Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Está no Governo a fazer o quê?

joao-paulo-rebelo.jpg

Passaram quatro dias. Ainda não se ouviu um sussurro do responsável governamental. Refiro-me ao secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, que se encontrava ao lado esquerdo de Frederico Varandas, na tribuna do Estádio Nacional, quando o treinador do FC Porto, num inadmissível gesto de lesa-desportivismo, se recusou a cumprimentar o presidente do Conselho Directivo do Sporting. Um acto totalmente condenável não apenas do ponto de vista da ética desportiva mas também do mais elementar civismo. Além de constituir um péssimo exemplo para todos os jovens que se interessam por desporto. Até porque o técnico em causa, naquele momento, não estava ali a título pessoal: representava esse respeitável clube desportivo que é o Futebol Clube do Porto.

Passaram quatro dias e nem um sussurro se ouviu da parte do referido governante, que foi testemunha directa do sucedido mas preferiu imitar o gesto de Pilatos, fazendo de conta que não era nada com ele. Perdendo assim uma ocasião única de fazer pedagogia desportiva e de incutir valores cívicos na juventude que ornamenta o seu cargo governativo. Se é incapaz de tomar uma atitude num momento destes, impõe-se a pergunta: afinal este senhor está no Governo a fazer o quê?

 

P. S. - Ao lado direito de Varandas encontrava-se o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Tudo quanto escrevi acima sobre o seu secretário de Estado, até por maioria de razão, aplica-se também a ele.

Oh captain, my captain...

Taça.jpg

Sinto enorme orgulho em ser do Sporting. Todos sabemos o sofrimento por que passámos há um ano, não adianta continuar a chover no molhado. Hoje ganhámos com sangue, suor e lágrimas, lutando até final, com uma raça digna de verdadeiros leões, perante um adversário de grande categoria, com um plantel bem superior ao nosso, dispondo de mais soluções.

Considero um privilégio ter visto Bruno Fernandes vestindo a verde e branca, envergando a braçadeira de capitão, erguer a taça, um dos melhores jogadores de sempre na história do clube, um atleta de classe mundial, que liderou a equipa em campo, ao longo da época inventou golos que decidiram jogos.

Na minha qualidade de sócio com 42 anos de filiação no clube, quero agradecer a Sousa Cintra e restantes membros da Comissão de Gestão, pela estabilidade que devolveram ao clube após o período de desvario directivo. Não concordo com todas as decisões que tomaram, mas certamente fizeram o possível atendendo às circunstâncias. Obrigado ao presidente Frederico Varandas e restantes membros dos actuais órgãos sociais. Não foi fácil aturarem a suspeição, o insulto, as sucessivas delirantes teorias conspirativas, levantadas quase diariamente por um grupo de órfãos ou viúvas, adepto do rufia que em boa hora destituímos. A cada vitória das nossas cores a azia dos tristes aumenta, cada golo que sofremos lá estão esses tristes apontando o dedo. Para esses um conselho, aproveitem a pré-época para decidirem se querem ou não continuar sportinguistas, ou arranjem uma vida. O vosso guru é que não volta mais, não o queremos no clube.

Obrigado Marcel Keizer e todo o plantel, a vitória é vossa, entraram na galeria dos vencedores na história do nosso clube. Muitos de vós foram assobiados por energúmenos que duvidaram do vosso profissionalismo. Contra ventos e marés, venceram. E vamos continuar a vencer, porque o Sporting Clube de Portugal voltou ao bom caminho.

Aplauso, de pé

Cuscando o "Tu Vais Vencer" e relevando esta intervenção do presidente Frederico Varandas.

Claro que espero pelo defeso para o ver tomar posição firme sobre o assunto arbitragem e espero que a sua exigência, ou mero pedido tomem como quiserem, para a final da Taça de Portugal seja atendida. De valor era terem os tomates do orelhas e colocarem um árbitro, inglês por exemplo, a apitar esse jogo, mas não me parece que os tenham desse tamanho.

Aliás, o presidente disse o que disse ontem e já hoje um padre, no Futsal, tratou de fazer o resultado.

