Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«O Domingos não está a concorrer para Miss Simpatia. Está a trabalhar para ser campeão connosco. Não tenho dúvidas de que será campeão. Os campeões topam-se à distância. Até lá: cerrar os dentes com o homem

Alda Telles: «Só espero que não se verifique hoje nenhuma influência dos raios gama no comportamento dos girassóis. Isto é, que não sejamos gamados.»

António Figueira«O Bojinov passa e o Sporting fica, e eu sou sportinguista, não sou bojinovista (nem sei o que isso é).»

Bernardo Pires de Lima: «Gostava de confirmar que, de acordo com a minha memória, Aldo Pedro Duscher foi o melhor centro-campista na história recente do Sporting. Estive a meditar nisto durante esta tarde, o que significa que devo estar à beira de ser internado.»

Francisco Mota Ferreira: «Temos História, temos Orgulho. Haverá com certeza imagens fantásticas dos “5 Violinos”, do Jordão, do Manuel Fernandes, do Artur, do Cristiano Ronaldo, do Ricardo Sá Pinto. Carambas, até do Futre. Girassóis e borboletas? Não entendo.»

João Severino: «No nosso clube sempre existiu este defeito: o mal é sempre do treinador. E podemos estar certos de uma coisa, a criticar e a arrasar o Domingos, que é um dos melhores treinadores portugueses, estamos a provocar que o homem se aborreça e se vá embora.»

Leonardo Ralha«Esperava muito mais de Bojinov. Este "caso" do penálti falhado que daria a primeira vitória de 2012 ao Sporting, com Elias e Schaars a terem que separar o búlgaro do Matías Fernández, é o prego no caixão do avançado

Rui Rocha: «A nossa [fé] é o Sporting. Apesar de tudo, contra tudo e contra todos. Ontem e hoje também. E amanhã se for pior

Tomás Vasques: «Estou-me borrifando para os girassóis e as borboletas, para túneis e outras diversões. Eu quero é vitórias!»

Nós, há dez anos

Ana Torres Pereira: «A derrota com o Braga desanimou, mas tenho a convicção que as coisas vão mudar. É certo que o título parece estar mais longe, mas o caminho ainda não terminou.»

Filipe Moura: «Estive no Sporting-Porto no outro sábado, a maior enchente da história do estádio Alvalade XXI, e onde foi realizada a maior coreografia alguma vez feita num estádio português

Francisco Mota Ferreira: «Irrita-me voltarmos ao discurso dos coitadinhos, do ao-menos-estamos-nas-competições-europeias, do vamos-ganhar-ao-Benfica, e do quarto-lugar-até-não-é-mau-para-a-época-que-fizemos.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Quando eles pensam que desistimos, nós cerramos os dentes. Quando eles pensam que temos os braços caídos, nós gritamos o que temos e o que não temos aqui dentro. Quando eles pensam que estamos no chão, nós levantamo-nos com raiva e ódio. Quando eles pensam que desistimos, nós dizemos estamos aqui. Dizemos que estamos onde sempre estivemos. Não desistimos. Não cedemos. Não negociamos. Nós estamos aqui.»

João Severino: «"Há que levantar cabeça", é a expressão que mais se ouve aos jogadores brasileiros que jogam nas equipas portuguesas quando perdem. Ora aí está uma boa frase para o Sporting copiar.»

José Manuel Barroso: «A impaciência dos adeptos tem criado uma relação patológica com os jogadores e com quem dirige. Nenhum grupo terá êxito, nem será catapultado para o êxito, sob um coro de assobios. Se queremos ganhar, se queremos ajudar a equipa a ganhar, essa relação patológica tem de ser rompida.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Volto a dizer: a Taça de Portugal é para ganhar. Não importa como, nem com quem, nem sei mais o quê. Tragam-nos a Taça.»

