Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

És a nossa Fé!

Monopólio

monopolio.jpg

 

Defeso activo, o Janeiro. Boas notícias? Serão boas notícias que Misic - que custou caro e quase nunca jogou - foi emprestado ao PAOK, com opção de compra? Que Viviano - que custou caro e nunca jogou - saiu, emprestado para um tal de SPAL, e sabe-se lá quem lhe pagará o lauto ordenado? Que Bruno César - que não sei se foi caro mas jogou bastante mas já não jogava - foi embora de vez, para o Vasco da Gama? Que Marcelo - que não custou muito caro, um mero apartamento topo de gama, e que nunca jogou - foi para os EUA, grosso modo, dizem os jornais, pela mesma quantia que custou? Que Gauld - que custou caro e nunca jogou - foi emprestado ao Hibernian (que nos deu 6-1 numa altura em que o Manaca jogava)? Que o Alan Ruiz - que custou caríssimo, e que ganha tanto que mal chegou comprou um Ferrari da cor errada, jogou pouco e agora nem joga lá pelas terras dele - foi emprestado a um clube médio da Argentina, pagando o Sporting o salário? Que um tal de Jatobá (quem?), que nem sei quem seja, foi emprestado para uma divisão qualquer do Brasil? E que o Castaignos - que custou caro e ganhou bem - foi mandado em paz, sem contrapartidas?

Serão boas notícias que o clube original do Acuña reclama uma fatia de dinheiro da transferência - sim, quase nada, um milhãozito e tal de euros, coisa pouca?  Que o caso Gelson afinal não se resolveu, apesar do presidente ser amigo dos jogadores, e torrando a carreira vai ser recambiado para o Milan, primeiro passo na direcção de um clube turco e, depois, de um qualquer oriente? Que o Ristovski - que custou algo e vai jogando - parece que vai lá para Itália? E que aquele Lumor - ao que se escreveu muito barato, meros três milhões de euros, e que  não joga - será emprestado? 

Boas notícias? A gente rejubila porque vem mais um Doumbia, barato, milhõeszitos de euros, coisa pouca. E porque vem um Filipe abstruso, que não há-de ser um Zandonaide, esperemos, e que não terá sido muita coisa, uns apartamentos apenas, desses de alugar a turistas. E por dois ou três milhões virá o Illori, que se baldou há uns anos, quando já jogava e foi para a bancada inglesa. De onde só agora saiu. 

Isto, todos os verões e agora todos os invernos, é um total absurdo. É um jogo do Monopólio, a gente a comprar a Luísa Todi e a cair na Avenida da Liberdade. Um povo sem taco a desvalorizar os milhões, como se estes se lhe fossem familiares. Quanta gente que nem mil euros mensais ganha que fala do quão barato é um Doumbia qualquer, a milhão ou dois milhões o custo do passe?

E quem não dá dinheiro para o "empréstimo obrigacionista", que alimenta esta demência estrutural? "Que vá passear", clama quem se julga moralmente superior. 

Talvez fosse interessante lembrar, todos os dias, que este Monopólio dá dinheiro a muito comissionista. E que estupidifica os jogadores. Os do Monopólio, não os futebolistas.

Boas notícias

 

Pedro Silva mantém-se em Alvalade, como terceira opção para a nossa baliza.

 

Jonathan Silva prolonga por mais três anos o vínculo ao Sporting, até 2022.

 

Matheus Pereira renovou contrato antes de rumar por empréstimo ao Chaves.

 

Bruno de Carvalho impede venda de Francisco Geraldes

 

 

Sábias palavras de aviso

«É difícil olhar para as contratações de Fábio Coentrão e Mathieu (esta ainda por confirmar) sem pensar de imediato que o Sporting pode estar a correr riscos semelhantes aos que assumiu quando avançou para Markovic e Elias. Há um ano, tanto o sérvio quanto o brasileiro pareciam soluções muito boas para Jorge Jesus e afinal foram verdadeiros flops. A um faltava ritmo competitivo; o outro já não o tinha.