Respondam-me, são ou não uma cambada?

Quatro títulos europeus em seis meses *

9 de Setembro de 2018:

Frederico Varandas toma posse como presidente do Sporting

 

7 de Dezembro de 2018:

Sporting sagra-se campeão europeu de judo

 

3 de Fevereiro de 2019:

Sporting sagra-se campeão europeu de corta-mato feminino

 

28 de Abril de 2019:

Sporting sagra-se campeão europeu de futsal

 

12 de Maio de 2019:

Sporting sagra-se campeão europeu de hóquei em patins.

 

 

* Mais dois títulos europeus no desporto adaptado, como bem lembram alguns leitores.

No reino do Belzebu (parte 2 de ? )

belzebu.jpg

 

Dizia eu em 29/04/2019:

"Há muito que a Igreja Universal do Reino do Bruno nos tinha avisado, o Belzebu entrou no clube para fazer dele um nojo de mansos e croquetes, e vendê-lo ao pataco aos demónios ricos deste mundo, os J.Mendes, Sobrinhos e que tais, destruindo a herança do melhor presidente de todos os tempos, rei do Facebook e guerreiro sem medo (se não vai, é porque não pode).

Mas enquanto isso não acontece vamos pelo menos festejando um título europeu e apreciando uma festa na Câmara Municipal de Lisboa com toda a gente a festejar, no palácio e na praça, e sem um treinador triste, marginalizado e à beira do despedimento.

Sendo assim, siga o Belzebu. "

 

Só me resta então corrigir o PS que utilizei. Fica então (por enquanto) assim:

"PS: Com um grande agradecimento aos três treinadores referidos, Paulo Freitas, Nuno Dias e Marco Silva."

SL

Já igualou

Em menos de oito meses de presidência, Frederico Varandas já conseguiu igualar os resultados desportivos de três anos da anterior gerência, que fez o maior investimento de sempre no futebol profissional do Sporting. Sem Rui Patrício, William Carvalho, Gelson Martins, Piccini, Rafael Leão, Podence, Fábio Coentrão. Com Battaglia lesionado durante quase toda a época desportiva. Com Bas Dost e Matthieu intermitentes.

Igualou, mas pode superá-la. Se conquistarmos a Taça de Portugal no Jamor e ganharmos acesso, por via disso, à disputa da próxima Supertaça. 

Fazer mais e melhor com menos. É um excelente lema, uma meritória declaração de princípios, uma louvável linha de rumo. O caminho faz-se caminhando.

Órfãos, viúvas e agora pândegos...

Alguns ressabiados com o bom momento que o Sporting atravessa colocaram ontem a circular nas redes sociais mais delírios conspirativos, desta vez a teoria que a direcção do Sporting evitou a saída pelo aeroporto da Portela, preferindo o Figo Maduro para fugir aos sócios. Estas patéticas almas nem se dão conta do ridículo a que se expõem, uma vez que a comitiva foi à praça do município para ser recebida oficialmente na C.M.L. e depois o pavilhão João Rocha foi aberto aos sócios que quiseram receber os jogadores, o que deita por terra qualquer tese destes saudosos do defunto aspirante a Napoleão do Sporting Clube de Portugal, que em boa hora os sócios resolveram destituir. 

Oa acólitos da seita da igreja universal do reino do Bruno tiveram muito espaço e tempo para mostrar cartazes, mas cada vez menos sportinguistas lhes passam cartão, porque a agenda está gasta e não será pelo cansaço que nos vencem. Por duas vezes a esmagadora maioria dos sócios se pronunciou e muito provavelmente não haverá duas sem três. No passado sábado o estádio voltou a encher, ontem assistimos a um banho de multidão na recepção à equipa de futsal, estamos no bom caminho.

Metam uma coisa na cabeça, se querem continuar ou não a ser sócios e apoiar o clube, ou preferem continuar a carpir mágoas pelos cantos, é convosco, mas fiquem com a certeza que os sócios não querem regressar a um triste passado que nos envergonhou e enxovalhou, por isso podem ter a certeza, o nosso presidente chama-se Frederico Varandas e no dia em que deixar de o ser, alguém lhe sucederá no cargo, mas não será o vosso líder espiritual, porque tal profeta só traz desgraça, o clube pertence aos sócios e a esmagadora maioria quer ver tal figurão bem longe...

