Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Bancada Sul A

Percebo as razões que levaram à revista minuciosa dos espectadores que pretenderam entrar em Alvalade na passada quinta-feira, mas discordo da sua implementação. Bem sei que foi na bancada Sul A que gangs sem qualquer vergonha brindaram todos os espectadores do estádio com sucessivos “festivais” de piro-javardice. Mas há que separar o trigo do joio, o estádio tem câmaras, autoridades presentes durante o jogo e não vi até hoje uma detenção. Faltou coragem para identificar e retirar os energúmenos da bancada?

É para mim inaceitável fazer pagar o justo pelo pecador, submetendo todos os que assistem aos jogos na referida bancada a tratamento vexatório, como obrigar pessoas a descalçarem-se. Para cúmulo, ao que parece também é ineficaz.

Vamos ser sérios, coisa que a actual direcção apesar do muito que apregoa, não parece ser, querem mesmo combater a turba infame? Comecem por higienizar as instalações do clube, retomando a posse das áreas sob controlo dos gangs. Em seguida, se necessário, encerrem a bancada Sul A. Durante alguns jogos, ou mesmo até final da época. Porque existem direitos adquiridos, aos detentores de GB, ofereçam lugares de categoria superior, mas dispersos pelo estádio. Os restantes frequentadores habituais terão que adquirir um lugar disponível no estádio.

Não cabe aos órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal autorizar ou não a existência de claques, porque a Constituição da República permite o livre direito à associação. Mas podem perfeitamente não as reconhecer, facilitar o seu funcionamento ou estabelecer qualquer tipo de relação institucional ou de apoio às mesmas.

Enquanto sócio, não estou minimamente satisfeito com o desempenho do actual Conselho Directivo, em particular do presidente Frederico Varandas. Mantenho a convicção que o mandato não chegará ao fim, muito provavelmente nem sequer irá além do presente ano de 2020.

Fácil, fácil, basta de tiros no pé...

O Sporting recusou e bem, vender Bruno Fernandes abaixo de 70 milhões de Euros após o final da época passada. Seria incompreensível vender agora na janela de transferências em Janeiro, por um cêntimo abaixo desse valor. Pior ainda seria fazer dos sócios parvos, adquirindo ao clube comprador, jogadores sem espaço no plantel, para baixar o preço do negócio. Segundo li na imprensa, Marcos Rojo seria uma hipótese, mas há que perceber que os melhores dias da sua carreira já passaram, tem hoje 29 anos, está encostado e vale segundo o transfermarkt 10 milhões, verba que duvide alguém esteja interessado em pagar. Apresentar um negócio tipo 50 milhões por Bruno Fernandes e receber em troca M. Rojo, seria uma chico-espertice para tentar enganar os sócios mais distraídos. Mais, para garantir a permanência do nosso capitão, vimos partir Bas Dost, Raphinha e Thierry, segundo nos foi explicado, porque precisávamos de dinheiro fresco. Não se percebe bem para que fomos gastar tanto dinheiro em Val. Rosier ou Rafael Camacho, embora exista neste caso uma potencial margem de progressão, que poderá transformar a prazo a aquisição do extremo num bom investimento. A aquisição de L. Vietto fez parte do acordo por Gelson Martins com o A. Madrid e neste caso o jogador tem mostrado qualidade. Já a vinda por empréstimo de Jesé Rodrigues, Bolasie e Fernando tem-se revelado um perfeito desastre, que muitos sócios não compreendem. Em primeiro lugar porque pouco ou nada têm acrescentado à equipa, em segundo lugar, porque se é para apostar, mais vale dar minutos aos nossos activos e valorizá-los.

Até hoje, 11 de Janeiro, não tivemos novidades no Sporting. Apesar das notícias que nos dão conta da saída iminente do nosso capitão, eventualmente de Acuña e S. Coates, bem como da entrada de vários jogadores que nunca ouvi falar, sem espaço nos planteis de equipas razoáveis ou que se destacam em campeonatos de 5ª categoria, ou seja, mais entulho, como se já tivéssemos pouco.

