Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

E que tal falarmos de coisas bonitas?

Sem qualquer desprimor para o passe de Solange Carvalhas que isolou Carolina Mendes, permitindo-lhe inaugurar o marcador do Sporting-Estoril com um chapéu bem calculado, percam uns segundos do vosso tempo a ler a minha tentativa de descrever a forma como Rita Fontemanha recebeu a bola na esquerda (a ausência de Joana Marchão forçou a meio-campista transformada em lateral-direita a nova adaptação), olhou para a área e só depois, mesmo junto à linha de fundo, cruzou à beira da perfeição para o cabeceamento da nossa goleadora de serviço, que bisou e sossegou espíritos inquietos por um onze desfalcado (espera-se que não por nada especialmente grave) de Ana Borges. E ainda o melhor que consigo descrever do cruzamento em arco que Tatiana Pinto executou junto à quina da área, na sequência de um canto curto, levando a bola a passar pelas jogadoras esquipadas de amarelo até encontrar o pé da central goleadora sérvia Nevena Damjanovic.

 

O jogo esteve longe de ser perfeito, mas estes lances vieram recordar como o futebol pode ser bonito. Venham mais assistências tão vistosas quanto estas.

Desvendado o mistério de Matilde

Mesmo sendo claro que Matilde Fidalgo, a lateral-direita que foi titular da equipa campeã na época passada, pretendia prosseguir a carreira fora do Sporting, não deixa de ser uma surpresa vê-la reforçar o Sporting de Braga.

 

Além de tornar mais forte o maior obstáculo que as leoas enfrentam no caminho para o tricampeonato e a ‘tritaça’, Matilde conseguiu baralhar todos quantos esperavam que ela optasse por um ano sabático numa equipa estrangeira antes de representar o Benfica em 2019-2020. Não só é prima de Bernardo Silva como uma notória adepta dos encarnados, cuja permanência em Alcochete se devia à mesma razão que leva Cardinal a representar o futsal leonino enquanto o FC Porto não se estreia na competição.

 

Nada de dramático, claro está, pois se o Sporting concentra quase todas as melhores futebolistas que jogam em Portugal é praticamente impossível que algumas não sejam adeptas de outros clubes, tal como pelo menos uma das melhores que joga fora de Portugal é sportinguista fanática. Convém apenas acautelar a duração dos contratos com as melhores e esperar que a formação garanta novos talentos com estreita ligação ao clube.

Que os títulos não se meçam aos palmos

Se todas as equipas do Sporting devem ter o apoio de sócios e adeptos leoninos, raras são as que o merecem tanto quanto a equipa feminina de futebol. Dois anos passados desde a criação, aproveitando um ‘wild card’ da Federação, as jogadoras ‘limitaram-se’ a conquistar dois campeonatos, duas taças e uma supertaça. Nunca perderam contra equipas portuguesas e caso mantenham tão bonita tradição neste domingo juntarão uma segunda supertaça à sala dos troféus.

 

É sempre um gosto assistir às arrancadas e cruzamentos de Ana Borges, ao faro para o golo de Diana Silva, às enormes defesas de Patrícia Morais e Inês Pereira (juntar as duas melhores guarda-redes portuguesas é um luxo) ou ao perfeito entendimento entre as Pinto (Fátima e Tatiana) do meio-campo, complementado pela norte-americana Sharon Wojcik. Isto sem esquecer a segurança de Rita Fontemanha, Carole Costa e Joana Marchão, a experiência de Patrícia Gouveia e Solange Carvalhas e o potencial das muitas jovens que evoluem nos escalões de formação. E, ‘last but not the least’, a avançada Ana Capeta, habitual arma secreta que gela o sangue das adversárias e dos seus adeptos desde o instante que se levanta do banco para dar início ao aquecimento.

 

Até hoje bastou para suplantar as ‘guerreiras’ do Sporting de Braga. E os primeiros indícios apontavam para que nesta temporada fosse mais fácil, na medida em que a recém-criada equipa feminina do Benfica foi buscar reforços ao Minho, de onde também saiu, mas para emigrar, a talentosa Andreia Norton. Só que António Salvador não se deu por vencido e quis provar que os títulos se podem medir aos palmos. E recrutou para o meio-campo e para o ataque três norte-americanas com mais de 180 centímetros, uma avançada nigeriana e uma avançada camaronesa de 1,72 metros e uma defesa canadiana três centímetros mais alta. Juntam-se à defesa brasileira Jana e às portuguesas Diana Gomes e Vanessa Marques, todas acima dos 1,70 metros.