No reino do Belzebu

belzebu.jpg

 

Há muito que a Igreja Universal do Reino do Bruno nos tinha avisado, o Belzebu entrou no clube para fazer dele um nojo de mansos e croquetes, e vendê-lo ao pataco aos demónios ricos deste mundo, os J.Mendes, Sobrinhos e que tais, destruindo a herança do melhor presidente de todos os tempos, rei do Facebook e guerreiro sem medo (se não vai, é porque não pode).

Mas enquanto isso não acontece vamos pelo menos festejando um título europeu e apreciando uma festa na Câmara Municipal de Lisboa com toda a gente a festejar, no palácio e na praça, e sem um treinador triste, marginalizado e à beira do despedimento.

Sendo assim, siga o Belzebu. 

 

PS: Com um grande agradecimento aos dois treinadores referidos, Nuno Dias e Marco Silva.

 

SL

Futebol, presente e futuro próximo...

Não há muito tempo, fui crítico de Marcel Keizer, mas com esta série de vitórias, incluindo a passagem à final da taça de Portugal, o holandês merece o meu respeito e principalmente o direito de iniciar a próxima época, assumindo responsabilidade na planificação da pré-época e escolha do plantel, pormenores de grande importância. Não vale a pena estar sempre a recordar, pese embora nunca possamos esquecer, as atribulações com que iniciámos a presente temporada, que muito condicionaram a prestação da equipa quando o calendário apertou entre Outubro e Janeiro.

Qualquer plantel equilibrado precisa no mínimo dois jogadores para cada lugar, o Sporting até para colocar um onze equilibrado em campo apresenta lacunas, por exemplo, quando Mathieu esteve lesionado, o cenário piorou, sucederam-se os maus resultados.

Ao contrário de épocas anteriores, o mercado de Inverno foi bastante positivo, com as entradas de Borja, Doumbia, Ilori e Luiz Phellype, todos eles já utilizados em vários jogos, o que transmite confiança na competência da actual direcção do clube, mas a prova definitiva será o mercado de Verão, desde logo a forma como poderão lidar com potenciais ofertas por Bruno Fernandes, Bas Dost ou Marcos Acuña, a par da política de contratações. Frederico Varandas chamou a si a gestão do futebol, ficará obviamente associado ao resultado que vier a ser alcançado, não existindo para a próxima época qualquer desculpa quanto à não planificação da mesma.

Uma palavra sobre a formação, historicamente o Sporting é um clube formador, mas nos últimos anos a qualidade dos jogadores promovidos à equipa sénior está longe de épocas passadas, salvo algumas honrosas excepções, como Gelson Martins, o último grande talento da academia a alcançar rapidamente estatuto de titular indiscutível e internacional A. Outros tardam em conseguir impor a sua qualidade no Sporting ou mesmo nos clubes onde são colocados por empréstimo. Estranhamente alguns dos melhores como Tiago Djaló ou Demiral, foram desperdiçados, saindo por valor irrisório, situação que de futuro não pode voltar a ocorrer. Os atletas não são todos iguais, há quem faça a transição mais rapidamente que outros, sendo por isso fundamental uma política de acompanhamento aos nossos jovens, com especial cuidado na colocação por empréstimo e até mesmo quando os dispensamos, incluindo sempre que possível clausulas de recompra, algo que hoje em dia muitos clubes praticam, incluindo os nossos rivais.

O Sporting Clube de Portugal é um grande clube, com imensa massa adepta e milhares de sócios, não precisa inventar, mas praticar uma boa gestão, rigorosa, profissional, os resultados alcançados serão sempre um reflexo do trabalho e competência.

A importância de falar claro

varandas_sporting-649x365.jpg

 

Frederico Varandas falou claro e foi direito ao essencial, reagindo às inadmissíveis agressões - verbais e físicas - de que foi alvo a comitiva leonina no túnel do estádio do Bessa e no pavilhão do FC Porto.

