Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Ser merecedor

Lito Vidigal.

Começo este texto com um nome que, curiosamente, tem sido pouco referido.

Vidigal colocou o Aves nas meias-finais, o "grande" José Mota herdou um clube com uma eliminatória para disputar; com o Caldas da Rainha, repito, com o Caldas da Rainha.

Quase foi eliminado, quase, houve umas ajuditas dos árbitros que o colocaram na final.

José Mota o "grande" treinador que em dois jogos com o Caldas venceu por 1-0 e perdeu por 1-0 (no prolongamento a equipa de carteiros, de bancários, de padeiros, de estudantes, de caixas de supermercado, etc, deixar-se-ia perder por dois a um, acusando o esforço, o desgaste um grupo de amigos que se junta de vez em quando para jogar futebol contra uma equipa orientada por um "grande" treinador que exige respeito).

O José Mota. O que exige respeito mas não pede desculpa.

Tiago Martins, um árbitro que consegue passar entre os pingos das lágrimas, ainda assim n' A Bola, repito, n' A Bola dizem o seguinte: "Um erro apenas a apontar, pois não assinalou falta sobre Gelson Martins no lance que levaria ao 2-0 do Aves" (p.5). Duarte Gomes na página 21 reforça "a sua [de Tiago Martins] actuação ficou beliscada por um momento importante (...) no início da jogada que culminou com o segundo golo do Aves, Gelson Martins foi pisado no pé esquerdo".

Resumindo, o segundo golo do Aves é ilegal, o golo de Montero seria o do empate.

Venceríamos no prolongamento?

Venceríamos nos penalties?

Não sei, não sabe ninguém, o que eu sei (e as estatísticas também) é que o Sporting rematou mais (17 x 9) teve mais remates perigosos (7 x 3) provocou menos faltas [assinaladas] (7 x 19) teve mais posse de bola (58% x 42%) e mereceu perder, porquê?

Este é um "post" sobre o jogo de ontem sobre Jesus já escrevi aqui e sobre o Mestre (ele diz na entrevista do Expresso que tem um mestrado e todos os outros a primeira classe) Bruno de Carvalho, aqui.

Quando olho para uma árvore e penso na Floresta

"Um fraco rei faz fraca a forte gente." Desde Abril que esta frase surge no meu pensamento.

 

Esta época foi a que mais me desiludiu enquanto adepto de futebol. O futebol tornou-se um lodaçal, onde chafurdam gentes aproveitadoras e sem escrúpulos, que viveram, vivem e sempre viverão à margem da lei e do Estado de Direito - porém - perfeitamente enquadrados na sociedade, como se fossem os mais distintos humanos a quem lhes foi dada a benção da vida; e que só cegamente se poderão apontar como exemplos do que quer que seja.

 

Faz falta o Futebol. Aquele que se joga dentro de campo e que as rivalidades são sãs. Faz falta o Futebol verdadeiro, transparente, digno do título "desporto-rei". Hoje temos um futebol, coisa pequena, mesquinha, corrupta, estéril de valores e princípios, mercenário, desapaixonado, triste. Bateu no fundo a modalidade, e como para tudo aquilo que não pode descer mais, só resta olhar para cima e subir.

 

Voltemos ao ínicio. Desde Abril que aquela frase inicial surge no meu pensamento.

Alguém que comanda uma instituição, seja ela centenária ou não, que tem por base uma legitimidade reforçada - como foi o caso do Presidente Bruno de Carvalho - não pode exercer o poder contra aqueles que dignificam pela via do seu trabalho e esforço, aquilo que o Sporting representa para todos os seus sócios e adeptos. Muito menos, confundir a sua pessoa com a sobrevivência, permanência ou existência da instituição centenária Sporting Clube de Portugal.

