Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Nani não merecia isto

mw-320[1].jpg

 

O presidente ainda não falou: limitou-se a mandar dizer que só romperá o silêncio na próxima sexta-feira. Nem sequer emitiu duas frases de público alento aos jogadores e à equipa técnica antes do confronto de logo com o Braga. Ao menos para ajudar a compor as bancadas, que deverão estar bastante desguarnecidas. Tal como o plantel, agora sem Montero e sobretudo já sem Nani - decisivo para a conquista da Taça da Liga, há um par de semanas. Justificar a partida do nosso capitão, formado no Sporting e campeão europeu em título, pela necessidade de "poupar dinheiro" à SAD leonina, é culminar com uma pitada de inaceitável injúria este episódio tão pouco edificante.

Nani não merecia isto.

 

O silêncio, num momento destes, dá pasto a todas as especulações. Não falta portanto, entre os que são próximos de Frederico Varandas, quem se apresse a emitir mensagens contraditórias: por um lado sopram-se "notícias" para os jornais garantindo que o holandês está de pedra e cal; por outro, nas redes, já se conclui que o homem afinal não serve. Tudo e o seu contrário. É uma regra básica da comunicação: se quem devia falar se cala, alguém menos qualificado para o efeito acaba por preencher esse vazio.

Acreditam que isto possa dar saúde anímica à nossa triste equipa? Pois: eu também não.

Carta aberta ao presidente Frederico Varandas

Caríssimo presidente Frederico Varandas, na minha qualidade de sócio do Sporting desde 1976, gostaria que se dignasse a nos dirigir, não serei o único sócio que o quer ouvir, algumas palavras.

Freddy Montero saiu do clube em final de contrato. A imprensa dá como certa a saída de Nani, facto ainda não comunicado pelo Sporting, estando ainda em cima da mesa a possível venda de Acuña, o mercado na Rússia apenas fecha dia 20. Por si só estes factos e rumores justificam uma palavra aos sportinguistas, mas surgem num contexto desfavorável, com a equipa de futebol protagonizando paupérrimas exibições, acumulando maus resultados.

Os sócios perderam a paciência com Marcel Keizer, que todos já percebemos, pode ser simpático, uma excelente pessoa, mas não tem capacidade para continuar a treinar o Sporting. A hora é sua, presidente, que já sabia ao que ia quando apresentou a candidatura ao cargo que ocupa, tendo sempre afirmado conhecer bem a casa e estar preparado. Pois bem, presidente, o tempo é de agir, rapidamente, antes que o quadro se agrave.

Enquanto sócio exijo respostas, não quero desabafos sobre estados de alma nas redes sociais sobre o que poderia ter mudado com esta ou aquela decisão do árbitro, com maior ou menor desempenho do jogador A ou B, porque já demos para peditório idêntico que não leva a parte alguma, por mais que algumas viúvas continuem por aí a carpir com esperança na ressurreição, está morto e enterrado, passemos à frente que tão reles defunto nem cera merece. A comunicação do clube não funciona, porque não informa, limita-se à publicação de comunicados de agenda horária de eventos e pouco mais. Até quando pretende manter este registo presidente Frederico Varandas? Como explica a fraca aposta nos jovens da formação, desde Janeiro, sabendo que uma das suas justificações para a opção por Marcel Keizer foi precisamente a aposta na formação? Chegámos ao cúmulo de ver entrar em campo a nossa equipa sem um único jogador da formação, algo que não acontecia há vários anos.

Por enquanto a sua presidência não está em causa, foi eleito em Setembro, ainda não teve direito a preparar uma época, mas quer mesmo arriscar as suas fichas mantendo a aposta em Marcel Keizer? Não será preferível uma solução tipo, Raul José ou outra que internamente encontre? E começar a preparar a próxima época, porque esta já todos percebemos estar perdida, o que face aos tristes acontecimentos que vivemos no início de época nem é assim tão surpreendente, mas como sabe os sportinguistas são optimistas por natureza, gostamos de confiar e confiámos em si quando nos disse que iriamos lutar pelo título, confiámos em si quando despediu o anterior treinador e escolheu o actual para revolucionar a qualidade do futebol praticado e apostar nos jovens da formação, hoje, vendo o quadro que temos à frente, tenho que lhe perguntar, valeu a pena, presidente?