António Figueira«Quero uma equipa só de holandeses (pronto, e um chileno), sem estados de alma, estou farto de sentimentais (o João Pereira apanha tanto amarelo estúpido, onde bem que podia ter apanhado um a parar o Lima).»

Filipe Moura: «Está tudo a correr como queríamos? De certeza que não. A equipa é jovem, e ainda tem de comer muita "papa Cerelac". O treinador é novo e ainda está à procura do melhor rendimento para muitos jogadores.»

Francisco Mota Ferreira: «Ontem perdemos. Estamos a 11 pontos do clube de bairro e ainda não ganhámos nenhum jogo este ano. Os adeptos estão tristes. A continuar assim, o precário equilíbrio que existe entre adeptos, sócios, jogadores, Clube, Direcção e treinador vai ter os dias contados. Quanto tempo mais ainda vamos ter Paciência?»

Luís Filipe Coimbra: «Em relação ao "duelo" entre os "Sportings", pouco haverá a confabular: o nosso tem que ganhar tudo até ao final da época, seja contra ventos, marés ou departamentos clínicos juvenis.»

Rui Rocha: «Equipa que sofre dois golos como eu vi hoje o Sporting sofrer em Braga não pode vencer.»

Zélia Parreira: «Apelo aos adeptos para não desistirem, para mostrarem a sua habitual fibra e o apoio inequívoco ao clube e ao treinador. Quinta-feira, quem puder, deve estar em Alvalade e levar na sua voz todos os que estão longe.»

Nós, há dez anos

Alda Telles«Estou chocada. E com uma enorme enxaqueca.»

Bernardo Pires de Lima: «Continua a ser patético que um presidente do grande Sporting prometa ou deixe de prometer um Sporting campeão. A ver se nos entendemos de uma vez por todas: o Sporting só não é campeão se a matemática assim o ditar. A existência do Sporting e a luta pelo campeonato é um pleonasmo. Não é preciso prometer ou deixar de prometer. É assim.»

João Gomes de Almeida: «Já que somos um clube ecléctico e que sempre se orgulhou de o ser, quando é que vamos parar para pensar como vamos tornar as nossas modalidades viáveis?»

João Severino: «Não se podem ganhar jogos sem 1, só 1 goleador. O Cardozo é tosco? Pois é. Mas é goleador. O James é puto? Pois é. Mas é goleador. O Lima é bimbo? Pois é. Mas é goleador.»

Leonardo Ralha: «Quando transformo a tábua de Steve Jobs em aparelho de rádio consigo recuar até ao tempo em que ficava trancado no quarto a ouvir a tarde desportiva pelas vozes de David Borges, Fernando Correia e Jorge Perestrelo.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Vamos lá ver se nos entendemos: a Taça de Portugal é para ganhar. Não admito nenhuma, mas nenhuma desculpa mesmo para não ir ao Jamor ver o Domingos Paciência de gravata verde a levantar a taça, ver o Insúa rir-se com uma cremalheira dentária como há muito não se via no Sporting, ver o Rick sorrir como as crianças e o Capel como se fosse o irmão mais velho. Ver-nos em festa como merecemos ser vistos.»

Francisco Almeida Leite: «O empate a duas bolas com o Nacional deixou-me irritado e preocupado. É certo que chegámos a estar a perder 0-2 e a reviravolta esteve por um fio, mas a equipa mostrou várias debilidades e, sobretudo, perdeu o Ricky van Wolfswinkel por um período estimado entre uma a quatro semanas.»

Rui Rocha: «Moro em Braga há muitos anos, embora com alguma intermitência. No domingo, defrontam-se o clube da minha cidade de adopção e a equipa do meu coração. Isso coloca-me numa posição extremamente difícil. Em geral, resolvo a problema implorando aos Deuses da Bola que me acorram nesta aflição e que impeçam o Sporting de ganhar por mais de três a zero. É exactamente o que peço este ano.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Ontem à noite, vi uma arbitragem competente. E isto escrito assim soa ainda pior porque eu acho que quando não ganhamos a culpa é sempre, mas sempre, do árbitro (e às vezes do Polga, sim).»