Na próxima 6ª feira recebemos em Alvalade o arqui-rival SLB, derby que muito gostaria de ganhar, até porque temos deixado escapar a vitória nos últimos anos. Bem sei o momento que ambos os clubes atravessam, o total favoritismo dos encarnados, mas o Sporting C.P. tem que procurar ganhar. O mínimo que exijo será uma exibição ao nível da que realizámos diante do F.C.P., discutindo o jogo e depois esperar que os deuses da bola nos ofereçam desta vez alguma pontinha de sorte e que a partida não seja dirigida por um padre que já tenha preparada a homília para celebrar a missa encomendada.

Ora para termos alguma hipótese no próximo jogo, teremos que estar ao nosso melhor nível. Ontem Bruno Fernandes mostrou uma vez mais que o Sporting C.P. é ele e mais 10, pelo que seria um péssimo acto de gestão, uma decisão direi mesmo que aberrante, fechar negócio seja com quem for, durante a próxima semana. Até porque o mercado continuará aberto por mais 2 semanas, pelo que o presidente F. Varandas se quer ganhar o jogo ao S.L.B. terá que considerar Bruno Fernandes inegociável até sexta-feira, a não ser que obviamente alguém pague, não os 70 milhões, mas a cláusula de rescisão. O mesmo princípio deve ser aplicado a todos os jogadores, para que o plantel esteja focado durante a semana apenas no jogo, sem fait-divers.

O presidente Frederico Varandas apresentou-se aos sócios como especialista em futebol, por isso foi eleito. Mostre-nos finalmente as suas capacidades, surpreenda-nos, ou não permanecerá muito mais tempo no lugar.

Votarei contra a arruaça, o insulto...

Tenho defendido a antecipação de eleições, continuo a acreditar que deverão ser os órgãos sociais eleitos a tomarem a iniciativa de auscultar os sócios, colocando o lugar à disposição, preferencialmente apresentando candidatura a novo mandato. Tudo pode e deve ser feito dentro dos estatutos.

O movimento “dar futuro ao Sporting”, entregou ao Presidente da Mesa da Assembleia-Geral, assinaturas de sócios descontentes com a actual direcção, no sentido de ser convocada uma AG, visando a destituição dos órgãos sociais. Em meu entender, cabe a Rogério Alves a verificação da validade das assinaturas e cumprimento dos pressupostos pelos requerentes, que inclui o pagamento das despesas inerentes à realização da AG. O veredicto da justa causa deverá pertencer aos sócios, através do voto.

Conheço a realidade do Sporting Clube de Portugal, sei porque chegámos aqui, pelo que não estarei disponível para pactuar com grupelhos que utilizam o insulto ou arruaça como meio para conseguirem os fins. Boa parte dos promotores desta iniciativa são membros das claques, ressabiados pela perda de privilégios, ou órfãos e viúvas carpindo pela partida do guru boçal e arruaceiro, que infelizmente dirigiu o nosso clube, até que fartos da espiral de loucura que se vivia e cuja pesada factura ainda estamos a pagar, os sócios num raro momento de participação colectiva, acorreram em massa a destituir, primeiro, suspender e finalmente expulsar o tiranete.

Em consequência, se a AG vier mesmo a realizar-se, podem contar com os meus votos para contribuir para mais uma derrota dos que pretendem fazer o Sporting regressar ao passado sinistro, que percebemos pelos relatos de testemunhas no Tribunal, o clube vivia.

F. Varandas cada vez mais perto do fim da linha... - II

O Sporting pouco ou nada fez para ganhar um jogo que até não merecia, mas acabou por perder, no futebol quem não marca, coloca-se a jeito e foi o que aconteceu hoje em Tondela. São evidentes as lacunas do plantel, resultantes da péssima planificação da época.

Com os objectivos cada vez mais longe, é hora dos responsáveis pelo futebol leonino, começando pelo presidente, assumirem a sua responsabilidade. Uma vez mais peço a Frederico Varandas que coloque o seu lugar à disposição dos sócios, antecipando eleições. Demonstraria desapego ao cargo e se está certo que mantém o apoio dos sócios, até pode concorrer e quiçá conseguir ser reeleito. Precisamos clarificar a situação no clube, sem drama. Não podemos é permanecer no actual estado letárgico sem rumo à vista no horizonte próximo. E mudar novamente de treinador não me parece ser solução...

Aceita um repto, sr. Presidente?