Arrisco a dizer, a criança que nasce hoje com um leão nos braços, o miúdo que no pátio da escola diz ser o Gelson Martins, o adolescente que procura notícias dos acontecimentos recentes, são os mais Sportinguistas de todos, pois são aqueles que vão assegurar o futuro, assim como os mais velhos que asseguraram o presente. Com isto, o Sporting são os sócios, os adeptos, e todos aqueles que lutam nos mais variados campos desportivos pela Glória do nosso clube e pela felicidade das gentes que o suportam.

 

Se houver um trindade a ser respeitada neste clube, será sempre: adeptos, sócios, jogadores/treinadores (staff desportivo). Para mim esta é a regra que qualquer futuro Presidente, dirigente terá de respeitar. Porque só assim dignificará o Sporting Clube de Portugal.

 

Após Abril as coisas descambaram de uma forma alucinada. Não se admite a alguém que comanda os destinos do Sporting ter tanta falta de noção na forma como gere a comunicação, a forma de estar/representar, sentido-se sempre endeusado pela legitimidade que os sócios lhe deram.

Ontem foi o culminar de algo que vinha a escalar. Uma coisa é combater os podres do futebol, outra é incendiar a nossa casa, qual Nero, tornando-se uma via aberta para permitir comportamentos criminosos que comprometem a conquista de uma Taça importantíssima para o clube.

 

Mais uma vez o Presidente esteve mal. Quer pelo clima que potenciou, quer pela resposta que teve. Não foi digna do Sporting, não foi digna dos milhares de pessoas que representa. Mas não terá sido o único, o Presidente da AG esteve igualmente mal, ao deixar para segunda aquilo que devia ser tratado de imediato. Estiveram mal todos aqueles que aproveitaram para saltar do barco, aqueles que se aproveitaram dentro e fora do clube. Resumindo: é preciso eleições já! Não precisamos de Croquetes, nem de Brunos, precisamos de uma vez por todas de alguém que dignifique o emblema e os valores do Sporting. Se assim for os resultados desportivos virão, sempre com transparência. Se há algo que nenhum Sportinguista abdica é de ganhar pela superiorização competitiva, no campo, na raça!

 

Ao Esforço, à Dedicação e à Devoção, hoje acrescentamos a Honra, como forma de chegar à Glória. Tão bem espelhado pela atitude dos jogadores, do treinador e do staff. Isto é o Sporting e a verdadeira União de Aço.

 

P.S: Espero que se usem os estatutos, porque desde Abril temos claro que o Sporting precisa de uma limpeza e de impedimentos vitalícios de entrada nas suas instalações desportivas, de cima a baixo.

P.S (2) - Parem sff com aquelas imagens a preto e branco como se o Sporting tivesse fechado portas, Leão rampante Verde e Branco! Vivo e a cores!

Futebol - Pé. Andebol - Mão...

"Em face das notícias vindas a público e à especulação que existe na comunicação social, a Sporting SAD informa que o treinador Jorge Jesus estará a orientar a equipa do Sporting CP na Final da Taça de Portugal.

A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD  "

 

"Em face das notícias vindas hoje a público através do Correio da Manhã, entende o Sporting Clube de Portugal afirmar o seguinte:

1 – Estamos perante o primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição Sporting CP, a qual se estenderá, já o sabemos, a todas as modalidades do Clube;

2 – Repudiamos de forma veemente estas notícias, o modo como são construídas e a intenção que lhes está associada. De igual modo, não nos revemos em qualquer práctica que desvirtue a verdade desportiva ou que sejam ética, moral e socialmente censuráveis;

3 – Não deixa de ser espantosa a quantidade de agentes e empresários, que não conhecemos, que se atrevem a falar em público sobre o Sporting CP. Em relação a esses tomaremos as medidas que em cada caso se imponham para que sejam responsabilizados nas instâncias competentes;

4 – Porque não estamos em crise, não vamos, em momento algum, constituir qualquer “gabinete de crise”, apesar de haver uma intenção clara de nos confundirem com vouchers, emails e toupeiras;

5 – O Sporting CP é um alvo a abater porque é o único clube que, genuinamente, continua a lutar e a querer transparência e verdade desportiva em Portugal;