 

Eis um breve apanhado de notícias divulgadas, há poucas horas, na imprensa desportiva em linha - todas citando o presidente do Sporting em discurso directo:

 

Record

«No episódio do Bessa, tivemos um elemento do Conselho Diretivo agredido, por trás, com murros na nuca, e há 48 horas tivemos uma agressão miserável a uma senhora, esmurrada na face. Em ambos os casos existe a particularidade de serem precisos vários cobardes para o fazerem.»

 

A Bola

«São episódios que repudiamos e que queremos que não se repitam. Foram casos cobardes e, para os fazer, é preciso uma matilha de cobardes. O que aconteceu não pode ser esquecido, ignorado e tolerado. Gente desta tem de ser banida dos recintos desportivos. As federações, as Ligas, os Conselhos de Disciplina, a Secretaria de Estado… não podem fingir que isto não aconteceu.»

 

O Jogo

«O Estado tem de legislar e é corresponsável por criar condições para que isto não se volte a repetir. A gravidade do que aconteceu exige uma resposta ao mais alto nível institucional e vamos pedir, com urgência, uma audiência ao Governo, uma reunião com todos os presidentes das associações e ligas que o Sporting disputa e propondo a criação de um conselho estratégico para a segurança no desporto.»

 

Já agora, impõe-se a pergunta: em Outubro de 2018, o Governo anunciou a criação de uma Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto, presidida desde o início de Novembro por um oficial da PSP

O que terá feito até agora o referido organismo? Tanto quanto me apercebi, não fez rigorosamente nada.

Até para a época que vem

img_293x165$2019_03_09_22_33_11_1515487.jpg

(Filme)

Um bloguista nunca deve jogar lesionado. Mas ainda assim aceitei ser infiltrado (um problema no músculo da decência) para  o Bessa. Em má hora o decidi, voltei com uma dupla fractura exposta, no ânimo e na paciência.

O osso da paciência quebrou-se-me no patético penalti que o árbitro inventou. O lance é uma vergonha, mas os comentários a aludirem a um "penalti" similar ou ainda pior a beneficiar outros, num qualquer jogo de 1937, 1981, no Burkina Faso ou no Azerbaijão, são, pura e simplesmente, um asco. Que os hinchas argentinos ainda hoje louvem a mão de deus maradoniana ou os lampiões garantam a legitimidade da mão de Vata, vá que não vá, são quem são, e as aldrabices proporcionaram-lhes históricos triunfos. Agora um arrastado 4º classificado a ganhar a um aflito, no rame-rame de uma paupérrima época, com uma aldrabice destas? Ainda maior e mais dolorosa a fractura na paciência.

O ânimo? O Bessa é um campo sempre difícil, o Boavista - mesmo quando tinha bons jogadores - tem "cultura", uma tradição de jogo raçudo, às vezes (não agora) até violento. Compreende-se que quando lá o fio de jogo não seja tão articulado e até rendilhado como alhures. Mas o Sporting, que nem jogou "mal", não mostra nada, nem plano nem projecto. Repelões e duas ou três individualidades - os centrais quais médios ofensivos a tentarem fazer algo, e ainda por cima isso é, por vistoso, louvado, quando é óbvio ser uma demonstração do vácuo da equipa. O treinador - que está ali para preparar o futuro, diz-se - mais uma vez não esgota as substituições (levou dois centrais, repararam?), a dar um verdadeiro sinal aos suplentes que são dispensáveis. A estes suplentes e aos restantes futebolistas dos vários escalões do clube. Não tenho ânimo para continuar a assistir a esta keizerada. O homem ficará até ao fim da época e começará a próxima, o iluminado dr. Varandas já o decidiu. Lá para o Natal falar-se-á se foi ou não acertado.

Quando ao músculo da decência? Ruptura de ligamentos. Que fique explícito, a insinuação é a arma dos vis.

Enfim, dupla fractura e uma ruptura. Isto não está fácil. Voltarei na próxima época. Se houver lugar no plantel. Até então. Saudações leoninas.