André Peixe: «Nós, infelizmente, fomos liderados por “anjinhos” num passado recente. Espero que com esta direcção tudo isso mude.»

Francisco Mota Ferreira: «No último mês, o Sporting jogou seis partidas e apenas ganhou uma. São dados que nos devem fazer pensar.»

Eu: «O desporto futebolizou-se em Portugal. É um fenómeno recente. Não é preciso recuar muitos anos para lembrar que já houve um tempo em que nem só o pontapé-na-bola mobilizava as atenções de quem se interessava pela prática desportiva.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«No dia 5 de Novembro de 1986, Negrete começou por marcar o golo que me tinha ficado a dever em Barcelona e Mead marcou o segundo. Já só faltava meia hora para o jogo acabar. O Sporting estava na eliminatória seguinte. Deixou de estar quando um senhor chamado Roberto marcou um golo esquisito a 10 minutos do fim. Ninguém devia sofrer golos com o Barcelona a 10 minutos do fim. Eu sei disso. Deus sabe disso e por isso continuo chateado.»

António Figueira: «Pudemos até perder na Luz, nem eles sabem como, ou empatar com o Porto em Alvalade, mas este ano vamos à bola de outra maneira. Satisfeitos? Ainda não. Tranquilos? Muito, mas muito mais. Agora, a equipa bate-se sempre bem, honra a camisola.»

Francisco Mota Ferreira: «Num futuro próximo, assobios, gritos e quaisquer manifestações de ânimo que possam ser entendidos como incitamentos à violência serão penalizados com perda automática de três pontos, mesmo se a equipa esteja a dar uma cabazada das antigas.»

João Severino: «Nunca gostei do Nacional da Madeira. O seu presidente fala como um racista. Por isso, é que sou dos que esperam que o nosso Sporting ganhe na segunda mão.»

João Távora: «Quando há uma semana, em pleno alvoroço da antecipação do clássico, o Correio da Manhã publicou a peremptória notícia  da transferência de  Yannick Djaló para o Futebol Clube do Porto, nenhum adepto com dois dedos de testa a levou a sério. Mas espantoso mesmo é a facilidade em alguém conseguir plantar uma "notícia" destas sem ser num primeiro de Abril.»

Leonardo Ralha: «Quando um jogador falha demasiadas vezes naquilo que é a essência da sua posição existe um medicamento genérico chamado banco de suplentes. Por vezes compensa estarmos de fora para melhor percebermos o que estamos a fazer errado e é isso que anda a faltar ao valioso Wolfswinkel.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Artigo 1.º dos estatutos fundadores do Sporting: "Sporting Club de Portugal é o título d'uma associação composta d'individuos d'ambos os sexos de boa sociedade e conducta irreprehensivel". Não, na altura ainda não havia escutas nem Apito Dourado. Não, na altura ainda não havia acordos de extradição com a justiça inglesa.»

Bernardo Pires de Lima: «Sofro de tal maneira de clubite aguda que dou por mim sempre muito mais entusiasmado com as cadernetas do que com os jogos das selecções em si. Para mim a época acaba quando o Sporting faz o seu último jogo.»

João Severino: «O avançado Janiny, da União de Leiria, tem-se mostrado um bom jogador e melhor goleador. No jogo contra aquela equipa do bairro da Luz estranhou-se que o rapaz nada tivesse feito para marcar um golito. Afinal, já estava contratado pelo... adversário.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«O Sporting podia ter ganho ao Porto e empatou da mesma maneira que podia ter ganho na Luz e não ganhou. Sim, fiquei chateado. Não ficámos? E agora? Quarta-feira estaremos outra vez am Alvalade. É só isso.»