6 – O Sporting CP confia na Justiça e no Estado de Direito e deseja que a alegada investigação anunciada pelo Ministério Público seja célere e que vá até às últimas consequências no apuramento da verdade;

7 – O Sporting CP está obviamente disponível para colaborar em todas as diligências que se entendam necessárias"

 

Nada a dizer quanto ao comunicado da SAD, tudo na normalidade, o senhor chegou a Alcochete às 12,50h e não consta (pelo menos nenhuma tv o referiu) que tenha ido arrumar os tarecos.

 

Quanto ao comunicado do Clube, não vou aqui perorar sobre o mesmo, nem trazer ao post a frase batida (saravá, Sérgio Godinho) de que não ponho as mãos no lume por ninguém. O comunicado diz o que deve ser dito e anseio ardentemente por conclusões de uma urgente investigação, de preferência em simultâneo com os vouchers, toupeiras e e-mails, para ficar tudo despachado ao mesmo tempo. Pode até ser que se encontrem algumas surpresas em relação a esta coisa do andebol...

Do cu ou das calças?...

Desde há semanas que se tem visto por aqui no blog uma série considerável de comentários, defendendo a saída de Jesus do cargo de treinador do Sporting. Eu próprio já aqui escrevi há mais de um ano que Jesus nunca será campeão pelo Sporting, numa arrojada tirada futurista que desejaria ardentemente ser estapafúrdia.

Aqueles que o fizeram invectivaram o presidente, pressionando-o a tomar essa medida radical. É certo que alguns criticaram o prolongamento do contrato e implicitamente também o presidente.

Agora, que o boato de que Jesus estaria prestes a ser despedido, boato plantado por alguém a quem interessa que o Sporting continue a ser o eterno terceiro, ou se possível quarto, para fazer ainda menos mossa, dá-se na cabeça do presidente por ter feito o que vinham exigindo.

Por não passar de boato (por enquanto, que o caminho natural de Jesus deve ser, defendo eu, a saída no final da época mesmo que ganhe, mal fora que o não conseguisse, a taça de Portugal), podem por enquanto deixar o presidente descansado, que ao que consta não terá tido mais que uma reunião normal com um grupo que tinha acabado de dar um rombo do tamanho de uns possíveis 40 Milhões de Euros ao clube. Eu que não percebo nada de gestão, pergunto que presidente de qualquer sociedade, perante um contratempo tão significativo nas suas contas, não convocaria os seus "colaboradores" (está na moda este termo) para fazer o balanço dos acontecimentos e tentar juntar forças para os objectivos imediatos, tentando reparar o prejuízo e reduzindo ao mínimo possível os danos? Confesso que me admira que alguns sócios e adeptos critiquem esta reunião. O Sporting é o maior accionista da SAD, logo são os interesses económicos do Sporting que estão em questão. Eu sei, sem receio de meter os pés pelas mãos, que se o presidente não tivesse tomado qualquer atitude, cá estariam as virgens ofendidas a perorar que o homem deixou voar 40 Milhões e nem tugiu, nem mugiu. Isto se não é do cu, é das calças. Lamento desapontar alguns, mas por enquanto Bruno de Carvalho está muitos patamares acima de Godinho Lopes e da rapaziada que antes dele dirigiu(?) os destinos do clube.

Meus caros, tomem isto como certo, que a mim só me faltam acertar os números do Euromilhões: No dia em que Bruno de Carvalho deixar de ser presidente do Sporting (e esse dia pode estar próximo, porque nada é eterno e ninguém tem peito para tantas balas, "amigas" algumas delas), é no dia em que os processos vouchers, e-mails e toupeiras conhecerão o início de um fim prematuro. Com todas as consequências que daí advirão para a luta que temos vindo travando contra a vigarice no desporto. Vai uma aposta?