Contratar jogadores pelo que se viu deles há dois ou três anos não é boa ideia. O momento é, quase sempre, tudo. E qual é o momento de Fábio Coentrão e Mathieu? Em rigor, não o sabemos. Porque o lateral português na última época foi utilizado em apenas seis jogos, no intervalo de lesões; porque o central francês, na última época, foi utilizado apenas 16 vezes, entre lesões arreliadoras, quando está a poucos meses de completar 34 anos.

Já se percebeu que para Jesus esta dupla terá papel decisivo na próxima época. Por quanto tempo? É essa a questão fundamental.»

José Ribeiro, hoje, no Record

Entradas e saídas (menu do dia)

 

«Dia de Fábio. Jesus terá hoje em Alvalade o lateral mais desejado. Coentrão faz exames médicos e assina contrato. Presidente do Real Madrid confirma empréstimo.»

Manchete do Record

 

«Mathieu já acertou contrato. Central esteve até ontem em Lisboa e o anúncio como reforço do Sporting está iminente.»

Manchete d' O Jogo

 

«Bruno Fernandes vai assinar por 5 anos. Sporting perto de garantir médio internacional sub-21.»

Manchete d' A Bola

 

«Gastón [defesa internacional do Uruguai] confirma que "negociação [com Sporting] está avançada.»

Notícia de capa d' O Jogo

 

«Battaglia chega da Argentina.»

Notícia de capa do Record

 

«Milan de olho em Rui Patrício. Guarda-redes pode ser a solução para a saída de Donnarumma.»

Notícia de capa d' A Bola

 

Parece que estamos à procura de um central canhoto

Fala-se em Mathieu, Acerbi e Dória.

Entendo a necessidade específica de um central canhoto, embora tenhamos o Ewerton nos quadros, e por isso deixo aqui a minha humilde sugestão de um dos mais promissores centrais canhotos que vi nos últimos tempos: Milan Skriniar, actualmente na Sampdoria.

Onde, curiosamente, também joga um médio defensivo com muito potencial: Lucas Torreira. Mas que dificilmente encaixaria no perfil morfológico exigido por JJ para a posição.

Bater na mesma tecla

Por que não tenta o Sporting a contratação ou empréstimo de Rafael Martins?

Já tem experiência de 1ª Liga, logo, não precisa de passar pelo processo de adaptação.

Das suas 2 únicas épocas, à data, na Liga Portuguesa, resulta a média de 15 golos por temporada.

Tem 27 anos, excelente idade para avançado.

Parecem-me suficientes credenciais para valer a pena a sua contratação.

Antecipando o defeso

Rivalidades à parte, reconheço a Luís Filipe Vieira o mérito de, nos anos seguintes ao sobressalto financeiro gerado pelo consulado de Vale e Azevedo, ter conseguido segurar nos plantéis do Benfica os seus melhores jogadores. 

O Sporting só mais de 10 anos depois, na presidência de Bruno de Carvalho, é que começou a replicar esse bom exemplo (alguém apostava que William Carvalho iria durar mais do que uma época?).

Ao assistir ontem a mais uma exibição categórica de Ronaldo, dei por mim a pensar em como temos de segurar, dê por onde der, o João Mário para a próxima época. Julgo que caminha, a passos largos, para ser aquele jogador de quem se dirá o Sporting é o João Mário e mais 10.

Sempre mais próximos da vitória

Podia trazer à discussão o texto que escrevi no defeso passado acerca das fracas contratações então realizadas, mas arrisco afirmar que nem os mais críticos desse texto – houve até quem o apelidasse de anedótico e marcasse “encontro” para o final da época - apresentem agora argumentário válido.

 

Podia trazer à discussão muitos dos textos que fui escrevendo ao longo da época passada em que, discutindo o jogo e a qualidade do mesmo, dei muitas vezes a minha opinião sobre muitos dos jogadores do Sporting, nomeadamente, aqueles que considero menos conhecedores do jogo e que por conseguinte nas suas acções individuais afastam mais do que aproximam a equipa (colectivo) do sucesso. Adrien, Paulo Oliveira e Slimani (sem contar com os inenarráveis Maurício e Sarr) terão sido provavelmente os mais visados pelas minhas críticas. Ainda hoje os considero como os piores da equipa, mas com o defeso deste ano ainda veio João Pereira para se juntar a este lote.

