Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Ídolos

320x180_cmsv2_b89ff526-29f2-5517-b994-16f1ed832100

 

Os ídolos da massa adepta voltaram a ser os heróis do relvado, das pistas e dos pavilhões. Até nisto o Sporting mudou para melhor.

Acabou o tempo em que o primeiro lugar da fotografia estava sempre reservado ao presidente, que fazia tudo para roubar protagonismo a jogadores e atletas.

O Clube foi devolvido à normalidade que já tardava. Nisto também.

Os melhores jogadores da época passada

Balanço dos jogadores do Sporting que mais se destacaram em cada desafio do campeonato 2020/2021:

 

Pedro Gonçalves: 11 (Sporting-FC Porto; Santa Clara-Sporting; Sorting-Tondela; V. Guimarães-Sporting; Sporting-Moreirense; Nacional-Sporting; Sporting-Rio Ave; Marítimo-Sporting; Sporting-Famalicão; Benfica-Sporting; Sporting-Marítimo)

Coates: 6 (Paços de Ferreira-Sporting; Gil Vicente-Sporting; FC Porto-Sporting; Sporting-Santa Clara; Sporting-Belenenses SAD; Braga-Sporting)

Palhinha: 4 (Sporting-Paços de Ferreira; Sporting-Portimonense; Sporting- V. Guimarães; Sporting-Boavista)

Porro: 3 (Famalicão-Sporting; Sporting-Braga; Boavista-Sporting)

Nuno Mendes: 2 (Portimonense-Sporting; Tondela-Sporting)

Adán: 2 (Belenenses SAD-Sporting; Farense-Sporting)

Sporar: 1 (Sporting-Gil Vicente)

Tabata: 1 (Sporting-Farense)

Matheus Nunes: 1 (Sporting-Benfica)

João Mário: 1 (Moreirense-Sporting)

Jovane: 1 (Sporting-Nacional)

Paulinho: 1 (Rio Ave-Sporting)

 

Na época 2014/15, os melhores jogadores foram Nani, William Carvalho e Montero.

Na época 2015/16, os melhores jogadores foram Slimani, Adrien e João Mário.

Na época 2016/17, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bas Dost e Adrien.

Na época 2017/18, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bruno Fernandes e Rui Patrício.

Na época 2018/19, os melhores jogadores foram Bruno Fernandes, Raphinha e Nani.

Na época 2019/20, os melhores jogadores foram Bruno Fernandes, Jovane e Coates.

Quem joga até ao fim do campeonato?

flavionazinhoDR.jpg

Até agora, Ruben Amorim utilizou, no campeonato português os guarda-redes Adán e Maximiano; os defesas centrais, Neto, Inácio, Coates, Feddal e Quaresma; os laterais, Porro, Pereira, Borja, Reis, Antunes e Mendes; os médios-centro, Palhinha, Essugo, Nunes, João Mário, Wendel e Bragança e os avançados Gonçalves, Santos, Jovane, Tabata, Tomás, Paulinho, Plata, Vietto e Sporar.

Que jogadores gostariam de ver serem lançados ainda esta época, para serem, provavelmente (mas ainda não é certo e todas as cautelas são poucas) campeões? Um terceiro guarda-redes como André Paulo? Um homem mais experiente e que já deu um contributo válido no passado como Luiz Phellype? Os mais experientes dos jovens como Diogo Brás, Bernardo Sousa, Tomás Silva, Elves Baldé ou Mitrovski)?

As minhas apostas seriam Bruno Paz, capitão dos B e promessa adiada pelas lesões; Flávio Nazinho, médio/extremo esquerdo que pode render Mendes num futuro próximo; Joelson Fernandes, próximo grande extremo da equipa e Rodrigo Fernandes, médio centro que não explodiu tão rápido como seria de prever, mas que vai a tempo de ser uma grande ajuda. Se não for pedir muito, ainda punha nas contas o Haaland de Alcochete (com as devidas distâncias), Nicolai Skoglund.

Quais seriam as vossas escolhas?

Ordem de Mérito Liga (30ª jornada)

Sebastian-Coates-1.jpg

 

Concluídas as primeiras trinta jornadas da Liga, com base nas apreciações dos três jornais desportivos diários que o Pedro Correia aqui nos traz, e se não me enganei a transcrever alguma pontuação, podemos então estabelecer a seguinte ordem de mérito:

1. Pontuação Total:

Coates455
Pedro Gonçalves447
Porro444
Adan440
Palhinha421
Tiago Tomás392
Nuno Santos388
Nuno Mendes381
Feddal378
10 João Mário351
11 Matheus Nunes335
12 Neto278
13 Jovane248
14 Daniel Bragança221
15 Tabata203
16 Inácio189
17 Sporar167
18 Matheus Reis145
19 Paulinho132
20 Antunes79
21 Plata77
22 Vietto44
23 Wendel29
24 Eduardo Quaresma23
24 Max17
25 Borja15
26 Dário Essugo11
27 João Pereira10

 

2. Desempenho Médio:

Max17,0
Pedro Gonçalves16,0
Coates15,7
Porro15,3
Adan15,2
Palhinha15,0
Vietto14,7
Nuno Mendes14,7
Feddal14,5
10 Wendel14,5
11 João Mário14,0
12 Neto13,9
13 Nuno Santos13,9
14 Tiago Tomás13,5
15 Inácio13,5
16 Paulinho13,2
17 Daniel Bragança13,0
18 Matheus Nunes12,9
19 Sporar12,8
20 Tabata12,7
21 Jovane12,4
22 Matheus Reis12,1
23 Eduardo Quaresma11,5
24 Antunes11,3
25 Plata11,0
26 Dário Essugo11,0
27 João Pereira10,0
27 Borja7,5

 

3. Número de vezes os Melhores em campo :

Pedro Gonçalves10
Coates 6
Porro4
Palhinha4
Adán3
Nuno Mendes2
Matheus Nunes2
Jovane2
Wendel1
10 Tabata1
11 Nuno Santos1
12 Feddal1

 

Os números não mentem. Coates está a fazer a melhor época de sempre ao serviço do Sporting, e as contratações de Verão - com Pedro Gonçalves, Porro e Adán à cabeça - conseguem uma regularidade de alto desempenho completamente extraordinária para quem tinha acabado de chegar ao clube. Depois vem a malta da casa: Palhinha, Nuno Mendes, Tiago Tomás, João Mário e outros, também eles fundamentais neste Sporting.

Se considerarmos os 20 melhores na pontuação total, Coates consegue também ser o único "sobrevivente" dos finalistas das Taças de Portugal de 2018 e 2019. Todos os outros foram à sua vida, uns duma forma, outros doutra. A transformação do plantel foi radical.

Fica aqui aberta a discussão sobre estas pontuações.

SL

Quem são os novos cinco violinos?

21262794_fcZq7.jpeg

 

Nada é tão emblemático, na iconografia leonina, como os históricos Cinco Violinos que dominaram os relvados no final da década de 40, conquistando vários títulos para o Sporting. Refiro-me a Fernando Peyroteo (que jogou de verde e branco entre 1937 e 1949, com seis campeonatos ganhos), Albano Pereira (1943-1957, oito campeonatos), António Jesus Correia (1944-1952, sete campeonatos), Manuel Vasques (1946-1959, oito campeonatos) e José Travassos (1947-1958, oito campeonatos).

Os tempos são outros, mas a memória dessa época tão brilhante persiste. Aqui lanço um repto aos leitores, extensivo aos meus colegas de blogue: quem são hoje os nossos Cinco Violinos?

Há gap na formação

contratosprofissionais.jpg

(Frederico Varandas a 4 de Março de 2019 aquando da assinatura de contrato profissional com Diogo Almeida, Alexandre Lami, Rodrigo Rego, Eduardo Quaresma, Nuno Mendes, João Daniel, Gonçalo Batalha, Tiago Ferreira, Daniel Rodrigues, Joelson Fernandes, Tiago Tomás e Nicolai Skoglund.)

 

Quando Frederico Varandas chegou a presidente do Sporting, naquela sua forma sincopada e desajeitada de comunicar logo veio falar em duas coisas que muita celeuma levantaram junto de alguns sectores do Sporting, o "gap na formação" e os "colchões de Alcochete".

Como director clínico do futebol do Sporting ele conhecia muito bem a qualidade que existia em Alcochete e a degradação das instalações, e pôs o dedo na ferida, manifestando também o seu propósito de dar a volta à situação.

Sobre a degradação das instalações, foram já investidos alguns milhões de euros em Alcochete em novos relvados, melhoramento dos existentes, upgrade dos equipamentos de apoio, mas não é esse o tema do post. 