O cai nelas

 

O meu pai, que está bem melhor, muito obrigado a quem me endereçou desejos de restabelecimento, costuma utilizar uma frase que define bem o que hoje aconteceu com Jesus. O Derrotas lançou-lhe um isco e Jesus fisgou-o sem pestanejar. Como diria o meu pai, um cai nelas, o mesmo que "anjinho".

Ou então não e o nosso treinador quis jogar mesmo para o empate, o que convenhamos foi uma jogada de risco. Porque nada está garantido e há ainda uma vitória para conseguir na madeira.

Dos jogadores se ocupará o Pedro Azevedo, mas não poderei deixar de dizer duas ou três coisinhas: Bas Dost tem definitivamente de querer deixar de ser o bom samaritano, Gelson está "nas lonas" e Acuña deveria ter entrado de início, não tivesse Jesus caído na esparrela do ceboladas.

Do jogo se ocupará o Pedro Correia, mas não deixarei de dizer que não gostei da forma como os nossos jogaram, desgarrados, sem concentração, principalmente na primeira metade.

Também não gostei do Xistra, que deixou passar em claro um penalti sobre Mathieu, e outro sobre o Dost, ali mesmo à minha frente (cometidos, ambos os dois por um tipo que nem sequer devia estar em jogo, Ruben Dias) e não se coibiu de apitar sempre que era contra nós e se esqueceu bastas vezes de o fazer quando era contra os outros. E o sonso do Derrotas, na entevista rápida ainda vem dizer que foi prejudicado. Ranhoso!

Uma nota final para Bruno Fernandes, que até a "ceifar" adversários tem classe...

Vamos lá ajudar o presidente

Ele já deu o toque, eu concordo.

Também se prevê que haja mudança de treinador e sabemos que ele está mais ou menos refém do que vem dizendo e fazendo em relação ao assunto.

Na eventualidade mais que previsível de não ganhar a Liga Europa (e como eu adoraria vir aqui penitenciar-me pelo contrário) e na possibilidade real de vencer a Taça de Portugal, parece-me pouco para três anos de trabalho com plantel à la carte.

Não defendo um cemitério de treinadores, mas se quem vem não dá conta do recado com toda a mão-de-obra que pretende à disposição, a culpa não será certamente apenas da mão-de-obra, como já vimos.

Convinha no entanto que desta vez viesse alguém que não inventasse. Será o mínimo que se deverá exigir.

Por mim, presidente, avance!

Acabámos

Com nove.

Contra o Moreirense, que conseguiu desde o primeiro minuto (foi dos forasteiros o primeiro remate, pouco passava do minuto de jogo) contrariar a invenção, vim a saber após o jogo, forçada, de Jesus (um síndrome gripal atacou mais de meia equipa e parece que alguns até jogaram inferiorizados).

Já se percebeu que é muito fácil contrariar a táctica de Jesus: Defender alto e não deixar iniciar a fase de construção, é simples! A isto junta-se uns jogadores que sabem que não é daqui que lhes chegará o ordenado e uma equipa de arbitragem rafeira e está o caldo entornado.

Apesar de tudo a equipa criou algumas oportunidades de golo, algumas, duas pelo menos na primeira parte, falhadas infantilmente (mais uma vez) em cima da linha de golo.

Depois o quarto árbitro inventou uma falta que deu a expulsão de Petrovic, que até nem estava mal no jogo e o adversário cresceu mais ainda, mas curiosamente não chegou a rematar com perigo.

A entrada de Leão, ao que parece também ele um pouco combalido, não acrescentou grande coisa talvez mesmo por causa disso, mas a classe está lá e aquela assistência que acabou no golo é de craque!

O golo. A gente sabe que aquilo é muita adrenalina, havia a ânsia de dedicar o golo a um amigo em dificuldades, mas caramba, estamos a falar de um profissional que tendo acabado de "meter" a equipa na luta pelo campeonato, veio a prejudicar a equipa precisamente nessa luta, porque aquele vermelho impede-o de jogar na sexta próxima contra o FCPorto e todos sabemos a falta que fará.

