Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

É dia de jogo

WhatsApp Image 2024-01-05 at 17.00.57.jpeg

É uma sexta e o jogo é cedo, trouxe o equipamento na mochila (ainda está a valer usar Natal pelo menos até amanhã, dia de Reis). Terça será igual. 

No último Sporting - Estoril fomos felizes, com golos de Trincão (um belíssimo golo) e Bellerín, um rapaz que usava - e usa - os calções à antiga. Gostei muito, que seja parecido hoje.

 

É dia de jogo

É hoje o jogo de apresentação da equipa do Sporting aos sócios frente a mais uma equipa espanhola, o Villarreal, que terminou em 5.º lugar o respectivo campeonato.

Segundo o Record, o plantel a apresentar mais logo aos sócios vai ser o seguinte, ordenado por idade e indicando o número de épocas que cada um deles leva no Sporting, contando com as passagens por outros clubes pelo meio e com três anos na "escolinha" do clube no caso de alguns:

Treinador:

Rúben Amorim: 38 / 4

Jogadores:

1. António Adán: 36 / 3, 1,90m

2. Luís Neto: 35 / 4, 1,85m

3. Sebastian Coates: 32 / 6, 1,96m

4. Ricardo Esgaio: 30 / 18, 1,72m

5. Paulinho: 30 / 3, 1,87m

6. Matheus Reis: 28 / 3, 1,84m

7. Nuno Santos: 28 / 3, 1,77m

8. Hidemasa Morita: 28 / 1, 1,77m

9. Jeremiah St. Juste: 26 / 1, 1,86m

10. Pedro Gonçalves: 25 / 3, 1,73m

11. Vicktor Gyokeres: 25 / 0, 1,87m

12. Jovane Cabral: 25 / 9, 1,74m

13. Marcus Edwards: 24 / 2, 1,68m

14. Daniel Bragança: 24 / 14, 1,69m

15. Francisco Trincão: 23 / 1, 1,84m

16. Franco Israel: 23 / 1, 1,90m

17. Jeny Catamo: 22  / 4, 1,74m

18. Gonçalo Inácio: 21 / 11, 1,85m

19. Eduardo Quaresma: 21 / 11, 1,85m

20. Ousmane Diomande: 19 / 1, 1,90m

21. Youssef Chermiti: 19 / 8, 1,92m

22. Diogo Callai: 19 / 8, 1,92m

23. Mateus Fernandes: 19 / 7, 1,78m

24. Dário Essugo: 18 / 8, 1,78m

25. Afonso Moreira: 18 / 8, 1,76m

26. João Muniz: 18 /4, 1,90m

 

O que dizer deste plantel?

1. Um plantel com um peso importante da formação e com uma média bem elevada de anos de casa, nas antípodas das "legiões estrangeiras" acabadas de chegar do tempo do Jorge Jesus.

2. Um plantel bem mais possante do ponto de vista físico (50% com 1,84m ou mais) do que o da época passada.

3. Um plantel que demonstra bem o enorme buraco de qualidade que Amorim encontrou na formação do Sporting, apenas Daniel Bragança e Jovane Cabral, nenhum deles titular, representam a geração de Alcochete que foi campeã de juvenis e juniores há seis anos. Ganhar títulos na formação nunca pode ser o objectivo principal da academia de Alcochete.

4. Um plantel que justifica o pedido de dispensa de alguns para os compromissos das selecções abaixo da sua capacidade actual.

5. E um plantel que continua a precisar de dois ou três retoques em posições centrais, a começar por um jogador com a idade e o físico de Gyokeres para a posição 6, já que Pedro Gonçalves parece ter assumido definitivamente a posição 8.

 

Sendo assim só faltam umas horas para rumar a Alvalade para participar na festa, ver a equipa do Sporting pela primeira vez esta época a cores e ao vivo, e assim poder ter uma opinião mais fundamentada sobre a real valia da mesma para alcançar os objectivos da época.

Toda a confiança em Amorim, um treinador inteligente, coerente, comprometido, trabalhador, inovador, disciplinador, que promove e defende até ao fim o espírito de grupo. Um líder como muito poucas vezes tivemos à frente da equipa. O que não quer dizer que não falhe aqui e ali no processo de treino, nas ideias de jogo, no relacionamento com personalidades mais complicada ou nas apostas noutras personalidades mais limitadas. 

Não há homens perfeitos, muito menos treinadores e jogadores. E se o fossem não estariam de certeza no Sporting. Amorim disse mais ou menos isso sobre St.Juste (que tem tido tantas lesões no Sporing como Nuno Mendes no PSG) e tem toda a razão.

E mais logo:

O Mundo Sabe Que, Pelo teu amor eu sou doente Farei o meu melhor Para te ver, Sempre na frente Irei onde o coração Me levar e sem receio Farei o que puder Pelo meu Sporting !!!

SL

É dia de jogo

Já vai tarde, mas cá vai, pouco antes de pegar no carro e rumar a Alvalade.

Começa hoje a 2.ª volta da Liga, o Sporting recebe o Sp.Braga com quem empatou na ronda inaugural e goleou há poucas semanas em Alvalade para a Taça da Liga.

O mercado de Inverno ditou as suas leis, o senhores João Pinheiro e Cláudio Pereira (vale a pena ver a mensagem de Rui Santos ao putativo melhor árbitro português, mas atenção que o outro senhor é mesmo do pior que já vi com o apito na boca) também, e o Sporting vai entrar em campo sem dois dos indiscutíveis titulares, Porro e Paulinho, e sem Marsà e Jovane no banco. Essugo está lesionado.