Francisco Almeida Leite: «Não acredito que Bruno de Carvalho tivesse feito melhor que Luís Godinho Lopes nestes meses longos que já leva de presidência, assim como não penso que Marco Van Basten fizesse melhor que Domingos ou Inácio levasse a melhor sobre Carlos Freitas.»

Francisco Mota Ferreira: «Confesso que me fazem alguma confusão as declarações de Bruno de Carvalho. Nada me move contra a personagem, nem sequer o conheço. Mas entendo que, enquanto sportinguista, o rapaz já deveria ter aceite a derrota e reconhecido Godinho Lopes como o seu Presidente.»

João Severino: «Maria de Lurdes Borges de Castro, poetisa de 5 estrelas com vários livros publicados, é a sócia número 6 do nosso Sporting. Nunca faltou aos jogos, recentemente saltou de pára-quedas e diariamente navega na net. Está registada no Facebook como Maria de Castro e no próximo dia 21 completará 89 anos de idade e de sócia do Sporting, sendo a mulher com mais anos de associada.»

Rui Rocha: «Uma alma sportinguista está habituada às mais variadas injustiças da vida. As decisões arbitrais erradas, as lesões, as bolas na trave, as defesas impossíveis dos guarda-redes adversários (ainda que estes almocem, em todos os outros dias do ano, na Casa dos Frangos), os fatos do Costinha, as recepções de bola do Djaló, eu sei lá...»

Nós, há dez anos

Alda Telles«O blog Na Esquina do Tempo revive a goleada do Sporting sobre o Mindelense (21-0) na Taça de Portugal de 1971. Tempos e modos que nos parecem agora irreais.»

Ana Torres Pereira: «Não tive oportunidade de ver o Sporting-Porto, mas o empate mostra que o título continua a ser uma ambição, não deixando de saber a pouco (e amanhã ninguém atura os lampiões que já se acham os reis da cocada preta).»

Francisco Almeida Leite: «Sempre com mais posse de bola, o SCP foi sempre mais perigoso que o FCP. Um fora de jogo mal assinalado a Van Wolfswinkel pelo árbitro Pedro Proença poderia ter originado uma jogada decisiva e um golo que iria fazer vibrar milhares de sócios e adeptos.»

José Navarro de Andrade: «Se tivéssemos jogado com Elias, se Elias tivesse jogado 10 metros mais atrás, se tivesse pegado no jogo, se o Sporting tivesse um cérebro que não se escondesse atrás do trinco deles, outro galo cantaria, ou melhor, outro leão rugiria.»

Leonardo Ralha: «Ainda falta mais de meia volta para o fim, vencerá a equipa mais regular e por aí em diante, mas nenhum dos jogadores que ontem à noite hesitaram antes de aplaudirem os 48 mil presentes nas bancadas ignora que o título é uma miragem.»

Nós, há dez anos

Alda Telles«Pedro Rolo Duarte elegeu És a nossa Fé! como o blog da semana. Qualificação insuspeita: blog de luxo dedicado ao futebol. A fasquia já vai alta.»

Constança Martins da Cunha: «Tenho uma enorme vontade de estar mais atenta ao clube, de o apoiar e de ser uma verdadeira sportinguista.»

João Gomes de Almeida: «Hoje merecíamos mesmo ter ganho.»

João Severino: «O jogo está no intervalo e o nosso Sporting já podia ter marcado. O árbitro tem favorecido o adversário. O "gigante" está a fazer um jogão. Vamos a eles!»

João Távora: «O dia amanheceu glorioso. O ideal para a prática do desporto rei!»

José Navarro de Andrade: «Se perdermos hei de concluir que aqui está de novo o Sporting do Mirko Jozic, muita parra e pouca uva; se ganharmos hei de fazer contas para os pontos que ainda nos falta recuperar, se empatarmos não saberei o que hei de pensar.»