Sou dos que ainda o apoiam presidente Frederico Varandas, na decisão de terminar com borlas para as claques, por não andar sempre a divulgar os estados de alma, como todos nós tem direito à privacidade, respeito-a, mas hoje o seu silêncio está ensurdecedor, não é possível continuar, algo menos que uma vitória amanhã diante do Braga e vitória no Villareal na quinta-feira, podem precipitar movimentos que já se adivinham por aí, colocando inclusivamente a sua presidência em causa. O que compreenderá, porque ao não tomar parte na solução, torna-se no problema, pois não é possível continuarmos a ver jogos miseráveis, acreditando que algo irá mudar. Sabemos que não existem milagres, sem alterar o rumo não é possível mudar de vida. A palavra é sua presidente, por enquanto ainda é, use-a...

Vai mesmo ter de falar

25179184[1].jpg

 

Para já, é indispensável que Frederico Varandas comunique com os sportinguistas. Ao falar a 1 de Fevereiro, logo após o Sporting ter vencido a Taça da Liga, abriu um precedente. Não faz qualquer sentido permanecer em silêncio agora.

Quando se quebram as regras, altera-se a linha de rumo. E nada volta a ser como era antes: há que enfrentar as consequências.

Ao despedir um treinador à oitava jornada cedendo à pressão dos lenços brancos, o presidente abriu um precedente. De alto risco, como na altura referi.

Ao romper o silêncio num momento bom, o presidente passou a ter a obrigação de falar também nos momentos maus. Não é compreensível que proceda de outra forma.

Frederico, quando posso voltar a Alvalade?

Caro, Frederico.

 

O teu sonho realizou-se. Mandas no futebol do Sporting.

 

Continuas totalmente impreparado para as funções que agora desempenhas, como já o demonstravas na campanha, mas a verdade é que és tu quem gere o futebol do nosso clube.

 

Foste tu e só tu, como por mais que uma vez deixaste claro durante a campanha que ias fazer, que (i) tomaste a decisão de despedir o Peseiro (com a qual, em tese, não posso discordar, caso a decisão subsequente fosse a de contratar um treinador de futebol), que (ii) decidiste ir buscar o desconhecido Keizer (já te referiste como uma aposta pessoal, como se disso houvesse dúvidas depois do disseste na campanha) e que (iii) decidiste as contratações de Janeiro (onde se inclui um tal de Luis Phellype).

 

Quero dizer-te que enquanto este badameco que escolheste, pessoalmente, para treinar o Sporting se mantiver como treinador da equipa principal não contes mais comigo em Alvalade. Não acredito na possibilidade, mas se porventura, ainda quiseres insistir nele na próxima época, será também, a primeira vez em muitos anos que não renovarei a Gamebox.

E não me venham com comentários mesquinhos de que temos que apoiar sempre o nosso clube, porque para mim é totalmente impossível apoiar a incompetência, a falta de conhecimento e a mediocridade intelectual (estou a referir-me ao holandês que está a ter, sabe-se lá porquê, o privilégio de treinar este grande clube).

 

Para ver jogos em que a minha equipa tacticamente se comporta ao nível da distrital, vou até ao Restelo e vejo o Belenenses.

 

Cada dia que passa, com as decisões, umas que tomas outras que não tomas, dás mais força ao mito do regresso do anterior presidente. Que, para não haver equívocos de opinião, esclareço que é uma ideia que abomino completamente.

 

Não tenho a mínima dúvida de que, até agora, no que respeita ao futebol sénior, as tuas más decisões foram muito superiores às boas!

 

E temo que a tua presunção, sobranceria, falta de preparação e chico espertice não te permita corrigir os erros.

 

Espero voltar a Alvalade brevemente.

Mudar...