 

 

De regresso para analisar o nosso futuro.

1

Há quase um ano que nada escrevo por aqui. Ao que parece foi no dia 6 de Abril do ano passado. Posso justificar-me com as alterações na vida profissional, na vida pessoal ou até mesmo com o afastamento que diversas situações que ocorreram no nosso clube causaram na vontade de me manifestar.

Hoje, talvez compelido pelo facto de o nosso grupo se ir reunir, sinto que devo deixar aqui umas palavras.

 

2

Nunca deixei de apoiar e ir sempre que posso a Alvalade, mas a verdade é que as informações que fui recebendo sobre acções da anterior direção, acções de Cintra e da comissão de gestão e agora sobre a atual direção me fizeram perceber por que motivo continuamos tão atrás dos nossos rivais.

Não escondo que votei Frederico Varandas. Não por o achar mais capaz, pois já por várias vezes tive oportunidade de dizer que o acho fraco, mas por confiar em elementos da sua equipa e no seu trabalho.

Não vou aqui falar sobre os negócios ruinosos que Cintra fez ou sobre algumas das já sabidas falcatruas de Bruno (atenção que há mais para vir a descobrir nos próximos tempos). Vou-me focar em quem está em funções e no que pode ser melhorado.

 

3

Para começar, parece-me inadmissível que, mesmo trabalhando com a maior empresa de comunicação nacional, a nossa comunicação seja no geral fraca.

Em segundo lugar, em nada ajuda ter o fundador dessa mesma empresa - mesmo que já não exerça vai estar sempre ligado a ela - a mandar bitaites online, ajudando a que posições suas sejam confundidas com posições do clube, mesmo que já tenha sido defendido por elementos do clube que nada têm a ver com o que é dito e que se trata da simples opinião de um adepto como outro qualquer.

 

4

Em terceiro lugar, a postura de "a direção e o treinador têm desculpa este ano, quaisquer que sejam os resultados, porque no início da época nem sabíamos se tínhamos equipa para a manutenção ou sétimo lugar", é manifestamente pouco ambiciosa para um clube que se quer vencedor.

Em quarto lugar, surpreende-me que digam que este treinador, mesmo entrando a meio da época, era uma aposta já para esta época, mesmo que isso lhe tire margem para preparar a próxima, mas que já seja visto por algumas pessoas como um erro de casting e tenha estado inclusive perto de sair, não tivesse a equipa apresentado uma agradável surpresa, tanto na exibição como no resultado frente ao Braga.

 

5

Percebo que em seis meses não se vira uma ruína numa mansão, mas a margem para dar tiros nos pés está cada vez menor em Alvalade. Precisamos urgentemente de dinheiro e por isso acredito que, mesmo tendo aliviado - e bem - a pauta salarial, dificilmente conseguiremos manter os nossos dois melhores jogadores. 

Mathieu é claramente acima da média, apesar de revelar alguns problemas físicos, mas já não vai para novo, tem um vencimento considerável e tem mercado.

Bruno Fernandes é de outro planeta. Não é formado em Alcochete mas dá lições de sportinguismo e profissionalismo. Um craque da cabeça aos pés, dentro e fora de campo. Se não for a melhor venda da nossa história, algo de muito errado se passa.

 

6

Espero que a próxima época esteja a ser já muito bem preparada e que levem em conta estas receitas e poupanças, bem como a de Acuña, jogador que para mim continua a fazer mais sentido na ala esquerda do que a lateral.

Sei que querem uma equipa made in Academia, por isso não era mau reinvestir na academia, já largamente ultrapassada pelo Seixal, bastando olhar para os juniores e sub-23 para perceber isso.

 

7

Temos de começar a dar minutos ao Max ou colocá-lo a rodar numa equipa mais competitiva para um dia assumir as redes. Renan não é mau mas Salin está longe de me convencer, sendo necessário alguém que nos assegure que a baliza fica bem entregue

Espero que olhem para as laterais e percebam bem onde têm de se reforçar. Borja é bom, Ristovski é um bom suplente, mas Jefferson e Bruno Gaspar são do pior que já vi com a verde e branca. Thierry e Abdu Conté têm potencial, mas tal como Max precisam de minutos a um ritmo competitivo mais elevado se um dia quiserem ser donos do lugar no onze.