Se no que respeita a Porro está lá Esgaio, que tem obrigação de fazer bem melhor do que o que tem feito, no que respeita a Paulinho está lá... ninguém. Pelo que, ou Rúben Amorim vai voltar ao ataque móvel que nos deu quase tantas derrotas como vitórias, ou vai dar oportunidade ao Chermiti de demonstrar que temos ali o Zicky Té do futebol. Por falar nisso, esse rapaz não pode mudar de modalidade?

Acredito que opte pela primeira hipótese pelas características dos defensores do Sp. Braga, Musrati incluído, com trocas de posição constantes que baralhem as marcações e propiciem oportunidades de golo. O problema vai ser mesmo meter a bola lá dentro antes que o Sp.Braga a meta e monte o autocarro.

 

Assim, prevejo que o Sporting entre em campo com:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Esgaio, Ugarte, Morita e Nuno Santos; Edwards, Pedro Gonçalves e Trincão.

No banco:

Israel, Nazinho (?), Tanlongo, Sotiris, Rochinha, Arthur Gomes e Chermiti.

 

Muito ainda para ganhar esta época, a começar por este jogo, que nos coloca contra a equipa que está logo à nossa frente. Só a ultrapassando poderemos chegar à seguinte, que por agora pouco interessa qual é. Jogo a jogo, posição a posição, é assim que a equipa tem de encarar o resto da temporada. 

Toda a confiança em Rúben Amorim, mas a verdade é que os reforços não vieram, apenas existiram duas substituições directas no plantel. E se o plantel era curto e desequilibrado, curto e desequilibrado ficou. 

Somos leões, vamos a eles e que desta vez a sorte nos proteja.

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... não no estádio como em Arouca, mas em frente à TV.

Hoje não interessa o que se passou até agora nesta época, a posição na Liga ou a eliminatória a disputar com os dinamarqueses, interessa apenas levar de vencida o Arouca para chegar à final e tentar levantar a Taça da Liga. 

Esta competição tem a importância que tem, nem mais nem menos, se calhar quem a desvaloriza é o primeiro na fila para se indignar se o seu clube não a ganhe. Eu quero que o Sporting faça tudo para ganhar e ganhe, depois se pensa no Braga.

O Arouca é uma equipa bem estruturada e atravessa um bom momento, confortável a contra-atacar a partir dum bloco baixo, o Alan Ruiz está a ter um desempenho que nunca conseguiu no Sporting de Jorge Jesus. Mas foi mesmo com muito azar e demasiada azelhice na concretização que um Sporting cansado e desfalcado de titulares importantes perdeu em Arouca.

Trincão está engripado, se calhar já estava em Alvalade para ter jogado tão mal como jogou, e vai estar fora, pelo que devemos ter Pedro Gonçalves de regresso ao seu lugar. Com Morita de regresso, a dúvida será se St.Juste entrará de início. Talvez entre mais tarde no jogo, importa que os três defesas corrijam posicionamentos em que falharam nos últimos encontros.

O onze inicial deverá então ser o seguinte:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro, Ugarte, Morita e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Pedro Gonçalves.

No banco deverão estar Israel, St.Juste, Marsà, Esgaio, Arthur Gomes, Tanlongo, Rochinha e Jovane.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... no estádio mesmo, aproveitando para ver o basquetebol e tentar perceber que bicho mordeu à equipa que estava em perda e na semana passada arrecadou a Taça.

Com todo o melhor onze disponível não há desculpas para não vencer e convencer hoje contra o Vizela. Para isso a receita está mais que inventada: entrar com tudo e tentar marcar bem cedo, antes do adversário acertar marcações e se sentir confortável no jogo. Depois, a ter de fazer pela vida, tudo fica mais fácil para nós.

A defesa não esteve nada bem na Luz. Rúben Amorim teve de reorganizá-la com o jogo empatado. Falam de Inácio e Matheus Reis mas para mim a principal responsabilidade é do comandante Coates que falhou na definição da linha defensiva nos dois golos sofridos. Entrou St. Juste, que está sem ritmo, e arriscou demasiado nas entradas. Hoje talvez fosse melhor voltar ao onze inicial da Luz e levar a jogo St.Juste e Morita na 2.ª parte.

 

O onze inicial deverá então ser o seguinte:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro, Ugarte, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.

No banco deverão estar Israel, St.Juste, Marsà, Esgaio, Arthur Gomes, Sotiris, Rochinha e Jovane.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... não no estádio como no ano passado, mas em frente à TV na casa dum amigo benfiquista.

Depois da "martelada" que levámos no Funchal este dérbi vai servir para muita coisa, por exemplo para redefinir os objectivos da equipa esta época, para tomar opções quanto ao mercado de Inverno e para definir o estado de saúde interno dum clube muito dado à bipolaridade.

Nesta semana muito se falou em atitude, em ADN, entraram em comparações com o Porto como se alguma vez a mentalidade daquela gente no bom, no mau e no péssimo fosse alguma vez imaginável no Sporting, e até a nossa brilhante equipa de futsal entrou na comparação.

Ora bem, eu francamente não vejo grandes diferenças entre as equipas das diferentes modalidades do Sporting, incluindo o futebol e o futsal em termos comportamentais e de ADN Sportinguista. O que vejo são capacidades, maturidades e momentos diferentes, que têm a ver com curriculum de títulos, estabilidade das lideranças, capacidade de investimento de acordo com as necessidades de cada uma, retenção de elementos-chave, autoridade do grupo de capitães, potencial da formação, etc. E a equipa de futsal ganha à equipa de futebol em todos esses pontos.