 

Vamos então ver o melhor que a formação do Sporting tem produzido nos últimos anos, utilizando para isso as idades actuais (V=Vendido, R=Rescindiu, VC=Vendido e Comprado, E=Emprestado):

17: Joelson, Skolund

18: Nuno Mendes, Quaresma, Inácio, Tiago Tomás, Tiago Ferreira, Bruno Tavares

19: Rodrigo Fernandes, Everthon Santos, Catamo, Félix Correia (V)

20: Gonçalo Costa, Tiago Djaló (V), Rafael Camacho (C), Plata (C), Anthony Walker

21: Luís Maximiano, João Silva, Pedro Mendes (E), Rafael Leão (R), Thierry Correia (V), Mitrovski, João Oliveira, Elves Baldé, Daniel Bragança, Miguel Luís(V)

22: Jovane, Pedro Marques, Demiral (V), Abdu Conté (V), Diogo Sousa

23:

24: Matheus Pereira (V), Gelson Dala (V), Ivanildo Fernandes, Gauld (V), Rafael Barbosa (V)

25: Palhinha, Gelson Martins (R), Domingos Duarte (V), Podence (R), Mama Baldé (V), Francisco Geraldes (V)

26: Carlos Mané (V), Rúben Semedo (V), Dier (V), Bruma (V), Iuri (V), Chaby (E)

27: João Mário (V), Esgaio (V), Ilori (VC)

Os assinalados a negrito já tinham saído quando Varandas entrou.

 

Assim sendo, vemos realmente que nos 22-24 anos actuais (20-22 na altura que Varandas chegou a presidente) muito poucos jogadores se destacam, e apenas dois integram hoje o plantel principal.

Isso deve-se unicamente à sorte, ou existiu de facto nos anos anteriores uma política errada, nos juvenis e juniores, orientada para ganhar títulos e com a equipa B a ser um depósito de encomendas descobertas por Inácio, que tem tanto de pontualmente bom treinador como de péssimo director desportivo, com os Sackos, Dramés e Gazelas e muitas outras nulidades?

 

Se olharmos para os 25-27 anos actuais, vemos um conjunto de jogadores muito interessantes, que chegaram a titulares das respectivas selecções. Há sete anos, quando Bruno de Carvalho chegou a presidente, tinham 18-20 anos...

Importa também lembrar que foi com Marcel Keizer que a recuperação da situação teve início e alguns destes jovens tiveram a primeira oportunidade de mostrar o que valiam em contexto de primeira equipa. Keizer efectivamente levou para o estágio na Suíça Luís Maximiano, Diogo Sousa, Thierry Correia, Eduardo Quaresma, Abdu Conté, Nuno Mendes, Daniel Bragança, Miguel Luís, Rafael Camacho, Gonzalo Plata, Jovane Cabral, Joelson Fernandes e Matheus Pereira.

SL

Contratações de Varandas e Viana

sporar.jpg

 

Enquanto a Liga não recomeça, penso que será interessante fazer uma avaliação do que foram as contratações de Frederico Varandas e Hugo Viana. As avaliações são de 1 a 5, 3 o mínimo para uma contratação conseguida, e referem-se não apenas ao desempenho do jogador mas também ao interesse real que teve a sua contratação para a realização dos objectivos do clube. Os valores de transferência são os que aparecem no Transfermarkt, as idades referidas são as actuais, e não aquelas à data de contratação. Incluo também data de início e fim do contrato, e o agente respectivo.

Então temos por ordem cronológica:

 

  1. 01/01/2019 Luiz Phellype, 27 anos, 0,5M€, 30/06/2024, Nomi Sports- Nota 4

Não se dava muito por ele, mas paulatimente ganhou o seu lugar no plantel e foi fundamental na conquista da Taça no Jamor. No ano passado, que deveria ser o ano de explosão, lesionou-se gravemente da forma mais incrivel mesmo à minha frente, é umas das lesões piores dum futebolista e vai demorar tempo a ser o que era, e mais ainda o que estava na calha para ser. Mas pelo que custou, foi ima óptima aquisição.

 

  1. 15/01/2019 Doumbia, 22 anos, 3,8M€, 30/06/2024, Nomi Sports  - Nota 2

 Internacional U23 pela Costa do Marfim, ainda jovem, possante fisicamente, veio da Rússia com muitos defeitos de formação que ainda não conseguiu corrigir, a nível do passe e do posicionamento em campo, na época passada ainda teve muitos minutos de jogo a médio centro mas raramente se destacou e algumas vezes comprometeu. Emprestado ao Huesca ainda não conquistou a titularidade. Acredito que pela idade ainda possa conseguir justificar o investimento, mas os sinais não são famosos.

 

  1. 29/01/2019 Ilori, 27 anos, 2,4M€, 30/06/2024, Sem agente               - Nota 1

Percebe-se a ideia de fazer regressar um dos melhores defesas que passou pela antiga equipa B e que rumou ao Liverpool, já noutro patamar de rendimento e experiência, mas de boas intenções está o inferno cheio, Ilori falhou rotundamente e chegou a ser deprimente no campo, concerteza os psicólogos poderão encontrar as razões melhor do que eu. Amorim tirou-lhe depressa o retrato, o Ilori foi recusando todas as hipóteses de saída que foram aparecendo  e agora faz parte do grupo de excedentes. O investimento parece ter sido a fundo perdido.

 

  1. 30/01/2019 Cristian Borja, 27 anos, 3,2M€, 30/06/2024, Eurodata           - Nota 2

 Internacional A pela Colômbia, este veio do México mais velho que o Doumbia mas também com muitos defeitos por corrigir, pouco intenso, fraco em termos de concentração e leitura de jogo, umas vezes disfarça melhor que outras, não se conseguiu impor nem como lateral esquerdo nem como central desse lado. Estava agora mesmo para sair para o Palmeiras, mas por algum motivo não foi. Se calhar teria sido o melhor.

 

  1. 31/01/2019 Gonzalo Plata, 20 anos, 1,1M€, 30/06/2024, Wasserman - Nota 4

 Internacional A pelo Equador, tem tudo para vir a ser um enorme jogador, já conseguiu momentos de fulgor num ou noutro jogo, neste modelo de Amorim que não tem extremos puros procura ainda o seu melhor lugar, alternando entre interior e ala. Amorim não tem problema em fazer dele ala quando pretende ir atrás do prejuízo e o Plata tem correspondido, o que lhe está a dar estofo e disciplina táctica. Uma excelente contratação, só pergunto porque é que foi exemplar único. Onde anda o scouting internacional ?

 

  1. 31/01/2019 Matheus Nunes, 22 anos, 0,9M€, 30/06/2025, TFM              - Nota 5

Um verdadeiro achado, um miudo que aparentemente começou no Ericeirense, e que hoje em dia é dos melhores box-to-box do futebol português, com capacidade física, técnica, capacidade de remate, um saudavel atrevimento em campo, agora é só fazer deixar o tempo falar. Mesmo que não seja titular, quando entra faz igual ou melhor. Pelo preço que custou, 5 é pouco, mas é a minha nota máxima.

 

  1. 01/07/2019 Vietto, 26 anos, compra 7,5M€ / venda 3M€ de 50%,Eleven Talent  - Nota 4

Este é um caso difícil de avaliar, desde logo porque o valor de compra resulta da negociação sobre o caso Gerson Martins. Veio pelo valor acima referido, foi o que lá colocaram, podia ser o que fosse, como agora aconteceu no caso Ruben Dias / Otamendi.  Veio para substituir o Bruno Fernandes mas teve de coabitar com ele. E é dificil avaliar o desempenho do Vietto, sempre, entre um médio que avança e um avançado que recua, fez optimos passes e assistências para golo, marcou alguns, mas fica a ideia que era um “pé frio”, falhava bem mais do que marcava. Despediu-se de Alvalade dessa mesma forma, marcou um para logo a seguir falhar outro de cabeça na pequena área, que nos teria dado a vitória frente ao Porto. Apesar de tudo foi um jogador importante na equipa, algures entre os melhores e os outros.

  1. 01/07/2019 Camacho, 20 anos,  5M€ , 30/06/2024, Sem agente              - Nota 2,5

Um caso com semelhanças ao do Ilori, a origem é também o Liverpool, também ele foi chumbado por Amorim e está nos excedentes, as qualidades estão lá mas a cabeça não ajuda, não consegue ajustar-se às necessidades da equipa, quer fazer o seu número e marcar uns golaços. Precisará de sair para rodar numa equipa onde possa jogar livre no ataque num estilo tipo Quaresma, e voltar com outra maturidade, andamento e atitude para triunfar. A alternativa será tentar recuperar o investimento devolvendo-o ao futebol Inglês.

 

  1. 01/07/2019 Rosier, 24 anos,  5M€+2M€ , 30/06/2024, CLK Foot              - Nota 2

Internacional Sub-21 pela França, chegando ao Sporting ainda a recuperar de lesão, por incapacidade ou inadaptação, nunca conseguiu responder minimamente ao esperado, encontra-se agora emprestado ao Besiktas, onde conquistou a titularidade e já tem um golo marcado. Será que vai renascer na Turquia e ajudar o Sporting a recuperar o investimento avultado que fez ?

 

  1. 01/07/2019 Neto, 32 anos,  0M€ , 30/06/2022, Bruno Carvalho               - Nota 3,5

Quem dá o que pode a mais não é obrigado. E o Neto dá tudo em campo, sacrificando-se em benefício da equipa e, pelo que se sabe, assumindo um papel importante no balneário. Trata-se dum defesa à antiga portuguesa, na linha dum saudoso Bastos, pés de chumbo, dificuldade de reacção, rende bem mais no centro da defesa, ocupada por um jogador já de outro nível. Mas foi uma boa contratação, na linha dum Naldo ou dum Maurício, nada que ver com Ewertons e Douglões. 

