, aconteceu com Eduardo Barroso - o que já foi aqui assinalado pelo José Cruz.

Limito-me, portanto, a destacar nos parágrafos que se seguem algumas frases proferidas na antena leonina pelo conhecido cirurgião, ex-presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting e sócio n.º 461-0 do Clube de todos nós:

 

«Momentos muito felizes da minha vida estão ligados aos êxitos do Sporting.»

«Logo no primeiro ano do Jesus, devíamos ter ganho aquele campeonato. Merecíamos tê-lo ganho. Perdemos na Madeira, com o União, num jogo em que o golo deles é fora-de-jogo. Fomos de longe a melhor equipa a praticar futebol.»

«O Sporting não pode apagar a sua história.»

«É muito bom lembrar-me da relação que tive com o meu pai e o meu avô, que também eram sócios do Sporting. O avô Alfredo, o meu pai, João Jacques e eu próprio. Uma vez, na Tapadinha, chovia tanto tanto tanto tanto que só havia três pessoas que não saíam da bancada: o meu avô, o meu pai e eu.»

«Também tenho momentos tristes. No dia em que o meu avô morreu, era suposto ir-me buscar para vermos o Sporting-Sp. Covilhã e ele não apareceu. Eu chorei. O avô tinha sofrido um acidente vascular e tinha morrido. E eu não sabia: não me disseram. Pensei que o avô se tinha esquecido do neto.»

«Nós não devemos ter problema de falar dos nossos momentos menos felizes e de saber dar-lhes a volta por cima.»

«Temos que nos unir outra vez, em torno da solução escolhida há um ano e tal.»

«Os cargos devem ser para cumprir até ao fim e no fim é que devem ser julgados.»

«Temos de continuar a pensar no nosso Sporting em função daquilo que nos pode trazer de bom.»

Ser do Sporting...

Não mataram o rei, não perdemos a guerra, o Sporting não acaba, é só o jogo da bola. Quem não perceber isto, faz parte do problema que é o nosso país. 

O meu saudoso Tio Manel que me meteu nestas andanças de sportinguista, na sua simplicidade dizia-me muitas vezes, com os seus olhos brilhantes de esperança: "é assim, João, umas vezes ganha-se, outras vezes perde-se". Foi nesta condição que cresceu o meu coração de Leão. Ele, nunca desistiu. Eu ainda vou a meio.

Aldegalega: quem corre por gosto não cansa

image[1].jpg

Foto: Gustavo Bom/Global Imagens

 

«Sempre vesti a camisola do Sporting e vou continuar a vestir. É uma grande paixão. O Sporting deu-me educação, pagou-me os estudos, arranjou-me emprego e deu-me as melhores instalações desportivas. É a minha segunda casa e continua a dar-me um grande apoio.»

 

Armando Aldegalega, atleta olímpico, campeão e recordista nacional em várias distâncias, prestes a completar 80 anos

História de um leão

João-Correia-011-1200x480.jpg

João Correia é um português que fez 34 anos há poucos dias e que por sorte minha, olha para mim como um amigo. Não liga muito a futebol e se ligasse, sei que a sua simpatia maior não seria verde e branca. Isso não me impede de escrever um texto em sua honra. Creio que a sua história de resiliência e busca pela glória é do mais leonino que há.

O João teve o azar de ser atropelado quando era uma criança de dois anos e de até hoje tem como companheira uma cadeira de rodas. Coisa que não o impediu de ser um atleta de topo. E quando escrevo de topo, refiro-me ao homem que venceu as duas primeiras medalhas internacionais para o atletismo adaptado português. Já foi em 2003 e 2004. Depois seguiram-se mais de dez anos sem competição. É que sofreu uma gravíssima lesão que parecia limitá-lo ainda mais. Nada mais errado. Cirurgiões de todo o mundo não o quiseram operar. Acabou por encontrar a solução por cá e tornou-se num case study internacional. O facto de estar vivo desafia todas as probabilidades e nada lhe garante que cada corrida não seja a última. Mas não tentar, não é uma opção. Pelo meio, foi inspiração de centenas de atletas do norte do país (onde reside), sendo o mentor de uma nova geração.

