Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Jogo a jogo, contra tudo e quase todos

E vão 30...

É só sorte e estrelinha: mais 20 pontos que na época transata, menos 15 golos sofridos e mais 7 marcados, invictos ao fim de 3ª jogos. Ao Sporting tudo cai do céu, como se viu esta noite, e se percebeu da avaliação feita à atuação da equipa do apito por parte dos comentadores. Nota humorística: os comentários do filósofo Manuel Machado a queixar-se da arbitragem...num jogo em que a sua equipa fez 30 faltas, deveria ter visto mais 2 jogadores expulsos e cometeu 3 penaltis não assinalados!

2E37836E-6DD5-47DE-9CD4-8E2C3D6753A8.jpeg

 

À 23ª jornada, a distância aumentou

E à 23ª jornada a distância aumentou. De 9 para 10 pontos, sendo agora o Porto o 2º classificado. Domingo ver-se-á o que acontece no jogo entre 3º e 4º, mas o SPORTING tem que ter o foco é na sua próxima partida no sábado, que não será fácil, contra Guimarães. Jogo a jogo!!! 

Post És a nossa fé_page-0001 (9).jpg

Trocando por miúdos na comparação com a época anterior, à mesma jornada, temos o SPORTING com +22 pontos, + 7 vitórias, + 1 empate, - 8 derrotas (0 este ano), + 10 gos marcados e -15 sofridos. Aos que acham que isto não é competência e que é liderança por acaso e demérito dos outros, desejo uma boa digestão pois não vai sendo fácil...

Relembro que as 11 finais que faltam são contra Guimarães (c), Moreirense (f), Famalicão (c), Farense (f), Belenenses (c), Braga (f), Nacional (c), Rio Ave (f), Boavista (c), Benfica (f) e Marítimo (c).

E mergulhar na história, já neste século, com os números dos 2 campeonatos ganhos pelo SPORTING?

Post És a nossa fé_nv-5_page-0001.jpg

Nivelar por cima!

Sou um apreciador de estatísticas não obstante a maioria das vezes não as saiba traduzir para factos ou, quiçá, prever situações. No entanto fiz aqui um apanhado breve, que vale o que vale… Assim sendo!

À vigésima jornada o Sporting conseguiu 17 vitórias e três empates (com Porto em casa e Famalicão fora a 2 golos e um empate a 1 com o Rio Ave em Alvalade).

Das 17 vitórias quase metade, isto é oito, foram por dois a zero:

Paços de Ferreira – fora e casa:

Portimonense - fora e casa;

Braga – casa;

Nacional, Boavista e Marítimo – fora.

Quatro vitórias por dois a um:

- Santa Clara, BSAD e Gil Vicente - fora;

- Moreirense – casa.

Duas vitórias expressivas, e curiosamente seguidas, por quatro a zero:

- Tondela – casa;

- Guimarães – fora.

Uma vitória por três a um:

- Gil Vicente – casa.

E duas vitórias por um a zero:

- Farense e Benfica – casa.

Destas estatísticas retiro duas conclusões simples:

- em vinte jogos já realizados neste campeonato só em três é que o Sporting marcou um golo;

- em 17 encontros facturou dois ou mais golos.

Termino a análise com a ideia de que esta constância de resultados iguais (p.e 2-0) é sinónimo de algum nivelamento da própria equipa.

Todavia por cima!

Curiosidade da 20.ª jornada: um Portimonense que se repete

Na época passada, na 20.ª jornada, o SPORTING recebeu o Portimonense em 9 de fevereiro. Ainda não sabiamos a tragédia sanitária que nos esperava e que perdura. Mas nem tudo é mau, futebolisticamente falando, dado que nessa altura o Sporting estava em 5.º lugar e hoje é primeiro com distanciamento suficiente para não ser contagiado na liderança. A história repete-se sábado, dia 20, quando os algarvios visitam Alvalade.  

Nesse distante 9 de fevereiro a vitória sorriu aos leões por 2-1, depois de uma reviravolta no resultado. Jackson Martinez foi o marcador do primeiro golo, aos 26´, tendo o nosso inesquecível Mathieu empatado a partida 5 minutos depois. Foram necessários longos 41 longos minutos, com intervalo pelo meio, para um tal Jadson fazer golo na própria baliza. E assim a vitória sorriu...

Para vermos como tanta coisa mudou no plantel, o treinador era Silas e nesse jogo alinharam de início e suplentes utilizados(): Max, Ristovski, Coates, Neto (Jovane), Mathieu (Doumbia), Acuña, Bataglia, Wendel, Camacho (Plata), Sporar e Vietto.  No banco, sem serem utilizados:  Diogo, Borja, Eduardo e Jesé.

Mais alguns dados estatísticos, com realce para os cartões amarelos pois só Vietto foi brindado com 1. Num jogo a equipa só ter 1 amarelo também já faz parte da história... O Portimonense teve 2; O Sporting cometeu 9 faltas, contra 18 do adversário, teve 60% de posse de bola e rematou 21 vezes contra 10 do Portimonense; cantos 3-2. Foi um jogo sensaborão e uma exibição pobre, como tantos naquela altura, e valeu pelo magnífico golo de Jeremy Mathieu. Um golaço do nosso grande defesa, que não me fez dar como perdida a noite em Alvalade. 