E acabou então com nove. E com assobios a Doumbiá que me irritaram mais uma vez. Os nossos são para apoiar, sempre! E muito bem esteve Bruno Fernandes (um moiro de trabalho mais uma vez), a "exigir" as palmas aos adeptos.

Estamos vivos, pode ser por pouco tempo, mas estamos vivos e isso é o mais importante.

Um recadinho para Jesus: Eu repudio os assobios, mas não é ao treinador que compete criticar os adeptos. Jesus não se pode esquecer que já lá vão quinze anos que não ganhamos nada e que continuamos lá, todos os jogos, mais de quarenta mil. Se os jogadores, para ele, hoje foram leões, os adeptos são o quê, todas as semanas?

Quem fala assim...

Não costumo gostar muito do que Jesus diz (prefiro o que manda fazer) mas desta vez acertou em cheio. "Em Portugal, o campeonato é sempre a prioridade e para nós também. Mas nós não vamos rejeitar a possibilidade de chegar à final da Liga Europa. Queremos ir o mais longe possível, sabendo que o sorteio também é determinante. É um sonho, claro que sim. Um sonho que se pode tornar realidade. O Sporting tem todas as condições para chegar à final da Liga Europa. É jogo a jogo". Gosto muito destas palavras. Mostra a ambição e o mindset que os profissionais do Sporting devem sempre ter e ainda por cima é realista. O Sporting, tantos milhões depois, não se pode queixar de jogar duas vezes por semana e tem jogadores de qualidade suficiente para ir até ao fim. Mesmo com Milan, Dortmund, Atlético, Lázio ou Nápoles em prova. 

Pensar na ex-namorada

Já muito se escreveu aqui sobre o derby mas não quero deixar de dar a minha visão, cinzenta. O Sporting fez ontem má figura, como se o Benfica na Luz lhe fizesse mais medo do que um Barcelona e Real Madrid. Pedia-se muito mais deste Sporting contra este Benfica. O pior é que fico com a sensação de que Jesus só pensou na sua honra. Não quis perder contra a ex-equipa. Não quis perder contra o novo namorado da ex-namorada. É hora de pensar em ser feliz por si e não pensar no passado. De nada interessa que este resultado tenha sido pior para o Benfica. Só quero pensar no Sporting. Por mim, só quero que o Benfica seja uma das 17 equipas que ficam atrás do Sporting. Alguém que me explique porque é que, numa altura em que o Benfica se atirou para a frente (a manta não tapava os pés) não se apostou em Podence e Doumbia. E sim, Hugo Miguel ainda esteve pior do que o Sporting e por muito que nos tenham feito o mesmo mil vezes nos últimos 30 anos, era bom que se dissesse isso mesmo. 

Marcar o ponto

Pasmaceira, estes quinze dias.

Houve uma assembleia geral do Sporting no sábado que foi notícia por ter sido mais uma vez pacífica e os sócios terem respeitado a integridade do mobiliário, que custa dinheiro e já sabemos como o dinheiro é bem controlado no Sporting, portanto os sócios tratam de respeitar o património do Clube.

Um sócio, consta, teve um ataque de flatulência e o presidente acorreu a ligar a ventoinha, esquecendo-se que podia o Paulinho fazer esse trabalho.

As nossas claques continuam legalizadas e dentro do possível a portar-se dentro da legalidade.

Não há notícia de possíveis castigos a quaisquer dos nossos jogadores.

Jorge Jesus estará calado neste tempo todo e com tempo para pensar na táctica e "Dála" aos seus avançados.

Decorrem as renovações dos contratos de Podence e Palhinha, a bom ritmo.

A selecção vai fazer dois jogos que espero que vença, claro está, e não se passará nada de mais relevante.

Tudo calmo deste lado da rua, portanto.

Para quê inventar?

Aves, Guimarães e Feirense.

O que têm em comum?