 

  1. 02/07/2019 Eduardo Henrique, 25 anos,  3M€ , 30/06/2024,  S/A        - Nota 2

Neste caso francamente não se percebe a razão da contratação, a não ser que as conversas com o Silas já viessem de trás e que se pretendesse ir compondo um plantel ao seu jeito. Mas nem para isso serviu. Um perfil de jogador que nada acrescenta ao plantel, não é um trinco, não é um médio ofensivo, parece um box-to-box que tem umas boas acelerações com a bola controlada, mas defende mal e passa pior. Está emprestado ao Crotone onde não conquistou a titularidade, e se continua assim, vai ser devolvido à procedência.

 

  1. 02/09/2019 Jesé,    ? M€ , veio emprestado e já foi devolvido              - Nota 1

Com o histórico do jogador, tinha tudo para correr mal e foi o que aconteceu.

 

  1. 02/09/2019 Fernando,    ? M€ , veio emprestado e já foi devolvido          - Nota 1

Este nem bem nem mal, antes pelo contrário, esteve no Sporting em tratamento com um jogo ou outro pelos sub23.

 

  1. 02/09/2019 Bolasie,    ? M€ , veio emprestado e já foi devolvido          - Nota 2

Se tivesse vindo com a idade do Doumbia teria sido outra coisa bem diferente.  Com 30 anos e muito martirizado por lesões, muito tentava, mas pouco podia.

 

  1. 23/01/2020 Andraz Sporar, 26 anos,  6M€ , 30/06/2025, AR Sport    - Nota 4

Internacional A pela Eslóvenia, avançado e marcador de golos, é bom jogador ? Acho que sim, e para além disso trata-se dum óptimo profissional, viu-se em tempos de confinamento.  É melhor que outros avançados que tivemos como o Postiga e o Montero ? Acho que sim. É mesmo o ponta de lança que o Sporting precisava e precisa ? Acho que não. Também depois de Slimani e Bas Dost estivemos muito mal habituados. E se vier o tal ponta de lança, o Sporar deixa de contar ? Claramente não, em muitos jogos precisaremos dum modelo alternativo, com dois avançados que combinem bem entre eles, um mais fixo outro mais movel. Foi então uma boa contratação, pelo preço que custou e sabendo-se que os bons pontas de lança custam fortunas ? Acho que sim.

 

  1. 01/07/2020 Antunes, 33 anos,  0M€ , 30/06/2022, Footconect              - Nota 3

Até ver será outro caso Neto, um internacional A experiente e tarimbado para compor o balneário e ajudar o treinador, naturalmente suplente do Nuno Mendes, será chamado quando fizer falta.

 

  1. 01/07/2019 Porro, 21 anos,  8M€ de cc, 30/06/2022, Base Soccer  - Nota 4,5

Emprestado pelo Man.City, internacional sub21 pela Espanha, intenso a defender, centra muito bem, chega à área para marcar, está ali um belo projecto de defesa direito ao nível dos melhores que alguma vez tivemos, como por exemplo, como por exemplo, enfim algum de quem não me recorde. Até já estava a ir até ao Inácio...  Pode melhorar ainda muito no desempenho defensivo neste modelo de três centrais. Investimento seguro, bela contratação.

 

  1. 18/08/2020 Feddal, 30 anos,  2,5M€ , 30/06/2022, Promoesport    - Nota 3,5

Obviamente não tem comparação possível com o Mathieu, mas também por onde é que andam os Mathieus mais novos do futebol mundial ? O que se pode dizer é que tenta fazer aquilo que o Amorim lhe pede, defende razoavelmente embora esteja habituado a outras decisões dos árbitros, protege as costas do Nuno Mendes, não falha muitos passes, dá profundidade no corredor, é forte no jogo aéreo, uma vez por outra marcará um golo. E parece bem integrado no grupo, dando indicações aos mais jovens.

 

  1. 18/08/2020 Pedro Gonçalves, 21,  6€, 30/06/2025, Jorge Pires   - Nota 5

(Obs: 50% em futuras vendas)

Este é como o algodão, não engana. Craque da cabeça aos pés, dos pés dele a bola sai sempre redondinha para os colegas e mortífera para os guarda-redes contrários. Muito bem aproveitado pelo Amorim naquela posição de interior direito vagabundo, lidera já destacado a lista dos marcadores. Num registo completamente distinto, o melhor sucessor que poderíamos encontrar para o Bruno Fernandes. Um dia destes lá estarão os dois no onze titular de Portugal, obviamente na companhia do Nuno Mendes.

 

  1. 20/08/2020 Adán, 33 anos, 0M€ ,  30/06/2022, Soccer relations            - Nota 4

Mais tarde ou mais cedo Max vai ser o titular da baliza do Sporting, legítimo sucessor do campeão da Europa Rui Patrício. Mas no entretanto e para além do bom desempenho entre os postes, Adán veio acrescentar experiência e voz de comando à posição, bem como a capacidade de esticar jogo e proporcionar do nada ocasiões de golo, como esta última de Guimarães. De outro patamar relativamente a Salin ou a Boeck, habituado aos balneários do Real e do Atlético de Madrid, uma óptima aquisição para o Sporting.

 

  1. 21/08/2020 Nuno Santos, 25 anos,  7M€, 30/06/2025, Jorge Pires- Nota 4

Há vários anos que me recordo de ver jogar o Nuno Santos, natural da Trofa, formado no Porto, Rio Ave e Benfica, algumas vezes contra nós e sempre a deixar boas indicações, teve duas lesões graves que lhe atrasaram substancialmente a afirmação. Por isso mesmo torci um pouco o nariz à contratação, era mais um extremo num plantel que já contava com muitos, o que posso dizer hoje é que contratámos um jogador inteligente, versátil e tecnicamente evoluido, que assiste e marca golos. Uma boa contratação em concorrência directa com o Porto, e percebe-se bem porquê.

 

  1. 01/09/2020 André Paulo, 23 anos, 0M€ ,  30/06/2022, IDOLOÁSIS        - Nota 3

Do pouco que vi parece um guarda-redes na linha dum Tiago e dum Nelson, sóbrio, seguro entre os postes, e sempre a procurar a eficácia. Sempre convém ter alguem assim.

 

  1. 29/09/2020 Tabata, 21 anos,  0,5M€, 30/06/2025    , D20                   - Nota 3

(Obs: 10% do passe ?)

Colega de Wendel na selecção sub-23 do Brasil, extremo possante e “fussão”, muito diferente de Nuno Santos ou Plata, não veio para ser titular, poderá ser útil num ou noutro momento, e o negócio foi feito nesse sentido.

 

  1. 06/10/2020 João Mário, 27 anos,  empréstimo,  30/06/2020, P&P      - Nota 5

Na linha de Nani, voltou e logo demonstrou que está ali não para complicar mas para ajudar tudo e todos. Podia haver dúvidas do jogador que viria, mas veio um médio centro que sabe temporizar e comandar a equipa, criando linhas de passe e colocando outros a jogar também, tudo aquilo em que Wendel com outras qualidades não conseguia fazer. Uma grande luta com Matheus Nunes para a titularidade, dado que Palhinha tem características bem distintas e essencias à equipa, da qual o Sporting sairá sempre a ganhar.

 

Resumindo, estão aqui referenciados 24 jogadores, nenhum agenciado por Jorge Mendes/Gestifute, que custaram ou custarão (com a menos-valia de Vietto e a cláusula de Porro incluidas) cerca de 45M€, e que me merecem uma nota global (média) apesar de tudo positiva: 3,1.

Quanto é que o Sporting pode obter de retorno deste investimento no futuro próximo, vendendo ou oferecendo os jogadores deste lote sob contrato (assumindo Porro)? Sem lesões a complicarem as contas, facilmente 60 ou 70M€.

As minhas avaliações são discutíveis, os valores que prevejo também. O que não há dúvida nenhuma é que Rúben Amorim, no rendimento obtido no campo, ajudou a transformar para melhor a política de aquições do Sporting.

SL

Os melhores jogadores da época passada

Balanço dos jogadores do Sporting que mais se destacaram em cada desafio do campeonato 2019/2020:

 

Bruno Fernandes: 6 (Marítimo-Sporting; Sporting-Rio Ave; Paços de Ferreira-Sporting; Tondela-Sporting; Gil Vicente-Sporting; V. Setúbal-Sporting)

Jovane: 4 (Sporting-Paços de Ferreira; Sporting-Tondela; Belenenses SAD-Sporting; Sporting-Santa Clara)

Coates: 4 (Famalicão-Sporting; Moreirense-Sporting; FC Porto-Sporting; Sporting-V. Setúbal)

Bolasie: 3 (Boavista-Sporting; Aves-Sporting; Santa Clara-Sporting)

Mathieu: 3 (Sporting-V. Guimarães: Sporting-Moreirense; Sporting-Portimonense)

Vietto: 2 (Sporting-Famalicão; Sporting-Belenenses SAD)

Luís Maximiano: 2 (Braga-Sporting; Rio Ave-Sporting)

Plata: 2 (Sporting-Boavista; Sporting-Gil Vicente)

Acuña: 2 (Sporting-FC Porto: Sporting-Aves)

Raphinha: 1 (Portimonense-Sporting)

Tiago Tomás: 1 (Benfica-Sporting)

Rafael Camacho: 1 (Sporting-Benfica)

Sporar: 1 (V. Guimarães-Sporting)

Renan: 1 (Sporting-Braga)

Borja: 1 (Sporting-Marítimo)

 

Na época 2014/15, os melhores jogadores foram Nani, William Carvalho e Montero.

