Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Quem cala consente

img_920x518$2018_09_04_21_22_42_1443977[1].jpg

 

Passaram mais de 24 horas. Pedro Madeira Rodrigues teve oportunidade de se demarcar das miseráveis declarações de José Maria Ricciardi, que um mês depois da enorme derrota eleitoral sofrida no Sporting veio assumir-se como "oposição" a Frederico Varandas, anunciando alto e bom som: «Não estou disposto a ajudar esta direcção.»

Nunca vi ninguém com tão mau perder, tão aziado e tão disposto a disparar "fogo amigo" contra uns órgãos sociais recém-eleitos. Madeira Rodrigues, que na recta final da campanha eleitoral se juntou a Ricciardi dizendo que o banqueiro era «a melhor solução» para o Sporting e assim ambos conseguiriam «juntar forças», mantém-se em silêncio.

Ora quem cala consente. Sem dizer uma só palavra, Madeira falou até de mais.

O trunfo é paus

transferir.jpg

 

 

«Sou oposição.»
«Não estou disposto a ajudar esta direcção.»

 

Ricciardi, do alto dos seus esmagadores 15%, acaba de anunciar que lidera a "oposição" a Frederico Varandas. Apenas um mês após a realização de eleições no Sporting. Tornando-me ainda mais convicto de que o líder leonino está na rota certa.

É uma excelente notícia para o presidente verde-e-branco. Se ele pudesse escolher um opositor, aposto que a escolha seria precisamente esta.

O banqueiro jamais conseguirá, nem à décima vez, aquilo que Varandas conseguiu logo à primeira: a confiança dos sócios do Sporting expressa no voto.

Resta-lhe jogar à bisca lambida com Madeira Rodrigues, seu compagnon de route e parceiro da malograda coligação eleitoral. O trunfo é paus.

Frankenstein e os seis candidatos

Victor Frankenstein teria o sábado facilitado caso fosse um sócio do Sporting com as quotas em dia.

 

Bastar-lhe-ia criar a meio da noite um candidato com a cultura de campeão de João Benedito, a proximidade do futebol de Frederico Varandas, a experiência acumulada de Dias Ferreira, os milhões de euros de Rui Jorge Rego, as credenciais de empresário de Tavares Pereira e a capacidade de atrair adversários (internos e externos) de José Maria Ricciardi. Estes e outros pontos fortes reunidos na mesma criatura, formada de retalhos de todos quantos disseram presente na hora de suceder a Bruno de Carvalho.

 

Mas nenhum sócio do Sporting com as quotas em dia terá ausência de moral, conhecimento científico e vontade de acrescentar trabalho à Polícia Judiciária bastantes para perpetrar os crimes necessários para seguir a imaginação da escritora Mary Shelley. Resta-lhes, por isso, escolher o candidato que mais se aproxime daquilo que consideram necessário para o futuro do clube, pousando na balança de precisão personalidade, programa eleitoral e equipa de cada um dos seis.

 

A acreditar nas últimas sondagens, acima de dois em cada três sócios inclinam-se para votar em João Benedito ou Frederico Varandas. Ambos têm grandes qualidades e entusiasmo, ambos são alvos fáceis devido à idade e inexperiência na liderança do clube, tal como Bruno de Carvalho era um alvo fácil aquando da eleição para o primeiro mandato. Mas em nenhum dos dois se reconhece a volatilidade (digamos assim) que se revelou o vício intrínseco do presidente destituído.

 

Tirando os respectivos núcleos duros de fiéis, todos os sócios do Sporting com as quotas em dia serão forçados a dar um salto de fé no próximo sábado. Depois caberá ao vencedor garantir que, ao contrário da criatura de Frankenstein, não acabará perseguido por uma multidão com forquilhas e archotes.

 

P.S. - Um enorme obrigado ao Pedro Correia pelo convite para regressar a este blogue. Extensível a todos os outros que o escrevem e aos que o lêem.

União de fato

img_920x518$2018_08_30_22_28_54_1441894.jpg

 

Com os boletins de voto já impressos, muitos votos por correspondência já chegados a Alvalade e sem qualquer possibilidade estatutária de introduzirem alterações futuras na composição dos órgãos sociais pré-fixados, José Maria Ricciardi e Madeira Rodrigues decidem «unir candidaturas», demonstrando cada qual que os "debates" em que alegadamente se enfrentaram eram uma farsa destinada apenas a duplicar tempo de antena.