Lenços Brancos.jpg

Foto Jornal de Notícias

 

Fui dos que criticaram o despedimento de José Peseiro, não por ser um entusiasta do treinador português, que demasiadas vezes tem sido um perdedor ao longo da carreira, mas porque entendo que apenas devemos promover uma troca se houver algo a ganhar com a mesma. O tempo veio dar-me razão, apesar do inesperado sucesso inicial de Marcel Keizer, ao qual também eu me rendi, afinal quem não gosta de futebol espectáculo? Só que foi sol de pouca dura, após a inevitável primeira derrota, que aconteceu na deslocação a Guimarães, não mais o Sporting se reencontrou, acumulando derrotas ou empates em jogos de médio ou elevado grau de dificuldade.

Bem sei que tivemos um penoso virar de página no final da época passada, ao qual os sócios não querem voltar, por mais que as viúvas do destituído pairem como abutres sobre as péssimas exibições que o Sporting vem acumulando, rosnando que no tempo do lunático estávamos melhor, se um destes dias e espero que tal não aconteça, formos obrigados a repensar a liderança directiva, o passado de triste memória não poderá fazer parte da equação, porque esteve na raiz do problema.

Mas a pesada herança não explica tudo, Frederico Varandas fez uma aposta de risco ao escolher um treinador sem currículo e tendo arriscado, há que perceber que perdeu a aposta. Marcel Keizer não consegue colocar os jogadores a praticar bom futebol, pior, não tem hoje sequer uma ideia de jogo, é bola para o Bruno Fernandes à espera que o nosso melhor jogador resolva individualmente o que a equipa se revela incapaz jogo após jogo. Aqui chegados há que jogar os próximos dois jogos e tirar conclusões, recepção ao Braga e deslocação ao Villareal. Caso não vençamos o Braga e sejamos eliminados na Liga Europa, Marcel Keizer não pode continuar a treinar o Sporting, espero que Frederico Varandas o perceba, errar é humano, não corrigir um erro é burrice. Mas que não se cometa novo erro para corrigir um erro anterior, quando Peseiro foi despedido, talvez Tiago Fernandes pudesse ter continuado, para substituir Marcel Keizer, julgo que deveríamos apostar em Raul José, que conhece o clube.

Vergonha!

Em 40 anos de sócio nunca me senti tão vexado como esta noite.

De tal forma que abandonei o estádio aos 55 minutos de jogo, ainda as portas estavam todas fechadas.

Assumo aqui e agora que enquanto este presidente estiver em funções e este treinador liderar esta espécie de solteiros e casados jamais irei ao Estádio. Ponto.

Os dirigentes do Sporting têm de perceber que os sócios têm dignidade, que se orgulham em ser do Sporting porque mesmo perdendo lutamos sempre. Mas o que hoje se viu foi uma autêntica vergonha. E não pode ficar sem consequências. Doa a quem doer!

Como pode uma equipa a jogar em casa contra o penúltimo classificado da Liga espanhola fazer o primeiro remate aos 19 minutos? E nem foi enquadrado com a baliza. O primeiro canto aos 30 minutos?

Tenho que reconhecer que Bruno de Carvalho tinha razão do que dizia dos jogadores. Não posso admitir que durante os 55 minutos de jogo que vi o Sporting não tivesse feito uma jogada com cabeça, tronco e membros. Uma só!

Tantos e tantos jogos que assisti em Alvalade e este ficará na retina como o pior de todos.

Será tempo dos sócios perceberam que o Doutor Varandas pode ser muito bom médico, mas não tem arcaboiço para estar à frente de um clube como o Sporting. Temos pena que assim seja mas esta é uma triste realidade.

Tanto que critiquei o antigo presidente pela sua postura sempre guerreira para agora surgirem estes dirigentes educados, bem falantes mas profundamente amorfos.

Avanço ainda com uma pergunta que o meu filho mais velho me fez e que aqui em tempos reproduzi: o que melhorou com a saída de BdC?

Respondo com a ideia que, tirando as redes sociais, não melhorámos nada. Rigorosamente nada. Portanto mordo a língua e, infelizmente, tenho de dar razão ao meu infante mais velho.