Na época 2015/16, os melhores jogadores foram Slimani, Adrien e João Mário.

Na época 2016/17, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bas Dost e Adrien.

Na época 2017/18, os melhores jogadores foram Gelson Martins, Bruno Fernandes e Rui Patrício.

Na época 2018/19, os melhores jogadores foram Bruno Fernandes, Raphinha e Nani.

Balanço (38)

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2018/2019, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio.

 

27 de Janeiro (Sporting, 1 - Marítimo, 0): BORJA

«O lateral colombiano regressou à titularidade, aproveitando a ausência de Acuña, afastado por acumulação de cartões. Cumpriu com distinção a incumbência, não apenas no plano defensivo, com boas acções de cobertura, mas sobretudo nas movimentações ofensivas que culminaram com a sua estreia a marcar esta época ao serviço do Sporting, correspondendo da melhor maneira a um cruzamento de Jovane.»

 

2 de Fevereiro (Braga, 1 - Sporting, 0): LUÍS MAXIMIANO

«O jovem guarda-redes formado na Academia leonina foi o nosso melhor em campo. Seguro e atento, sem qualquer responsabilidade no golo sofrido, fez três grandes defesas - aos 55', 60' e 63' - retardando o mais possível os três pontos que o Braga acabaria por conquistar.»

 

9 de Fevereiro (Sporting, 2 - Portimonense, 1): MATHIEU

«É, aos 36 anos, o maior baluarte do onze leonino, como ontem voltou a confirmar-se em campo. Sobretudo pelo grande golo que marcou - de livre directo, com o seu potente pé esquerdo, num remate muito bem colocado e totalmente indefensável - e ajudou a desbloquear a partida, aos 32', recolocando o empate no marcador e abrindo caminho ao triunfo. Mas também pela forma como comandou o nosso reduto.»

 

15 de Fevereiro (Rio Ave, 1 - Sporting, 1): LUÍS MAXIMIANO

«Outra partida muito positiva do nosso guarda-redes. Sem culpa no golo, quase à queima-roupa, e com defesas dignas de registo aos 16' e aos 90'.»

 

23 de Fevereiro (Sporting, 2 - Boavista, 0): PLATA

«O jovem equatoriano respondeu da melhor maneira, destacando-se como figura do jogo. Foi dele a assistência para o primeiro golo, aos 13', na marcação irrepreensível de um livre directo, e encarregou-se ele próprio de marcar o segundo, aos 42', dando a melhor sequência a uma boa jogada colectiva iniciada por Jovane que tocou para Borja na ala esquerda e este cruzou para a área onde Plata apareceu, livre de marcação, rematando de primeira com o pé esquerdo.»

 

3 de Março (Famalicão, 3 - Sporting, 1): COATES

«Pareceu-me o menos mal dos sportinguistas. Por ter marcado o nosso golo solitário, aos 45'+1. E por ter feito preciosos cortes e desarmes aos 32', 60' e 63', evitando danos maiores.»

 

8 de Março (Sporting, 2 - Aves, 0): ACUÑA

«O primeiro grande cruzamento partiu dos pés dele, logo aos 7'. Aos 45'+3, constrói o lance que culmina no tiro de Vietto à trave. E é também o argentino que inicia a jogada que dá origem ao primeiro golo, colocando a bola em Wendel, que depois a centra para o esloveno.»

 

4 de Junho (V. Guimarães, 2 - Sporting, 2): SPORAR

«Temos artilheiro: já regista cinco golos. Ontem, mais dois. Aproveitando da melhor maneira duas das três oportunidades de que dispôs: a primeira aos 18', aproveitando uma fífia incrível do experiente guardião vitoriano Douglas; a segunda aos 52', dando a melhor sequência a um excelente passe de Jovane a rasgar a defesa adversária.»

 

12 de Junho (Sporting, 2 - Paços de Ferreira, 0): JOVANE

«Marcou um golão, de livre directo, aos 65': a bola embateu na barra, cheia de colocação e força, entrando de seguida. No último minuto do tempo extra (97') esteve quase a repetir a proeza, mas em lance corrido. No entanto a bola, caprichosamente, voltou a embater na trave, agora sem entrar. Ainda (48') ofereceu um golo a Sporar que o esloveno desperdiçou.»

 

18 de Junho (Sporting, 2 - Tondela, 0): JOVANE

«Segundo jogo consecutivo a marcar, segundo jogo a apontar o golo de livre directo, com uma bomba indefensável que contornou a barreira adversária e se foi anichar ao fundo das redes, deixando o guardião de pés no solo. Dos nossos quatro golos de livre registados neste campeonato, metade têm já a assinatura do jovem caboverdiano.»

 

26 de Junho (Belenenses SAD, 1 - Sporting, 3): JOVANE

«Novamente o melhor, decisivo ao ponto de ter marcado dois golos - o segundo e o terceiro. E talvez não ficasse por aqui se tivesse permanecido em campo durante a segunda parte. Rúben Amorim mandou-o sair ao intervalo, por precaução, verificando que o jovem caboverdiano acusava um problema muscular. A missão dele estava cumprida, uma vez mais com.»

 

1 de Julho (Sporting, 2 - Gil Vicente, 1): PLATA

«Destacou-se nesta partida, em que teve o melhor desempenho desde a chegada do novo técnico. É dele a assistência para o primeiro golo, com um cruzamento atrasado para a grande área, e é ele quem consegue os três pontos ao apontar o segundo, aproveitando muito bem um atraso disparatado de um defesa adversário, batendo em velocidade os seus opositores.»

 

6 de Julho (Moreirense, 0 - Sporting, 0): COATES

«Foi o mais perigoso lá à frente, nas bolas paradas. Venceu um lance aéreo aos 37', cabeceando por cima, e viu-se impedido de disputar uma bola ao ser ostensivamente agarrado dentro da grande área, mesmo no fim da partida, num lance que o árbitro ignorou. Num jogo em que quase todos os seus colegas estiveram abaixo do nível que nos habituaram, foi dos raros que se mantiveram em bom estilo e grande classe.»

 

10 de Julho (Sporting, 1 - Santa Clara, 0): JOVANE

«Voltou a valer-nos três pontos ao metê-la lá dentro, dando a melhor sequência a um magnífico passe vertical de Wendel, empurrando a bola para a baliza com o pé esquerdo sem a deixar cair no chão. Estavam decorridos 67'. O jovem caboverdiano fez a diferença não apenas neste lance decisivo mas ao longo de todo o desafio, em que foi sempre o mais criativo e o maior desequilibrador.»

 

15 de Julho (FC Porto, 2 - Sporting, 0): COATES

«Fez impor a sua presença nos lances aéreos, não apenas no sector defensivo (bons cortes aos 16' e 22') mas também junto à baliza adversária, nas bolas paradas. Aos 19', anulou as marcações na trincheira portista, embora cabeceando por cima. Muito eficaz no controlo da profundidade excepto nos minutos finais, em que já estava mais à frente por indicação técnica, na fase do tudo-por-tudo.»

 

21 de Julho (Sporting, 0 - V. Setúbal, 0): COATES

«Não cometeu nenhum erro grave e pareceu sempre um dos raros jogadores incoformados com o empate a zero. Merece por isso ser destacado como o melhor Leão numa partida em que passou os últimos dez minutos a jogar sobretudo à frente, como reforço improvisado da nossa linha atacante.»

 

25 de Julho (Benfica, 2 - Sporting, 1): TIAGO TOMÁS

«Esteve nos dois melhores momentos da prestação leonina: aos 65', numa rápida incursão na grande área aproveitando um monumental lapso defensivo de Jardel, atirou a bola ao poste de um ângulo muito apertado; aos 69', fez um soberbo passe que funcionou como assistência para o golo de Sporar.»

 

(Conclusão do balanço iniciado ontem)

Balanço (37)

Antes do arranque do campeonato nacional de futebol 2019/2020, relembro os meus apontamentos da época passada. Para recordar os jogadores que se evidenciaram mais em cada desafio.

 

11 de Agosto (Marítimo, 1 - Sporting, 1): BRUNO FERNANDES

«Foi dele o primeiro grande passe em profundidade, isolando Raphinha logo aos 2'. Foi dele também o primeiro remate do Sporting que levava selo de golo: uma bomba disparada aos 28', travada pelo guardião adversário com a defesa da noite. Foi ainda ele que cruzou para o golo de Coates, parecendo com vontade de voltar a ser na nova época o rei das assistências da nossa equipa.»

 

18 de Agosto (Sporting, 2 - Braga, 1): RENAN

«Foi decisivo nesta conquista dos três pontos para o Sporting em várias defesas que confirmaram a sua classe e os seus reflexos. Destaque para um voo que impediu Pablo de marcar, aos 30', e o golo "cantado" que travou in extremis a Hassan, aos 40'.»