Leonardo Ralha: «Um grande sportinguista da redacção do CM deixa uma sugestão de redecoração dos corredores de acesso aos balneários do adversário, que eu transcrevo com a devida vénia: que tal forrar as paredes com ampliações gigantescas das sessões fotográficas 'desinibidas' que as mulheres e afins dos jogadores do Benfica e do FC Porto estão constantemente a fazer para as revistas masculinas?»

Zélia Parreira: «Aos meus companheiros de blogue peço apenas que gritem por mim, que aplaudam por mim, que cantem por mim. Algures no meio do Alentejo, a 150 km de distância, também eu saltarei de orgulho quando ouvir o comentador gritar "Está lá dentro! É golo! É do Sporting!"»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«João Moutinho regressa amanhã à casa que fez dele jogador. É verdade que o Sporting formou um bom jogador, mas não formou um homem.»

Bernardo Pires de Lima: «Quando o Sporting foi campeão com Inácio, assisti a dois episódios inesquecíveis. O primeiro foi na bancada de Vidal Pinheiro (conhecido como quintal pinheiro), a poucos minutos do final. Eu estava imediatamente atrás do nosso banco de suplentes e um jogador saltava em cima do banco como se não houvesse amanhã. (...) Esse jogador não era das escolas, deve ter visto o Sporting pela televisão umas três vezes na vida, mas nunca mais me saiu da memória. Era italiano - o único italiano campeão - e chamava-se Ivone De Franceschi.»

David Dinis: «Face à extraordinária recomendação do Público para que o Sporting mude o seu papel de parede para receber o adversário, mas também face à iminência do jogo com aqueles senhores de azul, gostava de propor a votação dos nossos leitores uma de duas alternativas para a recepção de amanhã.»

Francisco Almeida Leite: «Iremos mostrar que há muito mais para ver em Alvalade do que o corredor de acesso ao balneário que mete medo a tanta gente...»

João Caetano Dias: «Este gajo de amarelo, à esquerda da foto, deixa-me as pernas a tremer.»

João Severino: «O nosso estádio já está esgotado. Booooa! Allez Sporting allez és a nossa fé! Tem de se ouvir bem alto amanhã nas bancadas verdes. Apoiar a equipa desde o primeiro minuto é uma imposição clubista e de fé. Fé na vitória.»

João Távora: «O futebol fala mesmo grosso, pica na barba, é politicamente incorrecto, e alimenta-se disso. É uma deliciosa encenação do nosso genético tribalismo, e quem não perceber isso que se entretenha a coleccionar borboletas ou a coser meias.»

José Navarro de Andrade: «Cá vai uma foto da sede do Sporting da Ilha do Príncipe, na República de S. Tomé e Príncipe. Quem disse que o Sporting é só um clube de Portugal?»

Leonardo Ralha: «Se alguns daqueles gestos são saudações fascistas, então os velocistas negros norte-americanos deviam estar a homenagear Mussolini no pódio dos Jogos Olímpicos de 1968.»

Rui Rocha: «Temos fome. Fome de alegria. Fome de felicidade. Fome de justiça. Fome de respeito. Fome de bola. Fome de vitórias. Fome de títulos. Temos treinador, temos equipa e temos fome.»

Tomás Vasques: «Ainda se lembram do Vasques – um dos 5 violinos? As origens são a fonte da nossa FÉ. Amanhã, vamos comer tripas, e apitos se for caso disso. Vamos a eles.»

Zélia Parreira: «Se vencermos, ganhamos 3 pontos. Se perdermos, evitamos que aquele clube que tem o campo de jogos em frente ao Colombo tenha a oportunidade de ficar isolado no primeiro lugar. O único resultado de que não gosto nada é do empate. Entendido?»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Pedro Proença e o F.C. Porto já têm este passado. Espero que não estejam a pensar ter futuro depois de sábado.»

Bernardo Pires de Lima: «Na década de 90, quando andei muito pelos miseráveis mas míticos estádios nacionais a acompanhar o grande Sporting, vi as maiores cenas de violência serem lançadas por sócios de clubes pequenos sentados nas bancadas centrais, sem qualquer ligação a claques.»