O facto de JJ ter assumido que fora de casa jogaria com um meio-campo mais compacto, fazendo de Bruno Fernandes o jogador mais próximo de Bas Dost e o responsável por ligar ofensivamente o jogo do Sporting.

William/Adrien, Battaglia e Bruno Fernandes jogaram juntos nesses três jogos e quais foram os resultados?

3 vitórias!

O tal Sporting mais pragamático que Manuel Machado referia.

JJ a assumir claramente que fora jogaria de forma mais compacta e em casa mais aberto. Tudo completamente lógico.

Para o quarto jogo fora, em Moreira de Cónegos, para manter a liderança, que meio-campo seria expectável JJ apresentar?

William, Battaglia e Bruno Fernandes?

Para 95% dos adeptos sim, mas para JJ não!

Está aí o resultado da já habitual sobranceria...

Bater no ceguinho

Para que conste, eu também não gostei da segunda parte de ontem.

No entanto parece-me que a equipa teve sempre o jogo controlado e só por manifesto azar de um lance fortuito o Arouca poderia eventualmente marcar.

Nesta altura do campeonato, em que não se esperariam escorregadelas dos dois da frente, o treinador deveria estar a entrosar os mais jovens na equipa, mas como a esperança é verde e sempre, dizem, a última a morrer, Jesus começa a encarar estas últimas jornadas como uma possibilidade, ainda que remota, de chegar pelo menos ao segundo lugar.

Quem pode estar contra?

Jogo(s) de loucos

O Manchester City vs Mónaco de ontem à noite (que terminou com a vitória do City por 5-3) foi um daqueles jogos que dificilmente nos sairão da memória.

Houve de tudo, desde grandes golos a grandes frangalhadas e até à defesa/falhanço de um penalti. Memorável!

Entusiasmado com o desenrolar do marcador, Leonardo Jardim não terá pensado exclusivamente no resultado e tentou sentenciar ali a eliminatória.

Porém, para além de "ter" falhado um penalti, "sofreu" um peru de todo o tamanho. Teve azar, não lhe sairam bem os intentos, mas acho que fez bem. Com esta postura ganharam o futebol e os adeptos. Elogio enorme a Jardim, um dos nossos.

 

Agora aqui p'ra nós, que ninguém nos ouve, se lá no banco do Mónaco estivesse JJ e o resultado fosse o mesmo?...

#aculpanaofoidopalhinha

O Sporting perdeu no Dragão. Não estava à espera. Estava optimista e mais fiquei quando vi Nuno a apostar em cinco homens de características ofensivas num jogo à chuva. Desconfiei da chamada de Matheus, que me parece que vai ser o próximo Gelson mas está sem ritmo, mas mantive-me optimista. O problema foi quando o jogo começou e sofremos dois golos de Soares. Palhinha falhou nos dois mas também Marvin e Semedo também. Este trio fez um jogo ao lado mas a culpa é sempre do treinador. Ponto. Tal como o mérito de lançar Esgaio, Podence e Alan, foi seu. Para bem e para o mal, a culpa é de Jesus. Ele que nos valha. Se não for esta, que seja na próxima época. 

PS: Palhinha será titular do Sporting, na próxima época. Só não será nesta porque ainda lá anda William. 

Afinal temos casório

Numa tomada de posição quase inédita, o presidente veio assumir a sua responsabilidade pela época desastrosa (o adjectivo é meu), ao mesmo tempo que pede apoio para o que ainda resta jogar, não perdendo de vista o título. Uma possível contradição, uma vez que afirma também que se iniciará já a preparação da próxima época. A nota mais importante desta comunicação é o facto de não se colocar em causa Jorge Jesus e o reconhecimento do falhanço de algumas contratações. Ainda a nota de que o plantel irá emagrecer, coisa esperada dada a ausência de objectivos.

Importante também o reconhecimento implícito da falta de alguém que trabalhe a nível psicológico, o plantel.

Por uma vez, a culpa não morreu solteira. É um enorme avanço.