 

25 de Agosto (Portimonense, 1 - Sporting, 3): RAPHINHA

«Voto nele como o melhor em campo. Por ter bisado, desde logo, sendo a partir de agora o marcador mais destacado da nossa equipa. Mas sobretudo pela qualidade dos golos que marcou. Merece especial destaque o primeiro, com um remate muito forte desferido do bico da área, em arco, sem defesa possível para o guardião adversário. O segundo também justifica aplauso, pela impecável recepção a um passe longo de Bruno Fernandes, metendo-a lá dentro sem a deixar bater no chão - ainda por cima com o seu pior pé, que é o direito.»

 

31 de Agosto (Sporting, 2 - Rio Ave, 3): BRUNO FERNANDES

«Voltou a ser o melhor dos nossos jogadores em campo - atributo bem reflectido no nosso primeiro golo, aos 20', que começa a ser desenhado nos pés dele e é concluído também por ele, com um remate forte e bem colocado, a passe de Acuña, enquanto Luiz Phellype se movimentava bem sem bola, arrastando metade da defesa adversária. Foi o 50.º golo oficial de Bruno Fernandes com a camisola do Sporting. Desejamos que marque muitos mais.»

 

15 de Setembro (Boavista, 1 - Sporting, 1): BOLASIE

«Foi dele a única oportunidade do Sporting na primeira parte, aos 27', forçando o guarda-redes Bracali a uma defesa muito apertada. Desviado para a ala esquerda no segundo tempo, continuou a criar desequilíbrios. Aos 70', conduziu um rápido contra-ataque e disparou fortíssimo, em arco, fazendo a bola roçar a barra. Impressionante a imagem dele junto à linha final, incentivando o aplauso dos adeptos.»

 

23 de Setembro (Sporting, 1 - Famalicão, 2): VIETTO

«Melhor sportinguista em campo - um dos raros que merecem nota positiva. Na ausência de Bruno Fernandes, foi ele o único a causar desequilíbrios e a fazer passes de ruptura lá na frente. De um desses movimentos, em que recuperou a bola, nasce o nosso golo - o primeiro golo dele de verde e branco.»

 

30 de Setembro (Aves, 0 - Sporting, 1): BOLASIE

«Mesmo com ocasionais lapsos de ordem técnica, mostrou-se sempre muito activo. Podia ter marcado por três vezes (aos 53', 59' e 73'). E é ele quem conquista a grande penalidade que viríamos a transformar em golo, com uma oportuna desmarcação aos 81'.»

 

27 de Outubro (Sporting, 3 - V. Guimarães, 1): MATHIEU

«Um esteio na organização defensiva do Sporting, que conferiu equilíbrio e confiança ao conjunto. Teve uma exibição irrepreensível, cortando tudo quanto havia para cortar, impondo-se designadamente nos lances aéreos.»

 

31 de Outubro (Paços de Ferreira, 1 - Sporting, 2): BRUNO FERNANDES

«É dele a assistência para o golo de Luiz Phellype, com um remate cruzado de longa distância. Serviu também da melhor maneira o brasileiro aos 68', num lance que poderia ter terminado igualmente em golo, como já havia acontecido logo aos 3'. E foi ainda ele a apontar de modo impecável a grande penalidade que nos assegurou os três pontos, estavam decorridos 79'.»

 

3 de Novembro (Tondela, 1 - Sporting, 0): BRUNO FERNANDES

«O nosso jogador menos mau.»

 

10 de Novembro (Sporting, 2 - Belenenses SAD, 0): VIETTO

«Aos 75', é ele quem inicia o lance mais decisivo, com um soberbo passe longo esticando o jogo para a ala direita. E é ele quem finaliza essa jogada com um pontapé acrobático, sem deixar a bola cair ao chão, na sequência de um ressalto dentro da grande área. Um golo que fez levantar o estádio e encheu de alegria os verdadeiros adeptos, que já desesperavam de ver futebol a sério nesta noite fria em Alvalade.»

 

1 de Dezembro (Gil Vicente, 3 - Sporting, 1): BRUNO FERNANDES

«Limitou-se a ser o menos mau neste primeiro jogo da Liga em que não fez qualquer remate à baliza nem ensaiou um só tiro de meia-distância.»

 

8 de Dezembro (Sporting, 1 - Moreirense, 0): MATHIEU

«O mais maduro, o mais eficaz,  o mais acutilante: aos 36 anos, é um excelente exemplo para jogadores com metade da idade dele.»

 

16 de Dezembro (Santa Clara, 0 - Sporting, 4): BOLASIE

«Grande partida do ala franco-congolês, que revelou atitude, compromisso com a equipa e entrega ao jogo. Destacou-se logo aos 3', confundindo as marcações no corredor direito. Aos 22', foi ceifado em falta noutra ofensiva perigosa. Falhou o cabeceamento aos 35' e aos 50',  mas redimiu-se aos 54', apontando o melhor golo da noite, na sequência de um canto, ao saltar quase de costas, dirigindo a bola para o canto superior esquerdo da baliza.»

 

5 de Janeiro (Sporting, 1 - FC Porto, 2): ACUÑA

«Se alguém não merecia perder este jogo, foi ele. Autor do solitário golo do Sporting, aos 44', fuzilando Marchesin num remate indefensável, de um ângulo muito difícil, após assistência de Vietto. A recuperação de bola, neste lance, foi dele também. Tal como dos pés dele nasceram os cruzamentos mais perigosos da nossa equipa.»

 

11 de Janeiro (V. Setúbal, 1 - Sporting, 3): BRUNO FERNANDES

«Não há volta a dar: é um jogador de excepção, um dos mais categorizados que vestiram desde sempre a camisola verde e branca. Os três pontos que trazemos de Setúbal devem-se essencialmente a ele: marcou o segundo golo, de grande penalidade, aos 34'; e fechou o resultado já no tempo extra, culminando a melhor jogada colectiva do Sporting nesta partida.»

 

17 de Janeiro (Sporting, 0 - Benfica, 2): RAFAEL CAMACHO

«Desta vez actuou como titular e fez jus à prova de confiança que o técnico nele manifestou. Imperou no corredor direito, sobretudo na primeira parte, destacando-se igualmente em tarefas defensivas. Foi protagonista das duas únicas ocasiões de golo do Sporting: aos 13', levou a melhor no duelo com Ferro e rematou com força, levando a bola a embater no poste; aos 33', cabecou como mandam as regras à boca da baliza, forçando Vlachodimos a uma grande defesa.»

 

(Conclui amanhã)

Lista de dispensas

Guarda-Redes

Renan Ribeiro

É um jogador com valor e que demonstrou enorme qualidade na defesa de grandes penalidades. Podia ser a solução para o banco, mas entendo que não deve ser porque necessitamos de um guarda-redes que faça concorrência direta a Max. Acho que devia ser vendido e não contava com ele para a próxima temporada.

Luís Maximiano

É o atual melhor guarda-redes da Liga e a prova que juventude não é sinonimo de inexperiência. Pode vir a falhar no futuro, mas tem o meu incondicional apoio porque já demonstrou ter o caracter e garra de Leão. No futuro, será o titular indiscutível da baliza da Seleção Nacional porque tem qualidade. Depois de Damas e Patrício, Max é um guarda-redes que me enche de orgulho. O Sporting só tem futuro se contar com jogadores como Max e como é logico, deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Diogo Sousa

Não consigo fazer uma análise objetiva à qualidade do jogador porque assisti a poucos jogos onde este tenha jogado.

Defesa

Tiago Ilori

Decide abandonar o Clube para tentar a sua sorte, mas lamentavelmente não conseguiu e face ao exposto, volta à casa que o fez nascer para o futebol. Ou seja, morde a mão que lhe deu de comer e posteriormente volta porque não conseguiu sucesso. Posso estar a ser injusto e é lógico que o jogador terá as suas razões, mas este comportamento não reflete os princípios do Sporting Clube de Portugal. Em campo, é inconstante e raramente consegue realizar mais do que dois jogos seguidos com alguma qualidade.  Sinto que está a ocupar o espaço de alguém mais jovem e que podia acrescentar ao clube mais alma e amor. Assim sendo, não deveria fazer parte do plantel da próxima temporada.

Sebastián Coates

Confesso que, para mim, a chegada de Amorim trouxe o Coates que necessitávamos, sendo que hoje temos o patrão da defesa. Este Coates merece jogar e usar a braçadeira de capitão.  Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Stefan Ristovski

Não é o melhor defesa direito do mundo, mas não compromete no atual cenário. Quando penso neste jogador, é impossível esquecer a cumplicidade que tinha com Bruno Fernandes e as boas exibições que fez. É um jogador útil em qualquer plantel e devia ter alguém forte para lhe fazer concorrência. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Luís Neto

É um jogador com palmarés internacional e experiência, algo que faz falta ao atual Sporting. Esta época sofreu com algumas lesões, mas entendo que tem qualidade suficiente para permanecer no plantel da próxima temporada.