Francisco Almeida Leite: «Mal amado pela exigente torcida do São Paulo, Xandão vem para Alvalade decido a vencer e a dar tudo por tudo. Já piscou o olho à nossa claque mais importante, agora falta o resto: provar dentro de campo.»

Francisco Mota Ferreira: «O Sporting liga portugueses e lusófonos. Torna-nos iguais. No sofrimento e nas alegrias que o Clube nos dá. Independentemente da nossa nacionalidade ou da nossa geografia. E isso vale mais do que anos e anos de diplomacia entre Estados e entre Governos.»

José Navarro de Andrade: «Só em duas ocasiões chorei em Alvalade. A primeira aconteceu na noite de 24 de Outubro de 1990: quando Bozinowski estampou o sétimo selo nos atarantados romenos do Timisoara, transportado pela euforia virei-me para abraçar o meu pai, esquecendo que ele tinha morrido na semana anterior.»

JPT: «"Porque é que não sou sócia do Sporting?" pergunta-me a minha filha, envergonhando-me nos seus nove anos, exactamente no dia seguinte a fotografar este totem.»

Marta Spínola: «Em 2010 entrei em Alvalade a temer Falcao e saí de lá com uma vitória por 3-0 cuja imagem (Djaló, Moutinho e Veloso abraçados, outros tempos, é indiferente) ainda habita o meu biombo no trabalho.»

Rui Rocha: «Os golos podem ser de laboratório, mas o jornalismo de A BOLA, esse é seguramente de inseminação artificial.»

Zélia Parreira: «Ninguém consegue imaginar a euforia que se vive na minha casa quando o Sporting marca e ganha. E quando perde, a sensação que nos invade de desilusão, de oportunidade desperdiçada...»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«Eu gosto de não gostar do Benfica. Eu sou daqueles que nunca na vida dirão "benfiquistas": ali, serão sempre os "lampiões". Eu sou daqueles que querem que o Benfica perca sempre, seja uma final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid ou um jogo de treino contra o Bobo Sport do Burkina Fasso.»

David Dinis: «Vejo os jornais desportivos com os reforços que estão a caminho e lembro-me daquele ano incrível em que tudo virou no mercado de Inverno.»

Francisco Mota Ferreira: «Ser do Sporting é trazer-me à memória as melhores recordações da minha infância. Das idas ao velhinho Alvalade, com o meu pai e o meu irmão, uma tradição que vamos, na medida das possibilidades de todos, tentando manter agora neste novo Estádio.»

João Villalobos: «Que o verde seja a cor da esperança poderá ser um lugar comum. Mas é-o menos que a esperança seja o lugar inverso do desespero e isso é algo que dá para pensar nos dias que correm.»

José Manuel Barroso: «A nossa capacidade para ser realmente diferente dependerá da nossa capacidade em entender a realidade num mundo (futebolístico) em mudança.»

Leonardo Ralha: «É possível concordar que o nosso 'Capitão América' é assaz duro de rins e está longe de ser um craque quando tem a bola nos pés. No limite, nem custa assim tanto admitir que o golo que valeu o empate com o Rio Ave foi marcado de forma trapalhona frente a uma baliza aberta.»

Nós, há dez anos

Adelino Cunha«O João Pereira continua a ser o único jogador que entra em campo já com um amarelo garantido.»

António Figueira: «O clube que tem por nome Portugal, em vez de se reivindicar simplemente de uma terra (Porto) ou de se chamar como um bairro (ainda para mais feio: Benfica), tem de ver largo, e saber reconhecer as marcas da sua permanência na sociedade portuguesa e da sua dominação (que se quer leonina!).»

David Dinis: «O Sporting e a família andam a par e passo. Lembro-me até hoje dos primeiros jogos onde o meu avô me levou, ao velhinho Estádio de Alvalade. A Clara, agora com quatro anos, pouco liga à bola - mas fala do Sporting como o "clube do papá". Esta semana ouvia a música do hino de Portugal e dizia que era a música do Sporting. Linda.»