Eis os piores truques da política transpostos para o futebol. Não custa vaticinar que esta manobra de última hora resultará num jogo de soma zero entre aquele que foi um dos maiores responsáveis por anos de descalabro financeiro do Sporting enquanto vice-presidente do Conselho Fiscal e o corajoso "opositor" a Bruno de Carvalho a coberto de pseudónimos em blogues.

Um diz apostar tudo em Peseiro, o outro quer correr com ele para dar lugar a Rainieri. Um escolhe José Eduardo para organizar o futebol leonino, o outro já disse do antigo defesa o que Maomé nunca disse do toucinho. Fazem um lindo par.

Esta "união de fato" é uma excelente notícia. Para Frederico Varandas e João Benedito.

Debate Madeira-Ricciardi: algumas frases

José Maria Ricciardi:

  • «O doutor Carlos Vieira é um dos principais culpados pelo descalabro do Sporting.»
  • «Se eu ganhar, como penso, vou alterar os estatutos do clube de maneira que alguém que seja destituído por justa causa não possa, em nenhuma circunstância recandidatar-se.»
  • «Não tenho nada uma visão negativa das claques, muito pelo contrário.»
  • «Sem dinheiro não há futebol.»
  • «Este fantástico doutor Vieira já gastou 60 milhões dos 68 milhões que o Sporting tem para receber nos próximos dois anos [em direitos televisivos].»
  • «O Sporting não tem mais tempo para errar.»

 

Pedro Madeira Rodrigues:

  • «Carlos Vieira e os outros seis elementos do anterior Conselho Directivo fizeram muito mal ao Sporting. É com grande surpresa que vejo Dias Ferreira apresentá-lo. Muitos sportinguistas não esquecerão tão depressa aquele grupo dos sete e o mal que eles fizeram ao Sporting. Um grupo de yes men: Carlos Vieira também faz parte desta designação.»
  • «O Sporting vive uma crise de valores. O Sporting vive de uma lufada de ar fresco, de gente íntegra.»
  • «Infelizmente, vários presidentes usaram as claques para apoiarem o seu poder pessoal. E as claques não devem servir para apoiar presidentes nem direcções: devem servir para apoiar as equipas.»
  • «Vamos apostar tudo nesta época, e na próxima época, para podermos chegar rapidamente à Liga dos Campeões.»
  • «Eles [Bruno de Carvalho e Carlos Vieira] herdaram um poço de petróleo. Quando lá chegaram, aquela formação do Sporting - a melhor formação do País - tinha feito Rui Patrício, Cédric, Rúben Semedo, Ilori, Bruma, Adrien Silva, William Carvalho, João Mário...»
  • «O Sporting tem de voltar a ser inovador em termos de marketing

O frente-a-frente realizou-se esta noite, na CMTV

Inaceitável

 

1. José Maria Ricciardi recusou ontem debater com Dias Ferreira no canal do nosso clube. Alegando encontrar-se no Algarve em acções de campanha. Acontece que menos de meia hora depois comparecia na Sporting TV para debater com João Benedito, como o Mister do Café documenta de cronómetro em riste. 

É um comportamento inaceitável de um concorrente à presidência do Sporting. Um insulto a Dias Ferreira, que devia merecer o respeito de todos os adversários internos. E um insulto também à inteligência de todos os sportinguistas.

 

2. Fernando Tavares Pereira, talvez o mais desconhecido dos sete candidatos à liderança leonina, recusou debates a dois com os seus oponentes. Tenho visto gabar a "humildade" deste candidato - até neste blogue. Pois eu só vejo arrogância e soberba nesta recusa. Quem evita discutir ideias com companheiros de clube, que moral teria mais tarde para exigir debates com adversários no espaço público?

Jesuiticamente, o empresário de Tábua diz hoje, em entrevista ao Record, que decidiu baldar-se aos debates por "não trazerem nada de novo". Rica pedagogia democrática, digna de um aparente nostálgico da ditadura. Admira-me que ainda receba elogios. Mas há gostos para tudo.