 

Eu assumo sempre o que escrevo e defendi aqui no início da época (no início de Setembro, para ser mais correcto) que estava entusiamado com os nomes que tinham chegado ao Sporting. À partida eram opções experientes, com condições de nos darem garantias de alternativa a quem já estava e que construiriam um bom plantel. Recordo-me de ter feito uma ressalva a Markovic e de que precisávamos de um lateral esquerdo; Confesso que o primeiro, mais porque entendi que a sua contratação era uma resposta ao "affair" Carrillo e não tanto pela sua suposta qualidade. Veio-se a verificar que os péssimos desempenhos em Inglaterra e na Turquia não foram episódicos, infelizmente.

Retomando. Eu e muitos sportinguistas ficámos entusiasmados com um plantel que no papel tinha todas as condições para lutar pelo título, principalmente depois de uma pré-época fraquinha, para ser simpático, com alguns dos jogadores que agora todos queremos que regressem (eu incluído!), convém não esquecer.

Isto como os jogadores são como os melões, infelizmente só deu certo com Bas Dost.

A juntar ao pesadelo, os motores da equipa teimam em não carburar, Adrien a espaços e William quase sempre, são uma sombra dos jogadores da época passada. Reflexos do Euro, ou de uma gorada saída, é isso que eu gostaria de entender. Falta de força, ou falta de vontade/empenho?

A defesa, que tão bom desempenho teve o ano passado, é hoje um passador e muito por culpa da falta de um defesa esquerdo de qualidade e nalguns jogos da falta, mesmo, de um defesa esquerdo. Elogiei aqui a astúcia de Jesus na primeira vez que utilizou Bruno César a DE e penso que muito bem, mas as surpresas são isso mesmo, surpresas e só o são por uma vez; A partir daí todo o treinador que nos defronta sabe que é por ali que deve ir. E aqui está a explicação não só para o buraco da defesa, mas para os cartões de Rúben Semedo, Coates e Paulo Oliveira: O que por acidente esteja do lado esquerdo, tem que fazer inúmeras vezes de pronto-socorro e a fava calha quase sempre a Semedo, daí as entradas à queima e os cartões.

Eu entendo a simpatia para com João Pereira, mas terá sido avisado deixá-lo sair sem qualquer alternativa, com Schelotto lesionado numa fase crucial da época?

 

Num grupo de alta competição, diariamente escrutinado, sujeito a enorme pressão, é imprescindível apoio na área da "cabecinha". O Sporting contratou um profissional para o efeito e a ver pelos resultados do ano passado, terá cumprido bem a sua função. Saiu e não se sabe bem porquê, ainda que isso seja irrelevante para o caso, o que teria sido avisado era a contratação, de imediato, de alguém que continuasse o seu trabalho. Não, deixou-se essa tarefa a Jesus, que sabe tão bem motivar um grupo, como eu sei enfrentar uma manada de búfalos e o resultado está à vista.

Parece-me que o que há que recuperar é a confiança dos jogadores no treinador, que andará pelas ruas da amargura e aqui o papel principal cabe ao presidente. Jesus, que é um bom treinador, talvez o único neste momento capaz de tirar a equipa do atoleiro onde se encontra, deve ser resumido à sua profissão.

Espero que o comunicado do presidente, ao assumir responsabilidades, aponte para uma mudança radical nos comandos do futebol.

É que há coisas para as quais Jesus não foi talhado e o presidente não percebeu. Ou foi condicionado, o que é ainda mais grave.

O que fazer?

Eu não quero mudar o presidente, nem mudar de presidente.
Eu não quero mudar o treinador, nem de treinador.
Eu quero sim, que mude o paradigma, tão nosso, de ficarmos a "um bocadinho assim" de qualquer coisa.
Eu quero sim, mudar a táctica de anos do futebol para trás e para o lado, que volta e meia regressa à nossa equipa.
Eu quero ver os jovens da formação, em vez de turistas à pazada, que ganham várias vezes mais e que jogam imensamente menos.
Eu quero um Sporting com mentalidade ganhadora, como já mostrou saber ter.