Na passada sexta-feira, após ter batido o seu recorde pessoal, João Correia entrou em pista para mais uma prova. Estava no Estádio Olímpico de Londres, a correr no Campeonato do Mundo. Poucos dias antes esteve na despedida de David Weir, o Pelé do atletismo adaptado, seu amigo e atleta que dividiu a sua treinadora com João. Os meus colegas que me perdoem o off-topic mas que esta é uma história de leão, é!

Islam Slimani

GettyImages-503183446[1].jpg

 

Islam Slimani é um jogador "raçudo", como os comentadores de futebol gostam de dizer. Eu prefiro chamar-lhes Leões. A jogadores como o Slimani, não aos comentadores.

Depois há os outros. Os jogadores "quase". Aqueles que quase conseguem, quase marcam, quase fazem tudo quase bem.

Parabéns, Fernando Correia

400px-HOGaHLV[1].png

 

Este senhor, nascido a 16 de Julho de 1935, faz hoje 80 anos. Todos os portugueses (re)conhecem a sua voz inconfundível. Voz magnífica, que tantos golos relatou ao longo de uma carreira longa e frutuosa. E que continua em boa forma, nomeadamente aos microfones da Sporting TV.

Daqui vai um abraço a Fernando Correia, um dos melhores profissionais da nossa rádio e da comunicação em geral. Um homem desde sempre ligado ao desporto português e em particular ao Sporting, seu - e nosso - clube do coração.

Muitos parabéns, Fernando.

Nós é que vamos para o Leão do marquês... campeões outra vez

DSC_1012.JPG

Há alguns dias, dizia alguém, em comentários neste "blog", que o Marquês de Pombal estava a fazer festinhas ao Leão; era um Leão submisso que estava na estátua.

A submissão, a nossa, suposta, submissão foi demonstrada hoje.

Fomos ao antro da lampionagem (Seixal) conquistar mais um título para o nosso grandioso e glorioso clube.

Sport Lisboa e Benfica 1 vs. Sporting Clube de Portugal 2; iniciados de Sporting; campeões nacionais... mais uma vez.

(espero sentado para ver o destaque que a comunicação social vai dar a este título)

 

Não se pode ser só meio Leão

Empatar sofrivelmente com o Estoril, uma das equipas mais medíocres deste campeonato, é um péssimo cartão de visita para os últimos desafios da temporada.
Não basta jogar bem às vezes. É preciso jogar bem sempre.
Não basta haver esforço de vez em quando. É preciso esforço permanente.
Não basta haver dois remates perigosos à baliza e ficar meia hora a dormir em campo depois disso. Se esses remates não se concretizam, surgem mais dois. E outros dois, se for preciso.

Ou se é Leão ou não é. Meio Leão é ão.

Ah, ganda leão!

Chama-se Kevin Richardson, é sul-africano, fotógrafo, estudioso da vida animal africana e tem uma relação muito especial com os leões. Sai no seu jipe, cheio de máquinas fotográficas e acompanhado da sua equipa. Faz com que parem o veículo o mais perto possível dos animais. Mas depois sai sozinho, faz questão que nenhum membro da sua equipa corra riscos desnecessários. Em seguida...

 

Chama pelos leões. Eles vêm direitos a ele, cheios de balanço. Quem não conheça a cena, pensa: aquele maluco está prestes a ser papado. Mas eis que homem e animal se envolvem naquele abraço!

 

 

Como diz o artigo original: It’s almost too beautiful to be real.

 

Kevin Richardson tenta, desta maneira, chamar a atenção para o facto de os leões africanos estarem em perigo de extinção.

 

Via FB de Ana Cristina Leonardo

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D