Val Rosier

Chegou lesionado e nunca encantou. Nunca compreendi a razão de ter vindo para o Sporting e muito menos o processo que envolveu a troca de um jogador que até podia acrescentar algo ao nosso Clube (Mama Baldé).  É um jogador intermitente e que não consegue fazer mais do que um jogo em condições. Assim sendo, está a ocupar um espaço que não é dele. Não deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Cristian Borja

Tem 27 anos e é internacional pela Colômbia. Entendo que é um jogador que não compromete e à semelhança de Ristovski é útil em qualquer plantel, sendo que devia ter alguém forte para lhe fazer concorrência. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Nuno Mendes

Aqui está a concorrência que Borja necessita. Jovem, sportinguista, com qualidade e vontade. Este deve ser preservado e valorizado. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Gonçalo Inácio

À semelhança de Diogo Sousa, não consigo fazer uma análise objetiva à qualidade do jogador.

Eduardo Quaresma

Para mim é a grande revelação. Fico impressionado com a qualidade e maturidade deste jovem jogador. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

 

MÉDIOS

Eduardo

Outro jogador que não consigo compreender a razão da contratação. Temos vários jogadores no plantel e na formação que garantem mais qualidade do que Eduardo. Não deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Marcos Acuña

Só por razões financeiras é que posso equacionar a venda deste jogador porque é um dos melhores do plantel. Confesso que às vezes me deixa um pouco irritado porque nunca sei quando acabamos os jogos com 10 jogadores. Mesmos assim, merece que o clube faça um esforço para o manter no plantel.  Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Rodrigo Battaglia

Antes da lesão era um dos melhores jogadores do plantel na posição dele. Depois da lesão, falta rotina de jogo para garantir lugar na equipa principal. Tem qualidade, sentido posicional e raça. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Francisco Geraldes

O mal-amado menino da formação... Tem talento, mestria, mas falta-lhe intensidade. O que ainda não compreenderam é que estamos perante um jogador cerebral e provavelmente, depois da saída de Bruno Fernandes, um dos poucos do plantel com estas características. Dizem que já teve oportunidades no clube, mas esquecem que não contam 10 ou 15 minutos num jogo. Fez uma segunda parte completa e deslumbrou. Ou seja, deram tempo e ele apareceu. É delicioso observar este jogador sem bola, nomeadamente a forma como se movimenta e dá instruções aos colegas. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada e jamais permitir que reforce qualquer equipa em Portugal.

Miguel Luís

Um jogador intermitente e que já demonstrou ter qualidade, mas demora a aparecer. Ainda dava oportunidade para representar o clube na próxima temporada pois seria sempre uma solução alternativa.  Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Wendel

Se assumir a responsabilidade e souber concentrar-se no futebol, tem qualidade para jogar no Sporting Clube de Portugal. É um jogador que está no limite de se tornar um grande jogador ou uma promessa. A falta de acompanhamento fora de campo é o maior risco e penso que devíamos prestar mais atenção a este tema. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Matheus Nunes

Mais uma promessa que não engana e que será um dos nossos magníficos. Espero que continue de uma forma humilde e esforçada. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Mattheus Oliveira

É um jogador sem espaço no atual plantel e que, à semelhança de Eduardo, não acrescenta a qualidade necessária para preterir qualquer jogador proveniente da formação. Não deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Idrissa Doumbia

É esforçado, mas entendo que não chega para fazer parte do plantel. Mesmo assim, até posso ter alguma tolerância e aguardar mais um ano para decidir o que fazer com o jogador. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

 

AVANÇADOS

Rafael Camacho

É um jogador da formação e tem alguma qualidade. No entanto, não podemos estar dependentes deste jovem jogador e devemos permitir que cresça. Se o fizermos sem pressão, podemos assistir ao melhor Rafael que existe. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Luciano Vietto

É um dos jogadores cerebrais do plantel. Parece que não consegue assumir o peso da responsabilidade e com isso torna-o instável, impedindo-o de manter a regularidade que necessitávamos. Mesmo assim, não deixa de ser um dos melhores jogadores do plantel. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Gonzalo Plata

É jovem, irreverente e tem qualidade. Falta-lhe o mesmo que Wendel (acompanhamento) e o destino deste, apenas depende dele. Pode ser um dos melhores. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Luiz Phelyppe

Tem qualidade para jogar no Sporting Clube de Portugal, mas não podemos esquecer que jamais poderá ser o titular. Necessita de concorrência para torna-lo mais competitivo e tirar pressão. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Tiago Tomás

Outra jovem promessa que tem qualidade, mas que necessita tempo para demonstrar. Temos que ter paciência para deixa-lo crescer. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Pedro Mendes

Outro mal-amado…. Honestamente, não consigo compreender a razão de não fazer parte dos planos de Amorim. Quem foi o melhor marcador da equipa de Leonel Pontes? Quem tinha a média de um golo por jogo? Quem marca na Liga Europa um grande golo? Criticámos a falha de inscrição deste jogador durante meses. Desaprendeu? Acho que não. Penso que o treinador não conta com ele por razões que desconhecemos. Mesmo assim, entendo que tem espaço no plantel. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Jovane Cabral

Tem o ADN do Sporting e ficar por cá mais alguns anos. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Sporar

Replico tudo o que disse em relação a Luiz Phelyppe e deve ser com este o suplente. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Joelson Fernandes

Mais uma jovem promessa com qualidade para jogar no Clube. Espero que tenha o acompanhamento necessário para decidir o melhor para ele. Neste momento, devia renovar com o Sporting, assumir-se e o futuro iria sorrir. A pressa é inimiga da perfeição. Deverá fazer parte do plantel da próxima temporada.

Entradas e saídas: breve antevisão

Começa a ser evidente quais serão os jogadores a dispensar pelo Sporting logo após o fim do mais longo campeonato nacional de que há memória, daqui a poucas semanas. Basta medir o tempo de utilização de cada um.

A lista dos 25 jogadores que já calçaram sob a orientação do actual técnico - ontem divulgada pelo jornal A Bola, acrescida dos minutos em que cada um esteve em campo - fornece resposta à maior parte das dúvidas.

Revela-nos, desde logo, que houve apenas dois titulares nestas sete partidas: Maximiano e Coates. Ambos jogaram 630 minutos. Logo seguidos de Sporar, que esteve 628 minutos em campo. Seguem-se cinco jovens oriundos da Academia de Alcochete ou que aqui vieram completar a sua formação futebolística: Plata, Jovane, Matheus Nunes, Wendel e Eduardo Quaresma.

 

Inversamente, Renan nunca foi utilizado por Amorim. Tal como o apagado Miguel Luís e um tal Mattheus Oliveira, que já mal recordo quem é. O mesmo ocorreu com Luiz Phellype, mas neste caso por estar ainda a recuperar de uma gravíssima lesão contraída antes da chegada do sucessor de Silas.

Esta hierarquia negativa inclui Pedro Mendes (só jogou dois minutos), Rosier (12), Eduardo (17), Idrissa Doumbia (68) e Ilori (113). É fácil concluir que o treinador não contará com eles para a próxima temporada.

Ilori, que saíra em litígio com o Sporting seis anos antes, nunca devia ter regressado. Rosier e Eduardo foram rotundos fiascos. O jovem Idrissa prometia alguma coisa, mas ofereceu quase nada. Todos eles deverão abandonar Alvalade em definitivo, rendendo algum encaixe financeiro à SAD.

Pedro Mendes, cujo real valor ainda constitui uma incógnita, vai certamente actuar noutro clube da I Liga a título de empréstimo.

 

Presumindo-se que o central Gonçalo Inácio - também da formação leonina e ainda não estreado na equipa principal - fará igualmente parte do plantel para 2020/2021 e que o jovem André Paulo, recém-contratado para a equipa B por indicação de Amorim, será o terceiro guarda-redes na hierarquia leonina, abrem-se ainda assim três ou quatro vagas.

Uma delas, em princípio, será preenchida pelo central marroquino Feddal, de 30 anos e há três épocas no Bétis de Sevilha.

Na vossa perspectiva, que outras posições devem ser reforçadas com urgência?

Reforços precisam-se

O jogo de ontem, onde o Moreirense teve um desempenho muito competente, alguns jovens estiveram em noite desinspirada e o árbitro recusou ver o que estava à vista de todos, veio por a nu as debilidades deste Sporting sob o comando de Rúben Amorim.

Quando nos recordamos do desempenho do Braga contra o Sporting e vemos este Sporting jogar, no mesmo modelo táctico e com as mesmas ideias de jogo, há coisas que o Braga tinha e não vemos neste Sporting.

Desde logo um ponta de lança com capacidade de jogo aéreo, Paulinho, bem solicitado por centros teleguiados, e com médios altos a entrar para confundir marcações. 

Depois, capacidade de meia distância, com circulação de bola de lado a lado para confundir marcações e centros atrasados a solicitar o remate à entrada da área.

São dois elementos essenciais para ultrapassar defesas acantonadas e a jogar de frente para a bola, como aconteceu ontem depois da expulsão.

E assim, para mim é óbvio que precisamos de reforços, não para sentar o Plata e vir um Fernando qualquer, mas para irmos buscar o que não temos, e que muito nos faz falta.