 

Mas voltanto ao dérbi: vamos entrar na Luz com um onze ao nível do rival, ambos com pontos fracos e fortes, e nestes jogos a inspiração dum ou doutro vai fazer a diferença.

Num jogo com muito mais espaço, o trio dos "levezinhos" Pedro Gonçalves, Trincão e Edwards está nas suas "sete quintas". Mas também podem fazer a diferença os reforços vindos do banco e nesse aspecto o Sporting perde imenso em comparação. Nas alas Porro e Nuno Santos vão também ser muito importantes, vão obrigar o Benfica a compensações diferentes do que está habituado.

 

O onze inicial deverá então ser o seguinte:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro, Ugarte, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.

No banco deverão estar Israel, St.Juste, Marsà, Esgaio, Arthur Gomes, Sotiris, Rochinha e Jovane.

Muito ainda para conquistar esta época, a começar pela vitória no dérbi. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... nem sei bem onde, mas logo se verá.

Este novo confronto com o Marítimo, pouco tempo depois da goleada de Alvalade e antes do dérbi da Luz, pode parecer fácil. Mas jogar nos Barreiros nunca foi fácil: o relvado muitas vezes parece um batatal e a equipa da casa sempre a fazer pela vida arriscando o mínimo.

Mais uma vez as preocupações quanto ao Sporting estão no meio-campo. Sem poder contar com Morita, Pedro Gonçalves e Essugo, deverão alinhar Ugarte e Mateus Fernandes. E vai ser um teste para Mateus Fernandes: a posição 8 requer não apenas jogar para frente mas também muito trabalho defensivo e saber correr para trás. Sotiris parece-me bem mais talhado do que Mateus para a posição, mas continua a pecar na impetuosidade com que entra aos lances. Custam amarelos desnecessários e podem conduzir à expulsão.

Nos outros sectores estamos melhor que nunca. Porro e Nuno Santos estão em excelente forma, e o trio avançado está cada vez mais rotinado.

 

O onze inicial deverá então ser o seguinte:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro,Ugarte, Mateus Fernandes e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.

No banco deverão estar Israel, Esgaio, Arthur Gomes, Sotiris, Rochinha, Jovane e Rodrigo Ribeiro.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez a cores e ao vivo em Alvalade.

Depois do Sp.Braga para a Taça da Liga segue-se agora o Paços de Ferreira para a Liga. O pior que se pode fazer é pensar que se ganhámos por 6 agora vamos ganhar por 7 ou 8. Desta vez o empate serve o adversário, e toda a despesa do jogo vai correr à conta do Sporting.

Não jogando Ugarte e Morita, o desequilíbrio causado pelo recuo de Pedro Gonçalves vai notar-se, Essugo terá de refrear-se com medo dos amarelos, trocando o meter o pé pelo controlo do adversário pelo físico, e a coisa pode complicar-se se... não entrarmos com tudo e marcarmos cedo. Mas é preciso dizer que o Essugo está melhor de jogo para jogo, joga com critério e raramente falha um passe, experiência acumulada de jogos sucessivos por equipas de escalões diferentes, cada vez mais um exemplo de sucesso desta política de focagem no jogador.

De resto o trio atacante que destroçou o Sp.Braga nunca esteve tão bem esta temporada. Paulinho voltou à boa forma e a correr o tempo todo, Trincão é outro desde que mudou de lado e começou a jogar de "pé certo" e Edwards é... o "soneca". Um pequeno mágico com muitos coelhos na cartola. Fala-se no regresso de Sarabia, mas francamente se há posição onde estamos bem servidos é na de interior/extremo.

No restante onze é preciso destacar Porro, finalmente em boa forma física, além de tudo o resto tecnicamente perfeito a centrar, para mim claramente o melhor ala/lateral direito do Sporting de todo o meu tempo. 

Quem acredito que vá ter minutos é Rodrigo Ribeiro, que renovou contrato. Tem sido essa a estratégia de Amorim para premiar os jovens e ao mesmo tempo lhes traçar objectivos a atingir face ao desempenho demonstrado. Este Rodrigo Ribeiro lembra por vezes o falecido Fernando Gomes, tem aproveitado muito bem a Liga 3 para evoluir na luta contra defesas possantes e experientes, mas que ninguém espere dele que esteja em condições de fazer agora o que Paulinho faz em campo. Vamos com calma.

 

O onze inicial deverá ser então o seguinte:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro, Essugo, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.

No banco deverão estar Israel, Esgaio, Arthur Gomes, Sotiris, Rochinha, Jovane e Rodrigo Ribeiro.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez a cores e ao vivo em Alvalade.

Estes três últimos jogos para a Taça da Liga foram importantes para recuperar a melhor condição física e psicológica e alargar o plantel "efectivo" da A através das oportunidades dadas a alguns da equipa B que demonstraram condições. Marsà e Essugo demonstraram que podem ser alternativas válidas a Coates e Ugarte, Arthur a Nuno Santos, pelo que a grande questão continua a ser a posição "Matheus Nunes".

Morita está lesionado. Mateus Fernandes teve a sua oportunidade mas é um "10" e não um "8" como Bragança. Sotiris, que recebeu o prémio de melhor jogador jovem da Grécia na temporada passada, está a ser reformatado a "6" para ganhar posicionamento e disciplina táctica com ganhos para a próxima época. Diogo Abreu sofre as consequências de não ter tido pré-época em condições e falta-lhe ainda rotatividade. Sobra... Pedro Gonçalves. Não há mais ninguém. Só adiantando Ugarte e colocando Essugo nas suas costas.