Meios e tempo

img_920x518$2018_10_17_16_55_14_1461208.jpg

 

Fique o Sporting no lugar que ficar este ano no campeonato, fará tanto sentido imputar responsabilidade pela classificação do clube, no final da época, a Frederico Varandas como teria feito se houvesse dedos acusadores apontados na direcção de Bruno de Carvalho, que já presidia ao clube quando ficámos num inédito sétimo posto em 2012/2013. Na altura, ninguém o fez. E muito bem. 

O actual presidente chegou já com a época iniciada e o plantel fechado, encontrou o clube fracturado como nunca e herdou o atribulado processo das rescisões de jogadores, decorrente da página mais negra da história leonina. Os remendos feitos em Janeiro não iludem a questão de fundo: este é, de facto, um "ano zero" no nosso futebol, como o próprio Varandas reconheceu aliás em recente entrevista. Enquanto profissionais que abandonaram Alvalade, como Gelson Martins, Podence e Rafael Leão - todos formados em Alcochete - se destacam noutras ligas europeias. Esperemos que a justiça não tarde e seja dura nas punições.

A única responsabilidade directa que lhe é imputável relaciona-se com a escolha da actual equipa técnica. Que inclui, não esqueçamos, não apenas o treinador principal, Marcel Keizer, mas também Raul José (director do departamento de prospecção de jogadores) e Francisco Tavares (coordenador da nova Unidade de Desempenho), ambos já a trabalhar em Alvalade, e Miguel Quaresma, prestes a chegar como director técnico da nossa formação. 

Há que deixá-los trabalhar. A eles e a João Pedro Araújo (director clínico), Alireza Rabbani (cientista do desporto), Paulo Gomes (director-geral da Academia), José Guilherme Chieira  (prospecção) e Tomaz Morais (departamento de liderança e formação interna). Sem hipotecarmos o sentido crítico, naturalmente. Mas com a noção de que ninguém obtém resultados sem dois ingredientes indispensáveis em qualquer organização: meios e tempo.

Apanhar o comboio em andamento.....

A propósito daquilo que começa a aparecer nos órgãos de comunicação, no sentido de apelar à destituição do Presidente Varandas, e de uma concentração junto a Alvalade no final do jogo de hoje, apelo esse feito por aqueles que têm a memória curta e que ajudaram a que hoje estivéssemos a atravessar este período bastante conturbado, relembro que, da equipa que iniciou o jogo no domingo passado, todos os jogadores foram contratados, fora da época de Varandas, que só leva 150 dias de mandato. Esses jogadores ou foram escolhas de Bruno de Carvalho ou de Sousa Cintra. Tenhamos serenidade e julguemos as pessoas com racionalidade e bom senso. É fácil imputar as culpas aos outros, quando às vezes nos esquecemos da história recente.

 

Sporting Clube de Portugal - Um clube de escrita criativa

A invenção de mentiras e calúnias visando a atual direção mas não só (João Benedito também é um alvo a abater através de campanhas um pouco mais subterrâneas de maledicência e calunia pelas redes sociais) continua como modo de vida de muitos que se ocupam diariamente de investir algumas horas da sua existência nessa atividade criativa e criminosa.

Parece-me evidente que há várias agendas e grupos bem mobilizados para criar um vazio de credibilidade e uma angústia crescente entre os associados para os colocar em ponto de rebuçado para virem a escolher algum regressado das trevas ou algum ser providencial que tudo sabe e tudo quer.

Conseguir no meio desta poluição manter, como sócio, a capacidade crítica e o escrutínio que teremos que fazer ao trabalho da atual direção é especialmente desafiante. Mas são e serão durante ainda muito tempo as linhas com que temos que nos coser. Se a democracia exige investimento, ser sócio do Sporting exige um suplemento adicional.

Naturalmente, viver e tentar fazer (ou avaliar) neste enquadramento, nunca será o ideal para qualquer direção presente ou futura e será sempre um enorme apoio a todos os nossos rivais.

Será possível, ainda assim, superar os momentos em que a bola não entra e ir construindo um futuro melhor sem cairmos em histerias e pulsões auto-destrutivas que nos levarão a pedidos de demissão e crises institucionais a cada 5 meses?

A palavra (ou o silêncio) cabe aos sócios mas também à atual direção.