 

Para mim as prioridades são as seguintes:

1. Ponta de lança forte no jogo aéreo, o tal "pinheiro", "poste", ou lá o que seja, um novo Bas Dost, Jardel, o que quiserem. Sporar é superior a LP29 fora da área, mas ainda inferior a ele dentro dela no jogo aéreo. Pedro Mendes, Tiago Tomás, Gelson Dala, Ruiz: nenhum deles tem essas características.

2. Um médio centro possante e com meia distância, mais de passe e controlo do que de transporte de bola, já sei que muitos não irão gostar do exemplo que vou dar, um novo Gudelj para melhor. Battaglia, Matheus Nunes, Palhinha, Wendel, Doumbia: nenhum é isso. Bragança ou Geraldes, menos ainda.

3. Um lateral direito experiente que ponha a bola onde põe os olhos. Aqui o exemplo mora no Porto, embora no caso seja esquerdino, Alex Telles. No Sporting não há bons exemplos para dar desde há décadas. Risto já não vai lá. Rosier um flop, na formação ou emprestados não há ninguém de que me lembre em condições.

4. Um novo Mathieu. Fala-se no marroquino do Betis, se calhar outro Neto. Borja não passa daquilo que é: muito pouco e muitas vezes assusta. Ontem uma novidade, Acuña a dar uma capacidade de construção desde trás nunca antes vista. Para repetir a aposta? Nuno Mendes é bom de mais para ficar no banco. Mas Acuña, mesmo na má forma actual, é de longe o melhor jogador do plantel actual e não pode ficar de fora.

 

Entretanto, e pondo de fora os mais jovens, enquanto há jogadores que muito cresceram com Rúben Amorim, Coates e Wendel à cabeça, outros não estão a conseguir. Battaglia (este para mim uma grande desilusão), Borja, Ilori, Rosier, Eduardo serão para tentar vender ao melhor preço. Renan e o LP29 deverão ir pelo mesmo caminho. No conjunto custaram quase 20M€. Que davam muito jeito ao Sporting.

Enfim, os poucos jogos que faltam e muito particularmente os embates com os rivais, vão clarificar muita coisa, mas duvido que se afastem muito destas minhas ideias.

E as vossas quais são?

SL

A selecção nacional (III República)

Alguns dos leitores do És a Nossa Fé! que têm conta no facebook já terão reparado na simpática corrente que ali decorre, com os utentes convidando os seus amigos para apresentarem os 10 (ou 15, depende) jogadores que influenciaram o seu gosto pelo futebol. Durante o confinamento, antes da festa do 25 de Abril e do festival do 1º de Maio em Lisboa, eu respondera a esse desafio. Agora fui de novo, e por um insigne co-bloguista desta sede, convidado para apresentar esse rol. Mas estando ele feito lembrei-me de um velho postal que aqui havia deixado em 2012 (o tempo voa, dizem os velhos quando já não batem as asas). E por  tudo isto, José Navarro de Andrade, repito o postal, pois estes jogadores nacionais muito marcaram o meu gosto pelo futebol (a corrente no FB serve para inserir os jogadores estrangeiros, e isso é outra conversa):

*****

Estava ao sol na praia e lembrei-me disto - uma inutilidade bem digna da inutilidade veraneante -, como se o tempo fosse homogéneo. Não é uma declaração política. Mas o primeiro jogo que vi ao vivo foi em 1975, o meu pai levou-me à central de "Alvalade" e ainda nos estávamos a sentar e já era "golo!!" e ainda me lembro do sorriso dele (afutebolístico que é) com a minha alegria, foi um glorioso Sporting-Olhanense (7-0), marcava muito o Chirola. E a primeira equipa de que me lembro é a que foi campeã em 1973-1974 [ainda a sei de cor: Damas, Manaca, Bastos, Alhinho, Carlos Pereira, Vagner, Nelson, Baltazar, Marinho, Yazalde, Dinis]. E o primeiro Mundial de que lembro é o de 1974 [vi a final, lembro-me do golo a seco, logo no início, da Alemanha; e lembro-me do sururu provocado por Luís Pereira, defesa do Brasil expulso num jogo anterior]. Daí que a minha selecção nacional só pode mesmo ser a da III República, pós-1974. Aqui ficam os 23, seleccionados para o campeonato do mundo do apocalipse. À antiga, os números das camisolas indicam a titularidade, claro, que é como deve ser.

A grande questão continua a ser a mesma, problemática que não angustiará os mais-novos, ainda imberbes nas coisas do futebol: o Oliveira e o Alves cabem na mesma equipa? Na minha opinião, de treinador de sofá, tenho que meter o Sousa para segurar aquilo. 

1.

Vítor Damas (guardião)

2.

Artur Correia (lateral-direito)

3.

hc.png

Humberto Coelho (defesa-central)

4.

Ricardo Carvalho (defesa-central)

5.

Fábio Coentrão (lateral-esquerdo)

6.

ps.jpg

Paulo Sousa (trinco)

7.

Luís Figo (médio direito)

8.

ao.jpg

António Oliveira (médio ofensivo)

9.

Rui Manuel Trindade Jordão (ponta-de-lança)

10.

as.jpg

António Sousa (médio central)

11.

Paulo Futre (extremo-esquerdo)

12.

vb.jpg

Vítor Baía (guarda-redes)

13.

av.png

António Veloso (lateral-direito)

14.

Jorge Andrade (defesa-central)

15.

Fernando Couto (defesa-central)

16.

Alberto (defesa-esquerdo)

17.

Sheu Han (trinco)

18.

Rui Costa (médio ofensivo)

19.

Cristiano Ronaldo (extremo-direito)

20.

João Alves (médio ofensivo)

21.

fg.jpg

Fernando Gomes (ponta-de-lança)

22.

Fernando Chalana (extremo-esquerdo)

23.

Jaime Pacheco (médio central)

+1

Manuel Fernandes (avançado)

Treinador

sven.jpg

Eriksson (treinador)

Adepto

Arquétipo

Os jogadores de Varandas (balanço)

image[5].jpg

 

Luiz Phellype: Dezembro de 2018. Nota 7.

Ilori: Janeiro de 2019. Nota 3.

Borja: Janeiro de 2019. Nota 5.

Idrissa Doumbia: Janeiro de 2019. Nota 4.

Plata: Janeiro de 2019. Nota 8.

Luís Neto: Março de 2019. Nota 6.

Vietto: Maio de 2019. Nota 7.

Rafael Camacho: Junho de 2019. Nota 6.

Rosier: Junho de 2019. Nota 4.

Eduardo: Julho de 2019: Nota 4.

Fernando: Setembro de 2019. Nota 0.

Jesé: Setembro de 2019: Nota 1.

Bolasie: Setembro de 2019. Nota 4.

Sporar: Janeiro de 2020. Nota 7.

 

Média: 4,7

Os jogadores de Varandas (14)

Sporar-6.jpg

 

SPORAR

Foi o último a desembarcar: a sua contratação, por seis milhões de euros, foi anunciada a 23 de Janeiro. Veio já no mercado de Inverno, quando a pandemia iniciava a sua expansão a partir da China para o resto do mundo, seis semanas antes do prolongado "apagão" que se abateu no futebol devido ao novo coronavírus, agora prestes a ser retomado, num momento em que se registam cerca de 120 mil novas infecções diárias à escala global.

Andraz Sporar é esloveno mas jogava na Eslováquia, onde foi eleito jogador do ano em 2019. Enquanto outros chegavam com "cadastro", ele chegou mesmo com currículo, trazendo boa fama como exímio marcador de golos. Ao serviço do Sporar Bratislava marcou 34 na temporada 2018/2019. Quando saiu do clube, trocando a capital eslovaca por Lisboa, já levava 21 nesta atribulada época - incluindo 12 no campeonato, liderando a lista dos melhores marcadores. E, com seis golos apontados, mantém-se no topo dos artilheiros da Liga Europa, partilhando esta posição com Visca (Basaksehir), Morelos (Rangers), Jota (Wolverhampton) e Bruno Fernandes (Sporting e Manchester United).

Agora com 26 anos, Sporar colmatou uma inaceitável lacuna no plantel leonino. Com a saída de Bas Dost e a não-inscrição de Pedro Mendes nas competições nacionais, um Sporting em manifesta crise de golos actuou quase meia temporada sem ponta-de-lança alternativo: só havia Luiz Phellype para esta posição.

Mais depressa chegasse, mais depressa jogava. A 27 de Janeiro, o brasileiro lesionou-se gravemente, no início de uma partida em Alvalade frente ao Marítimo, ficando fora da competição para o resto da temporada. Estavam decorridos 15 minutos, Sporar teve de equipar-se e entrar de imediato em campo. Mas só marcou quase um mês depois, a 20 de Fevereiro, na vitória caseira contra os turcos do Basaksehir, para a Liga Europa. Teve ainda tempo para fazer o gosto ao pé mais duas vezes, marcando contra Boavista e Aves - neste já sob o comando de Rúben Amorim, mesmo antes da suspensão do campeonato.

Move-se bem dentro da área, baralhando as marcações, revela faro de golo e evidencia bons dotes técnicos. Se Bas Dost tinha direito a música própria em Alvalade, Sporar pode seguir-lhe o exemplo quando o nosso estádio voltar aos dias grandes, enchendo-se de público. Ele já provou merecer. E nós também.

