Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Hoje giro eu - Bruno e Geraldes

Quando olhamos para o que é hoje o "onze" do Sporting e para aquilo que poderia ter sido, um nome imediatamente vem ao pensamento: Francisco Geraldes.

 

O jogador leonino, emprestado este ano ao Rio Ave, tinha (e tem) as características ideais para poder render Bruno Fernandes, como "10", num sistema de 3 médios. Não o vejo a fazer de "8" (num meio-campo a 2) - posição onde Bruno cumpre sem o brilhantismo de quando joga mais avançado no terreno - , dadas as suas características e as do actual detentor da posição "6" (William Carvalho), um jogador mais forte com bola mas sem a intensidade de um Fejsa ou de um Danilo.

 

Sendo jogadores diferentes - Bruno Fernandes, fruto de várias temporadas em Itália, tem outra mobilidade, amplitude e intensidade no seu jogo - Bruno e Francisco têm como denominador comum a qualidade de passe, característica que lhes permite vislumbrar latifúndios num T1 na Reboleira. Por isso, ambos perdem algumas bolas, pois os seus passes destinam-se quase sempre a criar rupturas.

 

Um dos problemas do Sporting esta época foi aceitar partir o jogo num sistema de apenas 2 médios, com William e Bruno Fernandes. Sempre que jogou Battaglia, a equipa ficou mais sólida, consistente, dominadora e, paradoxalmente, com outra eficácia ofensiva (para além das óbvias vantagens a nível defensivo). Não sendo William um jogador de entrar nos espaços dos seus adversários (como Adrien, p.e.), mas sim alguém mais posicional e que cresce com a bola nos pés, recomendar-se-ia que a equipa jogasse com 3 médios. Partindo deste último sistema, a eventual necessidade de o tornar mais ofensivo poderia partir da substituição de "Batta" por Geraldes, ao invés da adopção imediata do sistema de 2 avançados com a entrada de Doumbia ou de Montero. Digamos que assim a equipa leonina teria uma forma intermédia de tornar o seu jogo mais profíquo do ponto-de-vista atacante, sem arriscar partir o jogo e expor tanto a sua linha defensiva.

 

Geraldes é um jogador cerebral, que procura a bola cirurgicamente para depois produzir um último passe. Outro dos problemas da equipa, este ano, tem sido a perda de criatividade e de soluções de passe mais à frente, quando Bruno Fernandes recua no terreno. Os desequilíbrios ficam exclusivamente entregues a Gelson e todos os adversários já se aperceberam disso. Francisco resolveria facilmente este problema e, na minha opinião, poderia jogar sempre como titular nas partidas em Alvalade (recuando BF), partindo do banco, em alternativa a Battaglia, nas partidas fora de casa, não descurando o facto de, dada a necessária rotação da equipa e descanso de alguns jogadores nucleares, poder substituir o próprio Bruno Fernandes como "10", num sistema de 4-3-3, com William e Battaglia por detrás.

 

Em conclusão, nunca contaria com Geraldes para ser um "8", mas jamais o teria descartado aquando da elaboração do plantel para a época de 17/18. 

franciscogeraldes.jpg

 

Eu que nem vi o jogo...

Rio Ave_Aves.png

Quando o Francisco Geraldes saiu, o Rio Ave estava a ganhar 3-1.

Quando Ryan Gauld entrou, a 4 minutos dos 90, o Aves perdia 3-1 mas ainda conseguiu empatar o jogo a 3.

No prolongamento, o Aves chegou ao 3-4 e foi Gelson Dala a marcar o golo do empate a 4 que permitiu ao Rio Ave ir para prolongamento.

 

Mantenho a ressalva do título: não vi o jogo e muito menos tenho alguma tese sobre este tema. Mas a coincidência merece destaque.

Francisco Geraldes

Outra grande partida do jovem da nossa formação emprestado ao Rio Ave na vitória fora de casa, por 3-1, que a equipa vilacondense acaba de arrancar ao Tondela, num estádio sempre difícil. Como bem sabemos.

Francisco Geraldes foi carregado em falta, conseguindo o penálti de que resultou o primeiro golo da turma forasteira - muito bem treinada por Miguel Cardoso - e teve intervenção decisiva no segundo golo com um passe rasgado que funcionou como assistência.

Grande exibição num jogo que foi emotivo até ao fim. Merecida vitória dos verdes-e-brancos de Vila do Conde, com golos de Pelé, Guedes e Ruben Ribeiro.

Olha que dois

Quase concluída a ronda inaugural do campeonato, verifica-se que dois talentos da formação leonina figuram já na lista dos marcadores de golos.