Francisco Almeida Leite: «Nessa contabilidade do novo milénio acho que as coisas são bem claras - igualdade nos campeonatos e uma 'abada' nas taças.»

João Gomes de Almeida: «Gosto do nosso presidente e também do Luís Duque. Gosto de ambos porque não são sportinguistas por questões de genealogia, snobismo ou higiene. Gosto de ambos porque são sportinguistas lutadores, que apenas se contentam em vencer.»

João Severino: «Jurado, Paciência e Soeiro, elementos da equipa de futebol do Sporting na década de 1930, figuravam entre os cromos impressos pela Fábrica Universal, para distribuição com os famosos rebuçados. A colecção destes cromos, conhecidos pelos "bonecos da bola", era o mais célebre divertimento dos garotos do final dos anos 30. O Paciência era o 16 e naquele tempo já se ouvia: "Tens aí prá troca?"»

João Távora: «A motivação dum adepto saudável é exclusivamente do foro emocional, deve-se mais a inexplicáveis paixões do que a nobres sentimentos: o que seria da competição e dos estádios de futebol sem uma distribuição mais ou menos equitativa de fortes doses de dor de cotovelo entre os rivais?»

Nós, há dez anos

Alda Telles: «Para o jogo de sábado, vamos ter de começar a introduzir na alimentação papas de sarrabulho. E não digo sopas de cavalo cansado porque os pediatras já não sabem o que isso é.»

Ana Torres Pereira: «O arranque do ano deu-nos um empate... Em dia de anivesário de Domingos Paciência, sabe efectivamente a pouco...»

Bernardo Pires de Lima: «Enquanto doente leonino, não me interessa nem nunca me interessou a qualidade do futebol do Sporting. Só me interessou e interessa ganhar. Repito: ganhar. Não sendo possível isto, só me interessa e continua a interessar uma coisa: que o Benfica não ganhe. É tão simples como isto.»

Francisco Almeida Leite: «Para quem não anda atento a estas coisas, o És a Nossa Fé - com apenas um dia e meio de existência - foi escolhido pelo benfiquista Pedro Rolo Duarte para blogue da semana.»

João Caetano Dias: «Uma das maiores falhas da gestão Godinho Lopes tem a ver com as opções de contratação de atletas com nomes impossíveis de escrever. Não cabe na cabeça de ninguém contratar um holandês chamado Rick Von Wosflrinkel.»

João Gomes de Almeida: «Ser sportinguista é um acto de convicção, uma maneira de encarar o desporto e as instituições, uma forma de agirmos e competirmos - ser Sporting não é para quem se resigna em nascer sendo já qualquer coisa.»

João Severino: «Os timorenses sportinguistas continuam a ter muito orgulho pelo edifício-sede do Sporting Clube de Timor. O imóvel foi alvo dos mais variados actos de vandalismo durante a ocupação indonésia, mas os "leões" de Timor-Leste tudo fizeram para manter o leão verde em pé.»

Leonardo Ralha: «Elias é internacional brasileiro, custou nove milhões, é um meio-campista dinâmico e polivalente, tem energia para dar e vender, parece ser correcto e afável, mas... SERÁ QUE TEM MESMO DE FALHAR TANTOS GOLOS FRENTE À BALIZA?»

Paulo Ferreira: «O Sporting é mesmo muito grande. Em todas as modalidades e escalões. Grande. Em sócios e adeptos. Colossal.»

Rui Rocha: «Fecho os olhos. Agora é no quintal da Avó Palmira, na motróple, que estou a cavalgar. Imagino-me a espreitar a capoeira, de longe. O bico das galinhas sempre me meteu muito medo. Lá estão os frangos. Franguitos. Fraguito. Sim, sim.»

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D