Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Tatuagens & penteados

nova-tatuagem-de-neymar-no-peito-29032019153205371

 

Levantou-se há dias um clamor nas redes sociais devido a uma declaração de Pep Guardiola que critica certos jogadores por andarem mais preocupados com penteados e tatuagens, dando assim a entender que prefere os outros, como Rodri, novo reforço do Manchester City. «Vai ser um jogador incrível para nós. Não tem brincos nem tatuagens e o cabelo é de um médio. Um médio defensivo deve ser assim e não pensar no resto», afirmou o treinador catalão, sem recear ser politicamente incorrecto.

Visados? Todos aqueles que abrilhantam cada treino com novo "visual", isto é, com um penteado ainda mais esquisito do que o anterior, mais uma tatuagem do que na véspera e tantos piercings que podiam abrir uma loja de ferragens. Se treinassem tanto como cuidam da maquilhagem, só poderiam beneficiar as equipas onde jogam.

Um líder

pep-guardiola[1].jpg 

 

Guardiola nem é um treinador da minha particular simpatia. Mas hoje apetece-me elogiá-lo. Pelo mais simples pormenor ocorrido na esmagadora vitória do Bayern ao FC Porto em Munique.

Ao lançar Dante aos 90', muito mais do que queimar tempo, o catalão deu face ao jogador, que tinha sido o principal responsável pela derrota germânica na primeira mão. Valeram mais aqueles quatro minutos de tempo suplementar em campo, para o defesa do Bayern, do que vinte sessões de psicoterapia.
Isto é uma atitude de quem sabe comandar homens. Guardiola é um líder. Todos os candidatos a líderes - no futebol e fora dele - deviam aprender com pormenores destes.

Guardiola, onde andas?

Ficou mais que demonstrado que Franck Ribéry nunca poderá ser considerado um sério candidato sério ao título de melhor do mundo. Se futebolisticamente continua a uma distância abrupta de Messi e Ronaldo (e de mais uns quantos), em termos de personalidade e carácter está a anos-luz de distância do que se espera de uma personalidade com essa visibilidade. Não passa de um bruta montes francês que sabe dar uns pontapés na bola.

 

Ficou também demonstrado que enquanto Guardiola continuar a ceder às pressões dos seus dirigentes e público o Bayern não vai chegar ao patamar que todos esperavam aquando da sua contratação para treinador. Enquanto jogar com Mandzukic quando a sua real intenção é jogar com Muller ou Pizarro nessa posição (por isso a contratação de Lewandowski), enquanto jogar com Schweinsteiger ou Kroos só porque são alemães (não que não tenham qualidade, mas no sistema e nas posições que Guardiola pretende deles, Martínez é muito mais útil, não falo de Thiago porque está lesionado), enquanto tiver uma dupla de centrais com Boateng e Dante (Martínez também é muito melhor central que qualquer um destes), enquanto Robben continuar a preferir ter um jogo próprio consubstanciado em puxar para dentro e rematar em arco em vez de jogar para a equipa, este Bayern não passará daquilo que tem sido até hoje: uma grande equipa, é certo, capaz de ganhar muitos jogos mas sem alcançar o deslumbre e a perfeição táctica das equipas de Guardiola. Até quando Guardiola aguentará não ser fiel às suas ideias?

 

P.s. É uma pena não poder ver Xabi Alonso a jogar na final...

Frase da Semana

 « Este título não nos foi oferecido por ninguém. Fizemos muitos pontos e isso é uma loucura. Todo o país viu e ninguém terá dúvidas de que é merecidíssimo ».
-    José Mourinho    -
« O Real Madrid é um justo vencedor mas...passaram-se muitíssimas coisas que foram escondidas pelo nosso silêncio ».
-    Pep Guardiola    -

Johan Cruyff - Pep Guardiola, as comparações

Pela despedida de Pep Guardiola do Barcelona, surge novamente o debate sobre o sucesso do seu reinado e o do lendário Johan Cruyff. Algumas das manchetes da actualidade denominam os quatro anos de Guardiola como «o melhor Barça de sempre», argumento compreensível mas discutível, mormente pelo futebol mais dinâmico e empolgante que, na opinião de muitos, as equipas do técnico holandês praticavam, pese a elevada nota artística e o domínio do mais recente Barcelona.

Guardiola orientou a equipa entre 2008 e 2012, enquanto Cruyff permaneceu exactamente o dobro das épocas, entre 1988 e 1996. O primeiro conquistou o total de 14 troféus, incluindo três campeonatos (2008-09/2009-10/2010-11), duas Taças da Liga dos Campeões (2008-09/2010-11), duas Supertaças Europeias e duas Taças do Mundial de Clubes da FIFA. Johan Cruyff gravou o seu nome em 11 troféus, quatro campeonatos consecutivos (de 1990-91 a 1993-94), uma Taça das Taças (1988-89), uma Taça dos Campeões Europeus (1991-92) e uma Supertaça Europeia. Curiosamente, Guardiola, enquanto jogador, esteve seis épocas sob o comando de Cruyff.

Os tempos são diferentes e os jogadores que constituiam as equipas também. Cruyff formou a então denominada «equipa de sonho», com Ronald Koeman, Michael Laudrup, Romário e Stoichkov. Guardiola contou com Xavi, Iniesta, Puyol e o inevitável Lionel Messi. Pep Guardiola foi muito rápido a somar títulos mas, com eles, a acrescida pressão que, pelas suas próprias palavras, é a principal causa da sua saída do clube. Dois períodos fabulosos do futebol do Barcelona. Fica para a história e para os «aficionados» decidirem qual o mais glorioso. 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D