Gelson Martins, com dois apontados na vitória do Sporting no campo do Aves.

E Francisco Geraldes, no golo que valeu três pontos ao Rio Ave no confronto caseiro com o Belenenses.

Prometem ambos. Muitos e bons.

William ou Geraldes a guarda-redes?

Escrever rascunhos de porta aberta é um bocado disparatado. É dar trela a toda essa gente que sabendo contar pelos dedos o número de jogadores por linha já se acha esperto, mesmo que nem no "Football manager" consiga ser campeão Europeu. O dasafio com o Mónaco, onde as peças estavam no lugar, até nem correu mal, mesmo que seja precipitado embandeirar em arco; os outros, é evidente que têm servido para teste, às vezes apenas à inteligência posicional dos jogadores em situações que lhes são estranhas. Só lamento que Jesus não tenha posto o Wlliam Carvalho à baliza só pelo gozo que daria ouvir o banzé - pois haverá quem duvide ser Francisco Geraldes muito melhor do que ele como guarda-redes?

De férias mas...

ideal.jpg

 

 

Não está esquecida a "ameaça" de malhar no assunto Francisco Geraldes.

Daqui do pé da água e dos pasteis de polvo do Ideal, já me imagino a ver o miúdo regressar no próximo Janeiro.

Como este Janeiro.

Provavelmente como o Janeiro de 2019.

Sabem um "dizer" da minha terra? "Vão mazé cagar pá estrada!"

É favor aguardar

Quis ser fotografado a ler o "Ensaio sobre a cegueira" no banco? É esperto, o rapaz; pelo menos sabe fazer alusões. Há quem diga que o outro ao lado dele na foto estava a ouvir Mozart.

Se bem me lembro, a última vez que houve um entusiasmo assim tão esperançoso por um jogador foi com Chicabala. Ou no ano passado, os lampiões com Carrillo.

O que tem Geraldes para dar além das "coisas bonitas, coisas bonitas" que já fez? Wait and see, como diria o outro que não era cego.

Indignado e espantado

img_FanaticaBig$2017_07_13_21_28_19_1289450[1].jpg

 Geraldes a ler um livro muito apropriado: Ensaio Sobre a Cegueira (foto Record)

 

 

Fazer entrar o Francisco Geraldes aos 57 minutos e mandá-lo sair aos 82' foi algo que me indignou.

Não custa explicar porquê. É uma forma inaceitável de tratar um dos melhores jovens talentos da nossa formação.

No Sporting-Valência de ontem houve, por outro lado, uma "experiência" que me fez abrir a boca de espanto: termos jogado mais de meia hora sem ponta-de-lança. Até quando já perdíamos por 0-3 e não havia vantagem nenhuma a defender, antes pelo contrário.

Dirão alguns que foi apenas um jogo de pré-época. A esses direi duas coisas. Primeira: a temporada leonina 2016/17 começou a ser perdida na desastrosa pré-época. Segunda: o prestígio internacional do Sporting, quando defronta uma equipa espanhola na Suíça, nunca pode ser jogado a feijões. Porque é algo muito sério.

Não precisam de nascer dez vezes

marca[1].png

 Iuri e Podence entre os melhores jogadores jovens da Europa, garante a Marca

 

Leio num jornal de hoje que a Direcção do Sporting equaciona "pôr a rodar" Iuri Medeiros e Francisco Geraldes noutros clubes, repetindo aliás a receita já experimentada em épocas anteriores.

Considero um erro qualquer subvalorização dos jogadores oriundos da Academia leonina. Porque deprecia os nossos "activos", como agora se diz, e subverte uma das traves mestras da filosofia leonina. Que se baseia no ecletismo, por um lado, e no aproveitamento da formação, por outro.

Iuri e Chico Geraldes já rodaram o suficiente para se perceber que são valores seguros - à semelhança de tantos outros lançados nos últimos anos na equipa principal do Sporting: Eric Dier, Bruma, Cédric, João Mário, Adrien, William Carvalho, Rúben Semedo, Gelson Martins. Não por acaso, Luís Figo e Cristiano Ronaldo figurarão para sempre na galeria dos valores leoninos: ambos constituem exemplos vivos da excelência da nossa formação.

 

Se dúvidas restassem, repare-se neste artigo ontem dado à estampa no conceituado jornal espanhol Marca. Em 21 jogadores de diferentes países mencionados por se terem destacado no Europeu de sub-21, este diário realça dois dos nossos entre os cinco melhores: Podence e Iuri.

