Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Para avivar a memória de Dias da Cunha

«Godinho Lopes aprendeu comigo. Está a ser um excelente presidente.»

Dias da Cunha, 26 de Abril de 2012

 

«Godinho Lopes é um excelente condutor de homens e um excelente gestor.»

Dias da Cunha, 17 de Julho de 2012

 

«Tenho a certeza que Godinho Lopes é o homem indicado para liderar os destinos do Sporting e procurar as melhores soluções.»

Dias da Cunha, 27 de Julho de 2012

Rasca

O Sporting não precisa de encontrar inimigos no exterior. Os piores inimigos do Sporting estão - e sempre estiveram - no interior.

Lembrei-me disto há pouco, ao escutar só agora declarações de um antigo presidente do clube, António Dias da Cunha, que apela aos berros - as declarações foram proferidas na Antena 1 - ao internamento de Bruno de Carvalho num manicómio.

Transcrevo as referidas declarações para mais tarde recordar:

«Para mim o presidente do Sporting ia para um manicómio. É absolutamente inacreditável, uma loucura... Um investidor? E depois? O investidor compra o Sporting? Compra a SAD do Sporting? Quais são as condições para o investidor, qual é a contrapartida para o investidor? Eu, sinceramente, continuo à espera que tudo isto [contratação de Jorge Jesus] seja uma brincadeira de mau gosto e não passe disso. Sendo do presidente do Sporting, se tornou isto verdade, a meu ver, é manicómio! É uma loucura, é anti-Sporting, é totalmente anti-Sporting, é um crime contra o Sporting!»

Isto diz quase tudo sobre a elegância, a elevação e o estilo da personagem em causa. O verniz de certos cavalheiros estala com muita facilidade na primeira curva do caminho...

Por estes dias tenho ouvido muitos benfiquistas pronunciarem-se sobre o Sporting. Não ouvi nada tão rasca.

Pirómanos anti-Bruno e anti-Marco

2014-12-26 20.28.54.jpg

 

O bom senso parece ter prevalecido, no sentido em que alguns de nós vínhamos escrevendo há vários dias aqui no blogue.

Permito-me, pela minha parte, lembrar textos como este ou este.

Tenho a consciência de que os apelos à pacificação interna, multiplicados em blogues que merecem crédito, acabaram por fazer o seu caminho junto da direcção leonina e do próprio presidente, leitor atento da blogosfera.
Um passo muito importante foi dado na direcção correcta, como o Paulo Gorjão já sublinhou. Lamentavelmente houve quem no universo do Sporting tivesse debitado as maiores barbaridades contra Bruno de Carvalho e/ou Marco Silva: basta espreitar algumas caixas de comentários. E não faltaram as vozes incendiárias de algumas personalidades supostamente responsáveis que, num sentido ou noutro, se limitaram a lançar gasolina na fogueira.

 

Refiro-me, por exemplo, ao ex-presidente Dias da Cunha e também a José Eduardo, ex-presidente do Sindicato dos Jogadores.

O primeiro, falando à Rádio Renascença, voltou a exteriorizar o seu ódio visceral a Bruno de Carvalho disparando desta forma: «Se calhar o blackout evita que o presidente continue a dizer disparates, serve para calar o presidente que, esse sim, é que tem de se calar.» Num desmentido vivo do lugar-comum que associa idade madura a sensatez.

O segundo, hoje mesmo, produziu declarações inaceitáveis contra o treinador do Sporting recolhidas pela RTP no seu frenesim anti-Sporting: «O Marco Silva já não está a fazer nada no Sporting. Tem interesses próprios, que não são os interesses do Sporting, são de gente que pretende destruir o Sporting.» Declarações que vão originar uma queixa-crime, já anunciada.

 

Tudo isto, naturalmente, deixa feridas difíceis de sarar.

Uma vez mais, no Sporting, dispara-se contra o inimigo interno: esquecem por completo, estes pirómanos anti-Bruno e anti-Marco, que os adversários estão lá fora, não cá dentro.

Mais uns disparos de "fogo amigo"

diasdacunha1[1].jpg

 

Depois das lamentáveis declarações de Godinho Lopes, a menos de 48 horas da realização do Porto-Sporting para a Taça de Portugal, outro ex-presidente do Sporting usa o espaço mediático que generosamente é reservado a estratégias editoriais adversas ao nosso clube para disparar um chorrilho de impropérios contra Bruno de Carvalho. Fiel ao seu estilo de apedrejar primeiro e reflectir depois, Dias da Cunha acusa o actual presidente de "criar um Sporting rasca", sem respeito pelo passado e guiado por impulsos demagógicos.