E voltamos ao mesmo, o goleador da equipa a meio-campo é um desperdício, Trincão e Edwards não têm a mesma influência lá na frente. Pedro Gonçalves não é nem de longe um Matheus Nunes, não tem a mesma força física para defender, nem para as cavalgadas que queimam linhas. O que frente a um Braga, cujo ponto forte é mesmo o meio-campo comandado por Musrati, pode ser um grande problema.

 

Amorim já veio dizer que Adán irá alinhar, pelo que o onze inicial deverá ser o seguinte:

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro, Ugarte, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.

No banco deverão estar Israel, Esgaio, Essugo, Arthur Gomes, Sotiris, Rochinha e Jovane.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

Desta vez de forma muito sintética, vou falar sobre aquilo que é de esperar sobre o jogo de logo à noite em Alvalade.

Mais ou menos assegurada a passagem à fase seguinte da Taça da Liga, Mateus Fernandes e Jovane vão ter a oportunidade de dizer se vale a pena contar com eles para a segunda metade da temporada. Marsà e Essugo já disseram que sim, Israel já tinha demonstrado que não fica atrás de Max ou de Virgínia. Alcantar também está convocado, mais um jovem de valor para lançar hoje ou num dia destes.

Com as lesões de alguns jogadores mais experientes os mais novos têm de se chegar à frente.

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez no sofá em frente à TV.

Neste jogo com o Rio Ave decide-se o acesso à fase final da Taça da Liga. As duas equipas que vão defrontar-se ganharam na primeira ronda, o Sporting por goleada. Nesse jogo a grande novidade, pelo menos para mim, foi Trincão a jogar do lado esquerdo, onde se torna um jogador muito mais vertical e incisivo do que a jogar de "pé trocado", e articula muito bem com Nuno Santos.

Já regressaram os nossos mundialistas. Mas só Ugarte está em condições de ir a jogo. Os restantes terão um merecido descanso antes de enfrentar o resto da época.

Amorim já veio dizer que Adán irá alinhar, pelo que deve ser essa a única alteração relativamente ao onze que entrou contra o Farense:

Adán; Inácio, Marsà e Matheus Reis; Porro, Essugo, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Edwards, Paulinho e Trincão.

No banco deverão estar Sotiris, Esgaio, Ugarte, Arthur Gomes, Sotiris, Rochinha e Jovane.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... em Alvalade, para ver o jogo como deve ser, a cores e ao vivo.

Até para aplaudir, o mais entusiasticamente que me for possível, a extensão do contrato de Rúben Amorim como treinador do Sporting até 2026, além de todas as suas virtudes e defeitos enquanto treinador de futebol que muito aqui às vezes valorizo e outras critico, não tenho a mínima dúvida que é a pessoa certa para potenciar toda uma nova geração de talento que está a ser preparada em Alcochete dentro duma filosofia de exigência de desempenho, comportamentos e atitude no campo e fora dele e de respeito pelo ADN Sporting. 

E porquê 2026 ? Porque coincide com o fim do segundo mandato de Frederico Varandas como presidente do Sporting. Não há dúvida que é este o treinador dele até pela aposta financeira que fez, com um Silas qualquer não tinha quaisquer hipóteses de ser reeleito, depois se verá o resto. 

Imagino como o Mustafá estará satisfeito, depois do post que escreveu e da campanha que promoveu na Curva Sul, os seus desejos foram concretizados. Sem ironias, depois da sua intervenção pública, a diferença entre o comportamento da sua claque, de Arouca para Alvalade contra o V. Guimarães, foi da noite para o dia. Agora só tem de assim continuar, a começar por hoje mesmo. Os jogadores irão lá ao pé agradecer quando a claque os aplaudir e ajudar sem restrições em vez de os insultar quando o resultado é negativo e mais do que nunca precisam do seu apoio. 

 

É um momento estranho para disputar uma Taça da Liga, em pleno desenrolar do Mundial do Catar, mas se calhar é o momento possível e importante na manutenção da forma para quem andou semanas a dar o máximo e de repente parou.

Sobre o Mundial deixo o meu balanço para outra oportunidade, apenas refiro que alguns vão sair de lá com minutos e outros não passarão do banco, uns sairão cansados outros com o ritmo quebrado.

Contra o Farense, que está a fazer uma boa campanha na 2.ª Liga, não há muita margem para inventar, sob pena duma derrota em casa. Pelo que irá alinhar a melhor equipa, salvo uma ou outra excepção, como no caso de Israel vs Adán. Sobre Sotiris Amorim já disse que ele tem vindo a treinar a 6 para aprender posicionamentos, e que neste jogo entrará Essugo. Sendo assim, vamos ter mais uma vez o Pedro Gonçalves a 8, um desperdício.

 

Admitindo que St.Juste tenha ultrapassado a situação derivada da pancada no treino, imagino que o onze seja o seguinte:

Israel; St.Juste, Marsà e Inácio; Porro, Essugo, Pedro Gonçalves e Matheus Reis; Trincão, Paulinho e Arthur.

No banco deverão estar Adán, Esgaio, Nuno Santos, Edwards, Sotiris, Rochinha e Jovane.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez no sofá em frente à TV.

Foi uma semana completamente atípica para Amorim, o Sporting ganhou no fim de semana passado, ninguem se lesionou, conseguiu treinar à vontade toda a semana, até pode repetir o onze inicial.

Ontem em Oliveira do Hospital Fatawu jogou e marcou um golaço na derrota da equipa B (o desempenho da mesma fica para outro post), os que não alinharam foram Marsà e Essugo, com certeza reservados para hoje.