Só mais uma evocação. Esse foi o dia em que, após uma vitória no futsal sobre o benfica (2-0), houve uma concentração significativa de adeptos a contestar a direção de Varandas, com o grito: Demissão.  

Na .jornada, mais uma vitória

Hoje foi o Paços de Ferreira por 2-0 (equipa de má memória pois, apesar de já distante no tempo, é inesquecível o campeonato que nos foi tirado com aquele golo com a mão em Alvalade...). Mas vejamos como estamos à 19.ª jornada, realçando apenas que o SPORTING tem mais 19 pontos que na época passada quando estava em 5.º lugar, com o mesmo número de jogos disputado:

Post És a nossa fé_page-0001 (2).jpg

Uma campanha alegre

Mau grado estarmos numa guerra contra um inimigo invisível e a viver um pesadelo inimaginável até há um ano, o campeonato tem seguido com as habituais trivialidades resultantes de certos poderes na arbitragem e na liga, mas em que há um novo normal que, para muitos, é uma anormalidade própria da época: a liderança do SPORTING na Liga NOS.

Mas só os mais distraídos podem achar estranha a classificação do SPORTING, quando está quase cumprida metade do calendário. Não há como os factos para justificar argumentos, e a demonstração faz-se com números.SCP.jpg

Em resumo, esta época em 1º lugar com +13 pontos, +4 vitórias, +1 empate, -5 derrotas = 0 derrotas, + 8 golos marcados e -8 sofridos. A liderança não é por acaso. Face à tristeza que tudo isto provoca nalguns rostos e nalguns órgãos de comunicação social, é caso para dizer que o

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL está a fazer uma campanha alegre. 

 

 

Mais três pontos

2019/2020

Paços de Ferreira, 1 - Sporting, 2

Portimonense, 1 - Sporting, 3

Sporting, 1 - FC Porto, 2

Santa Clara, 0 - Sporting, 4

Sporting, 2 - Gil Vicente, 1

Sporting, 2 - Tondela, 0

V. Guimarães, 2 - Sporting, 2

Pontos: 16

Golos marcados: 15

Golos sofridos: 7

 

2020/2021

Paços de Ferreira, 0 - Sporting, 2

Portimonense, 0 - Sporting, 2

Sporting, 2 - FC Porto, 2

Santa Clara, 1 - Sporting, 2

Sporting, 3 - Gil Vicente, 1

Sporting, 4 - Tondela, 0

V. Guimarães, 0 - Sporting, 4

Pontos: 19

Golos marcados: 19

Golos sofridos: 4

O factor Amorim

Classificação e pontuação do Sporting à sexta jornada do campeonato nacional de futebol, nas últimas dez épocas:

 

2011/2012:

6.º lugar, 11 pontos (12 golos marcados, 8 sofridos)

2012/2013:

12.º lugar, 6 pontos (5 golos marcados, 7 sofridos)

2013/2014:

2.º lugar, 14 pontos (15 golos marcados, 4 sofridos)

2014/2015:

7.º lugar, 10 pontos (9 golos marcados, 4 sofridos)

2015/2016:

2.º lugar, 14 pontos (9 golos marcados, 4 sofridos)

2016/2017:

2.º lugar, 15 pontos (13 golos marcados, 6 sofridos)

2017/2018:

2.º lugar, 18 pontos (15 golos marcados, 3 sofridos)

2018/2019:

4.º lugar, 13 pontos (9 golos marcados, 4 sofridos)

2019/2020:

9.º lugar, 8 pontos (10 golos marcados, 9 sofridos)

2020/2021:

1.º lugar, 16 pontos (15 golos marcados, 4 sofridos)

 

Conclusão: em termos absolutos, este é o melhor desempenho do Sporting. Único primeiro posto da década à sexta jornada. 

Em termos relativos, nesta mesma fase do campeonato, só estamos atrás da temporada 2017/2018 (terceira e última sob o comando de Jorge Jesus), então com mais dois pontos e menos um golo sofrido.

Mas na avaliação global das três épocas sob o comando de Jesus, os números à sexta ronda são menos lisonjeiros para o actual técnico do Benfica: 15,6 pontos, 12,3 golos marcados e 4,3 sofridos. 

Na comparação com a época anterior, a vantagem é arrasadora para a actual: o dobro dos pontos, mais 50% dos golos marcados, menos 56% dos golos sofridos. 

Estamos perante o quê? Factor Amorim, a fazer a diferença.