 

Nota: 7

Os jogadores de Varandas (13)

transferir (1).jpg

 

BOLASIE

Algo de muito grave se passou nos bastidores da SAD leonina no final de Agosto do ano passado, quando se segurou in extremis Bruno Fernandes por mais quatro meses sem que ninguém percebesse porquê. Com manifesto prejuízo para a qualidade e o equilíbrio do plantel, esta absurda indecisão conduziu à saída em cascata do nosso principal goleador, Bas Dost, do nosso maior desequilibrador nas alas, Raphinha, e de um promissor lateral direito formado na nossa Academia e então recém-lançado no onze titular por manifesta falta de alternativas para a posição: Thierry Correia.

Para compensar, vieram três extremos de uma assentada: Fernando e Jesé (já analisados aqui) e o franco-congolês Yannick Bolasie, oficializado a 3 de Setembro, dia do fecho do mercado de transferências. Chegou de Inglaterra, cedido pelo Everton a título de empréstimo, e trazia um preocupante historial de lesões. A época em que mais jogara e marcara fora a de 2015/2016, ao cumprir 30 jogos e apontar 13 golos com a camisola do Crystal Palace

Ao contrário dos outros membros deste triste trio de fracassados mosqueteiros, o último a chegar ainda foi mostrando alguma qualidade individual no Sporting, actuando sobretudo na ala direita, num estilo esforçado embora longe dos mais exigentes patamares técnicos. Revelou-se jogador de drible fácil e muito frequente, ao ponto de por vezes se driblar a si próprio, e meteu duas vezes a bola no fundo das redes. Marcando ao Ronsenborg, para a Liga Europa (24 de Outubro), e ao Santa Clara (16 de Dezembro). Ficou-se por aí, muito longe da meta de dez golos que ele mesmo traçara a 12 de Setembro, em entrevista ao Record. É justo assinalar, no entanto, que deixa também um registo de cinco assistências, tendo participado em 25 jogos e sofrido duas expulsões, uma das quais manifestamente injusta.

Colheu aplausos pontuais nas bancadas. Mas não convenceu. Aos poucos, foi perdendo terreno naquela posição para colegas mais jovens, como Jovane, Camacho e Plata. Confirmando-se a inutilidade deste empréstimo precisamente para uma das posições em que o Sporting se encontra mais fornecido.

Em Abril, discretamente, o extremo agora com 31 anos foi devolvido a Inglaterra. O futebol parara devido à expansão do novo coronavírus e não fazia sentido mantê-lo na folha salarial - pagando-lhe metade do que auferia - quando não contava com o aval do novo técnico, Rúben Amorim, nem havia intenção de accionar a cláusula de compra ao Everton, avaliada em 4,5 milhões de euros. Foi mais uma experiência falhada da era Varandas. 

«É um extremo com 120 jogos na Premier League. Na última época, no Anderlecht, fez oito golos, oito assistências e 38 jogos. Está habituado a campeonatos de alta intensidade», dissera dele o presidente do Sporting, em entrevista à televisão do clube, em jeito de cartão de apresentação com dados incorrectos. O retrato que lhe haviam pintado de Bolasie era lisonjeiro em excesso. E ele, tão desconfiado noutras coisas, neste assunto tão relevante acabou por confiar em quem não devia.

O resultado ficou à vista: três vindas por empréstimo, três tiros na água. Início de época para esquecer.

 

Nota: 4

Os jogadores de Varandas (12)

transferir (1).jpg

 

JESÉ

No gabinete de Frederico Varandas em Alvalade devia haver uma frase emoldurada avisando-o para nunca proferir declarações públicas sobre as características deste ou daquele jogador. Sobretudo dos jogadores que manifestamente desconhece. Evitaria assim o erro cometido há nove meses, numa entrevista à Sporting TV que acabou por dar muito que falar embora não pelos motivos que o presidente leonino esperaria.

«O Jesé é um avançado que está identificado há muito tempo. Finalmente encontra-se comprometido com a sua profissão. Se me perguntarem se gostaria de ter o Jesé de há três anos eu digo que não. E disse isso mesmo ao jogador. Mas agora é diferente, recolhi informações com pessoas que partilharam o balneário com ele e hoje sei da vida dele dentro e fora de campo. Saiu o Bas Dost, mas o Jesé é também um avançado-centro.»

Assim falou Varandas nessa entrevista, referindo-se a Jesé Rodríguez, que nada tem de "avançado-centro", sendo antes um ala. Embora, em boa verdade, mal nos tenhamos apercebido disso pois o espanhol - que chegou ao Sporting a 2 de Setembro, por empréstimo do Paris Saint-Germain - raras vezes deu um ar da sua graça, tanto no relvado de Alvalade como em qualquer outro estádio do País.

Noutros tempos, Jesé chegou a ser muito promissor. Oriundo das escolinhas do Real Madrid, ascendeu à equipa principal aos 18 anos, pela mão de José Mourinho, e figurou no plantel campeão dos madrilenos em 2011/2012. Mas não voltou a ser o mesmo desde que contraiu uma grave lesão, em 2014. Em Paris também não vingou, acabando por saltar de empréstimo em empréstimo.

No Sporting, para não destoar, deixa um rasto paupérrimo. Um mês depois de ter chegado, já se dava como certo que seria devolvido. Actuou apenas 522 minutos no campeonato nacional, quase sempre como suplente utilizado, e limitou-se a marcar um golo. Ao V. Guimarães, em Outubro. Mas mesmo aí conseguiu dar mais nas vistas pela forma insólita como celebrou no balneário do que pela exibição em campo. 

Não viria a repetir a graça. Fez o último jogo pelo Sporting, a 27 de Janeiro, na tangencial vitória leonina em casa sobre o Marítimo. Silas ainda apostou nele como titular, mas ao fim de uma hora, com o resultado em branco, trocou-o por Plata - e fez bem. O espanhol não gostou de ser substituído mas com ele em campo talvez não tivéssemos alcançado os três pontos.

Rúben Amorim, mal chegou, comunicou aos responsáveis da SAD que não contaria com ele. No final de Abril, com as competições paradas devido à pandemia, o Sporting comunicou ao PSG a intenção de dispensar o jogador antes do prazo previsto para o termo do empréstimo. Rejeitando, obviamente, accionar a cláusula de opção a que tinha direito: sete milhões de euros, cifra delirante, que o espanhol de forma alguma justifica. 

Resta acrescentar que Jesé nunca cumpriu 90 minutos de um jogo ao serviço do Sporting e recebia um salário bruto de seis milhões de euros por época. Compará-lo a Bas Dost não é só um disparate: é quase uma heresia.

 

Nota: 1

Os jogadores de Varandas (11)

transferir.jpg

 

FERNANDO

Vários dos 14 jogadores contratados desde o início de funções de Frederico Varandas como presidente da SAD leonina foram inequívocos fiascos. Mas nenhum conseguiu ser um fracasso tão absoluto como o brasileiro Fernando - talvez aquele por quem o sucessor de Sousa Cintra na gestão do Sporting mais se atravessou, atribuindo-lhe méritos que o rapaz jamais conseguiu demonstrar nos meses em que esteve assalariado em Alvalade.

Fernando dos Santos Pedro, então com 20 anos, chegou a 2 de Setembro, oriundo da Ucrânia, por empréstimo do Shakhtar Donetsk. «Quero ajudar a equipa com títulos e bastantes golos», atreveu-se a dizer à chegada.

As estatísticas do jogador na época 2018/2019 estavam longe de ser famosas: alinhara em 22 partidas e só marcara dois golos. Mas conseguiu ser pior no Sporting: chegou lesionado e em vez de ser de imediato devolvido à Ucrânia continuou por cá. Dois meses depois ainda não tinha calçado. «De Fernando, um jovem cheio de tatuagens, resta-nos uma fotografia. Até agora é tudo quanto realmente sabemos dele», escrevi aqui a 2 de Novembro. 

Acabou por estrear-se a 22 desse mês. Num jogo-treino, o que bastou para ser notícia. Contra o Vilafranquense, da Liga 2. Alinhou no quarto de hora final dessa partida a feijões, disputada na Academia de Alcochete. A 13 de Dezembro, já no seu quarto mês em Alvalade, marcou enfim um golito. Na Liga Revelação, integrado na equipa sub-23, em desafio contra o Famalicão. Que o Sporting perdeu. 

Foi o primeiro e último. Em Janeiro, discretamente, recebeu enfim guia de marcha, sendo devolvido ao Shakhtar sem ter actuado um só minuto na equipa principal. Mistério absoluto: ainda hoje estamos para saber o que terá passado pela cabeça de Varandas ao fazer-lhe rasgados elogios a 4 de Setembro, em entrevista à Sporting TV: «O Fernando é um extremo que foi considerado dos melhores do campeonato brasileiro em 2016/17 e 2017/18. Foi uma revelação do campeonato brasileiro.»

Palavras do presidente sem a menor correspondência com os factos. E que deviam fazê-lo ponderar muito da próxima vez em que se dispuser a trazer outro perna-de-pau.

 

Nota: 0

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D