Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

O que diz Roquette

«As decisões relacionadas com a construção deste estádio do Sporting e com a Academia de Alcochete foram tomadas durante a minha direcção. Uma das coisas que eu antevia era que a Academia de Alcochete deveria ser um dos suportes financeiros do Sporting. Devia produzir talentos em número suficiente para ser um factor de equilíbrio, até do ponto de vista financeiro. As coisas hoje são diferentes. Os padrões, até em termos internacionais, multiplicaram-se por muitos zeros e isso veio deixar para trás algum tipo de valores, de perspectivas, até de envolvimento das pessoas, que não é qualquer coisa que eu sinta como construtivo.»

 

«Decidi sair quando assumi que já tinha feito no Sporting aquilo que lá me tinha levado. Já eram demasiados anos da minha vida, sobretudo na faixa etária em que eu estava, e foi mais por isso do que por outras razões que eu decidi [em 2000] deixar a presidência. Que me trouxe satisfações, também desgostos. Talvez o mais pesado deles todos tenha sido o que aconteceu com o very light naquela final da Taça de Portugal no Estádio do Jamor. Foi o arranque para uma época de uma conjugação de violência e de turbulência.»

 

«Tive sempre um comportamento em relação às claques do Sporting de tentar separar aquilo que era autêntico daquilo que era indesejável, mas tenho de convir que hoje isso é muito, muito difícil.»

 

«Entendi sempre que as coisas [clube/SAD] deviam ser separada uma da outra. Que a presidência do Sporting, como accionista de referência da sociedade anónima desportiva, só se prejudicaria com os bons e maus resultados que dali viessem. Vejo o tempo dar-me alguma razão. O que interessa, nessa perspectiva, é sempre do ponto de vista estratégico: se as pessoas que lá estão não servem, outras terão de vir que sirvam. Mas a nível técnico, concreto, do futebol profissional.»

 

«A nossa capacidade financeira é muito residual, é muito pequena. Continuaremos a ser um exportador de talentos. Poderá acontecer outra vez um Campeonato Europeu como em Paris, há quatro anos, mas não é algo que possa estar no nosso menu de todos os dias.»

 

«Tenho elementos históricos da correspondência trocada entre o meu trisavô [Visconde de Alvalade, fundador e primeiro presidente do Sporting] e o meu avô [José Alvalade, fundador e terceiro presidente do SCP]. Eu e os meus irmãos já decidimos doar esse conjunto de documentos, que são duas malas grandes, ao Museu do Sporting. Vão passar a integrar o património histórico do Sporting.»

 

Trechos da entrevista de José Roquette - penúltimo presidente campeão do futebol leonino - hoje no Record

Uma data para lembrar sempre

1024.jpg

 

Faz hoje 20 anos, no mandato do presidente José Roquette. Uma brava equipa comandada por Augusto Inácio recuperava para o Sporting o ceptro de campeão, perdido 18 anos antes. A 14 de Maio de 2000, voltávamos ao posto máximo do futebol português.

Não podemos esquecer os heróis dessa odisseia: Peter Schmeichel, Acosta, Beto, André Cruz, Rui Jorge, César Prates, Mpenza, Pedro Barbosa, Duscher, Vidigal, De Franceschi, Ayew e Iordanov, entre outros.

Ainda se lembram onde estavam e o que fizeram naquele dia?

Que diferença

19114454_z3P9V[1].jpg

 

No tempo de José Roquette, quando o Sporting ganhou o campeonato, ninguém queria saber quem era o presidente. Os jogadores é que foram aplaudidos e celebrados.

No tempo de Dias da Cunha, quando o Sporting ganhou o campeonato, ninguém queria saber quem era o presidente. Os jogadores é que foram aplaudidos e celebrados.

Bons tempos, em que tínhamos presidentes campeões. E que apesar disso nunca se punham em bicos dos pés querendo ficar em primeiro lugar na fotografia.

Tempos depois houve quem não ganhasse nada e mesmo assim fizesse tudo por aparecer. Até comparações imbecis com o Cristiano Ronaldo serviam para ser notícia, à falta de golos.

Outro que calado seria um poeta - a saga continua

Este, que foi o pai da SAD e que quando as acções estavam em alta se pirou de accionista e cuidou de vender todas as acções que detinha;  Este, que abandonou a presidência do Clube porque não estava "para se chatear"; Este, que viu construir um estádio sem a porra dum pavilhão para as modalidades e olimpicamente esteve silencioso; Este, que esteve de boca calada quando Soares Franco delapidou o património não desportivo do Clube; Este, que viu o presidente cooptado por Dias da Cunha transformar um clube dos sócios num clube de clientes e esteve de acordo; Este, que viu entrarem e sairem treinadores e jogadores às carradas durante vinte anos e nem abriu pio; Este, que nem tugiu nem mugiu quando o Sporting foi intervencionado pela banca em consequência dos reinados ruinosos de Bettencourt e Godinho, que quase levaram o Sporting à falência e ao desaparecimento, este, vem agora chamar o "senhor Carvalho" de vigarista e admite até um movimento para o retirar da presidência. Vai lá. Vai lá e não leves a manta, logo vês o que te acontece. Realmente, estamos mesmo muito bem servidos de notáveis...

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D