Escusávamos de ter chegado aqui

Estou cansado, por isso tenho pouco a acrescentar ao que aqui escrevi há três meses, antes de sabermos quem seria o sucessor de Peseiro. Highlights: "Em algum momento Peseiro tinha de ir. O que já não percebo é o timing da saída: depois de uma derrota a jogar com a equipa Z para uma taça sem interesse (ganhámos uma vez: acho que basta para picar o ponto), depois de duas exibições convincentes, uma contra o Boavista e outra contra o Arsenal (alguém legitimamente estava à espera de ganhar ao Arsenal com esta equipa, mesmo em Alvalade?), a um ponto do Benfica, com possibilidade de o ultrapassar este fim-de-semana, a dois dos líderes do campeonato. Porquê agora? Sobretudo quando se percebe que não foi pensada nenhuma alternativa. Lá voltámos ao nosso fétiche, que é arranjar treinadores com nome holandês que ninguém sabe o que valem (e em geral não valem um caracol; a propósito, alguém me explica esta fixação: é porque os nomes soam bem? Vercauteren, por exemplo, soa tão bem). Ora, se é para arranjar um qualquer Peseiro holandês, não se percebe para que foi isto tudo. Esperemos que Frederico Varandas não tenha cometido aqui o seu primeiro erro grave".

A isto acrescentaria apenas que julgo que, com Peseiro, por medíocre que ele seja, não teríamos sofrido a humilhação de ontem e estaríamos mais acima na tabela.

 

Crónica de um fracasso anunciado...

As últimas exibições já deixavam antever o descalabro. A defesa do Sporting é sofrível, falar em defender e mencionar alguns jogadores do quarteto leonino na mesma frase, é um exercício e tanto, sem querer citar nomes para não colocar em causa o valor dos activos, ainda que para me referir aos defesas do Sporting seria mais correcto escrever passivos, a verdade é que hoje ficou à vista que há jogadores que não têm categoria para jogar numa equipa que se diz candidata ao título. Fui alertando ao longo do último mês para o excesso de jogos que as principais unidades do Sporting estavam a acumular, provocando um desgaste físico excessivo, mas foi a aposta dos responsáveis, ganhou-se o troféu Lucílio Baptista, perdeu-se o campeonato.

Todos sabemos que o plantel é curto, Acuña e Mathieu fizeram uma falta tremenda, Marcel Keizer tem ultimamente feito escolhas no mínimo controversas, hoje no início da 2ª parte decidiu desequilibrar a favor do Benfica, retirando Nani para colocar Diaby que foi uma vez mais inofensivo. Finalmente Jovane voltou a ser opção, pela forma como o jogo estava a decorrer, entrou pelo menos com 15 minutos de atraso.

Não fui entusiasta do despedimento de José Peseiro, tal como não peço no imediato a saída de Marcel Keizer, por princípio sou contra chicotadas psicológicas, porque são mais as vezes que se perde do que se ganha. Se é verdade que o futebol de Peseiro não entusiasmava, também há que admitir que íamos somando pontos, a chegada de Keizer trouxe um futebol entusiasmante que rapidamente se esfumou, hoje temos uma equipa, talvez seja exagero chamar o que temos de equipa, mas um grupo de jogadores que se arrastam penosamente no campo, cansados, sem imaginação. Alguns porque têm classe conseguem disfarçar o mau momento, mas outros, não há outra forma para o dizer, não têm valor para jogar no Sporting.

Mesmo sabendo o ponto de partida, o trágico final de época que vivemos, a atípica pré-época, o Sporting está hoje mais longe dos três primeiros classificados, veremos se a perda anímica dá pelo menos para manter o 4º lugar, o que não é de forma alguma garantido caso se mantenha este paupérrimo nível exibicional, agravado com algumas opções no mínimo duvidosas de Marcel Keizer, que hoje viu justificadamente lenços brancos em Alvalade. Os sportinguistas querem mais, não é aceitável assistir impávida e serenamente a tão miserável exibição, muito menos que esta vergonha se volte a repetir.

