Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Hasta siempre

Li ontem no Record uma espécie de auto-avaliação de Jeffrén. Diz ele que não brilhou na última época em Alvalade - ao contrário do que alguns suporiam, dado o avultado investimento que o Sporting nele fez - por este simples motivo: "Forcei de mais o físico." Fico na dúvida sobre se isto será verdade. Como poderá ter "forçado de mais o físico" um extremo que só disputou 21 jogos e apontou dois golitos?

Mal não há mal que sempre dure. Diz o Jeffrén que agora se sente "melhor anímica e fisicamente". Por ter finalmente começado a participar com mais entusiasmo nos treinos da equipa? Por ter abandonado os absurdos individualismos que o caracterizavam em campo? Nada disso. A causa é outra: agora é massajado com "azeite de argania", conforme revelou, segundo o jornal, "à margem da apresentação do produto à imprensa".

Adeus, maus jogos. Adeus, treinos sem rendimento. Adeus, apatia em campo. Viva o azeite de argania, seja o que isso for. "Sinto diferença quando é aplicado em massagens. Agora tenho uma vida mais saudável", revela o craque.

Espero sinceramente que assim continue por muitos e bons anos, com muitas massagens e muito azeitinho. Mas, de preferência, longe de Alvalade. Hasta siempre, Jeffrén.

Há coisas que não se explicam

Como, por exemplo, o Izmailov estar inapto para jogar pelo Sporting e três dias depois estar apto para jogar um SLB-FCP. Sinceramente, já nem quero saber o que se passou. Prefiro reconhecer que Jesualdo está a saber dar a volta à situação, página a página, como gosta de dizer, e ver ainda que há jogadores que finalmente ganharam outro ânimo e parecem querer dar tudo pelo Sporting: Labyad, Adrien e Jeffrén, só para citar três casos muito concretos. Outros se seguirão, espero. Vamos a isto.

Quatro nulidades vistas à lupa

Execerto de análise do Nacional-Sporting, na certeira avaliação do Record, assinada pelo jornalista António Adão Farias:

 

ELIAS: nota 1

"Agora já nem para o lado. Só joga para trás e... mal. Deixou nascer o golo do Nacional com uma perda de bola infantil no meio campo. Aos 44' não se fez ao lance e abriu caminho a Randón para o que seria o segundo do jogo. Dois lances suficientes para lembrar que na bancada estava um miúdo cheio de talento e 8,85 milhões de euros mais barato..."

 

PRANJIC: nota 1

"Não mostrou criatividade para ser o 10 que o esquema exige, nem tão-pouco qualidade para ser extremo, como tentou ser, no pouco que jogou do segundo tempo. Por isso saiu sem deixar rasto, com dois remates disparatados pelo meio (32' e 76')."

 

LABYAD: nota 1

"Começou à direita e passou para a esquerda. Por ali continuou até passar para a posição 10, no início da segunda parte. Saiu aos 56', precisamente o número de minutos que esteve a mais em campo."

 

JEFFREN: nota 1

"Podia ter sido um regresso em grande, mas esbanjou um golo feito."

Uma mentira contada mil vezes...

 A frase «Uma mentira contada mil vezes torna-se uma verdade» - tão frequentemente parafraseada desde a sua origem na Segunda Guerra Mundial - é inteiramente aplicável à tão publicitada fotografia de Jeffren no banco do Sporting. Para que conste - em abono da verdade - a foto, entre muitas outras tiradas na ocasião - foi assegurada pelo fotógrafo antes do jogo começar, escassos instantes após os suplentes do Sporting se terem sentado no banco e enquanto a presença de jornalistas ainda era permitida nessa área. O jogador, acabado de se sentar, estica as pernas e pisca os olhos. No milésimo de segundo que levou para tirar a fotografia a imagem gravada é aquela que se vê nos sítios noticiosos, com o intuito único de desinformar a audiência e, por consequência, denegrir o Sporting. Que a mesma noção venha a ser perpetuada - e nos moldes que foi - neste espaço que passa por defender os interesses do Sporting Clube de Portugal é, para ser bem educado, lamentável. 

  

 Adenda: Além de eu me ter dado ao trabalho - e à despesa - de indagar a dimensão real da fotografia com quem de direito, será que ninguém reparou, entre outras questões, que Gelson Fernandes está sentado tranquilamente no banco ?

 

A dormir na forma

 

A insustentável soneca de Jeffren no banco de suplentes do Sporting está a ser motivo de chacota além-fronteiras. Uma imagem que vale mais do que mil palavras.

(via Leão da Estrela)

 

ADENDA. As aparências enganam e uma fotografia também pode iludir. Jeffren afinal não dormia no banco, como já admitiu o repórter fotográfico que captou este excelente 'boneco'. Não apago o post porque sempre recusei os métodos estalinistas de eliminar imagens incómodas e entender que a história de um blogue também se faz destes percalços. Mas não quero que na internet se mantenha o texto que escrevi sem a necessária rectificação. E o indispensável pedido de desculpas a Jeffren, que pode ser criticado por vários motivos mas não por este.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D