 

8

No centro da defesa, sem Mathieu, temos um problema. Gosto muito de Coates, um verdadeiro líder, tal como Bruno, mas basta não ter um parceiro da qualidade de Mathieu para se notarem algumas das suas debilidades. André Pinto parece-me manifestamente pouco e Ilori, sendo rápido e alto, é uma boa opção, apenas tem de deixar de inventar na saída de jogo.

Mas fica a faltar pelo menos um. Não gosto de fazer sugestão de reforços porque os jogadores às vezes enganam. Por exemplo Borja, que achei que poderia ter problemas de adaptação ao ritmo e posicionamento, tem sido uma bela surpresa enquanto Gudelj continua a ser uma decepção.

 

9

Para o meio-campo há o homem dos livros. Geraldes entra sempre cheio de vontade, só tem de aprender a posicionar-se defensivamente. Por outro lado, há um mini-Adrien e um mini-Moutinho em potência, estou a falar, claro, de Miguel Luís e Daniel Bragança.

Há ainda um jogador que sempre gostei de ver jogar, Bruno Paz. Além de Wendel, Doumbia e o emprestado Palhinha.

Não incluí Gudelj, não por ser mau jogador - acho que, se quisesse, pelo seu físico e posicionamento, varria um meio-campo - mas pelo seu valor excessivo de opção de compra e pela atitude demonstrada em campo. Ficando ainda a faltar o útil mas limitado Battaglia e Petrovic que, na minha opinião, pode seguir viagem.

 

10

Nas alas, havendo Acuña é menos um problema; não havendo, é preciso encontrar alguém. Ficam Raphinha, Diaby, Jovane.

Raphinha tem potencial, mas precisa de ter cabeça para ser constante, sem as oscilações de forma que já apresentou. Diaby é limitado mas voluntarioso: parece-me pouco para quem quer ser vencedor. De Jovane diria o mesmo que de Raphinha, apesar de achar o brasileiro mais jogador.

Pode regressar Matheus, ainda com muito a provar, depois dos problemas ocorridos no início da época. O potencial está lá, mas a cabeça tem de ser outra. Havendo ainda dois extremos da formação com potencial por comprovar: estou a falar do Elves Baldé e do Diogo Brás.

 

11

Para a frente de ataque, há Dost que, já dizia Jesus, não pode jogar sempre e faltam opções.

Luiz Phellype foi um erro de casting, já não há Montero e, neste momento, faltam na Academia jogadores que tenham capacidade para fazer essa posição.

 

12

Esta é a minha visão do que pode ser feito. Gostava de saber as das outras pessoas, por isso venham daí as vossas opiniões.

O rumo certo

Tendo visto a conferência de imprensa da Direcção do Sporting Clube de Portugal e o que se disse dela, parece-me que a mensagem essencial ficou um pouco diluída no que foi a defesa do clube face àqueles que foram responsáveis por um colossal rombo financeiro e desportivo e que continuam a ser responsáveis pelo clima de guerrilha aos órgãos eleitos e à estrutura de futebol profissional do clube. 

E a mensagem essencial de Varandas é que com esta Direcção o Sporting tem um rumo bem diferente do que vinha a ser seguido por Bruno de Carvalho. Um clube honesto e com gente honesta à frente do clube, um clube que quer respeitar e ser respeitado, um clube de trabalho e competência, um clube contido no discurso, um clube sustentável, um clube formador, um clube ganhador. 

Falou do investimento que está a ser feito na Academia, em infra-estruturas, em técnicos, em especialistas de alto-rendimento, em coaching comportamental. Para que não existam mais Podences, Rafaeis Leões e Tiagos Djalós, prontos a fugir à primeira oportunidade, acrescento eu.

Falou na reestruturação do plantel principal, juntando o ganho financeiro ao equilíbrio competitivo, na aposta num treinador duma escola de futebol ofensivo, na integração gradual dos poucos jovens sub-23 que já atingiram o nível mínimo para o efeito, da Taça da Liga já ganha aos rivais. 