O Famalicão tem sido a besta negra do Sporting nos últimos anos, com vários empates e derrotas. Sempre com muitos jovens talentosos que dão tudo nestes jogos, de lá vieram Pedro Gonçalves e Ugarte, e talvez vejamos um ou outro que poderiam vir também.

O grande problema do Sporting nos jogos contra o Famalicão tem sido deixar partir o jogo, atacando muito mas facilitando o contragolpe adversário normalmente em slaloms rápidos apenas parados em faltas ou concedendo cantos, e dos slaloms ou dessas bolas paradas surgem os golos. Para que isso não aconteça o Sporting tem de construir com calma e explorar as alas, evitando ao máximo perder bolas na zona central.

A aposta em Arthur para mim é para manter, tem mais amplitude de jogo do que Trincão e Ugarte, que poderão entrar num momento mais avançado da partida. Com St.Juste finalmente em condições, prevejo que tenha entrada directa no onze:

Adán; St.Juste, Coates e Inácio; Porro, Ugarte, Morita e Matheus Reis; Pedro Gonçalves, Paulinho e Arthur.

No banco deverão estar Israel, Trincão, Edwards, Marsà, Essugo, Rochinha, Esgaio e Sotiris.

Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez fora de Alvalade acompanhando o jogo pela TV no meio de Sportinguistas como eu.

Não vale a pena falar agora da Champions ou da Liga Europa, o foco tem de estar mesmo em Alvalade e no jogo com o V. Guimarães.

Em Arouca perdemos o jogo por erros grosseiros na defesa e no ataque. Se Esgaio comprometeu resultados anteriores a defender, em Arouca Nuno Santos e outros comprometeram o resultado a atacar, e esta temporada tem tido muito disso, erros atrás de erros que comprometem resultados, mais os árbitros a enterrar e a sorte a não ajudar. Mas a última coisa que podemos fazer é andar no "tiro ao boneco" a quem falha no terreno de jogo.

Perdemos também por não entrarmos com os melhores no início. Porque estando a perder já na segunda parte, os melhores entraram numa pressão enorme que nada favorece. Rendiam muito mais no início do jogo. Hoje importa entrar com tudo e marcar depressa. Porque depois tudo se torna mais fácil.

Neste carrocel de lesões já nem sei bem quem estará em condições para o onze inicial, Nuno Santos talvez não, Ugarte e Morita talvez sim, St. Juste e Paulinho parece que também, se calhar é tempo para um ponto final do exílio do melhor goleador do Sporting no meio-campo.

E de entrarmos em campo com aquele que entendo o melhor onze do Sporting:

Adán; St.Juste, Coates e Inácio; Porro, Ugarte, Morita e Matheus Reis; Edwards ou Trincão, Paulinho e Pedro Gonçalves.

Não há bem que sempre dure, nem mal que não acabe. Muito ainda para conquistar esta época. Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez, a cores e ao vivo.

Francamente não consigo perceber o aparente desprezo com que alguns Sportinguistas encaram a Champions e assobiam o hino. Estar na Champions e passar a fase de grupos é essencial para a saúde financeira do Sporting e pela sua capacidade para competir com Benfica e Porto. Falhar a Champions, seja quem for o presidente, é ver cavar-se um fosso com os dois rivais que ficam com outros meios para investir e começar a ver os clubes regionais a morder-nos os calcanhares. É na Champions que o Sporting tem de estar todos os anos, e tem de poder e saber investir para isso mesmo, mas a história deste século é a seguinte:

00/01 - 4.º Lugar no Grupo (Augusto Inácio)

01/02 - NP

02/03 - NP

03/04 - NP

04/05 - NP

05/06 - NP

06/07 - 4.º Lugar no Grupo (Paulo Bento)

07/08 - 3.º Lugar no Grupo (Paulo Bento)

08/09 - 2.º Lugar no Grupo, eliminado nos Oitavos de Final (Paulo Bento)

09/10 - NP

10/11 - NP

11/12 - NP

12/13 - NP

13/14 - NP

14/15 - 3.º Lugar no Grupo (Marco Silva)

15/16 - NP

16/17 - 4.º Lugar no Grupo (Jorge Jesus)

17/18 - 3.º Lugar no Grupo (Jorge Jesus)

18/19 - NP

19/20 - NP

20/21 - NP

21/22 - 2.º Lugar no Grupo, eliminado nos Oitavos de Final  (Rúben Amorim)

22/23 - Logo à noite saberemos

 

O Sporting vai ter hoje o primeiro "match-point" da época. Vitória ou empate significa a passagem pelo segundo ano consecutivo da fase de grupos da Champions e a terceira na história do clube, muitos milhões arrecadados, e mais uma subida no ranking europeu (somos o 33.º), uma injecção de ânimo importante para a luta pelo 2.º lugar da Liga. Derrota, significa morrer na praia, tudo o resto é incomparavelmente inferior e seguir numa época com grandes hipóteses de seguir ainda pior do que está a acontecer e ficarmos fora da Champions no próximo ano.

O confronto é com um Eintracht de Frankfurt que acabou de perder em casa com o Borussia de Dortmund, exactamente a equipa que vencemos no "match-point" análogo da época passada. E não pode contar nesse jogo por lesão com jogadores importantes (no caso quatro), como o Sporting não pôde contar com alguns no desaire em Arouca.

Pelo que vão ser duas equipas feridas no seu orgulho e debilitadas no seu plantel aquelas que se vão defrontar mais logo em Alvalade, um jogo em que a experiência europeia pode ser determinante para saber gerir o jogo e o resultado. 