 

Impressões do debate

 

Benedito

O melhor - Esvaziou por completo o falso argumento de que é demasiado jovem para liderar o Sporting lembrando que Emmanuel Macron foi eleito há um ano Presidente de França também com 39 anos.

O pior - Mau sinal, receber tantos elogios da parte contrária: Ricciardi, em vez de adversário, parecia apoiante do ex-capitão leonino.

 

Ricciardi

O melhor - Assumiu para si os louros dos dois últimos campeonatos nacionais de futebol conquistados pelo Sporting, quando desempenhava apenas funções no Conselho Fiscal do clube. É o tipo de declaração que pode sempre render alguns votos.

O pior - Faltar ao debate anterior com Dias Ferreira, alegando que se encontrava no Algarve, para comparecer hora e meia depois no frente-a-frente com Benedito, realizado no mesmo estúdio, é algo que viola as mais elementares regras de civilidade e cidadania.

Debate Benedito-Ricciardi: algumas frases

João Benedito:

  • «Estas clivagens entre croquetes, brunistas e afins, para mim, não funcionam. Somos todos sportinguistas, sócios e adeptos - é a única divisão que ainda aceito que possa haver entre aqueles que são Sporting Clube de Portugal.»
  • «Nós não vamos gastar um único cêntimo nas redes sociais para ferir os nossos sócios e os nossos adeptos. (...) Queremos cativar toda a gente a estar no Sporting.»
  • «Fui a todas as assembleias gerais desde que deixei de jogar.»
  • «O José Maria está com uma visão um pouco dramatizada da situação.»
  • «A Liga Europa não é o sitio do Sporting Clube de Portugal.»
  • «Maioria do capital da SAD detida pelo clube, sempre.»
  • «Santana Lopes tinha 38 anos quando chegou à presidência do Sporting.»
  • «Eu quero tirar, de uma vez por todas, dos órgãos sociais as responsabilidades financeiras.»
  • «Nós sabemos o que queremos e sabemos para onde queremos ir.»
  • «Conquistei 21 títulos.»
  • «Eu não digo mal daqueles que estão para trás.»
  • «José Maria, a sua taxa de rejeição perante os sócios do Sporting é elevada. O José Maria não vai conseguir reunir e somar.»

 

José Maria Ricciardi:

  • «O principal adversário do Sporting temos sido nós próprios.»
  • «Quando fomos campeões nacionais havia coesão, havia união, havia o Sporting acima de tudo.»
  • «Corremos o risco de ficarmos arredados de uma realidade que se está a transformar, que é o fosso entre aqueles que conseguem aceder às provas europeias na sua primeira divisão e aqueles que não conseguem. O fosso está-se a aprofundar.»
  • «Tenho um grande respeito pelo João, que é um homem de carácter e um grande sportinguista. Mas acho que ele tem uma visão muito optimista e talvez pouco realista, fruto ainda de alguma falta de experiência, que é normal ter com a sua jovem idade.»
  • «Os bancos não vão emprestar mais dinheiro aos clubes portugueses.»
  • «Nós temos um défice de tesouraria de 60 milhões de euros.»
  • «É preciso ter experiência, é preciso ter tarimba, é preciso ter passado por empresas de enorme envergadura.»
  • «O João tem imenso voluntarismo, é um óptimo rapaz, acho que daqui a uns anos - não agora - vai dar um bom presidente do Sporting.»
  • «Eu, por acaso, quando estive no Sporting fui campeão nacional - coisa que o João ainda não foi. (...) Eu fui campeão no futebol, coisa de que você se deve lembrar pouco.»
  • «A situação exige uma maturidade e uma experiência grande.»
  • «Você, como guarda-redes de futsal, foi um grande atleta. (...) Mas não se pode passar de sargento a general num dia.»
  • «O João fala bem, decora bem programas, mas isto é muito mais do que decorar programas.»

O frente-a-frente realizou-se esta noite, na Sporting TV

Impressões do debate

 

Ricciardi

O melhor - Retomou o discurso do iminente caos financeiro do Sporting, embora confundindo o V. Guimarães com o Braga quando aludiu à falta de pagamento pela aquisição de Raphinha.