 

Do lado do Sporting, que reúne quase todas as melhores futebolistas portuguesas que jogam em Portugal, apenas a guarda-redes Patrícia Morais e quatro jogadoras de campo (as centrais Carole Costa e Nevena Damjanovic, e as avançadas Carolina Mendes e Ana Capeta) atingem ou ultrapassam (por pouco) essa fasquia. Nevena e Carolina são os dois reforços desta temporada, que voltou a começar com o falhanço na qualificação para a fase seguinte da Liga dos Campeões, mas as leoas continuam a entregar a zona defensiva do meio-campo à norte-americana Carlyn Baldwin, uma jovem esforçada na tentativa de superar as evidentes limitações técnicas e físicas de quem aparece nas estatísticas oficiais com apenas 1,59 metros. 

 

Se a vantagem no futebol jogado com a bola na relva deverá manter-se, dificilmente poderão as leoas impedir a superioridade aérea das rivais que encontram hoje em Viseu,  tendo que ultrapassar essa desvantagem para saírem do Estádio do Fontelo com mais uma supertaça. Acredito que a equipa voltará a dar alegrias aos sportinguistas, mas para que seja possível disputar a Liga dos Campeões e antecipar o embate com o Benfica - e a sua armada de jogadoras brasileiras - na próxima época, conviria chamar mais algumas das melhores portuguesas que estão em equipas estrangeiras (Cláudia Neto, titular absoluta da Selecção, até é sportinguista...) e reforçar posições-chave (meio-campo defensivo e ponta de lança) com talentos internacionais que aliem qualidade técnica à eficácia nas bolas paradas natural em quem mais longe desenrola a fita métrica.

 

Espero que os novos dirigentes do Sporting, a quem desejo a primeira conquista do mandato já nesta tarde, tenham em conta que um pequeno investimento é necessário para manter uma hegemonia que enche os adeptos de alegria e é um excelente exemplo para as adeptas mais jovens do clube.

Futebol Feminino

Com estas preocupações que se abateram sobre o futebol profissional e a sua principal equipa sénior, por vezes esquecemo-nos das nossas meninas e do grande brilharete que nestes últimos anos trouxeram ao nosso clube. Para aqueles que andam mais distraídos, com estes acontecimentos que nos têm feito pensar, escrever alguns textos, comentar algumas candidaturas, ver quem assina ou quem muda de ares, lembro aqui que a nossa equipa feminina já trabalha... e no duro, pois Nuno Cristóvão não facilita, pois só com muito trabalho, dedicação, profissionalismo e sobretudo ser bom naquilo que se faz é que se conseguem os êxitos e as vitórias.

Vêm estas palavras a propósito do primeiro encontro para a Liga dos Campeões Europeus que vai realizar-se a 7 de agosto em Osijek, na Croácia, e das condições que poderão estar a ser dadas para a devida preparação da equipa para esse primeiro embate na elite do futebol feminino europeu. Sei que nesta altura da época é muito díficil encontrar equipas para defrontar, para ganhar ritmo competitivo, mas também tenho a certeza que o Nuno Cristóvão saberá dar a volta à situação, esperando e desejando que o departamento de futebol feminino e as gestoras das equipas femininas estejam à altura - como sempre estiveram - para continuar a dar todo o apoio à equipa técnica, na certeza que só na união e a solidariedade entre todos/as poderá conduzir aos êxitos que todos esperamos.

O clube do meu coração

Esta costuma ser a resposta corriqueira de muitos jogadores quando assinam por determinado clube. Não sentida, lá do fundo, mas oportuna...

Não é o caso de Carolina Mendes, que recentemente assinou pelo Sporting Clube de Portugal, juntando-se assim às bicampeãs nacionais. Em tempos assumiu claramente o Sporting como o seu clube. E hoje é nossa jogadora.

Eu próprio já o referi aqui há quase um ano:

https://sporting.blogs.sapo.pt/portugal-futebol-feminino-e-sporting-3374003

Que bom ser sexta feira e ter conseguido escrever sobre algo que não tem a ver com a "primavera quente" que o nosso clube atravessa...

Bem vinda Carolina Mendes!

carolina_mendes_sporting (2)

 

 

 

Parabéns, Nuno Cristóvão

Há treinadores que às vezes passam pelos pingos da chuva e pouco se ouve falar deles. Não posso deixar de felicitar um ótimo treinador, que foi campeão dois anos consecutivos ao serviço do Sporting - Nuno Cristóvão. Foi ele o estratega da formação de toda uma equipa feminina, que já foi campeã dois anos seguidos, finalista vencedor de uma Taça de Portugal e que hoje, com a serenidade habitual de um grande treinador, colocou o nosso Sporting como vencedor incontestável do campeonato nacional. Parabéns, Nuno Cristóvão.

Hoje giro eu - Mais um!