Fica aqui um alerta para Frederico Varandas e responsáveis pelo futebol, se as opções de afastar Miguel Luís, por sinal o melhor em campo na última partida que disputou, Jovane Cabral que só foi utilizado hoje quando o desespero já havia tomado conta da equipa, têm algo a ver com empresários, então estamos mal, porque o clube foi lesado ao hipotecarem não só a conquista do campeonato, como também qualquer possibilidade de lutar pelo acesso à champions e mesmo a ida à Liga Europa está hoje muito longe de ser um dado adquirido. Quando temos um problema, urge resolve-lo, antes que os lenços brancos não sejam apenas dirigidos para o banco de suplentes, o que seria uma pena, pois se há algo que não queremos é reviver o triste passado recente. Mas não é possível pedirem-nos paciência quando assistimos a exibições tão miseráveis como Tondela, Setúbal e agora completamente enxovalhados pelo eterno rival na nossa casa, que hoje até poderia ter goleado.

Bem sei que vão dizer que precisamos levantar a cabeça, mas outra coisa não aceito que seja ir à casa do adversário com uma atitude completamente diferente, Marcel Keizer que deixe de lado algumas opções por jogadores medíocres e coloque a equipa a jogar futebol, das duas uma, ou ganham uma equipa ou perdem os adeptos.

O que diz Frederico Varandas

«É óbvio que não temos as condições ideais. Seria impossível, em apenas quatro meses, termos a estabilidade que gostaríamos. Porque sem estabilidade nada se alcança. (...) Muitas vezes as pessoas querem esquecer-se de como este clube estava em Setembro.»

 

«Vamos construir mais cinco campos relvados. Vamos requalificar por completo a Academia.»

 

«Discordei completamente da política dos últimos cinco anos na formação. Culpa da direcção.»

 

«Vai começar a funcionar já este mês o primeiro departamento de liderança e formação interna, liderado pelo Tomaz Morais. Vai ser transversal a todos os jogadores, a todos os miúdos, a todos os treinadores. Para lhes incutir o orgulho em vestir esta camisola e os valores do desporto.»

 

«Não gosto de ver jogadores a atirarem-se para o chão, não gosto de ver jogadores a queimar tempo, não gosto de ver jogadores a falar com o árbitro.»

 

«Eu não misturo a instituição Benfica com o seu presidente. Tenho o maior respeito pela instituição Sport Lisboa e Benfica. Um clube só é realmente grande se tiver um grande rival. E o Benfica é o nosso grande rival.»

 

«Ninguém [do Benfica] falou do conteúdo dos e-mails. Ou por falta de coragem ou por falta de princípios.»

 

«Isto [caso dos e-mails] afecta todos os clubes que disputam a Liga, isto afecta o futebol português, isto afecta a imagem de Portugal.»

 

«Em todos os jogos em que perdemos pontos, a minha equipa poderia e deveria ter feito melhor.»

 

«Quero uma cultura vencedora neste clube. Não quero uma cultura que nos desculpabilize internamente apontando culpas a terceiros, como aos árbitros.»

 

«Defender o melhor para o Sporting é defender o desporto, as regras, a transparência. O Sporting não vai abdicar disso.»

 

«Em Novembro troquei a equipa técnica porque acredito muito neste treinador.»

 

«Quero um grupo mais consistente, mais forte mentalmente e, obviamente, com mais qualidade.»

 

«Na nossa visão, o plantel era de qualidade reduzida. Por isso é que saem sete jogadores.»

 

«A verdade é que no "ano zero" conquistámos já um título. (...) O Sporting vive de títulos, os sócios vivem de títulos - e este já é nosso.»

 

«Só um louco pode dizer "Eu vou ganhar o campeonato para o ano, daqui a dois anos, três anos..." Seja no futebol, seja nas modalidades.»

 

«O protocolo com as claques que estava em vigor para o ano vai deixar de existir. Entre muitas outras coisas, estamos a falar de cerca de 900 bilhetes oferecidos por jogo. O Sporting não está em condições de oferecer nada. Quando fiz parte de uma claque, há mais de vinte anos, pagava. Expliquei-lhes que não há ofertas e que para o ano toda a gente vai pagar o seu bilhete.»