O pior - O banqueiro que assegura querer «pacificar o futebol português» diz uma coisa mas mostra outra: em registo Victor Espadinha, terminou o debate aos gritos contra o seu opositor, impedindo-o de falar.

 

Varandas

O melhor - Garantiu ter aprendido lições de liderança na escola de oficiais do Exército, questionando se Ricciardi terá feito o serviço militar, tema que enfureceu o oponente por motivos difíceis de descortinar.

O pior - Comparar-se com Bill Gates ou Mark Zuckerberg é - convenhamos - manifestamente exagerado.

 

Debate Ricciardi-Varandas: algumas frases

Frederico Varandas:

  • «Nós ontem jogámos só com três titulares da época passada. Isto faz muita diferença. Mas a equipa esteve junta, unida, coesa. E saiu com um resultado positivo.»
  • «Tem de haver uma comunicação forte, mas cirúrgica. Discordo da figura de um director de comunicação com demasiada presença, com demasiada exposição, quase no patamar de um director desportivo, de um treinador, de um jogador até.»
  • «É muito importante que, através da comunicação, o Sporting Clube de Portugal contribua para a valorização da indústria do futebol.»
  • «O nosso clube tem de se abrir mais à comunicação social.»
  • «Os miúdos têm de ver os jogadores do Sporting. O jogador de futebol não pode estar enfiado numa redoma, ser um bicho, quase um extraterrestre. Chega num autocarro, entra para um estádio, joga, vai embora, não fala nem contacta.»
  • «Eu defendo relações institucionais com todos os clubes, mas esses clubes têm de jogar com as mesmas regras que nós, pela verdade desportiva.»
  • «Isto não é um debate, é uma entrevista. Com um entrevistador e um segundo entrevistador, que percebe pouco do assunto mas questiona-me. Porque não discute o programa. Há um candidato que discute o programa e há outro candidato que comenta o meu programa. É um comentador de programa, que agarra sempre o mesmo assunto: a liderança, a idade... é sempre a mesma lengalenga.»
  • «Há pessoas que chegam demasiado cedo a determinados lugares e há outras que chegam demasiado tarde.»
  • «Não sei se o doutor Ricciardi fez o serviço militar, não sei se fez.»
  • «Andei numa escola de oficiais do Exército, onde liderar é um dos pilares. Porque estamos treinados para liderar homens em paz e em guerra, coisa que já me aconteceu. Como militar tenho louvores e condecorações por servir o País, coisa que o doutor Ricciardi nunca saberá o que é.»
  • «O doutor Ricciardi fala dos assuntos com completo desconhecimento.»
  • «Não precisamos de investidores na óptica de capital. Precisamos de investidores na óptica do financiamento.»
  • «O doutor Ricciardi não percebe que a solução financeira do Sporting Clube de Portugal passa por aumentar as receitas. E para aumentar as receitas é preciso perceber de futebol. Se o Sporting tivesse boa gestão desportiva nas últimas duas épocas, não precisávamos de doutores Ricciardis nenhuns.»
  • «Preocupa-me que um candidato como este possa ter hipótese de ser presidente do Sporting.»
  • «O doutor Ricciardi desce baixo, baixo, baixo...»

 

José Maria Ricciardi:

  • «José Peseiro tem feito um trabalho muito meritório nestas três jornadas.»
  • «Vimos para pacificar o futebol nacional.»
  • «É altura de transformarmos a Primeira Liga portuguesa naquilo que vemos noutras ligas. (...) Com a minha presidência não haverá mais estas cenas lamentáveis de ataques aos órgãos de comunicação social. Haverá respeito, dignidade, e isso nunca porá em causa a defesa dos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal.»
  • «Um dos pontos mais fracos do Sporting é a falta de coesão.»
  • «O doutor Frederico Varandas não tem qualquer capacidade para ser presidente do Sporting Clube de Portugal. Nem sabe ler organigramas.»
  • «O doutor Frederico Varandas quer ser uma espécie de presidente-treinador. Ainda não percebeu que o presidente não é presidente-treinador nem presidente-adepto.»
  • «[Varandas está] cada vez mais parecido com o doutor Bruno de Carvalho. Tirou o curso de treinador, aliás à semelhança de Bruno de Carvalho, que também tirou um curso de treinador. Depois deu os resultados que deu.»
  • «O senhor entra permanentemente a ofender e a insultar as pessoas pela sua vida pessoal. Eu não entro. O senhor cinja-se a discutir os assuntos do Sporting e seja um homenzinho, que pelos vistos não é.»
  • «O doutor Varandas é caricato e só diz banalidades. Espero que os sócios tenham o bom senso de não o elegerem, senão o Sporting acaba.»
  • «O doutor Varandas tem um recorde no Sporting absolutamente fantástico: um tetra do Benfica, um sétimo lugar do Sporting e um campeonato do Porto.»
  • «É um novo Bruno de Carvalho com um curso de Medicina. Pensa exactamente da mesma maneira que ele.»
  • «Não estamos aqui a discutir a tropa. Estamos a discutir quem tem capacidades de liderança.»
  • «Se nada se fizer, o Sporting em Novembro não terá dinheiro para honrar os compromissos de tesouraria do clube.»
  • «Tenho pouca paciência para debater consigo. Você só diz asneiras.»
  • «Bruno Varandas! Você é o Bruno de Carvalho encapotado!»

O frente-a-frente realizou-se esta noite, na Sporting TV

Impressões do debate

 

Ricciardi

O melhor - Tem um discurso mais incisivo e directo, falando sem rodeios nem jargão de gestor: usa palavras que toda a gente entende.

O pior - Ficou-lhe muito mal tentar fazer chacota com o Paulinho, uma das figuras mais acarinhadas do universo leonino.

 

Varandas

O melhor - Claramente mais familiarizado do que o seu opositor com as questões do futebol profissional e do futebol da formação.

O pior - Perdeu demasiado tempo a questionar o mérito de José Eduardo, figura menor neste processo eleitoral.

Debate Ricciardi-Varandas: algumas frases

Frederico Varandas:

  • «Precisamos de um presidente que perceba realmente de futebol e que saiba o que é o futebol.»
  • «Há onze anos que sou profissional do futebol. Dediquei quatro mil dias da minha vida a isto.»
  • «Saber liderar é decidir com base em conhecimento e não assinar por baixo o que outras pessoas vão decidir. É saber criar uma estrutura e saber escolher as pessoas certas para essa estrutura.»
  • «A escolha do doutor Ricciardi para homem forte do futebol [José Eduardo] não é uma escolha muito feliz.»
  • «É verdade que tirei o curso de treinador. É mentira que alguma vez me tenha oferecido para treinar o Sporting Clube de Portugal. Também tirei o curso de mergulho e nunca quis ser mergulhador.»
  • «O doutor Ricciardi não sabe o que é um balneário.»
  • «Concordo com o doutor Ricciardi: não chega jogadores, não chega treinador. É preciso ter conhecimento para potenciar aquela máquina, é preciso perceber a linguagem dos jogadores e do treinador. E é preciso ter conhecimento do balneário.»
  • «Eu já trabalhei com 19 treinadores. Jogadores, se calhar, mais de quinhentos.»

 

José Maria Ricciardi:

  • «Eu não entendo que um presidente deva ser especialista em futebol. Aliás, os dois últimos presidentes que foram campeões nacionais no Sporting não eram especialistas em futebol.»
  • «Bruno de Carvalho também tirou, como o doutor Frederico Varandas, um curso de futebol e o desastre foi total em termos de resultados.»
  • «O Sporting é um clube bastante dividido, com falta de coesão. Isso tem a ver com falta de liderança, não com falta de conhecimentos de futebol.»
  • «O José Eduardo, ao contrário do doutor Varandas, foi campeão nacional como jogador. Conhece o Sporting muito melhor do que o doutor Varandas.»
  • «Contaram-me que no tempo do seu apoiante engenheiro Godinho Lopes o doutor Varandas quis ser treinador quando ele despediu o Vercauteren. Eu percebo esta vontade do doutor Varandas em ser treinador, mas nós não estamos aqui a discutir o lugar de treinador.»
  • «O doutor Varandas, que diz perceber muito de futebol, conseguiu estar no pior resultado de sempre do Sporting, que foi um sétimo lugar, depois conseguiu que o Sporting desse um tetra ao Benfica.»
  • «O doutor Varandas passa os debates todos a desvalorizar o Sporting Clube de Portugal, a dizer que está tudo mal.»
  • «Você não vai ser presidente de coisa nenhuma!»