Miguel Cal falou na reestruturação organizativa do clube, deixando perceber que muito irá melhorar nessa área, tornando o Sporting um clube moderno e funcional, no estádio, no pavilhão, na internet, na relação com os sócios, o que manifestamente agora não é.

Zenha abriu muito pouco o livro, pelos motivos conhecidos, e ficou por saber-se qual o rumo financeiro do Sporting. Falou nas contas que Bruno de Carvalho deixou por pagar, não falou nem podia falar de quanto e quando é que o Sporting pensa receber (ou pagar) pelas rescisões, não falou nem podia falar da reestruturação da dívida com base no contrato com a NOS ou doutra forma qualquer, não falou nos orçamentos das modalidades.

Muito mais importante do que comunicar bem é fazer bem. O que não quer dizer que a comunicação não tenha que melhorar também. 

Cão que ladra não morde. O destino dos touros bravos é o talho. 

Que o Sporting possa prosseguir o rumo apresentado, com a estabilidade e tranquilidade necessárias para ganhar, trabalhando mais e falando menos, e nunca se deixando tourear pelos Vieiras e Pintos da Costa deste mundo. 

Nós aqui estaremos para apoiar o que for de apoiar, criticar o que for de criticar, mas Sempre Sporting e Sporting Sempre.

SL

O que disse Frederico Varandas

O dia do maior rombo financeiro e desportivo

«É legítimo a claques criticarem a exibição da equipa? Claro que é. Mas também é legítimo eu criticar a exibição das claques. E não gostei, confesso, não gostei da atitude das claques nos nossos últimos dois jogos em casa

Querem um grupo de trabalho com mais internacionais portugueses? Querem um grupo onde exista um maior talento da formação? Nós também: trabalhamos todos os dias para isso. Mas sabem qual é a pior razão para hoje não termos um grupo assim? Eu lembro: 15 de Maio de 2018, o dia do maior rombo financeiro e desportivo da história do Sporting.»

 

Voltamos a receber ameaças intimidatórias

«Hoje, quando o clube se está a reerguer, voltamos - antes de um jogo importantíssimo em casa - a receber ameaças intimidatórias. Vejo elementos de claques a protestarem com sócios anónimos que simplesmente estão a apoiar a sua equipa em Alvalade.

Eu, nos anos 90, fiz parte da Juventude Leonina. Havia excessos? Havia. Mas havia sobretudo um amor puro pelo clube. Havia um dar sem nada receber em troca. Hoje não reconheço esse espírito. Hoje vejo negócios.»

 

O Sporting nunca mais será refém das claques

«Enquanto aqui estiver, o Sporting Clube de Portugal nunca mais será refém de quem quer que seja - de nenhuma claque, de ninguém. Enquanto estivermos aqui, não haverá ninguém acima do sócio anónimo que paga as suas quotas e os seus bilhetes.»

 

Um plantel muito desequilibrado

«Em Junho de 2018, o clube viu-se confrontado com a perda de cinco titulares e da principal promessa da sua formação. A Comissão de Gestão conseguiu recuperar dois jogadores que tinham rescindido.

Herdámos um plantel desequilibrado, com jogadores sem minutos mas com uma massa salarial muito pesada. Não é esta a visão que temos, não é este o plantel que idealizámos.»

«O nosso plantel terá sempre na base a formação. Mas temos que a ter. Porque não basta dizer: têm que jogar os melhores. E se queremos voltar a jogar com a formação, aqueles miúdos têm de voltar a ser os melhores.»

 

Alan Ruiz: de 3,9 milhões para 8 milhões

«Vamos comprar pouco e bem.»

«Quero dar a garantia, a todos os sportinguistas, que com esta equipa [directiva] não teremos nenhuma contratação investigada pelo Ministério Público, como a contratação do Alan Ruiz, que foi anunciada por 3,9 [milhões] mas que depois, no relatório de contas, aparece 8 milhões.»