 

Podia trazer à discussão a problemática das arbitragens internas e europeias que mais parece uma premonição - qual Oscar Shidinski - há muito e por muitos aguardada, mas com as segundas partes dos jogos com o Paços de Ferreira e com o CSKA, seria justo fazê-lo e culpabilizar apenas as arbitragens?

 

Podia ainda trazer à discussão a necessidade de adquirir um defesa direito, um defesa central, um extremo e um avançado centro, mas será razoável fazê-lo sem jogar a Champions? Mesmo assim quero acreditar que até dia 31 de Agosto chegará pelo menos um extremo e um avançado centro.

 

Podia, de facto, trazer muitos temas à discussão, mas nesta fase o que me apetece pensar é que esta equipa tem menos de dois meses de trabalho com aquele que para mim é o melhor treinador português da actualidade, o que por conseguinte me leva a acreditar que a equipa só pode melhorar (William, volta!; Montero, acorda!) e que, invariavelmente, seremos superiores a todos os adversários no que à qualidade de jogo diz respeito, o que fará com que estejamos sempre mais próximos da vitória.

Tudo a mexer

Da imprensa de hoje:

 

«Van Wolfswinkel perto de assinar: acordo com o Norwich»

 

«Bryan Ruiz para fechar»

 

«Gelson Martins e Wallyson promovidos no plantel»

 

«João Palhinha sob observação para a formação principal»

 

«Nani no Fenerbahçe rende 120 mil euros ao Sporting»

 

«Rui Patrício, Adrien e Slimani regressam aos treinos»

 

«Teo Gutiérrez, internacional colombiano, continua em agenda»

 

Fraco defeso

O saldo deste defeso no que respeita a jogadores tem sido, até agora, claramente negativo.

Em relação à troca de treinador acredito que saímos muito a ganhar e que será ele o único responsável por amenizar a péssima política desportiva seguida até ao momento. Mas vamos por partes.

 

As coisas ainda podem mudar, embora não acredite que mudem muito, ou a mudar até pode ser para pior, caso saiam William, Rojo (com a saída de Dier até já me parece importante mantê-lo, ao que isto chegou!) ou Slimani, só para citar aqueles de quem se fala.

 

De todas as contratações, até agora só Rosell e João Mário (é um regresso, mas para ser mais simpático vou incluí-lo no rol das contratações) acrescentam algo.

O espanhol é muito bom jogador e sem dúvida um acrescento de qualidade ao plantel, pela qualidade das suas decisões, pela capacidade de liderança e pelo que oferece à equipa colectivamente. O melhor reforço até agora.

João Mário está a comprovar o que todos esperávamos dele. Muita qualidade e depois do empréstimo vem com a motivação e maturidade competitiva em alta.

 

Todo o resto é mau demais para ser verdade.

Geraldes teria dificuldades em jogar de início na maioria das equipas do meio da tabela para cima. Não é nem nunca vai ser superior a Esgaio, mesmo que na minha opinião este possa vir a ser um médio interior de excelência, a jogar como lateral.

Paulo Oliveira daqui a dois anos quando tiver maturidade para ser titular do Sporting tem três centrais da formação (assim os saibamos manter e potenciar, o que não parece ser o caso) à sua frente, Semedo, Tobias e Domingos Duarte.

Slavchev parece ter algum potencial, mas não é superior a Wallyson Mallmann e tem a mesma idade, pelo que tenho dificuldades em perceber a contratação.

Tanaka é um híbrido. Tem alguns pormenores interessantes, nomeadamente de movimentação, mas dificilmente será titular e se Slimani sair, não faz sentido fazer uma época só com Montero e Tanaka.

Shikabala é um artista de circo, não é um jogador de futebol.