 

Na equipa do Sporting a grande questão é quem vai ser o "n.º 8", o médio-centro mais ofensivo. Não é que existam muitas opções fiáveis para a posição, mas a escolha de Amorim vai ser determinante para a definição do onze. As alternativas penso que são três: Ugarte com um trinco atrás, Pedro Gonçalves ou Sotiris (pode não ter estado bem em Barcelos, mas tem mais presença física que Mateus Fernandes). Para mim, seria Ugarte com Essugo (muito boa primeira parte em Arouca) nas costas, com Trincão a sair do onze, mas com todo o investimento feito em Pedro Gonçalves para a posição (que sempre considerei um desperdício sem sentido), chegar aqui e não ser ele, não acredito que Amorim o faça.

Paulinho fez um bom jogo em Londres enquanto foi aguentando as patadas dos defesas do Tottenham. E é essencial no controlo do meio-campo, com os recuos dele o 3-4-3 transforma-se num 3-5-2 que abre espaço para os slaloms dos dois interiores. E é importante também nas bolas paradas e nas duas áreas, não só na ofensiva, também na defensiva. 

O modelo de jogo deverá ser decalcado da 1.ª parte do Tottenham-Sporting. Construir desde trás com calma, fazer a bola chegar a um dos interiores para ele tabelar com o Paulinho e sair em slalom. Quando em ataque continuado, explorar as combinações entre interior/ala do mesmo lado. Para marcar primeiro é preciso não sofrer um antes. E marcar primeiro é crucial. 

 

Aposto por isso no seguinte onze,

Adán; Inácio, Coates e Matheus Reis; Porro, Ugarte, Pedro Gonçalves e Nuno Santos; Trincão, Paulinho e Edwards.

Com Nazinho, St.Juste, Essugo, Sotiris, Arthur Gomes e Fatawu os candidatos mais fortes para o banco a poderem ir a jogo depois.

Em tempo de guerra não se limpam armas, confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez, a cores e ao vivo.

Não vale a pena falar agora da Champions, o foco tem de estar mesmo em Arouca.

Num estádio onde fui pela primeira vez em 16/9/2012 ver o Sporting B ganhar ao Arouca que iria subir de divisão por 1-2 com um dos golos do extremo-direito Esgaio de penalti e o presidente do Arouca ou o filho, já não me recordo, pegados com o Manuel Fernandes no final. Depois voltei para um novo 1-2 em 18/01/2014, golos de Rojo e Slimani, um dos primeiros golos dele ao serviço do Sporting. Como não há duas sem três, se calhar o Sporting vai ganhar amanhã, mas têm sido assim:

12/13 : 1-2 (B

13/14 : 1-2

14/15 : 1-3

15/16 : 0-1

16/17 : 1-2

17/18 : N/J

18/19: N/J

19/20: N/J

20/21: N/J

21/22: 1-2

Disse Amorim na conferência de imprensa: "Não podemos perder mais pontos, principalmente até à paragem do Mundial." A questão é mesma essa, depois das derrotas com o Chaves e o Boavista, e agora que nos aproximámos do trio da frente, não podemos ceder de novo.

 

Sem Paulinho nem Morita e alguns outros presos por arames, vai ser preciso mesmo acertar no onze inicial para levar de vencida uma equipa de luta num relvado pequeno e fustigado pelas últimas chuvadas. 

Tudo começa na defesa. Talvez Amorim insista no trio de Londres, Inácio-Coates-Matheus Reis, com Porro ou Esgaio à direita e Nuno Santos ou Názinho na esquerda.

Depois quem vai fazer companhia a Ugarte no centro? Mateus Fernandes ou Sotiris?

E no ataque, entre Rochinha ou Arthur Gomes, algum vai entrar de início em vez de Trincão ou Edwards? Porque não aproveitar o excelente momento de forma do Fatawu?

Qual é a vossa opinião?

 

Sem intensidade e capacidade de meter o pé, o Sporting não passa em Arouca, pelo que terá de ser mesmo uma equipa de luta aquela que entrar em campo mais logo.

E quando joga um nosso ex-jogador do outro lado muitas vezes ele faz o jogo da vida dele, foi o caso de Edwards em Londres, pode ser o caso do Alan Ruiz no Arouca, que consiga fazer o que nunca fez no Sporting.

Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa!

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez, e ao contrário do que aconteceu há quatro anos com o Arsenal, apenas no sofá.

Se no início desta fase de grupos da Champions já achava que o Tottenham era a equipa inglesa mais parecida com o Sporting, com o mesmo sistema táctico e um Harry Kane similar ao Paulinho fisicamente e nos espaços que percorre em campo, neste momento ainda mais é, as duas equipas muito castigadas por lesões, os experientes guarda-redes a falhar clamorosamente e a entregar resultados, defesas a oferecer golos aos adversários, enfim o momento para as duas não é de facto o melhor.

No jogo de Alvalade Rúben Amorim entendeu melhor o adversário do que António Conte. A opção pelo ataque à profundidade pelo chão facilitou a vida ao Sporting, e as grandes oportunidades do Tottenham foram bolas altas ao segundo poste na área de intervenção de Nuno Santos.

Por isso penso que com o regresso de Coates Amorim deveria fazer avançar Nuno Santos para substituir Pedro Gonçalves, fazer derivar Matheus Reis para ala esquerdo e colocar Marsà, que está a justificar a continuidade. O sacrificado, continuando a apostar no ataque móvel, seria Paulinho: entraria mais tarde a substituir Trincão ou Edwards. Defender baixo e atacar veloz.