 

38 jogadores comprados só para a equipa B

«Nos últimos cinco anos, foram contratados 38 jogadores directamente para a equipa B. Isto fez com que os miúdos que naqueles anos subissem à equipa B perdessem espaço competitivo, além de se desviar investimento da formação para a contratação de jogadores.

O mais curioso é que, desses 38 jogadores da equipa B, nenhum chegou à equipa A. E a própria equipa B desceu de divisão e decidiu-se acabar a equipa B.»

 

Treinar num campo com buracos

«O abandono da Academia não foi só nos meios humanos: foi também nas infra-estruturas. O futebol profissional, e hoje a equipa sub-23, treina num relvado com mais de 16 anos. A duração máxima de um relvado é dez anos. Substituir um relvado custa cerca de 200 mil euros. É ali onde a equipa treina todos os dias.

Os juniores e o futebol feminino profissional treinavam num campo sintético com buracos. Lieralmente com buracos.»

 

Academia: tudo igual desde 2002

«O ginásio da formação está igual. As máquinas de musculação, rasgadas. Tudo está igual desde 2002, desde a inauguração da Academia.»

«O Sporting, num ano, vendeu João Mário e Slimani, e encaixou 70 milhões de euros. Tinham esse dinheiro e deixaram a Academia assim.»

 

O lugar de Carvalho é longe do Sporting

«Um mentiroso compulsivo será sempre um mentiroso compulsivo. O senhor Bruno de Carvalho já obrigou duas vezes os sócios do Sporting a saírem de casa e a dizerem que o lugar dele é em casa, longe do Sporting.»

 

Da intervenção de Frederico Varandas, esta tarde, em conferência de imprensa

O estado da nação sportinguista

1,7 milhões de euros pagos em 3 anos a uma sociedade de advogados. Aumento do apoio às claques, resultando no aumento brutal da dívida da Juventude Leonina para com o clube, mais de 100 jogadores comprados em 5 anos, 38 jogadores para a equipa B sem que um tivesse chegado à equipa A. Dos 170 mil sócios, menos de 90 mil são pagantes, mais de 50 mil não pagam quotas há mais de 5 anos.

Um breve resumo da situação catastrófica em que o vendedor de banha da cobra em boa hora destituído deixou o Sporting Clube de Portugal.

Aguardemos ansiosamente pela apresentação do resultado da auditoria forense, para que o Conselho Fiscal e Disciplinar tome medidas no sentido de expulsar do clube quem de forma letal o utilizou para se promover, que nós sócios votaremos como fizemos em Junho, Setembro e Dezembro, remetendo para o baú do esquecimento quem parasitou o clube.

Revolução tranquila no futebol do Sporting

Se compararmos estrutura e plantel profissional à data das eleições, e a que neste momento existe depois de encerrado o mercado (partindo do princípio que realmente fechou e que Acuña ficou), não há dúvida que o presidente conseguiu uma revolução tranquila, muita gente saiu sem que as saídas tivessem originado conflitos ou processos, muita gente entrou, e com um saldo largamente positivo em termos financeiros e em termos de gestão de tesouraria.

Em termos de estrutura, foi uma revolução completa muito para além da substituição da equipa técnica, já aqui amplamente debatida e que me escuso de repetir.

Em termos do plantel sairam definitivamente e por ordem de reconhecimento por aquilo que conseguiram no Sporting, Nani, Montero, Bruno César, Marcelo, Castaignos e Viviano e por emprestimo Mané, Misic e Lumor, e entraram, também por ordem de reconhecimento do que já demonstraram desde que chegaram, Borja, Ilori, Doumbia, Francisco Geraldes e Luiz Phellype. Não sei se me esqueci de alguém.

Além disso, o passe de Renan foi adquirido, Acuña teve a sua situação revista e agora fala-se que Bruno Fernandes virá a seguir. E muito justamente. De longe é o nosso mais valioso jogador e agora um incontestado capitão de equipa. Tem de ser o jogador mais bem pago do plantel.

Não faço ideia como está o balneário, também não faço ideia como estava, presumo que esteja diferente, não tardaremos a ver os frutos da revolução.

SL

 

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D