Sporting-FC Porto: balanço da década

2011/2012: 0-0

Treinador: Domingos Paciência

2012/2013: 0-0

Treinador: Jesualdo Ferreira

2013/2014: 1-0 (golo de Slimani)

Treinador: Leonardo Jardim

2014/2015: 1-1 (golo de Jonathan Silva)

Treinador: Marco Silva

2015/2016: 2-0 (golos de Slimani)

Treinador: Jorge Jesus

2016/2017: 2-1 (golos de Slimani e Gelson)

Treinador: Jorge Jesus

2017/2018: 0-0

Treinador: Jorge Jesus

2018/2019: 0-0

Treinador: Marcel Keizer

2019/2020: 1-2 (golo de Acuña)

Treinador: Silas

2020/2021: 2-2 (golos de Nuno Santos e Vietto)

Treinador: Rúben Amorim

 

Balanço destes clássicos disputados nas últimas dez temporadas no estádio José Alvalade para o campeonato nacional de futebol: três vitórias do Sporting, uma do FCP e seis empates.

Marcámos oito golos, sofremos cinco.

Melhor marcador: Slimani, com três.

 

...................................................

 

Por curiosidade, segue-se o quadro descritivo dos mesmos confrontos registados nas dez épocas anteriores:

 

2001/2002: 1-0 (golo de Niculae)

Treinador: Laszlo Boloni

2002/2003: 0-1

Treinador: Laszlo Boloni

2003/2004: 1-1 (golo de Pedro Barbosa)

Treinador: Fernando Santos

2004/2005: 2-0 (golos de Liedson e Carlos Martins)

Treinador: José Peseiro

2005/2006: 0-1

Treinador: Paulo Bento

2006/2007: 1-1 (golo de Djaló)

Treinador: Paulo Bento

2007/2008: 2-0 (golos de Izmailov e Vukcevic)

Treinador: Paulo Bento

2008/2009: 1-2 (golo de Moutinho)

Treinador: Paulo Bento

2009/2010: 3-0 (golos de Djaló, Izmailov e Miguel Veloso)

Treinador: Carlos Carvalhal

2010/2011: 1-1 (golo de Valdés)

Treinador: Paulo Sérgio

 

Balanço desses clássicos da penúltima década disputados no estádio José Alvalade para a Liga portuguesa: quatro vitórias do Sporting, três do FCP e três empates.

Marcámos doze golos, sofremos sete.

Melhores marcadores: Djaló e Izmailov, com dois.

Três anos, três títulos

Pode ser surpreendente para alguns, até para uns quantos adeptos leoninos, mas nas últimas três épocas futebolísticas o Sporting é o clube português com mais títulos - a par do Porto e perdendo apenas um troféu na comparação com os azuis-e-brancos.

Em títulos, no mesmo período, o Benfica segue empatado com Aves e Braga.

 

Fica o inventário, para evitar certas inverdades que vou lendo e ouvindo por aí, até em órgãos de informação que tinham a obrigação de perceber um pouco mais de futebol:

- FC Porto: 3 títulos e 1 troféu (campeonato 2018, Supertaça 2018, campeonato 2020, Taça de Portugal 2020)

- Sporting: 3 títulos (Taça da Liga 2018, Taça da Liga 2019, Taça de Portugal 2019)

- Benfica: 1 título e 1 troféu (campeonato 2019, Supertaça 2019)

- Aves: 1 título (Taça de Portugal 2018)

- Braga: 1 título (Taça da Liga 2020)

 

Nestas coisas, o melhor é argumentarmos sempre com a linguagem dos números. Que não enganam.

Pódio dos pontos: Jardim, Keizer e Marco

Analisando o desempenho dos últimos dez treinadores que prestaram serviço ao comando da equipa principal do Sporting, encontramos a lista escalonada de forma surpreendente na relação entre jogos disputados e pontos conquistados.

Tiago Fernandes (só com três jogos) e Leonel Pontes (com apenas quatro) figuram aqui para "cumprir calendário", como se diz na gíria do futebol. Um está no topo, outro está no fundo.

O que realmente interessa é a radiografia estatística dos restantes oito, que cumpriram jogos suficientes para poderem ser avaliados com algum rigor. No pódio estão os dois únicos treinadores que conquistaram a Taça de Portugal para o Sporting na última década: não há coincidências. E também o primeiro (e até agora único) técnico que exportámos com lucro para os cofres da SAD leonina.

O "mestre da táctica", que acaba de ser recebido no mais velho rival do Sporting como se fosse o Tom Cruise em dia de estreia de Top Gun, fica-se pelo meio da tabela. E, dos treinadores de Frederico Varandas, José Peseiro é o que apresenta melhor média a seguir ao holandês. 

Silas, sem novidade, anda lá por baixo. E o seu sucessor, Rúben Amorim, ainda não conseguiu muito melhor. Decepcionante é a prestação estatística de Jesualdo Ferreira, outra surpresa revelada por estes números.

 

Tiago Fernandes: 2,33 (só três jogos)

Leonardo Jardim: 2,20

Marcel Keizer: 2,14 (dois títulos)

Marco Silva: 2,08 (um título)

Jorge Jesus: 2,07 (um título e um troféu)

José Peseiro: 2,00 

Rúben Amorim: 1,91

Silas: 1,86

Jesualdo Ferreira: 1,83

Leonel Pontes: 0,25 (só quatro jogos)

 

Fonte: Transfermarkt

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D