Sporting sagra-se bicampeão nacional de futebol feminino, após vitória por 4-1 sobre o Valadares Gaia.

 

Essencial a substituição operada por Nuno Cristovão aos 30 minutos (perdíamos 0-1) e o já habitual efeito Capeta que se gerou.

 

Parabéns a todo o "staff" técnico, às jogadoras e à aposta feita por esta Direcção.

 

Mais um título para o Sporting Clube de Portugal!!!

Ser feliz em Coimbra

Fui feliz em Coimbra há umas décadas quando lá estudei, e hoje voltei a sê-lo. Afinal pode-se e deve-se voltar onde já se foi feliz. Graças a um conjunto de leoas que nunca desistem de lutar e não entregam o ouro ao bandido. Numa jornada singular, votada ao desprezo pela Federação. Cabe aqui e desde já, uma breve referência à distribuição dos bilhetes, cabendo ao Sporting a pior localização nas bancadas que estiveram sempre expostas a um calor tórrido, quando 80% do estádio estava vazio, incluindo muitos setores à sombra. E a relação era de 75% de apoiantes do Sporting e 25% do Braga. Conclusão: as magníficas bancadas centrais que estiveram sempre à sombra estavam orgulhosamente quase despidas de público. Fosse outro o clube a marcar presença... Depois da participação de Portugal, como estreante, num Europeu, a par do investimento do Sporting em todas as camadas do futebol feminino, não seria altura de alguém das muitas dezenas de inscritos na folha de salários da Federação, olhar seriamente para o futebol feminino? Valeu a RTP, desta vez sem cortes ou concertos paralelos e o entusiasmo dos cerca de 4.000 sportinguistas (nota negativa para a ausência das claques do clube. Inexplicável). Atente-se desde logo na hora e no dia escolhidos. Domingo, 15 horas. Mais de 30 graus. Para ser diferente e melhor bastava que tivesse sido no dia anterior ao final da tarde! Todas as jogadoras foram verdadeiras heroínas e inexcedíveis no empenho em proporcionar um espetáculo digno. Todas elas de parabéns. Depois, as nossas. É um gosto ver as nossas leoas a lutar até ao fim. Mesmo quando o desânimo e a descrença ameaçavam instalar-se nas bancadas, ei-las a superarem-se, a jogar como habitualmente e a ganhar como sempre. A cereja que faltava para uma época deslumbrante: a Supertaça. Coimbra foi uma lição de sonho e tradição. Não destaco nomes, nem no relvado nem no banco. Foram todas feitas de Sporting. E é delas que o Sporting é feito: esforço, dedicação, devoção, glória.

IMG_0077

IMG_0085

PS1- uma palavra para os bravos do Andebol, que segui em simultâneo pela emissão televisiva via Twitter. Foram espetaculares. Temos equipa na Champions. 

PS2- o Museu do Sporting ficou mais bonito este fim de semana, com estes dois troféus: as Supertaças de futsal seniores masculinos (soube muito bem, especialmente por ter sido ganha a quem foi...) e a de futebol seniores femininos. A crescer!

 

Hoje giro eu - O efeito Capeta

Pela terceira vez consecutiva, e quando tudo parecia perdido, a equipa de futebol feminino do Sporting logrou marcar um golo nos derradeiros momentos do tempo regulamentar.

Depois do penalti ganho por Ana Borges, e convertido por Solange Carvalhas, que valeu o título de campeãs nacionais no jogo da segunda volta disputado em Alvalade e do remate decisivo de Diana Silva que levou a final da Taça de Portugal para o prolongamento onde Ana Capeta mataria o jogo, hoje a alentejana realizou um "hat-trick", o primeiro da sua conta marcado em cima do fim do jogo.

O Sporting venceu assim a Supertaça de futebol feminino e, mais do que tudo, mostrou uma raça e uma inabalável na vitória até ao último minuto, características que deixam os sportinguistas orgulhosos desta equipa. 

"Efeito Capeta", diria o treinador das leoas, Nuno Cristovão, durante a "flash-interview", dando o devido relevo à entrada da ponta-de-lança que esteve em dúvida de poder ser utilizada até quase ao início do jogo.

Com esta vitória, finalizou um fim-de-semana de glória para a maior potência desportiva nacional: No futsal, triunfo suado na Supertaça sobre o rival Benfica; no andebol, apuramento, por um golo e após prolongamento, para a Champions League; no futebol feminino, o triplete (Campeonato, Taça, Supertaça).

A todos os/as atletas que contribuiram para estes êxitos, muitos, muitos Parabéns e a certeza de que a glória, até pela dureza das vitórias, assentou na transposição para dentro dos recintos de jogo do lema leonino: esforço, dedicação e devoção. E "capeta", muita "capeta"!