Tudo isto, espantosamente, enquanto defende o indefensável: a indigitação de Luís Duque para a presidência da Liga de Clubes. Apesar de se tratar da mesma pessoa que foi despedida por mau desempenho enquanto responsável desportivo durante o mandato de Godinho Lopes e se encontra em litígio judicial com a actual direcção leonina. Esquecendo-se aliás das críticas que ele próprio já fez a Duque. Há dois anos, congratulou-se com a sua saída de Alvalade, considerando-a "muito positiva para que o futebol volte a ser devidamente comandado" . E antes classificara de "abraço de jibóia" o cumprimento de Duque a Sá Pinto nas vésperas do afastamento do treinador.

O Sporting é originalíssimo nestas sessões de "fogo amigo". Enquanto os benfiquistas se unem em torno dos seus dirigentes e os do Porto se comportam como soldados em parada, chova ou faça sol, em Alvalade alguns ex-presidente não resistem à tentação de figurar na primeira linha de combate ao próprio clube, procurando mobilizar acólitos nesta guerrilha interna.

Se eu quisesse usar a linguagem de Dias da Cunha - que há dois anos, com a elegância que o caracteriza, chamou "criminoso" a Eduardo Barroso, então presidente da assembleia-geral do Sporting - consideraria isto um comportamento "rasca". Mas, sinceramente, não me apetece baixar mais o nível da conversa.

Faz hoje um ano

 

Prosseguiam as especulações sobre a possível saída do treinador, não faltando já quem desse como garantida a substituição de Jesualdo Ferreira pelo técnico brasileiro Celso Roth. E começavam, por outro lado, as notícias especulativas sobre o eventual fim da carreira de certos jogadores no Sporting, a pretexto da necessidade de o clube equilibrar as contas por imposição do acordo celebrado com a banca. Rui Patrício e Capel eram saídas dadas como praticamente certas em alguma comunicação social.

"Ao menos que saibamos que o treinador para a próxima temporada continuará a ser o mesmo", pedia aqui o Francisco Melo. O Adelino Cunha, por sua vez, ironizava: "Então agora nós vamos a reboque dos assessores do Benfica que meteram as notícias sobre o Sporting? Digam-me lá se vamos discutir o futuro do Jesualdo Ferreira na véspera de ir à Luz?"

 

O assunto levou a direcção do clube a divulgar um comunicado nesse dia 18 de Abril de 2013.

"Conhecemos o interesse de alguns empresários e agentes em promoverem os seus jogadores e treinadores. Mas o Sporting não aceita manobras propagandistas que deveriam obrigar sempre quem devia ter por base fontes credíveis a um rigoroso escrutínio. Basta de invenções, nem treinadores brasileiros nem de outra qualquer nacionalidade! Como sempre afirmámos, o Sporting tem um treinador português, que é Jesualdo Ferreira, e um plantel definido, e é com eles que contamos e com mais ninguém", referia o comunicado.

 

Entretanto, numa demonstração clara de que os velhos vícios reinantes no clube tarde ou nunca se dissipam, o ex-presidente leonino Dias da Cunha concedia uma entrevista à TSF em que fazia de Bruno de Carvalho o alvo principal. Como se a campanha eleitoral no clube ainda não tivesse terminado. Como se os sócios não tivessem feito opções claras no escrutínio de 23 de Março.

"Claramente, o actual presidente do Sporting não foi o meu candidato. O meu candidato foi José Couceiro. Ele perdeu porque foi verdadeiro. Foi sério, foi rigoroso e não fez promessas em vão. O candidato que ganhou conseguiu-o com promessas completamente... feitas de qualquer maneira", disse o antigo presidente nesta entrevista. Em que se gabava de ser amigo de Luís Filipe Vieira.

 

Faltavam três dias para o Benfica-Sporting.

O que dizem eles

 

Dias da Cunha - « Admitir a substituição do treinador é insistir nos erros que o Sporting tem cometido nos últimos anos. Sá Pinto está a ser atacado injustamente, pois uma equipa leva tempo a formar-se. o Sporting tem um grupo muito jovem com uma média de 22 anos e alguns jogadores só nesta época estão a actuar juntos. Não tenho razões para pensar que o FC Porto e o Benfica têm melhores equipas.

 

Abílio Fernandes- « Acho que Sá Pinto tem de pensar seriamente no que anda a fazer. Ainda não conseguiu ganhar nada e, no ano passado, perdeu a Taça, pois quem levou a equipa à final foi o Domingos Paciência. Este ano começou pessimamente a época e não estou a ver bons horizontes, para o Sporting e para Sá Pinto. Talvez lhe falte experiência. Ele estava a fazer um bom trabalho nos juniores, mas lidar com miúdos não é o mesmo de lidar com profissionais de barba rija, que sabem o que querem ». 