 

«Keizer tem contrato e se Deus quiser vai cumpri-lo. (...) Jorge Jesus faz parte do passado.»

 

«Eu acredito que, com a minha equipa, vou fazer o Sporting campeão.»

 

«O meu objectivo é deixar o clube, ao futuro presidente do Sporting, muito melhor do que quando lhe peguei.»

 

 

Frederico Varandas, esta noite, em entrevista ao jornalista Alexandre Santos, da RTP 3 - a primeira que concedeu, para além do canal de TV do clube, em 145 dias de presidência.

Opções!...sempre pelos "de fora"...

Não quisemos ficar com o Tiago Fernandes, mas provavelmente vamos acabar a época com Rodolfo Correia como treinador principal...

 

Não joga o Jovane porque se aposta num tal de Diaby que não sabe dar um chuto numa bola...

 

Desiste-se do Miguel Luís sem qualquer explicação...

 

São opções... e alguém terá que se responsabilizar por elas.

Algumas dúvidas sobre a gestão do futebol

Quem me lê sabe que apoio a actual direcção sem dúvidas ou hesitações. Confio no presidente Frederico Varandas, mas de forma alguma fico condicionado na minha capacidade para criticar ou pedir explicações sobre situações que não entendo. A escolha de Marcel Keizer foi uma surpresa porque desconhecia até a existência do treinador, que se revelou agradável pelas exibições e resultados produzidos. A alegria instalou-se em Alvalade, mas infelizmente foi sol de pouca dura. É verdade que presidente e treinador não planificaram a época, mas o mercado está aberto e já lhes foi possível efectuarem alguns ajustes. Com um plantel curto, uma época longa e desgastante pelo facto de estarmos em quatro competições é necessária alguma rotação de jogadores, sob pena de chegar aos jogos decisivos em Abril e Maio, com os jogadores mais influentes arrastando-se pelo relvado. Se jogadores como Bale, Modric, Cristiano Ronaldo, Messi ou Suarez entre outros são poupados nalguns jogos, por que razão Bruno Fernandes, Nani, Coates, Mathieu ou Bas Dost não podem descansar à vez? 
Mas há situações que de todo escapam à minha compreensão, Jovane Cabral jogou algumas partidas a titular, sem grandes exibições é certo, mas foi tremendamente decisivo nalguns jogos saindo do banco. Não entra em campo há quantos jogos? Miguel Luís foi opção no meio-campo em vários jogos consecutivos, tendo assinado uma boa exibição diante do Belenenses, inclusivamente apontando o golo da vitória. De então para cá não calçou. Luiz Phellype que foi o primeiro reforço desta reabertura do mercado, apenas foi titular num jogo. Francisco Geraldes não leva qualquer minuto, limitou-se a estar presente alguns jogos no banco, o que faz supor que os problemas físicos com que chegou estarão resolvidos, ou não teria sido convocado. Para já gostei do que vi ontem em Doumbia, precisamos alternativas na defesa para lesões e castigos. Mas não podemos continuar a desperdiçar activos, veja-se a postura do rival do Norte com jogadores que não renovam em final de contrato, seguida esta época também pelo rival da 2ª circular. Ambos com maior número de soluções no plantel e melhor qualidade que a nossa. Pelo que não compreendo nem aceito a não utilização de jogadores como forma de pressão seja para o que for. Com resultados desportivos desastrosos para o clube, como temos vindo a assistir...

Um apelo a Frederico Varandas

Jorge Jesus está livre para assinar por qualquer clube. Não sei qual será o futuro imediato do Sporting, que passa pela recepção ao Benfica na próxima jornada do campeonato, eliminatórias para a taça de Portugal e Liga Europa a partir de Fevereiro. Mas quero lançar aqui um apelo ao presidente Frederico Varandas, haja o que houver, até final da presente época ou mesmo na próxima, se porventura chegar à conclusão que Marcel Keizer terá de ser substituído no comando técnico do Sporting, em qualquer circunstância não considere sequer possível a contratação do mestre da táctica. Bem sei que é seu amigo, esteve na comissão de honra da candidatura, convide-o para sua casa, jantem quando entenderem, mas não pense colocar semelhante personagem no banco. Sei que não sou o único sportinguista a querer J.J. longe de Alvalade. Se precisar de ir ao mercado, não faltam opções, no mínimo de valor idêntico e seguramente a preço inferior.