Mas quero, sobretudo, verdade no futebol.
E se não houver verdade no futebol, arrisco-me a dizer que nunca ganharemos um campeonato, ou se o ganharmos será um mero incidente.

Nesta altura em que tantas suspeições se levantam sobre o futebol, pergunto onde anda o secretário de estado do desporto, o que anda a fazer para além de colar-se aos resultados das federações e às medalhas dos atletas. Por que caminhos anda, qual a cartilha que o rege, se está preocupado, porque se demite das suas funções.

Gostava também de saber onde andam os polícias de investigação. E o ministério público. E os juízes e os tribunais.

É que a coisa não se resume a uma má escolha de jogadores, a uma época mal planeada, a um mau jogo de atletas que já mostraram que são bons executantes. Ajuda, mas há mais, muito mais, para além disso. E enquanto não se mudar este estado podre, esta fossa onde vive o futebol português, a verdade desportiva estará sempre e para sempre, hipotecada.
E porque é da nossa natureza jogarmos limpo, seremos sempre ultrapassados pelos rivais, por mais argumentos que apresentemos em campo.

E porque o polvo tem demasiados tentáculos e ventosas e sinceramente não vejo nesta altura quem o consiga derrotar. Se quem pode e deve se demite da sua obrigação, do governo do país à polícia, aos tribunais, à uefa e à fifa, dificilmente um homem, uma direcção e um Clube, conseguirão mudar o rumo das coisas.

E as mudanças, quando têm que ser drásticas, em regra só o conseguem ser recorrendo a violência. Pode-se seguir por aí, mas mais uma vez, não é da nossa natureza, não o faremos.

Assim, nesta altura, mais que disparar a torto e a direito, de tão envergonhado que estou de ser parte, ainda que passiva, de um negócio de milhões que não me interessa e que me passa ao lado, o que eu exijo, como cidadão de pleno direito, é tão imensamente simples: Exijo Justiça!

Assim fica difícil! Ideias para pensar

Esta semana foi-me dito que antes de o jogador sair, em Guimarães, o joelho de Adrien já vinha dando problemas, sendo uma questão de tempo até parar. Fui ainda informado de que Adrien em Guimarães não saiu por causa do joelho e que aproveitou a pausa forçada por outra lesão para ser operado ao joelho. Também me disseram que, além da diferença de valor que iria auferir caso saisse para Inglaterra, Adrien via essa como uma das suas últimas oportunidades de sair, quem sabe com medo de que os problemas físicos prejudicassem o seu rendimento e a possibilidade de ser transferido. Agora o que me faz confusão é como o Sporting não sabia isso, ou, sabendo, gastou milhões em jogadores cujo rendimento ainda está por provar, em vez de salvaguardar uma alternativa. E atenção que eu acho que já existiam no clube duas boas alternativas, Francisco Geraldes e Bruno Paulista, e que foi contratado um jogador que em forma pode ser uma boa alternativa, Marcelo Meli.

Esta discussão das alternativas e das contratações tem muito que se lhe diga, como por exemplo, a que se deve o eclipse de Matheus Pereira, ainda para mais com Bryan Ruiz visivelmente esgotado? Porque se empresta Palhinha e se contrata um jogador para o seu lugar que nunca é opção? Porque é que, gostando-se ou não, não foi contratado um jogador com as caracteristicas de Teo Gutierrez, para jogar ao lado de Bas Dost?

Para finalizar deixo-vos uma questão, tendo em conta as declarações de Jorge Jesus após a melhor exibição da época, em Madrid, e a postura de alguns jogadores, depois desse jogo. Não poderão existir questões mal resolvidas no seio do clube?

É verdade que a comunicação tenta desestabilizar muito, mas, normalmente, onde há fumo, há fogo e neste caso há muita coisa por explicar

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D