Absolutamente inaceitável o aumento de vencimentos aprovado ontem na AG da Sporting SAD para os administradores. Mesmo que cumpram a recusa anunciada por Salgado Zenha para esta época, ficámos a saber que a partir de agora têm um salário substancialmente melhorado e lá mais para o Verão do próximo ano, o assunto terá perdido mediatismo, com Euro 2020, transferências, quem se preocupará verdadeiramente com esta questão?

Desejo a Silas toda a sorte do mundo, é um treinador que aprecio enquanto pessoa, a equipa que treinou anteriormente praticava um futebol agradável, o seu sucesso será acima de tudo positivo para os superiores interesses do Sporting. Mas não esqueço o que nos trouxe até aqui, a inacreditável crise que ainda estamos a atravessar, pese embora a importante vitória obtida na Vila das Alves:

-Má planificação da época.

-Péssima condição física.

-Desaproveitamento da formação.

-Inacreditável gestão do mercado de transferências.

Não acredito em milagres, alguns resultados podem ser obtidos com sorte, ou falhados por azar, mas os factores aleatórios raramente pendem sempre para o mesmo lado. Cedo ou tarde, como o azeite, a competência vem acima e não me parece apropriado associar a palavra competência ao departamento de futebol do Sporting Clube de Portugal SAD. Acontece que o presidente Frederico Varandas foi eleito precisamente com promessas de restruturação do futebol, à época a tentar recuperar do estado de choque em que uma gestão troglodita o mergulhou. Mais de um ano passou, se é possível falar em pesada herança, ou tempo ainda insuficiente para resolver tudo, a incompetência recente, não faz parte de herança alguma. O autismo patente que vai sendo demonstrado, esse sim, tem muito a ver com o passado recente que rejeitámos. Não foi para isto que libertámos o clube do aprendiz de Napoleão.

Não existem duas oportunidades para se causar uma boa primeira impressão. Frederico Varandas não mostrou até agora ter um rumo seguro para o clube, no qual os sportinguistas de possam rever, confiar e apoiar. Algumas medidas avulsas positivas, como a retirada de apoios às claques, não chegam para dormir tranquilo, com a certeza que o futuro será verde e branco.

Mas se Frederico Varandas e seus pares estão assim tão convencidos terem a razão do seu lado, porque não clarificarmos junto dos sócios? Não precisa ser amanhã, nem tão pouco este mês, eventualmente nem este ano. E até pode ser o sr. Presidente a gerir o processo, agendando o acto eleitoral, por exemplo para a próxima Primavera. Daria tempo para se preparar, os oponentes também, os sócios que não são burros, estarão atentos, diminuiria a pressão sobre a sua presidência, que neste momento depende totalmente dos resultados da equipa de futebol, daria tempo a Silas, aos jogadores, à apresentação de projectos, a tempo de preparar a próxima época.

Vamos a isso sr. Presidente Frederico Varandas? Se não está agarrado ao poder, convoque eleições antecipadas para Março ou Abril. Se tem de facto um projecto em que acredita e está seguro que os resultados irão aparecer, não tenha medo do veredicto dos sócios e apresente-se a eleições. Se perder, sairá de forma digna, respeitado. Se ganhar, sairá legitimado, com um poder reforçado junto dos sócios, como agora não tem e seguramente não terá até final do presente mandato.

A bem do Sporting, que está acima de todos nós!

Saudações leoninas!

Quo vadis Sporting?

A estrutura do futebol do Sporting não funciona. Transferências mal geridas, incompetência na inscrição de jogadores, péssima comunicação, resultam na acumulação de resultados desportivos negativos. Ao que parece Silas será o próximo treinador do Sporting. A questão é, vamos regressar às vitórias? Em caso afirmativo, todos poderemos respirar de alívio, a direção continuará a exercer funções sem sobressaltos, desde que não cometa a loucura de aumentar vencimentos aos dirigentes, após ter deixado sair jogadores a preço de saldo, por insuficiência de condições financeiras.

Mas, cenário que não desejo, e se a chicotada não resultar? Virá outro após Silas?

Frederico Varandas fez promessas eleitorais aos sócios do Sporting que lhe deram a vitória, mas que manifestamente não está a conseguir cumprir. Manda a decência que seja democraticamente humilde e coloque o lugar à disposição dos sócios, mesmo que se recandidate. Caso vença sairá reforçado e colocará um ponto final na contestação. Caso perca é porque os sócios legitimamente escolheram outra via. O clube só tem a ganhar com a clarificação.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D