«Não vamos deixar que isto volte para trás»

img_920x518$2018_10_28_01_09_50_1465259[1].jpg

 

 

«Primeiro queria dedicar esta vitória ao nosso treinador, Marcel Keizer, que hoje teve a infelicidade de perder um familiar muito próximo e com um grande profissionalismo fez o jogo. Esta vitória é para ele. Eu, como presidente, perdi em Tondela - e perdi bem, porque o Sporting foi inferior. Perdi com o Portimonense - e perdi bem, porque fui inferior. O Sporting empatou com o Porto - e empatou bem, foi justo o resultado. E certamente houve erros de um lado e de outro nestes três jogos que enunciei. Há três formas, para mim, de lidar com a derrota: com dignidade, assumindo perceber porque se perdeu; a versão histérica, e eu admito a frustração de perder em casa mais de uma vez, não é fácil; e depois a versão cobarde, que é refugiarmo-nos noutras pessoas.

Hoje, com o VAR, a arbitragem está muito melhor do que sempre foi. Muito melhor, muito melhor. Errar, erramos todos - erram árbitros, erram jogadores, erram treinadores. Mas a arbitragem está muito melhor do que era. E hoje, independentemente dos erros dos árbitros, sinto uma arbitragem mais livre. O que me preocupa mais que tudo, nesta semana, é ver um presidente dizer que um determinado árbitro não pode voltar a arbitrar e hoje ter a notícia de que esse árbitro pede uma licença por tempo indeterminado. Isto é que não pode voltar a acontecer. Porque há um tempo que não volta para trás, não pode voltar para trás. E eu, e a minha Direcção, não vamos deixar que isto volte para trás.»

 

Frederico Varandas, esta noite, falando aos jornalistas pouco depois do Sporting-Braga

Acabou por ser uma noite bem agradável...

A vitória do Sporting e passagem à final não aumenta o prestígio da competição e mantenho tudo o que escrevi anteriormente.

Mas lá que deu gozo ver e ouvir a azia do trolha, a raiva espelhada na face do treinador adversário, incapaz de disfarçar o mau-perder, curiosamente quando perdem para outro clube de Lisboa até costumam estender a passadeira vermelha, olha, estou como o outro, temos pena, mas não muita...

Por fim ver o presidente Frederico Varandas vir à comunicação social dizer e bem, que ontem um dirigente afirmou que determinado árbitro não deveria arbitrar, para hoje o árbitro em causa pedir licença por tempo indeterminado, também defendendo o VAR, que por mais erros ou críticas que se lhe possam apontar, inegavelmente melhorou a credibilidade do futebol, face a um tempo em que se ordenavam padres e encomendavam missas.

Acabou por ser uma excelente noite de futebol. Mas não há como negar, a equipa está demasiado fatigada, precisamos urgentemente de rodar jogadores promovendo algum descanso aos mais utilizados.

Soube muito bem

Uma vitória muito sofrida, uma vitória com desgaste evidente nalguns jogadores, Keizer meteu a carne toda no assador e Renan foi fundamental no final feliz.

Uma vitória que soube muito bem, foi bonito ouvir o discurso histérico e cobarde dos responsáveis do Braga (muito bem esteve o nosso presidente, Frederico Varandas na sua intervenção no final do jogo, tem toda a razão naquilo que disse), a começar por um Abel completamente descontrolado e a terminar no discurso Vieirista do compadre do dito. O Braga cada vez mais é uma cópia foleira do clube de Lisboa que tem a mesma cor de camisola. 

Realmente tenho de repensar o que fui aqui dizendo, não faz sentido nenhum fazer negócios de jogadores, bons ou maus ou seja o que for, com um clube que quando nos defronta os jogadores parecem cães raivosos e quando defronta o Benfica parecem caniches de trazer por casa. 

Por isso mesmo, soube mesmo muito bem !!!

SL

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D