 

Voltando ao jogo com o Arsenal, os Sportinguistas de todo o Reino Unido compareceram em peso, muitos tornaram-se adeptos ferrenhos de clubes ingleses da sua zona de residência e criaram um ambiente incrível de apoio à equipa comandada pelo Tiago Fernandes (um claro caso de desaproveitamento, não entendo porquê) com as claques completamente secundarizadas. Nessa viagem aconteceu também um episódio que cavou ainda mais o afastamento entre a JuveLeo e Frederico Varandas. Se calhar outros acontecerão também nesta nova viagem a Londres. Mas isso não impedirá um novo ambiente de festa e fervor Sportinguista mais logo em Londres.

Conquistando pontos mais logo ficaremos bem próximos do objectivo: passar a fase de grupos.

Confiança total em Rúben Amorim, confiança total nesta equipa.

Onde vai um vão todos. É o slogan que tem de ser retomado a todos os níveis do Sporting.

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... no lugar certo, na bancada, chova ou troveje.

No rescaldo da derrota com o Varzim, referi que se tivéssemos entrado com a nossa equipa B talvez o resultado fosse diferente. Ou talvez não. Ontem no Restelo, mesmo desfalcados de três titulares, demos um banho de bola ao Belenenses na primeira parte: Fatawu destruia a esquerda adversária, Afonso Moreira a direita, as oportunidades de golo claro sucediam-se umas atrás das outras, a bola não entrava por milagre ou falhanço clamoroso. Depois foi preciso um penálti e só mesmo na recarga a bola acabou por entrar. 1-0 foi o resultado que coloca o Sporting B no topo da série B da 3.ª Liga. Foi uma primeira parte de futebol de luxo, claro que à escala da 3.ª Liga, mas a verdade é que a falta de eficácia na concretização foi confrangedora.

 

A equipa A está com o mesmo problema, que tem muito a ver com a opção do Rúben pelo ataque móvel, muito à medida da Champions, que desmanchou rotinas instaladas, tornou os alas inoperantes e colocou o peso todo na inspiração dos três avançados para desequilibrar em espaços curtos. Mesmo o regresso de Paulinho não resolveu o problema, porque as movimentações dele em jeito de pivot ofensivo no tempo de Pedro Gonçalves e de Sarabia já não existem, ele mete-se na molhada à espera da bola que obviamente não chega. Enquanto Porro ainda consegue centrar sem perder tempo na diagonal entre a linha dos defensores e o guarda-redes, Nuno Santos demora uma eternidade para mandar a bola para parte nenhuma.

 

A equipa, com os jogadores que tem e não com aqueles que devia ter, precisa de reinventar-se de acordo com a primeira metade da época passada, deixar Edwards ou Trincão no banco, e dar espaço a Paulinho para recuar no terreno para próximo de Morita e organizar o ataque. E depois jogar bem mais depressa, do centro meter na ala e o centro surgir de imediato para Pedro Gonçalves facturar. Se o Casa Pia recuperar a bola e atacar tanto melhor, para haver espaço para o contra-golpe. Se o resultado estiver de feição será uma boa oportunidade para lançar Mateus Fernandes.

Na defesa, com tantas lesões, pouco há a fazer. O trio central Inácio-Marsà-Matheus Reis tem de aguentar com a falta dum trinco e com dois alas que defendem mal. Sobra Ugarte, mas sobre esse não merece a pena dizer nada, temos uma jogadora de voleibol também assim, "alma até Almeida", correr e jogar nos limites até cair para o lado. 

 

Dito isto, toda a confiança em Rúben Amorim. Nota-se que está verdadeiramente incomodado com o que se está a passar e também ele a dar tudo o que tem para reverter a situação. 

Se calhar hoje vamos ter o princípio disso. Jogo a jogo lá iremos.

 

PS: O Porto, desfalcado daquele João Pinheiro sempre decisivo nos jogos com o Sporting, lá perdeu o clássico. Conceição fez a sua rábula de malcriado acompanhado do presumivel ladrão de carteira e telemóvel e foi naturalmente expulso, agora é o Catão ou o Macaco tratarem do assunto com o Pinheiro. Com isso, ganhando ao Casa Pia, ficamos a 3 pontos do segundo lugar. 

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez no meu sofá e em frente à TV.

No último post deste tipo, antes do jogo com o Santa Clara, dizia eu: "Esgaio precisa mesmo de parar e na falta de Porro, um dos extremos dextros do plantel deveria assumir o lugar, ou então um Marsà de pé contrário. Vou pelo Arthur Gomes, que penso já ter actuado a lateral." 

Mas a verdade é que não parou, com as consequências que se conhecem nesse jogo e no seguinte.

As explicações de Amorim sobre o facto e sobre o momento não são convincentes, anda ali às voltas concentrando a questão em si mesmo. E a questão não é o treinador campeão e ganhador Amorim, que qualquer dia está no PSG ou noutro grande clube europeu.

Há mesmo qualquer coisa que não está a funcionar no futebol do Sporting e que convinha ultrapassar o mais depressa possível.

 

O Sporting partiu para a quarta época de Amorim em Alvalade com um plantel curto e desequilibrado, em termos físicos, etários e de liderança/atitude, ou pela necessidade premente de saneamento financeiro do clube ou por opções assumidas do treinador, ou por uma aposta clara numa formação recuperada e de volta aos tempos de glória, ou por tudo isso junto.