 

ana capeta 2.jpg

 

 

In destino Delgado, uma questão de género

Todos nós temos o destino traçado na palma da mão, excepto Corto Maltese que o traçou ele próprio, com uma navalha.

Uns nascem com talento para escrever e trabalham-no, outros herdam-no, outros nem uma coisa nem outra mas inventam, inventam muito.

Continuo a ler jornais em papel.

Eu sei, estou a dar cabo da minha saúde.

Podia colocar um desafio aos leitores deste "blog", escrever um pequeno texto onde a propósito do resultado histórico de ontem, o triunfo de Portugal sobre a Escócia por 2-1 em futebol feminino, conseguissem:

1. Referir o nome do treinador de futebol masculino do Benfica.

2. Referir o Benfica.

3. Referir o FC Porto.

4. Não referir o campeão nacional de futebol feminino.

5. Não referir o vencedor da taça de Portugal de futebol feminino.

6. Não referir o clube que mais jogadoras "dá" para a selecção.

7. Não referir o nome da melhor jogadora em campo.

Estão desanimados?

É impossível, dir-me-ão.

Não é.

José Manuel Delgado num texto com 110 palavras (contando com os "a" os "as" os "se" e assim) conseguiu-o (p. 37 d' A Bola de 2017.07.24).

Enfim, as atitudes ficam para quem as toma.

Na pág. 4 do jornal referido, Filipa Reis, escreve a crónica do jogo considerando a sportinguista Diana Silva a melhor em campo, nota oito.

As outras atletas com contrato com o Sporting, tiveram as seguintes notas:

Patrícia Morais - sete

Ana Borges - sete

Carole Costa - seis

Tatiana Pinto - sete

Ana Leite - sete

Irrelevante para JM Delgado, uma questão de género, género lampião, cotevelite.

Felicidades para todas as jogadoras da nossa selecção de futebol feminino que continuem a fazer-nos sonhar.

 

Portugal, futebol feminino e Sporting

Aí está, a 1ª vitória de Portugal na 1ª participação num europeu de futebol feminino. A determinação e o empenho das nossas jogadoras são dignas de realce. E oito delas são do Sporting Clube de Portugal: Patrícia Morais, Matilde Fidalgo, Carole Costa, Tatiana Pinto, Fátima Pinto, Ana Borges, Ana Leite e Diana Silva.

Como curiosidade, ambos os golos de Portugal contra a Escócia têm a marca Sporting. O que dá a vitória é de Ana Leite, e o 1° é de Carolina Mendes que, em recente entrevista ao jornal A Bola,  à pergunta se tinha alguma equipa do coração, respondeu assim:

- O Sporting Clube de Portugal.

Pronto, e era só isto.

IMG_0208

 

Futebol feminino: a cereja que faltava

IMG_0187

 E a Taça Nacional de Juniores em Futebol Feminino também vai para o Museu do Sporting. A vitória foi alcançada frente ao Vilaverdense por 2-1, já no prolongamento. É a cereja no topo duma época fantástica do nosso futebol feminino, em que no ano do regresso apenas venceram tudo o que havia para ganhar em todos os escalões. Estas atletas são um motivo de grande orgulho para os Sportinguistas, não só pelas vitórias e títulos alcançados mas pela garra com que sempre se empenharam. Parabéns leoas.

 

Os Juvenis de hoje são os Juniores de amanhã

Já começa a ser um hábito. E saudável. Chega sábado, chegam mais títulos. E hoje foi um sábado juvenil.

Futsal: Sporting pentacampeão nacional de Juvenis (hoje, 5-2 ao slb);

Andebol: Sporting campeão nacional de Juvenis (hoje, 30-26 ao abc);

Futebol: Sporting vence taça nacional em Juvenis Femininos (hoje, 4-0 ao Viseu e 5-1 ao Albergaria).

Já agora, sempre podemos acrescentar que também nos Juvenis masculinos falta pouco para se sagrarem campeões. Quando restam 2 jogos por disputar, o Sporting tem 4 pontos de vantagem. Apesar das arbitragens inacreditáveis. Hoje o Sporting ganhou ao Porto 3-2, com ambos os golos portistas de penalti. E mais um jogador expulso (por acaso um que nada teve a ver com o lance). Já no jogo anterior o melhor jogador do Sporting, em lance banal, levou vermelho. E 3, 3 jogos de suspensão. Exatamente o que faltava disputar. Uma vergonha *.

É caso para dizer que os Juvenis de hoje são os Juniores de amanhã!

IMG_0141

 * para se perceber melhor: http://oartistadodia.blogspot.pt/2017/06/criterio-disciplinar-incompreensivel.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=facebook

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D