Sarr não conheço, mas assim que se oficializou a sua contratação tive o (bad) feeling de que significaria perder Dier.

Gauld é um caso difícil de explicar para um clube que tem tantos constrangimentos de tesouraria e toma a decisão de investir € 2,5M num miúdo de 18 anos, mas dou o benefício da dúvida.

 

Para piorar a situação, não conseguimos, até ao momento, fazer nenhuma venda de excedentários.

Capel mantém-se no plantel e não é aconselhável partir para uma época desportiva com Capel, Héldon, Carrillo e Mané como únicos extremos, pelo que a venda do espanhol é decisiva para que se possam canalizar verbas para adquirir um extremo decente e com capacidade de jogar mais perto de Montero.

Rojo deveria ter sido vendido capitalizando a presença no mundial, mas mantém-se no plantel e agora que Dier saiu, até parece imprescindível a sua manutenção.

 

O pior vem no fim.

Esta venda de Dier, apesar da justificação oficial levá-la para um plano de inevitabilidade (aguardemos a posição do próprio Dier e dos seus representantes), é um acto de gestão desportiva trágico. Seja ele imputado às direcções anteriores ou a esta, ou até a Leonardo Jardim por não ter percebido a valia deste jogador e não o ter colocado a jogar durante a época passada dando-lhe o tónico motivacional necessário para a renovação.

 

Hoje é o jogo de apresentação e lá estarei, como sempre, a apoiar o Sporting, com a ténue esperança de estar enganado na análise que faço do defeso, com a tristeza de não ver Dier no plantel, acreditando que ainda contrataremos pelo menos um extremo e Yohan Tavares, que William não saia e que Marco Silva consiga manter-se firme na adopção dos seus excelentes princípios de jogo.

Inevitável...

... vamos ser campeões em 2014-15! Segundo a imprensa, teremos uma invencível e poderosa armada do meio campo para a frente, tal o número de jogadores a contratar. E poderemos, assim, jogar num revolucionário 4.8.5... As coisas que o Marco Silva vai poder fazer! O nosso ataque ficará irresístivel e a nossa defesa de betão! Os adversários não passarão o nosso meio campo, tal a profusão de jogadores! Os atacantes vão envolver a área do adversário, como um polvo. E os empresários vão ganhar rios de dinheiro. Vieira vai ter mesmo de rapar os pelos das mãos e falar com o Pintinho, para acordar aliança defensiva. E nós seremos campeões. Limpinho, limpinho!

Faz hoje um ano

 

Mudam os tempos, mas nem sempre mudam os hábitos. Como bem se pode verificar neste texto que a Marta Spínola aqui publicou em 2 de Junho de 2013. Foi há um ano mas poderia ter sido hoje:

 

«Começou a correria de notícias falsas, boatos, verdades assustadoras, mentiras piedosas, primeiras páginas sensacionalistas.

Não contem comigo para desesperar a pensar quem vai sair, meu Deus agora quem fica na direita/esquerda, quem distribui, quem corta. Não estou para "Ai que pena, era o meu preferido e agora vai sair. Afinal fica. Não, vai. Não, fica".

É das coisas a que acho menos graça na pré-época e que tem vindo a tomar proporções ridículas. Bem sei que os jornais têm de vender, bem sei que nem é o Sporting quem mais sai na rifa. Mas uma vez que fosse, para mim era muito. Não tenho a mínima paciência.

No primeiro dia logo vejo quem está e fará parte. O resto já não me importa. Desde Insúa, admito, não quero saber.

Sortezinha a quem sair, mas muito mais fortuna a quem ficar.

Posto isto, vamos à pré-época. Eu vou, mas não empurro.»

Nunca mais chega o mundial

Está entregue a taça Jet Lag.

Para breve a entrega da taça Gomes.

O Costa manda dizer que a grua está de prevenção, é só mandar vir, temos que ser para os nossos...

Entretanto o Metro diz que vai pôr mais uma carruagem em cada combóio: diz que há por aí muito passageiro inchado. E não é gordura...

{ Blog fundado em 2012. }

Siga o blog por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D