Carlos Xavier - « Em meu entender não é uma crise de jogo, é uma crise de pontos. É necessário fazer um jogo mais inteligente. A equipa até não está a jogar mal, mas tem um jogo muito mastigado. Os jogadores têm que pressionar mais e levar o jogo mais à frente. Têm de abrir mais espaços para Carrillo.  Falharam oportunidades de matar o jogo, depois sofreram ». 

 

Augusto Inácio  « O Sporting reforçou-se bem mas falta-lhe um ponta de lança. À medida que os jogos vão avançando e as vitórias não chegam, os jogadores vão perdendo a confiança. É mais um problema de acreditar do que de qualidade. O Sporting está num grupo da Liga Europa com equipas vulgares. O Sporting é a equipa mais forte. O Basileia é muito, muito frágil. Desceu muito de qualidade. O Sporting tem tudo para ganhar.

 

O que dizem eles

 

 

« A decisão de recusar propostas por cinco jogadores no último defeso, de forma a não hipotecar o projecto desportivo da equipa, é completamente certa. Independentemente dos problemas financeiros e do jeito que possa dar a entrada de dinheiros com transferências de jogadores, tem de se fazer uma escolha. Se assim não for o Sporting estará, permanentemente, a recomeçar a formação de uma equipa. Os primeiros jogos do campeonato não foram bons, pois perdemos cinco pontos por culpa. Os jogadores têm qualidade, mas qualquer deles faz uma asneira que o Sporting paga caro. Isto é típico de uma equipa em formação. Por isso, espero sinceramente que o Sá Pinto consigar consolidar uma equipa».

-    Dias da Cunha    - 

 

Observação: Esperamos todos que assim seja, a começar já no próximo jogo frente ao Marítimo. 

O que dizem eles

- «Infelizmente, temo que mais uma vez o Sporting seja prejudicado no início do campeonato. Na temporada passada, o que se passou nas primeiras jornadas foi uma vergonha completa. Bom, não só no princípio, mas em mais alguns jogos, o Sporting foi deliberadamente prejudicado. Quiseram atirar o Sporting para baixo na classificação e depois claro que foi muito difícil a recuperação».

- «Este ano não sei o que se vai passar, mas temo que volte volte a acontecer algo do género. Isto porque nada do que é importante foi alterado. A arbitragem não pode continuar entregue a ela própria. É inacreditável que os responsáveis da Liga, FPF e o Governo assobiem para o ar».

- «O Movimento dos Presidentes foi posto em causa por culpa do Benfica e depois cada um foi para o seu lado. Foi depois disso que apareceu o célebre Manifesto, que logo foi colocado na gaveta, nem sequer discutido foi! Estão lá as medidas todas a aplicar para melhorar o sector da arbitragem».

- «Olhe, posso dizer que o sistema hoje ainda existe, como se provou na época passada. Quem são os rostos? É um sistema que é independente das pessoas... Mas para acabar com o sistema é preciso uma gestão responsável da arbitragem. O sector não pode estar integrado na Liga ou na FPF, tem de ser autónomo, tendo acima de si uma entidade que se responsabilize».

- «Sei que não é o Sporting que domina o sistema. Aliás, o Sporting é o alvo principal dos árbitros, algo que já vem do meu tempo. É culpa minha, pelo facto do Sporting ter lutado contra o estado das coisas. Neste momento, existe uma guerra surda entre o FC Porto e o Benfica para controlar o sistema, mas não tenho dados que me permitam dizer qual dos dois detém a supremacia».

-    António Dias da Cunha    - 

O que dizem eles

 

«Confio muito no presidente Godinho Lopes. O grande problema do Sporting é de insuficiência de capitais próprios. O Sporting não pode viver de financiamento atrás de financiamento. No entanto, Godinho Lopes é um excelente condutor de homens e gestor. É muito calmo e tranquilo mas sabe levar a sua decisão em frente, embora existam opiniões disparatadas a dizer o contrário. Quanto à nova época, temos de esperar para ver. O Sporting na época passada chegou a ter futebol da melhor qualidade, tanto com Domingos como com Sá Pinto. Do melhor futebol que foi praticado em Portugal, e mesmo assim não ganhou nada».

 

-    António Dias da Cunha    -

 

Observação: Com o problema à raiz devidamente identificado - já há algum tempo - é o desejo de todos os sportinguistas que se encontrem as indispensáveis soluções.

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D