Do primeiro, sublinha a "habilidade e mobilidade" de que deu mostras neste certame, em que marcou um golo e deu outro a marcar. Do segundo, elogia-o por ser a "besta negra do Benfica" - assim designado por ter marcado quatro golos aos encarnados em cinco jogos - e pelo seu "pé canhoto de seda", evidenciado em duas assistências para golo no Euro sub-21.

 

Espero sinceramente que estes e outros jovens talentos não tenham de "nascer dez vezes" para demonstrarem definitivamente o que valem. Vestidos de verde e branco, não com outra camisola qualquer.

 

 

ADENDA: Enquanto uns recebem elogios, mais que merecidos, outros são esculhambados - também com toda a justiça.

Balanço (28)

OriginalSize$2017_03_02_12_28_42_1231493[1].jpg

 

 O que escrevemos aqui, durante a temporada, sobre FRANCISCO GERALDES:

 

- Eu: «O jovem jogador, com apenas 21 anos, deve retornar a Alvalade. Depois de duas épocas em destaque no Sporting B e deste empréstimo ao Moreirense, precisamos dele na nossa equipa principal. Sem favor algum, Jorge Jesus deve equacionar o seu regresso sem mais demora.» (4 de Janeiro)

- Edmundo Gonçalves: «Considerar a participação de Francisco Geraldes neste jogo com o Varzim na equipa B como uma despromoção só pode ser ou piada de mau gosto, ou ausência total do entendimento do que deve ser uma equipa B, ou mais uma fornada de carvão para a fogueira. Ou o somatório de todas elas.» (16 de Fevereiro)

- Francisco Almeida Leite: «Um jogador com imenso potencial e que Jesus teima em não lançar de forma sustentada. Se isso acontecer será um erro. Mais um. Francisco Geraldes bem trabalhado e com oportunidades poderá ser uma espécie de novo Antoine Griezmann...» (10 de Maio)

- Rui Cerdeira Branco: «Raramente jogou e o treinador não parece ter em grande consideração o seu potencial, preferindo discipliná-lo. Num raro momento em Alvalade em que Geraldes se arma em municiador imprevisível e consequente da linha da frente, Jesus só não terminou a bronca que lhe ia dar porque foi abafado pelo entusiamo dos adeptos com o atrevimento naquela equipa amorfa que viria a perder por 1-3.» (14 de Maio)

Há muitos anos, era eu grande fã de Luis Figo

 em Alvalade, tinha discussões na Superior Sul com outros sócios, sobre a sua performance.

- Só pensa no penteado!

- Passa o tempo no chão!

- Ele quer é saber do cabelo! 

E eu que não fossem parvos, que vissem mais que isso, que chatos e velhos do Restelo-mas-em-Alvalade. 

O Sporting não ganhava, e lá vinha o cabelo do Figo à conversa. É facto (e pena) que Figo não foi campeão no Sporting, mas a culpa não foi certamente do cabelo.

Não mudámos muito. Só que hoje, em vez de cabelo, são os cães de um, o restaurante de outro, no instagram. Divido-me. Os rapazes têm direito às suas redes sociais, oficiais ou não, têm direito a divulgar os seus projectos e tempos livres. Se acho que podia haver algum recato, ou demonstração de insatisfação? Acho, percebo perfeitamente que custe passar um domingo a pensar que perdemos 1-3 com o Belenenses, e vê-los (aparentemente) de ânimo leve partilhar as suas vidas tranquilas.

Mas assim como não temos nada a ver com a vida pessoal do presidente - não tenho mesmo, quero não saber nada disso se puder - podemos não ver estas partilhas. Há um botão de unfollow ao alcance de cada indignado. 

Eu cá divirto-me bastante com os videos do Francisco Geraldes. E mesmo com os cães do William. E distingo isso do que possam demonstrar pelo Sporting. 

Geraldes e companhia

No meio da onda de notícias sobre Jesus, alguns órgãos de comunicação social explicavam que há uma possibilidade real do atual treinador ficar em Alvalade. Isto se tiver carta branca do presidente do SCP para fazer contratações, gerir o plantel e inclusivamente determinar o que acontece às pérolas da nossa Academia. Num desses jornais, edição online, surgia já uma lista de dispensas que inclui, entre outros, Francisco Geraldes, um jogador com imenso potencial e que Jesus teima em não lançar de forma sustentada. Se isso acontecer será um erro. Mais um. Francisco Geraldes bem trabalhado e com oportunidades poderá ser uma espécie de novo Antoine Griezmann...

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D