As lesões sucessivas nos elementos mais capazes e experientes do plantel puseram a nu as insuficiências do mesmo, com consequências para todos os outros jogadores, retirados da zona de conforto ou pelas mudanças de posicionamento que foram necessárias ou pelos parceiros de momento no enquadramento da equipa. Quase nunca Amorim pode repetir o onze inicial e o alinhamento da defesa (os 3+2) tem mudado constantemente.

Então, se é verdade que o treinador não está a proteger Esgaio ao insistir nele quando ele não está em condições para render, parece que a Direcção (Varandas/Viana) também não está a proteger Amorim ao insistir em deixá-lo entregue a si mesmo e a este plantel, carente de reforços efectivos. 

 

Temos então hoje o jogo da Taça com o Varzim.

Lesionados ou "presos por arames" estão Jovane, Porro, Neto, St. Juste, Coates e Bragança. Com viroses (gripe, Covid, o quê exactamente?) parece que estão Arthur Gomes, Callai e Nazinho. Esgotados fisica ou mentalmente estão Ugarte e Esgaio, Pedro Gonçalves anda lá próximo.

Quem é que sobra em boas condições físicas e mentais para fazer um onze que dê garantias num jogo da Taça? Se calhar estes:

Israel; Inácio, Marsà e Matheus Reis; Fatawu, Sotiris, Morita, Nuno Santos; Rochinha, Paulinho, Edwards.

Amorim veio dizer que capitão vai ser... Inácio. Precisa de crescer, diz ele. Eu digo que precisa mais de se focar na linha de fora de jogo e não se distrair com outras coisas.

 

O Varzim segue na Liga 3 na zona A com 3V e 2E, o Sporting B na Zona B da mesma Liga com 3V e 2D, a qualidade do nosso onze é mais que suficiente para passar, nem penso noutra coisa. Mas o Benfica passou ontem apenas nos penáltis contra um Caldas da mesma série do Sporting B, com 2V e 3E.

Parece que andamos de VW a fazer de Porsche nas "24 horas de Le Mans" com um grande piloto ao volante. E às vezes uma ou outra peça não aguenta e estampamo-nos.

Se alguém neste contexto vier dizer que o que falta é Amorim apostar na formação, pôr a jogar o Mateus Fernandes ou perguntar pelo Gonçalo Esteves ou outro puto qualquer só pode estar a gozar com o pagode.

 

Depois da aprovação dum R&C da SAD que registava um lucro assinalável, foi aprovado ontem o do clube também com lucro, demonstrando que o tal saneamento financeiro está a resultar. Foi mais uma vitória deste presidente e mais uma derrota duma oposição centrada em Nuno Sousa e nas redes sociais a ele afectas apostada na guerrilha cega e sistemática, sempre à espreita dum pretexto para meter a faca, órfã dum passado a que os Sportinguistas não querem voltar.  Está aí ainda o Rafael Leão para o lembrar. 

Mas por muito bem que estejam as contas, por muito bem que esteja a formação, por muito bem que estejam as modalidades, por muito certo que esteja o rumo seguido, se a equipa de Amorim não ganha hoje e continuadamente, hoje temos o "caldo entornado". Já no jogo de quarta-feira se ouviu trautear na curva Sul uma musica de má memória.

Sem sucesso desportivo não existe sucesso financeiro, ainda ontem repetiu o presidente.

Então... qual é a dúvida do que há que fazer ? Não entendo.

SL

É dia de jogo

E eu vou lá estar, doido da cabeça... desta vez em frente à TV rodeado de desportistas Sportinguistas como eu.

Depois da profunda desilusão que foi o desfecho do jogo da Champions, o Sporting visita mais logo o estádio onde deixou 3 pontos na época passada contra um sempre complicado Santa Clara que merece desde há muito um novo símbolo e novas cores no equipamento. 

O Sporting Clube de Portugal é um grande clube e os grandes clubes depressa recuperam dos maiores percalços. Passam por cima como se nada fosse rumo aos objectivos a atingir, os outros ficam a ruminar nos erros, a clamar de humilhações e catástrofes, os adeptos no tiro ao boneco aos jogadores que falharam, os presidentes a partir a loiça toda, etc. E sendo um grande clube tem de entrar sempre para ganhar em todas as competições, pelo que o onze a apresentar mais logo terá de ser o melhor possível para o confronto em questão. O Marselha vem depois.

 

Considerando todas as competições, o Sporting vai nesta época com 6 V, 1E e 4D, 22-15 em golos, um registo estranho para o que tem sido o Sporting de Amorim, por ele explicado por menor traquejo deste plantel. Para mim tem mais a ver com a falta de recursos dum plantel curto e desequilibrado.

Nestes confrontos com equipas pequenas, ter uma referência ofensiva é fundamental e Paulinho deverá voltar à titularidade. Com Paulinho, Coates, St.Juste e Inácio ou Matheus Reis ficamos com outra capacidade nas duas áreas de rigor. Fundamental também é não deixar partir o jogo, canalizá-lo pelas alas e evitar perder a bola em zonas centrais. Ganhar vantagem depressa, gerir o resultado depois.

 

Esgaio precisa mesmo de parar e na falta de Porro, um dos extremos dextros do plantel deveria assumir o lugar, ou então um Marsà de pé contrário. Vou pelo Arthur Gomes, que penso já ter actuado a lateral.

Então para mim o onze a entrar em campo seria, sempre procurando capacidade física para lutar no campo inteiro:

Adán; St.Juste, Coates e Matheus Reis; Arthur Gomes, Ugarte, Morita e Nuno Santos; Trincão, Paulinho e Pedro Gonçalves.

Com Inácio, Marsà, Sotiris e Edwards a reforçarem a equipa à primeira oportunidade.

 

SL

{ Blogue fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D