 

O frente-a-frente realizou-se esta noite, na TVI 24

Um pouco mais que uma questão de pormenor...

 

Enquanto algumas candidaturas ainda vão corrigir pequenas irregularidades e não temos absoluta certeza sobre o número de candidaturas que irão a votos dia 8 de Setembro, já é certo que temos 2 validadas, pelo que tenho uma palavrinha a dar sobre esta.

À semelhança de qualquer outro sócio, José Maria Ricciardi tem inteira legitimidade para se candidatar à presidência do Sporting Clube de Portugal. Estará bem preparado do ponto de vista financeiro, todos lhe reconhecemos essa valência, pela carreira na Banca. Mas isso não é requisito para presidir ao clube, nem lhe confere qualquer vantagem sobre os concorrentes, porque todos eles têm especialistas na matéria. Da mesma forma que os conhecimentos médicos, de direito ou gestão que outros candidatos possuem, não os qualificam mais nem menos, porque é suposto que o presidente do clube delegue funções, além de existirem profissionais qualificados nos diferentes departamentos do clube.

Isto não está para crianças ou amadores é uma frase eleitoral, que apela ao homem providencial, cuja visão nos vem salvar e tudo resolve. O sebastianismo existe em Portugal há 500, com os resultados que conhecemos. J. M. Ricciardi anda há muitos anos pelo Sporting, já integrou órgãos sociais, influenciou presidentes, esteve sempre presente, não pode vir agora afirmar-se como alguém que vem de fora, apresentando soluções que sendo boas, já deveria ter proposto, ou em alternativa, ter manifestado discordância do rumo que estava a ser seguido, apontando alternativas.

Verdade que não deu qualquer palavra aos sócios, nem fez parte da CG, mas certamente ouviu Torres Pereira afirmar em momento solene, que ninguém da CG iria a votos. Integrar Alexandre Cavalleri e Jorge Gurita na sua lista era desnecessário e demonstra falta de respeito pela própria CG e até pelos sócios. Pior estiveram os demissionários que saltaram da CG para a candidatura, faltaram à palavra, à solidariedade perante os pares, a MAG e em última instância os sócios. Faltaram ainda ao carácter perante eles próprios e se convivem todos muito bem com isso, é lá com eles, mas enquanto sócio este episódio é suficiente para não os apoiar. Mesmo que tecnicamente até possam não ter cometido qualquer irregularidade.

E nem uma análise posterior ao programa me fará mudar de posição, porque aquilo que nasce torto, tarde ou nunca se endireita. E não sendo a eleição unipessoal, a equipa conta e neste caso, não pactuo com atitudes menos correctas. 

7 anos de atraso...

Ao ver a apresentação da candidatura de José Maria Ricciardi à presidência do Sporting Clube de Portugal, fico com a sensação que surgem fora de tempo. O timing perfeito teria sido 2011, em lugar de terem apoiado Luís Godinho Lopes. Teríamos sido poupados a dois anos catastróficos, que tiveram como consequência os cinco de insanidade que atravessámos e dos quais a muito custo estamos a sair.

Uma vez mais se confirma que a candidatura de Zeferino Boal não era para levar a sério, restando agora 6 candidatos. Com a previsível suspensão do membros do antigo CD, vamos ter muito provavelmente uma campanha de pessoas bem formadas e educadas, como sempre foi apanágio do nosso clube, que não se revê em ameaças e insultos de rufias agressivos e desbragados trauliteiros.

O clube precisa novos rostos, acredito que o tempo será de Frederico Varandas ou João Benedito, não decidi ainda quem apoiarei, se é que apoiarei alguém. Se o vier a fazer, seguramente será um dos dois. Quando falo em renovação refiro-me obviamente a candidatos e não a apoiantes, porque os próximos dirigentes serão os candidatos da lista vencedora e não os membros de qualquer comissão de honra ou apoiantes, por mais ilustres ou mediáticos que possam ser.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D